Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Convocatória para o V. Setúbal

Rui Gomes, em 29.11.14

 

4139_27b1850895a8069a2bbcaed4dcbad809.png

 

Nada de extraordinário na lista de 20 jogadores convocados por Marco Silva para o embate com o V. Setúbal. Apenas se verifica que MIguel Lopes foi incluído, em detrimento de Jonathan Silva. Com dois além do máximo permitido, é de esperar que o usual sacrificado Tanaka assista a mais um jogo da bancada, provavelmente com André Martins a fazer-lhe companhia. Sendo assim, creio que o onze do treinador será o seguinte:

 

Rui Patrício; Cédric Soares, Paulo Oliveira, Maurício e Jefferson; William Carvalho, Adrien Silva e João Mário; Nani, Carlos Mané e Slimani.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:04

 

 

O resumo do V. Setúbal 2 Sporting 2 pode ser visto aqui.

 

-  9 de Março de 2014  -

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:29

Desta vez nem o plano B não resultou

Rui Gomes, em 09.03.14

 

 
Bem... nem sei por onde começar a analisar este jogo realizado hoje no Estádio do Bonfim. Quer-me parecer que existem quatro vertentes de apreciação, a primeira das quais recai sobre as opções de Leonardo Jardim. Enquanto, nas circunstâncias, se aceita perfeitamente a titularidade de Slimani, já o mesmo não pode ser dito sobre Gerson Magrão, cuja explicação não é para meros mortais. A segunda vertente, a menor qualidade de jogo do Sporting, nomeadamente mais uma muito tardia entrada no jogo, com o V. Setúbal a criar todas as oportunidades de perigo durante os 20/25 minutos iniciais e mais do mesmo a iniciar a segunda parte. Na realidade, o Sporting só surgiu ameaçador sensivelmente aos 30 minutos, pelo golpe de cabeça de Slimani e o golo (mal) invalidado a Adrien Silva. A terceira vertente, é justo admitir, a qualidade do futebol da equipa do Bonfim, que evidencia estar a ser muito bem orientada por José Couceiro.
 
Segue-se, então, a quarta e mais polémica vertente: a arbitragem. Um dos árbitros auxiliares esteve em três dos lances cruciais do jogo: o golo incompreensivelmente mal invalidado a Adrien, que no momento que Slimani cabeceou estava sensivelmente um metro atrás da linha do último defesa; três minutos mais tarde, uma decisão correcta ao validar o golo do argelino, com a bola, na minha opinião, claramente a atravessar a linha da baliza e, finalmente, o mal validado primeiro golo setubalense - aos 51' - quando o avançado estava em posição irregular no momento de partida da bola e recuou para a receber. Temos, entretanto, o previsível 5.º amarelo a Maurício com um critério muito rigoroso, a bem assinalada grande penalidade por falta sobre Capel e instantes depois nova grande penalidade, desta vez contra o Sporting, por falta inexistente atribuída a Maurício, quando este desvia a bola com o pé sem cometer qualquer infracção.
 
Em última análise, apesar do bom rendimento de Slimani e o óbvio perigo que ele representa no jogo aéreo, continuo a insistir que não é um ponta de lança talhado para o 4x3x3. Além do mais, motiva a equipa a não desenvolver a construção ofensiva pela sua procura com bolas pelo ar. Dito isto, é cada vez mais evidente que o avançado é uma mais-valia para o Sporting.
 
Já comentei em uma outra ocasião a minha dificuldade em compreender a razão de ser Jefferson a marcar praticamente todos os livres perto da área. No último lance do jogo, precisamente numa zona frontal muito perigosa, novamente o inofensivo lateral brasileiro a rematar contra a barreira quando, pela posição no terreno, a marcação deveria ter sido por um pé direito, nomeadamente Fredy Monteiro. Para mim, mais um caso que não é para ser explicado por meros mortais.
 
Com estes dois pontos perdidos, a vitória do Benfica sobre o Estoril e o muito provável triunfo do FC Porto sobre o Arouca, qualquer ilusão sobre o título desapareceu e teremos agora de nos concentrar na grande luta que vai ser a disputa pelo segundo lugar.
 
Por fim, quase me esquecia de louvar a nossa "brilhante" gestão dos amarelos, cada vez mais evidente. Perdemos William Carvalho contra o Benfica e agora Maurício contra o FC Porto. Pelo positivo, uma grande oportunidade para Eric Dier, apesar do expectável grau de dificuldade desse jogo. 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:55

A convocatória para o V. Setúbal

Rui Gomes, em 08.03.14
 

 

Leonardo Jardim divulgou este sábado a lista dos 19 jogadores por si convocados para o encontro da 22.ª jornada, com o Vitória de Setúbal. Já hesito em recorrer ao termo "surpresa", mas há sempre algumas novidades com as opções semanais do treinador do Sporting.

 

Carlos Mané ficou de fora, como era de esperar, devido à lesão que sofreu na quarta-feira no jogo dos Sub-21; Iván Piris e Vítor Silva vão assistir ao jogo na bancada e, incompreensivelmente, para mim pelo menos, surge Welder de novo no lote dos convocados. Não considero injusto questionar qual é o propósito desta estratégia de ping-pong que está a ser utilizada com um jogador que se encontra no Sporting, por empréstimo, e que claramente não faz parte dos planos da equipa, presente ou futuro.

 

A novidade de maior relevo centra-se na chamada do extremo francês Ousmane Dramé, que um dos nosso leitores descreveu há dias como um dos piores em campo em um jogo da equipa B. Veremos se Leonardo Jardim pretende somente dar-lhe o estímulo para o fazer sentir parte da equipa ou se lhe vai proporcionar algum tempo de jogo. De qualquer modo, caso venha a pisar o relvado, será um experiência interessante para a maioria dos adeptos que o desconhece. Eis, então, o onze com que o treinador poderá iniciar mais um importante jogo para o Sporting:

 

Rui Patrício; Cédric Soares, Maurício, Marcos Rojo e Jefferson; William Carvalho, Adrien Silva e André Martins; Carrillo, Heldon e o regressado Montero.

 

Preferia ver Diego Capel em vez de Heldon, mas não creio que seja esse o pensamento do treinador, embora também seja plausível termos Wilson Eduardo como um dos extremos. Não obstante o recém-rendimento de Slimani, Fredy Montero regressará à sua posição no plano A, e o argelino entrará quando e se for necessário recorrer ao já conhecido plano B. No banco dos suplentes estarão Marcelo Boeck, Eric Dier, Gerson Magrão, Dramé, o referido Slimani e os dois extremos não titulares. Quero crer que Welder irá para a bancada.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:44

Betinho a caminho do V. Setúbal ?

Rui Gomes, em 24.01.14

 

A exemplo de Salim Cissé (Arouca) e João Mário (Vitória de Setúbal), há forte possibilidade de Betinho vir a ser emprestado - como aliás já comentámos aqui - e, muito indica, também à equipa liderada por José Couceiro. Muito embora ainda não haja confirmação da cedência por parte do Sporting, aparenta ser uma opção viável e que proporcionará uma excelente oportunidade ao jovem avançado leonino para jogar com regularidade na I Liga e trabalhar com um treinador que o conhece muitíssimo bem.

 

Como já escrevi em diversas ocasiões, não sou a favor dos regulamentos que permitem empréstimos dentro da mesma competição - pelo potencial para conflitos de interesses em que o futebol português é fértil - que, no caso dos três jogadores aqui citados, acaba por ter a mesma disposição, embora a transição seja da II para a I Liga.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:18

 

 
Depois de ter constado que João Mário estava a caminho do Cercle Brugge da Bélgica, eis que que surge a notícia a dá-lo como certo no Vitória de Setúbal, por empréstimo, até ao final da época. Embora ainda não haja confirmação oficial do Sporting, as próprias palavras de José Couceiro aparentam confirmar a cedência:
 
«Conheço-o muito bem e obviamente vem ajudar. O João Mário é claramente um médio centro, é muito mais um oito do que um dez».
 
Será uma boa experiência para o jovem de 20 anos, podendo vir a jogar com regularidade na Liga superior e sob um treinador com quem já trabalhou em Alvalade. Já tive aqui ocasião de escrever que apesar do seu evidente talento, falta-lhe o que eu denomino como "estaleca" para actuar na competição superior. Esperamos que os próximos cerca de cinco meses do campeonato lhe sejam benéficos.
 
Nada relacionado directamente com João Mário ou com o Sporting, sempre fui contra estes empréstimos para clubes da mesma competição, pelo potencial para conflito de interesse, muito já evidenciado no futebol português, salvo, curiosamente, ao que concerne o Sporting. Parece que sempre que surge a oportunidade, o Sporting é "castigado" por jogadores seus temporariamente a  actuar em outros clubes. A exemplo evidente, temos três casos desses no actual plantel: Adrien Silva, Cédric Soares e Wilson Eduardo.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:05

 

Aconteceu com José Mota, poderia ter acontecido com qualquer outro treinador - como aliás já aconteceu com muitos - mas para o caso até nem interessa. Há longo que me intriga - por falta de termo mais adequado - a mentalidade operacional e desportiva de clubes de menor capacidade estrutural e financeira, em geral, e do Vitória de Setúbal em particular.

 

José Mota é um técnico muito experiente e, na opinião de alguns, deveras competente. Curiosamente, um grande amigo meu - devoto adepto benfiquista - detesta Jorge Jesus e um dos treinadores que ele gostaria de ver orientar o seu clube é precisamente o técnico que foi ontem demitido do clube do Bonfim.

 

A contenda que me afronta, já há muito, é não compreender o que um clube como o Vitória de Setúbal pretende realizar e provar a mudar de treinador ao mais pequeno sinal de instabilidade de resultados, ignorando que simplesmente não tem condições, à raiz, para muito mais. Entre 2000 com Rui Águas até o momento actual, já passou por 20 treinadores e as únicas realizações de relevo nestas 13 épocas são a conquista da Taça de Portugal em 2005 e a Taça da Liga em 2008. De 2004/05 - pelo seu regresso à I Liga - até à época finda, alcançou uma vez o 6.º lugar com 45 pontos e em uma outra ocasião o 8.º lugar com 46 pontos. As restantes sete épocas registam todas classificações entre o 10.º e o 14.º lugares, contabilizando entre 24 a 30 pontos. Neste mesmo período apenas dois treinadores se mantiveram mais do que uma época e nenhum duas épocas completas consecutivas.

 

Neste momento o Vitória de Setúbal encontra-se empatado com o Olhanense e a Académica em 13,º lugar com 5 pontos, resultante de uma vitória, 2 empates e 4 derrotas. Vejamos os jogos: duas das derrotas foram com o Sporting em Alvalade e pela visita do FC Porto - nada de invulgar aqui; outra foi pela visita ao Rio Ave, equipa do seu campeonato onde qualquer resultado é possível; e a única que talvez seja discutível, embora também não espectacular, foi a recepção ao Marítimo por 2-4. Os dois empates foram repartidos, em casa frente ao Gil Vicente e fora frente ao Paços de Ferreira, também aqui nada bombástico. Não sem muita surpresa, a única vitória, e por 4-1, surgiu pela visita ao Vitória de Guimarães, este sim, um resultado espectacular.

 

Entra agora José Couceiro, que poderá ou não melhorar o estado das coisas, mas qualquer melhora, por inevitável natureza, nunca será mais do que temporária. E quando novos resultados desagradáveis surgirem - e vão surgir quer com Couceiro quer com outro - qual será a solução ? Mudar de treinador novamente... pelos vistos. Algo ilude a minha imaginação no todo deste processo recorrente, ano após ano, época insuficiente após época insuficiente. Todos os treinadores - à excepção de dois ou três notáveis no Mundo - desgastam-se passado algum tempo no mesmo clube, é inevitável. No entanto, no extremo oposto, temos o Vitória de Setúbal - entre outros - que muda de "Mister" com a mesma frequência que muitos mudam de camisa, ignorando que um só homem não conseguirá aquilo que o todo de uma instituição não consegue.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:21

4 golos e uma vitória merecida

Rui Gomes, em 05.10.13

 

 

Três golos "sul-americanos" - Fredy Montero (2), André Carrillo -, um golo "português" - Adrien Silva -, duas estreias na equipa e uma mais do que merecida vitória do Sporting sobre o Vitória de Setúbal.  

 

O Sporting foi sempre a melhor equipa em campo em todos os sectores: tanto a defesa como o meio-campo sólidos e um ataque ameaçador, especialmente na segunda parte. Nos primeiros 45 minutos pouco ou nenhum perigo foi sentido junto da baliza leonina (o primeiro e único remate de verdadeiro perigo apenas ocorreu aos 66 minutos) com o Sporting a ter 57% posse de bola, 16 ataques contra 9 e 6 remates contra 2. O primeiro golo da partida surgiu aos 40' pelo atento aproveitamento de Fredy Montero de um erro defensivo setubalense. Já aos 6 minutos, André Carrillo - em muito bom plano no jogo - mandou um forte remate ao poste da baliza visitante. 

 

Não sem alguma surpresa, verificou-se a estreia de Iván Piris na equipa principal no lugar do lesionado Jefferson. Um jogo não dá para ver tudo mas mostrou bons pormenores ofensivos e não comprometeu defensivamente. Foi a seu passe que André Carrillo marcou o terceiro golo da partida. A segunda estreia absoluta foi a do jovem Carlos Mané que tem andado a treinar com a equipa principal e os escassos 10 minutos em campo deram fundamentalmente para ele se sentir parte do grupo.

 

Um pequeno pormenor que não posso deixar passar, nomeadamente porque ilude lógica - a minha lógica, pelo menos: temos o melhor marcador da Liga, estamos a vencer por 3-0 através de 2 golos desse mesmo jogador e pela oportunidade de um "hat-trick" na marcação de uma grande penalidade, Adrien Silva foi o jogador designado. Reconheço que o médio executa bem este lance, mas...

 

Tudo bem que acaba bem. O Sporting assume agora a liderança da tabela classificativa à condição, com 17 pontos em 7 jogos, 19 golos marcados e 4 sofridos. Pela frente - dia 27 - temos o clássico no Dragão, que muito promete.

 

Nota: Contrário às expectativas (receios), Duarte Gomes não teve ocasião de inventar muito, especialmente em lances decisivos, e acabou por não influenciar o resultado.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:36

Os convocados de Leonardo Jardim

Rui Gomes, em 04.10.13

 

 

Leonardo Jardim divulgou a lista dos convocados para a recepção ao Vitória de Setúbal. Uma lista mais alargada do é que usual, com 20 nomes:

 

Guarda-redes: Rui Patrício e Marcelo Boeck

 

Defesas: Marcos Rojo, Eric Dier, Maurício, Iván Piris, Cédric Soares e Rúben Semedo

 

Médios: William Carvalho, Fito Rinaudo, Adrien Silva, André Martins, Gerson Magrão e Vítor Silva

 

Avançados: André Carrillo, Diogo Salomão, Wilson Eduardo, Slimani, Carlos Mané e Fredy Montero

 

Apesar de reconhecer que por lesão de um elemento titular se deve mexer o menos possível numa equipa, o onze que eu penso que Leonardo Jardim irá lançar com a disposição de 4x1x2x3 é o seguinte:

 

Rui Patrício;Cédric Soares, Maurício, Eric Dier e Rojo; William Carvalho; Adrien e André Martins; Carillo e Wilson Eduardo; Montero.

 

Carlos Mané e Magrão serão os preteridos, já que o técnico quererá ter mais um defesa no banco, neste caso, Rúben Semedo.

 

Continuo à espera de ver Vítor Silva começar um jogo de início para melhor avaliar o seu enquadramento na equipa, mas como isso implicará, porventura, André Martins ficar no banco, hesito em adiantar essa hipótese neste momento.

 

Embora entenda que Marcos Rojo seja a escolha lógica para o lado esquerdo da defesa, também sinto alguma curiosidade em ver Iván Piris, já que ainda não assisti a nenhum jogo da equipa B. Sabe-se que ele é um lateral com características muito ofensivas, que obrigaria José Mota a tomar certas precauções nas alas. Mesmo sem essa disposição do Sporting e pela ausência de jogo ameaçador no corredor central ofensivo, quero crer que o pensamento do técnico setubalense será mesmo nesse sentido.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:03

O nosso "amigo" está de regresso

Rui Gomes, em 03.10.13

 

 

O nosso "amigo" e arrogante apitador "encarnado" - Duarte Gomes - está de regresso ao Sporting e a Alvalade, pela sua nomeação para trabalhar o embate com o Vitória de Setúbal. Este é o tipo de árbitro que requere que um adepto assista ao jogo muito atentamente com um bloco de notas à mão, antecipando incidências diversas da sua autoria, nomeadamente no que não favorece o Sporting. Veremos...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:07

Vitória merecida

Rui Gomes, em 16.03.13

Uma vitória merecida sobre o Vitória de Setúbal que poderia ter sido muito mais alargada -  salvo a intervenção dos postes -  e menos sofrida na segunda parte. O Sporting entrou a controlar muito bem as operações e chegou relativamente rápido aos primeiros dois golos, só para ser entretanto traído pelos ferros. Como era de esperar com tanta juventude em campo, surgiram momentos de intranquilidade por passes falhados, perdas de bola desnecessárias e alguma desconcentração defensiva em cruzamenos para a área - a exemplo do lance que levou ao golo dos sadinos - e em lances de bola parada. Rojo regressou ao eixo da defesa e Eric Dier alinhou no meio campo, com mais uma exibição de grande qualidade. Tanto Cédric como Joãozinho estiveram em bom nível, com este último a querer mostrar que merece ficar em Alvalade no final da época, altura em que o Sporting terá de se decidir sobre a sua opção de compra do jogador. 

Esta equipa leonina não deslumbra e dificilmente deslumbrará esta época, mas com o passar de cada jogo, e apesar das oscilações de natureza individual e colectiva, começa-se a verificar acrescida confiança, algo não existente quase toda a época. Bruma procura a sua zona de maior conforto na equipa e hoje já exerceu maior influência, embora ainda evidencie exageros tipo «brinca na areia». De resto, não há qualquer dúvida que o Sporting tem naquele jovem um grande talento que apenas requere tempo, treino e experiência para ralizar o seu potencial. Gostei igualmente de Labyad, que cada vez mais se apresenta como o elo de ligação entre o meio campo e o ponta-de-lança e uma forte alternativa para contribuir com uns golos. Marcou a grande penalidade em substituição de Ricky van Wolfswinkel e ainda fez um execelente remate ao poste.

Em análise final, conquistaram-se três pontos importantes, permitindo alimentar algumas esperanças de ainda se conseguir chegar a um lugar de acesso às provas europeias. Uma última palavra de apreço para o prof. Jesualdo Ferreira pelo bom trabalho que tem vindo a fazer com uma equipa tão jovem e vulnerável e, especialmente, pelo seu sofrimento no banco face à ocasional falta de serenidade dos seus púpilos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:36

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo