Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Contra a força não há resistência

Rui Gomes, em 07.01.16

 

GAqAajZ.png

 

Na realidade, escolhi o título do post ao intervalo do jogo no Bonfim, desconhecendo, obviamente, que o Sporting viria a marcar mais três golos nos seguintes quinze minutos. Não pretendo, com isto, ridicularizar o Vitória de Setúbal, mas o Sporting foi simplesmente muito forte para o seu adversário neste dia.

 

Y7AZ3BCZ.jpg

Jorge Jesus não surpreendeu com a sua escolha do onze inicial. Referimos no post sobre a convocatória que era expectável a integração de Bruno César de imediato. Que o médio brasileiro acabasse por fazer uma excelente estreia com dois belos golos, não estava, para ser sincero, nas minhas previsões. 

 

Um Sporting a jogar com muita confiança, compacto e muito bem posicionado no terreno. A defesa que defrontou o FC  Porto, no sábado passado, ficou intacta, tal como prevíamos, e esteve novamente impecável. A maior diferença no meio campo terá sido um William Carvalho muito mais activo, mais sobre o corte e quase sempre eficaz com a bola nos pés.

 

C12ZX2KG.jpg

Como já tive ocasião de observar em comentário, o Sporting alinhou praticamente sem extremos naturais, com Bruno César a cair mais para a ala esquerda e João Mário para a direita. Ambos, sempre que a oportunidade se apresentava, a fazer jogo pelo interior, em diagonal, e, na realidade, seus três golos surgiram em zonas frontais.

 

Seis golos, todos merecedores de destaque, com porventura a mais bela jogada a verificar-se no segundo tento de Slimani, aos 52', com João Mário a lançar Bryan Ruiz e o costa-riquenho a fazer um cruzamento perfeito para a cabeça do avançado argelino do Sporting.

 

Belos remates, para golo, de Bruno César assim como João Mário, uma extra dimensão ao jogo deste muito elegante médio leonino. Bom pormenor técnico de Aquilani, que foi servido por João Mário, para o sexto e último golo da partida.

 

Nada dava para prever esta goleada no Bonfim. Que aconteceu, é apenas e tão só por mérito do colectivo verde-e-branco, desde os técnicos aos jogadores. Bela exibição que garante a continuidade do Sporting no topo da tabela classificativa - agora com 4 pontos de vantagem sobre o FC  Porto, que empatou (1-1) com o Rio Ave - e mais um jogo de teórica elevada dificuldade, pela visita do SC Braga a Alvalade, no domingo.

 

wdiag.jpgimg_467x599$2016_01_07_02_56_24_1047637.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:11

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


30 comentários

Sem imagem de perfil

De Angelo Pereira a 07.01.2016 às 01:15

Caro Rui como lhe disse há alguns dias num post seu temos algumas hipóteses de
sermos campeões e bebermos uma taça de champanhe em Maio. Infelizmente na
vida dos que têm perto de 60 anos não o fomos muitas vezes por isso temos que
cerrar fileiras todos juntos para o conseguirmos, pois não tenho dúvidas que os
nossos rivais vão fazer de tudo para nós não conquistarmos o título, quem conhece
o desporto em Portugal e a influencia que os vermelhos têm sabe que é muito difícil
ter um círculo virtuoso só Pinto da Costa o conseguiu e todos sabem como, por isso
é preciso que a maioria dos sportinguistas que tenham influencia a exerçam para o
nosso clube conseguir uma era vencedora, tenho fé que isso venha a acontecer e eu
ainda veja.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 07.01.2016 às 03:55

É verdade que ainda temos um longo percurso pela frente. O melhor é encarar um jogo de cada vez, desse modo não causa tanta aflição.
Sem imagem de perfil

De Joe Parsons a 07.01.2016 às 10:01

Como Benfiquista e com alguns anitos (décadas) de Portugal e de "futebol português" :-) - apenas como espectador - vejo no Sporting tem uma boa equipa, um modelo e uma dinâmica de jogo empolgantes, em suma, um futebol suficiente para ser campeão. Porém, ninguém pode prever que não aconteçam avarias, falta de combustível e/ou algo de inesperado ao "Ferrari" do Jorge Jesus durante a segunda volta (como se diz na minha terra, "shit happens" - perdoem a linguagem).
De qualquer forma, esse "Ferrari" pode continuar a render se derem ao Jorge Jesus o que ele precisa: apoio. Não tanto ao treinador que quer vencer ao comando do seu "clube do coração", mas ao treinador que quer provar que só ele tem "andamento" para o "aquele Ferrari" (leia-se, Benfica). :-)
Saudações

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo