Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



E o Bruno continua na capa...

Rui Gomes, em 03.01.17

 

img_467x599$2017_01_03_01_50_00_1202634.jpg

 

Nem vale a pena revisitar este assunto. Deve existir um entendimento muito especial para tão extensa cobertura aos afazeres, histórias e afins de Bruno de Carvalho. Esperamos que não seja o Sporting a pagar a factura !

 

Não há nada melhor do que um fórum onde se relata eventos e critica-se pessoas como muito bem entendemos,e ninguém presente para nos contrariar. Tendo em conta o espírito de ditador do ainda presidente, já para não referir o seu enorme ego, este é indiscutivelmente o cenário ideal.

 

Entretanto, não satisfeito com o "circo" que lançou na praça, continua a adicionar nomes à notória comissão de "vão das escadas". Nem dá para imaginar a que extremos ele pretende levar esta palhaçada.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:08

 

img_467x599$2017_01_01_23_27_52_1202382.jpg

 

Curioso este recente e inesperado interesse do Record em Bruno de Carvalho. Gostaria de dizer que o interesse é no Sporting, mas a evidência à vista contraria essa proposição. Capa de jornal, várias páginas com uma entrevista que é distribuída por várias edições, não sendo bem claro quantas, com o intuito óbvio de dar uma maior visibilidade diária à sua perseguição a mais um mandato no 'trono' do Sporting. Maior interesse, só de figuras associadas ao PSD na tal lista de "vão das escadas".

 

É somente lógico que se questione as razões desta atracção e até se esta surge a troco de uma qualquer contrapartida ainda não revelada. Claro, temos o factor Álvaro Sobrinho da Holdimo, "shareholder" substancial da Sporting SAD e, não por mera coincidência, com ligações à Cofina.

 

Neste nosso Mundo, pouco ou nada acontece por mero acaso e interesses partidários são a ordem do dia, todos os dias. Será necessário mais algum tempo para verdadeiramente compreender o que está sobre, ou debaixo, da mesa nesta situação.

 

Como disse um nosso leitor aqui, com algum humor, creio, "Mais de 80% das notícias sobre o Sporting fazem referência a Bruno de Carvalho. O Record deixou de ser um jornal sobre desporto, mas sim um jornal de gajas descascadas e Bruno de Carvalho".

 

Com o devido respeito, eu até sou grande apreciador das "gajas descasdadas" !

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:30

 

img_770x433$2016_12_27_14_00_13_1201117.jpg

 

... Com expressão angélica para acentuar o momento, Bruno de Carvalho está a surgir aos poucos com a sua estratégia eleitoral, nomeadamente com mais do mesmo que nos confrontou no passado recente, ou seja, 'tenham pena de mim,, não me deixem cair, estou muito sozinho'.

 

Para quem não é facilmente seduzido por meras coincidências, especialmente no mesmo dia em que um candidato à presidência do Sporting vai apresentar a sua candidatura, surgem estes artigos no jornal Record. O bem conhecido vendedor da 'banha da cobra' no seu milieu natural:

 

1 - Em conversa com elementos próximos do presidente dos leões, percebe-se que este não dá nada como garantido. Um exemplo dado a Record reside numa das assembleias realizadas no ano passado, a tal que muitos pensaram estar relacionada com o caso Marco Silva, e que nos dizem ter sido uma forma de Bruno de Carvalho sentir se os sócios estavam a compreender o seu trabalho.

Não se tratava de voltar a sentir-se legitimado, pois o seu projecto havia sido devidamente sufragado; tratava-se, antes, de uma forma de ouvir os adeptos e perceber se estes estavam a compreender o difícil caminho traçado. No fundo, é disso que se trata nesta altura. Bruno de Carvalho tenta ouvir sportinguistas de todos os quadrantes, pois foram muitos os ataques que sofreu, o isolamento que sentiu. A solidão no comando do clube pode tornar-se insuportável, afirmam elementos da estrutura.

 

2 - Bruno de Carvalho sente-se cansado das manobras de bastidores do futebol português. Fonte próxima do presidente do Sporting diz a Record que este ama o desporto em si e o clube que representa, mas que está algo cansado daquilo que entende como os vícios do futebol nacional.

O líder leonino lamenta a influência que estes jogos de bastidores assumem junto de federação, liga e até de instâncias decisórias, as quais entende que deveriam estar imunes a intromissões.

No fundo, Bruno de Carvalho começa a pensar se valerão realmente a pena tantas guerras, sabendo que os sportinguistas poderão estar cansados das mesmas, por verem o presidente demasiado sozinho.

Mas a verdade é que as mesmas fontes nos garantem que, nisso, o líder do clube não está disponível para mudar. Entende que só construindo um Sporting respeitado e que lute por valores e ideais presentes desde a fundação, poderá respeitar verdadeiramente o cargo para o qual foi mandatado em Março de 2013.

 

3 - Bruno de Carvalho (BdC) entende que não deve entregar os destinos do clube a uma candidatura incompetente, sobretudo por existir um plano de crescimento sustentando e negociado com a banca até 2025. Para além disto, o actual líder dos leões sente-se mal por defraudar a enorme onda verde que criou em torno do clube.

Segundo fonte próxima de BdC, este é um dos seus maiores orgulhos. Mais: não desiludir os sportinguistas é algo que o mantém na rota da continuidade. Um ‘pró’ dos mais fortes, aliás.

O jogo de Belém, o último disputado antes do Natal, foi mais uma prova sentida ‘in loco’ do apoio dos sportinguistas, que ‘invadiram’ o Restelo para apoiar a equipa quando esta se encontrava a 11 pontos do primeiro lugar à hora do jogo.

Record sabe que foram centenas as demonstrações de carinho dos adeptos. Como dizer que não a estas pessoas é algo que atormenta o líder mas que não trava o perceber que precisa de mais do que isto para defender o Sporting.

 

Chamem-lhe recados encomendados ou a proverbial venda da banha da cobra, Bruno de Carvalho está em plena campanha eleitoral, campanha esta que visa seduzir os sócios votantes com lastimas do seu comando, sozinho no Mundo.

 

Assunto à parte mas mesmo assim relevante, fui informado por fonte fiel que observadores de scouting têm vindo a ser gradualmente substituidos por elementos das claques. Será verdade ?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:04

 

img_770x433$2016_11_28_23_07_40_1190798.jpg

 

RECORD – Surpreendeu-o a forma como Rui Vitória foi campeão no Benfica?

JESUALDO FERREIRA – Terá surpreendido muita gente, ele próprio poderá ter ficado surpreendido, mas ele e o Benfica foram campeões de forma meritória. É uma pessoa tranquila, soube ter um discurso de apaziguamento e aglutinação. À medida que o tempo correu, fui percebendo que estava ali um treinador com mãos, com unhas, como se costuma dizer.

R – Foi uma grande vitória de Rui Vitória e uma grande derrota de Jorge Jesus?


JF – No quadro em que as coisas começaram, acho que sim. No ano passado, acho que foi o Rui Vitória que ganhou e o Jorge Jesus que perdeu.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:39

Record pede desculpa...

Rui Gomes, em 29.09.16

 

img_770x433$2016_09_28_16_43_25_1162816.jpg

 

Não é a primeira vez e decerto que não será a última. Eis o que Record teve para dizer sobre um lapso editorial seu:

 

«Record atribuiu ontem erradamente uma vaia monumental a Markovic ao minuto 82’ do jogo Sporting-Legia. Erradamente porque o comportamento do público de Alvalade tanto pode ter sido para o jogador sérvio como para o árbitro da partida, que não assinalou uma falta no lance, logo a notícia de Record devia reflectir as duas possíveis leituras. Erradamente também porque o lance não foi ao minuto 82’ mas sim quando decorriam 84.02, logo ao minuto 85’. Aos visados e aos leitores do Record as nossas desculpas».

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:00

Ainda a entrevista de Jorge Jesus

Rui Gomes, em 04.09.16

 

img_770x433$2016_09_04_01_15_03_1152238.jpg

 

Mais uma afirmação de Jorge Jesus, na já aqui referida entrevista, concedida ao Record:

 

«Quando cheguei ao Sporting o clube podia dar-me uma coisa e hoje pode dar-me uma muito melhor. Isso foi fruto do trabalho que todos juntos fizemos. Dentro daquilo que foi o mercado perdemos três jogadores fundamentais na equipa: o Teo, o João Mário e o Slimani. O Teo e o Slimani valeram juntos 47 golos. Tenho dúvidas que os nossos avançados marquem tantos golos.

 

Alguns dos jogadores que fomos buscar eu já conhecia, outros não jogavam nos seus clubes. Tirando o Elias, o Bas Dost, o André e o Alan Ruiz, os outros não jogavam nas equipas que estavam. Ouço toda a gente a falar do Markovic e do Campbell, mas o que é que eles fizeram nos últimos dois anos? Acredito nas capacidades deles, sei que são jogadores de grande potencial, mas vamos ver se o conseguem demonstrar no Sporting. Se o Markovic tivesse jogado no Liverpool ao nível que jogou no Benfica, eles não o tinham deixado sair».

 

No que a Teo Gutiérrez diz respeito, Jorge Jesus deixa convenientemente omisso que muito além da pobre atitude do jogador, pelos menos 8/9 dos seus golos surgiram na recta final do campeonato, depois de estar muitos meses sem marcar. É evidente que a história de Slimani é bem diferente. Esperamos não notar a sua ausência pelos golos marcados - será sinal que os recém-reforços estão a produzir - mas, como já aqui referi em várias ocasiões, vamos sentir a falta da sua presença atlética. Poucos, se alguns, pontas de lança no futebol neste momento têm a capacidade para exercer pressão alta sobre uma defesa, até um guarda-redes - Casillas que o diga - como Slimani.

 

Relativamente a Joel Campbell e Markovic, Jorge Jesus tem alguma razão, mas não é uma situação tão líquida como ele a apresenta. Fundamentalmente, faz a afirmação porque sabe muito bem que ambos os jogadores têm talento e confia que treinados por ele e bem arrumados na equipa, produzirão a um mais elevado nível. Então, Jorge Jesus reaparecerá para ser ovacionado na imprensa.

 

De qualquer modo, a sua tese é algo subjectiva, até porque as épocas de 2015/16 dos dois atletas são bem distintas. O Joel Campbell jogou a época inteira no Arsenal, participando em 30 jogos, 20 dos quais como titular, com 4 golos marcados. Ele próprio já comentou esta questão e acho que está à vista, que com outro treinador sem ser Arsène Wenger, Campbell integraria a equipa esta temporada. Salvo analisando cuidadosamente todos os seus jogos, não vejo onde há justa causa para o emprestar, quase como se nada tivesse contribuído até ao momento.

 

A situação de Markovic é diferente - até porque Jorge Jesus já o treinou e sabe muito bem o rendimento que poderá extrair dele. Esteve emprestado ao Fenerbahçe na época passada, participando em 21 jogos, 13 dos quais como titular, com 2 golos marcados, acumulando apenas 1198 minutos de jogo (13,3 jogos). A sua época terminou no mês de Fevereiro, devido a uma lesão. Além do mais, aos 22 anos, ainda oferece margem de progressão. Confesso que desconheço os critérios de Jurgen Klopp para não lhe conceder uma oportunidade no Liverpool na campanha em curso.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:11

 

img_770x433$2016_09_03_21_20_21_1152133.jpg

 

Ainda não li a "grande" entrevista que Jorge Jesus concedeu ao Record - edição deste domingo - e terei de reflectir se a minha tensão arterial está em condições para lidar com a inevitável dose de irritação que, por norma, o treinador do Sporting provoca.

 

Mas mesmo sem a ler, na totalidade, não duvido, minimamente, que terá dois focos principais: o enaltecimento da sua pessoa e louvores sem fim ao presidente. Tivesse eu a certeza de tudo na vida como tenho disto. De qualquer modo, eis algumas declarações de Jorge jesus, em sinopse, para dar início ao expectável debate com os leitores:

 

 - "Quando cheguei ao Sporting, ao fim de um mês quis ir-me embora. Pensei: 'o que é isto?' Mas o presidente deu-me força e disse-me que as coisas iriam resolver-se".
 
Numa só frase, começa por fazer precisamente aquilo que eu antecipei e que já referi. Mas há mais...
 
- "Tudo o que tenho pedido o presidente tem dado".
 
O paraíso de qualquer treinador; ter um presidente que concede todas as exigências. Faz lembrar uma situação muito semelhante de há dois anos, com outro treinador do Sporting. Claro, esse não ganhava 6 milhões/ano !
 
- "Nunca ameacei sair se o Adrien fosse vendido".
 
Era o que faltava !... Nem dá para imaginar como é que esta consideração vem a debate.
 
- "Markovic foi uma grande jogada do presidente".
 
Bem... para começar, a ideia foi dele e não do presidente. Se foi uma "grande jogada", só o passar do tempo e dos jogos dirá. Para já, é evidente que "afastou" mais um talento da casa, veremos no final da época se justificou. 
 
- "Bas Dost não tem o lugar garantido por ser o mais caro".
 
Até acredito que não, se eventualmente levar tempo a integrar-se na equipa e a produzir aquilo para que foi contratado, mas não duvido que Jorge Jesus vai-lhe conceder todas as oportunidades logo a partir do primeiro dia. Não será surpresa alguma que venha a ser titular no próximo jogo, muito embora ainda não tenha treinado com a equipa por estar ao serviço da selecção holandesa.
 
- "O Sporting deu um grande salto".
 
Mais um enaltecimento da sua pessoa. Reconhece-se que há mérito no trabalho de Jorge Jesus e que a equipa está muito competitiva e apta para chegar ao topo. No entanto, para ser honesto, considerando o investimento no próprio treinador e em mais de 20 reforços desde que ele chegou a Alvalade, será que se podia exigir menos ?... A dimensão do "salto" só será avaliado no final desta época, a sua segunda no Sporting. Há títulos a conquistar e tudo o que seja aquém disso, será considerado um insucesso.
 
- "Só um reforço do Benfica paga quase os nossos todos".
 
É uma simples questão de fazer as contas, que eu ainda não fiz, mas Jorge Jesus não deve estar muito longe da verdade neste caso.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:34

Foto do Dia

Rui Gomes, em 13.03.16

 

img_FanaticaBig$2016_03_12_21_00_18_1075870.jpg

 [Foto: Record]

 

 

Na realidade, o título do post devia ser "Foto absurda do dia", publicada pelo Record, com esta manchete:

 

"ÁREA DO SPORTING TERMINOU NESTE ESTADO"

 

«O forcing final do Estoril em busca do empate ainda agravou o estado do relvado na área de Rui Patrício, como as imagens documentam. O Sporting, recorde-se, bateu os canarinhos por 2-1 e subiu à liderança provisória da Liga NOS».

 

Uma publicação ridícula por parte do jornal - faz-me lembrar quando rasuraram o emblema do Sporting na touca do seu nadador Alexis Santos - ao querer fazer acreditar que apenas 15 minutos de jogo era o suficiente para provocar este estado do relvado na área do guarda-redes, deixando omisso, claro, que na primeira parte a baliza teve um outro "dono".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:29

 

img_467x599$2016_02_11_01_20_16_1062961 (3).jpg

 

A "oferta" que aparece esta quinta-feira na capa do Record. Bem espero que seja apenas mais uma recorte sensacionalista da comunicação social cá do burgo.

 

Não presumo falar por todos os sportinguistas, evidentemente, mas caso se venha a confirmar, é, na minha mera opinião, uma afronta ao Sporting e a todos os seus adeptos.

 

Depois do que se assistiu no último jogo diante o Rio Ave e ouvir o treinador afirmar que "Teo jogou bem", palavras para o efeito, já é de admitir tudo e mais alguma coisa.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:37

 

img_770x433$2016_02_04_10_32_42_1060261 (2).jpg

Os responsáveis do Football Leaks reafirmam que estão a criar inimigos poderosos com a divulgação das informações e de documentos que têm feito, a exemplo da Doyen Sports, cuja "estrutura é propensa a lavagem de dinheiro", e revelam que "grandes chefões da Turquia e do Cazaquistão", entre os quais os que estão por detrás do fundo de investimento, os querem silenciar.

Dizendo-se perseguidos, denunciam a existência de uma relação próxima entre um inspector da polícia portuguesa e o director executivo da Doyen Sports, Nélio Lucas, a qual compromete a investigação em curso, e alegadas ligações dos principais investidores do fundo a Donald Trump [membro do Partido Republicano que disputa a nomeação para candidato às eleições norte-americanas] e ao presidente da Turquia.

"Há uma enorme falta de informação em redor destes fundos de investimento. A sua existência no seio do futebol levanta sérias questões no que toca a potenciais conflitos de interesses e a resultados combinados. E, é claro, existe o risco de lavagem de dinheiro e outras actividades criminosas. O único interesse desses fundos é financeiro, o que origina instabilidade contratual entre clubes e futebolistas. Não queremos acusar ninguém sem ter provas suficientes, mas, por exemplo, a estrutura da Doyen é propensa a lavagem de dinheiro", lê-se numa entrevista do grupo à revista alemã "11 Freund".

Depois de sublinharem que os únicos problemas que tiveram foi com o Sporting e com a Doyen Sports, como publicámos noutra peça, os responsáveis do Footbal Leaks confessam: "Não confiamos nas autoridades portuguesas. Na verdade sabemos que em Portugal as coisas processam-se sempre de forma muito suja quando há muito dinheiro envolvido. A influência da Doyen é muito poderosa e, de resto, sabemos que os procedimentos de investigação foram comprometidos."

"As nossas fontes encontraram provas sobre isso. Soubemos de encontros secretos entre membros da polícia portuguesa e aquela agência [Doyen], em Lisboa. Rogério Bravo, inspector chefe da polícia e grande amigo de Nélio Lucas [director executivo da Doyen, na foto], pressionou a Procuradoria Geral da República para obter pormenores sobre a investigação. Na verdade, a Doyen está a usar a investigação da polícia para chegar até nós e contrataram uma agência de investigação [Marclay Associates] para fazer o trabalho sujo, com o objectivo de travar isto a qualquer preço", acrescentam.

"Os chefões na Turquia e no Cazaquistão estão mesmo furiosos e querem silenciar-nos o mais rápido possível. Por isso é fácil de perceber que corremos enormes riscos", prosseguem, identificando os "chefões": "São os patrões do Grupo Doyen Group - a família Arif, uma das mais ricas na Turquia, com ligações a Donald Trump e ao presidente da Turquia" , encerram, negando que alguma vez tenham tentado chantagear Nélio Lucas.
 

 

Autor: António Espanhol/Record

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:50

Reforços a caminho ?

Rui Gomes, em 21.01.16

 

4137_db94af829ecfc70d58e059a1a6ee75ba.png4139_70e380626f740211b7557d09a1a97210.png

 

Além dos suspostos reforços que as capas dos jornais noticiam, outras reportagens do dia indicam que tanto Marcelo Boeck como Teo Gutiérrez estão na porta de saída, muito provavelmente por empréstimo.

 

Curiosamente nenhuma referência a um defesa central, possibilidade indicada por Bruno de Carvalho na entrevista de ontem. Com Rúben Semedo a regressar a casa, não será uma prioridade.

 

Reportagem da SAPO Desportos

 

A carreira de Téo Gutiérrez no Sporting pode ter os dias contados. O avançado colombiano deverá deixar Alvalade ainda neste mercado de inverno para voltar a América do Sul. O Cerro Porteño do Paraguai e o Corinthians do Brasil deverão ser os destinos do jogador.

Téo não conseguiu adaptar-se à vida em Portugal e um problema de ordem familiar pode precipitar sua saída do Sporting. O jogador voltou tarde das férias natalícias, sob pretexto de efectuar a devida recuperação de uma lesão, segundo o jornal O Jogo. Inicialmente, foi-lhe diagnosticado uma osteíte pública mas na Colômbia descobriram que tinha a anca deslocada.

A SAD do Sporting já sabe das intenções do jogador e já prepara a sua saída. Ainda não se conhecem os moldes mas os "leões" só admitem a saída do jogador por uma verba a ronda os três milhões de euros, por forma a recuperar parte do investimento feito na sua contratação. Recorde-se que o Sporting gastou 3,4 milhões de euros na contratação do avançado "caffetero".

Na América do Sul, o Corinthians do Brasil é um dos candidatos, assim como o Cerro Porteño do Paraguai. Pedro Aldave, empresário de "Tacuara" Cardoso e director-desportivo do Cerro, já confirmou negociações.

"Falei com o jogador, o seu representante e o Sporting. Estou a tentar traze-lo", declarou.

Téo Gutiérrez, de 30 anos, realizou 17 jogos com a camisola do Sporting, tendo marcado sete golos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:22

Ele disse que ele disse...

Rui Gomes, em 16.01.16

img_467x599$2016_01_16_02_55_02_1051558.jpg

 

Achei piada à foto publicada na capa do Record, em que se pode ver Jorge Jesus a por-se à escuta do que o quarto árbitro está a dizer ao árbitro sobre o que Bruno de Carvalho está a dizer ao árbitro auxiliar.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:05

Estará mesmo de volta ?

Rui Gomes, em 13.01.16

 

img_467x599$2016_01_13_01_58_33_1049929.jpg

 

Instado a comentar a ausência prolongada de Teo Gutiérrez, Octávio Machado respondeu desta maneira à SIC Notícias, esta terça-feira à noite:

 

«O Teo deve estar a chegar. Marcou golos importantes esta época. Teve o percalço da lesão mas deve estar a chegar. É jogador do Sporting e quando chegar vamos ver.»

 

Relativamente à possível chegada de reforços, o director-desportivo do Sporting entende que não diminuirá o espaço das jovens promessas:

Ainda no último jogo o Gelson entrou e jogou. Os reforços só vão aumentar as opções do treinador. Há a Taça da Liga e a Liga Europa, e todos somos poucos.»

Sobre o mercado de transferências:

«Como qualquer clube que tem objectivos, o Sporting tem os olhos postos no mercado e, se a oportunidade surgir, procurará reforçar-se. O que não quer dizer que não estejamos satisfeitos com aquilo que temos. Nunca tantos jogadores quiseram jogar no Sporting. Eles vêem que o Sporting pode dar-lhes a oportunidade de se catapultarem para outro nível.»
 
Um discurso "politicamente correcto" mas que pouco informa. E se na realidade não era sua intenção divulgar algo de concreto - que até seria compreensível com questões do foro interno - porquê conceder a entrevista ?
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:58

Conveniências há muitas

Rui Gomes, em 15.12.15

 

4139_d2111da0b85b84c2c1859d505d8eecf5.png

 

A ironia deste estado de espírito de Rui Vitória é que seria necessário pedir a... Jorge Jesus, para lhe refrescar a memória sobre as "ajudas de custo" e do "colinho" (limpinho, limpinho) que privilegiaram o clube da Luz de há uns anos a esta parte. Ao fim e ao cabo, não é expectável, e muito menos ainda conveniente, que se lembre das ocasiões em que ele próprio se queixou desse mesmo estado das coisas, enquanto liderava um clube mais a Norte do país.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:50

A milésima entrevista

City Lion, em 30.11.15

 

ngEBD51D8E-DE9F-498E-8444-8F574BF602F4.jpg

  

Fiz um esforço para ler a última entrevista (mais uma !) do Bruno Carvalho e deixo aqui algumas notas que queria destacar:

 

1. A obsessão com o Benfica

 

Quase metade da entrevista foi à volta deste tema. O Bruno Carvalho insiste em falar dum tema que é tudo menos prioritário para os sportinguistas que querem acima de tudo novidades sobre o seu clube.

 

2. A possibilidade de saídas fundamentais em Janeiro

 

Fiquei muito pouco descansado com a situação do William Carvalho e do Adrien. A explicação adiantada para a não renovação destes contratos e para a renovação doutros “ renovámos com os que estavam a ficar emocionalmente afectados com a não-renovação” é demasiado básica. O jurar a pés juntos que não sai ninguém: “Janeiro zero saídas” só faz levantar mais a duvida vindo de quem diz num dia o mesmo e o seu contrário.

 

3. A insistência em novas contratações e os erros nas “contratações cirúrgicas”

 

Parece que Schelotto “é uma mais valia” ao contrário da esmagadora maioria das mais de 40 contratações da era Carvalho que em Janeiro ainda vão aumentar. Será que podemos acreditar? Em Janeiro vamos emprestar algumas das “contratações cirurgicas” que há muito andavam a perder tempo no Sporting e a fazer-nos perder dinheiro. O mais grave aqui é vermos o principal responsável por muitos erros e dinheiro desperdiçado a este nível não se arrepender e desculpar a contratação de "Slavchevs" com a anterior incapacidade financeira do Sporting. Não houve aqui o mínimo “mea culpa”.

 

4. A não aposta na Liga Europa e o papel de Jorge Jesus

 

Comparar o jogo do berlinde com a Liga Europa é muito triste e diz muito da falta de cultura leonina. Dizer que o Jorge Jesus “é a cereja no topo do bolo” da estrutura é de rir e imagino não cairá muito bem no próprio. Depois tentou compensar este disparate com muitos elogios, situação que a certa altura ficou quase confrangedora tal o nível de "graxa".

 

5. Sempre em campanha eleitoral

 

A necessidade de se elogiar e criticar quem o antecedeu já é um clássico, imagine-se agora com o Sporting em 1º lugar e com os “resultados magníficos que temos feito” onde andará aquele ego ? Ficámos por exemplo a saber que Slimani passou a ser importante para a equipa e a ter um comportamento exemplar depois de “chamado à pedra” pelo Bruno Carvalho. Isto é que é liderança !

 

Deixo para o fim a frase que mais retive: “já mostrei aos sportinguistas que há poucos impossíveis”. Sim, como ter alguém com este perfil “lampiónico” como Presidente do Sporting.

 

 

Nota: A entrevista completa está disponível no blogue dos nossos amigos do A Norte de Alvalade.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:41

Consideração do Dia

Rui Gomes, em 13.09.15

 

wdiag.jpg4139_b23d9d709cbf115bada58c2b0603f264.png

 

Esperamos que a confiança e de certo modo o optimismo

de Jorge Jesus sejam devidamente compensados.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:31

 

jj_imprensa.jpg

 

Como já é do conhecimento geral, Jorge Jesus concedeu uma extensa entrevista ao jornal Record - publicada este domingo. Seria necessário escrever um autêntico livro para transcrever e comentar todas as suas considerações. Não tenho essa disponibilidade e, para ser sincero, muito menos ainda a disposição. Sem ordem pré-ordenada nem prioridades definidas, escolhi meia dúzia de questões abordadas pelo treinador do Sporting que me parecem mais interessantes para debate entre leitores:

 

R - Já disse que o Naldo foi a opção depois do Douglas. Mas pode ser ele o patrão da defesa ?

 

JJ - O Naldo tem coisas boas, como o Paulo Oliveira. São jogadores posicionalmente muito rápidos.

 

*** Por outras palavras, não contratámos nem temos "patrão da defesa". Jorge Jesus, em um outro comentário, confessou que ficou "preocupado" com a não contratação de Douglas, aquele que estava destinado a ser o tal "patrão". Não sabemos os detalhes das negociações falhadas por Douglas, especialmente aspectos salariais, mas intriga não termos contratado quem mais precisamos - já desde a época passada - e poucos dias depois despendemos cerca de 4 milhões de euros em Bruno Paulista. Indiferente do que ele possa vir a ser - não refutamos essa hipótese - não satisfaz as necessidades da equipa no imediato.

 

 

R - Teo tem muito futebol, mas ainda não compreende bem a equipa...

 

JJ - Sim, sim. As exigências tácticas da posição dele no Sporting não são as mesmas do River Plate ou da selecção da Colômbia. Havia pouca responsabilidade táctica sem bola. Jogam muito em função do que é a ideia deles. Comigo isso não acontece. Primeiro tem de perceber a ideia global da equipa. Não sei qual é o nível dele. Ainda estou a conhecê-lo. Até acho que o Teo é mais um primeiro avançado que um segundo avançado, mas como tenho o Slimani, terá de ser segundo avançado.

 

*** A minha conclusão desta análise de Jorge Jesus, é que Gutiérrez ainda atravessa um período de adaptação ao futebol português/europeu e especialmente às ideias do treinador. Veremos quanto mais tempo vai ser necessário para vir a contribuir aquilo que o Sporting espera e necessita dele e quantos golos ficarão por marcar até se chegar a esse ponto. Não deixa de ser curioso que o próprio Jorge Jesus admite que ainda não sabe que nível de performance este jogador poderá vir a atingir e que, na realidade, ainda o está a conhecer. Por isto, torna-se evidente que não tem lido o Camarote Leonino com a devida atenção, porque temos aqui leitores que o poderiam informar de tudo e mais alguma coisa sobre o avançado colombiano.

 

 

R - O Tanaka fica no plantel porque o Sporting não conseguiu contratar outro avançado ?

 

JJ - O Tanaka é um bom número 9, um jogador de área. Tal como Slimani, tem crescido muito. Agora... tens o Slimani, tens Tanaka, tens Teo, tens Montero... e depois se quiseres ainda tens Bryan Ruiz. Não é fácil não é ?

 

*** Bem... nunca ninguém disse que iria ser "fácil" e foi precisamente por isso ele foi contratado. A consideração mais aparente é que se Tanaka é um "bom número 9" e a equipa tem evidenciado dificuldades em marcar golos, decerto que não é na bancada - por onde ele tem andado a maior parte do tempo - que poderá contribuir.

 

 

R - No futebol actual que Jesus tanto fala, o 6 não é agora o novo 10, um jogador que organiza o jogo ? E pegando nessa ideia, acha que Adrien desempenhou bem o papel de médio-defensivo ?

 

JJ - Agora a organização do jogo parte desses dois jogadores. Antigamente só partia do 10. Parte pelo 6, que actua em zona mais recuada, e parte pelo 10, em zonas mais subidas. Se só funcionar um, a equipa não resulta. Têm de funcionar os dois ao mesmo tempo. Adrien está a desempenhar muito bem. A primeira posição dele com o Paulo Bento foi a de médio-defensivo. Eu tentei que ele voltasse às origens. E a verdade é que o tem feito muito bem. Estou muito contente com o desempenho dele.

 

*** Interessante. Ajuda a compreender o que Jorge Jesus pretende do meio-campo leonino, mesmo sem William Carvalho, jogador que nas suas próprias palavras é "insubstituível", muito embora "tenha ainda muito para crescer".

 

 

R - Falemos dos novos jogadores. Foram todos escolhidos por si ? E pode explicar o que se passou com Michael Ciani ?

 

JJ - O Bryan Ruiz não tem nada a ver comigo. Quando cheguei o Sporting já estava a negociá-lo. Depois dele, foram todos escolhidos por mim. O Ciani foi uma decisão minha. Não era uma prioridade, nem era uma primeira ou segunda escolha, mas as minhas prioridades começaram a falhar. A primeira opção foi sempre o Douglas. Depois foi o Naldo. Mas chegou a uma altura em que tinha de ir para para a África do Sul e não podia levar apenas dois centrais. Tinha a ideia de contratar um central, ,mas a lesão do Ewerton fez-me pensar em ter mais um. Aliás, também pensava em contratar mais um médio e com a lesão do William decidi avançar para dois. Como é público, quem eu pretendia era o Danilo, que foi para o FC Porto. No plano inicial tinha a ideia de contratar 5 jogadores e com essas lesões vi que era curto e passei para 7.

 

*** Portanto, ficamos agora a saber que foi o presidente - e mais alguém, decerto - que decidiu contratar um médio antes de haver treinador para a equipa. Segundo, que foi o próprio Jorge Jesus que quase em desespero, muito pela não contratação de Douglas, optou por Michael Ciani, com o resultado que sabemos. O nome de Douglas surge várias vezes durante a entrevista - sublinhando quanto Jesus o queria - mas o treinador também afirmou que reconhece que financeiramente não foi possível. Acrescentou igualmente que Ricky van Wolfswinkel não era prioridade, apenas um negócio de oportunidade se financeiramente fosse bom para o Sporting.

 

 

R - As políticas desportivas de FC Porto e Benfica alteraram-se por ter ido para  Sporting ?

 

JJ - Disso não tenho dúvidas. O orçamento do Benfica era para baixar 15 milhões; estavam para sair vários jogadores, não interessa dizer quais. A partir do momento em que fui para o Sporting, o Benfica alterou a posição financeira. E o FC Porto também ! Não era só o Benfica que me queria longe ! Antes, os 1.º e 2.º lugares estavam mais ou menos garantidos para estes clubes. Agora já não estão.

 

*** Mais um claro exemplo da "modéstia" de Jorge Jesus. Até é de admitir que terá havido algum ajustamento por parte dos dois rivais, agora afirmar que os dois primeiros lugares estavam mais ou menos garantidos, salvo a sua pessoa, é um autêntico exagero e injusto para quem estava ou para quem viesse treinar o Sporting.

 

 

Vamos ficar aqui por hoje. Como já referimos, uma entrevista muito extensa e quase impossível abordar em comentário de uma só vez. Havendo a oportunidade e o interesse, poderemos vir a publicar outras considerações de Jorge Jesus nos próximos tempos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:37

"O dia em que encontrámos Martunis"

Rui Gomes, em 24.08.15

 

914189.jpgngDE7DA45B-30D3-4E5E-BE11-74D333E6229E.jpg

 

Breve mas interessante história, datada Fevereiro de 2005, sobre o percurso de António Magalhães, o então director-adjunto de Record, desde Lisboa a Amesterdão, daí mais 12 horas e meia de avião até Jacarta, e outras quatro horas da capital da Indonésia a Banda Aceh, na ilha de Sumatra, para falar com o miúdo de 9 anos que fora encontrado 19 dias após o devastador tsunami, envergando apenas uma camisola da Selecção Nacional - a número 10 de Rui Costa.

 

António Magalhães foi o primeiro jornalista português a falar com o jovem Martunis, que agora se encontra na Academia Sporting. Uma história para a história...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:35

O “novo” Record

Leão Zargo, em 11.07.15

 

18621931_fCH4u.png

Desde bastante jovem que sou um leitor compulsivo de jornais, de carácter noticioso genérico, desportivo ou outros. Habituei-me, desde então, a identificar a linha editorial de um jornal e a depreender, através de uma leitura crítica e informada, a veracidade das notícias. Sempre considerei que a vida e os acontecimentos constam nos jornais e que não adianta fugir da realidade, mascarada ou não.

 

O Sporting há muitos anos que não tem o que normalmente se chama de “boa imprensa”. Apesar de muitos sportinguistas apoiantes de Bruno de Carvalho pretenderem fazer crer que resulta de animosidade para com o actual presidente do Sporting, a verdade é que se trata de questão muito mais antiga. Ainda me lembro de quando o Mundo Desportivo procurava rivalizar em vendas com A Bola na década de 1960 e o clube de Alvalade não estava nas boas graças desses jornais.

 

Mas, afinal, também a imprensa desportiva “e pur si muove”, como terá afirmado Galileo Galilei a propósito do movimento da Terra depois de condenado no Tribunal do Santo Ofício. No jornal Record há uma nova orientação editorial, evidente em artigos de opinião, no tratamento das notícias referentes ao Sporting, na composição da primeira página e no acesso privilegiado a fontes de informação leoninas. O artigo de Mário Carneiro, da WL Partners e director de comunicação do Sporting, publicado ontem no jornal reflecte a actual linha editorial.

 

Creio que não há razão para grande espanto no que se refere à alteração da linha redactorial do jornal. Álvaro Sobrinho e família (os Madaleno) são proprietários de parte da Cofina, por sua vez detentora do Record. Por outro lado, Álvaro Sobrinho (Holdimo) é possuidor de quase 30% das acções da SAD leonina, mas com as injeções de capital que entretanto realizou (ou que estão previstas) aproximar-se-á dos 40% do capital da SAD sportinguista. Trata-se, também, de incrementar as vendas do jornal e garantir a sua sobrevivência financeira.

 

Uma das primeiras acções de João Morgado, da WL Partners, quando entrou em funções como “gestor de crises” do Sporting foi acompanhar Bruno de Carvalho numa visita ao Record. O resultado está vista, temos um “novo” Record e, agora, o seu director está livre de ser enxovalhado em directo na Sporting TV.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:42

 

logoap4.png

 

Não sei bem o que é mais confrangedor: Alexandre Pais a desacreditar o Sporting - como ele tem feito sistematicamente nos seus escritos ao longo dos anos - e a permitir sob a sua supervisão que o emblema do Sporting fosse rasurado da touca do nadador Alexis Santos - bom «lampião» que é - ou, como é agora o caso, a escrever um artigo em que louva Bruno de Carvalho e, em simultâneo, ultraja com insulto a fracção do universo leonino que ele designa "a brigada do croquete". 

 

O entulho de Pais: "(...) E é também tempo para a brigada do croquete, que pretende honrar os pergaminhos do seu passado e continuar a enterrar o Sporting, ficar a brincar com os netinhos e deixar rolar a bola. Depois, se ainda tiverem voz, então falem."

 

Será tudo menos surpresa que há quem venha prontamente subscrever esta afronta do ex-editor do jornal Record, mas vindo de um devoto "lampião" - sócio do Belenenses - devia ser caso sério para reflexão e auto-estima.

 

Para ser sincero, nunca levei à letra as alegações do meu colega City Lion sobre o que ele considera ser a "lampionização" do Sporting, mas começo a pensar que esta tese não é sem fundamento. Em última análise, é prova concludente, caso houvesse algumas dúvidas, que este diário desportivo tornou-se em um emissário propagandista do Sporting de Bruno de Carvalho.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:41




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo


subscrever feeds