Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




 

A culpa até será parte nossa, porventura, por lhe darmos tanta atenção, mas quando se é presidente de um clube da dimensão do Benfica é impossível ignorar. Um dia será publicado uma colectânea das inverdades e de mais declarações «bombásticas» de Luís Filipe Vieira mas, até esse dia, compete a nós lembrar tudo aquilo que ele vem verbalizando à conveniência do momento.

 

O líder do clube de Carnide esteve hoje presente numa festa encarnada em Santo Tirso e aproveitou o ensejo para dar mais umas «bocas» ainda em relação ao recém-realizado derby: «Existe um clima de intimidação sobre árbitros e a melhor resposta é o silêncio e a humildade». Isto, de um homem que passou a última década a falar quase exclusivamente de árbitros e arbitragens. A bem dizer, no lugar dele, tendo sido beneficiado no referido jogo da forma escandalosa como foi, eu também me daria ao silêncio. A lembrar:

 

- Maio de 2005: «Está a acontecer aquilo para que venho alertando os adeptos do nosso clube. Havia um esforço enorme para que não existisse verdade dentro das quatro linhas... o árbitro devia ter abdicado de apitar este jogo, depois da forma como foi condicionado.»

 

- Setembro de 2006: Escutas «Apito Dourado»: «Disseram-me que era o Paulo Paraty o árbitro... Agora dizem-me à última hora, vêm-me dizer que já não pode ser o Paulo Paraty por causa do Belenenses... Não quero Lucílio nenhum! (...) O António Costa?!... F... Isso é tudo Porto (...) O Duarte, nada, zero! (...) O Proença também não quero. O João (Ferreira) pode ser. Eu não sou como o Dias da Cunha. (...) Eu vou (à RTP) fazer algumas alertas para o futebol português.»

 

- Setembro de 2010: «Há algumas pessoas a rirem-se neste momento e o senhor Vítor Pereira deve estar muito feliz com esta arbitragem, bem como aqueles que homenagearam Olegário Benquerença. O senhor Vítor Pereira que reveja o que se está a passar. Isso de errar é humano já acabou, sobretudo se é sempre para o mesmo lado.»

 

- Março de 2011: Há alturas na vida que não nos deixam ganhar. Fomos constantemente empurrados. (...) Se dúvidas houvesse, ficou provado que seria muito difícil ao Benfica chegar lá acima.»

 

E há muitíssimo mais do mesmo e pior ainda, mas estes exemplos servem apenas e tão só para refrescar as memórias daqueles que dizem que não falam de arbitragens e que ganham os jogos «limpinhos».

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:43

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo