Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Os Onze do Presidente

Desert Lion, em 09.05.14
 

 

Foram onze as contratações desta época para a Equipa A do Sporting - o que é um número apreciável para uma SAD em situação de ruptura financeira.

 

- 4 Defesas: Welder, Piris, Maurício e Jefferson

- 3 Médios: Vítor, Magrão e Shikabala

- 4 Avançados: Heldon, Montero, Slimani e Cissé

 

Analisando, um a um:

 

Welder: ninguém percebe o que veio para aqui fazer, ainda para mais se considerarmos que haviam opções de valor no plantel, como Miguel Lopes e Arias (um emprestado, o outro oferecido) e ainda Esgaio e Riquicho (na equipa B). Irá, certamente, ser devolvido a procedência.

 

 

Piris: não é um mau jogador mas nunca se revelou uma verdadeira mais valia para a equipa. A sua contratação também não se percebe totalmente, se levarmos em conta o referido quanto a Welder. Acho que também deverá mudar de ares.

 

 

Maurício: não sendo um jogador com a riqueza de argumentos técnicos que gosto de ver no Sporting, acaba por ser um recurso útil pela sua entrega e pela disponibilidade física e anímica que coloca no jogo. Deve ficar, mas penso que numa trajectória normal de evolução de Dier, passará a sentar-se no banco.

 

 

Jefferson: bom jogador, confirmou as indicações dadas no Estoril. Deixou de marcar de livres directos, o que pode ser sinal de quebra de confiança. Apagou-se no final da época, talvez por não ter oposição directa no seu lugar. Deve ficar, devendo ser encontrado um concorrente à altura para a posição de lateral esquerdo.

 

Vítor: humilde e trabalhador, mas sem a fineza e confiança necessárias para representar o Sporting. Sempre que entrou fê-lo a “medo” e sem nunca conseguir demonstrar real valor. Deverá ir para outras paragens já no final da época, onde espero que tenha o sucesso que merece.

 

 

Magrão: teve o auge da sua carreira há uns anos. Nada veio acrescentar e acabou por tomar o lugar que poderia ser de uma muito esperada promessa da “B”: João Mário. Deverá ser dispensado.

 

 

 

Shikabala: neste caso, o mistério adensa-se. Tendo vindo a meio da temporada, acabou por nunca jogar. Na “B” também não convenceu e teve o azar de se lesionar. Conheço muitos dos seus compatriotas. Dizem-me ser um tecnicista de classe, mas um "menino mimado", que sempre criou problemas por onde andou. Sem mentalidade competitiva forte não lhe adivinho grande futuro no Sporting.

 

Heldon: também ainda não convenceu. Parece bastante humilde e com vontade de melhorar, mas não mostrou as qualidades técnicas que se exigem para representar uma opção valida para a sua posição. Para emprestar, se possível a um clube estrangeiro, porque sendo interessante e podendo vir a “explodir”, não me parece ainda capaz de acrescentar alguma coisa a um Sporting de nível europeu.

 

Montero: bom jogador, muita classe. Um goleador. Parece andar "triste", ou talvez seja apenas cansaço. Esperemos que não se tenha apagado a chama e que após o descanso do Verão venha com energias renovadas para se afirmar, na próxima época, como o fora de serie que é, na Champions e na Liga Portuguesa.

 

Slimani: sempre gostei deste tipo de atacantes. Um “tanque”, que dá tudo e que “rebenta” com os centrais adversários, lá na frente. Não podemos aspirar a vê-lo partir para grandes voos, pois não tem a qualidade técnica para isso mas foi, sem dúvida uma bela aquisição, que tem tudo para se tornar numa referência num clube de meios escassos como é o Sporting dos dias de hoje.

 

Cissé: estou convencido que Cissé só veio para o Sporting devido à inexperiência e à necessidade momentânea que a Direcção teve de mostrar que se sabia movimentar no mercado de transferências. Era suplente na Académica, nunca se afirmou na nossa equipa B e acaba a época como suplente do Arouca. Para emprestar ou oferecer, a quem se mostre interessado (lia-se hoje no Record que o Sporting procura quem o leve).

 

 

Em conclusão, dos 11 contratados, 4 deverão ficar (Maurício, Jefferson, Montero e Slimani) e os restantes 7 devem dar o lugar a novos. Não se pode dizer que seja uma colheita fabulosa quando temos um índice de aproveitamento de 36%. No entanto, considerando o baixo custo envolvido na generalidade das transacções e a relativa inexperiência da Direcção em funções, tem de se reconhecer como meritório o trabalho efectuado a este nível. Basta ver que a mais valia que poderíamos obter na venda de apenas um deles, hoje em dia (por exemplo Montero ou Slimani) deverá superar o custo global das onze aquisições efectuadas. Ora, e ainda que apenas considerado esse vector, isso, já poderíamos afirmar que estamos perante uma agradável mudança de paradigma no futebol do Sporting.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:36

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


20 comentários

Sem imagem de perfil

De iorda9 a 09.05.2014 às 20:54

Concordo com a apreciação, embora dos 7 descartáveis, parece-me que Heldon, Shikabala e talvez até Vitor, possam ficar para o ano, Shikabala porque nem jogou ainda e os outros porque a proxima epoca será de certeza mais problematica em termos de lesões e baixas de forma e o plantel terá de ser forçosamente maior

Piris não ficará porque o clube não pagará 3M ou 4M para adquirir o passe

Para além disse é também positivo não termos grandes dores de cabeça para nos livrar-nos dos "flops" contratados
Sem imagem de perfil

De M a 09.05.2014 às 20:59

Antes de mais, corrigir-me: no seu anterior post dirigi-me a si por "City Lion" numa clara confusão com outro escriba deste espaço; as minhas desculpas, portanto.

Quanto ao mercado de transferências - que considero globalmente positivo, em concordância consigo - também considero falhadas as aquisições de Welder, Piris e Magrão (especialmente este). Já quanto a Héldon e Shikabala, reservo a minha opinião final para o futuro, principalmente em relação ao egípcio - sendo que, mesmo não jogando, até agora os indicadores têm sido positivos (o Desert Lion diz que não convenceu na B, o que não corresponde inteiramente à verdade - não é o indíce de assiduidade a jogar pela B que espelha isso, mas adiante).

Há ainda outras contratações de 2ª linha, como Matías Perez (do que vi dele parece-me ter um potencial interessante, pelo menos), Ousmane Dramé (que tem convencido ao serviço da B, tanto em regularidade como em aproveitamento) e Lewis Enoh (até agora completamente falhado, sem perspectivas de melhoria), além de Samba e Hugo Sousa que acabaram por ter o seu espaço, quanto a mim mal.

Acima de tudo, espero que para o ano, mesmo com a champions no subconsciente, não se deixem levar por riscos evitáveis e mantenham a sanidade das contas, no que concerne a aquisições, já que não temos maleabilidade financeira para enveredar pelo género de aposta que têm feito os dois rivais mais directos. Temos quase obrigatoriamente que alargar o plantel tanto em quantidade como em qualidade, mas não se deverá hipotecar a sanidade financeira, pouco ou muito, tão só porque estamos de volta às competições europeias, e à Champions especificamente. Se o passado pode - e deve - ser exemplo o que tem ocorrido é que essas apostas acima do normal têm corrido invariavelmente mal...
Imagem de perfil

De Desert Lion a 11.05.2014 às 08:18

Caro M,

Diz-me sobre Shikabala não ser a assiduidade com que conquista a titularidade na equipa B que revela se convenceu ou não. Pode então dizer-me o que haverá de mais revelador do que acreditar nele e pô-lo a jogar, ou não o fazer? Ainda sobre esse jogador, eu próprio tenho falado com muitos Egípcios (passo cerca de uma semana por mês nesse pais) e posso afiançar-lhe que as duvidas sobre a sua capacidade de se impor no futebol europeu, mais exigente em termos de mentalidade competitiva, são mais do que muitas. Alias, veja que aos 28 anos Shikabala não tem mais de 23 internacionalizações pelo Egipto, que não e propriamente uma Selecção de primeira linha. No entanto, acredite que espero estar redondamente enganado nesta apreciacao!

Ja sobre Heldon , talvez pudesse crescer mais num Clube do meio da tabela de uma campeonato como o Belga ou ate o Francês Não acredito que venha a ter muitas possibilidades de jogar num Sporting reforçado ", na próxima epoca.

Finalmente os jogadores da B. Não vi nenhum jogo da B, pelo que só sei o que vou lendo. Parece que nenhuma das contratações convenceu, excepto este ultimo Drame. Diz-me que o Matias Perez se mostrou talentoso, mas pode dar mais detalhes? No site no Sporting ele consta sem dados adicionais (nem numero da camisola, nem altura, nem peso...), ao contrario de todos os outros colegas. Noutros sites que consultei, as suas estatísticas indicam ter realizado 5 jogos na 2a Liga... Pode dizer-me se ele tem jogado e tem mostrado valor?

SL
Sem imagem de perfil

De Balajic a 09.05.2014 às 23:56

Concordo com a análise individual, mas não concordo com a conclusão. Não creio que estas coisas tenham tanto a ver com a "quantidade", mas sim com a "qualidade".

Pese embora me pareça que o Vítor e o Heldon (ou, pelo menos, este) ainda ficarão para a época que vem, não me parece que tenha sido assim uma percentagem de acerto tão meritória, em especial se pensarmos que dos 4 assinalados como "positivos", apenas 1 deles (Montero) é um jogador de classe, que, ainda por cima, só em situações de desespero jogou em conjunto com a outra contratação (Slimani) e que Maurício é um jogador banal e limitado, com a grande vantagem (para ele) de saber e ter conhecimento dessas suas limitações. Mas não passará disto...

O Jefferson foi uma contratação positiva. Mas, ainda assim, nada de muito especial e até uns furos abaixo do que o vi fazer no Estoril...

De resto (e sem contar com aquela horde de "estrangeiros de segunda para a segunda equipa"), não havia alternativas para defesa esquerdo e meio-campo no geral. Acho que em vez de andarmos a perder dinheiro com Cissé, Shikabala, Magrão, Welder e a dita "horde" seria preferível irmos buscar 2 em vez de 5, mas com qualidade.

O que não foi feito. Tal como não vejo planeamento para a equipa B e formação, o que me preocupa seriamente!

Diria mesmo que a afinarmos por este diapasão para a época que vem, corremos o sério risco de nos darmos bastante mal e não foi à toa que LJ falou hoje em "outro tipo de soluções"...
Sem imagem de perfil

De M a 10.05.2014 às 03:30

Você estaria certo se em vez de dizer que "Acho que em vez de andarmos a perder dinheiro com Cissé, Shikabala, Magrão, Welder e a dita "horde" seria preferível irmos buscar 2 em vez de 5, mas com qualidade. " dissesse que teria a certeza que desses dois nenhum iria sair errado. É que a lei da competência nem sempre combate a lei das probabilidades... e nem sempre mais caro é melhor, ao contrário do que a lei-sombra do capitalismo queira parecer...

Assento, no entanto a base no seu "Tal como não vejo planeamento para a equipa B e formação, o que me preocupa seriamente!", ainda que não concorde no que à equipa B concerne, não vejo de igual forma um incremento qualitativo (porque é isso que está em causa) quanto ao scouting e recrutamento (mais uma vez, porque é isso que está em causa). E aqui sim estará o verdadeiro problema a médio/longo-prazo...
Sem imagem de perfil

De Balajic a 12.05.2014 às 10:19

Caro M,

Acho que, no essencial, acabamos por estar a falar do mesmo.

Quanto às contratações, referi "duas de qualidade" e não "duas contratações com a certeza de que nenhuma iria sair errada", porque não podemos ter certezas destas no futebol e nunca saberemos (salvo raríssimas excepções que apenas servem para confirmar aquela regra). No entanto, se fizermos contratações de jogadores de reconhecida qualidade, a probabilidade (como diz) de acertarmos é maior.

Ora, se é certo que, como diz, nem sempre o mais caro é o melhor, também é certo que, apesar de estarmos num mercado cada vez mais "globalizado" em que (quase) toda a gente está bem informada sobre (quase) tudo, também não é menos certo que ainda vamos conseguindo, se trabalharmos para isso, encontrar jogadores de qualidade por um preço acessível ao Sporting.

Assim se trabalhasse tendo em vista os superiores interesses do clube e nos os próprios ou os de empresários amigos (que acabam por, indirectamente, desembocar nos próprios).

E aqui acabamos por ir parar à segunda questão, na qual concordo consigo, pois, no fundo, acabou por expressar melhor aquilo que eu queria dizer logo no princípio.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 10.05.2014 às 11:55

Caro Balajic,

Peço imensa desculpa por inadvertidamente ter editado o seu breve reparo ao meu comentário. Acontece que onde me encontro neste momento estou a utilizar a ligação "mobile" à Net - que é algo incerta - e no processo de tentar escrever um "PS" ao meu comentário, algo aconteceu que editou o mesmo e com este, os que estavam associados ao mesmo.

De qualquer modo, como indicou, e bem, dois jogadores para cada posição dá 22 e não os 24 que eu escrevi. Na realidade, queria dizer 22 jogadores de campo mais dois guarda-redes. Acho que também comentei que mais importante do que a quantidade é a qualidade, caso contrário o treinador irá recorrer aos mesmos 13/14 como fez esta época.
Sem imagem de perfil

De Balajic a 12.05.2014 às 10:23

Ora essa Rui! Não se preocupe.

Fiquei apenas na dúvida se queria referir-se a 22 + 1 GR ou a mais jogadores...

Segundo me informaram neste fim-de-semana (e valerá o que vale, pois trata-se de pessoa relativamente bem informada, mas isto do futebol é tal e qual como dizia o Pimenta Machado) existem 5 jogadores que estiveram na equipa B e que irão subir para fazer um plantel mais alargado do que esse número (23): Esgaio, João Mário, Rúben Semedo, Iuri Medeiros e Dramé.

Logo veremos é se o treinador é o mesmo...
Sem imagem de perfil

De Petinga a 10.05.2014 às 07:17

A análise das contratacoes é boa, pese embora o facto de Maurício ser melhor do que a descricao feita (tornou-se um mal-amado de uma certa franja de adeptos) e Heldon ir evidentemente fazer a pré-temporada (pelo investimento que representou e pelo facto de ter chegado a meio da época).
Penso que é importante também nao esquecer o constrangimento decorrente de ter que ir ao mercado com uma penúria de receitas, num ano em que era fulcral parar a hemorragia orcamental dos últimos anos. Para mim, tudo se resume a uma coisa: scouting/prospeccao. Tendo em conta que o Sporting quis, mas nao teve argumentos para resgatar, Rafa, Carlos Eduardo, Josué e Ghilas, e que mesmo assim ainda conseguiu encontrar como solucoes de recurso (porque nao inflacionadas em compita com os rivais) Montero, Slimani, Maurício e Jefferson, esse saldo é positivo. Também me apraz constatar que qualquer dos "flops" (à excepcao talvez de Vítor?) pode ser facilmente dispensado no Verao sem quaisquer encargos para a SAD.
Para 2014-15, a almofada financeira da champions ajuda mas nao é tudo. Sem encaixe financeiro nao será possível ir ao mercado. Resta saber se nos dossiers do scouting há "pechinchas" tao capazes como as deste ano. Parte da reabilitacao financeira passa por ser capaz de contratar um Maurício por 300 mil euros e vende-lo no final da temporada seguinte por 4 ou 5 milhoes (para dar um exemplo simplista).
Sem imagem de perfil

De Mike Portugal a 10.05.2014 às 09:34

Vamos lá ver uma coisa. Acho que há aqui (e não só aqui neste blog) um engano muito grande. A principal competição do SCP, para o ano, continuará a ser o campeonato Português. E para o ganhar esse título não é necessário contratar grandes estrelas. Este ano demos luta ao "super-benfas" mesmo com uma equipa de "recurso".

Nós precisamos para alem de manter a equipa titular que temos, prioritáriamente de um 10 (lembram-se de Evandro?) e de um extremo (lembram-se de Sebá?) de qualidade para podermos ganhar, NO CAMPEONATO, com mais regularidade.

Estes para mim são os 2 mais necessários. Depois vêm os outros:
- Defesa central só se o Rojo sair, senão a dupla será Dier e Rojo;
- Defesa direito o Esgaio pode fazer a posição se Cedric se lesionar ou for castigado;
- Defesa esquerdo precisamos de facto duma alternativa por causa das competições europeias (mas não por causa do campeonato);

- Meio-campo: termos de volta o João Mário e também gostei do Filipe Augusto do Rio Ave. Temos alguns na B para testar como o Iuri e o Chaby;
- Avançado: Derley
Sem imagem de perfil

De sloct a 10.05.2014 às 10:05

É evidente que a principal competição será o campeonato, é evidente que não temos ilusões de ganhar a Champions, mas também é evidente que vamos ter pelo menos mais 6 jogos (dando de barato que ficamos em último do grupo, o que não é certo), e 6 jogos cuja intensidade e desgaste não têm nada a ver com os joguinhos do nosso campeonato.

Dito isto, é fundamental dotar o plantel de mais elementos de qualidade, não são 2-3, são 7-8, e para todas as posições, por muito que custe (€€€€) a realidade é essa.
Sem imagem de perfil

De Balajic a 12.05.2014 às 10:24

Nem mais!

Aqui a grande questão (e, consequentemente, o grande mérito) será o de conseguir esses 6/7 reforços (realmente reforços!) ao menor custo possível...
Sem imagem de perfil

De Jorge a 10.05.2014 às 10:27

Desta vez concordo de maneira geral com o post do Desert Lion. Como já foi apontado por outros leitores, apenas acho que Heldon terá oportunidade de mostrar mais (se tem qualidade, vamos ver), enquanto Shikabala parece-me ter muita qualidade e espero que venha a ter oportunidade de a mostrar.

Considero Welder e Magrão como as contratações "sem sentido" à partida e Cissé, podendo haver algum sentido, sem dúvida que não foi bem sucedido. Mas, e como foi bem dito pelo Desert Lion, foram contratações baratas, onde não se investiu muito dinheiro e onde será relativamente fácil de desvincular, ao contrário de muitos flops made in Duque&Freitas.

Para a próxima época, e mantendo os melhores jogadores da equipa, se formos buscar outro "Montero" para outra posição, um Jefferson, Slimani e um Maurício para outras (em termos de rendimento) será bastante bom e teremos possibilidades de fazer boa figura na Champions e um bom campeonato.

Só um comentário quanto ao Maurício. Um jogador em que não acreditei no início, mas hoje sinto que estava muito enganado. Não sendo um prodígio técnico (Rojo é superior nesse aspecto), trasmitiu muita segurança à defesa (raramente comprometeu com erros individuais), pela primeira vez em muitos anos os adversários pouco ou nenhum perigo criaram nas bolas paradas, excelente jogo aéreo, raça, dedicação e um pilar do balneário, um autêntico "xerife".
Sem imagem de perfil

De L a 10.05.2014 às 10:45


Análise fortemente influenciada pelas duas ultimas épocas diga-se completamente atípicas, 12/13 pelo que não fizemos e 13/14, sem europa e pelo que não fizeram outros. Ao nível das contratações completamente de acordo com o Balajic, um bom avançado e um avançado forte no jogo aéreo. Todo o restante camião, muito mais que onze, com um nível muito inferior a um dos argumentos utilizado para atacar Couceiro durante a campanha, as contratações na época com Carlos Manuel. É sempre possível utilizar pior 1 euro que 1 milhão.

E também concordo que a formação, mais uma vez a grande responsável por uma época muito acima das expectativas, acabou por ser a mais atingida, sobretudo na estrutura. Acontece que querer discutir algo como a formação no Sporting, que necessita sempre de um plano estratégico a médio e longo prazo ou outra área qualquer com todas as mudanças que têm vindo a acontecer desde a saída de Dias da Cunha é o mesmo que estar quieto e nem é preciso olharmos para os principais adversários, basta pensar se alguma empresa de sucesso também resistia. Estávamos todos à espera do quê? De um fanfarrão como o Bruno porque o Barroso andava subaproveitado é que não era de certeza.

É verdade que sem entradas de capital de fora todos os clubes vão ter que passar pelo inevitável downsizing e quem não o fizer alguém o fará. Há que aproveitar as mais-valias enquanto o mercado valer essa realização mas é cada vez mais fundamental um modelo de negócio mais sustentável com proveitos operacionais, não só baseado nos decorrentes da venda de direitos económicos dos jogadores. No Sporting também já existia inclusive um plano de negócio a médio prazo onde estava prevista a contenção, que já tinha aliás começado. Com a optimização e diminuição de encargos com recursos humanos e mais directamente com o plantel. E a médio prazo porque há sempre alguma rigidez como contratos plurianuais, etc, etc, etc.

Num ápice tudo completamente ignorado com grandes perdas e autênticas perseguições a grandes leões, claro que todos com ordenados pornográficos nos desportivos. Os que ganhavam 1000 euros perdiam 150, outros nem cavaco e tudo para facilitar ainda mais a entrada aos amigos, que é sempre o que as soluções milagrosas arrastam, mais do mesmo. E aqui há sempre que lembrar que até o Vale Tudo original ainda leva mais anos de Benfica que de sacristão na Carregueira e aonde é que andam hoje os seus grandes apoiantes? Da mesma forma que a consequência mais grave de tanta turbulência é que o timming para o donwsizing no Sporting já passou há muito. Mais do que frases com mais de 100 anos recapitalizar a SAD já era urgente ontem. E já ficou muitas vezes o aviso e a prática para o que o Leonardo Jardim anda a tentar chamar a atenção a todos, épocas de excepção em clubes com pequenos orçamentos são mais das vezes mais prejudiciais que benéficas.

Por isso mesmo é que ninguém pode levar a mal um treinador que pensa na sua vidinha, qualquer um sabe que pode passar de bestial a besta numa época e não é preciso querer ganhar a Champions como os lampiões para só a Europa vir mudar tudo, como o treinador está cansado de saber. E nem a grandeza do Sporting devia ficar agarrada às fatalidades do mercado, se bem que também nunca me lembro de ver um treinador do Sporting obrigado a focar-se mais no erro do adversário, a partir de determinada altura, do que na posse de bola de início de época e tudo por falta de soluções. Até estes últimos jogos em que já não é carne nem peixe. Que transite sobretudo de época a forma como todos os jogadores do Sporting voltaram a encarar a adversidade, de longe o ponto mais positivo da época.

Sem imagem de perfil

De Balajic a 12.05.2014 às 10:40

Nem mais! Como, aliás, ontem tivemos oportunidade de constatar...
Sem imagem de perfil

De Leão da estrela a 10.05.2014 às 13:54

Concordo no geral com a análise efectuada.

É lógico que no próximo ano precisamos de reforços de qualidade para jogar o campeonato e fazer uma carreira digna nas competições europeias.

Mas, o que me preocupa mais neste momento é uma questão estrutural.
A equipa B e a formação são o futuro do Sporting pois, será expectável que seja daí que venham a surgir nomes para futuramente jogarem na equipa principal.

Reparem que muito se tem criticado as direcções anteriores (no geral críticas que
fazem sentido) mas, não nos podemos esquecer que este ano no plantel principal tínhamos um conjunto de jogadores oriundos da formação (e, esses jogadores são provenientes da formação dos tempos de anteriores direcções). Nota: para quem pense já vir dizer que estou com saudades de Godinho Lopes e do tempo dos croquetes, informo que não votei em Godinho Lopes nem na generalidade dos presidentes que estiveram no Sporting antes dele.

Pelo que se percebeu este ano, houve um conjunto de conflitos entre Abel (treinador da equipa B) e alguns jogadores. Houve situações em que Abel criticou em público jogadores. Como sabemos, quando isto acontece, isto gera desmotivação no plantel e, desvalorização desses activos que são criticados. Isto devia ser bem analisado pela direcção e verificarem o impacto que estes casos tiveram na performance e desvalorização de alguns jogadores.

Por outro lado, na formação, provavelmente acabaremos o ano sem qualquer título nacional. Isto é algo a que não é habitual no Sporting. Receio que a formação esteja a ser mal trabalhada e, isso vai ter impacto daqui a alguns anos. Caso não haja jogadores a surgirem da formação, isso implicará ter de comprar jogadores e, isso tem um custo elevado que, é preocupante face a situação do Sporting.

Saudações Leoninas
Imagem de perfil

De Desert Lion a 11.05.2014 às 08:23

Absolutamente de acordo, caro Leão da Estrela. O que se passa na nossa formação , e mesmo na Equipa B, e' por demais preocupante. Parece-me haver algum desnorte a este nível , devido a erros de gestão de Recursos Humanos. Muito haverá a corrigir neste defeso.

SL
Sem imagem de perfil

De Leão da estrela a 11.05.2014 às 16:03

Caro Desert Lion

O problema dum mau trabalho na formação e equipa B, pode ter impacto durante muitos anos.
Quando se criticam em público alguns activos, estamos a desvalorizar os mesmos. Será importante ter isso em consideração.
Não digo que não devam ser criticados os jogadores pois, se existem motivos para críticas, as mesmas devem existir para que os jogadores possam crescer. Mas, os elogios devem ser feitos em público mas, as críticas em privado.
Infelizmente não é isso que tem acontecido

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo