Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Os homens da bola

Rui Gomes, em 23.05.17

 

21024904.jpg

 

«Rui Patrício teve enorme força de vontade para aprender e melhorar, assim como capacidade de sofrimento para poder suportar pressão desde a primeira hora, porque viveu um ambiente adverso na sua própria casa. Tudo o que se faça ao Rui é da mais elementar justiça. O mérito de chegar aqui é dele. É um guarda-redes de grande qualidade. Estou convencido de que continuará a querer melhorar e evoluir. Atingiu um estatuto, fruto da qualidade do trabalho dele, quer no clube, um dos maiores e melhores em Portugal, mas também na Selecção Nacional, que culminou no título de campeão da Europa.

 

O célebre jogo com o Marítimo ganhou algum mediatismo, mas ele sabia-o, desde a véspera, que iria ser titilar e que não ia jogar no jogo seguinte, em Milão, para a Liga dos Campeões. O jogo destacou-se por ter defendido um penálti na estreia. Mas depois aconteceram coisas mais dificéis durante o seu percurso. Continuo a acreditar que a única coisa em que possamos ter ajudado o Rui, não foi dar-lhe a oportunidade, porque qualquer um teria dado. O que lhe demos foi não o tirar de campo nos momentos dificéis, e teve vários. Fizemos isso, com todos os riscos. Agora ele deve desfrutar, mas também muitos dos que o queriam ver pelas costas. Mas o futebol tem destas coisas».

 

 

Paulo Bento, também presente na cerimónia de inauguração da estátua de Rui Patrício em Leiria.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:12

Um Rui Patrício para a história

Leão Zargo, em 19.11.16

 

 Rui Patrício Barreiros 19.11.2006.jpg

 

Rui Patrício estreou-se na equipa principal do Sporting em 19 de Novembro de 2006. Tinha 18 anos de idade, jogava nos juniores e treinava com os seniores. Mas, Ricardo lesionou-se e Paulo Bento recorreu ao rapaz da Academia de Alcochete que os leões foram buscar ao Marrazes por 1500 euros. Calculo que Bento lhe disse apenas para ir tranquilo lá para dentro. E não se arrependeu, porque o guarda-redes defendeu uma grande penalidade marcada por Kanu aos 74 minutos e o Sporting ganhou por 1-0.

 

Passados 10 anos da estreia, Rui Patrício é um dos guarda-redes que vestiu durante mais tempo a camisola leonina. Apenas Carvalho, com treze anos, Vítor Damas, com quinze anos, e João Azevedo, com dezoito anos, o ultrapassam. Os sportinguistas reconhecem-lhe qualidades extraordinárias como futebolista e como capitão de equipa e orgulham-se dele como “produto” da Formação. O último Europeu em França consagrou-o como um dos grandes guarda-redes da actualidade.

 

O futebol possui a qualidade extraordinária de preservar na memória dos seus adeptos um núcleo de histórias lendárias, de sinais de glória e de afirmação clubística. Também daqui decorre a identidade histórica dos clubes e alguns jogadores atingem o raro estatuto de símbolos. É o caso de Rui Patrício que constitui um elo de ligação com o passado leonino e aglutina diferentes gerações de adeptos, e adquiriu o estatuto excepcional de símbolo do Sporting Clube de Portugal.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:53

 

Paulo_Bento_INT_-_Washington_AlvesLight_PressCruze

 

«Fiquei muito satisfeito, muito orgulhoso. Foi um feito. Pela primeira vez conquistámos uma grande competição, e contra uma grande equipa, em casa do organizador do torneio. Portugal já teve outros momentos em que o podia ter alcançado, mas como português sinto-me orgulhoso do que foi conseguido.

 

Para um país de pequena dimensão, ter um feito destes. é realmente algo que vai perdurar durante muito tempo nas nossas vidas enquanto cidadãos portugueses, e que naturalmente será inesquecível para todos que os que participaram nesta competição».

 

Paulo Bento, em declarações à SportTV brasileira, sempre com a dignidade que se reconhece, embora não seria humano se, no seu íntimo, não sentisse alguma mágoa por não ter sido ele ao leme desta histórica conquista da Selecção Nacional.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:37

Falando de Paulo Bento…

Leão Zargo, em 06.05.16

 

19574423_UJqpq.jpg

 

Paulo Bento foi treinador do Sporting ainda há relativamente pouco tempo e o seu desempenho profissional suscitou sempre acalorados debates entre os sportinguistas. Todos nos recordamos das conversas intermináveis sobre “losangos” e das ironias a propósito da “tranquilidade” da equipa e, principalmente, como se criticava a sua teimosia e o futebol “à moda” do treinador com o risco ao meio. Aqueles jogos fatídicos com o Bayern desgraçaram muito do que de bom foi feito e o 2º lugar na 1ª Liga de 2008-09 e o mau começo na Liga na época seguinte precipitaram o desenlace.

 

Paulo Bento deixou Alvalade em Novembro de 2009, nunca se imaginando a hecatombe que se desenhava no horizonte. Sucessivamente Carlos Carvalhal, Paulo Sérgio, José Couceiro, Domingos Paciência, Sá Pinto, Oceano Cruz e Frank Vercauteren foram “queimados” no relvado e na praça pública, até que Jesualdo Ferreira garantiu a organização e a coerência competitivas indispensáveis a um clube como o Sporting. Depois, o que se seguiu é do conhecimento de todos.

 

É possível quantificar, pelo menos parcialmente, a qualidade do trabalho realizado por Paulo Bento nos leões. Sentou-se no banco pela primeira vez num Sporting-Gil Vicente, em 23 de Outubro de 2005, e pela última num jogo da Liga UEFA, em 5 de Novembro de 2009 (Sporting-Ventspils):

 

2005-06: 2º lugar na Liga a 7 pontos do FC Porto, Meia-Final da Taça de Portugal (eliminado no Dragão nos penaltys) e Fase de Grupos na Champions; 

 

2006-07: 2º lugar na Liga a 1 ponto do FC Porto (o ano da mão de Rony), Taça de Portugal e Fase de Grupos na Champions;

 

2007-08: 2º lugar na Liga, Taça de Portugal, Supertaça e Quartos de Final na Liga UEFA;

 

2008-09: 2º lugar na Liga, Supertaça e Oitavos de Final na Champions;

 

2009-10: saiu com o Sporting em 7º lugar na Liga portuguesa e garantido o apuramento para a fase seguinte da Liga UEFA.

 

Enquanto treinador principal, lançou jovens atletas da Formação, nomeadamente Nani, Miguel Veloso, Yannick Djaló, Pereirinha, Rui Patrício, Adrien Silva, Daniel Carriço, André Marques e Carlos Saleiro. Deu a titularidade a Nani logo no seu primeiro jogo como treinador. Mas, muitos adeptos consideram que Varela não foi bem avaliado. Outros, como Celestino, Semedo, Tomané, David Caiado ou Paez, nunca se conseguiram impor no futebol leonino.  

 

Não considero que Paulo Bento tenha fracassado no Sporting, mas nunca foi encarado como um vencedor. Ao contrário do que é habitual, começou logo pelo topo. Observador e conhecedor do meio, estudioso e autodidacta impôs-se e fez-se respeitar por dirigentes, jogadores e adeptos. Se falhou terá sido mais pela estrutura envolvente do que por ele próprio. E porque terá faltado alguma qualidade individual à equipa de futebol. Nos conflitos com jogadores, mesmo os mais carismáticos, impôs a sua autoridade de forma correcta e, em geral, o tempo deu-lhe razão.

 

O facto de não ter conseguido o título de Campeão Nacional e as fracas exibições da equipa penalizaram-no perante os sportinguistas. O modelo técnico-táctico do Sporting parecia esgotado, principalmente na última época. O futebol da equipa era lento e previsível, com amplitude e profundidade insuficientes o que não possibilitava um jogo apoiado produtivo. A posse de bola apoiada era infrutífera por a estruturação do espaço ser ineficaz.  

 

Paulo Bento treinou o Sporting numa época de contenção de custos e de grande aproveitamento da Formação e fez com pouco o que alguns só fazem com muito. Deu sempre a cara pelo Clube e nunca teve o hábito de mandar os recados por outros. Exprimiu em inúmeras circunstâncias as suas convicções e protestos, o que lhe valeu críticas, dissabores e castigos. O temperamento frontal e o carácter intransigente tornaram-no incómodo e inflexível, não suscitando grandes lamentos a sua partida. No entanto, foi sempre honesto, vertical e coerente, mesmo depois de terminado o seu ciclo em Alvalade.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:00

Os "cinquentenários" do Sporting

Rui Gomes, em 13.05.15

 

Marco Silva atingiu o jogo n.º 50 da época no domingo passado frente ao Estoril e considerando que ainda faltam disputar mais três desafios em 2013/14 - dois da I Liga e a final da Taça de Portugal - será o quarto treinador do Sporting a ultrapassar a marca dos 50 jogos oficiais numa só temporada, repetindo os trajectos de Paulo Bento (56), Marinho Peres (53) e José Peseiro (52).

 

Curiosamente, tendo em conta muito do "tumulto" em torno da sua continuidade em Alvalade, Marco Silva pode alcançar o maior número de vitórias em jogos oficiais numa só época, estando neste momento com 29, faltando-lhe apenas três para o melhor registo de sempre, alcançado por Laszlo Boloni em 2001/02.

 

E... ainda corre o risco de estabelecer o melhor registo de sempre de golos marcados em jogos oficiais numa só temporada, contabilizando os seus actuais 98. O recorde é também de Laszlo Boloni, em 2001/02, com um total de 105 golos, seguido muito ao perto pelos 104 de José Peseiro, em 2004/05. O que isto significa é que o Sporting terá de marcar 7 golos nos seus restantes jogos - SC Braga (x2) e Rio Ave - para o recorde ser igualado e pelo menos 8 para ser ultrapassado.

 

marcosilva28.jpg

IMG.jpg

600.gif

IMG_0001.jpg

marinho_peres_20100224_1798219586.jpg

IMG_0003.jpg

peseiro.jpg

IMG_0002.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:16

 

Paulo-bento.jpg

 

«Isso é algo que não me incomoda nada. A partir do momento em que abandonei a Selecção apenas desejo que as coisas corram da melhor maneira possível. Todos os treinadores devem ter a liberdade de escolher aqueles que entendem e Fernando Santos tem a legitimidade para fazer as suas escolhas.»

 

Bem dito Paulo Bento, mesmo quando algumas dessas escolhas não fazem sentido algum ! 

 

O antigo seleccionador nacional, em entrevista à TVI24, quando questionado sobre o regresso de alguns jogadores (Ricardo Carvalho, Tiago, Danny e Bosingwa).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:14

Sem dó nem piedade !

Rui Gomes, em 13.09.14
 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:28

Reacções à saída de Paulo Bento

Rui Gomes, em 12.09.14

 

"Temos memória curta. Paulo Bento apanhou o comboio em andamento, com resultados negativos e quando estava tudo com as calças na mão para conseguir o tão desejado apuramento (para o Euro 2012). Ele conseguiu o apuramento para o Europeu e para o Mundial. Tudo isto no tempo das vacas magras. A besta é sempre o treinador. Paulo Bento vai dar lugar a outro, como Carlos Queiroz deu lugar a Paulo Bento. Tenho pena por este desenlace. Não se pode retirar o mérito a tudo aquilo que ele fez." - Toni -

 

 

 

"Os treinadores (seleccionadores) são torturados, ofendidos e humilhados de uma forma injusta, incorrecta, inaceitável, pelo julgamento mediático e consequentemente pelo julgamento popular, e todos saem pela porta baixa." - Carlos Queiroz -

 

 

 

 

 

"Esta decisão prova que a FPF, nomeadamente Humberto Coelho e João Vieira Pinto, não perceberam que não temos talentos que permitam dar continuidade aos sucessos dos últimos 20 anos." - Octávio Machado -

 

 

 

 

 

"O desgaste era imenso e já vinha antes do Mundial. Era uma carga muito grande com que Paulo Bento tinha de lidar e por isso não é surpresa." - Paulo Alves -

 

 

 

 

 

"Fiquei surpreendido. Todo o passado - embora curto - de Paulo Bento na Selecção indicava que ia ter mais uma ou duas oportunidades." - Gilberto Madaíl -

 

 

 

 

 

"Depois do Mundial do Brasil, Paulo Bento deveria ter verificado quais eram os apoios que tinha para continuar. O próximo seleccionador deve ser alguém com currículo e peso no futebol português." - Amândio de Carvalho -

 

 

 

 

"Como tinha vindo a dizer publicamente depois da derrota com a Albânia, Paulo Bento não tinha o mínimo de condições objectivas e subjectivas para continuar." - António Boronha -

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:10

 


A Federação Portuguesa de Futebol emitiu um comunicado a anunciar a saída de Paulo Bento do comando técnico da Selecção Nacional. Segundo o organismo, a decisão foi tomada conjuntamente entre a Direcção da FPF e Paulo Bento.

Os termos do acordo entre as partes não foi revelado, mas a acreditar na revista norte-americana "Forbes", o salário de Paulo Bento era 1,6 milhões por época e considerando o seu vínculo contratual até 2016, a rescisão poderá custar cerca de 3 milhões de euros.

Embora ainda não haja qualquer notificação oficial, os rumores na praça aparentam indicar que o sucessor será Fernando Santos, antigo treinador dos três grandes portugueses e, até recente, seleccionador da Grécia, equipa que liderou no Mundial do Brasil.

Esta provável escolha não surpreenderá o futebol português e até poderá ser a decisão mais lógica, nas circunstâncias. Para ser sincero, ainda não tive ocasião para reflectir sobre este estado das coisas da "equipa de todos nós" e ponderar outros possíveis nomes.

Nota: Uma outra consideração que omiti no texto original, sobre Fernando Santos, é o castigo de oito jogos que lhe foi imposto pela FIFA, que, neste contexto, abrangerá praticamente toda a fase de apuramento, ou seja, não poderá ir para o banco durante os jogos. Não sei até que ponto esta disposição influenciará a decisão da FPF.


Adenda: Agora, com um pouco mais de disponibilidade, e após reflexão, adianto uma breve opinião sobre possíveis sucessores de Paulo Bento. Considero, há muito, Manuel José o melhor treinador português da sua geração e até mais além, no que diz respeito à vertente técnica do futebol. E, digo isto, sem simpatizar minimamente com a pessoa e até por já ter tido encontros com ele pouco agradáveis. Tem uma personalidade muito complicada e, porventura, será este factor que o afastará de qualquer consideração por parte da FPF. O outro nome que me surge, por o considerar um excelente treinador, é José Peseiro. Talvez que o seu maior "pecado" seja de desconsiderar a vertente defensiva do jogo, mas poucos lançam uma equipa a jogar futebol de elevado nível como ele.

Por ter uma opinião algo cínica em relação aos bastidores do poder da FPF e afins, creio que outros interesses serão considerados e terão maior peso na decisão a ser tomada.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:31

 

 

Posso estar errado, evidentemente, mas não acredito que a Federação Portuguesa de Futebol vá agir no sentido de encontrar um substituto para Paulo Bento. Só mesmo quando estiver diante de um desastre - o não apuramento para o Euro 2016 - por exemplo, é que irá "correr atrás do prejuízo", quando for "too little, too late".

 

Como ilustra o cartoon, é mais fácil, e conveniente, despedir o roupeiro !... Ainda bem que não é o Paulinho...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:12

Enganei-me... novamente !

Rui Gomes, em 07.09.14

 


Sem ser surpresa alguma, enganei-me novamente ao dar os meus palpites sobre a Selecção Nacional. Esqueço sempre que lógica e Paulo Bento não se associam muito bem. No outro recém-post que escrevi sobre a equipa das quinas, cheguei a admitir que Bruma viesse a ser integrado no onze inicial, muito embora também tenha indicado que a sua forma actual é desconhecida, após a longa ausência por lesão. Depreendi, no entanto, que estaria em condições para jogar uma vez que foi convocado. Com 24 jogadores sobre a mesa, um teria de ficar de fora e o escolhido foi precisamente Bruma.
 
A UEFA implementou uma nova regra em que o jogador excedentário terá de ser nomeado até às 11h00 da véspera de cada jogo, daí a explicação para o anúncio de ontem sobre o antigo jogador do Sporting.
 
Por fim, torna-se evidente que este seleccionador convoca mediante as camisolas dos clubes. Alguns que foram agora chamados e integrados, não eram convocáveis há dois meses atrás, um vez que mudaram de clube, já passaram a ser jogadores importantes, a título da muito propagada "renovação". A explicação para Adrien Silva é a excepção à regra, mas duvido muito que venhar a pisar o relvado.
 
Já dei o meu palpite sobre o onze inicial de Paulo Bento, mas creio que me enganei... novamente.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:33

E um novo... seleccionador ???

Rui Gomes, em 03.09.14
 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:52

Casmurro até dizer basta

Ricardo Leão, em 30.06.14

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:13

Paulo Bento em entrevista

Rui Gomes, em 30.06.14
 

 

Paulo Bento em entrevista a TVl24 abordou muito do que sucedeu com a Selecção Nacional no Mundial 2014 no Brasil e ainda deixou alguma perspectiva sobre a expectável renovação da equipa das quinas.

 

Os pontos principais da entrevista estão disponíveis aqui.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:45

O onze de Paulo Bento para Gana

Rui Gomes, em 26.06.14
 

 

Paulo Bento escolheu o seguinte onze para o embate decisivo com Gana no Mundial 2014:

 

Rui Patrício; João Pereira, Bruno Alves, Pepe e Miguel Veloso; William, Rúben Amorim e João Moutinho; Nani, Éder e Cristiano Ronaldo.

 

Bem... Acertei em 9 com a minha previsão, embora tenha colocado Miguel Veloso no meio campo e não a lateral esquerdo. Ainda dou o benefício da dúvida pela opção sobre Rúben Amorim, que ainda não se estreou na competição no Brasil, mas sinto imensa dificuldade em compreender Silvestre Varela ficar no banco, apenas porque Paulo Bento quer um ponta de lança de raiz na frente do ataque. Éder tem trabalhado muito mas com muito pouca eficácia, tanto em golos como em acções a complementar as manobras ofensivas.

 

Esperamos que o Seleccionador tenha acertado nas suas decisões, embora ainda esteja para ver a sua estratégia para este jogo em que Portugal vê-se obrigado a vencer e a marcar muitos golos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:34

Quando Paulo Bento tem razão

Rui Gomes, em 16.06.14

 

 

Nunca fui dos maiores fãs de Paulo Bento - nem dos maiores críticos - mesmo enquanto orientava o Sporting, mas em relação aos casos de Ricardo Carvalho e Tiago, concordo na íntegra com as decisões tomadas. Aliás, a bem dizer, foram os próprios jogadores que assumiram as suas posições de livre vontade e, ao que concerne Tiago, até recusou repetidos convites do Seleccionador Nacional.

 

Em entrevista ao "L'Équipe" - concedida antes da partida para o Brasil, mas só publicada este domingo - Paulo Bento aborda diversas questões relacionadas com a equipa das quinas, inclusive dos casos de Ricardo Carvalho e Tiago:

 

Por que disse que não faz sentido falar do regresso à equipa nacional de Tiago e Ricardo Carvalho ?

 

«Desde logo, são casos que nada têm a ver um com o outro, não podem ser associados».

 

Então, comecemos por Tiago...

 

«Começamos e acabamos em Tiago. Entre Outubro de 2010 e Janeiro de 2011, tivemos várias mudanças. Cheguei mesmo a deslocar-me a Madrid, para tentar fazer com que mudasse de ideia e recuasse na decisão. Manifestei claramente o meu desejo de contar com ele. Tiago manteve a sua posição. Foi claro, honesto. A partir daí, cada um seguiu o seu caminho. Relativamente ao grupo, não faria sentido, para mim, voltar a chamar Tiago, hoje. E creio que ele compreendeu bem o fundamento da minha decisão.»

 

E Ricardo Carvalho ?

 

«Não merece o menor comentário.»

 

Apoio totalmente Paulo Bento porque, na minha opinião, um jogador que abandona a Selecção Nacional, sem sequer falar com o Seleccionador, e apenas porque percebeu que não ia ser titular num jogo amigável - como foi o caso de Ricardo Carvalho - não merece jamais voltar a representar o seu País. Isto, muito além das suas eventuais descabidas declarações.

 

O caso de Tiago é bem diferente, como indica Paulo Bento. Não me recordo das explicações que terá dado para a sua decisão de renunciar à Selecção, mas foi sempre a minha ideia que ele o fez por interesse próprio, visando aliviar a carga de jogos e responsabilidades e dar prioridade à carreira de clube. Além do mais, teria sido uma grande injustiça ele ser chamado para o Mundial do Brasil, à última da hora, em detrimento de outro jogador que contribuiu para o apuramento para a fase final. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:37

"Vamos a eles que nem uns tarzões"?

Ricardo Leão, em 22.05.14

 

 

A já menos de 1 mês do primeiro jogo de Portugal no Mundial, a responsabilidade de Paulo Bento pela escolha de uma equipa apenas à sua imagem aumenta exponencialmente.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:38

O homem de Paulo Bento

Ricardo Leão, em 17.05.14
 
 

Foi este rapazola que afastou Adrien do Mundial...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:43

Inimigo Público Nº 1

Rui Gomes, em 14.05.14
 
Ao engendrar esta frase, o filósofo e escritor britânico Aldous Huxley
devia ter o Seleccionador Nacional em mente:
 

"Os homens são animais muito estranhos: uma mistura de nervosismo

de um cavalo, da teimosia de uma mula e da malícia de um camelo"

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:44

Quo Vadis Paulo Bento ?

Rui Gomes, em 13.05.14
 

 

Paulo Bento divulgou hoje a lista dos 30 pré-convocados e muita embora alguma das escolhas sejam chocantes, não surpreendem, minimamente, tendo em conta a sua desde sempre tendência para aprazer os interesses do clube do outro lado da Segunda Circular.

 

Vejamos a lista:

 

Guarda-redes: Rui Patrício, Beto, Anthony Lopes e Eduardo

 

Defesas: Bruno Alves, Pepe, Rolando, Neto, João Pereira, Ricardo Costa, Antunes, Fábio Coentrão e André Almeida

 

Médios: João Moutinho, Raúl Meireles, Miguel Veloso, William Carvalho, Rúben Amorim, André Gomes e João Mário

 

Avançados: Cristiano Ronaldo, Hugo Almeida, Varela, Hélder Postiga, Ian Cavaleiro, Nani, Rafa, Ricardo Quaresma, Vieirinha, Éder e Vieirinha

 

Apenas algumas estatísticas a considerar neste momento:

 

a) André Almeida: 14 jogos titular, 9 suplente utilizado, 1466 minutos de jogo (16,2 jogos) (todas as competições "A")

 

b) Cédric Soares: 31 jogos titular, 2790 minutos de jogo (31 jogos)

 

c) André Gomes: 13 jogos titular, 8 suplente utilizado,  1026 minutos de jogo (11,4 jogos) (todas as competições "A")

 

d) Adrien Silva: 33 jogos titular, 2709 minutos de jogo (30,1 jogos), 9 golos

 

e) João Mário: 15 jogos titular, 1 suplente utilizado, 1321 minutos de jogo (14,6 jogos)

 

f) Ian Cavaleiro: 9 jogos titular, 9 suplente utilizado, 549 minutos de jogo (6,1 jogos) 1 golo,(todas as competições "A")

 

g) Carlos Mané: 11 jogos titular, 9 suplente utilizado, 990 minutos de jogo ((11 jogos), 4 golos (todas as competições "A")

 

h) Éder: 11 jogos titular, 5 suplente utilizado, 921 minutos de jogo (10,2 jogos), 4 golos 

 

Paulo Bento está a brincar connosco ???

 

Considero uma autêntica afronta Adrien Silva e Cédric Soares nem sequer merecerem inclusão na lista de pré-convocados, preteridos a favor de mero suplentes do Benfica.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:23

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo