Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O futebolicídio dos europeus

Rui Gomes, em 26.07.17

 

Europa criou o maior toxicodependente de todos os tempos. E ainda não lhe chega.

 

19668301_GZJst.jpg

FC Porto e Sporting focam-se na teia de poder do Benfica, que julgam ameaçá-los e excluí-los. O Benfica, maquiavélico, imagina-se realeza e candidato (candidato único!) a um lugar na mesa dos ricos da Europa, ou pelo menos às migalhas que eles deixarem cair, neste golpe de Estado à Erdogan que as quatro grandes ligas puseram em andamento na UEFA.

 

A Liga não consegue sair das conversas à Octávio Machado e do dossiê retretes de balneário, assembleia sim, assembleia não. E a FPF delira com o sucesso das selecções nacionais, como todas as federações fariam, porque não me lembro de nenhuma que pensasse para além disso. São os quatro mundos à parte em que vivem as maiores instituições do futebol em Portugal, enquanto o verdadeiro futuro do campeonato português e a expressão internacional dos clubes vão sendo obliterados, às pazadas de 50 e 80 milhões de euros injectadas nas veias roxas e salientes do maior toxicodependente de todos os tempos, que é o futebol europeu.

 

Confirmado, e reconfirmado, o efeito inflacionista dos últimos contratos televisivos das ligas inglesa (sobretudo esta) e espanhola, cada transferência alucinada e cada salário demencial são atentados aos países pequenos e vistos gold para o banditismo descontrolado que tomou conta da FIFA, das transferências, talvez da Federação espanhola e sabe-se lá de mais quantos organismos. O Manchester City gastou 183 milhões de euros em três laterais (dois para o mesmo lado, obviamente) e um guarda-redes. É monopólio, açambarcamento, obscenidade, luxúria, descaramento, cegueira, degradação, inconsciência. Mas parece que no futebol do século XXI só se encontra dois tipos de pessoas: os demasiado espertos e os que pensam que são espertos o suficiente.

 

 

José Manuel Ribeiro, jornal O Jogo

 

 

img_infografias$2017_07_25_13_44_55_1294141.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:55

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


19 comentários

Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 26.07.2017 às 09:06

As pessoas que hoje deliram e elogiam a Premier League, deveriam perceber que a Premier League só é o que é devido a uma alteração de politica.... transformação dos estádios, centralização e distribuição igualitária dos direitos televisivos, abertura a jogadores e treinadores estrangeiros. Foi isto que criou a melhor Liga do Mundo!

O que fez Portugal? o clube com cerca de metade dos adeptos do pais decidiu que o bolo televisivo tinha de ir todo para ele, aumentou-se o nº de clubes na I Liga, e discute-se se podemos ou não fumar cigarros electrónicos....

A super gestão da Premier League ficou demonstrada com o titulo do Leicester, só possível num país sem cartilhas e sem dogmas para apenas 3 grandes, lá respira-se desporto, lá respeita-se todos os clubes.... não existe aquela ideia de que os pequenos vivem à custa dos Grandes.... lá todos são Grandes! Por isso são a melhor liga do Mundo, e continuarão a ser.... a diferença irá aumentar para campeonatos como o nosso, onde a visão colectiva é nula!
Sem imagem de perfil

De Maria Celeste a 26.07.2017 às 10:06

O Boavista também foi campeão!
Devias comparar a liga Inglesa com a Espanhola a Francesa a Alemã ou até a Italiana, nunca com a Portuguesa.
-Dimensão geográfica
-Dimensão populacional
-Nivel de vida
Estamos em desvantagem em todas as vertentes,país pequeno, população envelhecida e pobre, muita emigração jovem.
Se calhar e depois de bem analisado, chegaremos à conclusão de que se tem feito milagres no futebol Português. 
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 26.07.2017 às 11:26

O titulo do Boavista pouco teve a haver com desporto.... mas sim com esquemas de influências!
O único clube que tem um projecto sustentável de aproximação aos Grandes é o Braga.

Depois, relembro que a Liga inglesa há 15 anos ficava bem atrás da liga espanhola e italiana.... o que aconteceu para esta mudança? não foi uma questão de economia do pais, mas sim uma mudança do paradigma do futebol inglês....

Concordo que o futebol português comparado com os restantes sectores da Economia está acima... mas a realidade é que em Portugal o único desporto que conta é o futebol... ao contrários dos restantes países europeus. Nós se tivéssemos melhores dirigentes desportivos, creio que poderíamos estar muito melhor.

Nem tudo é dimensão populacional, falta aí o conceito de identidade regional e espírito critico... por exemplo o Chaves é um bom exemplo de um clube representativo de uma região. Mas onde anda o Académico de Viseu? o Farense? o Leiria? o Beira-Mar?

Portugal é o pais da Europa onde maior percentagem é de apenas um clube.... isto é demonstrativo de ignorância colectiva e um resquício do Estado Novo.... falta melhor distribuição das receitas, para que o campeonato seja mais equilibrado e que atraia mais investidores para os clubes pequenos, este é o único caminho possível para evitar um maior desfasamento para os restantes campeonatos europeus.... senão corremos o risco de sermos um campeonato escocês ou grego!
Sem imagem de perfil

De Carlos N.T. a 26.07.2017 às 11:31

Não digas isso!!.. Isso não conresponde à verdade..
Parece, mas não é!!
(Essa discussão fica para outro momento.)
Sem imagem de perfil

De Carlos N.T. a 26.07.2017 às 11:33

Upps!! -
Ao primeiro parágrafo me referia
Sem imagem de perfil

De Carlos N.T. a 26.07.2017 às 11:28

Milagres!??.. Só se for o de Fátima.

A dimensão geográfica e populacional não é o factor.
A Inglaterra tem 130. 279 Km2, etc, etc...
A dimensão pensante talvez!

Se a Premier League é o que é deve-o a esa dimensão. Pensar, analisar, descobrir, agir, produzir...
Não é mais do que fez o Infante D. Henrique.. Num País de 1 milhão de habitantes, naquela época.

A força económica da Premier League está fora da Inglaterra.. Na Ásia especialmente.
Pobre dos "bifes" se só pensam-se no seu território. :)))

P. S.. O JM Ribeiro acertou..
Sem imagem de perfil

De Carlos N.T. a 26.07.2017 às 11:51

-".. dois tipos de pessoas: os demasiado espertos e os que pensam que são espertos o suficiente." -
Três, três!! .. Falta aí "nós", os que migalha(do género, igreja) a migalha enche o papo aos outros dois tipo de pessoas.
Somos uns papalvos!
LOOOOOOOOOOOOLL!!!
O amor é ...... Brutal :)))
Sem imagem de perfil

De PSG a 26.07.2017 às 13:27

A sua cegueira em relação ao Benfica é de uma dimensão tal que nem é capaz de fazer uma análise....vá imparcial deste assunto.

Atendendo à dimensão e capacidade económica do nosso pais. Fazer essa justiça que fala, à "Robin dos Bosques", nomeadamente no que diz respeito aos direitos televisivos daria origem a uma liga sem clubes grandes, esqueça SLB, SCP e FCP como são atualmente, ficariam nivelados em termos financeiros a, por exemplo, Braga. Como vemos aliás em muitas das pequenas ligas por essa Europa fora, nunca mais teriamos clubes Portugueses a tentar chegar "longe" nas competições europeias.
Depois a questão das receitas televisivas acaba também por ser o reflexo da massa adepta dos clubes e consequentes audiencias por esta gerada.
Para mim a unica solução passa por reduzir o nº de equipas em competição para 10/12 e aumentar o nº de "voltas" dos campeonatos, ficariamos com uma competição mais interessante, mais renhida e claro capaz de gerar mais receitas sendo necessários então que a negociação e distribuição das receitas televisivas fosse feita de forma conjunta.
Sem imagem de perfil

De Carlos N.T. a 26.07.2017 às 13:51

Só uma pergunta..
Pode-nos dar um exemplo duma Liga a 10/12 equipas forte?
Seja financeiramente, seja desportivamente.??

Não, não me parece que esa seja solução.

P. S. A FIFA e mesmo a UEFA tentam alargar tudo e em Portugal pensa-se em diminuir..
Curioso é..!!
Sem imagem de perfil

De PSG a 26.07.2017 às 16:22

Veja as coisas de outra forma, não existirá nenhuma liga forte com poucos clubes, no entanto também me parece que Portugal é um caso particular, dentro do lote dos paises pequenos nós marcamos a diferença pelo facto do futebol ser cá um fenómeno cultural, nós gostamos de futebol, o futebol aqui é rei, por essa razão temos uma boa capacidade para produzir talentos e potencial para jogar bom futebol pois também temos excelentes técnicos tudo isso junto pode dar origem a uma liga que mesmo não podendo competir ombro a ombro com as grandes ligas pode despertar interesse particularmente nas audiências estrangeiras.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 26.07.2017 às 16:34

Muito do que diz é correcto, embora, na minha opinião, o "fenómeno" cultural português centra-se mais na paixão do adepto pelo seu clube do que propriamente dito pelo futebol.
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 26.07.2017 às 14:42

PSG,

A sua visão sobre a distribuição de receitas, só analisa o actual valor de mercado.... que é baixo e insignificante no panorama europeu! Continuar a estratégia actual.... é afundar ainda mais o campeonato português.
Eu proponha que analisasse o seguinte.... os 3 Grandes em vez de receberem 40/50M, receberiam menos 10M cada um..... isso dividido pelos restantes 15 clubes portugueses daria 2M a mais para cada um, que faz toda a diferença para esses clubes.
Isto é tudo uma questão cultural.... e de visão! Qual o interesse de um estrangeiro em ver um jogo do campeonato português? ver só uma equipa a atacar? Porque razão a liga inglesa é muito mais atractiva do que ver um jogo do campeonato espanhol? a diferença está na competitividade do campeonato inglês....

Portugal poderia e deveria vender melhor o seu futebol..... eu vejo a nossa estratégia somente assente nos 3 Grandes... quando o Braga foi a uma final europeia, o Guimarães, o Boavista, o Setubal já eliminaram grandes clubes europeus.... para não falar do passado da CUF, etc.
Nós nunca conseguiremos manter uma boa posição no ranking, porque são 6/7 clubes a competir, mas na realidade só 3/4 fazem alguns pontos.... isto não é sustentável!

Por exemplo o campeonato belga tem vindo a recuperar nos últimos anos, sendo um exemplo para Portugal, e baseia a sua estratégia num campeonato com 16 equipas e depois um playoff.... não assentaram a estratégia apenas no Anderlecht, como acontece na Escócia ou na Grécia, com o Celtic e Olympiacos.....

Eu defendo clubes pequenos mais fortes, para que os Grandes sejam ainda mais fortes.... isto tem de ser visto como uma estratégia a longo prazo!
Sem imagem de perfil

De Carlos N.T. a 26.07.2017 às 15:53

Uiii!!!..
Dimuindo os ingressos!!??..Assim não funciona.
Distribuição mas, aumentando os ingressos..
Sei que me vais perguntar, como??
Se perguntares ao Drake Wilson, concerteza ele saberá descrever melhor que eu..

Nunca diminuindo. Sim, aumentando
Parece estrano e impossível mas, não o é :)))
Sem imagem de perfil

De PSG a 26.07.2017 às 16:23

Acha mesmo que esses 2M€ fariam assim tanta diferença, fico com a ideia de que nada mudava sendo que os aflitos andariam menos aflitos...
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 26.07.2017 às 17:14

Uma coisa é essencial.... gestão profissional!
A maioria dos clubes pequenos os orçamentos rondam os 3M€.... receber mais 2M iria com toda a certeza ajudar.
Sem imagem de perfil

De hugo gomes a 26.07.2017 às 20:39

Boa tarde
Primeiro de tudo para melhorar o futebol português tem de se mudar a a federação e a liga e por gente decente lá é não porque convém aos clubes grandes,segundo profissionalizar os árbitros e deixarmo nos de ter amadorismos e deixar de ter corrupcao,terceiro os dirigentes desportivos são para dirigir e não para fazerem peixeiradas. Penso que só assim o futebol português pode evoluir.como se pode vender o futebol português com presidentes dos três grandes que invadem estúdios de televisão,que são apanhados em escutas a subornar árbitros ou a tentar bater num presidente de outro clube e a cuspir saliva ou fumo nos corredores para os balnearios?
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 26.07.2017 às 22:07

Boa noite,

O problema do futebol português sempre foi o dirigismo e duvido muito que se veja algum melhoramento significativo no futuro.
Sem imagem de perfil

De Sérgio a 26.07.2017 às 22:28

Os organismos que regem o futebol deste País condescendem com um clube cujos jogadores agridem árbitros e adversários ao ponto de a maioria das equipas adversárias faltar aos jogos com esse clube. Mas não só condescendem durante toda uma época com este tipo de situações, como validam a promoção da equipa infratora para uma divisão acima. E entretanto ainda convidam um dos elementos da equipa infractora para liderar uma claque ("não legalizada") de apoio à Selecção Nacional com mordomias que não são tornadas públicas, quiçá por vergonha. Estamos a viver um dos períodos mais negros do dirigismo nacional de futebol.

O autor do artigo está completamente cego no seu ódio ao Benfica, dizendo que este clube tem uma "teia de poder". Se os dirigentes da Liga e da FPF foram escolhidos pela coligação Sporting-Porto, como é que se pode falar em "teia de poder do Benfica"? Esses chavões não passam de areia para os olhos de adeptos. Até se compreende que os dirigentes do Porto e do Sporting usem esse tipo de argumentos para tentarem alguma arregimentação dos seus adeptos, mas um suposto jornalista independente não o deve fazer. O Benfica tem efetivamente uma situação económica muito melhor do que todos os outros clubes, mas isso não resultou de melhores pagamentos televisivos (o Porto esteve vários anos a receber muito mais do que o Benfica em direitos televisivos e isto é que é bem estranho). Enquanto os dirigentes nacionais não encararem a realidade como ela efetivamente é, a indústria do futebol deste país tenderá a ser cada vez mais insignificante, apesar das boas influências de outros campeonatos europeus. Alguma melhoria só será possível através de uma vassourada geral do dirigismo que se alargue também a muitos comentadores que andam cegos a seguir uma certa cartilha, qualquer que ela seja.

A inveja do sucesso é uma característica cultural nacional e tem-nos impedido de alcançarmos outros níveis de progresso. Esta característica está bem retratada no texto do autor do artigo: "O Benfica, maquiavélico, imagina-se realeza e candidato (candidato único!) a um lugar na mesa dos ricos da Europa".
Sem imagem de perfil

De Slb live a 27.07.2017 às 10:22

É um jornalista ainda para mais de ojogo que se pode esperar sérgio ? O mau da fita é sempre o Benfica. O que eu acho piada é que quando o Benfica era prejudicado pela sport TV em benefício do Porto era um fartote a roubar jogadores mas ai Nunca vi ninguém preocupado. O Benfica teve que crescer e evoluir para hoje ser o que é , e agora ia dividir com os outros ? cambada de hipócritas. Continuem meter o Benfica como o mau da fita. Só em portugal devido a qualidade vergonhosa de comentadores e jornalistas. Lá fora o Benfica é um dos maiores exemplos a seguir não só como clube mas como empresa e de marketing.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo