Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Os abutres esperam e preparam-se...

Rui Gomes, em 18.12.12

Realizou-se um «encontro» de adeptos sportinguistas ontem à noite num restaurante em São Pedro da Cova, Gondomar, onde os convidados de honra foram Augusto Inácio e o seu «irmão em armas», o notório candidato derrotado, entre outros «ilustres» da oposição. Apesar do mais que evidente sentido do «amistoso», Bruno de Carvalho apressou-se a esclarecer que era somente um encontro e que «não estamos em campanha». Isto, claro, para quem acredita que o sol nasce no poente! Por mera coincidência e nada mais, um «batalhão» de jornalistas acompanhou o evento e entrevistou diversos dos presentes. Até é caso para admiração o encontro não ter decorrido em simultâneo com a entrevista do presidente Godinho Lopes no programa Trio d'Ataque. Durante o convívio, Augusto Inácio teve ocasião de se pronunciar: «Não vou falar de Jesualdo, de quem sou amigo. A administração da SAD é que tem de responder se é, ou não, a melhor solução para o Sporting. Tenho a maior admiração e respeito por Jesualdo, tenho a minha opinião (!!!) mas não a quero emitir, até porque não sei que funções lhe estão reservadas...diz-se que vai ser treinador dos treinadores...não sei o que isso quer dizer. Eleições antecipadas ? Bruno de Carvalho disse que os mandatos não foram feitos para serem cumpridos, mas sim para serem honrados. Vercauteren pede tempo mas tempo é coisa que não existe no futebol, muito menos no Sporting.»

Atitude cínica e hipócrita de um homem que alega que quer o melhor para o Sporting, mas que, na sua periferia, tudo tem feito para manter uma oposição cerrada. Mesmo quando me deixei seduzir - por equívoco - a apoiar o candidato derrotado no último acto eleitoral, nunca me consegui distanciar da preocupação de ver Augusto Inácio assumir o cargo de administrador-geral da SAD. Não tem o perfil nem a formação pessoal para esse fim. É um homem do futebol, mas além de ter contribuído - e bem - para o título de 1999/2000, o seu mais notável feito foi de passar tanto ou mais tempo no desemprego do que a exercer as funções de treinador. Nos 16 clubes por onde já passou, como técnico, apenas no Vitoria de Guimarães conseguiu permanencer mais do que uns meses. Muito por essa sua experiência, ele entenderá que no futebol «tempo não existe». Palavras a lembrar!

Num aspecto, concordo parcialmente com o seu parecer, quando questionado se existe falta de talento no plantel leonino: «Há jogadores que fazem outros jogadores. Dou um exemplo: o Beto nunca foi tão bom jogador como quando teve André Cruz a seu lado. Falta outra coisa para dar talento, por exemplo, estabilidade.» Tem razão quanto ao melhoramento de certos jogadores quando acompanhados por outros de elevado calibre. O problema, aqui, é que do nível de André Cruz não aparecem todos dias e muito menos no Sporting, pelo encargo financeiro. Quanto à estabilidade «dar talento» não faz o mínimo de senso. Se disser que para um jogador evoluir é necessário estabilidade, concordo plenamente, agora, o talento existe, à raiz, ou não existe. E a falar de estabilidade, qual tem sido a sua contribuição nesse sentido, desde o acto eleitoral ?...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:35





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo