Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Um outro ponto de vista

Rui Gomes, em 12.07.13

O Bruma fará um anúncio com o Presidente do Sporting daqui a 29 anos ?

 

 

Espero estar enganado, mas parece-me que o meu filho vai passar exactamente o mesmo que eu passei com a idade dele, quando vi outro promissor extremo do Sporting rescindir e ir para o Porto. Lembro-me que o que evitou uma maior frustração na altura foi termos ficado com o Sousa e o Jaime Pacheco mas, olhando para a história, é evidente quem ficou a perder. 29 anos depois, o "traidor" Futre contracenou com o actual Presidente do Sporting num anúncio promovido pelo nosso clube. As voltas que a vida dá !

 

Não acredito que em 2042 teremos o Bruma a fazer um anúncio com o Presidente do Sporting da altura (que a ouvir pelos comentários das duplas Sampaio/Barroso e Virgílio/Inácio ainda será o actual) porque tenho a esperança que esse Presidente tenha mais memória e respeito pela história do clube.

 

O desenlace desta história era mais do que previsível dada a incompetência e amadorismo que infelizmente continua no futebol leonino e que todos os dias é revelado na imprensa, mesmo que esta tente "dourar a pílula" em relação a um Presidente que cortou relações com o Porto, "inimigo" do clube da preferência da maior parte dos jornalistas.

 

É claro que as culpas vão ser agora passadas para a anterior Direcção, que fez de facto muitos erros, mas neste caso da renovação do Bruma, estava de mãos e pés atados desde o final do ano passado (quando o Bruma foi lançado como titular), com o ambiente instável causado pela Assembleia Geral e a perspectiva de eleições. Será esta a armadilha a que se refere o Dr. Barroso quando fala nos culpados desta situação do Bruma ?

 

A incapacidade desta Direcção em manter os serviços de Jesualdo Ferreira terá também pesado na decisão do Bruma. É fácil criticar agora o nosso antigo treinador por ter avançado com a entrada de Bruma na equipa principal antes deste renovar o contrato, mas esquecemo-nos que o Sporting esteve perto da linha de água da classificação e tínhamos que inverter a situação de uma forma rápida e pragmática.

 

Esta Direcção já está em funções há tempo mais do que suficiente para ter conseguido resolver esta e outras situações, mas a verdade é que para já, no meio de muita especulação, temos ainda um plantel demasiado caro e muito desequilibrado. Pode ser que o empresário que esteve na maioria das contratações do Sporting este ano possa ajudar a resolver muitos dos problemas que ainda temos e que o dinheiro que se poupou na renovação possa ser bem aplicado.

 

P.S. É lamentável o preço pedido pelas gameboxes num ano tão difícil para as famílias, ainda por cima sem as competições europeias (culpa só da anterior Direcção claro). Teria sido muito garantir o Bruma até para ajudar a encher o Estádio.

 

* Texto da autoria de City Lion.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:13

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


16 comentários

Sem imagem de perfil

De Pedro Ferreira a 12.07.2013 às 09:47

Muito bom post!

Quero apenas fazer um comentário sobre o preço das gamebox. Os valores são de facto elevados, mas comparando com os do nosso vizinho, são bem inferiores. Os lugares anuais deles não incluem jogos das competições europeias. E duvido que inclua os da equipa B.
Sem imagem de perfil

De City Lion a 12.07.2013 às 15:04

Obrigado Pedro. Soube que o Porto reduziu os preços dos seus lugares anuais e nem quero comparar com os nossos vizinhos porque eles andam num mundo só deles onde "não há impossiveis", "caminham para a hegemonia no futebol português" e são candidatos a ganhar a Liga dos Campeões! Os preços devem estar tão inchados como eles (apesar de tudo o que lhes aconteceu a época passada não há meio de aprenderem).
Sem imagem de perfil

De Gonçalo a 12.07.2013 às 12:11

"...a anterior Direcção, que fez de facto muitos erros, mas neste caso da renovação do Bruma, estava de mãos e pés atados desde o final do ano passado (quando o Bruma foi lançado como titular), com o ambiente instável causado pela Assembleia Geral e a perspectiva de eleições."

Portanto não podia tomar decisões ditas importantes, no entanto sem pensar muito, vendeu o Ricki (nesse periodo) e ainda realizou novos contratos com vários funcionários dias antes das eleições.

De facto somos um Clube diferente... Ainda há quem tente por todos os meios defender os piores dirigentes que há memoria no Sporting, que o feriram de morte e o deixou à beira do abismo
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 12.07.2013 às 12:15

Esta situação já foi explicada vezes sem conta aqui no blogue. Só não compreende quem não quer.

Somos de facto um clube diferente, aceitamos todos como adeptos.
Sem imagem de perfil

De City Lion a 12.07.2013 às 15:25

Gonçalo eu não defendo a anterior Direcção, que sei teve atitudes inacreditáveis e lesivas para o Sporting, mas em relação a esta questão do Bruma acredito que não teve grande margem de manobra. Já agora porque é que a nova Direcção depois de ter sido eleita não "forçou" a saída do Bruma da equipa titular até que ele renovasse? Acredito que foi pela mesma razão de ele ter começado a ser utilizado antes de renovar - precisávamos de resultados!
Sem imagem de perfil

De Marcos Cruz a 12.07.2013 às 12:42

Caro Rui Gomes

Aquando da eleição de Bruno de Carvalho fiz um comentário a um post seu que lhe terá inadvertidamente ferido o orgulho sportinguista e motivou uma resposta que me fez sair de cena com a promessa de que não voltaria. Como não há duas sem três, e embora eu não tenha aplicado a palavra irrevogável, depois do que se passou com o Portas e o Bruma senti-me tentado a um reaparecimento. Só para dizer o seguinte: vejo muita gente a culpar o Bruno de Carvalho pela situação do Bruma, mas (e juro-lhe que não conheço de lado nenhum o actual presidente) de tudo que tenho lido resulta clara uma interpretação: o jogador e o advogado (provavelmente este já entrou no processo mandatado para tal - e não custará muito adivinhar por quem) fabricaram, com a manha gananciosa do segundo e a vulnerabilidade teenager do primeiro, esta desvinculação desde o primeiro momento. Até acredito que o Bruma tivesse, de base, a intenção de ficar no Sporting, mas a força desse desejo está agora à vista. Sei bem que não gosta deste presidente e, apesar de eu não concordar com muito do que publica, acompanho o seu blogue, pois não me ajuda nada, como ser evolutivo, marinar apenas nas minhas ideias e nas de quem as partilha. Agora, em face do discurso esfarrapado do advogado e do Catio Baldé, da precariedade dos argumentos que invocam como justificativos do fecho de porta ao Sporting quando o Sporting os chama para fazer a proposta, da protecção do jogador relativamente às garras vis da entidade patronal, do rapto metido a martelo e com acusações do tipo "disseram que estavam a mando da direcção", e por outro lado em face do discurso sustentado, calmo e coerente do presidente, parece-me que neste caso devemos repudiar acima de tudo a podridão do futebol e de quem nele age subrepticiamente, sem escrúpulos, mandatando gente para dar a cara pelo trabalho sujo e comprometendo a sanidade da carreira de um miúdo no processo. Pode criticar-me por não ter também eu provas que sustentam a afirmação que agora farei, mas poucas dúvidas me restam de que por baixo de tudo isto está um clube chamado FC Porto. E digo por baixo, e não por trás, porque é mesmo aí, no mais baixo de tudo em termos de valores éticos e de respeito institucional e humano, que a direcção do FC Porto se move. Como aliás se viu agora no caso Ghilas (com o beneplácito dos eternamente vassalos clubes pequenos) e, já antes, no do zahaviano João Moutinho.

Cumprimentos
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 12.07.2013 às 13:02

Caro Marcos Cruz,

Como o comentário é dirigido à minha pessoa e não ao City Lion, vou eu responder.

Como deve compreender, não me recordo do seu outro texto, entre os milhares que recebemos.

Contrário ao que muitos optam por fazer, eu não considero este caso do Bruma uma simples questão de culpabilidade, uma vez que é muito mais complexo.

Sou crítico deste presidente, mas objectiva e construtivamente e sinto que tenho ampla causa para isso.

O caso do Bruma, como todos, visto da bancada do adepto é fácil de criticar pós-facto. Até ele ser chamado à equipa principal, ninguém se preocupou com isso.

Já expliquei os contornos diversas vezes aqui no blogue. O mais cedo que o SCP podia iniciar a renovação foi em Novembro de 2012, pelas regras da FIFA. Ora, nessa altura devia ter sido o dua Duque/Freitas a fazer isso e não fizeram, no meio da confusão em que a equipa e a SAD estavam na altura. Pela saída deles e GL assumiu a liderançsa da SAD, começou logo as negociações (isto em Janeiro) e o próprio Catio Baldé anunciou na primeira semana de Fevereiro que tinha um acordo, mas que esperariam pelas eleiços para ver o rumo do futebol do Sporting.

Nós não sabemos os números que foram postos em cima da mesa com Bruno de Carvalho em cena, mas o presidente sabia o que tinha sido já acordado com GL. Face ao potencial enorme retorno que Bruma representa, o SCP devia ter feito o investimento e antes do Mundial, porque era fácil prever que a "montra" iria dificcuktar a contenda, e assim foi. Onde o BdC errou foi em preocupar-se arrogantemente mais com o braço de ferro com Pini Zahavi e deixou Bruma ir para o Mundial sem renovação.

Por fim, é de admitir a possibilidade que o FC Porto tenha algum papel no que aconteceu nos último dias, mas não estava envolvido anteriormente. A sua atenção aumentou pelo corte de relações e também pela performance de Bruma no Mundial.

Agora, claro, cada um defende a sua tese.A verdade é que o miúdo está metido no meio de tubarõres, dos dois lados, e não tem maturidade para lidar com o assunto. Como tal, limita-se a confiar, bem ou mal, nos que os representam. Estes assuntos resolvem-se a negiciar e não com gueeras e foi precisamente isso que BdC provocou, com os resultados à vista.
Sem imagem de perfil

De José Alvalade a 12.07.2013 às 15:10

Compreendo essa visão sobre o assunto. Só não entendo uma coisa. Se estava tudo acordado para o Bruma renovar, como o próprio empresário diz, porquê esperar pela nova direcção? No caso de Esgaio, João Mário e Ilori concluíram os processos e não esperaram por ninguém. Godinho Lopes até poderia clarificar as coisas, o meu palpite é que, ao contrário do que diz o empresário, a intenção foi sempre esperar pelo final do contrato e nunca se atingiu nenhum acordo com o Sporting.

São conjecturas apenas, mas não há ninguém nesta história que não tenha a sua parcela de culpas.

Numa coisa desculpo as direcções, esta e anterior, tem de haver um limite de decência financeira quando se renova ou contrata. Se Bruma renovasse pelos valores que se falam passava a ser dos mais bem pagos do plantel, e depois como se geria isso com o restante plantel? E os juniores no futuro como se geria essa crescente ambição?

Imagem de perfil

De Rui Gomes a 12.07.2013 às 17:34

Bem, na altura, o próprio Godinho Lopes confirmou o acordo verbal tal como Catio Baldé declarou. A falar verdade ou não, eles decidiram não assinar oficialmente até verem o que as eleições iriam dar. Essa é a versão oficial.

Quanto aos outros jogadores, teria de confirmar as datas de renovação, algo que também varia mediante a data do seu 18.º aniversário, mediante as regras da FIFA. Só a partir dessa idade é podem renovar até ao máximo de 5 anos. Antes não.

A situação que refere no último parágrafo do comentário é o eterno problema de qualquer clube com formação, como o Sporting. Da bancada, nós, adeptos, facilitamos tudo pós-facto, mas quem tem a responsabilidade tem de decidir em quem apostar com renovações, por quanto tempo e por quanto dinheiro. Para o Sporting é missão espinhosa pela sua mínima margem de erro pela escassez financeira, para outros, como oBarcelona, por exemplo, não há problemas: comprometem-se com todos e aqueles que fracassam dão prejuízo, mas para eles é insignificante. Jeffré é um bom exemplo de quem veio das escolas do Barça. Também, pagaram mais de 2 milhões poelo Edgar Ié e o Agostinho Cá, jogadores da formação do SCP que foram para a formação do Barça, sem verdadeiramente saberem se alguma vez recuperarão o investimento.

SAlvo algo inédito pela FIFA, o único melhoramento que eu vejo recai sobre o aumento nda compensação pelos direitos de formação, para dar maior margem aos clubes formadores. Um recém-estudo da Deloitte, indica que em 2011/12 a compensação pela formação foi só 1.84 por cento da soma das verbas envolvidas em transferências. Insignificante. Só casos excepcionais como CR7 é que compensam. Quando ele se mudou do MAN U para o Real Madrid, o Sporting ainda recebeu quase 2,5 milhões pela formação, além do que já tinha recebido do clube inglês. Mas... Ronaldos não aparecem todos os dias.

Cumprimentos
Sem imagem de perfil

De Barbosa a 12.07.2013 às 21:55

...E digo por baixo, e não por trás, porque é mesmo aí, no mais baixo de tudo em termos de valores éticos e de respeito institucional e humano, que a direcção do FC Porto se move".
Claro quando o seu clube veio buscar Romeu e Gabriel, J. Pacheco e Sousa, foi ao 5lb buscar Pacheco e Paulo Sousa aproveitando-se do mau momento financeiro deles, quando arma ciladas a árbitros assistentes, quando disputa finais de taça com o árbitro já convidado para no dia seguinte seguir de viagem com a comitiva do SCP isso sim são altos valores éticos.
Sem imagem de perfil

De António a 12.07.2013 às 12:48

Enquanto a poeira não assenta e percebemos com maior rigor o que se vai passando no “caso Bruma”, uma breve cronologia de um determinado tempo ajuda a focalizar melhor a nossa análise:

1 - Em 30.1.2013 o Correio da Manhã publicou a seguinte notícia: “Segundo soube o CM, o presidente leonino avisou a Mesa da AG para que o clube tivesse "sossego" durante os meses de janeiro e fevereiro, de forma a poder dar os "passos necessários" para avançar com o saneamento financeiro do Sporting, bem como em relação ao reforço da equipa. Barroso, no entanto, não atendeu o pedido da direção e deve anunciar hoje a data da AG, pedida pelo Movimento Dar Rumo ao Sporting.” http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/sport/sporting/barroso-atrapalha-negocios-leoninos
2 - A Assembleia Geral que determinou a destituição de Godinho Lopes realizou-se em 9.2.2013
3 - Bruma estreou-se na equipa principal no Sporting-Marítimo, em 10.2.2013. Jogou os primeiros 45 minutos.
4 - As candidaturas estatutariamente tiveram de ser apresentadas até 21.2.2013.
5 - As eleições realizaram-se em 23.3.2013.
6 - Bruno de Carvalho tomou posse em 27.3.2013.

Como se vê, Bruma não se estreou na equipa principal “no final do ano passado”. O contexto temporal ajuda a avaliar as responsabilidades dos diferentes protagonistas.

Sem imagem de perfil

De City Lion a 12.07.2013 às 15:40

Obrigado António pela cronologia. Peço desculpa pelo erro da data da estreia do Bruma, que estava convencido ter sido em Dezembro. As datas que aponta ainda reforçam aquilo que eu disse e indicam que a anterior Direcção "aguentou" a estreia a titular do Bruma a ver se renovava antes, até perceber que teriamos mesmo eleições e ai passaram a "batata ainda mais quente" e que a actual Direcção aparentemente não soube resolver.
Sem imagem de perfil

De António a 12.07.2013 às 17:57

Tem razão, City Lion. Foram "dias de brasa" por conveniência agora esquecidos!
Sem imagem de perfil

De paulo a 12.07.2013 às 19:47

Passo por aqui algumas vezes. Raras vezes comentei.
Deixo aqui um comentário lido num outro blog, com o qual me identifico, que me parece que lança ainda um outro ponto de vista pertinente sobre este nevoeiro.

"Falar do “caso Bruma” é falar de várias coisas. A começar por ingratidão, passando por deslumbramento e acabando em influências de terceiros. E sendo assim, o dever do clube é simples. Não ceder a absolutamente nada e lutar nos órgãos próprios por aquilo que achamos que é nosso direito. É exactamente isso que está a acontecer.
A incompetência só existe quando há boa-fé de todas as partes. Pressupõe que havia uma plataforma de entendimento mínima que foi quebrada porque a direcção agiu de forma incompetente. Manifestamente, não é o caso. Nunca houve plataforma de entendimento porque os representantes nunca quiseram, o jogador até manifestou que queria renovar mas nunca permitiram que ele se reunisse com o clube. Portanto, é má-fé. Má-fé dos representantes, que terão a sua agenda e, em última instância, má-fé do jogador que permitiu que resolvessem a sua vida por ele sem sequer dar hipótese do clube falar com ele. Volto a repetir, só existe incompetência quando há boa-fé. O presidente até podia ser o gajo mais sagaz, rápido e astuto do mundo. A partir do momento em que os representantes encontraram uma possível falha no contrato, a estratégia passou a ser forçar a venda do jogador através da pressão sobre essa falha. Acontece que virou-se o feitiço contra o feiticeiro. Porque, verdade seja dita, nem os representantes queriam ou esperavam que o presidente não cedesse em relação à venda imediata do jogador. Pensaram sempre que entre uma batalha legal e um encaixe imediato de um jogador que seria livre daqui a um ano, o Sporting ia escolher a segunda. E é precisamente aqui que eu tiro o chapéu ao presidente. Era muito fácil aceitar os 12M do Galatasaray. O Sporting recebia o dinheiro, o jogador levava a sua avante, os empresários ganhavam com o negócio…teoricamente, todos saíam satisfeitos. O problema é que o custo disto seria o envio de uma mensagem clara para o interior do clube de que chantagear o Sporting compensa. Eu percebi bem quando o presidente disse que se calhar teríamos de fazer de alguém um exemplo, provavelmente estas manobras já decorriam à muito tempo. Não esperava é que, num cenário de dificuldades financeiras extremas, tivéssemos a ousadia de levar este caso até ao fim. E isso deixa-me enormemente satisfeito. Prova que este presidente não manda os princípios pó caralho em troca de uma qualquer quantia de dinheiro. Podemos não receber nada pelo jogador, mas o “próximo Bruma” saberá que se tencionar encostar o clube à parede, o presidente não cede. E terá que ir para a justiça ou arrisca-se a não calçar mais.
Os ganhos intrínsecos disto só serão perceptíveis a longo prazo. Ou não. Porque se amanhã houver um miúdo que aceite renovar e despedir um empresário que prejudique o clube, o ganho será imediato. Se atrás desse primeiro vierem outros, a estratégia do presidente resultará em cheio. O custo disto não são os possíveis 30M do Bruma. São os 12M do Galatasaray. Porque o Bruma nunca quis renovar e permitir o clube de fazer um encaixe na ordem dos 30M. E se “30M hipotéticos” já seria um custo que eu aceitaria de bom grado para mandar a mensagem correcta, “12M reais” é um custo perfeitamente irrisório para amanhã ganharmos força negocial.
Esta é a última vez que eu escrevo sobre o caso Bruma nos próximos tempos. Só retomarei este assunto quando houverem novidades por parte dos tribunais. Em todo o caso, estou orgulhoso por termos um presidente que não se verga e que está disposto a tudo para defender o clube."


http://ocacifodopaulinho.wordpress.com/2013/07/12/toma-e-embruma/#comment-210839

Imagem de perfil

De Rui Gomes a 12.07.2013 às 20:26

Apenas um breve comentário e deixo o resto ao meu colega de blogue City Lion.

Este caso do Bruma, não sendo inédito, tem pouco de branco e de preto e muito, mas muito cinzento. Muito ainda está por esclarecer e cada um tira as conclusões que desejar.

Uma coisa que eu aprendi há muitos na vida, em tudo há três versões: a "minha", a "sua" e a verdade. Com o passar dos dias talvez seja possível apurar essa verdade.
Sem imagem de perfil

De HY a 12.07.2013 às 23:18

É compreensível que os adeptos de ambas as facções procurem responsabilizar a outra pela "não renovação atempada" do Bruma. De facto, a anterior direcção não acautelou suficientemente o futuro - na sequência, alias, do que vinha sendo regra desde há muito, GL não inovou na matéria. A nova direcção provavelmente avaliou mal a situação e sobrevalorizou a força da sua posição. Mas, para lá da não renovação, o que agora se coloca é a inexistência de contrato com o Sporting, que o advogado de Bruma quer fazer reconhecer com base na nulidade da clausula de prorrogação do contrato por mais um ano, argumentando que Bruma não tinha à data da assinatura desta clausula a idade requerida.

Não podemos julgar sem saber todos os elementos do problema. Mas uma coisa é certa, se de facto a clausula for considerada nula por esse motivo, é bem fácil saber quem defendia os interesses do Sporting na altura da assinatura dessa clausula. E até se não eram as mesmas pessoas que usaram o mesmo tipo de argumento para "roubar" o Labyad ao PSV...

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo