Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Os Onze do Presidente

Desert Lion, em 09.05.14
 

 

Foram onze as contratações desta época para a Equipa A do Sporting - o que é um número apreciável para uma SAD em situação de ruptura financeira.

 

- 4 Defesas: Welder, Piris, Maurício e Jefferson

- 3 Médios: Vítor, Magrão e Shikabala

- 4 Avançados: Heldon, Montero, Slimani e Cissé

 

Analisando, um a um:

 

Welder: ninguém percebe o que veio para aqui fazer, ainda para mais se considerarmos que haviam opções de valor no plantel, como Miguel Lopes e Arias (um emprestado, o outro oferecido) e ainda Esgaio e Riquicho (na equipa B). Irá, certamente, ser devolvido a procedência.

 

 

Piris: não é um mau jogador mas nunca se revelou uma verdadeira mais valia para a equipa. A sua contratação também não se percebe totalmente, se levarmos em conta o referido quanto a Welder. Acho que também deverá mudar de ares.

 

 

Maurício: não sendo um jogador com a riqueza de argumentos técnicos que gosto de ver no Sporting, acaba por ser um recurso útil pela sua entrega e pela disponibilidade física e anímica que coloca no jogo. Deve ficar, mas penso que numa trajectória normal de evolução de Dier, passará a sentar-se no banco.

 

 

Jefferson: bom jogador, confirmou as indicações dadas no Estoril. Deixou de marcar de livres directos, o que pode ser sinal de quebra de confiança. Apagou-se no final da época, talvez por não ter oposição directa no seu lugar. Deve ficar, devendo ser encontrado um concorrente à altura para a posição de lateral esquerdo.

 

Vítor: humilde e trabalhador, mas sem a fineza e confiança necessárias para representar o Sporting. Sempre que entrou fê-lo a “medo” e sem nunca conseguir demonstrar real valor. Deverá ir para outras paragens já no final da época, onde espero que tenha o sucesso que merece.

 

 

Magrão: teve o auge da sua carreira há uns anos. Nada veio acrescentar e acabou por tomar o lugar que poderia ser de uma muito esperada promessa da “B”: João Mário. Deverá ser dispensado.

 

 

 

Shikabala: neste caso, o mistério adensa-se. Tendo vindo a meio da temporada, acabou por nunca jogar. Na “B” também não convenceu e teve o azar de se lesionar. Conheço muitos dos seus compatriotas. Dizem-me ser um tecnicista de classe, mas um "menino mimado", que sempre criou problemas por onde andou. Sem mentalidade competitiva forte não lhe adivinho grande futuro no Sporting.

 

Heldon: também ainda não convenceu. Parece bastante humilde e com vontade de melhorar, mas não mostrou as qualidades técnicas que se exigem para representar uma opção valida para a sua posição. Para emprestar, se possível a um clube estrangeiro, porque sendo interessante e podendo vir a “explodir”, não me parece ainda capaz de acrescentar alguma coisa a um Sporting de nível europeu.

 

Montero: bom jogador, muita classe. Um goleador. Parece andar "triste", ou talvez seja apenas cansaço. Esperemos que não se tenha apagado a chama e que após o descanso do Verão venha com energias renovadas para se afirmar, na próxima época, como o fora de serie que é, na Champions e na Liga Portuguesa.

 

Slimani: sempre gostei deste tipo de atacantes. Um “tanque”, que dá tudo e que “rebenta” com os centrais adversários, lá na frente. Não podemos aspirar a vê-lo partir para grandes voos, pois não tem a qualidade técnica para isso mas foi, sem dúvida uma bela aquisição, que tem tudo para se tornar numa referência num clube de meios escassos como é o Sporting dos dias de hoje.

 

Cissé: estou convencido que Cissé só veio para o Sporting devido à inexperiência e à necessidade momentânea que a Direcção teve de mostrar que se sabia movimentar no mercado de transferências. Era suplente na Académica, nunca se afirmou na nossa equipa B e acaba a época como suplente do Arouca. Para emprestar ou oferecer, a quem se mostre interessado (lia-se hoje no Record que o Sporting procura quem o leve).

 

 

Em conclusão, dos 11 contratados, 4 deverão ficar (Maurício, Jefferson, Montero e Slimani) e os restantes 7 devem dar o lugar a novos. Não se pode dizer que seja uma colheita fabulosa quando temos um índice de aproveitamento de 36%. No entanto, considerando o baixo custo envolvido na generalidade das transacções e a relativa inexperiência da Direcção em funções, tem de se reconhecer como meritório o trabalho efectuado a este nível. Basta ver que a mais valia que poderíamos obter na venda de apenas um deles, hoje em dia (por exemplo Montero ou Slimani) deverá superar o custo global das onze aquisições efectuadas. Ora, e ainda que apenas considerado esse vector, isso, já poderíamos afirmar que estamos perante uma agradável mudança de paradigma no futebol do Sporting.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:36

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Posts recentes


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D


Posts mais comentados



Cristiano Ronaldo