Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

greed-or-dedication-christian-hidalgo.jpg

 

Foi abordado no primeiro texto desta série, a proximidade existente a nível global entre os parceiros de sponsor e os clubes na Europa, nomeadamente o investimento que as marcas têm feito em interacção com os emblemas. Procurámos aprofundar as razões pelas quais o Sporting tem revelado manifestas dificuldades nesse campo. 

 

As opiniões dos leitores PSousa e m1950 foram unânimes: é fundamental voltar a ganhar títulos com a regularidade de outrora, assim como uma maior frequência nas competições internacionais, afim de permitir maior visibilidade ao nosso clube. Leão 1906 levanta uma importante questão: qual a verdadeira ligação dos adeptos ao clube? Reconhece ainda a fraca exploração da “marca Sporting”, lançando uma necessária reflexão não apenas sobre o trabalho da actual direcção, assim como de anteriores. A diferente génese de natureza associativa dos emblemas, nomeadamente a respeito dos nossos associados, mereceu a pertinente abordagem de Ricardo Rodrigues, que salientou a necessidade do Sporting fortalecer a sua matriz identitária. E para finalizar, mas não menos importante, o “nosso” Leão Zargo debruçou-se sobre dois aspectos essenciais: os constrangimentos de natureza económica do futebol nacional, assim como a reconhecida dificuldade que tem assistido à Direcção em tal materializar com necessário profissionalismo que se exige a uma Direcção, que amiúde revela dificuldades de abordagem ao “negócio” do futebol.

 

Para finalizar esta sequência Clube/Sponsors, até porque as preciosas intervenções dos acima citados foram esclarecedoras, remeto ao leitor um último desafio, em dois passos:

 

Passo #1) Aceda ao site do nosso clube. No imediato, identifique alguma marca presente na Home Page. É necessário percorrer o site todo para finalmente encontrar, de um modo completamente tímido, as referências ao nossos parceiros. Uma questão se eleva: estarão estas marcas ali colocadas de modo gratuito, para uma tão fraca retribuição de exposição por parte do Sporting no seu site oficial?

 

Passo #2) Aceda ao site do clube Manchester United. Proceda à comparação…

 

Assim meu querido Sporting, é difícil…

Vamos então analisar uma diferente matéria, mas igualmente importante: a dinâmica que existe na relação Futebol/Clube/Adeptos.

 

A verdadeira ligação dos adeptos ao clube

 

De acordo com um estudo global de análise estatística levado a cabo em 2015, por uma consultora norte-americana em conjunto com uma empresa europeia de recolha de dados, revelou-se que 19% da população portuguesa não gosta de futebol. Conforme apresentado pelo contrário, podemos constatar que 33% dos Portugueses são efectivamente “bastante interessados” no desporto-rei, enquanto 48% manifestam “algum interesse” numa escala de participação e contribuição ao clube nacional que mais apreciam. Deste modo, e tendo em conta que a população portuguesa anunciada pelos últimos censos em Portugal foi de 10,46 milhões de habitantes, podemos assegurar que existem em Portugal cerca de 3.45 milhões de adeptos que acompanham com elevada regularidade o seu clube. O que para a dimensão do nosso país, até é um indicador positivo. Vejamos noutros países a exemplo, quanto "vale" o mercado de adeptos de futebol:

 

Estados Unidos: 11% “bastante interessados” – 35 milhões de adeptos 

Inglaterra: 19% " – 10 milhões “

Japão: 14% " – 17,8 milhões “

Holanda: 24% " – 4 milhões “

Itália: 26% " – 15,5 milhões “

Grécia: 23% " – 2,5 milhões “

Alemanha: 27% " – 21,8 milhões “

Rússia: 24% " – 34,4 milhões “

Espanha: 41% " – 19,2 milhões “

Brasil: 40% " – 80 milhões “

Coreia do Sul: 24% " – 12 milhões “

Argentina: 40% " – 16.6 milhões “

Colômbia: 50% " – 24.2 milhões “

Recorde-se que estes valores acima descritos não representam a globalidade de adeptos de futebol no país, mas sim os considerados "adeptos com elevado interesse” neste desporto.

 

Nesse mesmo ano de 2015, um outro estudo elaborado por três distintas entidades – uma agência financeira alemã, uma marca desportiva também alemã e uma consultora inglesa – revelou-nos uma interessante demografia clubística nos vários países de toda a Europa. De acordo com os resultados, consideram-se uma percentagem de 30% de adeptos do nosso Sporting em Portugal. Em análise conjunta aos dois estudos, poderemos concluir a quantidade de adeptos efectivamente “consumidores” da marca Sporting: 1,035 milhões. Este valor é o resultado dos dois estudos independentes, mas seguramente muito valioso como suporte de análise de viabilidade económica a potenciais investidores.

 

Em conclusão: a nível interno (Portugal), existe cerca de 1 milhão de habitantes de norte a sul, que revelam elevado interesse em aplicar parte das suas economias com o Sporting, seja através das quotizações de sócio, compra de equipamentos oficiais, bilhetes de jogos, deslocações, entre outros. Com maior ou menor margem de erro, consideremos então o número "1 milhão de adeptos" como referência.

 

Denominador Investimento por Adepto

 

Imaginemos a possibilidade de todos os adeptos mais envolvidos com o nosso clube (os tais "muito interessados") aplicarem um valor anual em qualquer tipo de produto associado ao Sporting. ex: merchandising, bilheteira, entre outros. Tendo em conta as diferentes possibilidades de aplicabilidade económica da população portuguesa, vamos determinar o valor médio de 100€ por cada adepto.

(Escalão A) 1 milhão de adeptos X 100€ investidos/ano no clube = 100 milhões/ano

(Escalão B) 500 mil adeptos X 100€ investidos/ano no clube = 50 milhões/ano

(Escalão C) 100 mil adeptos X 100€ investidos/ano no clube = 10 milhões/ano

 

Consideremos então o Escalão B para a nossa análise. Cada adepto "mais ferrenho" – um universo de 500 mil – contribui em média com 100€/ano para o clube, o que representa um global de 50 000 000 €.

 

De acordo com os indicadores apresentados no relatório e contas disponibilizado no site do clube (1º Trimestre 2015/2016), a previsão de income por parte de adeptos e associados, aponta para o seguinte valor anual (previsão): 17 672 000 €...

 

Verificamos, infelizmente, um valor bruto estimado de exploração na categoria “associados” na ordem de de 17.67 milhões/ano, que de acordo com o potencial máximo de exploração do denominador “Investimento de Adeptos”, representa uns meros 18% de capacidade de exploração, perante os cerca de 1.035 milhões de consumidores da marca Sporting. O que significa que actualmente, cada adepto (do universo 1.035 milhões) gasta cerca de 17.67€ (dezassete euros e sessenta e sete cêntimos) com o clube/ano?

 

Contamos com a contribuição dos leitores do nosso Camarote a apresentarem as soluções/razões que considerem fundamentais aos seguintes factos:

 

1) Porque razão estará o Sporting a rentabilizar apenas 18% nas denominadas receitas com os adeptos, enquanto as médias de assistências da temporada transacta foram bastante elevadas? Se os adeptos "estão com o clube", porque não consegue esta Direcção do Sporting aumentar a percentagem de income?

 

2) Se Portugal tem uma das maiores percentagens de adeptos no mundo  "manifestamente interessados" em futebol – logo representa consumo –, e tendo em conta que a época terminou recentemente, porque não surgiram ainda outros parceiros a revelar Investment Appeal no nosso Sporting?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


24 comentários

Sem imagem de perfil

De m1950 a 31.05.2016 às 12:09

Mais uma vez muito bom, bela iniciativa, a abertura de um debate sério que olha para o Sporting como um todo.

Já tinha percepção que em Portugal somos poucos que gostam e consomem verdadeiramente o futebol, depois claro há mais simpatizantes que adeptos.
Essa é uma chave que tem de ser invertida num país que afirma que o futebol é o ópio do povo, os mais eruditos chegam mesmo a aclamar o jogo da redondinha como o circo da Era moderna.

Indo diretamente ao Sporting, poderia dizer-se que há diferentes tipos de consumo da marca, mas sem perder de vista que a massa crítica concentra-se em Lisboa na sua grande maioria, isto pese embora ache que os melhores adeptos do Sporting são os nortenhos. O consumo de uma gamebox por exemplo, não faz muito sentido para quem está longe de Alvalade, estes porventura terão maior disponibilidade para por exemplo comprar camisolas, e ir aos jogos fora de casa do Sporting, este ano tivemos 148mil espetadores, um número simplesmente impressionante e com Leonardo Jardim tivemos mais adeptos em jogos fora de casa e o campeão foi o Benfica, isto mostra o poderio do nosso clube.

Como disse acima a massa crítica do Sporting concentra-se em Lisboa, e aqui há outro grande idem, e como funciona em famílias onde há um sportinguista no meio de vários benfiquistas, será que até à independência financeira esse adepto tem muitas hipóteses de ser consumidor da marca Sporting, será que a família benfiquista vai sustentar o seu sportinguismo, é possível mas excecional e portanto o que se vê na sua maioria nos estádios são famílias adeptas de um clube onde há um outro adepto do rival. Falo no caso da disputa de massa crítica em Lisboa.

É por esta razão que o Sporting é o Benfica não conseguem encher os estádios sem os núcleos leoninos ou as casas do Benfica. E esta é uma parte onde o rival está muito à frente do Sporting e é preciso estudar aqui soluções.

Portanto avalio por estimativa que o Sporting tenhas uma massa crítica de 50.000 a 60.000 pessoas em média.

No que toca a soluções, esta direção trouxe novas categorias de sócio, como o sócio B com direitos semelhantes mas com menos voto e apenas acesso ao 2. anel, também criou uma das quota para os sócios de núcleos onde pagam apenas 4 euros já que têm despesa com a quota do núcleo, isto depois de ter obtido um estudo que mostrava que havia 50.000 sócios de núcleos que não eram sócios do Sporting.

Ou seja há uma tentativa de aproveitamento de receita fora de Lisboa, mas penso que pode ser feito mais se a loja verde fosse ambulante por exemplo e acompanhasse a equipa nas deslocações , ou que os núcleos comercializassem merchandising leonino, e claro que a nível online fosse um site de verdadeira categoria. Noto também que o Sporting não investe na publicidade nos canais generalistas, no máximo publicita a gamebox no metro de Lisboa. Aqui tem de haver maior investimento.

Concluindo é preciso transformar os simpatizantes em adeptos e isso é possível mas ganhando títulos é mais fácil.

É preciso explorar receita fora de Lisboa, é preciso transformar os núcleos em grande parceiros estratégicas e para já começa a haver trabalho até mesmo com um programa na Sporting TV que lhes dá o reconhecimento merecido, mas é possível estreitar ainda mais as relações.

Desmultiplexagem e maior mobilidade da loja verde.

De referir que o pavilhão vai trazer o diadesporting de novo para as famílias passarem um dia inteiro verdadeiramente leonino.
Sem imagem de perfil

De m1950 a 31.05.2016 às 12:34

Eu gostava de ver 10.000 adeptos dos núcleos todos os jogos em Alvalade, acho isso possível e o Sporting deve procurar investir nisso pois não é apenas algo que dá dimensão ao clube como traria receitas indirectas ao clube, destinar o topo norte aos núcleos, conseguir acordos com as transportadoras embora já exista o comboio verde seriam os passos a dar. Acho preferível ceder os bilhetes ainda mais baratos para os núcleos do que a campanha do bilhete anticrise de 5 euros para os sócios para as bancadas laterais.
Imagem de perfil

De Drake Wilson a 31.05.2016 às 16:52

Boa tarde m1950, obrigado pela sua visão.

Quando refere a premente aproximação aos núcleos, só me consigo lembrar de Isabel Trigo Mira...

A haver um possível distanciamento (ou falta de aproximação) das casas, vejo-o como natural consequência do pouco clima positivo criado este ano pela direcção. Esta envolveu-se demasiado numa guerra, esquecendo-se da paz. E de certeza que há muito mais interessados em paz do que em guerra.
Sem imagem de perfil

De m1950 a 31.05.2016 às 17:07

Antes de mais eu é que agradeço, mas não era a isso que me referia já que tem havido aproximação aos núcleos pelas medidas tomadas, eu acho é que ainda há um enorme potencial por explorar aqui dentro daquilo que o meu caro sugere e que eu penso que temos de procurar fortalecer massa crítica fora de Lisboa e consequentemente mais receitas.
Imagem de perfil

De Drake Wilson a 31.05.2016 às 17:38

Subscrevo na íntegra, caro m1950.
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 31.05.2016 às 12:41

Caro Drake,

Inicio dizendo que é de louvar análises como estas, que vão mais além do normal adepto que só pensa na bola que entra ou não entra....

1 - Relativamente à questão das receitas com adeptos, o trabalho tem sido feito, ao contrário do que diz. Hoje somos o 5º clube do mundo com mais associados (com 136 mil sócios), o que representa um significativo aumento desde o ano de 2013, quando teríamos cerca de 85 mil sócios e menos de metade pagantes, portanto houve um aumento quase para o dobro dos associados nos últimos 3 anos, de assinalar ainda iniciativas como Sócio no Minuto que são a demonstração da importância dada por esta Direcção ao aumento do nº de associados. Outro aspecto a ressalvar é que hoje existem várias modalidades de associado, que vão desde os 6€ aos 12€ por mês.
Essa rentabilização de 18% que refere, se é pouco?! não sei.... nos outros clubes portugueses é quanto? neste aspecto creio que a única falha do Sporting deve-se na componente de camarotes, onde os rivais estão claramente à frente... terá de ser estudada a razão para tal!

2- Quando você compara o site do Sporting com o do Manchester, as coisas não podem ser vistas dessa forma, onde a análise incide apenas no Sporting.... em Inglaterra o produto futebol é vendido em pacote, isto é, o Manchester apesar de ser um clube top mundial, vende o seu produto em conjunto com o clube mais "fraco" da Premier League, e com isso promove o campeonato inglês. Em Portugal, o negócio futebol é visto de uma forma isolada, o que não é atractivo para os sponsors, fazendo com que o nosso campeonato seja desequilibrado, logo pouco atractivo para publicidade das ditas multinacionais.
Sem um trabalho conjunto de marketing da Liga Portuguesa não é possível entrar em mercados como os asiáticos ou sul americanos, para vender um jogo Sporting - Tondela, onde o orçamento do Tondela é de 2M€, e jogam o jogo todo à defesa. Para quem é estrangeiro, não tem interesse... A nível nacional, o Sporting assinou uma revisão ao contrato com a SportTV, melhorando as condições contratuais, assinando o contrato de maior valor em Portugal. Se é pouco?! não sei... mas é bem melhor do que todos nós estaríamos à espera há 1 ano atrás, e isso só foi possível devido ao grande trabalho de valorização da imagem Sporting feito por esta Direcção nos últimos 3 anos.
Imagem de perfil

De Drake Wilson a 31.05.2016 às 17:06

Estimado Schmeichel, obrigado pela sua opinião.

No que diz respeito ao seu ponto 1, é preciso não esquecer que essa 5ª posição que refere, concerne a uma lista que, como terei referido, não inclui alguns clubes de craveira, casos de Manchester United ou mesmo de Liverpool. E como alguém terá mesmo referido, terei algumas reservas se serão globalmente pagantes...

No ponto 2, não podemos misturar as coisas. A verdade é que todos os grandes clubes fazem "gala" dos seus patrocinadores. Menos o Sporting...
Observe os sites do FC Porto ou do SL Benfica, por exemplo de clubes do nosso campeonato.

Até podíamos ter só um patrocinador, mas bolas, ser colocado no fundo da Home Page, num local sem visibilidade alguma, até é ofensivo. Isto é básico em comunicação, de certeza que você e eu sabemos isso. Ninguém "naquela casa" o sabe?
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 31.05.2016 às 17:45

1- Dos 136 mil sócios existentes, creio que por volta 80 mil deverão ser pagantes.

2- Você fez-me uma proposta impensável.... mandou-me ir ao site do benfica!! e eu fui... a contragosto!! :)
Existem algumas diferenças, mas nada de significativas.... no caso do site do Sporting, de facto temos de fazer o scroll para baixo para podermos ver, mas não me parece nada de especial, nós até temos uma página só dedicada aos patrocinadores (http://www.sporting.pt/pt/patrocinadores).

Proponho então outro tipo de análise que se prende com o nº baixo de utilizadores do site oficial do Sporting, aí talvez tenha alguma coisa a ser melhorada.... como por exemplo uma espécie de blogue oficial, onde se pudesse comentar noticias, ou trocar bilhetes, ou combinar boleias para jogos. Porque sem grande nº de utilizadores, não interessa onde está colocada a publicidade!
Imagem de perfil

De Drake Wilson a 31.05.2016 às 17:59

Caro Schmeichel, com algum humor, pode propor para o efeito do seu segundo parágrafo a utilização do expertise de Rui Gomes e o seu Camarote Leonino...


Mais de 1,5 milhões de visitantes num ano!
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 31.05.2016 às 19:37

Os clubes têm de estar atentos às novas formas de comunicação, e tem de reconhecer o potencial de marketing dos blogues. Creio que não está a ser aproveitado.... divulgação do preço dos bilhetes, loja verde, novos sócios, etc, são muitas as oportunidades de negócio!
E como é óbvio e apesar de não me reconhecer no conteúdo de muitos post do camarote leonino, é um blogue sobre o Sporting, e mesmo não sendo um blogue favorável a está direcção, não vejo porque razão o camarote leonino não poderia participar num programa de marketing oficial criado para este tipo de blogues.
Sem imagem de perfil

De Carlos N.T. a 31.05.2016 às 12:42

Ufff !!..Drake W.,
cada "post" que voce escreve, mais fácil se torna o entendimento . Simplifique sempre!!!
Nao todos participarao no debate por falta de conhecimento total mas, mais esclarecidos ficaremos....

m1950,
de quando em quando voce também diz coisas interessantes
Claro que a participacao directa (em todas as formas), será sempre dos que estao mais perto(Grande Lisboa e mais um pouquinho)...contudo a sua ideia, é interessantissíma !!

P.S.. m1950, esqueca lá o benfas... Rival sim, fantasma nao !!!
Parece o Bruno, a cada tres palavras.. O Benfica LOOOOOOOOLLL !!!

Abrazzzo

Sem imagem de perfil

De m1950 a 31.05.2016 às 13:35

Ah, sabe que como estava a discutir massa crítica era complicado evitar falar no rival já que as massas de ambos concentram-se em Lisboa.

E até os elogiei já que chegam autocarros de todo o país às carradas para os seus jogos devido a um trabalho que têm com as casas e que nós ainda temos muito por fazer nesse aspecto apesar das melhorias.
Inovar é sempre o melhor mas seguir bons exemplos também.
Eles já nos copiaram o sócionumminuto e a ondaverde.

Abraço para si também meu caro.
Sem imagem de perfil

De Carlos N.T. a 31.05.2016 às 19:46

Sem imagem de perfil

De PSousa a 31.05.2016 às 15:17

SL
É sempre bom ler estes textos, por mais longos que sejam é um debate pelo Sporting e por aquilo que podemos fazer pelo nosso clube.
Nada nem ninguém se sobrepõe ao centenário Leão!

Pegando agora no texto, estou de acordo que os nossos parceiros estão um pouco sumidos na página, mas não é necessário percorrer o site todo. Basta fazer scrool down até ao fim da primeira página. Não sei se era isso que Drake se referia! É um facto de que deveriam ter mais impacto (talvez um banner ao lado), mas acredito que estejam lá sem "pagar".

Sobre as questões levantadas:
#1 - O valor do merchandising é elevado, o que muitos fazem é esperar pelo final de época. Os mais abastados, claro que compram logo e compram até os três equipamentos se for preciso. Se olharem para o outro lado da segunda circular (um bom exemplo) há equipamentos que não da marca oficial à venda na mesma loja. Mais baratos e à medida da bolsa de cada um.
Quanto ao valor avançado de 100€ por adepto, até acho um valor baixo para aquilo que eu já gastei na loja nos últimos meses. Desde camisola, a prendas para filhos de amigos... o valor já ultrapassa em muito os tais 100€
Para além do valor "elevado" também existem alguns produtos em que a qualidade não corresponde ao preço e o amor pelo clube não supera tudo!
Produtos com qualidade a preço justo e o SCP duplicará ou triplicará o valor de vendas. Existe também o gosto pessoal, e se uns produtos servem para uns não servem para outros e vice versa... assim o SCP terá de ter alternativas para todos.

#2 Quanto a esta questão, acho que não temos conhecimento suficiente, ou pelo menos eu não tenho, que possam ter surgido novos parceiros. Mas parceiros que não venham com propostas ridículas. Estar ao lado do SCP não é estar ao lado de qualquer clube (com o respeito a todos).
A parceria também tem de ser boa para os dois lados (50/50), caso contrário não terá grande futuro. Eu como sócio e adepto se o SCP quer o meu dinheiro deve dar-me condições adequadas às quais eu estou disposto a pagar.
Será que alguém já se lembrou dentro do clube fazer uma sondagem, um questionário sobre o que o adepto quer no estádio? Ou gostaria de ver implementado?
Por exemplo, os camarotes estão destinados a empresas. E porque não falar ou apresentar a sócios um camarote "colectivo", onde quem quisesse teria acesso ao mesmo. Já vi em Alvalade, muitos camarotes vazios em dias de jogo! Rentabilizava o espaço... eu sei de 2 ou 3 que gostariam de ter acesso...
É evidente que o preço seria mais reduzido, mas era ganhar alguma coisa... ou não ganhar NADA!.

Como texto vai longo e até tinha outras ideias vou esperar por outros POSTS dos género para me ir debruçando nos temas.

SL
Imagem de perfil

De Drake Wilson a 31.05.2016 às 17:24

Estimado PSousa, obrigado pelo seu contributo.

A sua sugestão do banner foi imediata. Pelos vistos, quem de direito não a alcançou...

Mesmo que os acordos publicitários com a NOS ou a Super Bock não contemplem entrada na plataforma online do Sporting, o clube por cortesia podia dar-lhes tal destaque. Trata-se de acarinhar as marcas... Semear para mais tarde recolher.

Merecem-me muitas questões o parco valor de angariação de verbas que o clube apresenta derivadas da participação anual dos sócios. Como você disse, 100€/ano nem é um valor demasiado elevado...
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 31.05.2016 às 16:20

PSousa e m1950 referiram-se à importância da conquista regular de títulos. Concordo, pois o comportamento do adepto decorre, em muitos casos, dos resultados que o seu clube de futebol está conseguir. Ou, por exemplo, se os jogadores contratados no início da época levarão a adquirir o bilhete de época. Na realidade, existe um grupo de condicionantes muito pouco controláveis que irão influenciar a decisão desses adeptos.

O patrocínio por empresas é de outra dimensão. O Sporting tem características específicas, como é natural. Está relativamente espalhado por todo o país, mas com maior concentração em determinadas zonas: Grande Lisboa, Centro e Sul, embora menos. No Norte a implantação é mais fraca. Tem presença muito significativa nas antigas colónias portugueses e nos países que são destino da emigração. É um clube histórico e centenário, bem instalado socialmente, transversal mas talvez com maior impacto na classe média. A Academia de Alcochete constitui um elemento de referência, quando associada a nomes de futebolistas que se destacaram e constitui um bom exemplo na área da Formação. O Sporting é um clube eclético presente em várias modalidades.

O Sporting é uma instituição marcadamente nacional e não possui uma componente regional como o FC Porto. Este aspecto, sendo um “pau de dois bicos”, pode constituir um implicar um benefício para o clube regional. Recordo-me de um estudo feito pela Cision em 2007 que sublinhou a capacidade do FC Porto de captar subsídios em virtude do seu impacto geográfico (factor social e envolvimento emocional). E ainda conseguia (em 2007, como na actualidade) patrocínios pelo seu peso a nível nacional.

No caso do futebol, a concorrência competitiva é fundamental para o sucesso da actividade desportiva. Sem concorrentes à altura, a vitória considera-se praticamente definida, o que retira a incerteza do resultado e, com ela, o interesse pela competição e pelo espectáculo. A incerteza face ao resultado final de jogos e das competições constituem um elevado factor de interesse para adeptos-consumidores. E para as empresas patrocinadoras, obviamente. O que se passa no futebol português, com as inúmeras suspeições que se levantam sistematicamente, pode constituir um grave prejuízo.

Em Portugal, o futebol possui elevado impacto nos meios de comunicação e as audiências são elevadas. O futebol tem uma audiência distinta das outras modalidades, logo o sponsorship de um jogo ou competição permite a um patrocinador dirigir a sua audiência. Para estabelecer uma relação que satisfaça o patrocinador é imprescindível considerá-lo como parte integrante do projecto, motivá-lo, sensibilizá-lo. É também necessário perceber o alcance da mensagem que ele pretende divulgar.

O que Drake Wilson refere a propósito do site oficial do clube não é um grande factor de atracção dos patrocinadores. Uma coisa é certa, essas empresas utilizam o futebol (e o desporto) como meio de comunicação alternativo, com ênfase no reforço e disseminação da marca e na melhoria da sua imagem. E um clube como o Sporting tem de estar atento a isso.

Há um caminho longo a percorrer pelo Sporting no que refere à captação de patrocínios que correspondam à sua referência enquanto grande instituição desportiva nacional e internacional. Para o Clube o "patrocínio financeiro" será, para além de elemento importante de financiamento e sustentabilidade, também um factor de comunicação. E creio que no nosso clube este aspecto "comunicacional" ainda não foi devidamente entendido.
Imagem de perfil

De Drake Wilson a 31.05.2016 às 17:30

Estimado Leão Zargo, obrigado pela sua partilha.

Indo ao encontro do seu último parágrafo, chegamos à conclusão que o único meio efectivo de financiamento do Sporting são as OPS's...

Nem o Borat do Cazaquistão faria pior.
Sem imagem de perfil

De Ricardo Rodrigues a 31.05.2016 às 20:26

Desafio aceite!

Passo 1
Efectivamente o SCP à semelhança dos rivais e à semelhança do que se passa na generalidade do País, não vê o website como fonte primária de comunicação. O não “acarinhamento” das marcas é um problema crónico em Portugal, tal como já referi noutros posts, ainda se considera que patrocínio é apenas “dar dinheiro” em troca de mostrar a marca neste ou naquele lugar. Não me canso de dizer que um patrocinador paga-nos não só para obter visibilidade mas acima de tudo para sermos seus parceiros comerciais. Se não lhes dermos vendas eles vão-se embora.

Para os mais “leigos” eu dou um exemplo: Vamos supor a marca XPTO gasta 0€ anualmente em marketing e que factura 5 milhões/ano. Recebe uma proposta de um clube e em troca de ter uma porta do estádio com o seu nome essa marca paga 2 milhões. No ano seguinte a marca factura 6 milhões. O que ganhou ela por patrocinar o clube??? Aumentou a facturação mas não ganhou nada e ainda perdeu dinheiro… o CEO dessa empresa, depressa concluía que mais valia distribuir os 2 milhões pelos seus vendedores para aumentar as vendas.

Passo 2
Não é preciso ir ao site do ManUnited, basta ir a qualquer outro que seja fora de Portugal e a diferença é abismal… Se olharmos para clubes dos EUA então ai nem há comparação possível.
Mas voltando ao ManUnited, o próprio site tem em evidência a contratação do Mourinho, sob o slogan “welcome Jose”… nestes dias quantos cachecóis não vimos nas TV’s, jornais e etc com esse slogan? Só através de merchandising quanto dinheiro é que o ManUnited já fez só com a contratação do “Jose”?

Agora respondendo directamente às questões:

1)
Porque o SCP não tem nem nunca teve uma verdadeira política de captação de recursos junto dos seus adeptos. E quem diz o SCP, diz qualquer clube em Portugal (exceptuando 1). Neste Pais sempre se julgou que para sustentar um clube basta as receitas de Publicidade + Bilheteira + Venda de Jogadores + Quotas sócios. O único clube que tem mudado é o SLB que tem imitado o que se faz lá fora e verdade seja dita que têm tido bons resultados.

2)
Credibilidade!
Não sei como são feitas as negociações, que números são apresentados, etc… Mas, se formos a dar fé no documento que o wikileaks deitou cá para fora da “apresentação” do SCP a possíveis sponsors, então o problema será mesmo a credibilidade. Senão vejamos:

a) Nesse documento aparece mais vezes a imagem de Ronaldo do que qualquer outro jogador actual o que mostra que é um clube que vive do êxito dos outros e do seu passado ao invés de olhar para o presente/futuro. Ou seja, é o próprio clube que se mostra pequeno. Imaginam o ManUnited ainda a utilizar a imagem de Ronaldo nas suas apresentações?

(continua)
Sem imagem de perfil

De Ricardo Rodrigues a 31.05.2016 às 20:27

(continuação)

b) ROI’s irrealistas.
Para quem não sabe o ROI é o Retorno sobre o Investimento, ou seja, é quanto uma empresa ganha por ter feito um determinado investimento. Calcular o ROI de um investimento em Sponsoring não é tão directo quanto isso e muitas empresas têm diferentes metodologias de calculo, mas no geral os valores aproximam-se uns dos outros.
Ora neste documento o SCP afirma que a macron, a superbock e a meo têm um retorno médio de 65, 75 e 83 milhões de euros por época, respectivamente. Pegando na macron, sabendo que eles pagam ao SCP cerca de 1,8 milhões por época, então das duas uma, ou o retorno médio é completamente irrealista ou o SCP está a vender-se muito, mas mesmo muito mal.
Mais à frente no documento o SCP volta a insistir e afirma que o retorno médio é 40 vezes o investimento, o que bate certo com os números anteriores e é aqui que eu digo que a credibilidade é toda perdida. Então mas alguém acredita que eu tenho em média um retorno de 40 vezes o meu investimento? Então para isso o SCP nem precisava de se apresentar às marcas, pois com esses números, eram filas e filas de empresas às portas de Alvalade à espera de poder investir no SCP. Mas mais, se estes números fossem verdadeiros, então além dos candidatos a patrocinadores também os Sócios deviam estar em filas, mas à espera de dar uns apertões aos dirigentes, ou algum sócio aceita que uma empresa use o clube para ter retornos nestas grandezas? Se fosse verdade que a macron tem um retorno de 65 milhões depois de investir 1,8 milhões no SCP, então isso significaria que o SCP estaria a ser completamente “comido de cebolada”.
Honestamente gostava de saber como foram calculados estes valores, pois até admito que possa ser eu que esteja completamente errado, mas uma coisa é certa, se fosse eu a receber este documento com estes números, ria-me à grande e sentiria muita vergonha alheia.

Mais haveria a discutir, mas para já fico-me por aqui para que a discussão se desenvolva sem haver demasiada mistura de temáticas.

Fortes Rugidos
RR
Imagem de perfil

De Drake Wilson a 31.05.2016 às 21:44

Boa noite Ricardo, agradeço a sua contribuição e análise.

Não tive conhecimento do documento que refere, onde o Sporting apresenta "Mais-valias Derivadas em Retorno" à marca Macron... mas esse valor de 65 milhões é completamente falso. Para ter uma ideia, esse valor que apresenta é superior aos... revenues globais da marca italiana. Se de facto o clube lançou tal informação a público, considero-a uma grave afirmação de elevada afronta à inteligência de todos.

Pelo conhecimento que procurei obter e contabilizando ao tornado público, foram efectuadas 18 aproximações do Sporting a parceiros, entre Junho e Setembro de 2015. 4 foram rejeitadas pela presença de um determinado parceiro africano no capital do Sporting. Outras 4 foram replicadas negativamente por falta de timming.

Presumo então que das 10 reuniões que os corpos directivos conseguiram, nenhuma foi bem sucedida.

O que me começa a preocupar bastante.
Sem imagem de perfil

De Ricardo Rodrigues a 31.05.2016 às 22:16

Caro Drake,

é exactamente pelos motivos que evidenciou que eu digo que a credibilidade fica a Zero quando se apresentam estes números em documentos... e mais... os erros são de tal ordem que por chegam a mostrar uma tabela do TOP 10 Marcas em Portugal com maior ROI e nesse a macron não aparece, mas aparecem marcas com valores inferiores aos 65M€. E a própria MEO nesse gráfico aparece com resultados globais em Portugal de +-90M€, ou seja, o ROI da MEO era todo graças ao SCP e nenhum graças aos restantes clubes que a MEO também patrocinava...

Nota: o documento não era publico, só ouve conhecimento do publico por causa do footballeaks.
Pode ser consultado em: https://openload.co/f/x7djfUbRgNI/Sporting_-_Cac%CC%A7a_ao_Patrocinador.PDF

Imagem de perfil

De Drake Wilson a 31.05.2016 às 22:48

Obrigado Ricardo.

Só consigo entender estes valores por época, se efectivamente eles foram alcançados por Estimativa POP, uma fórmula usada por alguns sectores económicos que definiam assim a relação de custo total da aplicabilidade multi-plataforma da brand ao longo de um determinado período temporal, em circuito imprevisível. O que significa que este valor de 65 milhões será uma estimativa hiperbólica.

É interessante, a aplicabilidade deste tipo de estimativa foi abandonada salvo erro, há duas décadas: simplesmente não era eficaz.

A não ser que estejamos a falar de 65 mil euros...
Sem imagem de perfil

De Ricardo Rodrigues a 31.05.2016 às 23:02

Caro Drake a forma como estimaram estes números gostava eu de saber, pois neste momento sinto-me um grande burro!!! Pois acredito que o SCP esteja a pagar a homens com mais sapiência que eu, dada a importância desta informação.

Efectivamente não me tinha lembrado da POP, que confesso tenho muitos parcos conhecimentos, e se foi usada esta estimativa, então ainda pior, pois só mostraria um SCP completamente irracional e fora do tempo com métricas completamente irreais. Era o mesmo que andar a medir as marcações de campo a passo, como se fazia antigamente.

Quanto à hipótese dos 65000€ confesso que foi a minha primeira ideia, mas o texto que refere um ROI de 200 milhões entre macron, superbock e meo, deitou logo por terra esse meu "entusiasmo".

Entretanto irei ter algum (bastante) tempo disponível dadas a algumas mudanças de vida, acho que vou aproveitar para voltar à universidade, pois esta minha incompreensão mostra como estou parco em conhecimentos... talvez vá tirar um curso de gestão financeira criativa e depois venho cá dar respostas!
Sem imagem de perfil

De Leão1906 a 01.06.2016 às 16:24

Caro Drake Wilson,excelente post,muito bem sustentado.
Por norma e perante profissionais de áreas que não a minha ouço(ou leio) mais do que dou opiniões.

O seu post reforçou a ideia do grande potencial do nosso clube,quer em termos do mercado em que estamos inseridos quer do próprio clube .Nada de surpreendente se nos abstrairmos daquelas típicas conversas de café ou até do argumentário de certas personagens televisivas...

Não sei que resposta dar ao seu desafio até porque também não vi uma resposta específica nos comentários,que li um pouco na diagonal.

Esta direção terá alguma culpa,na medida em que me parece que tem uma abordagem talvez não totalmente competente desta matéria ,situação que não deve ser exclusiva do presente.

A análise feita ao documento do FLeaks parece-me ilustrativa de algum amadorismo na forma como procurámos patrocinadores.

A ideia que retiro é, sem dúvida, que há um potencial grande a explorar ,o que não sendo positivo para o que se tem conseguido fazer,deixa uma perspetiva de melhoria no futuro.

Mais uma vez parabéns pelo excelente post.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo