Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Fotografia com história dentro (72)

Leão Zargo, em 19.11.17

Osvaldo Silva.jpg

 

Osvaldo Silva e o ‘hat-trick’ ao Manchester United

 

Osvaldo Silva teve muitos jogos de glória com a camisola verde e branca. Ele foi um excelente jogador de futebol, um médio de ataque explosivo, a faísca da equipa, e que teve um papel fundamental na caminhada épica pela Taça das Taças em 1963-64. Mas, entre outros jogos, houve um que ficou para a história e que é frequentemente recordado pelos sportinguistas: o Sporting 5 - Manchester United 0.

 

Anselmo Fernández substituiu Gentil Cardoso na orientação técnica dos leões entre os dois jogos da eliminatória com os ‘red devils’. Profundo conhecedor da equipa de Bobby Charlton e Denis Law, o novo treinador procedeu apenas a duas alterações naquela partida decisiva: colocou Mascarenhas no lugar do extremo Alfredo e concedeu liberdade de acção a Osvaldo Silva.

 

O plano foi perfeito, pois Mascarenhas dinamitou a defesa inglesa e ‘Osvaldão’ fez um jogo de sonho coroado com um ‘hat-trick’ que obrigou o guarda-redes Gaskell a ir buscar a bola ao fundo da baliza aos 2, 11 e 54 minutos. Naquela noite o jogador brasileiro foi a principal figura em campo, pelo que jogou, pelo que fez jogar e pelos golos que marcou. Um gigante, um leão inesquecível!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:49

Fotografia com história dentro (57)

Leão Zargo, em 30.07.17

 

20564804_Cm821.jpg

 

Osvaldo Silva e a eliminatória com o O. Lyonnais em 1964

 

Osvaldo Silva teve muitos jogos de glória com a camisola leonina, entre 1962 e 1966. Foi um excelente jogador de futebol, um médio de ataque explosivo, a faísca da equipa, e que desempenhou um papel fundamental na caminhada épica pela Taça das Taças em 1964. Anselmo Fernandez e Juca tinham grande confiança nele. É muito referido o seu hat-trick naquela noite prodigiosa do Sporting - Manchester United quando obrigou David Gaskell a ir buscar a bola ao fundo das redes aos 2, 11 e 54 minutos.

 

Mas, houve outra eliminatória dessa Taça das Taças que ficou para a história e que é recordada frequentemente pelos sportinguistas. Foram os três jogos nas meias-finais com o Olympique Lyonnais, onde jogavam dois craques temíveis, Combin e Di Nallo. Depois dos empates em Lyon (0-0) e em Alvalade (1-1), as duas equipas defrontaram-se no Metropolitano de Madrid para o desempate. O desafio decorria com muita luta e muito equilíbrio, quando, num imprevisto, aos 65 minutos de jogo, “Osvaldão” inventou um remate à meia volta que deu o golo que eliminou os franceses.

 

Naquela noite madrilena Osvaldo Silva foi a principal figura em campo, pelo que jogou, pelo que fez jogar e por esse lance decisivo. Um gigante! E a final de Bruxelas ficou logo ali ao alcance de uma mão.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:29

Fotografia com história dentro (39)

Leão Zargo, em 02.04.17

 

SCP 1972-73 TP.jpg

 

A Taça que “salvou” a época de 1972-73

 

 

A época de 1972-73 chegou a parecer que seria desastrosa para o Sporting. Muita coisa correu mal, em particular a realização no Verão de longas digressões aos Estados Unidos da América, Moçambique e Europa de Leste, a eliminação na 1ª eliminatória da Taça das Taças pelo Hibernian, a invasão de campo num Sporting – Leixões, a interdição do Estádio de Alvalade, a agressão a Damas por adeptos do Montijo, o fracasso de Ronnie Allen como treinador leonino, a demissão do presidente Brás Medeiros… A consequência foi um péssimo 5º lugar no Campeonato Nacional.

 

Felizmente, havia em Alvalade os recursos humanos necessários para ainda “salvar” a época. Mário Lino passou de adjunto a técnico principal e Osvaldo Silva dos juniores avançou para adjunto. Organizaram a “casa” e conquistaram a Taça de Portugal, frente ao Vitória de Setúbal (3-2), em 17 de Junho de 1973. Com este triunfo, ganharam o direito de preparar a equipa para a 4ª dobradinha de história do Sporting em 1973-74 e para o percurso vitorioso na Taça das Taças até às meias-finais com o Magdeburgo.

 

Na fotografia, com a gloriosa Taça, reconhecem-se Bastos, Chico Faria, Alhinho, Yazalde, Mário Lino, Damas, director Manuel Aranha, Vagner e Osvaldo Silva (de pé), Laranjeira, Tomé, Nelson, Marinho, Dinis, Moniz e Manaca (em baixo).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:45

Fotografia com história dentro (18)

Leão Zargo, em 16.10.16

 

SCP2 SLB1 Final TP 73-74 prolongamento.jpg

 

A Taça que chegou a parecer impossível

 

 

O Sporting conquistou o Campeonato Nacional e a Taça de Portugal em 1973-74. Foi a 4ª dobradinha da sua história. O Campeonato terminou em 19 de Maio e a final da Taça estava marcada para três semanas depois. Nesse espaço de tempo, pareceu surgir uma tempestade perfeita em Alvalade: o treinador Mário Lino saiu, o adjunto Osvaldo Silva foi promovido e o goleador Yazalde lesionou-se. 

 

Osvaldão, como era conhecido entre os jogadores, estava confrontado com o seu destino. Não é que ele o temesse, por ser homem de muitas “batalhas”, para além de pessoa ponderada e assertiva. Falava quando tinha de falar, ouvia quando convinha ouvir, mas sempre muito convicto das suas ideias. De resto, de futebol sabia como poucos e em Alvalade confiava-se nele.

 

Mas, o jogo da final da Taça de Portugal chegou a parecer irreversivelmente perdido. Apesar da disputa intensa, o Benfica esteve à frente do marcador até aos 89 minutos quando Chico Faria, que entrou na 2ª parte, fez o golo do empate. A fotografia refere-se ao prolongamento do jogo. Osvaldo, calmo, quase impassível, dá as últimas indicações aos jogadores. Entre eles, Marinho que marcou o golo do triunfo aos 108 minutos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:28

Fotografia com história dentro (9)

Leão Zargo, em 14.08.16

 

Osvaldo no SCP.jpg

Osvaldo Silva em Alvalade

 

Osvaldo Silva foi contratado pelo Sporting ao Leixões em 1962. A fotografia mostra o momento em que ele chegou ao “Lar do Jogador” depois de ter assinado o contrato. O capitão Fernando Mendes saúda-o entregando-lhe uma camisola verde e branca, perante o olhar optimista de outros leões. Ao contrário do que acontece actualmente, naquele tempo não havia mise en scène nem foto copy paste a propósito dos craques acabados de chegar a Alvalade. Afinal, os próprios futebolistas é que eram (e ainda são!) as verdadeiras estrelas. Um fragmento do tempo sportinguista.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:50

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo