Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, foi nomeado esta quarta-feira para uma das vice-presidências da UEFA, tornando-se no primeiro português da história a chegar ao cargo.

 

2015-06-02-fernando-gomes.jpg

 

«Enquadro a minha função na UEFA representado pela minha própria pessoa, mas acima de tudo na representação de Portugal e o que tem conseguido nas instâncias internacionais. Não só eu, mas a participação de várias pessoas ao mais alto nível nas decisões tanto da UEFA como da FIFA. É o reconhecimento de Portugal como um ‘player’ extremamente importante nas definições quanto ao futuro de competições e da própria organização»

 

Fernando Gomes, que foi escolhido pelo líder da UEFA, o esloveno Aleksander Ceferin, será um dos quatro vice-presidentes do organismo, que secundam um primeiro vice-presidente, que funciona como o número dois do esloveno, ficando o português com a pasta do relacionamento com os clubes, função que vem desempenhando desde 2015.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:38

 

portuguese-football-federation-logo.jpg

 

Sporting e FC Porto foram dois dos quatro delegados que não subscreveram a recandidatura de Fernando Gomes à presidência da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), cujas eleições estão marcadas para o dia 4 de Junho na Cidade do Futebol, em Oeiras.

 

A lista de Fernando Gomes foi subscrita por 80 dos 84 delegados da Assembleia-Geral federativa, mas, pelos vistos, Sporting, FC Porto, Académica e AF Viana do Castelo não subscreveram o apoio ao antigo vice-presidente portista.

 

Fernando Gomes, foi o único candidato a apresentar listas concorrentes às eleições dos órgãos sociais da FPF e, tudo indica, irá cumprir o seu segundo mandato na cadeira da presidência do futebol português.

 

José Fontelas Gomes será o presidente do Conselho de Arbitragem e José Manuel Meirim assume a liderança do Conselho de Disciplina. A restante composição das listas deverá ser conhecida em breve.

 

Surpresa, para mim, pelo menos, a integração do Dr. José Manuel Meirim - especialista em Direito Desportivo - pessoa que colaborou com o Camarote Leonino em várias ocasiões. Consta que é adepto do Benfica, no entanto, queremos acreditar que esse factor não influenciará a sua imparcialidade e objectividade.

 

Há muito que insisto que a suposta oposição a Fernando Gomes por parte do clube portista é apenas para "inglês ver", que, na realidade, não passa de uma estratégia. No que ao Sporting concerne, confesso que desconheço a especificidade do seu descontentamento com o líder federativo. Mas este é um exemplo clássico do que é debatido aqui no blogue com alguma frequência; não basta ser da oposição, teria de se fazer um esforço para apresentar uma candidatura alternativa mais ao agrado.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:52

Frase da Semana

Rui Gomes, em 10.01.14
 

 

"Se houver coerência, Cristiano ganhará a Bola de Ouro"

 

 -    Fernando Gomes    -

Presidente da Federação Portuguesa de Futebol

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:48

O que dizem eles

Rui Gomes, em 18.10.13

 

 

 «Quando dizem que estamos em fase complicada, de muitos problemas, as pessoas têm memória curta. As circunstâncias têm explicações  conjunturais. Se virem bem, os quadros da actual Selecção A são baseados num conjunto de jogadores que em 2004, 2005, integravam a equipa do Sporting, ela própria resultante de uma política desportiva então existente no clube e que tinha também a ver com condicionantes financeiros. E se repararam também, os outros dois grandes clubes nacionais, sensivelmente por essa mesma altura, enveredaram por uma política com poucos portugueses nas equipas principais e, mais grave, até nos juniores. Hoje estamos a sofrer na pele essa falta de investimento na formação do passado.»

 

-    Fernando Gomes    -

 

Observação: Um reconhecimento público por parte da Federação Portuguesa de Futebol que peca por tardio e, ao fim e ao cabo, acaba por ser inconsequente, porque o futebol português não tem a coragem, e muito menos a vontade, para limitar a utilização de estrangeiros pelos clubes. Dito isto, esta disposição só explica parcialmente o actual estado da Selecção A, já que mesmo com esses condicionantes temos mais do que suficiente talento disponível para termos garantido o apuramento directo para o Mundial 2014. Não termos concretizado este objectivo deve-se muito mais a uma carente mentalidade competitiva que requer análise e rectificação, se possível, face ao ADN português. Este último factor também ajuda a explicar algumas das discutíveis decisões e opções do seleccionador nacional, não obstante o seu generalizado bom trabalho.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:03

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D


Posts mais comentados



Cristiano Ronaldo