Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

imageXCSQ4AXI.jpg

 

"Só há uma verdade...

 

Muito pensei e hesitei antes de decidir intervir em plena campanha eleitoral do Sporting Clube de Portugal. E isto porque me considero um indivíduo isento, que gosta muito do seu Clube e que naturalmente segue com atenção, ainda que à distância, este momento eleitoral.

 

Na verdade, desde cedo intuí que não me surpreenderia com o facto de que qualquer um dos candidatos falasse de mim ou usasse indevida ou abusivamente o meu nome. Afinal, já mesmo fora do contexto deste processo eleitoral foram a meu respeito proclamadas calúnias várias que, a seu momento e no devido local, os tribunais, esclarecerão os Sportinguistas e o público em geral sobre a verdade.

 

Posto isto, o que me levou a escrever estas palavras é, por um lado, a revelação de uma gravação; e, por outro, a invocação do meu nome por parte de José Maria Ricciardi num tom e numa linguagem que considero, no mínimo, ligeiros e abusivos.

 

Já muita gente irresponsável me destratou na televisão do Sporting e em outros meios de comunicação social. Mas sim, é gente irresponsável e sobre a qual não nutro qualquer respeito - tenha essa gente o lugar que tiver no clube... Gente que se considera maior do que o Sporting e que, por uma estrita questão de ego, acredita estar acima do Clube. Mas essa gente simplesmente ignoro-a e não dou resposta.

 

No entanto, crendo ainda ser José Maria uma pessoa de bem, entendo que devo repor a verdade em duas frentes:

 

- sobre a gravação, ouvi com atenção, telefonei a Sikander Sattar (pessoa em que acredito) e fiquei sem dúvidas de remontar a 2013. Não posso deixar de criticar veementemente a forma como se grava uma "reunião" e se usa a mesma, como se os presentes tivessem sabido e concordado na sua divulgação. Sobre o conteúdo, seguramente, quem esteve presente explicará;

 

- no que se refere ao propalado Plano de Reestruturação, não é natural que José Maria Ricciardi, embora não participando nas reuniões, ignorasse que se fizeram em 2012 e nos princípios de 2013. Embora Sportinguista dos "quatro costados", mas isso somos todos, prejudicou e sobremaneira o Clube pelas suas atitudes de querer controlar os candidatos. E não gostei das afirmações que ouvi.

 

José Maria "empurrava" Sikandar Sattar (e este sim, deu a cara vezes sem conta pelo Clube) para que convencesse os bancos a ajudar o Sporting. E também é verdade que José Maria me apoiou depois e que me acompanhou nas reuniões do Conselho Directivo.

 

Mas também no seu modo de querer controlar, recordo que Daniel Sampaio, em entrevista ao Diário de Notícias, revelou jantares com Eduardo Barroso nos quais diz que José Maria o incitava a ser Presidente - quando eu ainda era o Presidente. E já fora assim em 2009, com José Eduardo Bettencourt, quando se hesitava entre este actual administrador do Novo Banco e Eugénio Dias Ferreira como candidatos.

 

Não foi assim comigo pois, quando me pediu para ir a uma reunião, no início de 2011, convencido de que me iria condicionar, tratei de, taxativamente, o informar de que seria candidato às eleições.

 

Caro José Maria, sabes que a Reestruturação financeira estava pronta. Pronta, mas não por ti nem contigo. Pronta, sim, numa reunião final na KPMG, com os administradores dos dois bancos credores, Millennium e BES, Sikander Sattar e comigo.

 

Caro José Maria, quem salvou o Sporting foram os Sportinguistas, não algum Salvador ou milagre.

 

O tempo encarregar-se-á de repor a verdade e não é por tantas vezes invocares o meu nome que o "milagre" se vai fazer.

 

Cumprir com os bancos no primeiro ano não foi obra de um grande gestor, foi  apenas obrigação, para sobreviver. A partir daí basta olhar para as contratações e o desatino total.

 

Agora, caro José Maria, tanta preocupação e interesse, para mais consubstanciados ao longo de tantos anos de intervenções na sombra, não crês que estaria na altura de te candidatares e de, assim, demonstrares o teu amor, que conheço, pelo Sporting Clube de Portugal? E demonstrares que, como eu, não precisarias de te servir do Clube nem do Clube para viver? Ou será que nunca o farás por teres a perfeita noção, por fora claro, dos prejuízos pessoais, familiares, económicos, empresariais e de imagem que tal decisão acarreta - como em mim acarretou?

 

Sabes bem que o Sporting está acima de mim e que eu, por ele, me tenho mantido calado. Mas quando falam de mais de mim e me destratam de forma vil e mentirosa, não me calo. Nem hoje, nem nunca!"

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:52

Comunicado de Luiz Godinho Lopes

Rui Gomes, em 15.01.17

 

godinhobruno1.jpg

O antigo presidente do Sporting Clube de Portugal, Luiz Godinho Lopes, emitiu um comunicado este sábado, intitulado Contra o branqueamento da História, através do qual visa a actual Direcção de forma crítica, considerando que «a “mão salvadora”, uma vez mais, da actual Direcção, agora no início de 2017, cerca de 4 anos depois de eu ter saído (Março de 2013), não engana ninguém a não ser evidenciar a desorganização interna do Clube, pelo que, assim, não tem outro propósito senão o de confundir os mais incautos ou distraídos».

 

Eis o comunicado na integra:

Contra o branqueamento da História

Como desde a primeira hora, e sempre que sobre mim ou a equipa que liderei no Sporting Clube de Portugal saem referências falsas e ou deturpadas, venho esclarecer:

i). desde o primeiro momento fui sensível aos superiores interesses do Sporting Clube de Portugal e, por isso, apesar de desafiado a descer à praça pública para esclarecer, considero o Clube e a sua estabilidade o bem mais precioso pelo que tantas vezes me tenho inibido de responder a quem sobre mim lança tantas e infundadas acusações e suspeitas;

ii) nos últimos meses de 2016, a pedido do PMAG, desloquei-me ao Clube, onde, durante mais de sete horas, respondi de forma voluntária e colaborante a uma Comissão de Inquérito unilateralmente constituída pelo Conselho Directivo, tendo-me, no final, limitado a produzir considerações positivas. Isto mesmo sabendo antecipadamente qual seria o desfecho sobre os processos em curso;

iii). na manhã de ontem foi publicada no Correio da Manhã uma notícia que reincide em informações falsas (pois aludem a contas escondidas) enganadoras mas que, ainda assim, terão da minha parte resposta só em comunicado dado o momento importante da vida do Clube: a decorrer a época desportiva e: com eleições a 4 de Março;

iv). se, todavia, esta campanha contra mim se mantiver, reservar-me-ei o direito de alterar o silêncio que devo por respeito aos atletas e equipas técnicas, que nas mais diversas frentes trabalham diariamente para o sucesso do Sporting Clube de Portugal. Não serei eu, pois, quem continuará a desestabilizar!

v). faço este comunicado pois o Correio da Manhã de ontem faz duas referências ao meu mandato: contas da SGPS e pagamento a Pedro Baltazar.

Ora, como é do conhecimento de todos, saí em Março de 2013; as contas da SGPS naturalmente são todos os anos aprovadas e fechadas como o foram na época de 2011/2012. Havia, como para todas as empresas do Grupo Sporting, um auditor, BDO e foram entregues nas Finanças. Só não foram registadas na Conservatória, como acabo de apurar, pela instabilidade que se vivia no Clube; o que pelos vistos também ocorreu no final das épocas, 12/13, 13/14, 14/15 e 15/16 por responsabilidade exclusiva da actual direcção. Falar em eventual dissolução da SGPS e “mão salvadora”, uma vez mais, da actual Direcção, agora no início de 2017, cerca de 4 anos depois de eu ter saído (Março de 2013), não engana ninguém a não ser evidenciar a desorganização interna do Clube, pelo que, assim, não tem outro propósito senão o de confundir os mais incautos ou distraídos. Não merece mais comentários.

.vi) Sobre o “pagamento a Pedro Baltazar” e exclusivamente também para esclarecer:

o valor mencionado, na medida em que o seu pagamento não está em causa, resulta este de um acordo feito entre a anterior Direcção de José Eduardo Bettencourt e o representante do accionista de então e membro do CA da SAD, Pedro Baltasar; li que o pagamento tem vindo, pelos vistos, a ser feito através de acordo com a actual Direcção - congratulo-me com esse facto, pois a minha direcção estava a negociar pagar cinco não seis milhões de euros quando o mandato foi, como se sabe, interrompido;

vii) afinal virá um sucedâneo a esta Direcção a pagar os acordos que esta fizer em nome do Sporting e por termino do seu mandato, e que ainda sejam vindouros. Sempre sucedeu e sucederá em qualquer sociedade.

viii) Esperei e desejei que a nossa equipa vencesse, em Chaves, de modo a assumir um lugar na classificação de acordo com o seu valor e que afinal os sócios e adeptos do Sporting merecem e desejo também e que nos concentremos no acto eleitoral que se avizinha, deixando para os Tribunais aquilo que a Direcção actual entendeu ser lá discutido;

ix) basta de “bodes expiatórios” e atitudes de auto-flagelação para, destruindo o Clube por dentro e dividindo o mesmo, e desviando as atenções do essencial: unir os Sportinguistas e engrandecer o nosso Clube.

Viva o Sporting

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:48

 

19937295_PatH5.jpg

 

Tribunal popular ou colectivo de Alvalade. Começou com Roquette, acompanhado do seu advogado. A provecta idade do ex-presidente retirou-lhe lucidez e fê-lo satisfazer-se com pouco. Uma audiência sem história.

 

Depois foi o dia de presença de José Eduardo Bettencourt e de Luiz Godinho Lopes na travestida "comissão". Se a primeira presença se esperava, já a última apenas se compreende pelo facto do engenheiro querer "por os pontos nos is" junto de adeptos, isto para quem, como ele, processou Azevedo de Carvalho, sede em que Bruno terá de prestar contas. Ainda assim eu não o teria feito.

 

Bettencourt não foi só. Acompanhavam-no 3 (!) advogados 3, um dos quais um ilustre sportinguista. Quando se chegou ao tema "comissões" Bruno começou a não gostar da história tais foram os números comparativos que foram esgrimidos pela outra parte a este propósito.

 

Nesse dia, em que Godinho Lopes também foi ouvido, marcaram presença, pelo Sporting, entre outros, Azevedo de Carvalho, Marta Soares, jovens membros das emudecidas claques e o único personagem que dominava os dossiers em questão, Nuno Silvério Marques, este quiçá lembrado dos seus velhos tempos de Colégio Militar.

 

Ausência notada a de Bacelar Gouveia, presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar, a contas com o processo que Godinho lhe moveu e com crescente afastamento da entourage de Bruno.

 

O bombeiro de Vila Nova de Poiares teve (mais) um dia negro. Confrontado, na audição deste, com o facto de ter sido um entusiástico adepto de Godinho Lopes,  o comendador Marta Soares tremeu e, à falta de outros argumentos,e  perante o olhar desconfiado da plateia, saiu-se com a única estirada possível: a de que se tinha enganado quando havia tecido públicas loas a Godinho, perguntando, em voz alta, e visivelmente incomodado, se não tinha direito ao erro.

 

Foi o começo do incêndio que antes ameaçara já pegar com Bettencourt.

 

E o fogo alastrou mas para o lado menos esperado tal a força do vento na sala. Da parte do Sporting, Bruno, qual delegado do Ministério Público, abre o libelo acusatório e dispara balas contra o seu antecessor, falando, essencialmente, dos gastos por época. Godinho, que chegara sozinho e sem advogado, e revelando um apreciável domínio dos dossiers e dos números, mesmo os actuais, respondeu-lhe à altura e demonstrou-lhe que os gastos do consulado de Carvalho eram, afinal, bem superiores aos seus. Carvalho, atordoado, afinou e nunca mais se recompôs. Visivelmente agastado e não esperando estar a ser derrotado em casa, precisamente na área em que, supostamente, "dá cartas", abandonou o recinto de jogo. E, quando se esperaria que retornasse nem que fosse para uma tentativa de "faena final", de Bruno nem mais uma sombra se viu. Partira para não mais regressar deixando os seus pares órfãos do "Querido Líder"!. O desapontamento entre os seus apaniguados era já indisfarçável...

 

No final de 7 horas de tribunal com Godinho, a que se somaram as 4 de Bettencourt, o plano de Bruno falhara. No momento final em que se esperava que as coisas ficassem por aí, eis que o ausente Bruno teve de "engolir novo sapo". Virando-se para Godinho Lopes, dois associados representativos de sectores do clube, envergonhados com tudo o que se passara e afirmando não se rever naquele tipo de postura, pediram-lhe desculpa.

 

Era o fim de festa e o porquê de Godinho Lopes ter publicamente declarado "sair mais aliviado de Alvalade". Bruno, esse, ainda não acredita que o tribunal de "faz de conta" que resolvera criar lhe trouxesse, afinal, tanta dose de arrependimento.                                    

 

Há dias em que nem Nuno Saraiva o safa. Nessa noite Bruno dormiu atormentado. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:39

 

bettencourt_jpeg.jpg8255039_fUnnC.jpg

  

Depois de José Eduardo Bettencourt ter sido ouvido pela denominada "Comissão" durante quatro horas, foi a vez de Godinho Lopes também dar explicações sobre os seus seis anos de mandato, processo que durou cerca de sete horas, esta quarta-feira.

 

No final da sessão, teve isto para dizer.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:02

Sem cabeça e sem dimensão

Ricardo Leão, em 08.04.16

 

19431365_0zQGr.jpg

 

«Se não fosse uma atitude pequena do actual presidente em não pensar grande à dimensão do Clube, é evidente que estaria ao lado dele, acima de tudo sou sportinguista. Acho que não tem dimensão nem tem cabeça para estar ao nível do Sporting, à dimensão do Clube».



Luiz Godinho Lopes, ex-Presidente do Sporting

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:01

Godinho Lopes visa Bruno de Carvalho

Rui Gomes, em 11.07.15

 

i.jpg

 

Em uma extensa entrevista publicada este sábado no jornal "i", Luiz Godinho Lopes faz alvo bastante crítico de Bruno de Carvalho e reitera que vai avançar com um processo em tribunal contra o actual presidente do Sporting:

 

 

Não vou dizer se Bruno de Carvalho é mais ou menos sportinguista do que eu, quanto muito será igual a mim. Não vou discutir se trabalha mais ou menos do que eu; trabalha 24 horas, eu trabalhei 24 horas. Não vou discutir se é assalariado no Sporting e eu nunca fui. (...) Soube baixar os custos. Eu teria feito de outra maneira. Não teria despedido toda a gente, mas isso são estilos de gestão. (...) Considero errado que ele pense que o Sporting começou quando ele chegou. Ou que desde o tempo de José Roquette ou de Pedro Santana Lopes é que as coisas começaram a correr mal. (...) Depois há toda a sua forma truculenta de trabalhar no que se refere à maneira de estar no Sporting, de gerir pelo medo, perante os trabalhadores, perante os jogadores. E isso vê-se na maneira como geriu os casos de Manuel Fernandes, Marco Silva ou o meu próprio caso. Revela, de facto, que não está para unir os sportinguistas.

Como é que 3 milhões de sportinguistas podem apoiar o Sporting quando o próprio presidente divide o Sporting ? Os aspectos que critico têm a ver com a maneira truculenta como gere, como cria casos. Passaram quase 30 meses desde que é presidente e não ouvem vozes contra. A única voz que se ouve agora sou eu ou Dias da Cunha porque fomos atacados.

Vou analisar a tal auditoria, ver aquilo de que me acusam e vou meter processos em tribunal. Não vou, naturalmente, visar o Sporting, que é o meu clube. Não vou atacar o Sporting, mas vou atacar as pessoas que promoveram quer as auditorias quer o inquérito. Não se pode lavar as mãos como Pilatos. (...) Não tenho nada contra o Sporting e quero um dia voltar a ser sócio reintegrado com toda a alegria do mundo. Não aceito é ser injustiçado.

 

 

Adenda: Mário Carneiro, director de comunicação do Sporting, reagiu em comunicado às declarações de Godinho Lopes na entrevista concedida ao jornal "i". Entre outras considerações, afirma:

 

Esta entrevista de Godinho Lopes soa a Réquiem que, como sabemos também foi uma obra encomendada: o momento, o meio, o conteúdo, em tudo há um canto de cisne.

 

 

E a "guerra" continua...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:28

 

 

O presidente do CFD Jorge Bacelar Gouveia esteve presente no telejornal de um canal televisivo para justificar as razões da expulsão de Godinho Lopes.

 

Refugiando-se na confidencialidade dos factos, referiu apenas dois motivos como se pode verificar pela audição em anexo.

 

O primeiro motivo decorreu de um contrato de promoção do Sporting nos Estados Unidos e na Índia proposto pela empresa SPAM. Custou 300 mil euros e o lucro rondaria os 3 milhões. Zero euros de lucros, garantiu o presidente do CFD.

 

O segundo motivo parece surpreendente. Godinho Lopes terá prescindido de uma verba compensatória no valor de mais de 1 milhão de euros decorrentes da transferência de João Moutinho para o Mónaco. Acontece que esta transferência verificou-se no final de Maio de 2013 e Bruno de Carvalho já era presidente do Sporting desde o mês de Março. Este facto justificaria uma apresentação mais rigorosa.

 

Depois de ouvir Bacelar Gouveia mantenho a convicção de que a expulsão do ex-presidente foi feita à pressa para ser “apresentada” na Assembleia Geral. Só isso é que explica que não se tenha avançado para as instituições judiciais competentes que fizessem a prova irrefutável da culpa do arguido.

 

Não defendo a impunidade de quem prevaricou, mas considero que a expulsão de sócio do Sporting é o último passo de um processo disciplinar justo e fundamentado juridicamente.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:58

Godinho Lopes já testemunhou no TAS

Rui Gomes, em 17.06.15

 

ngA5D893B0-ED0E-4723-8096-E60C6304DFD6.JPG

 

Na sequência da sua audição, esta terça-feira, em Lausanne, no Tribunal Arbitral do Desporto (TAS), Godinho Lopes emitiu o seguinte comunicado:

 

«Acima de tudo os valores do Sporting.

 

Não há muito para dizer sobre a minha intervenção, esta tarde, no TAS.

 

Primeiro porque me sinto obrigado à estrita confidencialidade imposta pelo tribunal em causa. Depois porque as minhas declarações apenas tiveram por função responder às perguntas dos árbitros, do Sporting Clube de Portugal e da Doyen; e justificar as decisões que tomei ao abrigo do contrato que assinei enquanto presidente do Sporting Clube de Portugal.

 

Porque seria incapaz de o fazer, no passado, no presente ou no futuro, nada declarei contra o Clube do meu coração.

 

Acima de tudo lamento as injustas acusações de que tenho sido alvo. Acusações que, ainda assim, jamais irão abater as minhas convicções pessoais e o meu amor pelo Sporting Clube de Portugal.»

..........................................................................

 

*** Tenho comentado este assunto de forma intensa nos últimos dias, e entre o muito que disse, consta o seguinte:

 

- "(...) Além de satisfazer questões do foro processual, no que à autenticação de documentação submetida como evidência diz respeito, não vejo o que mais poderá contribuir. Quanto muito, poderá confirmar o que é factual: foi ele que assinou o contrato com a Doyen e é conhecedor dos seus termos e condições".

 

- "(...) Continuo a não ver o que ele poderá contribuir a favor ou contra o Sporting, uma vez que não teve parte activa nas negociações e eventual transferência de Rojo".

 

- "(...) E, o facto de uma das partes o incluir na sua lista de testemunhas, não implica, necessariamente, que irá depor a favor dessa parte e em detrimento da outra. O que eu vejo aqui, salvo evidência em contrário, é uma necessidade de confirmar a validade de um contrato através das pessoas que o negociaram e assinaram".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:33

Afinal não é só fumo...

Rui Gomes, em 14.06.15

 

77028.jpg

 

O novo "quasi oficioso" porta-voz do Sporting reporta este domingo que a mais recente onda de indignação contra Godinho Lopes - com petições e afins - não é nada de novo, dado que o Conselho Fiscal e Disciplinar analisa deste Outubro um requerimento com 100 assinaturas que visa a expulsão do ex-presidente do Sporting, assim como de Luís Duque, Nobre Guedes e Carlos Freitas.

 

O presidente deste órgão social - Bacelar Gouveia - recusou comentar o assunto, mas o PMAG, Jaime Marta Soares, teve isto para dizer:

Esse processo está no âmbito do CDF, que é quem tem competência para o analisar, portanto está em segredo de justiça. Só me pronunciarei se e quando chegar à Mesa da Assembleia Geral.

 

Luís Pires, antigo membro do Conselho Leonino e um dos promotores do requerimento de expulsão dos acima referidos, afirma que o assunto ganha redobrada actualidade pelas circunstâncias em torno do caso "Doyen":

A Doyen é um pretexto para atingir a actual direcção, porque provocou uma auditoria e, caso existam indícios criminais, irá remetê-los para o Ministério Público.

 

Se a memória não me falha, alguém fez recentemente um apelo a união no universo leonino. É por de mais evidente que está à vista !??

 

 

Nota: Aviso, desde já, para não haver surpresas: o sistema de moderação deste post não será actividado, salvo surgir a necessidade pelos comentários com linguagem imprópria. Estes serão todo editados.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:46

Fantasmas e outros...

Rui Gomes, em 17.10.14

 

351579.jpg

 

"Bruno de Carvalho dispara para todo o lado em busca de fantasmas

que não existem, à procura não sei de quê"

 

A afirmação é de Luiz Godinho Lopes, em criticas que dirigiu a Bruno de Carvalho no programa "4x3x3" da RTP Informação, acentuando o seu desacordo com a decisão da actual Direcção de abrir a possibilidade de as anteriores Direcções poderem ser criminalmente responsabilizadas pelos resultados negativos das suas gestões. Eis algumas das suas principais declarações:

 

«Se o clube está em bom momento e estamos a ter bons resultados, tenho de me regozijar com isso. Bruno de Carvalho dispara para todo o lado em busca de fantasmas que não existem, à procura não sei de quê.»

 

«Respeito a decisão de qualquer sportinguista e de qualquer sócio. Respeito a decisão dos cerca de 300 adeptos do Sporting que estiveram na Assembleia. Não impugnei qualquer Assembleia Geral nem quero. Se o fizesse, estava a assumir que os sócios que ali estavam, o faziam de forma controlada.»

 

«Quando cheguei, o Sporting tinha resultados negativos. Fiz uma auditoria e, naturalmente, dei todas as explicações. Não andei na praça pública a atacar os antigos presidentes do Sporting.»

 

«Seria possível que em Abril de 2013 já houvesse uma reestruturação preparada com os bancos ? Isso foi feito um ano antes. Os contornos do acordo já estavam definidos pela minha administração. Tenho pena de não ter completado o meu mandato, mas sinto-me de consciência tranquila.»

 

«Izmailov foi contratado com base em critérios racionais. Na altura tinha potencial para ser convocado à selecção da Rússia e era dos melhores jogadores do Sporting, podia sair valorizado consoante o seu desempenho e ser vendido como mais valia para o clube.»

 

«Fui convidado para me candidatar à presidência da Liga por vários clubes e recusei.»

 

«Lamento ter sido beliscado 60 vezes por Bruno de Carvalho.»

 

Não assisti ao programa, admito, portanto, que Godinho Lopes tenha dito algo mais ou por outras palavras. O que cito neste post foi apurado pela pesquisa levada a cabo em diversos portais noticiosos. Creio, no entanto, que a essência das suas declarações correspondem ao acima referido.

 

Pelos conhecidos resultados financeiros da gestão do seu mandato, em geral, e pelos resultados desportivos, em particular, ainda atendendo que estará um processo cível em curso diante o Tribunal, tudo o que Luiz Godinho Lopes vier a público afirmar, indeferente do momento e do local escolhidos para o efeiro, e por legítimo que seja esse seu direito, não deixa de ser um exercício em futilidade, hoje e sempre.

 

Para ser sincero, além do que já constava publicamente, em termos gerais, ainda não tenho conhecimento da exactidão dos resultados da primeira fase da Auditoria de Gestão - já concluída - que abrange precisamente o mandato deste presidente. Por conseguinte, teremos de aguardar o desenrolar do processo cível, entre outros, para apurar de forma esclarecida, as conclusões da mesma.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:26

Impugnação da Assembleia Geral ?

Rui Gomes, em 10.10.14

 

ng3606073.jpg

 

Segundo o que está a ser hoje divulgado pela Comunicação Social, as três acções judiciais contra Luiz Godinho Lopes, Luís Duque, Carlos Freitas e Nobre Guedes já deram entrada na Instância Central de Lisboa (Palácio de Justiça), através das quais é exigida uma indemnização de 7,6 milhões de euros. 

 

Entretanto, Godinho Lopes terá enviado uma carta ao Conselho Directivo, invocando o n.º 2 do artigo 380.º do Código de Processo Civil, através da qual ele requisita que lhe seja enviada uma cópia da acta da Assembleia Geral realizada no passado domingo. Ao abrigo do mesmo artigo, a Mesa da Assembleia Geral tem 24 horas para fornecer o documento solicitado.

 

O que estará a ser ponderado - pelo antigo presidente e seus advogados - é solicitar a suspensão das decisões tomadas na Assembleia Geral, assente no no. 1.º do artigo 380.º do mesmo Código de Processo Civil, que cita: "Se algumaa associação ou sociedade, seja qual for a sua espécie, tomar deliberações contrárias à lei, aos estatutos ou ao contrato, qualquer sócio pode requerer, no prazo de dez dias, que a execução dessas deliberações seja suspensa, justificando a qualidade de sócio e demonstrando que essa execução pode causar dano apreciável."

 

Em causa, está o Ponto Quatro da Ordem de Trabalhos: "Discutir e deliberar sobre a propositura de acções  contra ex-membros dos Órgãos Sociais do Sporting Clube de Portugal, nos termos do artigo 172.º número 2 do Código Civil.

 

Através da proposta sobre a mesa - Ponto Quatro - aprovada pelos sócios por votação, que não fazia referência a qualquer dirigente em particular, o Conselho Directivo recebeu carta branca para agir judicialmente contra todos aqueles que, no seu parecer, tenham prejudicado de forma dolosa ou negligente o Clube. Por outras palavras, Bruno de Carvalho pediu aos sócios uma espécie de delegação de poderes na Direcção, para esta poder agir por sua própria iniciativa, quando e contra quem entender. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:15

Godinho Lopes "ataca" Bruno

Rui Gomes, em 28.09.14

 

 

O antigo presidente do Sporting reagiu em comunicado às recém-declarações de Bruno de Carvalho, sobre a investigação da UEFA ao Sporting, relativamente às regras do "fair-play" financeiro, acusando o actual presidente de desejar que o Sporting seja punido, "apenas porque isso serviria o seu patológico narcisismo e cumpriria o pressuposto que aparentemente mais o guia de denegrir até à insanidade os seus antecessores."

 

O comunicado completo de Luiz Godinho Lopes pode ser lido aqui.

 

Nota: O meu colega de blogue, Desert Lion, está a elaborar um texto sobre a questão do "fair-play" financeiro da UEFA, que deverá ser publicado em breve.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:41

 

 

O antigo presidente do Sporting Luiz Godinho Lopes divulgou hoje um comunicado em que justifica a contratações de 26 futebolistas, "sempre numa óptica de investimento".

 

"Tal como o Dr. Bruno de Carvalho pretendeu ser durante o meu mandato enquanto Presidente do Sporting Clube de Portugal, também eu continuo a ser um sócio atento e interessado na vida do Clube. O que vale por dizer que continuo a militar e a pugnar pelos seus sucessos, prestígio e engrandecimento", pode ler-se no início do comunicado divulgado à imprensa.

 

"Todas as contratações de jogadores realizadas durante os dois anos em que estive à frente da SAD foram objeto de escolha criteriosa, sempre numa óptica de investimento", assegura o antigo dirigente leonino, em comunicado.

 

O esclarecimento de Godinho Lopes, que presidiu ao Sporting entre 2011 e 2013, ocorre dias depois de o conselho directivo da SAD do clube ter anunciado a apresentação de uma proposta para a instauração de uma ação cível aos antecessores, na Assembleia-Geral (AG) de 1 de outubro. Na convocatória para a AG, os atuais responsáveis leoninos acusam Godinho Lopes, Luís Duque, José Filipe Nobre Guedes e Carlos Freitas de violarem "culposamente os deveres de diligência e cuidado a que estavam obrigados", causando assim "à Sporting SAD um prejuízo".

 

Contra as "imputações caluniosas" decorrentes desta proposta, que Godinho Lopes entende estar aprovada à partida "dada a maioria esmagadora que o clube detém na SAD", o antigo presidente recorda que "foram assim contratados 26 jogadores, dos quais 16 internacionais", referindo-se concretamente à aquisição do hispano-venezuelano Jeffren e os contratos assinados com o russo Izmailov e o peruano Rodriguez.

 

"Os três jogadores em causa, internacionais, já depois de saírem do Sporting Clube de Portugal, foram avaliados e contratados por outros clubes e dois deles, mesmo depois de terem deixado de envergar a camisola verde e branca, foram chamados às seleções dos respetivos países", salienta Godinho Lopes, recordando ainda que apenas Luís Aguiar não alinhou na equipa principal "e voltou ao seu país, para salvaguarda das relações com a equipa médica que o operou".

 

Para Godinho Lopes, este comunicado "deve ser suficiente para o esclarecimento de quem, de boa-fé, queira abordar este assunto". "No entanto, se necessário for, não deixarei de vir a terreiro detalhar as informações que forem entendidas como úteis relativamente ao número de jogadores contratados pela atual SAD, à sua utilização na equipa principal e o mais que seja preciso para efetiva defesa da minha honra e dos que me acompanharam no Clube e na SAD. De momento abster-me-ei de o fazer, pois pretendo apenas esclarecer factos e não criar polémicas, no máximo respeito possível pelo pacto de silêncio que assumi, exclusivamente no interesse do Sporting Clube de Portugal", remata Godinho Lopes.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:49

Comunicado de Luiz Godinho Lopes

Rui Gomes, em 11.09.13

 

 

 

C  O  M  U  N  I  C  A  D  O

 

«Informei no dia 26 de Março de 2013 o actual Presidente, que só faria intervenções públicas, quando pusessem em causa a minha honestidade, seriedade e responsabilidade no tratamento dos assuntos do Sporting Clube de Portugal.

 

Enquanto fui Presidente, o meu Sportinguismo, única razão porque me candidatei, foi demonstrado à sociedade e sempre defendi os superiores interesses do Clube.

 

Nunca usufruí, enganei ou utilizei quaisquer valores do Clube fruto das minhas funções de Presidente.

 

Tenho procurado manter o recato, de quem se preocupa exclusivamente com o Sporting Clube de Portugal e seu sucesso.

 

Tenho vibrado com as vitórias e seguido com atenção a vida do Clube. Tenho mantido uma postura de silêncio.

 

Não quiz até agora intervir nos meios de comunicação social, apesar dos inúmeros convites.

 

No entanto, em abono da verdade e para esclarecimento dos Sportinguistas, informo que no dia 26 de Março de 2013, véspera da tomada de posse, recebi o actual Presidente e mostrei e deixei, entre outra, informação relativa a todos os jogadores contratados durante o meu mandato ou da formação, onde é clara e indesmentível cada rubrica indicada:

 

- Valor da transferência; todos os custos relativos à mesma (clube, mecanismo de solidariedade, scouting, comissões, percentagem do passe do clube);

 

- Vendas, seus valores, parcerias e respectivos valores e percentagens.

 

Para além disso, como Sociedade cotada sempre prestámos com a verdade toda a informação exigida pela lei.

 

Assim, toda a análise que possa ser feita e interpretação das informações prestadas. Nunca poderá invocar, a sua falta (de informação) ou transmissão incorrecta, já que, para além de não fazer qualquer sentido (informar erradamente porquê ?), não corresponde à verdade.

 

Este esclarecimento não entra em detalhes, já que toda a informação disponível foi entregue como disse à actual Direcção (como seria nosso dever) e não é meu propósito trazer para a praça pública informação que pertence ao Sporting e aos Sportinguistas.

 

Quando entender necessário defender a minha honra e da minha Direcção fá-lo-ei sem medo e sem rodeios, numa clara demonstração da necessidade de repor a verdade e sobrepondo sempre os interesses do Sporting aos interesses pessoais.»

 

Luiz Godinho Lopes

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:39

Uma pergunta legítima

Rui Gomes, em 29.06.13

 

O presidente do Sporting, à margem de um colóquio, em Lisboa, sobre dirigismo no Desporto - faz bem andar na "escola" - fez a seguinte declaração perante a comunicação social: «Gostaria bastante de falar cara a cara com ambos ( Godinho Lopes e Dias da Cunha) para esclarecer algumas dúvidas.»

 

Se esta sua declaração foi no sentido de querer a presença dos dois antigos presidentes do Sporting na Assembleia Geral de amanhã não é bem claro, no entanto, a forma como se exprimiu e perante a imprensa, deixa no ar a incontornável percepção de insinuações, no mínimo, displicentes, que poderiam ser, e foram, sensacionalistamente aproveitas pela comunicação social: «Bruno de Carvalho quer falar com Godinho Lopes e Dias da Cunha». É portanto legítimo perguntar se não seria mais correcto e produtivo - para o Sporting - contactar ambos em particular e convidá-los para uma reunião onde poderia então apresentar as questões que ele entende que requerem esclarecimento. Claro, seguir o curso mais correcto e sensato não terá porventura o impacto mediático que ele pretende, em linha com a imagem de "guerreiro do povo" que tanto se preocupa cultivar para consumo público.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:09

 

O presidente do Sporting emitiu esta quinta-feira um comunicado em que dirige críticas a Camilo Lourenço pelo suas declarações de que o plano de reestruturação fianceira "era mau para todos" pelo seu desconhecimento do mesmo. O segundo alvo do comunicado foi o jornalista Pedro Santos Guerreiro por ter feito, na opinião do presidente, uma "sátira deselegante, totalmente desprovida de qualquer sentido de utilidade, e com mentiras graves que prejudicam a imagem do nosso Clube e dos seus dirigentes."

 

 

O antigo presidente do Sporting reagiu às recém-declarações de Bruno de Carvalho, emitindo um comunicado em que apela aos sócios para que votem favoravelmente o plano de reestruturação financeira que foi liderado por ele através do processo inicial que levou à fusão da SPM com a SAD e acusa o actual presidente de ter "proferido inverdades, uma vez que não respondeu de forma correcta sobre as assinaturas de contratos de última hora, investidores, indemnizações e seus valores e utilização de cartões de crédito, não defendendo o clube certamente por estratégia, já que atacava o passado do Sporting." 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:37

Ironia

Rui Gomes, em 02.04.13

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:11

A despedida do presidente

Rui Gomes, em 16.03.13

 

«Tenho procurado não falar, mas hoje queria dirigir-me a todos os sportinguistas, pois a vitória foi para eles. Foi uma vitória da humildade e da juventude. Uma vitória à Sporting! Gostei naturalmente de me despedir com este bom resultado. A segunda palavra que quero deixar é obviamente sobre a homenagem ao presidente João Rocha. Queríamos ganhar por ele e conseguimos dedicar-lhe uma vitoria merecida. Em terceiro e último lugar, desejo que as eleições decorram com toda a normalidade e com espírito de união entre os sportinguistas. Que a vitória de hoje seja um símbolo do futuro.»

 

As palavras de Luiz Godinho Lopes após aquele que foi o seu último jogo enquanto presidente do Sporting. Como já escrevi vezes sem conta, não o apoiei no último acto eleitoral mas, não obstante os erros cometidos, vim a respeitar a sinceridade do seu desempenho em prol do Sporting e até provas concretas em contrário, manterei este meu parecer. Uma das questões que nunca esquecerei, é que apesar de ter sido crítico da sua pessoa e de algumas das suas decisões nos meus escritos semanais no Jornal do Sporting, nunca, mas mesmo nunca, uma única palavra minha foi censurada. Esta sua dignidade quer dizer alguma coisa e não estou convencido que alguns outros teriam feito o mesmo.

Por fim, sinto imensa mágoa, como sportinguista, ter vindo a testemunhar a baixeza das inúmeras ofensas públicas dirigidas a este presidente do nosso clube, além da diabolização ainda em curso. Não me revejo neste tipo de atitudes para com quem, na minha opinião, tentou fazer o seu melhor e, lamentavelmente, falhou. Muito por isto, entre outros factores, não podemos ficar surpreendidos por apenas terem surgido três candidatos à presidência do Sporting, escolha esta, na realidade, que recai somente sobre dois. Não diz muito quanto ao futuro desta instituição centenária.

 

Adenda: Tive conhecimento, entretanto, que os jogadores homenagearam o presidente no balneário e que lhe ofereceram prendas simbólicas. Um belo gesto que fica bem à equipa e que denota personalidade colectiva.

   

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:59

O que dizem eles

Rui Gomes, em 16.03.13

«Fui eleito há cerca de 24 meses e já paguei 24 salários. A eleição foi no dia 26 de Março de 2011, dia 27 de manhã tomei posse, dia 28 estava em Alvalade, onde tenho estado todos os dias desde então, paguei os salários no final do mês, sem reclamar, paguei os salários de fevereiro, sem reclamar. Quando cheguei ao clube, dois pagamentos dos salários dos jogadores estavam em atraso: um do mês de Fevereiro que paguei no final de Março, e outro do mês de Março, que paguei a 10 de Abril. Quando entrei sabia as necessidades e dificuldades que o clube tinha, e em vez de reclamar fui verificar se tinha condições para aceitar o lugar. Tinha, paguei e segui em frente. Nunca vim para a praça pública dizer que recebi o clube com dois meses de salários por pagar.»

-    Luiz Godinho Lopes    -

Observação: É por de mais incontornável que a liderança de Godinho Lopes está de tal modo ferida de competência de gestão - nomeadamente desportiva - que tudo do positivo que indubitavelmente fez está e continuará despercebido. Já tive ocasião de comentar em conversa entre amigos que, para o seu mérito, nunca apontou o dedo a ninguém e nunca se desculpou com o degradado estado em que recebeu o clube. Não explica tudo, evidentemente, mas mesmo sem nunca ter sido seu apoiante, não aprovo a forma como tem sido diabolizado ao extremo.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:34

As fontes noticiosas e afins

Rui Gomes, em 12.03.13

 

O Record surge hoje a noticiar que a alegada solução de Godinho Lopes para resolver a contenda dos salários referentes ao mês de Março, passa pela venda de um dos activos do actual plantel do Sporting com mais mercado e que chegaram ao Clube por sua mão, a exemplo de Ricky van Wolfswinkel, Diego Capel e Marcos Rojo. 

 

Não tenho conhecimento de causa para confirmar ou refutar esta notícia, no entanto, o que mais me perturba e intriga, sendo verdade, são os meios e as pessoas que viabilizam informações do foro interno à comunicação social, situação que deveria ser bem investigada. Por outro lado, bem sabemos que os periódicos desportivos portuguese não hesitam em publicar seja o que for, mesmo sem fundamento, visando lucros comerciais.

 

Verdade ou não, Carlos Severino apareceu prontamente com o inevitável aproveitamento, evocando a incompetência dos dirigentes cessantes. Considerando muito mais a imagem do Sporting do que a defesa da competência do actual Conselho Directivo, bem espero que este candidato se tenha dado ao trabalho de verificar os factos antes de se pronunciar. Confirmando-se, é mais uma sombra negra sobre o actual estado das coisas e ilude-me em que aspecto beneficia seja quem for - de certo não a sua inconsequente candidatura - ele surgir quase com enorme euforia sublinhar a ocorrência. Cada vez mais chego à conclusão que a minha maneira de ser e sentir o Sporting é que é antiquada e imprópria.

 

Adenda: Questionado sobre este assunto e ainda que Godinho Lopes teria consultado os três candidatos, José Couceiro respondeu: «Não é verdade que eu tenha sido consultado, nada sei sobre isso. Prefiro não comentar, mas tenho muitas dúvidas que um negócio desses possa ser feito nesta altura.»

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:17

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo