Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

1024.jpg

 

Pode faltar muita coisa a este Sporting, mas há uma garantia absoluta: entre presidente e treinador não faltam insultos, a tudo e a todos, mesmo que seja 'mensalmente'.

 

Eis o que o sempre modesto Jorge Jesus teve para dizer da vitória do Sporting no Bessa, entre mais umas "caneladas" na língua de Camões:

 

"O objectivo foi atingindo sabendo que não é fácil aqui ganhar. Começou a ser ganho em Barcelona. A estratégia que colocámos, os três melhores jogadores que não pus de início provou-o. O Gelson esteve endiabrado, se não fizesse o que fiz em Barcelona, não tinha ganho aqui. Estamos na corrida para o título e é fundamental ganhar. Sabendo que ganhas, continuas em primeiro. Foi fundamental para o foco e a equipa está com uma mentalidade de campeão. Somos mais realistas, mais pragmáticos.

 

Tenho a noção que as coisas ficaram mais fáceis ao chegarmos ao intervalo a ganhar por 1-0. Obrigámos o Boavista a ir à procura do resultado. Enquanto houve 0-0, o Boavista tirou uns cinco, seis minutos de jogo, com anti-jogo do guarda-redes. Mas isso também é uma arma que faz parte das equipas. É tudo normal. Ganhar aqui no Bessa não é fácil, tem que se ter qualidade defensiva e estar preparado para o jogo em todos os momentos.

 

Respondendo àqueles ‘atrasados mensais’... esta noite os melhores jogadores do Sporting foram só Gelson, Bas Dost e Fábio Coentrão, porque estiveram sem fadiga muscular, levezinhos e fizeram a diferença. Temos de ver as coisas de uma maneira diferente: os adeptos olham para o jogo e vêem que não joga o A e joga o B, mas não entendem o resto. Por isso é que nós somos treinadores. Foi nas minhas decisões em Barcelona que ganhámos hoje este jogo. Nós treinadores temos de ver estas coisas de uma maneira diferente. Os adeptos olham para os jogadores, não joga o A, joga o B, mas não atendem ao resto".

 

Já não tenho energia para debater este cavalheiro. Ou talvez seja paciência. Entre as muitas declarações bombásticas que tem feito ao longo dos anos, esta estará muito perto do topo: "Se não fizesse o que fiz em Barcelona, não tinha ganho aqui".

 

Fantástico !!!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:27

 

Jesus.jpg

 

Considerações de Jorge Jesus em entrevista ao jornal Esporte Interativo sobre a Liga dos Campeões, em geral, e o jogo desta terça-feira com o Barcelona, em particular:

 

"É verdade que é um jogo muito difícil. Mas também é verdade que a Juventus tem um jogo na Grécia onde nós lá jogámos e sabemos que terão muita dificuldade. Com disse, não acredito que a Juventus ganhe na Grécia, sabendo que o Barça já esta apurado. Neste último jogo, mesmo com a Juventus, o Barça já não pôs o Messi a jogar. O Barça com o Messi é uma coisa, sem ele é outra. Se houver essa possibilidade, pois jogam passados três dias com o Villarreal, todos os treinadores protegem muito os melhores jogadores. Se o Messi não jogar, acredito cada vez mais que estejamos próximos de poder sonhar com um resultado positivo, que é ganhar.


Aquilo que o Sporting fez o ano passado na Champions, com o Real Madrid e o Borussia Dortmund, foi começar a alavancar, a criar um estatuto de cada vez mais ser uma equipa forte em todas as competições. Portanto, este ano temos na mesma Juventus e Barcelona, do meu ponto de vista duas das cinco equipas mais fortes do mundo, e podemos disputar esta fase de grupos como estás a disputar, vais até ao último jogo com essa possibilidade de te apurares. Se calhar, com um bocadinho de sorte, porque também é precisa no futebol, as posições estavam invertidas em relação ao Sporting e Juventus, porque nos dois jogos que tivemos com eles estivemos muito próximos de ganhar. Se temos ganho um dos dois jogos isto estava ao contrário.

Muito difícil um clube português ganhar a Liga dos Campeões, por questões financeiras. Mas mesmo assim, uma destas três equipas em Portugal pode chegar uma final se em três anos não vender os seus melhores jogadores, o que é extremamente difícil. Se o Sporting, Benfica e FC porto em três anos não vendessem os melhores jogadores, mesmo com esta diferença de orçamentos, teriam possibilidades de lá chegar. Não sendo assim, muito difícil, não vai ter hipótese."
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:41

A soma de A + B

Rui Gomes, em 06.11.17

 

Captura-de-ecrã-2017-08-3-às-16_17_12.pngimg_770x433$2017_10_24_17_54_55_1327210.jpg

 

 Um exercício, em que vamos ter em conta o seguinte cenário para o efeito de debate:

 

Treinador A - ele treina uma equipa que vai no 4º lugar do campeonato com tiques de grandeza, fruto de um plantel que, segundo o presidente que nele manda e paga os salários a toda a gente, é o melhor que o clube teve na última década, ao ponto de o comparar ao que, há seis anos, chegou à final de uma Liga Europa, um feito importante na vida que se vive em Braga. O que talvez seja verdade, porque nessa equipa a que António Salvador repete elogios, há Xadas, Ricardo Horta, Danilo, Vukcevic ou Ricardo Ferreira, tipos que facilmente caberia no plantel de um dos grandes.

 

Treinador B - ele treina a equipa que é mesmo grande, tem mais dinheiro, mais opções e milhões para gastar, que bem gastou para estar em 2º lugar e andar a mostrar boa imagem na Liga dos Campeões, onde não ganha pontos mas colhe vitórias morais contra equipas maiores, bem maiores. O Sporting tem Dost, Bruno Fernandes, Gelson, Coates e Acuña, tipos tão bons que são sempre titulares e jogam sempre, evidência que este treinador gosta, com cautela, pois com tanto jogo e exigência eles “acabam por rasgar”. Palavras dele.

 

Se fizermos o A+B, uma soma em que os treinadores também chamam grande um ao outro e o A até diz do B que “é o melhor treinador dos últimos 15 anos” do Sporting, a que conclusão chegamos ?

 

Nota: Adaptação parcial de um texto de Diego Pombo, jornal Expresso.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:37

 

mw-860.jpg

 

Algumas considerações de Jorge Jesus no final da partida em Alvalade, frente à Juventus. Deixa a ideia que apesar do empate, ficou feliz com a exibição do Sporting:

 

"É preciso ter noção dos valores e do que se passa aqui. Jogámos com a Juventus e fizemos o jogo que fizemos, com alguns jogadores que não têm jogado tanto e quebraram no final da segunda parte e isso foi fatal no momento em que poderíamos surpreender.

 

O Ristovski esteve bem no momento defensivo. O Mandzukic é um jogador difícil de parar e ele fê-lo bem, mas, como se diz na gíria, já estava todo roto. Este jogo deu para ganhar alguns jogadores.

 

Notou-se alguma inexperiência, mas o mais positivo é a grande exibição que o Sporting fez, contra uma equipa que não precisa de adjectivos. Jogámos uma primeira parte com qualidade táctica, contra uma equipa que sabe defender muito bem. Há pormenores que só quem percebe sabe qualificar, que faz com que as coisas na Liga dos Campeões sejam diferentes.

 

Ainda estamos na luta. O que queríamos era ganhar, mas o Sporting sai daqui reforçado em termos de imagem para todo o mundo. Quando se joga contra estas equipas, estás a dar passos para que tenhas mais experiência, porque há muitos jogadores da nossa equipa sem essa experiência. Às vezes, mais do que táctica e técnica, precisamos de outros conhecimentos e isto é bom porque vamos crescendo como equipa - e o Sporting cresce em prestígio no mundo".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:14

 

image.jpg

 

É uma ideia feita e assimilada de que Jorge Jesus, ou melhor as equipas que orienta, costuma dar muito trabalho aos colossos do futebol europeu. É verdade por um lado, é menos verdade pelo outro.

 

Desde que a sua carreira começou a passar por clubes com presenças nas competições europeias, ou seja, a partir de 2007-08 como treinador do Belenenses, Jorge Jesus, até ao dia de hoje, já defrontou equipas da elite do futebol do Velho Continente em 24 ocasiões. E apenas quatro vezes saiu vencedor - duas frente ao Paris Saint-Germain, Liverpool e Juventus. Esta última foi vital para que o Benfica alcançasse a final da Liga Europa e afastasse a Juventus de Conte do jogo decisivo que se realizaria no seu próprio estádio. De resto, constatámos 14 derrotas e seis empates - 18 golos marcados e 34 sofridos.

 

Mas há um dado que merece reflexão, não só porque tem sido assíduo no Sporting desta época mas porque este levantamento permite perceber que há um problema que vem de longe e com um denominador comum. Referimo-nos aos golos sofridos na parte final dos encontros. Aliás, das 14 derrotas sofridas pelas equipas de Jorge Jesus frente à classe alta do futebol europeu, nove foram concedidas nos últimos 15 minutos. O ideal para o treinador português, bem como para as suas equipas, seria que os jogos terminassem aos 75 minutos.

 

Por exemplo, em 2008-09, o Sp. Braga estava a conseguir calar San Siro frente ao AC Milan, mas aos 90 minutos surgiu Ronaldinho Gaúcho. E esta traição deve ter custado a Jorge Jesus, até porque foi o técnico a conseguir relançar a carreira de Roberto Assis, irmão do então futebolista do AC Milan, no Estrela da Amadora. Na mesma temporada, o Sp. Braga perderia com o Paris Saint-Germain, no Parque dos Príncipes, com um golo sofrido aos 81 minutos (apesar de nesta altura o PSG não ser o colosso que é hoje).

 

Já no Benfica, Jesus teve mais argumentos para se bater com as grandes equipas. Na primeira temporada não resistiu ao Liverpool, apesar de ter vencido na Luz, na segunda época eliminou o Paris Saint-Germain e na terceira o Benfica empatou duas vezes com o Manchester United, resultados que devem ser enaltecidos.

 

Nessa mesma temporada atingiu os quartos-de-final da Liga dos Campeões. Na primeira mão o Chelsea venceu na Luz aos 75 minutos e na segunda mão, com o jogo empatado 1-1 e o Benfica a tentar o golo da qualificação, Raul Meireles faria o 2-1 para os blues aos... 90"+2. Ou seja, dois golos nos últimos 15 minutos a impedir o Benfica de Jesus de chegar às meias-finais da Liga dos Campeões.

 

Mas não houve desaire mais doloroso nos últimos minutos do que a derrota com o Chelsea na final da Liga Europa na temporada 2012-2013. Com o encontro empatado a um golo e a encaminhar-se para o prolongamento, os londrinos venceram o troféu com um cabeceamento de Ivanovic aos... 90"+3".

 

Já em Alvalade vira o disco e toca o mesmo. Duas derrotas com o Real Madrid, ambas da mesma maneira. Na primeira, na capital espanhola, o Sporting vencia aos 88 minutos por 0-1, mas Morata aos 89" e Ronaldo aos 90"+4 deram a volta ao texto. Em Alvalade, diante do campeão europeu, foi Benzema aos 87" a desfazer o 1-1 que o marcador mostrava. Já nesta temporada, Jorge Jesus, que nunca havia perdido em Turim, viu o Sporting consentir o golo da derrota (1-2) aos 84 minutos por Mandzukic. Hoje a Juventus visita Alvalade. Veremos se a tendência é para manter...

 

 

Artigo de Bruno Pires, Diário de Notícias

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:01

 

e414fea653730e561809ace2453644d3.jpg

 

Um resumo das declarações de Jorge Jesus na conferência de imprensa desta segunda-feira, de antevisão ao jogo de amanhã frente à Juventus, a contar para a fase de grupos da Liga dos Campeões. Destaque, como era de esperar, para as ausências, por lesão, de Mathieu e Piccini, e, aparentemente, a dúvida sobre a aptidão de William Carvalho:


Estatuto europeu do Sporting. "Estes jogos de Champions neste grupo com Juve e Barça deram para ver que o Sporting tem qualidade, porque disputou os encontros até ao fim em termos de resultado, nomeadamente em Turim. Não somando pontos, soma pelo menos prestígio. Temos todo o prazer em defrontar a Juve, uma equipa com grande qualidade colectiva e individual que nos vai criar imensos problemas mas também temos capacidade para lhes criar problemas, para disputarmos novamente o jogo em termos de resultado. Estamos preparados para isso, trabalhámos para isso no capítulo teórico - não houve tempo a nível prático. Estes jogos servem para os adeptos sentirem-se orgulhosos e esperançosos."

 
Importância da vitória em Vila do Conde e os lesionados. "É sempre melhor ganhar mas numa prova europeia essa situação não tem muita influência. Estes jogos dão-te uma adrenalina que ultrapassa quando não consegues ganhar. Amanhã vamos encontrar um adversário com outro estatuto e argumentos que nos vai criar imensos problemas. Temos de defender tão bem quanto em Turim. Mathieu e Piccini não vão recuperar. William amanhã vamos saber. Só amanhã teremos a certeza absoluta.

Análise a Douglas Costa. "Espero que não faça o que fez em Turim (risos), a primeira vez que tocou na bola assistiu para golo. É um excelente jogador tecnicamente, tanto faz jogar em qualquer corredor e é muito forte no um para um. Muitas vezes não precisa da equipa para as suas jogadas. Tenho palpite que não vai jogar mas Allegri é que sabe. É um jogador de selecção do Brasil e tem feito uma carreira muito interessante. É um dos grandes jogadores da Juve."

William ausente obriga a estratégia diferente? "Obriga-me a pensar de forma diferente. Jorge Jesus admitiu que as ausências de Mathieu e Piccini - e estando ainda William em risco - para a receção de terça-feira à Juventus, da 4.ª jornada da Liga dos Campeões, o deixam seriamente preocupado. Ainda assim, o treinador do Sporting mostrou confiança em todo o plantel e garante nada irá mudar na estratégia. Defender tão bem quanto em Turim e criar dificuldades à Juve é essencial.

Mudanças na defesa e o que pede a esses novos jogadores. "É o que mais me tem preocupado. Se a Juve já me preocupava por si só, ficar sem esses jogadores [n.d.r.: Piccini e Mathieu] é muita gente. Se eles têm jogado mais, têm mais rotinas mas acreditamos no que fazemos e nos jogadores que temos. Esperamos que corra dentro da normalidade."
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:27

 

frame_delfim1841df60_664x373.jpg

 

... Palavras de Delfim - antigo jogador do Sporting - ao ser instado a comentar o actual plantel leonino e também os rumores na praça sobre Jorge Jesus pretender contratar no mercado de Inverno, nomeadamente um médio que venha a colmatar a vaga deixada por Adrien Silva, vaga essa, que na óptica do treinador, ainda não foi preenchida como ele deseja:

 

"Jorge Jesus tem jogadores suficientes para fazer uma boa época. Contratar mais jogadores pode melindrar o balneário leonino, considerando que já há bons jogadores disponíveis para trabalhar e potencializar,de forma a obter um colectivo mais eficaz.

 

De igual modo, a vinda de novos jogadores pode ser visto que a aposta em alguns jovens da formação não é prioridade para o treinador.

 

Quanto a possíveis saídas do plantel, acho que é uma situação normal, a exemplo de Iuri Medeiros, que depois de uma boa época no Boavista não está jogar tanto quanto queria, situação que o leva a estar descontente e a ter legitimidade para desejar sair, tendo como objectivo jogar com mais regularidade".

 

É uma questão muito subjectiva, obviamente, mas considerando que se trata de Jorge Jesus, não deverá ser surpresa alguma o Sporting ir ao mercado novamente. Há quem argumenta que não há "banco" de qualidade suficiente, mas a realidade é que o plantel existente foi escolhido a dedo deste treinador e com um presidente a fazer-lhe praticamente todas as vontades.

 

Se o Sporting estiver bem posicionado em Janeiro, nas provas que disputa, talvez haja justificação para mais um ou dois reforços, mas que sejam de qualidade suficiente para fazer a diferença numa equipa que não precisa de mais "entulho".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:10

 

jorge_jesus_sporting_lisbona_conferenza_2017_2018_

 

Algumas considerações de Jorge Jesus na conferência de imprensa de antevisão ao jogo com a Juventus, realizada esta terça-feira, em Turim:

 

"Partindo do princípio que vamos para a terceira jornada e o Barcelona tem duas vitórias, acreditamos que qualquer uma das outras três equipas pode ficar em segundo lugar, não estou a por o Olympiacos fora deste grupo. Face à vitória do Sporting em Atenas, tendo um resultado positivo aqui, poderemos acreditar cada vez mais que podemos passar a fase de grupos. Mas este é um jogo importante, mas não é determinante nem para Juve nem para o Sporting.

 

Não tenho a mesma opinião que a maioria das pessoas. A Juve, no campeonato, só perdeu um jogo, com a Lázio e na Champions tem uma derrota, com o Barcelona. Não é assim uma temporada tão negativa como estão a dizer e o historial da Juve não precisa de apresentação: nos últimos três anos foi duas vezes à final da Champions, mas isso também não nos inibe nem retira a confiança.

 

Trouxe praticamente todo o plantel a Turim porque não sou treinador de 11 jogadores, mas de um grupo e nós tivemos um jogo numa vila de Portugal que aqui ninguém conhece e levei esses jogadores e agora eles também merecem jogar a Champions".

 

Um discurso "politicamente correcto", como compete, aliás. A importância do jogo é discutível, sendo verdade que serão precisamente os dois jogos com a Juventus que irão determinar o futuro do Sporting na Champions. Isto, partindo do princípio que vence o segundo jogo com o Olympiacos e que muito provávelmente não derrotará o Barcelona.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:45

Frase do Dia

Rui Gomes, em 13.10.17

 

mw-860.jpg

 

"O relvado sintético tornou tudo mais difícil e, além disso, os jogadores com históricos de lesões correram o risco de as agravar. Este campo tem menos sete metros de largura e cinco de comprimento. Há pessoas que falam e que não sabem o que é jogar num sintético... A indústria do sintético não vão gostar disto, mas relva é relva, plástico é plástico. Mas qual relva? Isto é plástico, não é relva”.

 

                                                                                                                     Jorge Jesus

 

(Nota: Jorge Jesus errou com as medidas. O rectângulo de jogo do Estádio José Alvalade tem 105 metros de comprimento e 68 de largura. O do Estádio Municipal de Oleiros tem 100 metros de comprimento (-5) e 64 de largura (-4).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:16

 

mw-680.jpg

 

"A Taça de Portugal é uma das competições mais bonitas, com muita paixão, embora o campeonato nacional seja o mais importante. Temos todo o gosto em ir jogar a Oleiros, perante aquela gente que mostrou tanta vontade de fazer o jogo ali.

 

Nunca nos opusemos em fazer o jogo ali, em jogar em Oleiros. Opusemo-nos, sim, ao sintético, porque não é compatível para uma equipa profissional. Devia ser proibido haver campos sintéticos. Não falei com o Fernando [Santos], mas a opção de o Ronaldo não jogar na primeira parte com Andorra não teve nada a ver com o amarelo, mas sim com o sintético. No dia a seguir a jogar num sintético, os jogadores sentem-se como se tivessem levado com um pau.

 

Apesar da oposição teoricamente mais fraca do Oleiros, não pode haver desleixo da nossa parte. O Sporting tem a responsabilidade de lutar por todas as provas nacionais".

 

Muito embora se reconheça que o piso sintético não é o ideal, Jorge Jesus exagera quanto ao efeito nos jogadores, até porque hoje em dia há vários tipos de sintéticos.

 

Relativamente ao jogo com o Oleiros, o treinador explicou que Petrovic talvez venha a jogar a defesa central ao lado de André Pinto. Isto, porque além da lesão de Tobias Figueiredo, tanto Sebastián Coates como Jérémy Mathieu estiveram ao serviço das suas selecções. Este cenário é novidade para mim, dado que desconhecia que o defesa francês tinha sido convocado.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:58

 

Jorge Jesus, em conferência de imprensa, fez saber que Gelson Dala vai ter minutos na quinta-feira, diante do Oleiros, no encontro da 3.ª eliminatória da Taça de Portugal, explicando, ainda, o plano de trabalho individualizado que tem vindo a ser feito com o jovem avançado angolano.

 

img_770x433$2017_10_11_17_16_46_1322245.jpg


"Amanhã vai jogar, se não acontecer nada. Temos feito com ele trabalho específico nestes meses e por isso não podia competir. Neste momento achamos que já tem condições para dar resposta ao trabalho individualizado que fizemos com ele. Veio de um campeonato... não direi amador mas com pouca intensidade e com pouca qualidade competitiva. Conheço o campeonato angolano e tem o nível de uma Segunda Divisão B [n.d.r.: equivalente ao Campeonato de Portugal]. Tem qualidade, talento e acreditamos no talento dele. Pode ser um jogador muito interessante para o futuro do Sporting".

Gelson Dala, de 21 anos, chegou à Academia na época passada e tem brilhado na equipa B do Sporting, tendo realizado somente um jogo pela formação principal - na última jornada de 2016/17, diante do Chaves. Esta época, vem treinando às ordens de Jorge Jesus que, pelos vistos, deposita esperanças no jovem jogador.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:04

 

sergio_conceicao_vs_jorge_jesus22371594.jpg

 

O clássico de Alvalade, entre Sporting e FC Porto, vai ser palco de um duelo muito particular nos bancos das duas equipas. De um lado Jorge Jesus, do outro Sérgio Conceição.

 

Dois nomes que começaram juntos no principal escalão do futebol português. Em 1995, o actual treinador dos leões iniciou-se, na I Liga, no Felgueiras. No plantel, tinha um jovem avançado, de 21 anos, que se estreava, na I Liga, como jogador: o actual treinador dos dragões.

 

Eduardo Teixeira, ex-presidente do Felgueiras e dirigente do clube em 1995, considera que são dois profissionais de personalidades iguais e com idênticas filosofias de jogo, considerando que o perfil dos treinadores vai ter um efeito positivo no clássico. Jesus e Conceição são técnicos que jogam para ganhar, sem o receio de perder:

 

“São dois profissionais de gerações diferentes, mas com personalidade e carácter iguais. Só têm a palavra 'ganhar' na cabeça. São dois treinadores ambiciosos, com a mesma filosofia de jogo e que preparam os jogos ao pormenor. O trajecto de Jorge Jesus, que está consolidado, e o que Sérgio Conceição está a fazer a pulso mostram que se trata de dois treinadores de grande qualidade a nível nacional e internacional.

 

O que conheço de Jorge Jesus e de Sérgio Conceição é que ambos vão jogar para ganhar. Será um jogo aberto, de duas equipas que entrarão, desde o primeiro segundo, à procura da vitória. Acho que vai ser um grande jogo de futebol, pelo valor das duas equipas e de dois treinadores que jogam sem medo, para ganhar.

 

Sinto um orgulho imenso como cidadão do concelho. Como adepto do Felgueiras, sócio, antigo atleta, antigo dirigente e ex-presidente do clube, enche-me de orgulho ver nomes do melhor que há em Portugal terem começado as carreiras no nosso clube.

 

É um alento para nós, porque é conhecida a nossa saga. Começamos do zero, há 10 anos, e, neste momento, o Felgueiras tem um projecto sólido. Acredito que, brevemente, o Felgueiras voltará a competir na I Liga.”

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:51

 

Sporting+CP+v+CSKA+Moscow+UEFA+Champions+League+YT

 

Em entrevista ao jornal Marca, Jorge Jesus dá a sua opinião sobre as características de Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, assim com as do Real Madrid e do Barcelona:


«São jogadores diferentes. Ronaldo actua em posições que são mais fáceis de identificar; Messi movimenta-se entre linhas e é mais difícil de localizar. Mas são os dois muitos complicados.

 

Messi não será alvo de marcação cerrada em Alvalade. Vamos jogar como sempre, sem nada específico nem com marcações que vão além do trabalho do colectivo.

Real Madrid e Barcelona são muito diferentes. O Barça agora está bem, Messi está forte e quando é assim, são praticamente imparáveis. Temos a esperança de fazer um bom jogo como contra o Real Madrid. Nesta competição não podemos ficar preocupados por defrontar adversários difíceis, na Liga dos Campeões, temos de pensar como campeões. São dois gigantes.


Temos muita responsabilidade. Depois da vitória sobre o Olympiacos, o Sporting tem de somar mais pontos e estamos convencido
que podemos pontuar com o Barça.»

 

Parece-me lógico que a haver uma estratégia especial para tentar minimizar o impacte de Lionel Messi neste jogo, Jorge Jesus não a iria divulgar nesta entrevista. Para o Sporting ter o mínimo de hipótese contra o Barcelona, terá de ter um desempenho muito elevado em termos colectivos. Poderá, eventualmente, contrariar alguns movimentos do craque argentino, mas não o vai poder eliminar totalmente, missão praticamente impossível.

 

Tanto Messi como Cristiano Ronaldo têm um condão extraordinário e praticamente inigualável no futebol da actualidade: de um momento para o outro, num lance genial, resolvem um desafio. E, relativamente a isso, não há nada a fazer.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:26

Jesus imaculado

Rui Gomes, em 24.09.17

 

H91H32DK.jpg

 

Jorge Jresus encontrou uma explicação para a exibição do Sporting na primeira parte em Moreira de Cónegos, com a expectável ênfase nos jogadores:

 

«Na primeira parte alguns jogadores não estiveram ao seu melhor nível o que fez com que a equipa não rendesse o que rende habitualmente.

 

Os jogadores acharam que a qualquer momento faziam um golo e se ganhava o jogo. Acabámos por ser surpreendidos com um golo no final da primeira parte, que nos obrigou a uma segunda parte de cavalgada e também de risco táctico. Podíamos ter sido surpreendidos, mas não fomos.

 

Aconteceu jogo, futebol. Fizemos uma segunda parte completamente diferente, muita intensidade, crer, alma. Fizemos um golo, podíamos ter feito mais, mas isso não importa, importa é que não conseguimos sair com a vitória., Também temos de dar mérito à equipa do Moreirense.

 

Fomos uma equipa com duas partes distintas. Fica uma segunda com muita crença, com várias hipóteses para fazer o 2-: Gelson, Bas Dost sozinho na cara do keeper, tomou uma decisão que não foi a melhor para ele e a equipa...".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:11

Foto do Dia

Rui Gomes, em 24.09.17

 

img_FanaticaBig$2017_09_23_19_44_50_1315753.jpg

Romain Salin a servir de tradutor entre Jorge Jesus e Doumbia

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:10

Jorge Jesus com discurso sóbrio

Rui Gomes, em 22.09.17

 

jorgejesus25.jpg

 

Algumas considerações de Jorge Jesus, em sinopse, durante a conferência de imprensa de antevisão ao jogo com o Moreirense, realizada esta sexta-feira:

 

"O Bryan Ruiz é um problema do presidente da Costa Rica, eu estou atento aos problemas do Sporting. O Bryan Ruiz é um grande grande profissional, grande jogador, mas agora é este é outro momento da carreira dele, outro momento do Sporting e ele vai vai ter o seu percurso, que é ele que vai decidir».

 

Por muito que Jorge Jesus queira minimizar a questão, não é bem um problema apenas do presidente da Federação costa-riquenha. É, obviamente, um problema do jogador, mas também do Sporting, que lhe está a pagar um salário chorudo somente para treinar.

 

"A confiança mantém-se. Sabe que as vitórias são o melhor estímulo para uma equipa e, portanto, se estás com seis jornadas, se estás a vencer, essa confiança cada vez é mais consolidada. Quando tens duas equipas em 6 jogos, 6 vitórias, é normal, na minha opinião, que um dos rivais não esteja tão bem. Ainda não se jogou entre Benfica, Sporting e FC Porto e, portanto, por aquilo que a experiência me diz, já passei por isso à frente e atrás. É bom ganhar e começar bem, mas não é determinante. É importante, mas não é determinante. Importante é chegar à última jornada em primeiro, aí e que conta. Uma batalha é uma batalha, conquistando pontos e melhor".

 

Análise sóbria tendo em conta que ainda vamos no início do campeonato e tudo está muito longe de ser ganho. Esta resposta de Jesus, em parte, na sequência das declarações de Sérgio Conceição, que afirmou que não acorda a pensar no Sporting e no Benfica.

 

"Aquilo que posso dizer é que é um alerta. É um alerta e as pessoas que gostam da modalidade todos os intervenientes têm que olhar para aquilo que o presidente da Federação Portuguesa de Futebol está a dizer. Não levando isto muito a peito, como se costuma dizer, mas tentando arranjar soluções para que o futebol seja mais jogado dentro de campo e menos fora de campo".

 

Comentário digna e "politicamente correcta" de Jorge Jesus, sobre as palavras desta sexta-feira de Fernando Gomes. Na realidade, uma questão difícil para qualquer treinador abordar, uma vez que o discurso tem de ser, forçosamente, muito cauteloso.

 

"Este jogo com o Moreirense enquadra-se com o que temos vindo a fazer, é um jogo extremamente difícil, onde o adversário quer pontuar e tem boa organização defensiva. O Sporting está preparado e quer conquistar os três pontos. Queremos continuar a vencer depois ds primeiras jornadas do campeonato e para isso temos de mostrar qualidade. Estamos preparados para o jogo em Moreira de Cónegos".

 

Afirmação assertiva e sem os dispensáveis adornos melodrmáticos que Jorge Jesus avança ocasionalmente. Reflecte, porventura, a confiança que existe neste momento no grupo leonino.

 

"As minhas decisões são jogo a jogo, não olho para o jogo que vem a seguir, olho para os jogos que temos a fazer. Tomamos e fazemos as escolhas de acordo com a estratégia de jogo e também, como é óbvio, não havendo problemas físicos".

 

Instado a comentar o próximo jogo da Champions, em Alvalade, frente ao Barcelona. Novamente uma resposta "politicamente correcta", mas não duvido minimamente que os prós e contras desse embate já integraram as reuniões de Jorge Jesus com os seus adjuntos. Por muito que se possa negar esse cenário, é impossível que não aconteça, até porque, indirectamente, algumas tomadas de decisão em relação ao jogo com o Moreirense poderão ter impacte no encontro seguinte. Sempre assim foi e sempre assim será.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:48

 

Jorge+Jesus+Sporting+CP+Training+Press+Conference+

 

Considerações de Jorge Jesus na conferência de imprensa de antevisão ao embate com o Marítimo, a contar para a primeira jornada da fase de grupos da Taça da Liga:

 

«Temos o objectivo de vencer esta competição. Vimos de um ciclo de vitórias e temos essa obrigação. Estamos confiantes e acreditamos que temos capacidades de fazer um bom jogo, contra uma equipa que está a fazer um início de campeonato também muito forte.

 

Vamos encontrar um Marítimo forte, que está a prová-lo no campeonato. Vai fazer desta competição uma prova importante para os seus objectivos. Acredito que estarão na sua máxima força e é uma equipa que nos vai criar vários problemas.

 

Apelo à presença dos adeptos em massa em Alvalade. O Sporting tem adeptos em todas as partes de Portugal e sei que neste momento estamos todos esperançados porque estamos a vencer e quanto mais estivermos unidos, mais fácil será para conquistar vitórias».

 

Qual é o real significado de Jorge Jesus afirmar que o Sporting quer vencer esta competição ?... Haverá disposição para dar o tudo por tudo ?... Não acredito !

 

Com a Liga, a Champions, e mais adiante a Taça de Portugal, há uma necessidade absoluta de rodar jogadores para minimizar desgaste. Por muito que o Sporting possa alegar que pretende vencer esta competição, não pode de modo algum alinhar com a sua melhor equipa. Fazer isso, seria cometer suicídio !

 

Fica a dúvida, portanto, sobre a qualidade e profundidade de desempenho do onze que irá defrontar o  Marítimo, constituído maioritariamente por jogadores de segunda linha.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:09

Um caso de imaginação

Rui Gomes, em 19.09.17

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:07

Foto do Dia

Rui Gomes, em 17.09.17

 

img_FanaticaBig$2017_09_16_22_27_58_1313209.jpgimg_FanaticaBig$2017_09_17_09_27_38_1313328.jpg

 Logo após Bruno Fernandes assinar o 2-0 no Sporting-Tondela, Jorge Jesus

chamou Fábio Coentrão e, irritadíssimo, mostrou-lhe o seu desagrado

com algo que o lateral teria feito, com este a dar a sua versão

 dos acontecimentos. No final, tudo bem que acaba bem !

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:52

Sporting mais demolidor fora de casa

Rui Gomes, em 15.09.17

 

OriginalSize$2017_09_13_23_57_34_1312213.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:44

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo