Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

naom_5852b98e7672d.jpg

 

Começo por alertar que esta informação foi divulgada esta quarta-feira pelo jornal A Bola. Tendo em conta a fonte jornalística, o leitor deve exercer alguma moderação na sua leitura e respectiva aceitação.

 

O Sporting já terá feito chegar ao Bonfim o contrato de rescisão da cedência relativamente a André Geraldes e Ryan Gauld mas, de acordo com o supracitado jornal, este ainda não foi assinado pelos sadinos, que evocam o artigo 78.º do regulamento de competições, que define que um empréstimo só pode ser cessado antecipadamente caso exista “mútuo acordo entre as partes”.

 

Por seu lado, o Sporting recorda que, aquando da formalização do contrato, ambos os clubes assinaram um aditamento que previa que os jogadores pudessem voltar, bastando para isso que a intenção fosse comunicada até 15 de Janeiro.

 

No entanto, o documento não passa de um acordo de cavalheiros, já que não tem validade junto da Liga. O Vitória de Setúbal pode mesmo vir a apresentar queixa por resgate unilateral dos jogadores, que poderia custar ao Sporting uma multa e a realização de jogos à porta fechada.

 

O Regulamento diz o seguinte:

 

4. O jogador cedido só poderá voltar a ser inscrito e representar, na mesma época, o clube cedente, em caso de cessação do contrato de cedência, por:

 

a) caducidade;

b) incumprimento do contrato de cedência pelo clube cessionário;

c) mútuo acordo das partes.

 

5. Para efeitos do disposto na alínea 4 c), não são admissíveis quaisquer cláusulas que prevejam a possibilidade de, por iniciativa unilateral do clube cedente, ser imposto ao clube cessionário o termo do contrato de cedência antes do prazo contratualmente fixado.

 

Assente nisto, o Vitória de Setúbal estará no seu direito de recusar devolver os jogadores antes do final da época. Se é essa a sua intenção, não é claro neste momento.

_____________________________________________

 

Adenda: Quase que ofende a humanidade ler um bom número de argumentos irrelevantes e até bizarros que têm surgido na caixa de comentários, com o objectivo único de defender o indefensável. Este caso, por muito oblíquo que se tenha tornado, pela forma como foi tratado pelo Sporting, até me parece bem simples.

 

1. Tudo o que terá ocorrido, se alguma coisa, no balneário e arredores do Vitória de Setúbal é irrelevante. Se eles festejaram com dignidade ou não a vitória do dia, é igualmente irrelevante.

 

2. Havendo ou não acordo por escrito ou meramente verbal entre os dois clubes, o Sporting tinha a obrigação de saber dos Regulamentos da Liga, nos quais é explícito que para existir a recuperação de jogadores antes do final da época, terá de haver mútuo acordo das partes.

 

3. É por de mais óbvio que o Sporting reagiu pela derrota e demais circunstâncias do jogo. Só isso explica terem dado instruções aos jogadores para não se apresentarem no próximo treino dos sadinos e regressar a Alvalade, sem qualquer participação ao Vitória de Setúbal.

 

4. Conscientes dos referidos Regulamentos e da maneira como trataram do assunto logo a partir do primeiro minuto, pasma que o Sporting então esperasse uma reacção de boa fé por parte do Vitória de Setúbal.

 

5. A prioridade do Sporting deveria ser os seus interesses e, por inerência, os interesses dos seus activos. É por de mais evidente que eles só beneficiariam, no que diz respeito ao seu desenvolvimento, permanecendo em Setúbal, cumprindo, assim, o acordo de cedência.

 

Agora, sujeitam-se às consequências da sua péssima gestão do caso. Que mais pode ser argumentado que faça o mínimo de sentido ?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:50

 

confimprensajosecouceiroi_artigo.jpg

 

José Couceiro comentou este sábado, salvo erro pela primeira vez, as saídas precoces de Ryan Gauld e André Geraldes do Vitória de Setúbal, depois de terem recebido ordens para regressar a Alvalade:

 

«As minhas primeiras palavras sobre o assunto vão para o André e o Ryan. Desejo-lhes sucesso e tenho pena que tenham saída e, acredito, eles também têm.

Tivemos muito trabalho em fazer o Ryan crescer porque só aqui se estreou na Liga. O André chegou num patamar diferente por ser mais experiente.

Ficámos mais fracos com a saída de ambos, não só quando defrontarmos os nossos adversários directos, em termos de objectivos, como os concorrentes do Sporting.

Não pretendo alimentar polémicas sobre o que aconteceu. Tratam-se de duas instituições centenárias que têm tido nas suas histórias um relacionamento fantástico. Basta ver a quantidade de profissionais que passaram, nas funções de treinadores e jogadores, pelos dois clubes. Fernando Vaz, João Rocha, Fernando Tomé, Jordão, Manuel Fernandes, Zezinho, Eurico e Octávio Machado, só para citar alguns».
 
O resgate dos empréstimos de André Geraldes e Ryan Gauld deve-se, fundamentalmente, a um sentimento de retaliação da parte de Bruno de Carvalho. Mais uma vez o ego do presidente do Sporting superou o bom senso, com mais uma tomada de decisão que não faz sentido algum no que ao Clube diz respeito e com consequências para os dois atletas que estavam a dar provas evidentes de evolução sob a tutela de José Couceiro. Recorde-se do proveito em tempos recentes, em semelhantes circunstâncias, de João Mário e Rúben Semedo.
 
Bruno de Carvalho deixa deste modo mais uma prova da sua incompetência para liderar uma Instituição como o Sporting Clube de Portugal, muito em especial ao que concerne o futebol, área que ele se devia manter a léguas de distância.
 
Circulam agora rumores que Ryan Gauld e André Geraldes poderão ir parar Chaves.
 
Adenda: Instado a comentar a situação, este sábado, Jorge Jesus teve isto para dizer:
 
«Os dois jogadores regressaram ao Sporting porque o presidente achou por bem fazê-los voltar. Até ao fecho do mercado tudo é possível, sabendo que temos vários pedidos de várias equipas da I Liga para que eles ainda possam jogar este ano. O que eu e o presidente acharmos que é melhor para eles vamos tomar a decisão".
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:20

 

img_770x433$2016_07_20_22_55_41_1132634.jpg

 

Gostei muito de ler uma entrevista que Ryan Gauld concedeu recentemente ao jornal escocês Daily Record, na qual ele aborda com muita franqueza e, creio, realismo, a sua experiência em Portugal e no Sporting, até este momento, assim como a sua cedência ao Vitória de Setúbal.

 

Recorde-se que Ryan Gauld foi contratado ao Dundee United em Julho de 2014, e depois de duas épocas na equipa B, foi para a campanha em curso emprestado ao Vitória de Setúbal, que, por mera coincidência, é novamente orientado por José Couceiro.

 

O jovem de 20 anos faz algumas admissões algo surpreendentes e deixa bem vincado que o seu objectivo primordial é regressar ao Sporting, a fim de integrar a equipa principal. Demonstra muita maturidade pela forma como analisa a sua actual situação, assim como os objectivos pessoais que assumiu:

 

«Sinto que há pessoas na Escócia que estão à espera de me ver fracassar. Algumas destacam o facto de não ter ainda feito muitos jogos, mas esse tipo de críticas só me motiva ainda mais. O primeiro pensamento que me vem à cabeça é, 'bem, vou provar que estão errados'.

Desde que vim para Portugal aprendi dez vezes mais do que teria aprendido se tivesse ficado na Escócia. Cresci imenso como pessoa nos últimos dois anos. Amadureci muito e tive de aprender como é a vida. Meti na cabeça que se regressasse ao Reino Unido num empréstimo a um clube as pessoas veriam nisso o assumir do fracasso.

 

img_770x433$2016_09_11_12_21_10_1155546.jpg

 

A minha decisão de continuar em Portugal deve-se a estar convencido que é a melhor forma de ganhar o meu espaço no Sporting. Assim que soube que o Vitória estava interessado em mim, e que o Sporting aprovaria o empréstimo, fiquei muito interessado em ir para Setúbal. Tenho menos jogos do que todos os meus companheiros, por isso vai levar tempo a ganhar um lugar na equipa. Mas tive tempo de jogo na selecção sub-21, o que significou que me aproximei do nível desejado.

Continuo a ver-me ao serviço do Sporting no futuro. Este empréstimo vai dar-me tempo de jogo na liga e depois regressarei ao Sporting na próxima temporada para fazer a pré-época. No Vitória é diferente, mas a cidade é simpática e tem tudo o que preciso no que toca a lojas e restaurantes.

Em Portugal sou agora visto como um médio puro e não tanto como um '10'. O Sporting considera-me um 'box-to-box' e fico feliz por jogar com essa missão. Como é óbvio, sinto que a minha posição mais natural é no apoio ao ataque, mas estou a aprender este novo papel e estou a gostar.

Não quero perder criatividade no meu futebol. Foi por isso que o Sporting me contratou, por aquilo que posso fazer no último terço do terreno. Tenho de manter essa criatividade e usá-la quando estiver no ataque. Agora só preciso de evoluir na parte defensiva».

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:24

Foto do Dia

Rui Gomes, em 21.07.16

 

image.jpg

 

«Estou muito feliz e grato pela oportunidade de poder jogar com regularidade na I Liga. Era algo que ansiava. Sei que o Vitória é um grande clube, com um grande historial e estou orgulhoso por fazer parte deste plantel».

 

                                                                                                      Ryan Gauld

 

«Queremos fazer uma época tranquila e condizente com os pergaminhos do Vitória. Vamos trabalhar no máximo para proporcionar muitas alegrias à nossa massa associativa».

 

                                                                                                     André Geraldes

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:10

Menino bonito de Bruno "cai em desgraça"

Ricardo Leão, em 31.03.16

 

19404338_zWfhK.jpg

 

GAULD, RYAN, de seu nome. Custou "uma pipa de massa" e nunca justificou os 2,5 milhões que o Sporting deu por ele. Foi uma escolha pessoalíssima do "grande treinador" Bruno de Carvalho. Mais um flop, como é bom de ver. Junta-se a Barcos quando este "der um ar da sua graça" lá para a última jornada, supostamente já em forma na altura (talvez seja para poder então jogar uma partida de futebol de praia) e uma catrefada de monos que, todos juntos, custaram milhões e que vieram para o Sporting "porque sim".

 

Gauld, desiludido, queixa-se agora de que está descrente depois de tudo o que lhe foi prometido. Bruno, como sempre, põe-se de lado. Agora, quando as queixas surgem, já não é nada com ele. Onde é que já ouvimos isto ?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:43

 

03_27193849_9e54d8_2712960a.jpg

 

Em entrevista ao jornal The Scottish Sun, Ryan Gauld, entre outras considerações, teve isto para dizer sobre o seu percurso no Sporting, nomeadamente a sua experiência na equipa B leonina:

 

«Sei onde e como quero chegar aos meus objectivos, isto tudo faz parte. Era difícil entrar de imediato numa equipa forte como o Sporting, onde me vêem como jogador de primeira equipa. O plano era tornar-me num dos principais jogadores da equipa. Resta-me continuar a trabalhar forte na equipa B e se surgirem oportunidades conseguir agarrá-las.»

 

Confesso que não tenho acompanhado a equipa B o suficiente para poder adiantar uma apreciação concisa sobre este jovem escocês que o Sporting contratou assente na grande promessa que representava e, porventura, ainda representa.

 

Creio que com todo o sensacionalismo associado à sua chega a Alvalade e as múltiplas referências elogiosas, a vasta maioria de adeptos já esperava ver um surgimento de Ryan Gauld na equipa principal. Ainda não aconteceu e não há indicação alguma - pelo menos na praça pública - que se verificará num futuro próximo.

 

Entre outras considerações, creio que corre um pensamento geral que o jovem já devia ter sido cedido a uma equipa de um escalão superior, em Portugal ou no estrangeiro, para lhe permitir elevar o seu jogo e ser subjugado às respectivas exigências competitivas.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:42

Consideração do Dia

Rui Gomes, em 10.10.15

 

8a2d1758ca8bc32988098d7084714756.jpg

 

Ryan Gauld concedeu recentemente uma entrevista à BBC Sport, na qual comenta o seu desempenho nos sub-21 da Escócia e também a sua situação no Sporting. Infelizmente, o jornalista, ou a redacção, não teve muito bom gosto e publicou uma foto sua com um tal Shika... qualquer coisa. Eis o que o Ryan teve para dizer:

 

Eles reiteraram durante o período de transferências que não tinham intenção alguma de me ceder. Que estão muito satisfeitos com a minha evolução e que o plano que foi definido para mim no início continua a ser o mesmo.

 

Evidentemente que o meu objectivo é chegar à equipa principal, mas estou disposto a esperar pela minha oportunidade e, entretanto, só tenho de continuar a trabalhar como sempre e desejar que essa oportunidade venha em breve.

 

 

Devo confessar, desde já, que não tenho visto o suficiente do jovem escocês para apreciar o seu desenvolvimento, mas sinto alguma dificuldade em distanciar-me da ideia que com Jorge Jesus como treinador, vai ser difícil ele integrar a equipa principal. Por um lado, ainda só tem 19 anos, mas, sobretudo, porque não me parece que seja o tipo de jogador que Jorge Jesus aprecia. Vale o que vale, é apenas uma opinião, e com o passar de mais algum tempo teremos a oportunidade de verificar o que está nas cartas para o médio leonino da equipa B.

 

 

Adenda: No jogo para o apuramento do Europeu de sub-21, realizado este sábado, entre a França e a Escócia, além de sair derrotado por 2-1, Ryan Gauld viu o vermelho directo aos 74 minutos, por uma entrada muito dura sobre um adversário.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:55

Ryan Gauld nos sub-21 da Escócia

Rui Gomes, em 17.03.15

 

24D3078E00000578-0-image-m-46_1421707096134.jpg

 

O jovem Ryan Gauld foi convocado pelo seleccionador Danny Lennon para a equipa de sub-21 da Escócia, que vai defrontar a Hungria, num jogo amigável agendado para o dia 26 de Março. Esta é a sua 5.ª convocatória neste escalão, depois de registar 10 pelo sub-19, além da equipa principal.

 

Curiosamente, é o único da lista de convocados que não actua no futebol britânico, sendo que os restantes 20 jogam na Escócia e em Inglaterra.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:51

Para eles, o espaço já é curto

Rui Gomes, em 22.01.15

 

24EB81D200000578-2920979-image-a-42_1421889841069.

 

Ryan Gauld e Wallyson Mallmann ainda estão em um processo de crescimento, mas pelo que se tem visto dos dois médios em dias recentes, parece-me que o "espaço" para ambos, na equipa B do Sporting e na II Liga, já é curto.

 

Pretendo dizer com isto que a sua evolução - e há muita margem para progressão - só se realizará a jogar no escalão superior, tal o elevado nível do seu talento. Dito isto, estamos perante o eterno dilema: neste momento é duvidoso que possam "roubar" a titularidade a Adrien Silva e João Mário, o que significa que a serem integrados na equipa principal, terão de depender de uma boa gestão por parte de Marco Silva, para terem temo de jogo suficiente para permitir o seu natural desenvolvimento. Não gostaria de ver qualquer um deles cedido a um outro clube da I Liga para o efeito e não acredito que a melhor solução seja essa. Há talentos que não podem e não devem sair de casa.

 

Algo ofuscado na derrota de ontem no Restelo, foi a estreia de Ryan Gauld a marcar pela equipa principal, e logo com um "bis", os 6 e 19 minutos de jogo. O jovem escocês comentou a ocasião:

 

«Obviamente fiquei muito contente por ter marcado os meus primeiros golos pelo Sporting, mas o mais importante era vencer o jogo e estamos desiludidos por termos perdido. A equipa esteve muito bem na primeira parte, chegou aos 2-0. mas é evidente que ficámos muito desapontados por perder.

Sei que os adeptos esperam muito de mim, mas vou continuar a dar um passo de cada vez para no futuro lhes dar alegrias. Sou um jogador jovem ainda com muito para aprender sobre o jogo, mas gosto de jogar um futebol ofensivo, à semelhança daquele que o Sporting pratica. Prefiro afastar-me dessa alcunha (Mini-Messi). Acarreta muita pressão e não gosto de seguir os outros.» 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:00

 
 

 

Ryan Gauld poderá ainda não ter impressionado o suficiente enquanto no Sporting mas, pelos vistos, quando se encontra entre os seus, a conversa é outra. O jovem escocês de 18 anos foi convocado para a selecção da Escócia de Sub-21, para o embate com a congénere de Luxemburgo, e impressionou ao marcar dois golos, fazer assistência no terceiro tento escocês e já perto do fim da partida quase que realizava o "hat-trick".

 

A expectativa por o ver jogar na equipa principal do Sporting é cada vez mais acentuada, mas pelas indicações à vista, ainda não será esta época.

 

E... reconheço a diferença entre jogar nos sub-21 e nos seniores, muito embora o Sporting tenha quatro dos seus jovens - mais velhos do que Gauld - nessas exactas condições.

 

Nota: Ryan Gauld regista 10 internacionalizações pelos sub-19 e esta diante do Luxemburgo foi a sua terceira, pelos sub-21.

 

 

  

Nota: O nosso agredecimento ao leitor RRAleixo pela referência.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:26

 

 

Na concentração da selecção sub-21 da Escócia, Ryan Gauld teceu algumas considerações sobre a sua estada no Sporting até este ponto:

 

«Definitavemente, o Sporting é o clube ideal para mim e estou feliz por ter feito esta escolha. Dizer que fui "rebaixado" é falso. Era este o plano desde o início. Eu não estava preparado para a primeira equipa. Há uma enorme diferença entre esta Liga e a Liga escocesa.»

 

«Vai demorar mais do que algumas pessoas pensam. Estamos a falar de uma equipa da Champions. Há uma atenção especial aos detalhes, em termos de forma e de material. Desde a formação, o futebol é completamente diferente. É mais rápido, mais difícil, mas é uma boa maneira de jogar futebol.»

 

«Algumas pessoas podem pensar que, por ser a 2.ª divisão, o estilo de jogo é mais relaxado, mas a verdade é que é muito exigente do ponto de vista físico. Da forma como vejo as coisas, vou continuar a trabalhar do modo que tenho feito. Acredito que a minha evolução será cada vez mais rápida.»

 

«Eles tinham um plano para mim desde o início, porque a adaptação é uma das partes mais complicadas neste tipo de situações. Têm sido impecáveis ao darem-me tempo e o não apressarem este processo.»

 

«Foi um pouco ridículo ouvir o valor da cláusula de rescisão na primeira vez que fui a Lisboa, mas é óbvio que tudo faz parte de um projecto, de um plno que o Sporting tem para mim. Se tivesse de corresponder a este valor no imediato seria algo completamente diferente, mas nesta altura estou apenas focado em adaptar-me ao clube e em ser feliz.»

 

«Nani ? É uma loucura pensar que ele não jogava no Manchester United. Só demonstra a qualidade que o plantel deles terá de ter, porque é fácil de perceber, até pelos treinos, que Nani é um jogador fenomenal. Como é óbvio, ele fala muito bem inglês e já conversámos várias vezes. Além do mais, Nani faz sempre questão de saber se está tudo bem comigo e se estou a adaptar-me bem ao Sporting.»

 

«Sei tudo o que preciso (da língua portuguesa) para utilizar em campo e relacionado com futebol. Estou lentamente a adquirir a capacidade de conversação. Vou começar a ter aulas, qundo regressar desta viagem. Adaptei-me rapidamente. Um pouco mais difícil, no início, era estar sozinho, longe de casa. Mas, havia sempre pessoas e visitarem-me, regularmente, o que torna tudo mais fácil.»

 

«Após algumas semanas a viver na Academia, procurei casa à volta e em Lisboa, mas encontrei esta aldeia silenciosa (perto da Academia) e pensei que, para começar, era o ideal para mim. É calma, relaxante e não tem o caos e o trânsito de Lisboa. Isso é melhor para mim. A aldeia é mais parecida com aquilo que estou acostumado. Dundee é uma cidade muito movimentada, mas, nos arredores, sem tráfego ou ruído.»

 

«Aqui raramente sou reconhecido, como sucedia com frequência n Escócia. A área é muito diferente, em termos de dimensão, pelo isso ainda não aconteceu.»

 

Muito embora haja sempre algo de "politicamente correcto" neste tipo de declarações, não há causa para duvidar da sinceridade do jovem escocês. Aparenta estar com os pés bem assentes no chão e a encarar este novo desafio na sua vida com tranquilidade. Achei especialmente interessante ele próprio afirmar que ainda não está preparado para integrar a equipa principal e que a sua actual situação faz parte de um plano para a sua evolução gradual. Esperamos que seja de facto assim, porque se há talento, especialmente ao nível que acompanha a sua reputação, esse talento, mais cedo ou mais tarde, virá ao de cima.

 

Como já tive razão de referir em diversas ocasiões, não compreendi a gestão de Marco Silva durante a pré-época, mas não vale a pena insistir nessa tese. Vamos esperar para ver o que Ryan Gauld tem para contribuir para o Sporting. Para já, aparenta ser agora claro que nunca constou de um reforço para a equipa principal no imediato, contrário à expectativa inicial, que, em abono da verdade, nunca foi devidamente esclarecido pela SAD.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:26

A expectativa em torno de Ryan Gauld

Rui Gomes, em 14.08.14
 

 

Jackie McNamara, treinador do Dundee United, reagiu esta quarta-feira às recém-declarações de Mark Wotte - presidente da Federação Escocesa de Futebol - em que este louvou a iniciativa do Sporting de colocar o jovem Ryan Gauld na equipa B, declarando, inclusive, que esta até seria superior ao Dundee United, da Primeira Divisão da Escócia:

 

«O Mark Wotte está em melhor posição do que eu para dizer se o Sporting B é melhor do que nós. Eu não os conheço bem, mas a primeira equipa nõ é má. São uma equipa da Liga dos Campeões. Há muita pressão em cima dele, sobretudo após a transferência, por isso o melhor é deixá-lo à vontade que ele irá trabalhar bem. O facto de tanto nós como o Mark Wotte estarmos a falar dele revela o quanto ele está na ribalta. No futuro será um grande jogador para o Sporting e para a selecção escocesa. O Sporting pagou bastante dinheiro e agora é com eles verem o que querem fazer com ele. Não há dúvida de que será um grande jogador.»

 

Quem também aproveitou o ensejo para comentar a muito falada transferência do médio escocês para o Sporting, foi Neil Lennon, técnico do Celtic:

 

«Andámos a vê-lo. Achámos que era cedo para ele se impor na nossa primeira equipa, mas não havia dúvidas quanto ao seu talento. Tem apenas 17 anos, mas é muito, muito bom. Acho que foi corajoso ao transferir-se, mas acho que escolheu bem.»

 

Fico com a sensação de que nós sportinguistas ainda não nos apercebemos bem do valor que este tão jovem jogador já tinha para o futebol escocês e o impacte da sua vinda para Alvalade. Ainda não é perfeitamente claro o que o Sporting tem em mente para a sua adaptação ao futebol português, mas muito indica que irá participar de "leão ao peito" na II Liga e, provavelmente, treinar assiduamente com a equipa principal.

 

É a minha opinião que não nos devemos deixar influenciar pela sua juventude. Lamento imenso - como já qui escrevi - não termos tido a oportunidade de o ver jogar durante a pré-época, integrado no núcleo forte da equipa principal, mas creio que se é talentoso como todos os que o conhecem afirmam, não será essa juventude que o impedirá de assegurar o seu espaço no nível superior.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:47

Quero marcar o momento !

Rui Gomes, em 05.08.14

 


A exibição no Egipto nem merece comentário, mas quero marcar o momento em que Marco Silva se deu a um estranho impulso de generosidade e fez entrar Ryan Gauld aos 85 minutos. Acho que deve ter contribuído imenso para o seu entrosamento na equipa, porque ainda houve tempo para tocar uma vez na bola. Perante esta "luminosidade" do treinador do Sporting, ficamos agora na expectativa de ver o jovem escocês como titular na Taça Teresa Herrera !?? 

Nota: Em vez de responder aos comentários individualmente, como é meu hábito, decidi adicionar esta breve nota ao texto original. Optei por fazer alvo de Ryan Gauld, por dois motivos: o primeiro, porque achei completamente descabido levar um jogador novo na equipa para o Egipto, para um jogo particular, e fazê-lo entrar aos 85 minutos. Reconheço que ele terá de ser integrado gradualmente, mas isto não é integração alguma, poderá até ser contraproducente, especialmente considerando os escassos minutos que ele viu em oito jogos de pré-época. Cada um terá o seu ponto de vista, poderei até estar errado na minha análise, mas é assim que eu penso. Aliás, vou um pouco mais longe para reiterar que não tenho gostado da gestão de jogadores que Marco Silva tem levado a cabo, nesta fase de preparação. Estou a começar a ficar com a ideia de que ele pretende fazer o mesmo que Leonardo Jardim fez na época passada, nomeadamente apostar em 13/14 jogadores até à exaustão, pese ter um plantel mais alargado. O problema é que quase tudo correu às mil maravilhas em 2013/14, mas este ano promete oferecer uma "conversa" diferente", por várias razões.
 
O segundo motivo, porque assisti a uma exibição que não me inspirou, minimamente. Entrámos bem no jogo, João Mário marcou um bom golo aos 6 minutos - a excelente assistência de Tanaka - mantivemos um bom nível durante cerca de 20 minutos e depois desaparecemos. Salvo um ou outro momento, uma ou outra jogada - a exemplo do golo à ponta de lança de Tanaka, ele novamente - foi uma exibição que deixa muito a desejar perante um adversário muito viável. Não obstante o evidente fora de jogo no segundo golo egípcio, foram dois golos consentidíssimos pela defesa, praticamente na pequena área. Erros que têm de ser rapidamente corrigidos.
 
Vale o que vale, esta é a minha análise. Cada um é livre de discordar.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:36

  

 

Não existe muita informação fora fronteiras - nomeadamente no Reino Unido - sobre os termos do contrato de Ryan Gauld com o Sporting. O que foi encontrado pela pesquisa efectuada é o seguinte, sem se saber, como é evidente, se corresponde aos factos reais:

 

SCOTTISH DAILY RECORD

 

«Ryan Gauld vai ganhar 3 milhões de libras no Sporting de Lisboa, tornando-se no jovem mais bem pago da história do clube. Ao longo do contrato de seis anos, receberá 8 mil libras líquidas por semana (cerca de 10 mil euros). Este salário sofrerá um aumento de 10% a cada 12 meses do contrato, até este ser revisto em 2017.

 

Adicionalmente, existem prémios: 100 mil libras (cerca de 126 mil euros) por cada ano em que o Sporting se qualificar para a Liga dos Campeões; 80 mil libras (cerca de 100 mil euros) pela conquista do título português e 60 mil libras (cerca de 76 mil euros) pela Taça de Portugal.

 

Ainda existe bónus entre 1-10, 10-12 e 12 ou mais golos marcados numa só época.»

 

MIRROR

 

«Ryan Gauld vai receber 3 milhões de libras no Sporting de Lisboa, mais do que Cristiano Ronaldo recebia na sua idade.»

 

*** O jornal transcreve os exactos mesmos números publicados pelo Scottish Daily Record.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:39

Presidente fala muito e explica pouco

Rui Gomes, em 06.07.14

 

 

A última coisa que eu pretendia nesta altura era comentar mais um discurso de Bruno de Carvalho, desejo de impossível realização face à apetência do presidente do Sporting pela oratória pública. Mais um discurso com as usuais platitudes, e outras, visando aplacar a plateia, como é seu hábito.

 

Não me vou dar ao trabalho de transcrever tudo o que foi dito - para o efeito pode ser lido aqui - e também não me vou alargar em comentário, salvo sobre esta sua frase:

 

«Muito se fala no Ryan Gauld. Os disparates que foram escritos... têm quase ar de criminoso. Uma coisa é enganar-me, outra coisa é mentir e sem sustento algum. E mentiu-se descaradamente nos valores relacionados com o Ryan Gauld. Mentiu-se nos valores, fingiu-se que havia um problema um problema na formação... Isso para mim não conta. Os sportinguistas vão estar atentos àquela que é uma campanha absolutamente inacreditável de mentira e quase pressão.»

 

Antes de mais, devo admitir que estou um tanto ou quanto no escuro, porque não sei bem ao que o presidente se refere, concretamente. Salvo uma ou outra interrogação - perfeitamente natural até - sobre o mérito de contratar o jovem escocês, ainda não li nenhuma crítica severa nesse sentido. Sem deixar de ponderar os prós e contras desta contratação, até sinto algum entusiasmo e expectativa por ver o denominado "mini-Messi" dentro das quatro linhas, e espero que tenha muito sucesso.

 

Sobre os valores da contratação, se há uma mentira descarada esta originou com a Imprensa britânica, porque tudo o que eu verifiquei nesse sentido surgiu dessas partes. O facto do Sporting não divulgar os valores - e até está no seu direito - leva a conjecturas, ocorrência inevitável. Não deixo de achar curioso, no entanto, que Bruno de Carvalho, mesmo perante tanta indignação pelas alegadas "mentiras", continua a não esclarecer a contenda. Se pelas novas regras o negócio não tem de ser comunicado à CMVM, em detalhe, terá de ser reportado no próximo Relatório e Contas da SAD, ou será que também aí os factos vão ser ocultados ?... A sua referência a escritos com "quase ar de criminoso" é inconsequente, neste contexto. É uma frase que ele gosta muito de utilizar, sem ponderar o seu real significado.

 

Quanto à sua referência a um falso "problema na formação", também não é nada de grande consequência, neste momento. Se há um "problema" real, só o passar do tempo esclarecerá, porque analisado de fora para dentro a especificidade das coisas é complexa e pouco transparente. No que aos adeptos diz respeito, estes têm o pleno direito de comentar a actividade que lhes está ao alcance e nem o presidente do Sporting pode impedir essa liberdade de expressão.

 

Também estou no escuro quanto à alegada "campanha de mentira e quase pressão". Por tudo quanto é possível perceber, esta Direcção tem trabalhado sem qualquer oposição. Se ele se refere à comunicação social cá do burgo, tão "encarnada" que ela é, também não é nada de novo e compete-lhe aprender a contrariar as falsidades que são publicadas. Um dos problemas, na minha opinião, é que Bruno de Carvalho fala muito e nem sempre se explica, já para não evocar o que por vezes afirma, de forma impensada. Neste caso concreto de Ryan Gauld e da formação leonina, ficámos a saber exactamente o mesmo que já sabíamos antes do discurso.

 

Por fim, não posso deixar de questionar quem o presidente pretende motivar com o seu apelo aos sportinguistas, deixando a sensação que só se sente bem em "estado de guerra", com ele próprio no centro do mediatismo. Quanto maior o "barulho", maior o "herói" ele se torna no conceito de alguns.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:09

Frase da Semana

Rui Gomes, em 04.07.14
 

 

«Acabei de voltar a Edimburgo. Gostaria de agradecer a todos os adeptos do Dundee United, treinadores, membros da Direcção e jogadores por todo o apoio que me deram durante o tempo que passei no clube. Foram todos extraordinários ! Não vejo a hora de iniciar o próximo capítulo no Sporting.»

 

-    Ryan Gauld    -

 

Observação: Mensagem através da rede social Twitter do mais recente reforço do Sporting, que regressou à Escócia para ultimar afazeres pessoais antes de regressar definitivamente a Portugal e a Alvalade. Sugeriria que se o Ryan está ansioso de começar a trabalhar no Sporting, os adeptos leoninos aguardam igualmente com grande expectativa a hora de o ver jogar de "leão ao peito". Isto, sobretudo pela curiosidade, e pela esperança, porventura, sem qualquer sentimento de euforia desmedida.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:27

 

 

Estas, as palavras do novo reforço do Sporting, Ryan Gauld, em entrevista concedida ao diário inglês "The Guardian", onde o jovem futebolista faz um género de apresentação aos adeptos do seu novo clube que, a bem dizer, ainda não o conhecem. Falando muito honestamente, explica o que o motivou a mudar-se para Alvalade:

"Quando era mais novo, via a Liga Espnhola e preferia esse estilo de futebol. Por isso, quando a oferta do Sporting se consumou no país ao lado, nem olhei para trás. Em Inglaterra, o futebol é mais directo. Toda a gente espera que um extremo receba a bola, caia em cima do lateral e cruze para a área. No estrangeiro, um extremo pode virar-se para trás, manter a bola e apenas continuar a procurar soluções para construir a jogada. No estrangeiro, vê-se muitos jogadores que são baixos em estatura. Em Inglaterra, são mais atléticos. Sendo eu um jogador baixo, tenho de pensar no que é melhor para mim e no que é melhor à minha volta. A cultura do futebol do Sporting é o melhor para o meu tipo de jogo."

"A evolução técnica e táctica e a preocupação a montante e a juzante no capítulo do passe foram preocupações que me foram incutidas por Ian Cathro - preparador físico escocês que há duas épocas foi recrutado por Nuno Espírito Santo para integrar a sua equipa técnica no Rio Ave -. Isto foi sempre muito trabalhado com ele nos treinos. Ele estava sempre a dizer-me que tenho de pensar não apenas no passe que vou fazer, mas sobretudo no momento em que o meu companheiro vai receber a bola, pensar no que esse companheiro vai poder fazer com a bola. Portanto não posso pensar apenas no meu passe, tenho de pensar no segundo e terceiro passes. Muitas noites por semana nós trabalhávamos apenas na visão de jogo, em ter consciência de onde estou e de como posso interpretar o jogo. Essa é uma característica chave do meu jogo."

Através de pesquisa que levei a cabo, acabei por verificar que contrário ao que alguns de nós estranhámos pelo anúncio desta contratação - nomedamente que um talento com o perfil de Ryan Gauld tivesse passado despercebido e/ou que não tivesse impressionado os grandes emblemas inglesas - ele já anda a ser observado há algum tempo pelos grandes da Premier, liderados pelo Manchester United e Arsenal, só para nomear dois, além do Real Madrid e Roma. É possível que a sua estatura os tivesse feito hesitar, mas também é plausível que o Sporting se tivesse antecipado. Como o jovem indica muito claramente, ele não se considera talhado para o futebol da Premier. Não vale a pena, por ser injusto e prematuro, avançarmos com críticas ou, no inverso da moeada, com rasgos de euforia, neste momento. Teremos de esperar para ver o trabalho que certamente será desenvolvido sob a tutela de Marco Silva e a adaptação do jovem a Portugal e ao futebol português.

Uma outra reportagem interessante do Daily Mail, na edição desta quarta-feira, aqui.

Também a UEFA dá destaque à transferência de Ryan Gauld.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:43

 

 

Ryan Gauld tornou-se esta terça-feira no 6.º reforço do Sporting para a época 2014/15. Apesar dos seus 18 anos, tudo indica que integrará a equipa principal, salvo se na pré-temporada Marco Silva decidir algo em contrário. O jovem escocês que jogava no Dundee United assinou contracto até 2020, com uma cláusula de rescisão de 60 milhões de euros. Pela natureza da contratação, estava à espera de valores ainda mais elevados. O custo para o Sporting ainda não foi oficialmente revelado, mas terá sido em excesso de 3 milhões de euros.

 

Admito que Ryan Gauld me entusiasma, muito embora nunca o tenha visto jogar, excepto em vídeo. Além da vertente desportiva, creio que vai despertar o interesse de muitos adeptos, entusiasmados com a ideia de o ver "in loco". Pelos vistos, finalmente que vamos ter a posição 10 preenchida, há longo uma lacuna na equipa leonina. Será interessante observar a adaptação do jovem a um novo país, a uma cultura diferente e, decerto, a um nível de futebol mais exigente do que estava habituado na Escócia - especialmente com a Champions em vista - apesar de já ter realizado uma época completa como titular nos seniores do Dundee United, que disputam a principal divisão escocesa.

 

Para quem desejar rever a informação sobre este novo "leão", já o referenciámos aqui e aqui.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:40

 
 

 

Dando seguimento ao post do Ricardo Leão, o Telegraph de Dundee garante que o Dundee United não sentia pressão para vender mas não resistiu à oferta do Sporting de 3 milhões de libras (3,8 milhões de euros) por Ryan Gauld.

 

O jovem viajará para Lisboa em breve e a decisão final sobre a transferência será dele. Entre outros, o Real Madrid, Roma, Manchester United e Arsenal, também têm mostrado interesse no "mini Messi escocês".

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:11

Ryan Gauld no Sporting

Ricardo Leão, em 01.07.14
 

 

Sporting adquire passe do jovem "Messi escocês" por 2,5 millhões de euros.

William Carvalho, Rojo e Slimani de partida.

 

Informações sobre o médio-ofensivo de 18 anos disponíveis aqui.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:14




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo