Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

sporting-sad.jpg

 

Perante as declarações proferidas esta semana na BTV pelo advogado António Pragal Colaço, a Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD entende afirmar o seguinte:

 

1 – O advogado em causa, conhecido comentador do referido canal televisivo, lançou suspeitas caluniosas e difamatórias sobre todos os administradores desta Sociedade Desportiva, pondo em causa a honra, o bom nome e a reputação da Sporting SAD e do Sporting Clube de Portugal.

 

2 – Fê-lo de forma reiterada e consciente sabendo que estava a elaborar numa mentira com o único objectivo de, mais uma vez, incentivar ao ódio e à violência contra o Sporting e os Sportinguistas.

 

3 – É falso que este senhor tenha sido agredido por qualquer administrador da Sporting SAD, muito menos "pelo facto de ser do Benfica".

 

4 – O que aconteceu, e é a verdade dos factos, foi que este senhor ameaçou, agrediu e chantageou dois familiares directos do Dr. Nuno Correia da Silva, administrador não executivo da Sporting SAD em representação da Holdimo, incluindo uma criança de oito anos – e sem que este administrador estivesse presente –, por razões de natureza estritamente pessoais, havendo inclusive uma queixa apresentada na PSP relativa a estes factos.

 

5 – O departamento jurídico da Sporting SAD já recebeu instruções para agir judicialmente contra António Pragal Colaço para que seja feita justiça e reposto o bom nome desta Sociedade Desportiva, da sua Administração e do Sporting Clube de Portugal.

 

6 – Ficou mais uma vez claro de onde vêm os incentivos ao ódio e à violência com recursos sistemáticos à mentira, à calúnia e à difamação, difundidos através de um canal de televisão propriedade de um clube e promovido pelos seus dirigentes.

 

7 – Como afirmou o Presidente da Federação Portuguesa de Futebol, basta!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:50

 

bruno_de_carvalho_5_1177f404.jpg

 

A Sporting SAD vai apresentar as Contas de 2015/16 - período em que regista um prejuízo de 32 milhões de euros - em uma Assembleia Geral convocada para o próximo dia 30.

 

Nestas Contas não entram ainda as transferências de João Mário para o Inter de Milão (40 milhões de euros + 5) e de Slimani para o Leicester (30 milhões de euros + 5), assim como os custos das mais recentes contratações, a exemplo de Bas Dost (10 milhões de euros + 2).

 

De acordo com o comunicado enviado à CMVM, a Ordem de Trabalhos é a seguinte:

 

"1. Deliberar sobre o Relatório e as Contas relativos ao exercício findo em 30 de Junho de 2016.
 
2. Deliberar sobre a proposta de aplicação de resultados.


3. Proceder à apreciação geral da administração e fiscalização da sociedade.


4. Apreciar e aprovar a declaração sobre a política de remuneração dos titulares dos órgãos sociais da Sociedade elaborada pela comissão de accionistas relativa ao exercício de 2016/2017.


5. Ratificação da designação, por cooptação, do Senhor Dr. Nuno Jorge Lopes Correia da Silva, para exercer o cargo de Vogal do Conselho de Administração até ao final do mandato em curso."

 

Na data da divulgação da presente Convocatória, 8 de Setembro de 2016, serão postos à disposição dos senhores Accionistas, na sede social e no sítio da internet www.sporting.pt, os seguintes elementos: a própria convocatória, o número total de acções e dos direitos de voto reportados, também, à data da divulgação da convocatória, incluindo os totais separados para as acções da categoria A e as acções da categoria B, os formulários de documento de representação e de voto por correspondência, as propostas de deliberação apresentadas, bem como o texto integral dos documentos relativos às mesmas, e ainda, a informação indicada no art. 289 nº 1 do Código das Sociedades Comerciais".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:56

 

sporting_lisbon_logo_88270.jpg

 

Muito tem constado sobre uma transformação da estrutura da Sporting SAD, ou seja, do futebol do Clube, e apesar de ainda não se ter confirmação oficial por parte do Conselho de Administração da mesma, alguns detalhes estão a surgir na praça.

 

Segundo o que é agora reportado, Guilherme Pinheiro, administrador da SAD, vai ter poderes acrescidos. O dirigente passará a ter o pelouro das contratações sendo que será assessorado por Sanches Freitas, algo que chegou a estar em dúvida aquando do falhanço da contratação de Franco Cervi, posteriormente oficializado pelo Benfica.

 

Além deste cargo, Pinheiro deverá também assumir a direcção da Academia Sporting, em Alcochete, fazendo cair Virgílio Lopes. O administrador é homem de confiança de Jesus e voltará a ser responsável pela pasta que deixou o ano passado. Consta que o treinador teve muita influência sobre esta tomada de decisão.

 

Também ao nível da comunicação, como já tinha sido noticiado, vão haver. Diogo André, até aqui assessor de imprensa, deixa o cargo, sendo acompanhado por Rita Matos, que também deixa o clube após ter entrado em 2004. O novo responsável de comunicação, bem como todas as alterações restantes, serão oficializadas até ao final do presente mês.

 

As mudanças não se ficam por aqui e na televisão do clube vão haver mexidas. Rui Miguel Mendonça, até aqui jornalista da Sport TV, passará a ser o novo director.

 

Confesso que nunca verdadeiramente compreendi a função de Virgílio Lopes, mas sendo o homem fiel a Bruno de Carvalho, desde o primeiro dia, surpreenderá o seu eclipse, se de facto é isso que está nos planos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:33

 

8592f3e430720d324d7cfd7ecd1de521 (2).jpg

 

Com ou sem fundamento, anda a ser circulado na praça pública que Jorge Jesus terá ficado bastante desagradado com o insucesso no recrutamento de reforços durante esta abertura do mercado, e que terá exigido a Bruno de Carvalho a contratação de um director desportivo com conhecimentos e experiência nessa área.

 

Haverá, aqui, alguma divergência entre os dois, dado que a preferência do presidente do Sporting é Augusto Inácio, pessoa com quem Jorge Jesus não quer trabalhar. Aliás, Inácio saiu dessa função no início da época precisamente por imposição do treinador.

 

Jorge Jesus está por dentro das negociações falhadas por Danilo, Cervi e Mitroglou durante o Verão e, mais recente, por Suk, Marega e José Sá, entre outros. A totalidade dos reais contornos destes casos só eles têm conhecimento, mas o que se torna óbvio é que com pouco mais de um dia para o fecho do mercado, aquilo que o treinador desejava - além do defesa central (Sebastián Coates) - ainda não foi concretizado, nomeadamente a garantia de um outro avançado.

 

Foi noticiado este sábado que o Sporting recusou uma proposta por Fredy Montero e as negociações para a saída de Gutiérrez aparentam continuar num impasse. A contratação do muito promissor lituano Lukas Spalvis, que parecia estar muito bem encaminhada, foi entretanto remetida ao silêncio.

 

Poderá até não existir braço de ferro algum entre os principais responsáveis pelo futebol leonino, mas uma coisa é certa: se o objectivo durante este mês de Janeiro era reforçar e afinar a "máquina" para a recta final até ao título, muito pouco tem decorrido ao agrado, pelo menos do treinador. Não é de esperar, logicamente, que ele venha a público dar quaisquer indicações da sua eventual insatisfação.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:02

 

18866720_16Pd9.jpg

 

Exmos. Srs., 

 

No mesmo dia em que foi comunicada esta vossa decisão que a todos nos envergonha: “... o Conselho de Administração da Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD, vem comunicar que, não tendo sido possível chegar a acordo, o treinador Marco Silva foi hoje informado do seu processo de despedimento por justa causa”.

 

Acrescentaram esta parte:

 

“O Conselho de Administração do Sporting Clube de Portugal, Futebol – SAD, vem repudiar de forma veemente todas as notícias hoje publicadas e/ou difundidas dando conta da intervenção de entidades externas ao Clube, nomeadamente de Álvaro Sobrinho e da HOLDIMO (tendo esta uma participação no capital social da Sociedade de 29,9 por cento), de investidores da Guiné Equatorial ou outros, em quaisquer negócios relativos à sua actividade, para além dos naturalmente decorrentes do seu estatuto de accionista”.

 

Como hoje ainda não vi nenhum desmentido, mesmo que não seja veemente, das notícias que sairam hoje (mesmo que referentes a factos ocorridos no mês seguinte) só resta ao Conselho de Administração do Sporting Clube de Portugal, Futebol – SAD um caminho: a demissão imediata.

 

Podem trocar na agenda da reunião de hoje o vosso aumento dos ordenados por este novo ponto.

 

Que vergonha !!

 

_____________________________________________

 

 

Nota: O pedido de demissão do Conselho de Administração da Sporting Clube de Portugal, Futebol - SAD, é da exclusiva responsabilidade do autor do texto e não reflecte, necessariamente, o parecer de todos os redactores do Camarote Leonino, nem corresponde a uma pré-definida linha editorial do blogue.

                                                                                                                   Rui Gomes

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:05

 

imagesCAOI00AS.jpgjorgejesus08.jpg

 

Não deixa de ser curioso que sensivelmente o mesmo apontamento noticioso apareça em diversos portais citando uma "fonte da SAD" do Sporting. Ficamos na dúvida se a fonte é fiável, e com ela a informação, e se é, qual o porquê de não se identificar.  Parafraseando, em sinópse, as declarações:

 

- "O Sporting vai contratar apenas dois ou três reforços «cirúrgicos». Jorge Jesus tem um bom conhecimento dos nossos jogadores, reconhece-lhes talento, e não temos dúvidas que ele irá rentabilizá-los."

 

Novamente o termo "cirúrgico". Vamos dar o benefício da dúvida, partindo do princípio que será Jorge Jesus a fazer a escolha, porque já sabemos que "cirúrgico", para Bruno de Carvalho", significa à dúzia.

 

- "A contratação do treinador não foi planeada, mas fruto de uma oportunidade que surgiu e que foi agarrada."

 

Mais um "milagre" a adicionar à longa lista de "milagres" do reino do Bruno. A oportunidade terá caído do céu, decerto. De qualquer modo, até era melhor nem sequer fazer qualquer referência a isto, porque nunca nos vão dizer a verdade. Ela virá à superfície mais cedo ou mais tarde, mas nunca por fonte oficial.

 

- "Não houve lugar a qualquer prémio de assinatura, nem a qualquer garantia bancária exigida pelo treinador."

 

Bem... já sabíamos que Jorge Jesus só exigiu "treinar o clube do seu coração", mas desconhecemos a que propósito vem a referência a "garantia bancária", uma novidade. Alguns detalhes serão revelados em um futuro Relatório e Contas, mas é mais um caso de nunca sabermos ao certo a totalidade dos factos.

 

- "Não há truques na manga, nem capital encapotado. Se tivéssemos contratado dois jogadores por 2,5 milhões de euros cada um, ninguém se preocuparia."

 

Analogia deveras simplista, dado que não é comum contratar-se um treinador em Portugal pelos valores noticiados. Não acredito que tenha sido apenas a execução do plano de reestruturação financeira que tenha providenciado o lucro para sustentar esta operação. Mas como não tenho outros dados comprovativos, estou disposto a dar o benefício da dúvida e esperar por informações mais clarividentes.

 

Tudo leva a crer que a contratação de Jorge Jesus vai dar lugar a uma mudança de paradigma no futebol profissional do Sporting, porventura até afectando a formação, mas a totalidade da mesma só o passar do tempo esclarecerá. Uma consideração me parece óbvia: esta modificação vai afastar Bruno de Carvalho do centro das decisões do futebol e do seu dia-a-dia, que só pode ser positivo. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:49

Basta... haja sensatez e decoro !!!

Rui Gomes, em 03.06.15

 

Era minha intenção publicar este post durante a manhã, algo que não foi possível por indisponibilidade. Ainda, temos um ou dois leitores que se queixam de excesso de escritos dedicados a esta temática mas, a verdade se diga, é praticamente impossível ignorar o que domina no universo sportinguista neste momento. E, assim continuará, até o caso Marco Silva ser publicamente resolvido.

 

Há uma outra questão que desejo esclarecer de uma vez por todas: quando cito uma fonte é porque esta existe e eu entendo que é credível. Acontece, mais vezes do que não, que nos chegam informações que optamos por não divulgar porque entendemos que não merecem essa consideração. Com isto, não estou aqui para tentar convencer ninguém, nem há interesses alguns em jogo - contrário às acusações disparatadas que surgem em comentário  - e muito menos ainda para ganhar concursos de popularidade. Publicamos os escritos, quem desejar comenta - favoravelmente ou em contraditória - e ninguém é obrigado a acreditar seja no que for. Ainda hoje me chegou - ou melhor, ouvi uma conversa entre Bruno de Carvalho e outra pessoa sobre Marco Silva - que opto por não divulgar. Quem já passou pela experiência, estas "escutas" inadvertidas acontecem através das redes celulares entre pessoas de contacto comum. Já me aconteceu diversas vezes, até, infelizmente, há uns anos atrás, com uma minha agora "ex" a queixar-se de mim a uma amiga, e eu a ouvir a conversa toda ao telefone.

 

msbdc.PNG

De qualquer modo, já disse mais do que pretendia. Este post é em referência ao "recado" de Bruno de Carvalho (e da SAD) que foi comunicado publicamente através do «Record", pela autoria de "Bruno Colaço", sobre as alegadas - e diga-se irrisórias - razões de queixa da Sporting SAD relativamente a Marco Silva. Eu considero isto uma autêntica vergonha, mas não espero de modo algum que haja um parecer consensual por parte dos leitores. Começo por transcrever, à letra:

 

Desautorização

 

Durante o Troféu Teresa Herrera, o agente Carlos Gonçalves e o CEO da Doyen, Nélio Lucas, pediram a Bruno de Carvalho para que Rojo não jogasse com o Nacional de Montevideo, a 10 de Agosto, devido à iminente transferência. BdC recusa mas Marco Silva desautoriza o presidente e poupa o central. Depois, terá pedido desculpa e disse que não se repetiria.

 

Tentativa de agressão

 

No regresso do Teresa Herrera, e perante o impasse em torno da saída para Inglaterra, Rojo terá tentado agredir Bruno de Carvalho. O episódio, alegadamente, é presenciado por Marco Silva que nunca reprova inequivocamente o acto do jogador, preferindo não tomar posição. Uma quebra de solidariedade, lamenta a SAD.

 

Autoridade em causa

 

 A 1 de Agosto, antes do Troféu Cinco Violinos, Slimani terá recusado jogar contra a Lazio, perante o treinador (e não foi utilizado). Aberto um inquérito disciplinar por comportamento incorrecto, a administração da SAD entende que Marco Silva sacode a água do capote, ao defender que é um assunto do clube, protegendo o jogador.

 

Recados inaceitáveis

 

Após a derrota em Guimarães, a 1 de Novembro, Bruno de Carvalho usa o Facebook para criticar a atitude da equipa. A partir desta data, o Sporting sente que Marco Silva recorre ao espaço as conferências de imprensa para enviar "recados", considerados inaceitáveis. E falham as tentativas de blindagem interna que se seguem.

 

 

Nem me vou dar ao trabalho de questionar a veracidade da informação revelada pelo «Record» e muito menos ainda o mérito das chamadas "causas" apresentadas. Considero o todo desta publicação uma tristeza, um autêntica vergonha para um clube histórico da grandeza do Sporting Clube de Portugal.

 

Reitero a recomendação que escrevi em um outro recém-post: sejam homens !... Se desejam despedir o treinador, devem assumir essa posição de forma clara, tomar as medidas necessárias para o efeito e apresentar o seu sucessor.  

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:44

O dilema chamado Rojo

Rui Gomes, em 30.07.14
 

 

Não sei bem se "dilema" é o termo adequado à situação, mas no contexto deste escrito serve o efeito. Marcos Rojo chegou esta tarde a Lisboa depois das férias pós-Mundial e prestou algumas declarações à comunicação social:

 

«Tenho contrato, quero ficar. Claro que todos os jogadores ambicionam sempre mais. Se houver uma boa proposta para mim e para o clube logo veremos o que pode acontecer. Tenho acompanhado a pré-época do Sporting e estou desejoso de começar a trabalhar.»

 

Não duvido, minimamente, da sinceridade das suas palavras, mas não deixa de ser um discurso "politicamente correcto", nas circunstâncias, e outra coisa não seria de esperar de um bom profissional, que ele tem provado ser desde que chegou ao Sporting.

 

A realidade é que Rojo tem contrato até Junho de 2017, uma cláusula de rescisão de 30 milhões de euros, um salário que será acima do actual tecto estipulado pela SAD e apenas 25% dos seus direitos económicos são da pertença do Sporting.

 

Consta haver muito interesse no mercado, muito embora nada seja significativo até aparecerem propostas concretas. Desconhecemos quanto o Sporting exigirá para abrir as mãos de Rojo, mas os rumores cá do burgo apontam para 20 milhões de euros. Salvo haver muita concorrência, em simultâneo, creio que 15 ou 16 milhões é uma verba mais realista.

 

O referido dilema assenta-se precisamente na decisão que poderá confrontar o Sporting: uma transferência poderá render entre sensivelmente 3,5 a 5 milhões de euros, o que não é fortuna alguma no mercado actual, mas poderá ser visto como um encaixe substancial para um clube que lida com dificuldades financeiras. Isto, e a inevitável redução da folha salarial.

 

Por outro lado, em um contexto meramente desportivo, a sua permanência seria benéfica tendo em conta os objectivos do Sporting para esta época. Contudo, como não se vislumbra que Maurício venha a ocupar lugar no banco - pelo menos não antecipo esse cenário - ou a colocação de Rojo no lado esquerdo da defesa - para mim, a solução ideal - alguém será "encostado" e o candidato aparente será, novamente, Eric Dier.

 

Não sugiro soluções, apenas e tão só porque não sinto na "pele" o encargo financeiro da SAD, mas como mero adepto, preferia que o atleta ficasse e a jogar a lateral esquerdo. Num Mundo ideal - pela minha óptica - essa seria a solução mais desejável neste momento, mas muito indica que o destino terá outros planos. Além do mais, é de prever que a SAD sinta a necessidade de vender um ou mais activos, para de algum modo compensar o investimento que tem sido feito nos novos reforços, que, pelas minhas contas por alto, deverá estar a rondar os 10 milhões de euros. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:44

A incompreensível gestão da SAD

Ricardo Leão, em 21.07.14
 

 

 Jogadores novos a entrar, valores que estavam no Sporting que saem com opções de compra, ele há de tudo um pouco. O que não se percebe, francamente, é a lógica de tudo isto. Um novo defesa central, Rabia contratado, que eleva para 6 os centrais existentes (Rojo, Dier, Maurício, Rabia, Oliveira e Tobias)? Tanto central? Era mesmo necessário? Porquê então? Zézinho agora de partida para o AEL,  e quiçá sem regresso, não era um valor firme? Creio que os sportinguistas assim o consideravam. Para quê dar-lhe guia de marcha? Viola a treinar com a equipa B...Rinaudo despachado por 2,5 milhões para o Catânia... Já para não falar de Wilson e de Diogo Salomão, para mim casos mais justificáveis, ainda que não se perceba o porquê de o Sporting ter então renovado o contrato a Salomão... Será que Marco Silva é tido e achado em todos estes negócios?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:18

 

Analisadas (infelizmente sem o pormenor que mereceriam) as Contas da SAD referentes ao 3º Trim. do Exercício corrente, temos de ter uma palavra de elogio para a actual Direcção. A recuperação económica do Clube está, efectivamente, a ser feita, não se tendo verificado quebra do nível de competitividade desportiva do Futebol do Sporting – antes pelo contrário.

 

Se ao nível dos Proveitos correntes não existe grande diferença face ao passado, já no que toca aos custos a redução verificada foi substancial. A redução dos Custos com Pessoal foi de 1/3, tal como aconteceu com os Fornecimentos e Serviços Externos e os Outros Custos Operacionais. A nível de Amortizações do Plantel, passou-se para metade do que se fazia há um ano atrás, em função dos menores valores investidos em contratações.

 

Não valendo muito a pena entrar em detalhes, mas apenas apontando para o futuro, que é o que realmente importa, teremos uma situação de final de Exercício próxima da seguinte:

 

Proveitos Obtidos (excluída a venda de jogadores): +32 ME

Custos Operacionais (excluída a amortização de jogadores): -40 ME

Amortização de jogadores: -8 ME

Custos Financeiros Líquidos: -4 ME

 

Ou seja, teremos um deficit corrente (excluindo vendas de jogadores, mas incluindo as necessárias amortizações do plantel) de, aproximadamente, -20 ME. Considerando que já foram realizados 18 ME em vendas de jogadores (Bruma, Ilori e outros), estaremos a cerca de 2ME de vendas de atingirmos o equilíbrio económico no Exercício - o que pode até já ter acontecido via «operação Leonardo Jardim».

 

No entanto, a significativa melhoria registada não significa que estejamos já em patamar desejável de performance económica. Um deficit operacional, antes de vendas de jogadores, de 20 ME é ainda extremamente oneroso para uma estrutura da dimensão da nossa SAD. Penso que será nesse sentido que se enquadra a notícia recente de que a Direcção pretende baixar (ainda mais!) os custos de pessoal para a próxima época.

 

Quanto à situação patrimonial, nada de relevante há a assinalar. Aumentaram os financiamentos bancários em contrapartida da diminuição de dívidas a fornecedores. Ou seja, deixámos de dever a uns apenas para passarmos a dever a outros, o que não sendo positivo, pois não se demonstra capacidade de gerar qualquer cash-flow para diminuir o Passivo, acaba por ser melhor do que o que se vinha fazendo até agora, em que se registavam consecutivos incrementos na massa devedora líquida...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:17

Sejam bem-vindos senhores Lucros !

Desert Lion, em 30.11.13

 

Mas, quem leia o R&C, facilmente verifica que é ainda muito cedo para se fazer a festa. Na verdade os lucros de 7,2 milhões que a SAD apresenta no último trimestre, estão fortemente empolados pela venda dos direitos desportivos de Bruma e Ilori, num valor próximo de 16 milhões de euros. Ora, se deduzida esta parcela “não operacional” do negócio, o que fica são 8,5 milhões negativos, no período. Mesmo depois de abatido o valor que foi pago de indemnizações para rescisões (cerca de 2 milhões de euros), ainda ficam com 6,5 milhões negativos no trimestre.

 

Apenas para efeitos de cálculo e projecção da situação final, se assumirmos a linearidade de trimestres, este valor levar-nos-ia para prejuízos “correntes” de 26 milhões de euros, na minha óptica ainda totalmente  insustentáveis porque não são recorrentemente cobríveis por ganhos com vendas de jogadores. Eu consideraria um valor de perdas de até 10 milhões de euros por exercício, como compensável, em média, com uma gestão desportiva eficaz, por essas mais valias. Mais do que isso parece-me um risco demasiado elevado e que não deve ser assumido por esta Direcção – mandatada, exactamente, para diminuir o nível de riscos a assumir pelo Sporting.

 

É claro que teremos ainda de considerar a fusão com a SPM que virá a acontecer, e cuja Exploração Positiva na casa dos 5 a 7 milhões de euros virá a atenuar esta realidade. Mas a solução desta questão terá de vir, essencialmente, de uma recuperação na vertente dos Proveitos Operacionais. Só quando voltarem a ser obtidos valores próximos dos da época 2007/2008 – cerca de 50 milhões de euros -, poderemos dizer que o Sporting estará muito perto do seu equilíbrio de médio e longo prazo. Por enquanto, louva-se este esforço inicial muito meritório, mas temos de reconhecer que há ainda muito trabalho a fazer antes de podermos cantar vitória sobre o fantasma da insolvência.

 

Uma breve nota final negativa que, infelizmente, devo mencionar. Não se percebe o que pretende o presidente com a hostilização gratuita do órgão de supervisão do Clube. De acordo com o que li no DN: “Há sensivelmente um mês deu-se o primeiro "choque" entre Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, e Jorge Bacelar Gouveia, presidente do conselho fiscal (CF) do clube leonino. Segundo fontes contactadas pelo DN, a causa da discórdia foram as contas da SAD, pedidas pelo líder do conselho fiscal, em nome do órgão que preside. A resposta de Bruno de Carvalho causou alguma celeuma no seio do CF. O líder leonino começou por recusar o acesso às contas, mas depois acedeu a disponibilizar toda a documentação requerida desde que o CF, no seu todo, assinasse um termo de confidencialidade, algo que nunca sucedeu na história do Sporting”.

 

Ora esta não é a postura que se espera de um presidente cujo slogan é "O Sporting é Nosso". Não é este o presidente que vai publicar uma auditoria sobre os actos de gestão dos últimos 17 anos de vida do Clube? Como pode pois fazer este tipo de pedidos a quem, como ele, foi eleito para o desempenho de funções associativas? Espero que, muito rapidamente, o CFD coloque os pontos nos iii’s e que estes "malabarismos" deixem de existir num Clube que, mais do que nunca, precisa de órgãos de fiscalização plenamente capacitados e interventores.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:16

O Terceiro Elemento

Rui Gomes, em 21.05.13

 

Relativamente a esta questão acho que importaria ter memória. Gostaria apenas de lembrar a "novela" que foi feita à volta deste "terceiro elemento". Dizia o Bruno que não revelava o seu nome antes das eleições porque esse mesmo "terceiro elemento" lhe teria pedido o anonimato, devido às pressões que certamente sofreria da Direcção anterior, correndo o risco de perder o seu emprego na Academia. Afinal, sabe-se agora, nunca existiu terceiro elemento nenhum, sendo toda a trama um produto da fértil imaginação do nosso Presidente.

 

Recordo que este é o mesmo indivíduo que afirmou que pessoas ligadas à anterior Direcção lhe fizeram ameaças de morte, que lhe foram comunicadas quando estava junto da sua família, na noite das eleições há dois anos atrás. Desde logo seria de estranhar não ter havido a devida queixa às autoridades. Ora agora acho que podemos concluir que se tratava apenas de mais um delírio do nosso Bruno - mancharam-se assim, com duas acusações falsas, e de forma totalmente impune, os nomes de quem o precedeu nas actuais funções.

 

Entretanto, este mesmo cavalheiro, agora que ganhou as eleições, entra na SAD e despede quem antes trabalhava na Academia, mas que corajosamente deu a cara por um projecto alternativo. (Mário Patrício e Diogo Matos)

 

Atitudes de gente muito séria e honrada à frente do nosso Clube, sem dúvida.

 

* Texto da autoria de Desert Lion

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:59

Estrutura da SAD comunicada à CMVM

Rui Gomes, em 20.05.13

O Sporting enviou um comunicado à CMVM a confirmar Augusto Inácio como director geral para o futebol profissional, Virgílio Lopes na mesma função para o futebol de formação e Leonardo Jardim como treinador da equipa principal até 30 de Junho de 2015.

Nada que não fosse já esperado e pelas fugas de informação que continuam a existir em Alvalade, até o técnico é uma não novidade. Não valerá a pena sequer questionar o perfil de Inácio para a posição, o tempo demonstrará a sua (in) capacidade. Nomear uma pessoa para superintender a tão importante formação cuja ligação ao futebol - e apenas como jogador - cessou há 23 anos, é algo só para a compreensão dos deuses.

Por fim, onde está o prometido e ainda misterioso terceiro elemento ?... Já está tudo definido e decerto que a sua posição na Academia não será agora comprometida. Ou foi tudo só para "inglês ver" ?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:31

Será mesmo reestruturação ?

Rui Gomes, em 23.04.13
 
 

De acordo com as últimas notícias, está em curso a muito badalada reestruturação da SAD Sporting que aparenta envolver a rescisão de contratos com muitos funcionários da Academia. Entre os nomes já mencionados encontram-se Manuel Fernandes, Luís Vidigal, Porfírio, Pedro Sousa (Director de Comunicação), Pedro Cunha Ferreira (Director da Academia), Jean-Paul (responsável técnico da Academia), Mário Patrício (modalidades) e Diogo Matos. Estes dois últimos fizeram parte da lista de candidatura de José Couceiro e, como tal, as suas saídas já eram esperadas.

 

No Clube, parece que também estão na calha Maurício do Vale (Fundação Sporting), Mário Casquilho (Director do Museu, entre outros cargos) e José Diogo Salema, responsável pelas instalações do Estádio José Alvalade.

 

Por algumas das posições cujos responsáveis estão agora de saída, fica a ideia que parte do processo não é tanto reestruturação mas sim a substituição de pessoas. Veremos se agora as vagas irão ser preenchidas por amigos, já que há que compensar apoios. Curiosamente - ou talvez não - o nome do flho de Daniel Sampaio não consta da lista dos dispensáveis.

 

Por mera curiosidade, seria interessante saber quais são os relevantes critérios e quem, exactamente, está a definir pessoas e cargos na SAD e na Academia. O presidente e Virgílio Lopes ?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:47

Acordo: uma elementar consideração

Rui Gomes, em 13.04.13

 

Não considero o Correia da Manhã o mais fiável dos periódicos noticiosos ao que o Sporting concerne, no entanto, tem andado muito perto do alvo com as suas reportagens sobre as negociações com a Banca. Será ainda algo prematuro comentar o Acordo pela falta de detalhes confirmados, mas fundamentado no que o jornal reporta este sábado, os bancos vão ficar com 48% da Sporting SAD, detêm o direito de aprovação do elemento para director financeiro e as contas da mesma irão ser analisadas de dois em dois meses.

 

Tudo muito bem, mas surge uma questão deveras intrigante: considerando que o Sporting fica com cerca de 51% da SAD e Bruno de Carvalho garantiu, repetidamente, que o Sporting consigo na liderança não abdicaria da maioria de capital da SAD, os prometidos e já lendários investidores vão empregar o seu capital - os tais 15 a 20 milhões - a troco de quê ?... Esta elementar consideração vindo de quem não se excede com conhecimentos nesta área.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:41

A indefinição da SAD

Rui Gomes, em 02.04.13

 

É por de mais evidente que a evolução que se verifica na equipa se deve quase exclusivamente ao trabalho do prof. Jesualdo Ferreira e ao facto dos jogadores terem assimilado o seu treinamento e as suas ideias. Indiferente dos eventuais resultados nos últimos seis jogos da época, assim se vai manter até ao final.

 

Quanto à nova época, o caso é bem diferente. Ainda não se percebe se já existe algum plano e estratégia definidos e os cargos dos novos dirigentes da SAD continuam sem especificação. Como já citei num outro escrito, Virgílio Lopes e Augusto vão ser «directores», assim como o tal misterioso terceiro elemento que suponho ser Abel Ferreira. Ontem surgiu Luís Freitas Lobo a comentar que após a reunião que teve com Bruno de Carvalho e Virgílio Lopes, ficou acordado que haveria nova conversa depois das eleições para definir que posição assumirá no Clube, algo que, segundo ele, ainda não está claro. À parte de não compreender o que é pretendido com a inclusão de Freitas Lobo, a situação é preocupante porque não se pode arriscar uma nova pré-época desastrosa, em termos de organização, como o que se viu o ano passado. Esperamos que tudo seja definido o mais breve possível.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:38

Capital da SAD: maioria ou não

Rui Gomes, em 07.03.13

 

Indiferente dos discursos de campanha eleitoral, surge uma incontornável realidade que o próximo presidente do Sporting terá de enfrentar e resolver: o Clube manter ou não a maioria no capital da SAD. Mas a contenda, à raiz, até nem começa por aí, já que terá de ser primeiro determinado se a muito badalada reestruturação financeira é viável sem investimento do exterior. Com a Banca a esgotar a linha de crédito, escapa a imaginação qualquer outra alternativa. José Couceiro manifestou-se nesse sentido, perante sportinguistas de Azeitão:

 

«Depois de ter estudado todo o processo, tenho de levar essa proposta aos sócios que se pronunciaraão em assembleia geral. Não é inevitável, mas acredito que há condições para o Sporting deixar de ter a maioria no capital da SAD. O fundamental é o clube manter o seu ADN e o investidor perceber isso. O FC Porto é o único dos três grandes que já não detém a maioria do capital da sua SAD, mas é o clube com mais títulos nos últimos 20 anos.» 

 

É discutível se o FC Porto é o melhor exemplo neste contexto, por outros motivos, mas essa consideração não obstante, não creio que seja possível atrair investidores receptivos a deixar o controlo do seu investimento a terceiros. Poderão não se envolverem na gestão desportiva, deixando essa pasta a pessoas com reconhecida competência, mas quererão sempre ter a palavra final no que às finanças diz respeito.

 

Há muito que o bom senso indica que o futebol, desporto e indústria, não pode ser gerido se não por profissionais e que estes não podem estar subjugados ao parecer populista. Teoricamente, o actual controlo da SAD é dos accionistas, mas a partir do momento que o Sporting detém a maioria do capital, o poder real de decisão recai, inevitável e indirectamente sobre os sócios e, directamente, sobre quem estes elegem para dirigir o Clube. E, a exemplo do que precipitou este acto eleitoral, a gestão superior de uma SAD não pode estar dependente de movimentos que, por natureza, não correspondam às realidades e exigências da actual sociedade global, em geral, e ao futebol de alta competição, em particular. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:11

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo


subscrever feeds