Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




 

O empresário do Atila Turan, Sébastien Thiery, fez ontem uma série de declarações em relação ao que ele entende ser uma atitude intolerável do Sporting para com o jovem lateral esquerdo, seu cliente. Fizemos referência às suas palavras neste post.

 

Sporting reagiu ao que foi veiculado nos Órgãos da Comunicação Social através do seguinte comunicado:

 

1.º Atila Turam é jogador do Sporting Clube de Portugal, e é à equipa técnica que compete decidir em que equipa o jogador deve treinar.

 

Isto, depreende-se, em reacção à queixa de que o jogador tem apenas treinado com jovens de 18 anos na equipa B e que não lhe é permitido participar, mesmo em jogos particulares.

 

2.º A declaração onde é confirmado que o clube francês "Stade de Reims", tem já um acordo com o jogador para a sua transferência, sem qualquer conhecimento do Sporting, confere violação dos regulamentos da FIFA, podendo o mesmo incorrer em sanções disciplinares.

 

Isto, relativamente à declaração de Sébastien Thiery que o Sporting divulgou na praça de agentes que procurava transferir o jogador e que foi apresentada uma proposta ao Sporting há três semanas - pelo Stade Reims - à qual o Sporting ainda não respondeu.

 

3.º As afirmações atribuídas ao empresário do atleta, Sébastien Thiery, ao jornal "Le 10 Sport", configuram crime de difamação, pois são totalmente falsas.

 

O Departamento Jurídico do Clube e da SAD vão iniciar os devidos procedimentos perante os factos acima referidos.

 

Isto, decerto, em referência às queixas do empresário quanto ao clube ter participado ao jogador que o mês de Julho não lhe vai ser pago e a despesa do hotel onde ele se encontra à espera que o seu futuro seja definido terá de ser assumida pelo próprio pela recusa do clube em o fazer. Além disto, o empresário também afirmou que o Sporting pretende que o jogador assine por um clube para onde ele não quer ir, a troco de receber algum dinheiro pelo seu passe.

 

Não sendo novidade alguma, em cada história há três versões: a de cada uma das partes e a verdade. Onde esta reside, neste diferendo, fica ao critério de cada um. O adepto, por natureza, tende sempre dar o benefício da dúvida aos dirigentes do seu clube, e não é de esperar que sportinguistas sejam diferentes neste contexto.

 

Dito isto, aparentam existir algumas considerações que desafiam a lógica, onde lógica existe, e requerem clarificação: não é segredo algum que o jogador não faz parte dos planos da SAD, desde que ele chegou da Turquia, pelo empréstimo da época passada. É perfeitamente aceitável que tenha feito saber que o pretende transferir, de preferência a título definitivo. Segundo, o jogador chegou ao Sporting a custo zero e, entretanto, também não auferiu de salário pelos empréstimos ao Beira-Mar e ao Orduspor. Considerando que tem contrato até 2016, era de supor que o Sporting facilitaria a sua saída para, como o empresário diz: "economizar entre 1,5 e 2 milhões de euros até ao final do contrato". Terceiro, o objectivo do Sporting será de assegurar algum encaixe financeiro porque, entretanto, 10 por cento do seu passe foi alienado a um fundo de investimento, não sendo claro se ao Sporting Portugal Fund se à Holdimo. Quarto, nem o Sporting nem clube algum no mundo, pode obrigar um jogador a jogar onde ele não quer.

 

Em análise final, mesmo sem conhecimento de causa, dá para perceber que o problema reside com a posição de força que o Sporting assumiu para "persuadir" o atleta a ir para um clube do seu desejo que providencie algum encaixe financeiro. Para o efeito, terá recorrido a medidas que pela óptica do jogador não são muito agradáveis, porventura até pouco éticas. Aparenta ser a política desta nova SAD, que ainda está por esclarecer se produz resultados. Este caso é muito semelhante ao que foi noticiado com a situação de Pranjic e o Panathinaikos, em que o Sporting não se satisfaz em se livrar do contrato até 2015 do jogador e do seu elevado salário, tendo exigido uma verba pelo seu passe que o clube grego declarou não estar ao seu alcance. Até admito que esta política da SAD possa resultar, mas parece-me arriscada quando se considera os diversos casos dos chamados "excedentários" por resolver e que, salvo resolução, obrigará o Sporting a continuar a assumir uns milhões em salários sem os jogadores entrarem em campo, a exemplo de Onyewu, Evaldo, Bolahrouz e Bojinov. Além destes, aparenta existir um excesso de jogadores nas equipas A e B, face ao número que foi anunciado, e decisões adicionais terão de ser tomadas, especialmente com aqueles cujos contratos terminam em 2014.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:05

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo