Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



  

19398642_O04VK.jpg

Manuel José dá o seu parecer sobre as recém-manchetes que revelam o interesse de Jardel (Benfica) em ser chamado à Selecção Nacional, assim como o enquadramento geral dos actuais centrais da "equipa das quinas".

 

«Não faz qualquer sentido" pensar em Jardel para a Seleção Nacional. Terá um tempo muito curto para dar à Selecção. Apesar da míngua de centrais que temos, e os que temos são todos já ‘balzaquianos’, com uma certa idade, outros estão a aparecer. Temos Bruno Alves, Pepe e Ricardo Carvalho, principalmente o Ricardo, que tem 37 anos, que estão perto no final das suas carreiras, mas continuam a ser excelentes jogadores. Não vejo qual o interesse de pôr na seleção um jogador naturalizado com 30 anos.

 

José Fonte, também de 32 anos, joga num campeonato muito mais competitivo, mesmo não jogando numa grande equipa como o Jardel, mas é português genuíno e faz muito bem aquilo que o Jardel poderia fazer. Aliás, tecnicamente é melhor do que o Jardel.

 

Depois do Europeu, o único que vai sair da Seleção é o Ricardo Carvalho. O Bruno Alves e o Pepe vão continuar a ser chamados quase de certeza porque estão em muito boas condições. Depois temos o Tiago Ilori, Rúben Semedo, Paulo Oliveira, Tobias Figueiredo e até este miúdo do Braga [Ricardo Ferreira], que já se anuncia como alvo do interesse do Benfica. E outros jovens haverá que serão uma aposta muito mais interessante do que estar a dar nacionalidade a jogadores trintões.»

 

Creio que é uma análise certeira deste experiente treinador, embora me deixe a pensar sobre o futuro de Paulo Oliveira e Tobias Figueiredo, face às recém-opções de Jorge Jesus e o excesso de centrais no Sporting.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:04

 

jardel.png

Mário Jardel na capa do jornal «Sporting» ???

 

 

Quando vi a edição desta quinta-feira do jornal «Sporting» - com o personagem na capa - fiquei, por falta de melhores palavras, altamente indignado.

 

Não me vou alargar em comentário sobre este indecoroso capítulo do passado, mas só posso concluir que quem é responsável por decisões deste ignóbil cariz carece de valores e princípios e, sobretudo, desconhece e/ou desrespeita a História do Sporting Clube de Portugal.

 

E, depois, acusam-nos de sermos excessivamente críticos !??

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:34

Critérios e critérios

Rui Gomes, em 10.03.15

 

ngF172384A-9C1E-4D61-8D19-94E03915FE12.jpg

 

É por de mais evidente que estou em minoria ao pensar que Tobias Figueiredo - não obstante ter abordado o lance com o avançado do Penafiel de forma imprudente e daí que se tenha posto a jeito da expulsão de que foi alvo - tocou primeiro na bola e não no adversário.

 

Por termos vindo a comentar as arbitragens do Benfica, a primeira pergunta que me surgiu na altura foi "será que se tivesse sido Luisão ou Jardel o lance teria sofrido do mesmo critério por parte do árbitro ?"

 

A resposta concreta, nunca a saberemos, obviamente, mas por subjectiva que possa ser, a minha resposta foi e é "muito provavelmente não" !

 

Se nos dermos ao cuidado de analisar determinados aspectos do futebol português, verificaremos que o benefício da dúvida - se é que se possa apelidar de "dúvida" - é muito mais generoso para alguns, nomeada e inevitavelmente para o clube de Carnide, de há uns tempos a esta parte.

 

Aliás, ao analisar o lance em questão, verifica-se que o árbitro ainda se encontra no meio campo do Penafiel no momento do contacto entre Tobias e Guedes e o seu auxiliar corria para tentar acompanhar a jogada. Bruno Esteves, mesmo muito distante, não hesitou: Guedes caiu e ele assinalou falta e expulsou o defesa do Sporting. Se houve alguma dúvida, o benefício da mesma ficou deveras claro.

 

Será que esta minha conclusão é assente em mera conjectura ou falta de objectividade ?.... O registo disciplinar da I Liga dispõe dos factos que sustentam esta determinação.

 

Ora vejamos:

 

Luisão, com 21 jogos realizados na Liga - 1965 minutos de jogo - foi alvo apenas de UM cartão amarelo.

 

Jardel, com 21 jogos realizados na Liga - 1985 minutos de jogo - foi alvo apenas de UM cartão amarelo.

 

Perante este registo, é justo questionar como é possível que dois defesas centrais - e especialmente estes dois - só tenham visto um amarelo cada em 21 jogos ?

 

O mesmo Luisão, em 2013/14, realizou 34 jogos entre a I Liga, Taça da Liga e Taça de Portugal, e viu apenas três cartões amarelos. Nada menos do que fantástico !

 

A resposta estará no segredo dos "Deuses"...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:52

Memórias - Laszlo Boloni e Jardel

Rui Gomes, em 31.10.13

 

 

 

«É evidente que Jardel não chegou nas melhores condições físicas e técnicas. Não era preciso ser especialista para perceber isso. Esteve três meses parado, sujeito a duas cirurgias e precisava de perder pelo menos 5 kilos. Era um jogador deslocado no plantel. Preparei-lhe dois programas especiais de treino. Achei que seria desaconselhável começar imediatamente com um programa mais exigente. Eram treinos aeróbios, para testar a capacidade de oxigenação face à distância definida. Foi preciso controlar a intensidade da corrida porque ele queria correr mais e mais. O indicado seria uma adaptação gradual e contínua a um esforço progressivo. Tanto no ginásio como no campo, o Jardel teve sempre um treino suplementar.

 

Sempre me perguntaram porque é que Jardel chegou e jogou imediatamente. Eu nunca tinha trabalhado com ele, nem tinha certezas absolutas sobre o seu estado. Bom, Jardel jogou por cinco razões fundamentais:

 

1.º Porque é o Jardel !

 

2.º Porque eu já conhecia o seu jogo e durante os poucos treinos que entretanto efectuámos fiquei esclarecido sobre o que ele era capaz de fazer.

 

3.º Porque, naqueles dias, Jardel teve o condão de afastar a tristeza que tomou conta da equipa, com a sua alegria sem limites.

 

4.º Porque o público ia ao estádio para ver Jardel e os adeptos deixavam de criticar aquilo que tínhamos feito mal porque estavam mais ocupados a falar de Jardel.

 

5.º Por causa da imprensa que deixava de se ocupar tanto sobre esta ou aquela prestação dos jogadores, para se concentrar mais sobre aquilo que o Jardel fazia.»

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:00

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo


subscrever feeds