Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

20022142_gWbU2.jpg

 

Agora que toda a pressão gerada para o exterior se voltou contra o próprio Sporting, aí estamos nós a analisar a performance do primeiro ciclo vital para as aspirações imediatas do Clube. Nos últimos 10 jogos obtiveram-se 3 vitórias, 3 empates e 4 derrotas. Entre aqueles que recorrem ao passado em busca de estatísticas de esperança, ou os que já perceberam que este rácio de investimento/resultados não é realista, sobram o Clube e os seus adeptos. A estratégia que nos fazia acreditar que este Sporting era um colosso competitivo, pela contratação de nomes sonantes e vendas astronómicas, afinal não passa de uma tentativa pífia de encobrimento do óbvio. O problema não está em perder jogos. O problema está na pressão colocada por Bruno de Carvalho aos atletas cada vez mais solitários, cuja mente provavelmente já cedeu perante as exigências irrealistas de quem quer fazer esquecer problemas com mais de 30 anos.

 

Sempre considerei que uma das maiores causas de infortúnio do Sporting se prendia com traumas passados de projectos inacabados ou mal-sucedidos – nos últimos 30 anos, entre as boas intenções e o grotesco, todas as planificações directivas foram delineadas e estruturadas no mais frágil dos alicerces: a inquietação entre ser aquilo que fomos um dia, ser aquilo que é possível ser no presente, ou vir a ser o que se deseja na mente mais ou menos criativa de cada um de nós. E o maior problema destes 30 anos de dirigismo no Sporting, vulgo raras excepções, foi pretender-se ser passado, presente e futuro num só momento. E isso nunca será possível.

 

Para entendermos o presente, temos de aceitar algo que correu mal no passado: a direcção que mais títulos deu ao Sporting foi a mesma que deixou o pior legado para o futuro – a interrupção abrupta de um projecto que mais ninguém conseguia terminar. João Rocha teve o sonho de materializar aquele sonho imaterializável, porque nunca foi possível em Portugal (e provavelmente nunca será) consubstanciar ecletismo com sucesso desportivo na Modalidade que mais coloca e retira presidentes da cadeira do poder: o Futebol. Portugal não tem adeptos nem meios de financiamento para que apenas um emblema atinja sucesso em modelos desportivos tão abrangentes quanto aqueles que se deseja num emblema ecléctico.

 

O modo como o projecto Rocha terminou, vulnerabilizou a estrutura do Clube e partiu o Sporting em dois. E em dois o Sporting foi caminhando ao longo de 30 anos, contra-vontade de parte a parte, porque nenhuma das partes quis ceder. Os presidentes-Adeptos nunca aceitaram os projectos dos tais presidentes-Barões, nem os presidentes-Barões pretendiam o escrutínio dos presidentes-Adeptos. A falta de consenso apenas teve um período unificador, talvez a liderança mais forte que o Sporting teve na era moderna: o “roquettismo” personificava um projecto empresarial para o séc. XXI, onde Jovic e Boloni detinham uma intelectualidade técnica e um compromisso para com as nossas raízes de formação, enquanto Manolo, Damas e Bastos asseguravam a tal mística do emblema. Contratações “na mouche” de nomes como Acosta, André Cruz, João Pinto e Jardel faziam o resto. Os últimos dois campeonatos ganhos assentaram numa estratégia que tinha mais de futuro do que de presente. E era estável, sem excessivas pressões. Com dinheiro bem gasto.

 

Sempre existiram parasitas no Sporting – o nosso querido Rui Gomes de certeza que sabe a quem me refiro – mas existia igualmente muita força verdadeiramente sportinguista no Clube. Homens fortes no Sporting mantinham o Sporting activo, tornaram-no campeão, e acima de tudo resolviam com celeridade problemas quando estes surgiam. O plantel não respeitava Inácio, mas respeitava Vitorino Bastos. Acosta um dia pegou no carro e foi sozinho buscar o “refractário” Edmilson a um dos mais badalados estabelecimentos de diversão nocturna de Lisboa, numa noite que antecedia um Derby. Hoje, proíbem-se os atletas de conduzirem viaturas “encarnadas”! Dão-se raspanetes aos jogadores das Modalidades, porque foram avistados a adquirir artigos desportivos numa loja Adidas. Hoje, figuras como Albuquerque ou Saraiva, que nada de sportinguismo nos têm para ensinar ou nos orgulhar, por “ali” passeam… Achará o leitor normal que o responsável pelo Futsal tenha mencionado no seu currículum vitae a “Responsabilidade pelo projecto de criação do Twitter e Facebook Oficial do Sporting”!? Isto não é o Sporting, porque o nosso Sporting não serve para “encher chouriços”!

 

Quando as coisas correm mal, não basta pedir aos jogadores que dêem mais. Tem de haver quem os ajude. Tem de haver quem os acarinhe. Tem de haver quem lhes “puxe as orelhas”. Mas tem de ser alguém em quem estes confiem. Alguém da estrutura. Este Sporting está lotado de personagens que se defendem a si próprios, mas nunca o mérito alheio. O que podem Bruno de Carvalho ou Jorge Jesus exigir, quando não são nem nunca foram unificadores, mas sim magnânimos na sua sapiência?  Presidente e Treinador são peças de uma engrenagem? Não. São o motor e o volante. Quando o carro não pega por falta de combustível, a culpa é do fabricante. A solução? Coloca-se os jogadores subjugados a justificarem-se perante uma plateia de adeptos insatisfeitos. Deplorável.

 

Jorge Jesus, um dia disse ao ex-jogador Simões, cheio de soberba e arrogância, que a "estrutura" nada mais é do que vitórias. Pois bem que se vê que, na ausência destas, não existe mesmo estrutura profissionalizada no nosso Clube. A sua instrução é exemplificativa do amadorismo que dominava a gestão do comércio tradicional na década de 2000. Para o Sporting não serve!

 

Não podem existir modelos “presidencialistas” no Sporting – e o que mais desejo, é que Bruno de Carvalho seja o último exemplo deste “género” que na cadeira verde do poder se acomode. Bruno de Carvalho quer resolver com dinheiro problemas de 4 gerações, não com conciliação ou rodeado de pessoas competentes ou comprometidas com futuro do que com o próprio ordenado. Bruno de Carvalho, mal assessorado como tem sido seu apanágio, foi incapaz de planear e estruturar uma acusação decente ao Benfica, antecipando os timings certos para formalizar uma acusação minimamente decente no caso “vouchers”. Foi incapaz de perceber o que significou a vinda de Markovic, Elias e o “sr. 6 Milhões de Euros”. Foi incapaz de evitar a escalada de custos nestes últimos exercícios – em relação a esta matéria, será em Janeiro/Fevereiro que todos teremos uma surpresa, daquelas que geralmente “sobravam para mim” por parte de alguns leitores, quando sobre elas escrevia.

 

A minha preocupação ultrapassa o presente. O que será o Sporting depois de Carvalho e Jesus?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:30

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


49 comentários

Sem imagem de perfil

De Carlos N.T. a 03.11.2016 às 12:15

Ufff!!!..
Que lambada!! Quanta verdade..

100 % consigo Drake.
100 não, 1.000%....

E a sua pergunta, há muito que a faço. Resposta, haverá!!
Como será??.. Não sei mesmo.
Já não demorará muito!!
Sem imagem de perfil

De mike1906 a 03.11.2016 às 12:32

Concordo com tudo, mas como resolver o problema ? Só vejo uma forma, o aparecimento de uma alternativa a serio. Alguém em quem os sportinguistas possam confiar, quase de olhos fechados, tal o consenso que possa causar. Haverá alguém com estas caracteristicas que esteja disposto a avançar ? É essa a minha grande duvida e receio, que apareça mais do mesmo.
Imagem de perfil

De Drake Wilson a 03.11.2016 às 14:00

Boa tarde Mike1906.
Creio existir um nome, que provavelmente irá surpreender algumas pessoas. Não será ninguém dos recentemente apontados no Camarote Leonino. Irei consultar Rui Gomes sobre a possibilidade de reeleger este assunto de novo num Post. Se tal for possível, aguardarei a sua opinião, como de demais prezados leitores.
Sem imagem de perfil

De João Gonçalves a 03.11.2016 às 12:44

Texto forte.
É difícil manter a racionalidade quando se tem responsabilidades num clube em que o futebol é a sua mola real e tem um passado vitorioso que não se reflete no presente...
Ao início, a ideia até pode ser a de não entrar em loucuras, ser frio, racional, não dar passos maiores que a perna, mas a pressão das vitórias, mais tarde ou mais cedo, acaba por mandar tudo isso ao ar.
BdC entrou com umas ideias, foi-as alterando ao longo do tempo, e agora as suas acções são tudo menos aquilo que prometeu no início. Para além disso, já entrou na fase da "loucura" (entre aspas) completa...
Sem imagem de perfil

De Implacável a 03.11.2016 às 12:50

Caro João Gonçalves, podemos sempre manter a racionalidade e proceder assertivamente. Se avisarmos os sócios e adeptos, e estes aceitem, que, doravante, sejamos um clube ao estilo West Ham United, Charlton, Queens Park Rangers etc.
Um clube apenas para participar nas competições...
Sem imagem de perfil

De João Gonçalves a 03.11.2016 às 12:56

Impensável num clube com a dimensão do Sporting.
Nem tanto ao mar, nem tanto à terra...
Sem imagem de perfil

De Implacável a 03.11.2016 às 13:04

Concordo! Então há que perceber a lógica de funcionamento do futebol e deixarmo-nos de romantismos ingénuos e ganhar com "as regras" estabelecidas...
Sem imagem de perfil

De Carlos N.T. a 03.11.2016 às 13:22

Quais regras???.. A de supostamente comprar árbitros??

Deixe-se de lirismos!! Isso não existe...
Se isso fosse tão verdade, já o Bruno por exemplo, tinha engavetado alguém..

As unicas regras, não escritas.. São : ter os melhores jogadores e para isso, precisa-se uma "pipa de massa"
Como chegaram Chelsea, City, etc.
A outra, ter um grupo coeso, evitar ser alvo de guerras. Pouco a pouco ir cimentando poder, simpatia e empatia..

Todas as outras regras estão sujeitas ao fracasso....
Sem imagem de perfil

De Implacável a 03.11.2016 às 14:28

Por muito que o Clube Futebol Benfica (para citar um exemplo) comprasse árbitros, numa imaginária eliminatória da CL contra o Barcelona (também, só para citar um exemplo), acabaria sempre esmagado.
Deixem de dar para esse peditório das arbitragens, deixem de ser anjinhos e tentem perceber qual a única maneira de o clube lisboeta levar de vencida o colosso da cidade condal e terão descoberto o que corrompe actualmente o futebol luso...
Sem imagem de perfil

De João Gonçalves a 03.11.2016 às 14:23

Já percebi onde isto vai parar e não vou por aí, de certeza
Sem imagem de perfil

De Implacável a 03.11.2016 às 12:46

Bem, opiniões são opiniões e depois de elencar os problemas que, segundo o Drake Wilson, assolam o SCP, fiquei á espera que nos explicasse quais as soluções...
Ora, se bem percebi, não se pode "atirar" com a pressão de ganhar sobre os jogadores porque isso é um problema que dura há 30 anos.
Sugiro, então, que se recorra a atletas amadores a auferir um salário simbólico. Porque pagar um, dois e mais milhões por ano a um atleta e dizer-lhe "vai lá para dentro mas sem pressão, se perdermos não faz mal (até me lembrei da tirada de CR7 a Moutinho no Euro 2016), há 30 anos que andamos nisto, portanto, mais 20, menos 20 é igual", é simplesmente irracional.

Jozic era, um teórico, igual a tantos outros que passaram pelo SCP, não era um vencedor. Para estabelecermos um paralelo, diria que Humberto Coelho, Scolari - bem, esse foi de uma incompetência confrangedora - e Paulo Bento, foram teóricos que personalizaram a máxima, "jogar como nunca, perder com sempre". Fernando Santos é um vencedor!
Boloni era de uma intelectualidade técnica e um compromisso para com as nossas raízes de formação tal que forçou a contratação de Mário Jardel e passou o segundo ano de contracto a queixar-se da falta de meios e a ser(mos) humilhado(s) em campo. Com meios, qualquer treinador ganha - quer dizer, scolari nem assim.

"...talvez a liderança mais forte que o Sporting teve na era moderna: o “roquettismo” personificava um projecto empresarial para o séc. XXI..."
Entendo isto como uma ironia fina da sua parte. Certo?
O "roquetismo" foi a ruina do SCP e é o exemplo mais gritante de que um bom gestor não é necessariamente um bom presidente de clube. O futebol tem dinâmicas que só as entende quem as sente! O Dr. Roquette assistia a um jogo de futebol com a emoção de quem está a consultar balancetes. Como poderia dar certo?!
BdC inaugurou uma série de parvoíces novas no léxico das massas afectas ao futebol. Ele é o presidente adepto: não é suposto?
Ele é a estrutura: mas que coisa é essa de estrutura? Na construção de uma casa, qualquer pessoa identifica o que é uma estrutura. E no futebol? Alex Ferguson era a estrutura, a carpintaria, os acabamentos, a pintura e as telhas!
Funcionava, PONTO!
O universo Sportinguista tem bem presente - com o 7º lugar ainda bem "fresquinho" nas nossas memórias - onde nos levou esse estilo de dirigismo (pseudo) frio, (pseudo) racional, dos (pseudo) magos da gestão e finanças e dos seus (pseudo) projectos "á la long" que prometiam hegemonia no futebol...

"...Contratações “na mouche” de nomes como Acosta, André Cruz, João Pinto e Jardel faziam o resto..."
Bem, confesso que essa me deixou desarmado! Então não é o Drake Wilson que critica a elevada massa salarial do actual SCP?!
Faz ideia do salário pornográfico que JVP auferia no SCP?!
O do Jardel? De jogadores que não referiu mas que eu faço questão de lhe lembrar:
Paulo Bento, Rui Bento, Dimas, Bruno Caires?
Tem ideia do que era a folha salarial no ano do nosso último campeonato?
Felizmente que estávamos sob a batuta de um dos "expert" em gestão desportiva saído directamente da dinastia "roquettista", de seu nome Dr. Dias da Cunha...

O plantel não respeitava Inácio, mas respeitava Vitorino Bastos. Ai sim? Então e o que lá andavam a fazer Manolo Vidar e José Manuel Torcato?!
Augusto Inácio vinha da maior escola de vitórias deste país! Sem ele, nunca teríamos conseguido aquele milagre. Ganhar não está nos livros, está na mentalidade e na atitude!

"...Dão-se raspanetes aos jogadores das Modalidades, porque foram avistados a adquirir artigos desportivos numa loja Adidas..."
Não sabia essa! Mas tendo em conta que somos equipados (e pagos) pela Macron, não será do mais elementar bom senso promover a marca que colabora connosco?
O meu filho, por exemplo, deixou de beber qualquer produto da Sagres.
Já fui a vários Núcleos Sportinguistas e produtos Sagres, nem vê-los...

Gostar ou não de BdC não é a questão e eu até concordo e revejo-me em muitas coisas que refere. Mas está mais do que na hora de entendermos o fenómeno futebolístico e largarmos a visão romântica (os adversários chamam-na de calimerismo) do mesmo. A não ser queiramos transformar o SCP num West Ham ou Queens Park Rangers do futebol português, GANHAR é o ÚNICO projecto.
O resto é para "encher chouriço".
SL
Imagem de perfil

De Drake Wilson a 03.11.2016 às 13:25

Implacável,
tendo em conta sermos duas pessoas de realidades totalmente opostas, considerei não lhe responder. Mas ao "tomar de assalto" o texto com este seu comentário, vejo-me na obrigação de o fazer. No mínimo, para o esclarecer.

#0 - Cristiano Ronaldo, com a sua célebre expressão captada pelas câmaras e microfones, retirou a pressão a Moutinho. "Se falhares, falhaste. Quer que se f..." Moutinho não falhou. Ao contrário deste Sporting...

#1 - O Sporting contratou diversos atletas para as suas diversas modalidades, neste Verão. Alguns deles, provenientes de ligas mais fortes e competitivas que a portuguesa, revelam-se chocados com o seguinte facto:

- O Clube/Macron rejeita a entrega de mais do que 1 camisola por atleta. Os responsáveis afirmam que se trata de "contenção de custos". Os atletas afirmam que "é a primeira vez que estando ao serviço de um clube, tenho de comprar camisolas para poder oferecer à família". Agora questiono eu: quanto vale o acordo com a Macron, que nem camisolas providencia ao Clube, como simbolismo de oferta aos seus profissionais?

#2 - José Roquette era competente em contas, não era um neanderthal. Mas competente o suficiente para manter ou trazer ao Clube toda a matéria humana para tomar decisões acertavas, fora do âmbito directivo. Roquette fundou a primeira SAD em Portugal. Salvou o Sporting das dívidas à Segurança Social e Finanças que os anteriores por lá deixaram. Respeite a história.

#3 - Inácio foi a maior fraude no ano do título. 3 confrontos assisti eu pessoalmente, nos quais o treinador sempre se escondeu por trás de Vitorino Bastos ou mesmo Damas. "Inácio vinha da maior escola de vitórias deste país"... Qual o nome dessa escola, Implacável? Café com Leite? Calor da Noite? Poupe-me... O Sporting foi campeão porque OS JOGADORES QUISERAM SER. Porque RESPEITAVAM A LIDERANÇA. E essa liderança nunca foi Inácio.

#4 - João Pinto ganhava um ordenado milionário. É verdade. E desempenhou um papel importante no Sporting, visível aos olhos de todos. Sabe quanto veio Paulo Sousa ganhar para o Sporting? Sabe o que o ordenado de Paulo Sousa provocou no balneário, principalmente com Figo? Quanto ganha Jesus...? Não misture exemplos de custo/benifício com custo/prejuízo.

#5 - O seu filho não bebe Sagres. Se calhar vou chocá-lo, Implacável. Eu pagava a Benfica TV no ano passado porque preferia ver a Premier League numa televisão do que no ecrã do computador. Sou Sócio, pago Camarote no estádio... não tenho complexos de inferioridade. O Futebol para mim não é mais importante do que o meu bem-estar...

#6 - O fenómeno futebolístico para mim, é o dinheiro e a globalização. É o fair-play financeiro e desportivo. É a união entre pessoas e culturas. Não o paleolítico de Bruno de Carvalho.
Sem imagem de perfil

De Implacável a 03.11.2016 às 14:07

É como diz, somos duas pessoas de realidades totalmente opostas...
Por isso é que, esta, é apenas a segunda vez que comento um post da sua autoria - o primeiro havia sido o de estreia - e será, muito provavelmente, a última. Normalmente fico-me pela leitura do títulos e, frequentemente, nem isso.
Hoje fi-lo para perceber a sua opinião relativamente ao momento actual da equipa de futebol do SCP. Não tendo encontrado o que espectava, li o texto com atenção até ao fim e concordo com grande parte do que nele é dito mas tem incoerências e contradições. Foi apenas isso que eu comentei...
Já relativamente á sua resposta, para além de muita coisa passível de discussão, quando considera que o que José Roquette fez ao SCP é digno de respeito, estamos conversados...
Em conclusão, da mesma forma como começou a sua resposta, eu acabo a minha dizendo que o tempo revelou que slb e fcp são de realidades totalmente opostas á do SCP. Eles ganham, nós somos perdedores a quem alguns (pseudo) iluminados convencionaram chamar de "ser diferente"...
Imagem de perfil

De Drake Wilson a 03.11.2016 às 14:37

Implacável,
considero-me um homem progressista. Profissionalmente (como mesmo a título pessoal por vezes o faço), estudo probabilidades de sucesso ou insucesso, baseando-me fundamentalmente em erros cometidos por diversos agentes, afim de alcançar vantagem competitiva ou retirar o maior número de proveitos de um determinado projecto no qual esteja envolvido.

Analisei em detalhe, dentro de competências que sempre pretenderei debater com leitores – e nunca assegurar-me incondicionalmente –, os diversos projectos directivos do Sporting nos últimos 30/40 anos. A era moderna, digamos assim. O que percebi, é que de facto existe uma matriz que tem provocado o insucesso ao Sporting ao longo dos anos.

Entre alertas e soluções, tenho procurado sempre escrever sobre o assunto. Se revisitar alguns dos meus escritos no Camarote, ficará admirado com diversos acontecimentos que antecipadamente preví. Nomeadamente no que respeitava a contas. Uma verdade inconveniente e desagradável a diversos leitores, na altura.

Existiu um período em que estive próximo do Clube, mas nunca fui dirigente. Era, como sempre fui, um "amigo" do Clube. Tive a felicidade de ter sido amigo de bons homens que pelo nosso Clube passaram. Hoje, conheço alguns, nada mais do que isso.

Desejo que o Implacável faça uso da sua opinião em qualquer texto meu, ao nível que mostrou em diversas ocasiões, noutros textos. Somos diferentes, mas somos do Sporting. E para mim, isso basta.
Sem imagem de perfil

De Implacável a 03.11.2016 às 16:16

Somos diferentes, mas somos do Sporting. E para mim, isso basta.
Ora aqui está o cerne da questão!
Certa vez vi uma entrevista ao Nuno Rogeiro, conhecido analista político, na qual revelava a sua preferência clubística e deixou a seguinte consideração: "quando estamos no estádio da luz ou qualquer outro local afecto ao benfica, podemos fazer parte de um grupo onde estejam pessoas das mais diversas condições sociais e financeiras. Podemos, por exemplo encontrar numa conversa animada um empresário multimilionário, um quadro superior de uma empresa e um trabalhador não qualificado e todos estão ao mesmo nível desde que se fale do beifica."
Pois esse cenário no SCP é completamente impossível.
Há sempre um qualquer "artista" com a mania da superioridade a puxar dos galões da sua vida social e profissional.
Eu prefiro um SCP a ganhar nem que seja feio, e há quem prefira um SCP bonito nem que seja perdedor. Nos outros (chamados) grandes, ninguém perde tempo nem energias com minudências fúteis como estas.

O futebol é uma actividade ruinosa. Não há exemplos de clubes VENCEDORES com as finanças equilibradas porque eles, simplesmente, não existem! Esso cenário é perfeitamente utópico.
Ou temos clubes com palmarés - e, por via disso, dimensão - colossal e a gerir uma dívida astronómicas ou temos "lavandarias". Deixemo-nos de rodeios.
Sem imagem de perfil

De Carlos N.T. a 03.11.2016 às 17:03

Bruce
Gostei do comentário..Implacável!!! No seu todo..

Sem imagem de perfil

De Implacável a 03.11.2016 às 17:52

Carlos, isso foi um elogio ou uma ironia? LOL!
Sem imagem de perfil

De Nuno Ferreira a 03.11.2016 às 19:08

Sou do Benfica, não do beifica mas venho aqui para dizer que faz falta falar de futebol com pessoas como vocês 2, Implacável e Drake. É uma tristeza as porcarias que se falam hoje em dia numa "discussão" futebolística. Eu por exemplo, como Benfiquista, venho aqui dar um palpite, ou em qq página afecta ao Sporting e rapidamente sou insultado ou confrontado com coisas que nada têm que ver com futebol. O mesmo acontece com vocês nos espaços Benfiquistas, certamente. O triste disto é que os nossos clubes dirigem se a uma velocidade vertiginosa para um descalabro completo. Ainda ontem vi a massa salarial dos planteis dos grandes e fiquei a pensar, como podia de facto o Sporting atingir regularmente os seus obejctivos. É que segundo li, o Sporting quase duplicou a massa salarial do seu plantel e, mesmo assim, está bastante distante daquilo que é gasto por Benfica e Porto. Sim, é possível fazer mais com menos dinheiro e mais trabalho. Uso um paralelo que é estranho mas que não acho descabido. Nesses concursos de música, aparecem de quando em vez, pessoas que cantam extraordináriamente e que ficamos a pensar, como pode ser possível aquela pessoa não fazer carreira na música... tive amigos que foram futebolistas e alguns deles eram os últimos a ser escolhidos com aquela coisa do "pisa" que dava direito a escolher os jogadores pra cada equipa. Tem de haver grandes jogadores pra aí perdidos e acho que o caminho mais fácil para arranjar grandes jogadores, passa por um forte investimento na prospecção. Mas um investimento fortíssimo, principalmente por parte do Sporting. (E acho que o Dias da Cunha foi o último presidente do Sporting a defender verdadeiramente os interesses do clube)

Olhem desculpem ter vindo meter o bedelho
Saudações desportivas
Sem imagem de perfil

De Carlos N.T. a 03.11.2016 às 20:15

"... mas venho aqui para dizer que faz falta falar de futebol com pessoas como vocês 2, Implacável e Drake""
Não fui que disse.
LOOOOOOOOOOLL!! LOOOOOOLL!!!
Sem imagem de perfil

De José Santos a 03.11.2016 às 13:41

Boa tarde a todos,

Subscrevo o texto de Drake Wilson na totalidade.

O meu maior receio é a enorme divisão que BdC está a criar entre os adeptos. A violência verbal entre os Sportinguistas está a subir de dia para dia. Muitos estão a perder o bom senso e o equilíbrio. A continuar assim, sem uma liderança apaziguadora internamente, não acredito num futuro risonho nos tempos mais próximos.

Cumprimentos a todos,
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 03.11.2016 às 13:51

Boa tarde José Santos,

E não acha que é precisamente essa divisão que ele pretende, para melhor assegurar o seu reino ?

A sobrevivência de pessoas como Bruno de Carvalho depende, quase exclusivamente, da existência de um estado de guerra, interno e externo.
Sem imagem de perfil

De José Santos a 03.11.2016 às 14:23

Boa tarde Rui Gomes,

Plenamente de acordo com que escreve. Infelizmente, é uma estratégia muito usual quando se está agarrado ao poder. O que não falta são histórias sobre ditaduras, não é? E todas elas acabam mal.

BdC está a mostrar alguns sinais de desespero. Por muito que diga que não, ele sabe bem que a sua legião de apoiantes está a diminuir. O próximo passo, independentemente dos resultados desportivos, é forçar eleições antecipadas. Até lá...vamos certamente assistir a mais alguns episódios que em nada vão dignificar o clube, e que vão contribuir para a tal divisão interna. Esta é a minha opinião.



Sem imagem de perfil

De Luis Pereira a 03.11.2016 às 15:15

Se eu tivesse que adivinhar diria que o próximo passo de BC será mostrar aos Sportinguistas como poe a sua integridade fisica em causa em defesa do Sporting.

Como Pinto da Costa fez com o porto ao estilo "a bomba nao me assusta" e de preferencia com um motivo externo ao estilo de "eles nao nos querem aqui"

Se tivesse que adivinhar seria uma agressao por um adepto adversário. Muito provavelmente um "benfiquista".

nao acreditoque venham a acontecer eleicoes antecipadas.

Mas isto sou eu se tivesse de adivinhar
Imagem de perfil

De Drake Wilson a 04.11.2016 às 01:46

De facto, no dia em que Bruno de Carvalho sair do Sporting, uma salva de tiros será exigida em sua própria homenagem.
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 03.11.2016 às 13:51

Em resposta à sua pergunta "O que será o Sporting depois de Carvalho e Jesus?" Eu acho que é bem melhor do que o Sporting depois do Godinho Lopes e do Vercauteren...
Ao contrário do que escreve, eu acho que a solução para o Sporting estava bem definida no 1º ano de mandato de BdC.... corte com os fundos e empresários; aposta na formação; aposta nas modalidades; construção do Pavilhão; aumento de sócios e de receitas. Espero que BdC não se desvie do que é o seu programa!

Outra coisa bem diferente da definição da estratégia, é de facto ganhar títulos.... a estratégia pode ser muito boa, mas tens de ganhar! Mas para se ganhar em Portugal, é preciso controlar o poder....
Portanto a minha questão é o seguinte: Qual deveria ser então a estratégia para que o Sporting não seja tão prejudicado ao nível das instâncias desportivas e comunicação social? é que já exprimentámos de tudo.... desde blackout, fizemos luto às arbitragens, mas nada mudou.... e atenção estou a falar do tempo do Roquette, não do BdC...
Imagem de perfil

De Drake Wilson a 03.11.2016 às 14:14

Boa tarde Schmeichel.

A importante questão do "poder" que colocou, merece no meu entender uma abordagem mais analítica do que superficial, ao contrário do que tem sido feito em Portugal, nomeadamente nas posições oficiais do Sporting respeitantes a este assunto.

O Sporting tem de criar um novo poder. E com capacidade para tal, existem pessoas em Portugal, uma das quais gostaria de abordar num futuro texto, conforme referi ao leitor Mike1906.

Penso que Bruno de Carvalho cometeu um erro de principiante no que respeita a "poder" – desconsiderou cedo demais os empresários e os fundos. Deveria tê-los usado em benefício o Sporting, pois são estes que ainda hoje controlam as instâncias e comunicação social que você tão bem referiu.

Bruno de Carvalho nunca pensou como gestor nem como "homem de negócios". Tal acabou por não ser benéfico para o Sporting.
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 03.11.2016 às 15:19

Caro Drake,

É verdade que BdC e consequentemente o Sporting sofreu as consequências de se meter contra os fundos e empresários... mas eu considero esta ser a sua maior obra! Discordo de si completamente neste ponto!

Eu há muito tempo que digo que é um mito, os clubes dependerem dos empresários e fundos tanto para investir, como para vender... provou-se isso com este mandato de BdC. As maiores vendas de sempre deste ano, são o exemplo de que isso é um mito!

A ausência de fundos, obrigou-nos a virar para o essencial.... aposta na formação, e contratações criteriosas.

O exemplo do Porto e a sua relação com Jorge Mendes demonstram pela enésima vez que estas relações são muito positivas quando serve para vender por muitos Milhões.... mas existe o outro lado da moeda, que fica representado com as dezenas de contratações não prioritárias e respectivas comissões..... tudo somado, o porto perdeu muito com a relação privilegiada com Jorge Mendes.... ele conseguiu transformar uma equipa que lutava pela Champions por uma equipa que nem lutar pelo titulo consegue fazer.

Eu ainda acredito num futebol sem empresários.... devo ser um puritano!

SL
Sem imagem de perfil

De Implacável a 03.11.2016 às 14:15

Caro Schmeichel, poderia começar este comentário dizendo-lhe "bem vindo ao mundo real do futebol" mas sei que anda de olhos bem abertos há muito.
Pena que alguns insistam em continuar a dormitar...
Concordo, obviamente com o seu comentário lúcido e perfeitamente consciente da realidade do futebol mas esqueceu-se de um dado absolutamente crucial: todo o projecto que BdC pudesse ter - não sei se o tinha, não sou um devoto seguidor dele nem de ninguém, apenas amo o SCP e louvo quem ganha, quem conquista - ficou comprometido com a tresloucada contratação de JJ.
SL
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 03.11.2016 às 15:24

Implacável,

A contratação de JJ não tem nada de tresloucada.... foi um acto estratégico consciente!

Goste-se ou não de JJ, ele valorizou e muito o valor do plantel do Sporting. Acha 5M/ano muito pelo JJ?! pois eu vejo as coisas de outra forma, Slimani vendido por 30M€ e João Mário 45M€.

Lembra-se por quanto estavam valorizados estes jogadores um ano antes? pelo Slimani as propostas nem aos 15M chegavam....

Admito que o caminho poderia ter sido feito da mesma forma por outro treinador, mas é uma prova que ninguém me consegue provar...

SL
Sem imagem de perfil

De PSG a 03.11.2016 às 16:19

Desculpe, mas a contratação de JJ foi tresloucada sim.
Não pela qualidade de JJ ou pela mais valia que este representa para o clube, mas sim pelo facto de se ter ido buscar um treinador ao rival e de se achar que para o conseguir era necessário despejar um camião de €s, tendo ainda sido dada carta branca.
Ora JJ nunca seria um treinador barato, mas acredito que por bem menos do que assinou o negócio teria sido alcançado, não me parece que JJ estivesse disposto a ceder às exigências de LFV. Por outro lado, e independentemente do valor, não se pode pagar um vencimento ao nivel dos mais elevados no Mundo e depois não se algo em troca e na mesma dimensão. Não é o que acontece, o JJ está à parte de tudo o que acontece e todos têm responsabilidade menos ele.
O SCP com tudo isto está refem de JJ.
Sem imagem de perfil

De Implacável a 03.11.2016 às 16:22

Sinceramente, não é o salário de JJ que me leva a considerar a sua contratação como um acto tresloucado, é o que ele (não) ganha em campo - os constantes 2013 que ele vai acumulando! Para os 2013 desta vida já lá tivemos um camião deles com José Peseiro á cabeça!
O SCP existe para VENCER COMPETIÇÕES! O resto é secundário!
Nada me diz o valor pelo qual transaccionamos os passes dos jogadores se continuarmos a ter um museu com troféus todos oxidados!
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 03.11.2016 às 16:34

Implacável,

O JJ não tem culpa que nós em 35 anos, só termos sido campeões 2 vezes.... acho que estamos mais próximos de ser campeões com JJ, do que sem ele.
O ano passado fizemos uma época espectacular, e sem ajudas... ao contrário de alguns!
Eu não faço parte daqueles que transformam o JJ, no responsável pelo nosso campeonato ser um campeonato completamente viciado.
Ele tem as suas responsabilidades.... aceito isso.... mas não façamos do Jorge Jesus o responsável por historicamente não sermos campeões!
Sem imagem de perfil

De Implacável a 03.11.2016 às 16:49

Eu também queria ver o Bryan Ruiz fora do SCP... LOOOOOOOOOL!!!
Sinceramente, não vejo em JJ um vencedor. Eu olho para o pecúlio dele no seu anterior clube e vejo 2 campeonatos perdidos - dou de barato o do ano do AVB no fcp - quando tinha um plantel claramente superior ao de qualquer um dos oponentes e umas quantas Taças de Portugal também perdidas. Dispôs de orçamentos e investimento perfeitamente pornográficos para a realidade portuguesa.
Eu, NUNCA teria contratado JJ. Se a ideia era contratar um treinador top e pagar-lhe bem, a opção teria de ser outra.
pessoalmente - e desconhecendo totalmente quanto pediria e se estaria disposto a vir - tentaria a contratação de Rui Faria.
As escolhas mais simples e "inteligentes" seriam Paulo Fonseca ou Vitor Pereira.

Na minha opinião, claro!
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 03.11.2016 às 17:02

Implacável,

Relembro algumas coisas sobre JJ:
- foi ele que quebrou a hegemonia do porto;
- foi ele que finalmente acalmou os críticos de LFV com títulos e bom futebol;
- foi ele que levou o benfica a 2 finais europeias;

Este histórico de JJ deveria ser primeiramente respeitado pelos benfiquistas.... só não o fazem, porque veio para o Sporting. A isto chamo puro ódio dos benfiquistas à nossa instituição....

A minha opinião sobre a contratação de JJ é igual à do Ricardo Araujo Pereira.... que sentido tem um clube que é bicampeão, que normalmente é campeão com mais de 7 pontos de avanço sobre os rivais, dar o treinador ao rival, permitindo ao rival subir competitivamente?! porque foi isto que aconteceu....
Sem imagem de perfil

De Implacável a 03.11.2016 às 18:00

Hum... discordo!

- foi ele que quebrou a hegemonia do porto;
para mim foi o PdC que perdeu a mão ao futebol actual e se deixou ultrapassar pelo seu aprendiz.

- foi ele que finalmente acalmou os críticos de LFV com títulos e bom futebol;
com bom futebol, aceito, mas com títulos, nem por isso! Veja o que sucedeu em 2013. Foi o presidente a acalmar os críticos do treinador.

- foi ele que levou o benfica a 2 finais europeias;
Não! Foram orçamentos e investimento perfeitamente pornográficos e por tratar-se de finais europeias numa competição em que os de orçamentos superiores e ligas mais competitivas, desvalorizam.

JJ é "jeitoso", ganha muitos jogos mas, para um clube como o SCP em que é preciso ganhar TODOS os jogos, não serve. No clube que anteriormente representava, gastavam-se por época entre 25 a 35 milhões em contratações.
Impensável!
Imagem de perfil

De Ricardo Rodrigues a 03.11.2016 às 14:23

Antes de mais: bem-vindo a si e suas opiniões... a racionalidade do caro amigo faz falta neste blog, para contrapor o lirismo de alguns colegas comentadores.

Não me vou extender muito em relação ao post, pois o texto deixa muito pouco a "confrontar", mas responderei à questão "O que será o Sporting depois de Carvalho e Jesus?"
Isso dependerá de BdC. Tal como já afirmei noutras circunstâncias, a saída de BdC pode abrir uma "guerra civil" a menos que seja "controlada" e esse controlo dependerá mais de BdC do que do potencial novo presidente.
BdC se ama o SCP tem de saber que está na hora de deixar a sua liderança e passar para uma atuação de "bastidores", sendo que, após o "desabafo" dele no facebook esta semana, tenho a noção que ele se colou inteiramente ao poder e que só sairá de lá "morto ou preso"! Uma tristeza o que ele veio fazer esta semana...
BdC controla as mentes jovens e enérgicas dos adeptos mais fervorosos e esse é o problema... vão ser os seus soldados, na hora dele deixar o poder...

Antevejo um futuro negro... felizmente passará...

Fortes Rugidos
RR
Sem imagem de perfil

De José Santos a 03.11.2016 às 14:31

Ricardo...

"BdC controla as mentes jovens e enérgicas dos adeptos mais fervorosos e esse é o problema... vão ser os seus soldados, na hora dele deixar o poder..."

O que escreve é a mais pura das verdades. Mas como combater contra este fanatismo fervoroso?
Imagem de perfil

De Drake Wilson a 03.11.2016 às 15:22

Boa tarde Ricardo Rodrigues e José Santos.

Agradecendo a vossa visão acerca do assunto, gostaria de partilhar convosco uma opinião muito minha.

Bruno de Carvalho exerceu, fruto do seu discurso impetuoso e posicionamento de quase "guerrilha", a força de um dogma que abalou o universo leonino. Excluindo qualquer contestação ao seu poder – pela presunção de traição por parte de quem a pratica – o actual presidente inibe invariavelmente a mente da maioria dos adeptos, principalmente no equacionar de uma mudança. Aparentemente, temos de acreditar na personificação das medidas deste presidente como a verdadeira essência de sportinguismo leal e única solução contra todos os males.

Porém, já ficou demonstrado que a fórmula:
10 jogos=4derrotas x 3empates x 3vitórias

... foi o suficiente para provar que nem a "Voz rouca" consegue calar a insurgente contestação que se tem feito sentir. Afinal, Bruno de Carvalho não é assim tão forte como as pessoas o imaginam, porque na realidade, toda a contestação que surge é o reflexo natural de dois factores:

- as pessoas querem futebol, de preferência vitórias... não querem guerras. E Bruno é guerra.
- quando surgem os maus resultados desportivos, questiona-se competências não apenas de quem joga, mas também de quem dirige. E na vida, como nos próprios discursos, Bruno de Carvalho nunca foi assim tão competente, e os adeptos sabem disso. A sua competência, quanto muito, está nas brumas da memória – uma supertaça e uma Taça de Portugal, que são dois títulos que não matam a fome ao sportinguista. Nem mesmo o sorriso de Évora, ou a "vingança" com Markovic, por muito que Bruno de esforce. Até na corrida à televisão com o caso "vouchers", Bruno falhou...

Jorge Jesus é a chave para a queda de Bruno de Carvalho. Porque Jesus já provou um dia que foi competente. Podemos acreditar que o seu êxito será reeditável? Sim, claro. Já Carvalho, teve êxito em quê propriamente?

Entre Jesus e Carvalho, só tem agora de aparecer um nome sonante e surpreendente para que os adeptos finalmente compreendam o tem estado a faltar ao Sporting. Jesus sem estrutura, não vence. Bruno, não tem estrutura.
Imagem de perfil

De Ricardo Rodrigues a 03.11.2016 às 15:39

Infelizmente a história mostra-nos 2 soluções possíveis nestes casos:
- Ou BdC põe o amor ao SCP à frente do seu ego e permite-se com uma saída airosa, onde poderá ele até manter-se com outro tipo de funções;
- Ou em caso de derrota, será a tal "guerra civil" da qual tivemos em 2011 um pequeno "aroma". Nessa altura ele contava com uma fileira de seguidores diminuta, neste momento contará com muitos mais... já para não falar de todos os favores que ele terá por cobrar...

Agora, que será necessária muita diplomacia, sim sem duvida... mas é um autentico "berbicacho"...

Já agora, esta nova "saída" de BdC a atacar já futuros oponentes, é inteligente, pois surge precisamente no momento em que ele se sentiu a perder algum chão... o jogo com o Tondela foi sem dúvida um momento que deixou BdC sem sono e acredite que não foi pelo resultado... foi mais pelas consequências, pois pela 1ª vez BdC viu-se publicamente contestado num local que ele acreditava dominar.

Cumps
RR
Sem imagem de perfil

De Pedro Miguel a 03.11.2016 às 14:31

Boa tarde a todos.

Não me vou alongar nos comentários, uma vez que o tema me parece muito circunscrito a sportinguistas.

No entanto, não queria deixar de constatar 2 coisas...

1º São posts como este que me fizeram gostar tanto deste blog. Muito para além do "futebol jogado", analisa-se aspectos que qualquer amante do desporto rei devia compreender.

2º Penso que, ainda que "obrigado" pelos bancos, o caminho que o SCP estava a tomar, apostando numa clara contenção de custos, e aposta nos jovens na equipa principal, poderiam não lhes dar títulos agora mas, a breve prazo, poderiam tornar o SCP na maior potência futebolística nacional. O clube estava a reestruturar a sua dívida e a crescer (lentamente). Quando se tornasse sustentável, seria temível.

Cumprimentos
Sem imagem de perfil

De J Alves a 03.11.2016 às 14:58

Os 3/4 primeiros parágrafos eram desnecessários.

Futebol é o momento e os anteriores 30 anos jamais voltarão. Para o bem e para o mal.

O actual Presimente BdC antes de ser sportinguista e defender os interesses do SCP quer é o seu bem pessoal. Tal e qual como PdC e LFV... não sejamos ingénuos.

Só que a diferença é que PdC e LFV têm títulos, obra feita para mostrar. BdC mandou construir um Pavilhão que já foi pago 3 vezes e ainda não está pronto!!


Sem imagem de perfil

De Jose Nunes a 03.11.2016 às 17:31

Excelente texto! Revejo quase todos os meus pensamentos e ideias neste documento.

Só quero aqui realçar um ponto relativo aos 2 últimos campeonatos ganhos, mas em particular aquele ganho com o Inacio como treinador.

Quem não se lembra de o presidente Roquette vir dizer alto e bom som pras tvs que o Sporting tinha arranjado condições pra ser campeão ano sim ano não!

Fomos campeões recuperando 7 pontos de atraso, na altura obviamente fiquei eufórico, hoje olho pra trás e pergunto-me quanta verdade teve aquele campeonato se até o porto empatou na última jornada, dando-nos a possibilidade de sermos campeões sem precisar de ganhar?

Cumprimentos

Sem imagem de perfil

De carlos a 03.11.2016 às 18:32

Quando estas duas personagens saírem, o Sporting viverá os piores dias da sua historia.

Não porque eles façam falta, o que é manifesto que não fazem, mas pelo seguinte:

Já tivemos muitos presidentes e treinadores nos ultimos anos. Houve muitos erros e muita estupidez, mas houve uma coisa que foi transversal a todos os Presidentes passados. Eles apostaram, investiram, mantiveram e melhoraram a nossa formação. Dentro da trapalhada toda que foi sendo feita, sempre tivemos bons jogadores a surgir, sempre dominamos as convocatórias para as seleções e sempre lançamos dezenas de jogadores com qualidade que, embora muitas vezes não rendessem milhões, sempre foram rentáveis.

As coisas corriam mal mas sempre conseguiamos vender umas pérolas para contrapor resultados negativos (veja-se as vendas de bdc para equilibrar as contas: bruma, ilori, Dier etc). Não são Ronaldos mas deram dinheiro.

Ora, bdc, com o seu amigo vendedor de eletrodomésticos de seu nome Virgilio, destruiram a formação. Enfiaram lá um bando de incompetentes (a equipa B já teve prai 6 treinadores), encheram aquilo de jogadores de terceira categoria que nem na primeira divisão teriam lugar (gastando milhoes) e estrangularam os poucos jogadores com futuro que lá estavam.

Bdc em quatro anos destruiu o maior patrimonio do sporting e equacionou todo o futuro do clube, pelas razões que expus.

Esta será a maior ressaca que alguma vez vamos ter de ultrapassar, uma autêntica tragédia que foi orquestrada com o apoio e a conivência de muitos adeptos que vão atrás do populismo a da idiotice. Espero que muitos que tiveram aqui anos a comentar e a dizer mal do camarote leonino olhem bem para si mesmos quando isto surgir.

Não digo que a culpa seja vossa, até porque a natureza não nos agraciou a todos com o minimo de intelecto, mas mesmo assim.

Imagem de perfil

De Drake Wilson a 04.11.2016 às 02:30

Boa noite Carlos.

Esta presidência de Bruno de Carvalho é fundamentalmente um reflexo da ausência de opções, ideias, verdadeiros líderes e pessoas credíveis que surgiram junto da massa de adeptos, aquando das últimas eleições.

Os adeptos são fundamentais ao nosso Clube, mas em boa verdade estes – principalmente a perigosa proximidade que as claques foram criando junto das direcções – também são responsáveis pelo vazio de ideias de 2011 e 2013. Os que geraram Bruno de Carvalho, foram os mesmos que correram com muita massa crítica que em torno do Sporting poderiam vir a mostrar-se extremamente úteis.

A grande cartada que mobilizou o voto em Bruno de Carvalho, para além do observado haraquiri dos responsáveis pelas restantes candidaturas, foi a criação de um cenário de que investidores estrangeiros estavam à porta do Sporting para o salvar. Passados poucos meses já os fundos eram os inimigos do futebol, e afinal não havia dinheiro nenhum... Mas como Bruno tratou logo de arranjar "frentes de batalha", os adeptos seguiram-no e mobilizaram-se.

Os adeptos nunca se questionaram sobre o engodo em que tinham caído – foram precisas 4 derrotas e 3 empates em 10 jogos...
Imagem de perfil

De Drake Wilson a 04.11.2016 às 02:43

Boa noite José Nunes.

A sua observação fez-me ponderar igualmente sobre o porquê de se ter corrido com Roquette do Sporting, cedendo sempre os adeptos à ansiedade do imediatismo...

Comentar post


Pág. 1/2





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo