Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

uefa-champions-league-trophy-png-wallpaper-3.jpg

 

Estão a chegar os jogos determinantes para definir que equipas seguem para a próxima fase da Liga dos Campeões. As três equipas portuguesas em prova continuam a ter oportunidades de passar, mas não será fácil para FC Porto, Sporting e Benfica seguirem em frente.

 

Os ‘dragões’ são os primeiros a entrar em campo nesta quinta jornada da fase de grupos e são também o clube luso com o caminho mais ‘espinho’ dos três. O conjunto orientado por Sérgio Conceição vai à Turquia enfrentar o Besiktas antes de receber o Mónaco no Estádio do Dragão.

 

Em termos de apuramento, os ‘azuis e brancos’ podem garantir a presença nos oitavos de final já esta terça-feira. Caso vençam na Turquia e o RB Leipzig não vá além de um empate, os ‘dragões’ asseguram já a presença na próxima fase da Champions.

 

No entanto, um triunfo dos germânicos sobre o Mónaco deixa todas as decisões para a última jornada (excepto para os monegascos que ficariam já de fora dos lugares de apuramento). Em caso de empate, a equipa de Sérgio Conceição garante a presença nas competições europeias (Liga Europa) ficando a decisão sobre o apuramento para a Liga dos Campeões para a última jornada.

 

‘Leões’ já não dependem apenas de si.

 

As contas de apuramento do Sporting implicam a entrada de terceiros na equação. Os ‘leões’ somam quatro pontos na fase de grupos (uma vitória, duas derrotas e um empate), menos três do que a Juventus. Os italianos têm ainda vantagem no confronto directo, primeiro fautor de desempate, uma vez que venceram em Turim e empataram em Alvalade.

 

Para passar, os ‘leões’ têm dois cenários que dão acesso à próxima fase. O primeiro cenário implica duas vitórias leoninas nos próximos dois jogos e esperar que a Juventus some apenas mais um ponto nas duas jornadas que ainda de jogar na fase de grupos (Barcelona e Olympiacos).

 

O segundo cenário que dá a passagem do Sporting é mais complicado e depende de duas derrotas da Juventus. Para se apurar, o clube leonino precisaria de vencer um dos seus encontros e empatar o outro enquanto a Juventus precisaria de perder os restantes encontros.

 

As contas para os oitavos de final da Champions não são fáceis, mas a Liga Europa está a apenas um ponto de distância. Caso empate com o Olympiacos, o Sporting garante que não fica arredado das provas europeias e que segue para a Liga Europa.

 

‘Águias’ jogam a última cartada na Rússia

 

O apuramento do Benfica é o cenário mais complicado entre as três formações lusas. Os ‘encarnados’ estão obrigados a vencer os dois encontros que faltam na fase de grupos e precisam que tanto o CSKA como o Basileia percam os respectivos encontros.

 

Tantos os russos como os suíços vão enfrentar o Manchester United e o Benfica nas duas jornadas que faltam. Caso se verifique o cenário ideal para o Benfica, ficariam três equipas com seis pontos (CSKA, Basileia e Benfica) e os critérios da UEFA indicam um minicampeonato.

 

Um minicampeonato é o segundo critério de desempate onde os golos marcados e sofridos fazem a diferença. Como as três equipas terão somado seis pontos nos jogos entre si, a decisão seguirá para a diferença entre golos marcados e sofridos.

 

O Benfica tem, neste momento, nove golos negativos fruto de um golo marcador e dez sofridos nos quatro jogos já disputados. Em sentido inverso, o Basileia soma um saldo de três golos positivos (oito golos marcados menos os cinco golos sofridos). O CSKA, por sua vez, apresenta um registo de três tentos negativos. Os russos marcaram cinco golos nesta fase de grupos e sofreram oito tentos.

 

Recuperar a diferença de golos é uma tarefa hercúlea, mas que continua a acalentar a esperança ‘encarnada’ num apuramento para os oitavos de final. Actualmente, mesmo o apuramento para a Liga Europa está em risco nas contas do Benfica.

 

Recorde-se de que as três equipas lusas entram em campo entre terça (FC Porto) e quarta-feira ( Benfica e Sporting). Os ‘dragões’ vão a casa do Besiktas enquanto os ‘encarnados’ já viajaram para a Rússia. Em Alvalade, os ‘leões’ recebem o Olympiacos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:22

 

marceloliga.jpg

 

Prova evidente que há mais portugueses em campo pelo Real Madrid, do que no chamado clássico de domingo, entre o FC Porto e Benfica, que fica na história precisamente por esta razão. Tal o estado do futebol "português" !

 

FC PORTO

 

Fabiano Freitas, Danilo, Martins Indi, Marcano, Alex Sandro, Óliver, Casemiro, Herrera, Tello, Jackson Martinez e Brahimi.

 

BENFICA

 

Júlio César, Maxi Pereira, Luisão, Jardel, André Almeida, Samaris, Salvio, Enzo Peréz, Gaitán, Lima e Talisca.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:42

 

 

1.º Cristiano Ronaldo - 13 (6/2006) - (4/2010) - (3/2014)

 

2.º Simão Sabrosa - 11 (7/2006) - (4/2010)

 

3.º Luís Figo - 10 (3/2002) - (7/2006)

 

      Ricardo Carvalho - 10 (6/2006) - 4/2010)

 

5.º Petit - 9 (3/2002) - (6/2006)

 

      Pauleta - 9 (3/2002) - (6/2006)

 

      Tiago - 9 (5/2006) - (4/2010)

 

8.º Miguel - 7 (6/2006) - (1/2010)

 

      Maniche - 7 (7/2006)

 

      Ricardo -  7 (7/2006)

 

      Fernando Meira - 7 (7/2006)

 

      Bruno Alves - 7 (4/2010) - (3/2014)

 

 

 

Além do acima referido, Cristiano Ronaldo, com o seu 50.º golo ao serviço da equipa quinas, tornou-se no único português a ter marcado em três Mundiais: 2006 (1) - 2010 (1) e 2014 (1).

 

Curiosamente, apesar do insucesso da Selecção Nacional e das suas próprias limitações físicas, o formado do Sporting, de acordo com as estatísticas da FIFA, foi o jogador que mais rematou na fase de grupos: 23 remates no total, dos quais 14 enquadrados com a baliza, incluindo o golo e o remate na trave. Em segundo lugar, com menos três, situa-se o francês Benzema - seu colega do Real Madrid - com 15 remates à baliza, três golos, um remate aos ferros e cinco fora do alvo. Na hierarquia lusa, Nani é o segundo, com 12 remates, seis no alvo e outros tantos errados.

 

Ao que concerne equipas, Portugal situa-se em terceiro lugar com 53 remates - 28 à baliza, 25 ao lado e dois nos ferros -, atrás da França, com 62 remates e Gana com 59. A grande diferença é que Portugal marcou apenas três golos (um deles um autogolo), o Gana quatro e a França 7.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:34

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo