Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




"25 de Abril no futebol, já !"

Naçao Valente, em 26.04.17

 

Há quarenta e três anos um golpe militar derrubou o regime ditatorial e abriu as portas para a instauração de uma democracia parlamentar. Processo difícil e complexo, que acabou com a vitória definitiva da liberdade ,sobre os que queriam impor uma nova ditadura com outros contornos ideológicos.

 

Este processo de democratização ainda não chegou porém ao mundo do futebol. As suas estruturas desportivas continuaram cristalizadas e à margem do que aconteceu na sociedade. Quer a nível das instituições que superintendem o futebol profissional, quer ao nível do governo dos clubes, as mudanças foram poucas e superficiais. Por norma os dirigentes continuaram a perpetuar-se no poder, mantendo-o como um feudo imune à evolução que se deu à sua volta.

 

20390611_gPN7r.jpg

Quarenta e três anos depois existe no sub-mundo do futebol esta realidade. Um presidente que tomado o poder, criou uma rede de influências que lhe permitiram a perpetuação no lugar. E apesar da imitação de democracia que transmite para o exterior, a verdade é que o senhor Pinto da Costa , tem sido o dono absoluto do Futebol clube do Porto. Um outro presidente ,vindo das catacumbas do oportunismo, ocupou a presidência do SLB, onde foi construindo a sua teia de interesses, com o intuito de se eternizar na sua presidência. Passados quinze anos tem o objectivo, praticamente, conseguido. O Sporting Clube de Portugal está nesta altura refém da mesma estratégia oportunista. O senhor Bruno de Carvalho chegou à presidência com o mesmo projecto dos seus homólogos: ser presidente ad eternum.


De certo que há diferenças entre estas três personagens. Diferenças geracionais, diferenças de personalidade. Mas todos têm uma coisa em comum, servirem-se dos clubes, em vez de os servirem. Para isso, todos e quaisquer meios justificam os fins. Uns podem ser mais diplomáticos, outros mais polidos, quiçá mais hipócritas, outros mais sanguíneos, contudo são na sua essência, portadores de projectos de poder pessoal que não casa com a democracia.


Quarenta e três anos depois se é verdade que a sociedade, sendo imperfeita, evoluiu, o mesmo não se passou no mundo do futebol. Arrisco dizer que está pior. A luta pela hegemonia não respeita regras, vale tudo. A rivalidade transfere-se dos relvados para a comunicação social e desta para a rua. Espécie de tropas pretorianas digladiam-se e matam-se. Os generais nos seus labirintos, cada um à sua maneira, vão pondo mais lenha na fogueira. Os poderes institucionais continuam impávidos. Até quando?


O futebol precisa de um vinte e cinco de Abril. As leis que permitem a perpetuação eterna do dirigismo oportunista têm de ser mudadas. Porque raio os políticos estão sujeitos e bem, a mandatos limitados, e porque razão isso não acontece no sub-mundo do futebol? Sem regras verdadeiramente democráticas não há democracia no desporto. Disse, John Emerich Edward Dalberg-Acton, que todo o poder corrompe, o poder absoluto corrompe completamente. E aqui é preciso clarificar que não existe apenas a corrupção clássica, mas aquela que permite a alguém, tornar-se dono do que não lhe pertence.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:06

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


36 comentários

Sem imagem de perfil

De Aracaçu a 25.04.2017 às 19:01

"Porque raio os políticos estão sujeitos e bem, a mandatos limitados, e porque razão isso não acontece no sub-mundo do futebol?"

Caro Nação Valente, só não concordo lá muito neste ponto. Por exemplo, agora nas autárquicas de 2017, alguns "dinossauros" políticos e outros tanto "dinossauros" como corruptos (ex: Isaltino Morais) vão se voltar a candidatar, depois de 4 anos de "período sabático". Devia ser só permitido exercer 2 mandatos e nunca mais exercer um cargo de presidente de uma câmara. Mas o mais espantoso é que o povo vota neles e fica todo contente. Mesmo que seja feita uma "obra bonita" mas que para pouco serve, como as que por exemplo Fernando Medina anda agora a fazer em Lisboa a poucos meses das eleições, o povo não se interessa. Quer é obra feita. E se for da corrupção? "Não interessa, o importante é que está feita".

De resto excelente artigo e que me preocupa fundamentalmente pelo que Bruno de Carvalho está a tentar fazer (e parece ir levando a água ao seu moinho) no Sporting Clube de Portugal. Um líder oportunista e que se quer eternizar no poder recorrendo à demagogia fácil e bacoca.

Cumprimentos.
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 25.04.2017 às 19:43

Aracaçu,
A limitação de mandatos nas autarquias foi um passo importante para limitar abusos de poder. No entanto, a lei tem várias lacunas. Para além da situação que refere. não faz muito sentido que um autarca não possa candidatar-se à mesma câmara, mas o possa fazer a todas as outras.
Quanto a Bruno de Carvalho comungo da sua preocupação. Ao fim de quatro anos de demagogia, consegue fazer-se eleger com alta votação. É certo que não teve adversário credenciado, mas mesmo assim é sinal de que a sua eternização está a caminho.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 25.04.2017 às 19:48

Caro Nação Valente

A sugestão de limitação de mandatos é muito interessante. Principalmente, como refere com razão, é bastante oportuna. Há quem se eternize no poder em virtude da teia de interesses que teceu!

Um abraço cordial
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 25.04.2017 às 20:03

Caro Leão Zargo,
Acabo de ler uma declaração de Bruno de Carvalho (via facebook) onde, por mero acaso, vem ao encontro do que escrevi, pedindo, também, um "25 de Abril" no futebol, com aplicação, a este, das leis gerais da República. Se isso incluir a limitação de mandatos merece elogios, embora me custe acreditar. De qualquer modo parece ser assunto que tem que passar pela revisão dos estatutos dos clubes, o que é muito problemático.
Grande abraço
Sem imagem de perfil

De HY a 25.04.2017 às 22:12

Concordando ou não com a ideia da limitação de mandatos, creio que aqui não há lei geral da república que nos valha. Tratando-se de entidades privadas, só mesmo a vontade dos seus membros pode determinar a limitação dos mandatos.

Curiosamente, no futebol encontramos muitos exemplos em que a estabilidade e continuidade são a chave (ou pelo menos facilitam) do sucesso.

Talvez o pó ao Bruno não deva constituir o elemento central numa questão destas. Afinal de contas, mais tarde ou mais cedo ele também passará...
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 25.04.2017 às 22:22

Passará? Bem um dia todos "passamos", é a lei da vida.
Sem imagem de perfil

De HY a 25.04.2017 às 22:26

Passará em em relação ao Sporting. Mas a questão é que os casos de sucesso, em futebol , estão muitas vezes associados a largos períodos de estabilidade directiva (dirigentes e/ou treinadores). Os exemplos são claros...
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 25.04.2017 às 23:04

Hy,
Estabilidade é importante. No caso do Sporting, e com esta direcção, tem havido estabilidade?
Sem imagem de perfil

De Carlos N.T. a 25.04.2017 às 22:49

Ahhhhh!!!..
Bruno, é sério esse pedido?.. 25 de Abril no futebol??
Bruno, se isso acontece vais ter que emigrar LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOLL!!
Bem, esse é um antigo desejo teu, já exprimido em assembleia geral
Sem imagem de perfil

De BenfiquistaDeGema a 26.04.2017 às 01:19

Limitação de mandatos?
Sou sócio do Benfica, conheço os estatutos que pautam o funcionamento do Clube e estou satisfeito com eles. Garantem a liberdade democratica que se exige e a presidência está ao alcance de qualq
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 26.04.2017 às 17:19

A sua satisfação é fácil de explicar: títulos. Enquanto isso acontecer nem um génio da gestão desportiva ganha ao actual presidente. Pinto da Costa perpetuou-se com o "controle" do sistema. Vieira está a fazer o mesmo. Pode estar satisfeito, mas não é verdadeira democracia.
Sem imagem de perfil

De joao a 26.04.2017 às 04:42

Esta complicado de haver bom senso...
O b d c é um incendiário e o Saraiva o seu papagaio.
B d c esta castigado e fala todos os dias, não há ordem, e quem a podia impor?
O bom senso devia estar na pessoa, não se aprende assim de um dia para o outro.
E a CSocial adora e da eco a toda a parvoice.
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 26.04.2017 às 11:23

Limitação de mandatos nos clubes por imposição estatal?
O que está a defender não tem nada que ver com qualquer revolução democrática, antes sim tem tudo a ver com autoritarismo de estado.
Não confundam a limitação dos cargos PÚBLICOS com a vida interna de organizações privadas. Os clubes são associações PRIVADAS onde o estado não pode impor regras internas.
Se algum clube quiser limitar os mandatos dos seus dirigentes tem toda a liberdade de o fazer nos seus estatutos e regulamentos internos.
Sem a intromissão do estado!
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 26.04.2017 às 17:44


Francisco Maria,
Não distorça o que escrevi. Não defendo no texto, nem numa resposta a comentário, que o Estado imponha essa norma às instituições. Nem pode fazê-lo como afirmei:

"De qualquer modo parece ser assunto que tem que passar pela revisão dos estatutos dos clubes, o que é muito problemático."

A alusão à aplicação de leis da República aos clubes decorre de afirmações de Bruno de Carvalho e como é lógico não incluiria a questão dos mandatos. A afirmação que a poderia incluir é propositadamente irónica.

O que defendi e reafirmo é que a limitação de mandatos nas instituições desportivas era um ganho democrático.

"Porque raio os políticos estão sujeitos e bem, a mandatos limitados, e porque razão isso não acontece no sub-mundo do futebol?

É uma questão de democraticidade e de princípios, apresentada genericamente."
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 27.04.2017 às 10:06

Caro Nação Valente,
Se interpretei não o seu pensamento peço-lhe desculpa pelo facto.
Na verdade penso que a questão da limitação dou não de mandatos é um problema interno de cada clube e não se devem meter todos no mesmo saco.

Um lei estatal de limitação de mandatos nas associações desportivas levaria ao encerramento de muitos pequenos clubes que vivem da carolice dos seus dirigentes que muitas vezes não conseguem arranjar substitutos porque a lei considera-os pessoalmente responsáveis financeiramente no caso do clube não cumprir e por isso muita gente não quer assumir responsabilidades nas colectividades.

O mundo do desporto é muito maior que os grandes do futebol.
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 27.04.2017 às 19:29

Francisco Maria,
Só para lhe dizer que conheço o que refere. Sou dirigente de um pequeno clube e sei da dificuldade que existe para o manter vivo. E de facto é muito difícil constituir e manter uma direcção. Precisamente o contrário do que acontece nos "grandes" onde o cheiro do dinheiro, atrai muito oportunismo.
Saudações desportivas
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 26.04.2017 às 12:49

Reparem bem que os benfiquistas que aqui comentam são contra a limitação de mandatos... alegando democracia no benfica... quando LFV ganhou as ultimas eleições com 95%.... isto não é democracia, é simplesmente um controlo total, que impede qualquer oposição de se puder afirmar.

Se é verdade que se os clubes são entidades privadas, também é verdade que são considerados como organismos de entidade pública e que representam um papel social.... só por essa razão ainda não se fechou as portas aos ditos Grandes com dividas totalmente insuportáveis! P.ex, os clubes não foram ajudados pelo Estado na construção dos seus estádios? o argumento que são somente empresas privadas não é 100% verdadeiro...

A limitação de mandatos tem como principio fundamental, o escrutínio dos mandatos e o aparecimento de novos dirigentes... já que dizer-se que 95% votam na mesma pessoa há décadas e chamar isso de democracia... é a mesma coisa que a Coreia do Norte ser uma democracia.... eu denomino isso de lavagem cerebral!

Ainda ontem saiu uma noticia que LFV pagou o ano passado 30M€ em comissões.... indo ler os comentários, acham que algum benfiquista questiona este tipo de gestão?! tal e qual a Coreia do Norte....
Sem imagem de perfil

De DaniG a 26.04.2017 às 13:39

Não sabes pq os benfiquistas apoiam LFV? Então eu faço-te um desenho: PQ TÊM GANHO CAMPEONATOS. Aquilo que o nosso presidente não consegue fazer, estás a ver?

Eu nem sei se para os Schmeichels e amigos ganhar campeonatos é importante. Não deve ser, pq este presidente continua a ser um desastre a todos os níveis (gestão desportiva, financeira, legal, comunicacional, etc), não consegue ganhar campeonatos nem na secretaria e esta gente continua a achar que é BdC é o Sporting!

Estes comentários demonstram bem a falta de noção da realidade que impera entre os nossos adeptos, muito graças à estratégia de radicalização do discurso e por consequencia da nossa massa adepta, por parte de BdC, e estes cegos são incapazes de perceber! É desesperante!!
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 26.04.2017 às 14:57

Portanto se ganharem campeonatos... vale tudo!! Obrigado pelo esclarecimento sobre democracia... que é o tema do post!

Depois eu sempre disse que só iria votar mais esta vez em BdC... eu nunca fui um apoiante eterno de ninguém.... entendo que é de salutar as mudanças de liderança após o cumprimento dos respectivos mandatos, porque entendo que a estatização no poder promove maus hábitos.
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 26.04.2017 às 15:04

Mas o que é que o incomoda, para além de ganhar campeonatos, a vida interna do SLB?
No seu clube nunca teve presidentes eleitos com votações de 95%???
O SLB tem 113 anos de eleições democráticas quando o pais ainda nem sabia o que isso era!

E sabe porque é que LFV tem tanta votação? Porque ergueu o clube do caos em que o outro Azevedo, igual ao vosso o deixou!
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 26.04.2017 às 15:14

Quantos anos ???
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 26.04.2017 às 15:20

113 ou 100 ou 95 ... ou... pouca diferença faz.
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 26.04.2017 às 17:58

Pois ...a lógica é uma batata.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 26.04.2017 às 20:56

Tanto que faz diferença que o Benfica foi longe para ajustar a data da sua fundação.

Mas, ao fim e ao cabo, é apenas mais um pequeno detalhe na sua história.
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 27.04.2017 às 10:10

O Benfica não precisa de justificar a data da sua fundação, sempre soube o local e a data exacta, sempre festejou os seus aniversários na data exacta e tem tudo documentado e historicamente comprovado.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 27.04.2017 às 11:13

Pois... há muito que se conhece essa lenga lenga !!!
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 27.04.2017 às 11:22

Não é nenhuma lenga lenga é a realidade factual que nenhum historiador do desporto português contesta.
E basta consultar a imprensa da época para ver que sempre se celebrou 0 ano de 1904.
Mas registo a preocupação dos sportinguistas com a história do Benfica.
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 26.04.2017 às 15:24

Isto é muita bom!!!

Ainda nem sequer se chamavam Sport Lisboa e Benfica, e já tinham eleições com esse nome?!?!.... de facto, esse tipo de democracia e de redefinição da história é muito especial... comparado mesmo só à Coreia do Norte!
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 27.04.2017 às 10:11

Se quer expor publicamente a sua ignorância, faça favor...
Sem imagem de perfil

De Pedro T a 26.04.2017 às 13:44

"Ainda ontem saiu uma noticia que LFV pagou o ano passado 30M€ em comissões...."
Algo que fiz num comentário que ainda aguarda moderação,mas como sou uma minoria nas hostes benfiquistas,sinto-me também como o honorável gestor deste blog.
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 26.04.2017 às 14:19

O que é isso de clubes "organismos de entidade pública"???

Isso não existe na lei, os clubes são associações de direito privado. No tempo do Salazar é que os clubes estavam dependentes da tutela da Direcção-Geral dos Desportos mas, deve ter reparado, isso já lá vai, houve um 25 de Abril há 43 anos!

E fique descansado que ao SLB ninguém dá lições de democracia, ainda o país não sabia o que isso era e já as direcções do SLB eram eleitas por voto directo e democrático dos seus sócios em assembleias muito concorridas e muitas vezes para escolher entre listas diferentes.
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 26.04.2017 às 14:53

Escrevi mal... organismos de utilidade pública.... isto está consagrado na lei!

O Estatuto de Utilidade Pública é uma das formas legalmente
consagradas de apoio ao Associativismo e que se reflecte na concessão de
algumas regalias... não sou conhecedor, mas creio que os clubes em Portugal usufruem deste direito.

Depois eu não estou a exigir nada para o benfica... estou apenas a dizer que para mim, democracia não é ficar décadas há frente do poder e ganhar com 95%, isso não existe em democracia... não sou eu que o digo, são os estatutos democráticos espalhados por este mundo fora.
Sem imagem de perfil

De Francisco Maria a 26.04.2017 às 15:06

Então proponha lá no seu clube a limitação de mandatos e não se preocupe com a casa do vizinho.
Imagem de perfil

De Naçao Valente a 26.04.2017 às 17:52

Este comentário é para o Schmeichel e não para o FM.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo