Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

imageXC4Y6X1O.jpg

 

Foi com sentido humor que li as considerações desta terça-feira do candidato Pedro Madeira Rodrigues, acusando o ainda presidente do Sporting de apenas pretender "show-off" com o pacote de sugestões que fez público ontem, sobre a arbitragem. Humor, porque como indico no título do post, acusar Bruno de Carvalho de exibir o seu ego na praça equivale a acusar um peixe de nadar. É o seu milieu natural, que ele procura alimentar, de uma forma ou outra, 24/7.

 

Antes de transcrever as declarações de Pedro Madeira Rodrigues, aproveito o ensejo para indicar que não perdi mais do que escassos minutos a analisar as propostas de Bruno de Carvalho, especialmente depois de verificar a sua exigência para a implementação imediata do vídeo-árbitro. Isto, porque eu não apoio o uso desta tecnologia, pelo menos nos termos em que está a ser considerada, além de ser por de mais evidente que é um processo moroso, pelo enorme impacte que terá no jogo, potencialmente até negativo, e que a FIFA, mais propriamente dito, o International Board, não oficializará mundialmente num futuro próximo.

 

De qualquer modo, eis o que o candidato à presidência do Sporting teve para dizer sobre o que Bruno de Carvalho preparou no seu "escritório" favorito do Facebook:

 

«Mais uma vez recorre-se ao Facebook, mais uma vez de forma espalhafatosa. Podiam decidir-se estas questões através de uma reunião, em locais próprios, e não com este 'show-off'.

 

O Sporting perdeu quatro anos ao afastar-se dos órgãos de decisão, e depois queixamo-nos, que é isso que temos vindo a fazer e que só nos prejudica. Temos de nos saber defender, coisa que Bruno de Carvalho e a sua equipa não têm feito ao longo dos últimos anos.

 

O levantamento da acção em tribunal contra o antigo presidente José Eduardo Bettencourt, é a decisão certa e volto a frisar que acções similares contra outros dirigentes devem ser resolvidas dentro do próprio Sporting, sem espalhafato».

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:59


55 comentários

Sem imagem de perfil

De jc a 10.01.2017 às 14:40

boa tarde
relativamente á questão do video arbitro os ultimos casos no futebol portugues, nomeadamente a questão dos ultimos penalties não assinalados ou assinalados erradamente e toda a discussão que deu na opinião publica e mesmo as opiniões divergentes de supostos experts vem mostrar que no caso dos penalties pelo menos dificilmente o video arbrito poderá ser aplicado sem evitar a mesma discussão.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 10.01.2017 às 14:46

Isso e o impacte na fluidez do jogo, a minha principal preocupação.
Sem imagem de perfil

De José Santos a 10.01.2017 às 16:04

Na minha opinião, o vídeo-árbitro poderia ser introduzido de forma gradual, ou seja, numa primeira somente para decisões relacionadas com grandes penalidades e atos que possam ser considerados violentos. Posteriormente, e consoante os resultados dessa primeira experiência, o mesmo poderia vir a ser alargado a outros aspetos do jogo.
Tenho algum receio que a introdução da tecnologia possa trazer novos problemas. Acredito que os jogadores e os treinadores possam utilizar o vídeo-árbitro para ganhar vantagem, quebrando a fluidez do jogo. Adicionalmente, a introdução da tecnologia retira o prazer e a emoção de debater as decisões do jogo, principalmente num jogo entre rivais. Estão a imaginar um Sporting-Benfica sem discussão sobre arbitragem? Para além do debate que se perde, a própria atmosfera do jogo será consideravelmente diferente. É importante que se tomem as decisões certas sobre a utilização ou não das novas tecnologias, mas não a qualquer custo. O futebol pode ficar desvirtuado e perder o seu encanto.
Sem imagem de perfil

De João Ferreira a 10.01.2017 às 22:16

Caro José Santos, eu sou de opinião contrária. A discussão ou debate sobre eventuais erros dos árbitros é aquilo que não tem nada a ver com futebol e que menos interesse contém.
O futebol seria muito mais puro, interessante e teria mais beleza se se cingisse apenas ao que sucede no jogo e não com interpretações subjectivas sobre aquilo que as imagens mostram ou que adeptos mais ou menos facciosos se recusam a ver.
O futebol não é isso. O futebol são os golos e a criatividade, a técnica dos jogadores e a competência dos treinadores. A beleza está aí.
Tudo o resto é como a gordura e os ossos que se afastam para as bordas do prato para servirem de comida aos animais.
Sem imagem de perfil

De sangueverde a 10.01.2017 às 18:54

Olhe caro Rui eu já disse outas vezes aqui no seu blog que sou o mais possível a favor do vídeo arbitro, para mim tudo o que seja tirar decisão aos senhores árbitros eu apoio. Mas nessa questão que levantou da fluidez de jogo, o que melhoraria imenso esse aspeto seria o cronometro parar sempre que a bola não está jogável, pois evitaria nós passarmos os jogos a ver os jogadores da equipa que mais lhe agrada o resultado a atirarem-se para o chão e a pedirem assistência medica e...., enfim a queimarem tempo de todas as maneiras que puderem, para depois no fim vermos os árbitros a darem sempre os tradicionais 4-5 em casos muito excecionais 6-7 minutos de compensação, nem que se achassem necessário diminuíssem o tempo total de jogo para 80mt, ou 70mt o que fosse, mas o cronometro a parar quando a bola não está jogável, aliás é assim na esmagadora maioria ou quase totalidade dos desportos por tempo, só no futebol(ou quase) é que existe essa aberração de o arbitro depois compensar.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 10.01.2017 às 19:09

Meu caro,

Eu insisto nisso há muitos anos, muito embora reconheça que tem implicações drásticas para o jogo. A exemplo, porventura, com o relógio a parar sempre que o jogo parar, é muito provável que 90 minutos sejam excessivos. Teria de haver uma redução para 60 minutos.

O futebol é uma modalidade com características únicas, já para não evocar a paixão a que se associa pelos adeptos. Mexer no que fundamentalmente funciona há mais de um século, é correr grandes riscos e a FIFA é extremamente cautelosa precisamente por isso.

Eu consigo viver com os erros dos árbitros, em geral, o que é significativamente diferente de aceitar de boa fé muito do que ocorre em Portugal. A realidade nua e crua é que onde houver participação de seres humanos, nada é infalível. Será que nós queremos mesmo que a "discussão" seja tirada do futebol ?... Não sei...
Sem imagem de perfil

De Carlsberg a 10.01.2017 às 19:20

Boa noite,

Não sei se isso de parar o cronómetro seria bom para o futebol, teríamos jogos de quase 3 horas ou mais, com os foras, os pontapés de baliza e afins,

Isso depois seria usado para outras coisas, por exemplo como não há timeout's, os treinadores mandavam um jogador simular uma lesão, para chamar os seus jogadores ao banco e afinar estratégias e falar com eles..... uma lesão até ser tirado em condições de campo, estamos a falar de 1 ou 2 min.

A fluidez do jogo é uma real preocupação, no video árbitro, mas por isso, as decisões têm de ser rápidas de ser tomadas, e tem de haver vários angulos e vários árbitros a verem a mesma jogada, para a decisão ser tomada em questõ de no máximo 15/20 seg.

Por exemplo a mão de Pizzi contra SCP (a 2ª), a imagem só foi mostrada no fim do jogo, durante todo o jogo, ninguém se tinha apercebido e nas repetições nunca mostraram a imagem de frente, apenas a de trás.

Mas já que estamos a falar da luidez do jogo, o que se passou no SCP B x Braga B, tambem estragou a fluidez do jogo. O auxiliar demorou quase 15 seg ou mais a marcar um fora de jogo inexistente, porque estiveram á conversa e decidiram-se pelo fora de jogo, quando antes estavam a correr para o meio campo.

Entre eliminar completamente ou 90% dos erros de arbitragem, e a fluidez do jogo, prefiro eliminar os erros de arbitragem.

SL
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 10.01.2017 às 19:28

Digo isto com o máximo de respeito: isso é ter visão curta. Ou será que vislumbra levar apenas 15 segundos por cada vez que o vídeo-árbitro for consultado ?

O problema do adepto, em geral, é que não consegue antever o eventual impacte no jogo. Já o disse e repito, se desejam perfeição, então devíamos ter robôs a arbitrar os jogos, eliminar completamente a participação humana.
Sem imagem de perfil

De carlsberg a 10.01.2017 às 19:40

Eu não falo de video árbitro, como aconteceu no mundial de clubees, onde se parava o jogo, para se rever o lance.

Eu falo, num conjunto de pessoas(árbitros) que estão cada um a ver um conjunto diferenciado de câmaras, que na hora podem indicar ao árbitro principal se é falta, penalty ou não, agressão ou não, fora de jogo ou não!!

Tudo isso pode ser feito em apenas 15/20/30 segundos, sem parar o jogo!! Por exemplo, um video árbitro poderia ter marcadao grande penalidade no lance do Pizzi, já com a bola no meio campo do SCP no contra ataque do Benfica.

E isso não afecta tanto a fluidez do jogo. Aliás na Holanda os testes têm tido até bastante sucesso.

Mas já lhe expliquei que na minha opinião, entre ter um jogo com quase nenhum erro de arbitragem e um jogo com muita fluidez, prefiro o que tenha menos erros de arbitragem.

Mas como ainda não existem robots.... temos de arranjar formas de terminar com estes erros humanos.... mas sempre para o mesmo lado!!


SL
Sem imagem de perfil

De Oceano Vermelho a 10.01.2017 às 19:59

O problema é que serão sempre humanos a tomar uma decisão.

No caso que cita a título de exemplo, houve uma divisão de opiniões, sendo que a maioria apoiou a decisão de não marcação de penaltis.

As pessoas esquecem-se que várias leis dos jogos dependem da interpretação que o árbitro faz daquele lance em concreto.

Eu aconselhava as pessoas a lerem os casos em que as tecnologias são aplicadas para perceberem bem a questão.
Sem imagem de perfil

De Carlsberg a 10.01.2017 às 20:55

Oceano Vermelho,

Está equivocado, a maioria decidiu que a 1ª mão de Pizzi não era penalty, mas a 2ª era.

O problema aqui é que as imagens da Benfica TV apenas mostraram as imagens da 2ª mão no fim do jogo, o que levou a algumas interpretações em erro. Aliás em todo o tribunal de O Jogo, apenas fala da primeira mão, pois quando escreveram para o jornal, ainda não tinham visto todas as imagens.

Mas o erro não irá acabar, as pessoas são humanas, mas temos de acabar com estes erros que mudam a história toda de um jogo.

SL
Sem imagem de perfil

De sangueverde a 10.01.2017 às 20:23

Amigo, isso de simular lesões e enquanto se assiste o jogador, o treinador aproveitar para dar indicações à restante equipa, já acontece e com a agravante de depois o arbitro compensar se "estiver para aí virado". É claro que neste sistema o tempo de jogo teria de ser ajustado, mas eu julgo que melhoraria em muito o jogo em si. O amigo veja por exemplo a questão dos guarda-redes terem de ser assistidos dentro de campo obrigatoriamente, eu compreendo a logica da lei, que tenta evitar ter um jogador de campo que ir para a baliza enquanto o gr seria assistido, no entanto o meu amigo acredita que a realidade resultante dessa lei seja que, sei lá, por aí uns 80% das ditas lesões dos gr são fingidas apenas para queimar tempo. Não acredita que seja assim?
Sem imagem de perfil

De Carlsberg a 10.01.2017 às 21:01

Acredito e concordo plenamente com tudo o que diz.

Apenas digo que esses casos aumentariam, de cada vez que um treinador quisesse mudar de estratégia ou dar uma conversa com os jogadores.

E servia mesmo até para descansar jogadores, pois como o cronómetro pararia, quem estivesse contente com o resultado e quem estivesse descontente com o resultado, usariam essa estratégia, quando agora quem faz isso de perder tempo apenas é quem está contente com o resultado.

SL

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo