Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Fotografia com história dentro (59)

Leão Zargo, em 13.08.17

 

20586481_OPyyO.jpg

  

Abrantes Mendes e a tentativa por Pelé

 

A vida de António Abrantes Mendes cruzou-se com o Sporting durante quase meio século. Na realidade, começou em 1926 nos juniores e vestiu a camisola leonina até 1939, tendo integrado uma linha avançada precursora dos “Cinco Violinos”, com Mourão, Gralho, Valadas e “Abelhinha”. Depois, jogou ao lado de outros grandes nomes como Peyroteo, Pireza, Soeiro e Francisco Lopes. Chamaram-lhe o “avançado doutor” por se ter licenciado em Direito. Vestiu a camisola das quinas por duas vezes.

 

Quando terminou a sua carreira de jogador de futebol, Abrantes Mendes continuou ligado ao Sporting. Foi “olheiro” (por exemplo, descobriu o avançado João Martins na CUF), treinador (dos juniores por várias vezes, da equipa principal em 1945-46 e adjunto de Cândido de Oliveira), dirigente (fez parte das direcções dos presidentes Joaquim Oliveira Duarte e António da Cunha Rosa) e Secretário Técnico da equipa que conquistou a Taça dos Vencedores das Taças, em 1964.

 

O jornalista Afonso de Melo publicou no jornal i (11.8.2017) uma história verídica sobre o dirigente sportinguista, mas pouco conhecida. Aconteceu no início de 1964 quando ele foi ao Brasil tentar contratar Pelé. O Sporting possuía um plantel fortíssimo, que se equivalia ao do Benfica, ficando apenas a perder pelo desempenho de Eusébio que frequentemente desequilibrava nos jogos decisivos. Por sua vez, o craque do Santos atravessava um tempo conturbado no clube que o acusava de pouco empenhamento e de aburguesamento. E que se queixava demasiado de lesões.

 

No Brasil, Abrantes Mendes entrou em contacto com os dirigentes santistas, apresentou uma proposta financeira, que no entanto não foi aceite. É que, entretanto debelada uma lesão, Pelé levou o Santos à vitória no Campeonato Paulista, sendo o melhor marcador da competição, e teve um papel decisivo na goleada por 5-1 à Inglaterra, no Maracanã, em Maio desse ano. Um pouco por essa razão, o Secretário Técnico leonino regressou a Lisboa de mãos a abanar e Pelé ficou no clube brasileiro ainda por mais dez anos, até 1974.

 

Na fotografia, equipa leonina em 1935-36

 

Em cima: Martinho de Oliveira (capitão-geral), Faustino, João Correia “Abelhinha”, Rui Araújo, Jurado, Vianinha, Azevedo e Wilhelm Possak (treinador);

 

Em baixo: Abrantes Mendes, Pedro Pireza, Manuel Soeiro, Adolfo Mourão e Francisco Lopes.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:25

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo