Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Dias da Cunha em entrevista na TSF

Rui Gomes, em 20.04.13

 

O antigo presidente do Sporting, António Dias da Cunha, concedeu uma interessante entrevista de 30 minutos ao programa «Entrelinhas» da TSF no dia 18 do corrente, onde aborda variadíssimas temáticas. Confirma que José Couceiro foi o seu candidato nas eleições e atribui a sua derrota ao facto de ter falado a verdade e de não ter feito promessas em vão, a exemplo de Bruno de Carvalho. Vai até mais longe e afirma que o novo presidente teve um discurso completamente demagógico e inverdadeiro, com promessas sem fim.

Dias da Cunha indica que é importante para o Sporting o discurso demagógico cessar porque só cria divisão. É apologista de uma auditoria de gestão para eliminar de uma vez por todas a diabolização do passado, especialmente de presidentes, mas sublinha que esta, sendo levada a cabo, só pode ser conduzida por uma empresa da especialidade ao mais alto nível - competente e independente - indiferente dos custos. Pronuncia-se ainda sobre o acordo com a Banca, os investidores em geral, e os de origem moçambicana, em particular, e insiste que o «sistema» ainda existe mas de uma forma diferente. Uma entrevista muito interessante, com a frontalidade já reconhecida a Dias da Cunha.

 

* O nosso agradecimento ao leitor "Lionheart" pela gentileza da referência.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:35

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


4 comentários

Sem imagem de perfil

De Lionheart a 20.04.2013 às 13:42

De nada, caro Rui. E Dias da Cunha prontifica-se a contribuir para pagar parte da auditoria de gestão e diz que outros sportinguistas com posses o deveriam fazer, para que não seja o clube a ter essa despesa. Mas como sportinguistas com dinheiro, como o Dias da Cunha agora são mal, é duvidoso que a sua oferta seja atendida, até porque não é amigo da "casa". Além do mais, fazer a auditoria cria um problema, que é poder dar aquilo que não se quer e depois não se podia andar a repisar nisto para tapar as incapacidades actuais.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 20.04.2013 às 13:52

Sim, sempre entendi uma auditoria de gestão como um processo negativo, mas face à constante ameaça, à conveniência, deve agora ser feita mas esclarecer a contenda de uma vez por todas.

Duvido que BdC vá avante com isto, mas veremos...
Sem imagem de perfil

De sergiom a 21.04.2013 às 17:02

Sempre gostei muito do Dr Dias da Cunha, foi para mim um dos melhores presidentes do Sporting. Nesta entrevista, percebam-se as suas declarações a cerca do estado atual do Sporting e da relação com a gestão de Soares Franco. Também considero que nesta gestão se deu o grande passo para o abismo que GL concluiu.
Bettencourt foi uma vitima, ele já não pôde dar os "luxos" (refiro-me às equipas de futebol) a Paulo Bento que Soares Franco deu. Nessa altura gastou-se muito e mal na equipa de futebol.
Em alvalade sempre se contrataram resmas de jogadores e os proveitos 0$.De quem era a responsabilidade das contratações?
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 21.04.2013 às 17:43

Caro Sergiom,

Pela minha experiência de futebol e pela minha proximidade ao Sporting durante muitos anos, sempre atribuí o fosso do nosso futebol à falta de liderança que se identificasse com a modalidade, à raiz. José Couceiro, bem ou mal, se tivesse sido eleito, seria o primeiro do género. O problema semelhante ao que está ou vai confrontar BdC, é que temos presidentes que pouco ou nada percebem da matéria e delegam a gestão e as decisões a pessoas da sua confiança que, em princípio, são competentes. Se estas falham, com tantos têm falhado - a exemplo recente de Duque e Freitas - o presidente é que o responsável, mesmo sem ter culpabilidade directa. Durante algum tempo houve o Manolo Vida e o José Manuel Torcato que percebiam de futebil e contribuiram, e bem, para a causa. Mas os casos deste género são poucos. Muito por tudo isto eu tenho vindo a insistir que o futebol do Sporting tem de ter uma estrutura sólida, profissional que não sofrerá comos movimentos populistas do Clube nem de eleições. Mas, no Sporting, muda-se de presidentes como se muda de jogadores e , com eles, a estrutura sofre prontamente modificações. Não há continuidade. Isto vai muito além da contratação de jogadores. O Carlos Freitas foi buscsar diversos bons talentos que estão actualmente na equipa. Com a estabilidade desta, estes irão dar dividendos desportivos e financeiros mas, para isso, é imprescendível que haja uma estrutura sólida.

Cumprimentos

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo