Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O teste do pato

Rui Gomes, em 30.05.13

 

O "teste do pato" é um termo, ou se desejar, um provérbio, cunhado há séculos, que serve perfeitamente para contrariar argumentos abstrusos de que algo não é o que parece ser: "Se se parece com um pato, nada como um pato e grasna como um pato, então provavelmente é um pato". Este, o raciocínio indutivo aplicável às ironias vazias do presidente do FC Porto pela sua fútil tentativa de desviar atenções do que "só" é uma conclusão lógica e universal sobre a negociata envolvente da transferência de João Moutinho e James Rodriguez para o AS Mónaco por 70 milhões de euros, atribuindo a menor "fatia" - 25 milhões - ao formado do Sporting.

A bem dizer, não é inesperado, já que o líder portista é bem conhecido por favorecer este modelo de negociatas, em que havendo conivência da outra parte, nunca se chega a saber o real valor de uma transferência de um jogador. A venda ao Atlético de Madrid de de Radamel Falcão e Rúbem Micael é outro exemplo do género. Não está, ou pelo menos não devia estar, em discussão os contornos da venda do jogador, pelo Sporting, em 2010. Esse processo é uma outra "novela", ou melhor, um "complot", que merece dissecação à parte. A realidade é que um componente integral desse acordo concedeu ao Sporting 25 por cento das mais-valias de uma futura transferência. É por de mais evidente que quanto mais baixa for a verba declarada dessa transferência, menor é a parte que compete ao Sporting receber. Por isto, não convém ao clube do Norte - hoje e sempre, efectuar uma venda singular em que o espaço de "manobra" é limitado e a possibilidade de dissimular as verbas envolvidas nula. Só esta disposição explica a recusa ao Tottenham, no Verão passado, por cerca de 30 milhões de euros.

Em três época no Dragão, João Moutinho foi nada menos do que o alicerce fulcral e indispensável da equipa portista, com participação em 140 jogos, 10760 minutos de jogo e ainda contribuindo com 10 golos. Com estas credenciais e ainda com 26 anos de idade, foi desvalorizado em 20 milhões de euros perante um colega de equipa apenas quatro anos mais jovem e ainda com muito por provar, não obstante o seu reconhecido potencial. É bem verdade, se se parece com pato, nada com um pato...

Pela ausência de comprovativos e mecanismos que permitam ao Sporting contestar este negócio, não ofende a ideia de fazer uma exposição do caso a quem de direito, seja a CMVM, a UEFA ou a FIFA. Por fim, e para que fique claro o parecer deste sportinguista, nada de tudo isto altera, minimamente, o comportamento, a indignidade, a desonestidade e a ingratidão do jogador para com quem lhe proporcionou a oportunidade de crescer para o futebol, indiferente se houve ou não maior ou menor capacidade negocial do então presidente do Sporting. Sendo um excelente futebolista, é e sempre será, como homem, uma "maçã podre", o legado, que um dia deixará aos seus filhos.

 

Publicado hoje no jornal "Sporting".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:36

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Posts recentes


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D


Posts mais comentados



Cristiano Ronaldo