Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A maturidade de Cristiano Ronaldo

Rui Gomes, em 19.12.12

Acompanhando a carreira de Cristiano Ronaldo ao longo dos anos, tem-se testemunhado a sua progressão como jogador - tornando-se num dos melhores do Mundo - e com um acrescido sentido do colectivo, redudindo muito do individualismo que lhe era reconhecido nos primeiros tempos da sua carreira. Ultimamente, também se tem verificado a sua evolução como homem, a sua maturidade em lidar com muito do sensacionalismo que o confronta diariamente e até pela forma como ele encara as adversidades desportivas. Concedeu uma entrevista recentemente para o site da Federação Portuguesa de Futebol, que me impressionou precisamente pelos factores acima referidos. Eis algumas das suas considerações:

 

- «As coisas acontecem naturalmente, o mais importante para mim é conquistar algo pelo País, pela Selecção. Os recordes individuais acabam por ser um pouco relativos. De uma uma maneira geral acho que irei bater os recordes, ainda tenho muitos anos pela frente na Selecção e isso acontecerá de uma maneira normal.»

 

- «O que procuramos é ganhar algo. Já está na hora de Portugal vencer um troféu importante, devido àquilo que temos feito e jogado nos últimos anos. É uma tarefa muito complicada mas já tivémos perto duas ou três vezes.»

 

- «Na última competição importante em que participámos fomos batidos, nos penalties, pela selecção espanhola. Para ganhar uma grande competição também é preciso ter alguma sorte e não é isso que tem acontecido a Portugal nos últimos anos.» (Vicente del Bosque admitiu, recentemente, a sorte em derrotar Portugal no Euro)

 

- «Quanto ao Mundial 2014, sabemos que a margem de erro é cada vez menor e não podemos perder mais pontos. A equipa vai ultrapassar esta fase menos boa que estamos a viver.»

 

- «Sempre houve dificuldades para Portugal nas fases de qualificação. O próximo Mundial vai ser muito bom para nós-»

 

- «Vive-se um bom ambiente nas hostes nacionais e recordo-me da minha estreia com a camisola das quinas frente ao Cazaquistão, em Chaves. Foi um dos momentos mais felizes da minha carreira. Fascina-me jogar pelo meu País.»

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:09

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo