Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A hipótese Manuel Cajuda

Rui Gomes, em 30.11.12

 

Desconheço a razoabilidade das fontes de informação que precipitaram os mais recentes rumores sobre a hipótese Manuel Cajuda  para «Manager» do futebol «leonino». Como homem deste «milieu» desportivo, que é há muitos anos, não associo a sua presença nas bancadas em Moreira de Cónegos, pela visita do Sporting, a esta consideração. Segundo os mesmos espaços noticiosos, foi convidado pelo presidente Godinho Lopes para assistir ao derby de Lisboa, no próximo dia 10 de dezembro, ocorrência esta,  que a ser confirmada, também não implica algo de especial. Já é público que o presidente do Sporting tentou a contratação de José Couceiro para esta posição, mas que as partes não chegaram a um acordo, por conseguinte, não será surpresa alguma que se venha a dar uma nova tentativa para esse efeito, pela intenção de Godinho Lopes em entregar o comando administrativo-técnico do SAD a alguém que entenda ser competente para a função e, por esse meio, libertar a sua pessoa para a gestão superior do Clube.

Manuel Cajuda foi jogador de futebol durante 13 anos e, treinador, cerca de 28, passando por 20 clubes, dentro e fora de Portugal. Dão-lhe crédito pelas «descobertas» de jogadores como Pepe, Tiago (Atlético de Madrid), Danny (Zenite), Quim (Braga), Ricard Rocha, Hugo Almeida e o jovem André Almeida, actualmente no Benfica. Salvo estas credenciais, não imagino qual será a sua aptidão para a referida posição, mas é de admitir que se trata de alguém que percebe, e muito, de futebol. O facto de ser um reconhecido benfiquista não deve ser causa para incómodo, uma vez que é considerado um profissional honesto e competente. Não se deve confundir preferências pessoais clubísticas, com  os afazeres de ordem profissional, até de árbitros, desde que sejam pessoas isentas e de carácter.

Há um muito importante factor que não pode passar despercebido - e em nada se relaciona directamente com Manuel Cajuda - que tem a ver com a muito reduzida existência de directores-técnicos de futebol por esse mundo fora. Em Portugal, não há ninguém verdadeiramente credenciado para a posição. Seja qual for a equação em andamento do Conselho Directivo do Sporting, esta disposição tende dar algum fundamento credível à hipótese Manuel Cajuda.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:17

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


2 comentários

Sem imagem de perfil

De A. Santos a 30.11.2012 às 17:04

Caro Rui Gomes,

Concordo inteiramente com a sua análise. A este nível profissional, não se colocam os afectos clubísticos. Até se costuma dizer que "santos da casa não fazem milagres", e nós temos bastantes exemplos disso no nosso clube... Jorge Jesus é assumido sportinguista, e está de corpo e alma no projecto do Benfica, (com muita pena minha...)
Eu também gostaria mais que fosse José Couceiro a ocupar o referido cargo, por ser uma pessoa inteligente, com conhecimentos nesta área, ponderado etc. A não ser possível, terá que se partir para outra escolha, e Manuel Cajuda está naturalmente enquadrado num perfil de "senador" do futebol português. É que não abundam muitas pessoas no futebol português com esse perfil. A não ser que se opte por um manager estrangeiro... Só que é muito importante, conhecer a realidade das nossas equipas.

Cumprimentos
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 30.11.2012 às 18:10

Caro A. Santos,

O leque de escolha, neste campo, é limitadissimo, não só em Portugal como no mundo. Ainda há pouco tempo o Manchester City foi recrutar um à Espanha. Em Portugal, então, nem se fala. Também preferia o Couceiro, mas com aquela exigência de poderes absolutos, eliminou-se a si próprio. A ser sincero, perante as opções à vista, Manuel Cajuda não desagrada. Na mina óptica, era melhor não ser um ex-treinador, pelo potencial conflito entre visões e posições, mas é o que há. Com a minha pouca disponibilidade, tentei averiguar algo sobre este caso, mas só fui confrontadocom ambiguidades que nada servem para esclarecer, tanto para um lado como para outro. Também não podemos perder de vista as limitações financeiras do Sporting e o aumento da folha salarial tem de ser ponderado muito cuidadosamente. Dito isto, caso se venha a concretizar, verificar-se-á imensa controvérsia porque muitos sportinguistas não conseguirão distanciar-se do benfiquismo pessoal de Cajuda. É a mentalidade da casa e, de certo modo, do País.

Cumprimentos

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo