Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

2015-11-19T145904Z_904890844_LR2EBBJ15M5FC_RTRMADP

 

A FIFA aprovou, esta terça-feira, o alargamento do Campeonato do Mundo para 48 equipas.

 

Numa votação realizada em Zurique, ficou decidido que, a partir do Mundial de 2026, haverá uma disputa inicial com 16 grupos de três equipas a competir numa fase preliminar, seguindo-se eliminatórias com as restantes 32 selecções.

 

O número de jogos subirá de 64 para 80, mas os eventuais vencedores continuarão a disputar apenas sete jogos.

 

O torneio será disputado em 32 dias, de modo a agradar às equipas nacionais europeias, que levantaram objecções à mudança, alegando sobrecarga de jogos.

 

Esta é a primeira mudança aprovada em Campeonatos do Mundo desde o de 1998, a primeira edição com 32 selecções, mais oito do que até então.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:17

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


10 comentários

Sem imagem de perfil

De Oceano Vermelho a 10.01.2017 às 13:17

Isto não faz sentido: ter 1/4 dos países do planeta na fase final de um mundial.

Curioso é constatar como os torneios de selecções vão em sentido contrário às competições europeias a nível de clubes.
Sem imagem de perfil

De Raúl a 10.01.2017 às 13:30

Só uma correçao. Não é um grupo inicial de 16 equipas, mas sim 16 grupos de três equipas cada. Passam dois em cada grupo e depois é eliminatórias á la taça de Portugal. Todas as equipas qualificadas para a fase final jogam a fase de grupos.
Sem imagem de perfil

De Vanurome a 10.01.2017 às 13:54

Totalmente de acordo com a aposta.
O futebol é o desporto Rei a nível mundial. Imaginem a alegria das populações de alguns pequenos países africanos quando tiverem a possibilidade de defrontar Gigantes da América Latina e da Europa numa prova oficial.
Vejam o caso do Euro 2016 em que muitas das "periféricas" só engrandeceram o espectáculo (publico irlandês, Islândia,3º lugar Pais de Gales,etc).
Futebol é a possibilidade do pequeno bater o pé ao grande durante 90 minutos e com querer,sorte,o que for...ganhar.
O futebol pode e deve ser democratizado
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 10.01.2017 às 14:39

O problema não é a "democratização" do futebol, que já o é, mas sim o excesso de jogos, nomeadamente para os jogadores, mas também para os adeptos. Ao fim e ao cabo, é o consumidor que paga tudo isto, directa e indirectamente.
Sem imagem de perfil

De Vanurome a 10.01.2017 às 14:50

Excesso de jogos para os jogadores? Mas será que só são convocados 11 jogadores?
Excesso de jogos para os adeptos? O adepto é obrigado a assistir aos jogos?
Consumidor é que paga?! Como?!
Democratização sim! Se existirem mais jogos, existirá mais possibilidade de quem os procura ver...ver.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 10.01.2017 às 14:52

Contestação infantil ! Parece que está a falar com miúdos de 6 anos.
Sem imagem de perfil

De Vanurome a 11.01.2017 às 12:29

Complexo de inferioridade?
Gosta de dar uma que a ultima é sempre sua?
Sem imagem de perfil

De Implacável a 10.01.2017 às 15:48

Simplesmente aberrante...
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 10.01.2017 às 16:22

Isto é tudo uma questão de dinheiro!!
Terá de ser explicado em que continentes vai ocorrer o aumento do nº de equipas.... mas eu presumo que a ideia será permitir a países como a China chegarem mais facilmente aos Mundiais...

Pergunto.... serão novamente os clubes a financiarem o Mundial? aumentam para 32 dias de competição, e tudo à custa dos clubes.... neste aspecto a FIFA tem de pagar o ordenado dos jogadores aos clubes!

Com este modelo, vão acabar os grupos da morte.... já que as equipas vão ser mais fracas....
Sem imagem de perfil

De Amaf a 10.01.2017 às 19:00

Sem duvida que o interesse económico sobrepõe-se a qualquer outro. De certeza que com esta medida a FIFA vai arrecadar mais umas centenas de milhões de euros. Mais de metade das equipas, nem sequer aquecem, ao fim de 2/3 jogos já estão a caminho de casa, com os cabeças de serie, a competitividade, os jogos grandes, talvez a partir dos oitavos, sobra apenas o aspecto financeiro.

Saiu o Blatter entrou o Infantino, mas o objectivo não mudou.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo