Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

 

O nosso amigo Dr. José Manuel Meirim - especialista em Direito do Desporto - emitiu uma interessante opinião sobre o actual conflito entre a Liga e os Clubes que a constituem, nomeadamente que a pretensão destes em quererem destituir o presidente do executivo "não ofende a lei", dado que é um "direito dos associados".

 

Como é do conhecimento público, o presidente da Assembleia Geral da Liga Portuguesa de Futebol Profissional - Carlos Deus Pereira - já indeferiu diversos pedidos pelos Clubes de um reunião magna visando a destituição do presidente do organismo, Mário Figueiredo. Entende o Dr. José Manuel Meirim que este pedido de destituição "não ofende a lei e não ofende os estatutos e que pretende preencher o exercício de um direito dos associados."

 

Tão ou mais importante, opina o jurista, os estatutos e o Direito em geral prevêem este tipo de assembleias gerais,  e que "não compete ao presidente fazer qualquer juízo sobre o valor da questão da fundamentação, porque senão fica na mão do presidente da Assembleia Geral nunca haver esse debate no órgão único que tem a competência para decidir a destituição por justa causa (o termo mágico, novamente, "justa causa").

 

Este argumento evidencia-se pelo sentido que faz. Quanto ao que constitui "justa causa" para a destituição do presidente do executivo, desconheço as considerações estipuladas nos estatutos da Liga, mas quero crer que não serão muito rigorosas, tendo em conta que os clubes são, para todos os efeitos, a "entidade patronal" e o presidente do executivo um "empregado". Considera o Dr. Meirim que há amplo fundamento para anular o terceiro indeferimento da convocatória de uma assembleia geral da Liga por violação dos estatutos e, assente neste argumento, os Clubes podem agora recorrer para o Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol.

 

Cada vez mais, o futebol, desporto e indústria, alarga os seus horizontes operacionais muito além de somente dar "quatro pontapés na bola".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:08

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


14 comentários

Sem imagem de perfil

De Mike Portugal a 26.02.2014 às 08:27

Um bocado off-topic deste post, eis a diferença entre um jogador do SCP e do SLB que fazem exatamente a mesma coisa, mas veja-se o tratamento que um recebe e que o outro não.

http://www.youtube.com/watch?v=S6lCwOhCalw
Sem imagem de perfil

De L a 26.02.2014 às 11:44


Para além de outras coisas fantásticas que fizemos sempre na Next Gen, um escalão de formação e que falta que faz a Alcochete, parece a mesma decisão mas só parece. Enquanto o sérvio só complicou com um lado da baliza todo escancarado, Mané embalado ligou o descomplicador à saída rápida do GR. E dando a 1ª época de barato para os dois jovens ainda vamos ver quantos jogos faz na próxima época um jogador que chega de fora com o rótulo "Muito Frágil - Cuidado não quebrar".
Sem imagem de perfil

De L a 26.02.2014 às 12:21


E para não ser totalmente injusto com o Markovic, como também é mais que óbvio, é inegável uma capacidade que muitos lhe apontam, a de acelerar o jogo com a bola nos pés, que muitos jogadores formados em Alcochete voltam a ter. Inclusive um Cavaleiro que nós deixamos fugir e que entretanto também já desapareceu. Como também volta a não se perceber como é que Jesus vai jogar com Sálvio e Gaitan que dão muito mais ao jogo, Markovic, Rodrigo e Lima. Costuma ser assim que Jesus se perde. Algum vai ter que se juntar ao resto da companhia que chegou da Sérvia esta época.
Sem imagem de perfil

De Sim Abelha a 26.02.2014 às 12:02

Não deixa de ter graça que este presidente da AG tem uma visao exactamente oposta ao nosso presidente da AG o ano passado... e quanto apostariam se houvesse uma iniciativa igual este ano o nosso novo presidente da AG seguiria a mesma teoria do da Liga?
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 26.02.2014 às 12:34

Por mero acaso pensei nisso enquanto preparava o post.
Sem imagem de perfil

De L a 26.02.2014 às 12:59


E quem é que não pensou? Sobretudo quem dizia que tinha 15 páginas de justa causa. Afinal não foi preciso nenhuma.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 26.02.2014 às 13:39

Sem ser novidade alguma, pela ampla evidência disso neste espaço, não deixa de ser curioso como questões que são de facto importantes para o futebol português, em geral, passam praticamente sem comentário, mas se a discussão fosse sobre um fora de jogo qualquer, ou um golo, tínhamos debate para o dia inteiro.
Sem imagem de perfil

De L a 26.02.2014 às 15:55


Assim facilita mais as coisas,

http://www.record.xl.pt/Futebol/Nacional/1a_liga/interior.aspx?content_id=870084

Isto é tudo verdade e o que realmente importa ao futebol português e foi com estas promessas de distribuir mais dinheiro que o Figueiredo ganhou as eleições com os clubes pequenos e o Porto perdeu. O problema é que o futebol português não interessa ao Benfica nem ao Porto, infelizmente o Sporting nem é tido nem achado, mais interessados em controlar a arbitragem e a disciplina e bloquearam o Figueiredo desde o 1º dia que nem se mexe. Como controlar os governos - que era quem já devia ter obrigado a centralizar os direitos televisivos na Liga há muito tempo - nunca foi problema em Portugal tudo na mesma como a lesma. A única diferença nos últimos anos foi que apareceu o Bruno a fazer barulho.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 26.02.2014 às 16:13

Por tudo isso e mais, e por eu reconhecer que este actual diferendo, entre outros, fazem parte do tal "sistema" de que nós tanto nos queixamos, é que me surpreende não haver um debate mais profundo por parte dos adeptos, e especialmente pelos sportinguistas, os mais afectados.

Isto que está a decorrer não surgiu ao acaso e obedece a uma estratégia que visa consolidar forças nos corredores obscuros do poder. BdC pensa ou diz que é em prol do melhoramento do futebol português, mas está muito enganado
Sem imagem de perfil

De L a 26.02.2014 às 16:26


Como o caro Rui escreveu noutro dia, o que o Bruno diz ou deixa de dizer não é propriamente para se escrever. O verdadeiro poder e o dinheiro até aqui sempre esteve nos direitos televisivos e actualmente também nas apostas, através dos quais a Olivedesportos e o Porto sempre controlaram os clubes e o campeonato português. Poder que o Benfica se dispôs a disputar e não é de hoje, o Joaquim Oliveira já chegou a estar de gatas, na altura safou-se com a participação na PT que interessava a alguém que também manda e o Vale Tudo também caiu entretanto. Os clubes estão todos falidos e já não podem mais, nunca foi tão fácil contar espingardas.

Sobre o problema de fundo dos direitos televisivos basta pensar como é nas Ligas com os clubes mais ricos.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 26.02.2014 às 17:21

Sim caro L, isso que descreve é parte do problema ou, se desejar, consequência do problema. O que está à raiz de tudo, é o centro do poder e como ele poderá ser exercido. Se ler cuidadosamente as declarações de PC que publicámos recentemente, os seus argumentos, que visam a essência do poder, até fazem algum sentido, no contexto entidade patronal (clubes) e empregado (presidente da Liga). Na realidade, o que aparenta ser pretendido pode ser interpretado deste modo: os clubes elegem um presidente para o executivo da liga que, em princípio, é da sua inteira confiança, no entanto, de acordo com o que pretendem agora modificar, essa confiança é muito limitada, ou seja, não confiam na pessoa o suficiente para lhe permitir a liberdade de nomear a equipa com quem vai trabalhar na Liga, porque, segundo o que os clubes dizem agora, querem ser eles a indicar/autorizar esses elementos. Analisando pelo ponto de vista de PC, e mais alguns, faz sentido, porque deste modo, indiferente de quem for presidente, eles poderão continuar a exercer sua influência através de quem for nomeado para a equipa do presidente, em princípio da escolha deles. Aliás, nada disto é novidade porque é precisamente por estes meios, entre outros, que PC e o FC Porto, e de algum modo inferior, também o Benfica, têm controlado os corredores do poder. Em última análise, tudo faz parte integral do tal "sistema" que tanto evocamos para tudo e mais alguma coisa.
Sem imagem de perfil

De L a 26.02.2014 às 20:13


Eles confiarem até confiam, no palhaço deles. Desta vez e contra todas as expectativas saiu ao lado. Taça da Liga sem patrocino, verbas de publicidade que não chegam aos clubes desesperados, um autêntico polvo. Com governos que gostam tanto da transparência e da concorrência que legislam para grupos de media mudarem de mãos e ninguém conseguir aceder à estrutura accionista, autênticos fantasmas. Desde que o dinheiro entre, como nos vistos dourados. Uns autênticos liberais. A mediocridade é tanta que os grandes ainda não devem ter percebido que não é possível crescer sem os pequenos. As grandes Ligas são as Ligas mais competitivas.
Sem imagem de perfil

De Tywin Lannister a 28.02.2014 às 06:26

Em relação aos direitos televisivos, tanto o Benfica como o FC Porto, tal como o Sporting, têm a perder com a respectiva centralização, que de nada serve, se não os venderem por esse mundo fora, em especial no Sudoeste Asiático e Extremo-Oriente.


Quanto às apostas desportivas e dinheiros que daí possam vir para os clubes, só na forma de patrocínios, porque da maneira que o governo quer fazer as coisas (à francesa, mas com um toque à portuguesa), a coisa vai acabar por não acontecer, pois a haver algum dinheiro, o mesmo irá todo para a SCML, que dificilmente irá dar algum a ganhar aos clubes, a menos que patrocine a Liga por umas duas ou três temporadas como fez a bwin, o que já não era nada mau...

E depois há os senhores dos casinos, desejosos de aceder ao jogo online...
Sem imagem de perfil

De L a 28.02.2014 às 20:35


Não é verdade que os grandes percam com os direitos televisivos na Liga, aliás nesse caso não se percebe porque é que também dizemos tão mal da Olivedesportos, que não distribui mais de 50% dos lucros. O caro por acaso conhece as rentabilidades negociadas noutras Ligas?

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo