Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

Sporting-na-Champions.jpg

 

Basta um telemóvel, uma aplicação básica de edição de imagem e criatividade para se fazer o que, no outro dia, encontrei algures numa rede social — era uma montagem dividida ao meio, com quatro fotografias de cada lado, para mostrar quem era o melhor passador, o melhor driblador, o melhor rematador e o melhor organizador de jogo do Real Madrid e do Barcelona (peço-vos paciência, que isto já deverá fazer sentido). À esquerda, cada categoria tinha um jogador distinto do clube da capital espanhola mas, à direita, todas as quatro divisórias tinham fotografias do mesmo rapaz, batizado pelos pais de Lionel Messi.

 

A montagem tem a sua piada, mas a mensagem subliminar que dela se retira para este texto é que, no Barcelona, há uma pessoa que é cada vez maior do que o clube que tem como lema “més que un club” e que, neste século, já ganhou a Liga dos Campeões por quatro vezes.

 

Esse pequeno argentino, futebolista genial, pode ter sido a primeira coisa a vir à cabeça quando, há duas semanas, o Sporting ficou a saber com quem vai partilhar o grupo na competição — porque há poucas coisas piores no mundo do futebol do que jogar contra os catalães, ainda mais quando, na única vez em que se encontraram, o Sporting sofreu duas derrotas, oito golos e uma goleada caseira (2-5, em 2008/09) para amostra. Com Messi a marcar, ainda por cima.

 

Mas, como a miscelânea de pontos, rankings e coeficientes colocou o Sporting no pior dos potes (4) para o sorteio, na sina dos leões também calhou a Juventus. E os italianos, hexacampeões no seu país, finalistas vencidos de duas das últimas três edições da Champions, cheios de estrelas, têm Paulo Dybala, outro pequeno argentino, jogador genial, que é para eles o que Messi é para o Barcelona. É o começo e o fim de tudo o que de bom eles fazem com a bola. Ou seja, perante dois gigantes mais apetrechados em jogadores, dinheiro, prestígio, títulos e probabilidades, o Sporting terá de olhar nos olhos da equipa que sobra, o Olympiacos.

 

Os gregos têm 19 campeonatos ganhos nos últimos 21 anos, diz-se que são empurrados pelo ambiente do estádio cheio, estão habituados a dominar, a controlar e a ganhar na terra deles, mas, na Liga dos Campeões, só saíram vivos da fase de grupos em três épocas desde 2007. E o bom para o Sporting é a teoria, que parece estar do seu lado quando os gregos estão do outro.

 

O clube de Alvalade terá melhores jogadores, melhor treinador e melhor equipa do que o Olympiacos, que esta época gastou €13,3 milhões em contratações, menos de metade dos quase €28 milhões investidos pelos leões. Pelos números em que nos fiamos antes de a bola rolar no campo, o Sporting tem quase a obrigação de vencer os gregos na primeira jornada da fase de grupos (terça-feira, 19h45, SportTV5). Mesmo que a partida seja em Atenas e que haja André Martins, Diogo Figueiras, Mehdi Carcela ou Felipe Pardo, caras conhecidas do futebol português, a vestirem à Olympiacos.

 

Ali não há um ‘mega-hiper-extraordinário-craque’ que centralize tudo e que monopolize montagens de fotografias. Portanto, em caso de vitória, e presumindo que haverá um derrotado no jogo Barcelona-Juventus, o Sporting pode começar a Champions como líder e com meio caminho feito para, se não conseguir contrariar a teoria com a prática, acabar pelo menos na terceira posição, que equivale à Liga Europa.

 

Diogo Pombo, jornal Expresso

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:00

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


5 comentários

Imagem de perfil

De PSousa a 12.09.2017 às 12:07

Um bom texto mas que peca já por uma coisa, a estação principal a emitir o jogo é a RTP1 que se pode ver no canal 1 ou no 301 em HD, por isso a transmissão na SportTV5. (É que nem todos tem a SPTV)
Em relação a haver dois gigantes do futebol europeu no nosso grupo, foi a sorte que assim o ditou e por estarmos no pote 4 (culpa nossa). Mas deixo aqui uma esperança de ver o Sporting a repetir as exibições dos jogos com o Real Madrid e Borussia e se assim for acho que tiramos pontos a Barcelona e Juventus.
Acho que o SCP não tem a obrigação de vencer na Grécia, mas que tem capacidade para o fazer, isso tem! Basta apresentarem o futebol que foi apresentado na Roménia e não cometerem os erros de lá!
Boa sorte para todos os clubes portugueses!

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo