Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

mw-860.jpg

Andamos nisto: os insultos, as queixas da arbitragem, os apertos e as agressões aos árbitros, as cartilhas e os comentadores que interpretam papéis como actores do método.

 

Há três teorias que podem explicar isto: alguém acha que isto funciona ou isto realmente funciona; ou, então, alguém quer fazer-nos acreditar que isto funciona e à falta de uma contraprova científica continua-se o joguinho a que todos convencionámos chamar spinning.

 

Das três, esta é a minha preferida, porque há aqui um racional bem portuguesinho: a desresponsabilização. Quando a equipa perde, culpa-se o árbitro, alerta-se para a manha do malandro do adversário, esmiúçam-se lances em super-slow-motion no Twitter e no Facebook para troll comentar, escrevem-se notas para os comentadores e estes amplificam a mensagem – e, puff, em menos de um dia estão esquecidos os erros e as falhas, e, afinal, é tudo um grande logro, um embuste, uma vergonha, etcetera, etcetera.

 

Dito assim e levado à letra, tornar-se-ia irrelevante o trabalho de quem trabalha nisto, porque o jogador escusava de jogar porque está tudo feito para o rival ganhar, e o treinador não precisava de treinar porque, lá está, isto está feito para o rival ganhar.

 

Só que quem não recebe para estar no futebol, mas que paga para o ver, entra numa encruzilhada: os que gostam de forma desapaixonada tendem a afastar-se do jogo, fartos do ruído, da histeria e do constante passa-culpa; os fanáticos, os irrazoáveis, gostarão cada vez mais, porque o discurso agressivo lhes cai no goto e lhes alimenta a rivalidade, transformando-a em ódio.

 

E como o ódio é irrazoável e a irrazoabilidade leva à violência, as coisas ruins acontecem - e quando as coisas ruins acontecem, alguém é, normalmente, responsabilizado num mundo civilizado.

 

Só que ninguém é. E aí voltamos à desculpabilização, como se os insultos e as insinuações e as acusações e as comparações e as metáforas e as alegorias fossem apenas palavras inconsequentes e não ajudassem a montar o circo que é o futebol português.

 

 

Pedro Candeias - jornal Expresso

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:10

 

O suspeito de atropelar mortalmente um adepto italiano, na madrugada do passado sábado, entregou-se às autoridades esta quinta-feira, acompanhado pelo advogado.

 

mw-860.jpg

 

A notícia está a ser avançada pela SIC Notícias, que refere que o homem, que se pôs em fuga depois de atropelar Marco Ficini, de 41 anos, nas imediações do estádio da Luz, se entregou nas instalações da Polícia Judiciária em Lisboa.

 

Segundo a estação, o suspeito tem cerca de 30 anos e pertence à claque benfiquista dos No Name Boys. Ainda durante a tarde desta quinta-feira, deverá ser interrogado por um procurador do Ministério Público.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:36

Cartoon do dia

Rui Gomes, em 27.04.17

 

CBJT78MI.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 11:15

 

Jorge Jesus, um dos oradores no congresso internacional The Future of Football, teve isto para dizer sobre o desempenho de um treinador e os sistemas de jogo:


«Qual é a influência do treinador no treino? Entendo que o treinador é um criador. Do quê? Da filosofia que ele tem, das ideias de equipa, do método e dos objetivos do treino e também da ciência, que hoje nos ajuda a controlar o treino em várias vertentes.

 

img_FanaticaBig$2017_04_26_19_34_59_1256276.jpg
Porque é que eu defino que o treinador é o criador? Porque tentamos desenvolver estas competências. Não levem a mal o que vou dizer: isto não é uma cartilha coletiva, é uma ideia que eu tenho das competências do treinador. As três questões são básicas: sistema, modelo de jogador e de equipa, são estes os princípios fundamentais para um treinador ter influência na equipa.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:14

 

Rui Pereira, antigo ministro da Administração Interna, a falar na conferência "Segurança em Eventos Desportivos, em particular o futebol: que desafios e que opções?", integrada no Congresso Internacional Segurança e Democracia, que ocorreu esta quarta-feira na Reitoria da Universidade Nova de Lisboa, afirmou que os clubes devem ser punidos por comportamentos incorrectos dos seus adeptos e que os agentes desportivos devem também ser castigados severamente para que haja um clima de paz no desporto:

 

Rui-Pereira-1.jpg

 

«A questão coloca-se sobretudo em termos de responsabilidade social. Se não houver responsabilização de agentes desportivos não pode haver pacificação no desporto. E a responsabilização, por mais que doa, só se consegue efetivar com sanções. Por exemplo, utilização de engenhos pirotécnicos, jogos à porta fechada. Se os jogos à porta fechada não funcionarem, interdição dos estádios. Se a interdição de estádios não resultar, proibição de participação em certas competições. Eu sei que é duro mas só assim é que haverá pacificação no futebol. Em relação às claques, tem de haver uma política que as responsabilize e que as reconheça. Porque não se pode simultaneamente excluir e responsabilizar».

 

 

Na sessão participou também o Presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Pedro Proença, explicando que a segurança nos estádios é uma preocupação premente da Liga dos Clubes:

 

img_770x433$2016_10_24_21_21_08_1174568.jpg

 

«A Liga Portugal tem uma comissão de monitorização de violência no futebol. É feito um planeamento e todos os jogos das ligas profissionais são monitorizados, quatro horas antes da partida, durante os 90 minutos e mais 90 minutos depois dos jogos.

 

No final da jornada desportiva, a direção da liga tem acesso a toda a informação relevante ao nível da violência e segurança nos estádios. Na conjunção dos relatório tentamos repercutir nos regulamentos tudo o que devem ser alterações para aumentar os níveis de segurança nos estádios.

 

A verdade é que a Liga tem uma regulamentação muito difícil e densa relativamente ao transporte de artefactos para o terreno do jogo. Há várias fases e triagens mas esses artefactos têm uma dimensão tão reduzida que é difícil de controlar».

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:30

O Mundial está ao nosso alcance ?

Rui Gomes, em 27.04.17

 

img_770x433$2017_04_26_18_33_01_1256227.jpg

 

«A vitória é sempre efémera. São muitos abraços, muitos convites, mas se der para o torto acaba-se tudo. O êxito é feito de conseguirmos viver com o sucesso e com o insucesso. Será melhor se conseguirmos arranjar um equilíbrio perfeito. Se queremos continuar a ter este enorme prazer, teremos, principalmente, de continuar a sermos nós. Em Marcoussis, eliminou-se a palavra eu, trocando-a pela palavra nós.

 

A nossa motivação agora é ganhar o Mundial. O objectivo prioritário é chegar à fase final e então, depois de alcançá-lo, objectivamente e sem nenhum rodeio afirmar que vamos lá para vencer».

 

 

Fernando Santos - Seleccionador Nacional

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:29

 

benfica-sporting.png

  

O «derby» entre o Sporting e o Benfica, que ocorreu no passado sábado, rendeu cerca de 18 mil euros em multas, de acordo com o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol.

 

Deste total de multas para os clubes em causa, 9.372 euros foram para o Sporting e 8.569 para o Benfica. A maior porção das multas deve-se ao uso de material pirotécnico e pelos cânticos ofensivos.

 

O clubes pagam e para a próxima volta a acontecer o mesmo ou até pior.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:28

Gosta de carros ?

Rui Gomes, em 26.04.17

 

2017-Aston-Martin-DB11-front-three-quarter-16.jpg

Um dos carros mais caros do Mundo

2017 Aston Martin DB11 (V8) - 250 mil dólares

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:00

 

Segundo notícias desta terça-feira, o Sporting está a negociar Filipe Chaby com o Belenenses, embora nesta altura não se conheça os contornos das negociações e se está um empréstimo ou venda a título definitivo sobre a mesa. 

 

Filipe-Chaby1.jpg

 

O médio-ofensivo de 23 anos integrou a formação do Sporting em 2006, depois de dois anos no Vitória de Setúbal. Depois de alinhar pela equipa B leonina foi emprestado ao União da Madeira (2015) e, esta época, foi cedido ao Sporting da Covilhã, onde participou em 40 jogos até este momento, 36 como titular, com 2900 minutos de jogo (média de 72,5 minutos por jogo) e 7 golos marcados.

 

Foi nomeado o melhor jogador jovem da II Liga, pelo Sindicato de jogadores, nos meses de Outubro e Dezembro 2016. Regista 35 internacionalizações pelas selecções jovens de Portugal. Nunca alinhou pela equipa principal do Sporting.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:15

 

Segundo informações apuradas pela Agência Lusa, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) vai propor sanções mais pesadas para dirigentes, no âmbito do processo de revisão do seu regulamento disciplinar, iniciado em Dezembro de 2016 e que deverá entrar em vigor em Julho.

 

JoseManuelMeirim2.jpg

Dr. José Manuel Meirim

 Presidente do Conselho de Disciplina da FPF

 

 

Questionada, fonte federativa assegurou que este documento, a apresentar em breve, "vai propor castigos muito mais pesados para os dirigentes infractores".

 

Desde Dezembro que o organismo está a proceder à revisão do quadro disciplinar, sob a liderança do jurista Germano Marques da Silva.

 

A mesma fonte da Federação reiterou o empenho federativo para que as novas normas disciplinares entrem em vigor na época desportiva de 2017/18.

 

Atenção Bruno de Carvalho !

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:33

Jesus a perder a graça ?

Leão Zargo, em 26.04.17

 

20391799_1azzF.jpg

 

 

Para muitos sportinguistas, Jorge Jesus perdeu a graça. Nas conversas, no Estádio de Alvalade ou nas redes sociais percebe-se isso mesmo. Os aspectos negativos do seu trabalho sobrepuseram-se (e muito) aos aspectos positivos.

 

Cada vez mais adeptos leoninos recordam que a equipa que conquistou a Supertaça foi quase a mesma da final da Taça de Portugal em 2015. Concluem que Jesus deu seguimento ao trabalho de Marco Silva. Este ano, a pré-época foi mal preparada. Com Jesus, jogadores medianos tornaram-se medíocres. E grandes jogadores não chegaram ao estrelato. Nele, a relação custo – benefício é catastrófica. O próprio salário. O fiasco de tantas (demasiadas!) contratações. Um plantel com uma massa salarial absurda. A Formação que parece que secou. O absoluto fracasso desportivo de uma época errática (2016-17). As desculpas de mau pagador. As incoerências. A prosápia. Na verdade, ninguém pode ser ele mesmo e o seu oposto. Ou é, ou não é.

 

Era crucial vencer o derby do fim-de-semana. Por várias razões, nomeadamente por três: reafirmar o orgulho leonino, garantir a dignidade competitiva da equipa até ao fim da época e lançar a próxima. Jesus não teve a ambição de ganhar, jogou para não perder. Ederson não defendeu sequer um remate. À lentidão geral do jogo da equipa, juntou a lentidão natural de Bryan Ruiz. A entrada de Podence aos 80 minutos tornou-se reveladora. Quase que não houve um canto, um livre ou um lançamento da linha lateral que revelassem preparação nos treinos. Agora, o Sporting de Jesus para alcançar a pontuação do Sporting de Marco Silva tem de vencer todos os jogos até ao final do Campeonato.

 

Uma coisa é certa, quem perde a graça, mais cedo ou mais tarde, cai em desgraça. Não há volta a dar a isso.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:07

Os homens da bola (23)

Rui Gomes, em 26.04.17

 

21024904.jpg

 

«(...) O que fica do fim de semana é o espectáculo deplorável proporcionado por Luís Filipe Vieira e Bruno de Carvalho. Ou vice-versa: nem sequer me interessa quem começou.

 

A simples crispação entre os dois, no momento que o futebol - e o futebol português em particular - atravessa, já era uma irresponsabilidade. Os termos que utilizaram para se qualificarem um ao outro são intoleráveis, não apenas para dois presidentes de grandes clubes, mas para dois homens.

 

Não tenhamos dúvidas: este disparate, esta boçalidade, faz mais em favor da violência do que fazem contra ela todos os hipócritas apelos anteriores. Devia haver maturidade nestas pessoas. Ou ao menos vergonha».

 

 

Joel Neto, jornal O Jogo, num artigo intitulado "Tenham vergonha".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

"25 de Abril no futebol, já !"

Naçao Valente, em 26.04.17

 

Há quarenta e três anos um golpe militar derrubou o regime ditatorial e abriu as portas para a instauração de uma democracia parlamentar. Processo difícil e complexo, que acabou com a vitória definitiva da liberdade ,sobre os que queriam impor uma nova ditadura com outros contornos ideológicos.

 

Este processo de democratização ainda não chegou porém ao mundo do futebol. As suas estruturas desportivas continuaram cristalizadas e à margem do que aconteceu na sociedade. Quer a nível das instituições que superintendem o futebol profissional, quer ao nível do governo dos clubes, as mudanças foram poucas e superficiais. Por norma os dirigentes continuaram a perpetuar-se no poder, mantendo-o como um feudo imune à evolução que se deu à sua volta.

 

20390611_gPN7r.jpg

Quarenta e três anos depois existe no sub-mundo do futebol esta realidade. Um presidente que tomado o poder, criou uma rede de influências que lhe permitiram a perpetuação no lugar. E apesar da imitação de democracia que transmite para o exterior, a verdade é que o senhor Pinto da Costa , tem sido o dono absoluto do Futebol clube do Porto. Um outro presidente ,vindo das catacumbas do oportunismo, ocupou a presidência do SLB, onde foi construindo a sua teia de interesses, com o intuito de se eternizar na sua presidência. Passados quinze anos tem o objectivo, praticamente, conseguido. O Sporting Clube de Portugal está nesta altura refém da mesma estratégia oportunista. O senhor Bruno de Carvalho chegou à presidência com o mesmo projecto dos seus homólogos: ser presidente ad eternum.


De certo que há diferenças entre estas três personagens. Diferenças geracionais, diferenças de personalidade. Mas todos têm uma coisa em comum, servirem-se dos clubes, em vez de os servirem. Para isso, todos e quaisquer meios justificam os fins. Uns podem ser mais diplomáticos, outros mais polidos, quiçá mais hipócritas, outros mais sanguíneos, contudo são na sua essência, portadores de projectos de poder pessoal que não casa com a democracia.


Quarenta e três anos depois se é verdade que a sociedade, sendo imperfeita, evoluiu, o mesmo não se passou no mundo do futebol. Arrisco dizer que está pior. A luta pela hegemonia não respeita regras, vale tudo. A rivalidade transfere-se dos relvados para a comunicação social e desta para a rua. Espécie de tropas pretorianas digladiam-se e matam-se. Os generais nos seus labirintos, cada um à sua maneira, vão pondo mais lenha na fogueira. Os poderes institucionais continuam impávidos. Até quando?


O futebol precisa de um vinte e cinco de Abril. As leis que permitem a perpetuação eterna do dirigismo oportunista têm de ser mudadas. Porque raio os políticos estão sujeitos e bem, a mandatos limitados, e porque razão isso não acontece no sub-mundo do futebol? Sem regras verdadeiramente democráticas não há democracia no desporto. Disse, John Emerich Edward Dalberg-Acton, que todo o poder corrompe, o poder absoluto corrompe completamente. E aqui é preciso clarificar que não existe apenas a corrupção clássica, mas aquela que permite a alguém, tornar-se dono do que não lhe pertence.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:06

 

Brunodecarvalho.jpg

 

No seu discurso desta terça-feira "É preciso um 25 de Abril no futebol", Bruno de Carvalho disse isto:

 

«A rivalidade saudável é um bem comum, a guerrilha e as provocações constantes só nos conduzem a tragédias e desgraças que não podem repetir-se».

 

Quando se pensa que já se viu e ouviu tudo de Bruno de Carvalho, ele sai com algo novo, quase como magia. Cada vez mais meras palavras escasseiam para comentar o estado de espírito e a mentalidade deste presidente do meu Clube. Consequentemente, vou ficar por aqui, por hoje.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:05

Livres à lá Lindelof

Rui Gomes, em 26.04.17

 

 

Isto a título de mera curiosidade uma vez que nada vai alterar o resultado do jogo. Lindelof ajeitou a bola nada menos do que 6 vezes - repito 6 vezes - antes de marcar o livre !

 

Um ligeiro exagero, nada mais, no seu primeiro golo da época.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:04

Foto do Dia

Rui Gomes, em 26.04.17

 

ng8477836.jpg

Desenho de novo equipamento sugerido aqui.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:03

Gosta de carros ?

Rui Gomes, em 25.04.17

 

6-1.jpg

Um dos carros mais caros do Mundo

1962 Shelby 260 Cobra "CSX 2000" - 13,8 milhões de dólares - Leilão 2014

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:00

 

Agora no Bayern Munique, o treinador italiano conta em livro os motivos que originaram o adeus ao Santiago Bernabéu.

 

Carlo Ancelotti revelou no livro "Liderança tranquila: ganhar corações, mentes e jogos" os motivos que originaram a saída do Real Madrid em 2015, sublinhando as duas principais causas da despedida. 

 

9780241244937.jpg

 

«As coisas estavam a correr bem, mas depois houve dois problemas grandes. O primeiro foi causado por estatísticas da UEFA que revelavam que a equipa não tinha tantas horas de treino como outros clubes europeus. Tínhamos ganhado 22 jogos consecutivos, acho que devíamos estar a fazer alguma coisa bem. Acabámos por perder precisamente quando saiu a estatística e o clube pressionou: 'Há que trabalhar mais'. Eu pensava o contrário: os jogadores deviam descansar, já levávamos um mês de lesões e fadiga que foi crucial para perder a Liga. O episódio das estatísticas foi um sinal de que o Real Madrid tinha mais fé nos números do que no meu trabalho.

 

Um dia, o director geral disse-me que o presidente queria falar comigo. Quando entrei no escritório, disse-me que o Bale lhe tinha ligado. Tinha-o substituído a 4 de janeiro (no 2-1 em Mestalla que acabou com a série de vitórias) e o agente do Bale tinha-se queixado porque o Gareth queria jogar mais ao centro. O presidente perguntou-me o que eu pensava fazer e a minha resposta foi: 'nada'. Não podia mudar o sistema a meio da época. Desde então, a relação com o presidente não voltou a ser a mesma».

 

Sempre que leio histórias destas lembro-me de Sousa Cintra, embora, em abono da verdade, não é ou não foi o único dirigente de clube que sem perceber patavina de futebol assumia um papel interventivo no dia-a-dia da equipa.

 

Coisas e situações que por vezes passam despercebidas ao adepto, simplesmente porque não tem conhecimento do que realmente ocorre nos bastidores do futebol, onde "políticas" e "intrigas" reinam impiedosamente.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:00

 

Porque não se cala Bruno de Carvalho?... É fácil responder.

 

maxresdefault.jpg

 

Porque…

 

…Continua sem vencer campeonatos.

 

…Tem o melhor treinador do mundo e continua sem vencer campeonatos.

 

…É presidente da maior potência desportiva nacional mas, mesmo assim, continua sem vencer campeonatos.

 

…Odeia o Benfica que continua a vencer campeonatos.

 

…Sofre de incontinência verbal apesar de continuar sem vencer campeonatos.

 

…Pensa que continua a ser membro de uma claque que continua sem vencer campeonatos.

 

…Porque se se calar pode ser que alguém que vence campeonatos fale mais alto.

 

…Porque vencer campeonatos é só fumaça.

 

…Porque pode não parecer uma boa ideia clonar-se, em princípio, com quem costuma vencer campeonatos e não vence campeonatos há três anos.

 

…Porque nasceu assim e ninguém muda vencendo ou não vencendo campeonatos.

 

…Porque quem não chora não mama campeonatos.

 

…Porque, caramba, continua a ser o campeão na difícil arte de explicar a existência de Deus com o facto de não ser possível explicar a sua não existência.

 

…Porque é Deus, apesar de não vencer campeonatos.

 

 

Texto de Bola na Área.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:31

Juvenis voltaram a vencer e lideram

Rui Gomes, em 25.04.17

 

O Sporting recebeu esta terça-feira o Oeiras na 2.ª jornada da fase de Apuramento do Campeão do Nacional de Juvenis e venceu por 3-1, mantendo-se assim no topo da classificação com seis pontos, a par do Benfica, que derrotou o FC Porto (2-1), em jogo disputado em casa. 

 

img_770x433$2016_09_18_13_48_23_1158144.jpg

 
Os golos só foram apontados na segunda parte da partida, com Bernardo Sousa a abrir o marcador aos 45 minutos. O Oeiras respondeu quatro minutos mais tarde, na conversão de penálti, por intermédio de Baltazar Paisana.

O Sporting conseguiu voltar a ganhar vantagem aos 72', por Félix Correia, com Bernardo Sousa a sentenciar o triundo so 80', na marcação de um penálti.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:14

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo


subscrever feeds