Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

naom_5852b98e7672d.jpg

 

Começo por alertar que esta informação foi divulgada esta quarta-feira pelo jornal A Bola. Tendo em conta a fonte jornalística, o leitor deve exercer alguma moderação na sua leitura e respectiva aceitação.

 

O Sporting já terá feito chegar ao Bonfim o contrato de rescisão da cedência relativamente a André Geraldes e Ryan Gauld mas, de acordo com o supracitado jornal, este ainda não foi assinado pelos sadinos, que evocam o artigo 78.º do regulamento de competições, que define que um empréstimo só pode ser cessado antecipadamente caso exista “mútuo acordo entre as partes”.

 

Por seu lado, o Sporting recorda que, aquando da formalização do contrato, ambos os clubes assinaram um aditamento que previa que os jogadores pudessem voltar, bastando para isso que a intenção fosse comunicada até 15 de Janeiro.

 

No entanto, o documento não passa de um acordo de cavalheiros, já que não tem validade junto da Liga. O Vitória de Setúbal pode mesmo vir a apresentar queixa por resgate unilateral dos jogadores, que poderia custar ao Sporting uma multa e a realização de jogos à porta fechada.

 

O Regulamento diz o seguinte:

 

4. O jogador cedido só poderá voltar a ser inscrito e representar, na mesma época, o clube cedente, em caso de cessação do contrato de cedência, por:

 

a) caducidade;

b) incumprimento do contrato de cedência pelo clube cessionário;

c) mútuo acordo das partes.

 

5. Para efeitos do disposto na alínea 4 c), não são admissíveis quaisquer cláusulas que prevejam a possibilidade de, por iniciativa unilateral do clube cedente, ser imposto ao clube cessionário o termo do contrato de cedência antes do prazo contratualmente fixado.

 

Assente nisto, o Vitória de Setúbal estará no seu direito de recusar devolver os jogadores antes do final da época. Se é essa a sua intenção, não é claro neste momento.

_____________________________________________

 

Adenda: Quase que ofende a humanidade ler um bom número de argumentos irrelevantes e até bizarros que têm surgido na caixa de comentários, com o objectivo único de defender o indefensável. Este caso, por muito oblíquo que se tenha tornado, pela forma como foi tratado pelo Sporting, até me parece bem simples.

 

1. Tudo o que terá ocorrido, se alguma coisa, no balneário e arredores do Vitória de Setúbal é irrelevante. Se eles festejaram com dignidade ou não a vitória do dia, é igualmente irrelevante.

 

2. Havendo ou não acordo por escrito ou meramente verbal entre os dois clubes, o Sporting tinha a obrigação de saber dos Regulamentos da Liga, nos quais é explícito que para existir a recuperação de jogadores antes do final da época, terá de haver mútuo acordo das partes.

 

3. É por de mais óbvio que o Sporting reagiu pela derrota e demais circunstâncias do jogo. Só isso explica terem dado instruções aos jogadores para não se apresentarem no próximo treino dos sadinos e regressar a Alvalade, sem qualquer participação ao Vitória de Setúbal.

 

4. Conscientes dos referidos Regulamentos e da maneira como trataram do assunto logo a partir do primeiro minuto, pasma que o Sporting então esperasse uma reacção de boa fé por parte do Vitória de Setúbal.

 

5. A prioridade do Sporting deveria ser os seus interesses e, por inerência, os interesses dos seus activos. É por de mais evidente que eles só beneficiariam, no que diz respeito ao seu desenvolvimento, permanecendo em Setúbal, cumprindo, assim, o acordo de cedência.

 

Agora, sujeitam-se às consequências da sua péssima gestão do caso. Que mais pode ser argumentado que faça o mínimo de sentido ?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:50

A hipocrisia de Jorge Jesus

Rui Gomes, em 05.01.17

 

img_770x433$2017_01_04_23_20_49_1203313.jpg

 

«Durante o jogo, poderíamos ter feito o segundo golo em várias ocasiões. O Sporting está a ser prejudicado com muita facilidade. A favor do Sporting, dificilmente se marca. Contra, é muito fácil marcar. É uma falta de respeito para com o Sporting, que é um grande clube, assim como para com os seus adeptos e profissionais. Em tantos anos de futebol, nunca vivi uma coisa destas. Fizemos o que tínhamos de fazer mas mais uma vez passaram-se coisas que não conseguimos controlar».

 

Não posso deixar passar em branco esta afirmação de Jorge Jesus, demonstrativo da sua hipocrisia e memória curta. A realidade - e não deve haver nenhum sportinguista que se tenha esquecido - é que quando estava do outro lado da "vedação" beneficiou de decisões muitíssimo mais escandalosas. Incrível como a história se repete, vezes sem conta: o que ontem era verdade, hoje é mentira. E assim continuamos a viver a fantasia.

 

Mudando de assunto, consta da ficha de jogo publicada no site da Liga de Clubes, que Jorge Jesus viu o cartão vermelho, correspondente a expulsão, após o final do jogo, quando se gera confusão em torno da equipa de arbitragem da partida. Os jogadores do Sporting foram pedir justificações ao árbitro Rui Oliveira e Jorge Jesus também se dirige para o local, afastando os jogadores, mas dirigindo também palavras ao juiz da AF Porto.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:19

Quo vadis Sporting ?

Rui Gomes, em 04.01.17

 

image.jpg

 

Para não correr o risco de me acusarem de ser excessivamente crítico, vou deixar a análise a esta "estrondosa" exibição do Sporting - mais uma - inteiramente ao critério dos leitores.

 

Vitória de Setúbal 2 Sporting 1

 

P.S.: Escrevi o post antes do golo vitorioso do Vitória de Setúbal.

 

Adenda: Pode rever aqui o lance da grande penalidade.

 

Nota: Aproveito este jogo e o debate em curso sobre a grande penalidade assinalada a favor do Vitória de Setúbal, para voltar a publicar esta recém-declaração de Pierreluigi Collina (UEFA) sobre os (de)méritos do vídeo-árbitro em lances como o de hoje:

 

«Muito embora o vídeo-árbitro possa vir a ser utilizado para validar ou não golos, para analisar lances de possível penálti, decidir vermelhos directos e ainda confirmar se as punições disciplinares foram aplicadas aos jogadores certos, não pode ser utilizado para julgar a intensidade de uma falta ou a intencionalidade de uma mão na bola, pois o movimento em 'slowmotion' acaba por desvirtuar a avaliação».

 

Isto, para quem pensa que recorrer à tecnologia irá resolver tudo sobre decisões de arbitragem.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:03

 

vitoriavssporting.jpg

 

Confesso que não sei o que mais pode ser dito sobre esta modesta exibição do Sporting no Bonfim. Parece-me claro que com Jorge Jesus a apostar praticamente no mesmo onze que defrontou o Benfica - Campbell no lugar de Bryan Ruiz - e antes do «derby» no embate na Polónia contra o Légia Varsóvia, a equipa iria acusar algum desgaste e foi precisamente isso que aconteceu.

 

Para "complementar" esta disposição, Adrien Silva falhou mais uma grande penalidade, ainda com o guarda-redes setubalense a fazer uma excelente defesa na recarga, um erro grosseiro de Rúben Semedo que entregou o "ouro ao bandido", com Rui Patrício a salvar o golo, e ainda uma segunda intervenção crucial a remate na área de Ryan Gauld, o jovem escocês do Sporting emprestado ao Vitória de Setúbal.

 

bas_dost_e_zeegelaar_sporting_setubal_foto_miguel_

De resto, recorro ao mesmo "disco" que já se torna cansativo: os adversários do Sporting já têm a lição bem estudada e pela ausência de jogo pelo corredor central concentram-se nas alas, condicionando assim as manobras ofensivas dos comandos de Jorge Jesus. Recordo uma jogada de contra-ataque em que Gelson Martins teve tripla cobertura defensiva. Assim, vai ser sempre muito difícil para o Sporting.

 

Bas Dost marcou praticamente no único lance em que foi verdadeiramente servido e pouco mais surgiu em termos de oportunidades.

 

Sporting, Benfica, Chaves e Estoril, da I Liga, e Leixões, Covilhã e Académica, da II Liga, já estão apurados para os quartos de final.

Quarta-feira, 14 de Dezembro:


Leixões – Tondela, 2-1
Torreense – Chaves, 2-3
Estoril – Sanjoanense, 4-2 (a.p.)
Académica – Penafiel, 2-1
Real – Benfica, 0-3
SC Braga – Covilhã, 1-2
Vitória de Setúbal – Sporting, 0-1

Quinta-feira, 15 de Dezembro:


Vitória de Guimarães – Vilafranquense, 18 horas

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:03

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:18

 

img_770x433$2016_12_04_12_40_32_1192917.jpg

 

Em jogo da segunda jornada da 2.ª fase do Campeonato Nacional de iniciados, o Sporting recebeu e goleou o Vitória de Setúbal por 6-0, com destaque para o "hat-trick" de Tiago Tomás.


Numa primeira parte demolidora, os "leões" marcaram o primeiro golo aos 13 minutos por Bruno Tavares. Depois evidenciou-se Tiago Tomás, que marcou três golos em cinco minutos (aos 18', 20' e 23'). Ainda antes do intervalo, aos 32', Rodrigo Rêgo fez o 5-0. A segunda parte apenas contou com um golo, marcado por Leandro Gonçalves aos 53 minutos.

O Sporting é, assim, líder isolado na 2.ª fase da competição, com seis pontos, mais dois que Benfica e Barreirense, que empataram a zero no sábado.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:01

 

image.jpg

 

Jorge Jesus foi muito crítico da arbitragem da equipa liderada por Rui Costa no jogo deste sábado contra o V. Setúbal, nomeadamente sobre os golos (mal) anulados a Bas Dost e Sebástian Coates:

«Para mim, o Sporting ganhou 4-0, mas o que vale foi 2-0. Com dois golos limpinhos e realçar a grande primeira parte do Sporting. Depois [houve] os golos e o terceiro que nos anularam. Queiramos ou não, os jogadores ficam afectados psicologicamente porque eles têm olhos na cara e sabem perfeitamente que o golo foi legal. Isto desmotiva um pouco os jogadores do Sporting, porque para ganharmos temos de fazer cinco ou seis golos, não sei...

Toda a gente viu. Não vou pôr à frente os golos mal anulados, mas a qualidade do Sporting. Isso é que é factual - os golos também foram factuais.Uma grande primeira parte do Sporting, com dois golos com muita qualidade. Praticamente a equipa do V. Setúbal durante os 94 minutos não nos arranjou problemas defensivos. Controlámos sempre bem a equipa do V. Setúbal».

 

Não reitero os argumentos que escrevi na crónica do jogo, mas Jorge Jesus tem razão em se queixar das decisões que levaram à anulação dos golos de Bas Dost e Coates.

 

Além disso, como aliás também já escrevi, uma excelente primeira parte do Sporting, talvez o melhor futebol que praticou esta época. Controlou, penetrou, criou oportunidades e finalizou. Se conseguir manter este nível de jogo ao longo dos restantes meses da temporada, terá uma muito preponderante palavra a dizer no que a títulos diz respeito.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:33

 

15355649_10153953395216555_1187719510011320534_n.p

 

Jorge Jesus convocou 19 jogadores para o embate com o Vitória de Setúbal, sem surpresas. Douglas, depois de ter sido titular no jogo para a Taça da Liga, descansa hoje. Luc Castaignos, a contas com uma lesão, também ficou de fora. Jefferson e Petrovic serão mera opção técnica. Matheus Pereira regressou à equipa B. Ricardo Esgaio prepara-se para alinhar contra o Légia Varsóvia, no lugar do castigado João Pereira, e poderá entrar no onze inicial, tal como aconteceu contra o Arouca durante a semana, mas não surpreenderá ver o defesa mais experiente no relvado.

 

O onze inicial não deverá fugir à regra de Jorge Jesus:

 

Rui Patrício; Esgaio (João Pereira), Coates, Rúben Semedo e Marvin Zegeelaar, William Carvalho, Adrien Silva e Bruno César; Gelson Martins, Bryan Ruiz e Bas Dost.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:22

 

V_-Setúbal.jpg

 

Perante 43.327 espectadores para fechar a época em Alvalade, o Sporting realizou uma exibição de grande nível, coroada, merecidamente, pelos cinco golos de registo no marcador. Na realidade, grande mérito de Ricardo, guarda-redes do Vitória de Setúbal, que fez três ou quatro grandes defesas para evitar uma humilhação total.

 

O Sporting entrou no jogo muito forte, com muita determinação, deixando desde logo a ideia deveras clara que era sua intenção impor a sua superioridade sobre o adversário e resolver a contenda a seu favor, sem margem para dúvidas.

 

gelson_martins_foto_jose_sena_goulao_lusa1752970c.

Após dois bons remates nos minutos iniciais, Bryan Ruiz serviu Slimani, aos 17', para um potente remate deste e excelente defesa de Ricardo a evitar o golo. A equipa leonina continuou a exercer muita pressão e acabou por ser justamente premiada com um golo de pura classe de Gelson Martins, aos 25', novamente a passe de Bryan Ruiz, para inaugurar o marcador.

 

Minutos antes (aos 14'), Tiago Martins fez a sua decisão mais RIDÍCULA do jogo, ao mostrar cartão amarelo a Adrien Silva, num lance onde, na minha opinião, nem falta existe. Por consequência desta absurdidade, o «capitão» leonino vai falhar o último jogo da época (12.º amarelo) pela visita a Braga. Mais tarde, precisamente aos 65', Jorge Jesus fez sair do relvado Slimani, não tenho dúvidas algumas, pela (im)previsibilidade deste árbitro.

 

Não há nada a apontar aos jogadores leoninos neste encontro. O colectivo funcionou em pleno e a finalização que nos traiu noutros jogos esteve em plena eficácia neste desafio. Teo Gutiérrez marcou o segundo golo do Sporting, aos 37', a passe de William Carvalho. Gelson Martins - que nos deciliciou com os seus pormenores técnicos - marcou o seu segundo tento aos 55'. Bryan Ruiz com o seu quinto golo da Liga, aos 71', na execução de um livre claramente ensaiado, e novamente aos 90+2', de livre directo. O costa-riquenho registou uma bela exibição, uma das melhores da época.

 

761TSPOY.jpg

O Sporting mostrou muita qualidade, a razão de ser a equipa a praticar melhor futebol no campeonato português, mesmo sem João Mário em campo. A ausência do médio leonino foi uma enorme surpresa para todos. No momento que escrevo, ainda não ouvi ou li explicação alguma neste sentido e bem espero que não seja por lesão. Foi visto na bancada e mostrava boa disposição, o que poderá ser um bom sinal.

 

Mais uma vez ficamos à espera do resultado do clube da Luz, pela sua visita ao Marítimo, jogo a realizar-se amanhã.

 

wdiag.jpgimg_467x599$2016_05_08_02_32_24_1099315.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:49

 

stock-photo-59059946-stadium-and-dark-clouds.jpg

 

Um leitor já aqui referiu a iminente transferência de André Horta (Vitória de Setúbal) para o Benfica para a próxima época. Na realidade, não é novidade alguma, dado que admitimos essa forte probabilidade num post do dia 22 do corrente, relativamente à não utilização deste jogador e de outros três, todos usuais titularíssimos, pela visita da equipa do Bonfim ao clube da Luz. Para o efeito, eis a parte que é relevante desse post:

 

Nota-se uma situação semelhante que ocorreu pela recém-visita do Vitória de Setúbal ao Benfica, que não mereceu reparos. Por opção técnica, o treinador do clube do Bonfim deixou de fora os seguintes:

 

- André Horta: Jovem formado no Benfica e, segundo a imprensa, está a ser negociado a fim de regressar à Luz. Pelo V. Setúbal, esta época, regista 22 jogos como titular, 10 como suplente utilizado.

 

- Nuno Pinto: Defesa-esquerdo que esta época realizou 29 jogos como titular.

 

- Fábio Pacheco: Médio-defensivo com 28 jogos como titular, esta época.

 

- Costinha: Extremo com o registo de 23 jogos como titular e 6 como suplente utilizado.

 

Mesmo numa luta cerrada pela manutenção na I Liga, o treinador do Vitória de Setúbal optou por descansar Nuno Pinto, Fábio Pacheco e Costinha, alegadamente pelo registo disciplinar de 8 amarelos cada. Já esse cenário não é aplicável a André Horta, que regista apenas 6 amarelos, tornando-se óbvio, na minha opinião, que a tomada de decisão tem a ver única e exclusivamente com as negociações já nessa altura em curso, para fazer regressar o atleta ao Benfica.

 

Segundo o que está a ser noticiado esta sexta-feira, o negócio está fechado e André Horta é reforço dos "encarnados" a partir da próxima época. Terá assinado um contrato válido para as próximas cinco temporadas.

 

Esta temática veio a debate pela sensacionalista cobertura noticiosa que foi dada às opções de Norton de Matos, pela visita do União da Madeira a Alvalade. Curiosamente, alegando as mesmas razões que o técnico do V. Setúbal, à excepção, evidentemente, do caso de André Horta.

 

Se o interesse do Benfica em Horta é genuíno ou não, só o passar de mais algum tempo esclarecerá. A verdade é que se aproveitaram da ocasião e das circunstâncias para afastar do seu tão importante jogo aquele que é considerado um dos melhores, ou porventura até o melhor, activo do adversário dessa jornada.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:56

 

img_770x433$2016_04_02_17_14_08_1084157.jpg

 

O Sporting goleou este sábado o V. Setúbal por 7-1, em partida da 7.ª jornada da Série Sul da fase de apuramento de campeão do Campeonato de Juvenis.

 

Os golos leoninos foram marcados por Miguel Luís (2), Nuno Moreira (2), Tomás Silva, Umaro Baldé e Ruben Teixeira.


Com este resultado, e depois do Benfica ter empatado com o Belenenses, os jovens "leões" isolam-se na liderança da classificação, com mais 2 pontos do que as "águias".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:43

Contra a força não há resistência

Rui Gomes, em 07.01.16

 

GAqAajZ.png

 

Na realidade, escolhi o título do post ao intervalo do jogo no Bonfim, desconhecendo, obviamente, que o Sporting viria a marcar mais três golos nos seguintes quinze minutos. Não pretendo, com isto, ridicularizar o Vitória de Setúbal, mas o Sporting foi simplesmente muito forte para o seu adversário neste dia.

 

Y7AZ3BCZ.jpg

Jorge Jesus não surpreendeu com a sua escolha do onze inicial. Referimos no post sobre a convocatória que era expectável a integração de Bruno César de imediato. Que o médio brasileiro acabasse por fazer uma excelente estreia com dois belos golos, não estava, para ser sincero, nas minhas previsões. 

 

Um Sporting a jogar com muita confiança, compacto e muito bem posicionado no terreno. A defesa que defrontou o FC  Porto, no sábado passado, ficou intacta, tal como prevíamos, e esteve novamente impecável. A maior diferença no meio campo terá sido um William Carvalho muito mais activo, mais sobre o corte e quase sempre eficaz com a bola nos pés.

 

C12ZX2KG.jpg

Como já tive ocasião de observar em comentário, o Sporting alinhou praticamente sem extremos naturais, com Bruno César a cair mais para a ala esquerda e João Mário para a direita. Ambos, sempre que a oportunidade se apresentava, a fazer jogo pelo interior, em diagonal, e, na realidade, seus três golos surgiram em zonas frontais.

 

Seis golos, todos merecedores de destaque, com porventura a mais bela jogada a verificar-se no segundo tento de Slimani, aos 52', com João Mário a lançar Bryan Ruiz e o costa-riquenho a fazer um cruzamento perfeito para a cabeça do avançado argelino do Sporting.

 

Belos remates, para golo, de Bruno César assim como João Mário, uma extra dimensão ao jogo deste muito elegante médio leonino. Bom pormenor técnico de Aquilani, que foi servido por João Mário, para o sexto e último golo da partida.

 

Nada dava para prever esta goleada no Bonfim. Que aconteceu, é apenas e tão só por mérito do colectivo verde-e-branco, desde os técnicos aos jogadores. Bela exibição que garante a continuidade do Sporting no topo da tabela classificativa - agora com 4 pontos de vantagem sobre o FC  Porto, que empatou (1-1) com o Rio Ave - e mais um jogo de teórica elevada dificuldade, pela visita do SC Braga a Alvalade, no domingo.

 

wdiag.jpgimg_467x599$2016_01_07_02_56_24_1047637.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:11

Ingressos esgotaram em quatro horas

Rui Gomes, em 06.01.16

 

img_770x433$2016_01_05_17_04_25_1047020.jpg

 

Um número indeterminado de bilhetes para a visita do Sporting ao Vitória de Setúbal foram postos à venda esta terça-feira, em Alvalade, e esgotaram em cerca de quatro horas. 

 

Além do evidente interesse dos adeptos, note-se que estes ingressos custavam apenas 10 euros, enquanto os que estarão à disposição no Bonfim ficarão entre 12 e 36 euros.

 

Pelo grande entusiasmo das hostes leoninas de momento, é de esperar uma boa onda de apoio à equipa em Setúbal, neste muito importante jogo a contar para a 16.ª jornada da I Liga.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:36

 

11134150_10152707001006555_468663319860614059_n.pn

 

 Ao intervalo do jogo no Bonfim já tinha um título provisoriamente escolhido para o post "quando os golos aparecem, tudo se torna mais fácil". Mesmo reconhecendo que ainda faltavam 45 minutos para jogar, não estava a  contar com aquele golo tão madrugador (47') da segunda parte, em que a defesa do Sporting mais uma vez não esteve bem.

 

O Sporting tardou a entrar no jogo e durante  cerca de dez minutos o V. Setúbal demonstrou alguma superioridade, muito embora não tenha criado oportunidades de golo. O primeiro sinal de que a equipa leonina queria assegurar o controlo do jogo terá sido dado aos 12', com João Mário a ter uma boa oportunidade que o guarda-redes setubalense defendeu. Daí em diante o Sporting controlou as operações e vincou o seu favoritismo com dois excelentes golos: o primeiro, através de um belíssimo cabeceamento por Carlos Mané, aos 39', e o segundo, seis minutos mais tarde, com um remate letal do esquerdino Tanaka.

 

sporting-af90.jpg

  

As estatísticas, ao intervalo, demonstravam claramente a superioridade leonina: 58 por cento posse de bola, 91 passes contra 36, 16 ataques contra 7 e 11 remates contra os 3 do V. Setubal.

 

Duas novidades de relevo no onze inicial, com Oriol Rosell no lugar de William Carvalho e Junya Tanaka em substituição de Slimani. Não posso dizer que foi uma grande surpresa, dado que já constava que os dois jogadores estavam com algumas questões físicas. Já era esperado que Carlos Mané viesse a entrar para o lugar do suspenso Nani.

 

O golo no início da segunda parte permitiu à equipa do Bonfim entrar num jogo que não estava sob seu controlo, e entre um acréscimo de confiança, alguma displicência por parte do Sporting e a evidente incompetência - para não dizer pior - de Olegário Benquerença, as coisas complicaram-se desnecessariamente. O juiz começou bem cedo a exibir cartões, com dois a Tanaka (29') e Jefferson (31') e depois do primeiro a Ewerton, aos 60', que também acumulou o segundo amarelo e expulsão a Frederico Venâncio, surgiu o segundo ao defesa brasileiro leonino (64'), absolutamente ridículo e claramente com a intenção de compensar a primeira expulsão.

 

aa.jpg

 

Gostei muito da dinâmica do Sporting na primeira parte - como já referi, a partir dos 10 minutos - e lamento que não se lhe tenha dado continuidade no segundo tempo. Tanaka mais uma vez demonstrou que pode ser útil, o meio campo também esteve bem até o jogo se complicar e André Carrillo novamente a exibir toda a sua classe e quão importante é para a equipa, neste seu 150.º jogo de leão ao peito. Será potencialmente desastroso se não se conseguir a sua renovação.

 

Mais uma vitória, mais três preciosos pontos, para, pelo menos, garantir o 3.º lugar e a oportunidade de disputar a Liga dos Campeões, cada vez mais milionária. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:14

 

11146312_10152704618356555_8023283784767502761_n.p

 

A convocatória "oficial" de Marco Silva consta de 19 jogadores, com o nome mais em destaque a ser precisamente o que não está na lista: Cédric Soares.

 

Será por opção técnica do treinador ?... É possível, claro, mas sinto muito dificuldade em acreditar que seja. Até provas em contrário, nada nem ninguém me moverá da suspeita de que é mais um tomada de decisão do presidente, com chicote na mão, face à ainda não renovação do jogador. De titular indiscutível (28 jogos), passa para o banco, depois de cumprir um jogo de suspensão, e daí para a bancada. Só pode ser um modelo brilhante da nova gestão desportiva do Sporting, a exemplo do que foi feito com Jefferson, por outras razões, numa fase crucial da época. Neste contexto, surpreende que não faça o mesmo com Marcelo Boeck, Carrillo e André Martins, dado que também eles ainda não aderiram a uma prorrogação dos seus actuais vínculos contratuais que terminam em 2016.

 

Será, decerto, mais importante valorizar Miguel Lopes e o seu salário de um milhão de euros/ano !!!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:27

Convocatória para o V. Setúbal

Rui Gomes, em 29.11.14

 

4139_27b1850895a8069a2bbcaed4dcbad809.png

 

Nada de extraordinário na lista de 20 jogadores convocados por Marco Silva para o embate com o V. Setúbal. Apenas se verifica que MIguel Lopes foi incluído, em detrimento de Jonathan Silva. Com dois além do máximo permitido, é de esperar que o usual sacrificado Tanaka assista a mais um jogo da bancada, provavelmente com André Martins a fazer-lhe companhia. Sendo assim, creio que o onze do treinador será o seguinte:

 

Rui Patrício; Cédric Soares, Paulo Oliveira, Maurício e Jefferson; William Carvalho, Adrien Silva e João Mário; Nani, Carlos Mané e Slimani.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:04

 

 

O resumo do V. Setúbal 2 Sporting 2 pode ser visto aqui.

 

-  9 de Março de 2014  -

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:29

Desta vez nem o plano B não resultou

Rui Gomes, em 09.03.14

 

 
Bem... nem sei por onde começar a analisar este jogo realizado hoje no Estádio do Bonfim. Quer-me parecer que existem quatro vertentes de apreciação, a primeira das quais recai sobre as opções de Leonardo Jardim. Enquanto, nas circunstâncias, se aceita perfeitamente a titularidade de Slimani, já o mesmo não pode ser dito sobre Gerson Magrão, cuja explicação não é para meros mortais. A segunda vertente, a menor qualidade de jogo do Sporting, nomeadamente mais uma muito tardia entrada no jogo, com o V. Setúbal a criar todas as oportunidades de perigo durante os 20/25 minutos iniciais e mais do mesmo a iniciar a segunda parte. Na realidade, o Sporting só surgiu ameaçador sensivelmente aos 30 minutos, pelo golpe de cabeça de Slimani e o golo (mal) invalidado a Adrien Silva. A terceira vertente, é justo admitir, a qualidade do futebol da equipa do Bonfim, que evidencia estar a ser muito bem orientada por José Couceiro.
 
Segue-se, então, a quarta e mais polémica vertente: a arbitragem. Um dos árbitros auxiliares esteve em três dos lances cruciais do jogo: o golo incompreensivelmente mal invalidado a Adrien, que no momento que Slimani cabeceou estava sensivelmente um metro atrás da linha do último defesa; três minutos mais tarde, uma decisão correcta ao validar o golo do argelino, com a bola, na minha opinião, claramente a atravessar a linha da baliza e, finalmente, o mal validado primeiro golo setubalense - aos 51' - quando o avançado estava em posição irregular no momento de partida da bola e recuou para a receber. Temos, entretanto, o previsível 5.º amarelo a Maurício com um critério muito rigoroso, a bem assinalada grande penalidade por falta sobre Capel e instantes depois nova grande penalidade, desta vez contra o Sporting, por falta inexistente atribuída a Maurício, quando este desvia a bola com o pé sem cometer qualquer infracção.
 
Em última análise, apesar do bom rendimento de Slimani e o óbvio perigo que ele representa no jogo aéreo, continuo a insistir que não é um ponta de lança talhado para o 4x3x3. Além do mais, motiva a equipa a não desenvolver a construção ofensiva pela sua procura com bolas pelo ar. Dito isto, é cada vez mais evidente que o avançado é uma mais-valia para o Sporting.
 
Já comentei em uma outra ocasião a minha dificuldade em compreender a razão de ser Jefferson a marcar praticamente todos os livres perto da área. No último lance do jogo, precisamente numa zona frontal muito perigosa, novamente o inofensivo lateral brasileiro a rematar contra a barreira quando, pela posição no terreno, a marcação deveria ter sido por um pé direito, nomeadamente Fredy Monteiro. Para mim, mais um caso que não é para ser explicado por meros mortais.
 
Com estes dois pontos perdidos, a vitória do Benfica sobre o Estoril e o muito provável triunfo do FC Porto sobre o Arouca, qualquer ilusão sobre o título desapareceu e teremos agora de nos concentrar na grande luta que vai ser a disputa pelo segundo lugar.
 
Por fim, quase me esquecia de louvar a nossa "brilhante" gestão dos amarelos, cada vez mais evidente. Perdemos William Carvalho contra o Benfica e agora Maurício contra o FC Porto. Pelo positivo, uma grande oportunidade para Eric Dier, apesar do expectável grau de dificuldade desse jogo. 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:55

A convocatória para o V. Setúbal

Rui Gomes, em 08.03.14
 

 

Leonardo Jardim divulgou este sábado a lista dos 19 jogadores por si convocados para o encontro da 22.ª jornada, com o Vitória de Setúbal. Já hesito em recorrer ao termo "surpresa", mas há sempre algumas novidades com as opções semanais do treinador do Sporting.

 

Carlos Mané ficou de fora, como era de esperar, devido à lesão que sofreu na quarta-feira no jogo dos Sub-21; Iván Piris e Vítor Silva vão assistir ao jogo na bancada e, incompreensivelmente, para mim pelo menos, surge Welder de novo no lote dos convocados. Não considero injusto questionar qual é o propósito desta estratégia de ping-pong que está a ser utilizada com um jogador que se encontra no Sporting, por empréstimo, e que claramente não faz parte dos planos da equipa, presente ou futuro.

 

A novidade de maior relevo centra-se na chamada do extremo francês Ousmane Dramé, que um dos nosso leitores descreveu há dias como um dos piores em campo em um jogo da equipa B. Veremos se Leonardo Jardim pretende somente dar-lhe o estímulo para o fazer sentir parte da equipa ou se lhe vai proporcionar algum tempo de jogo. De qualquer modo, caso venha a pisar o relvado, será um experiência interessante para a maioria dos adeptos que o desconhece. Eis, então, o onze com que o treinador poderá iniciar mais um importante jogo para o Sporting:

 

Rui Patrício; Cédric Soares, Maurício, Marcos Rojo e Jefferson; William Carvalho, Adrien Silva e André Martins; Carrillo, Heldon e o regressado Montero.

 

Preferia ver Diego Capel em vez de Heldon, mas não creio que seja esse o pensamento do treinador, embora também seja plausível termos Wilson Eduardo como um dos extremos. Não obstante o recém-rendimento de Slimani, Fredy Montero regressará à sua posição no plano A, e o argelino entrará quando e se for necessário recorrer ao já conhecido plano B. No banco dos suplentes estarão Marcelo Boeck, Eric Dier, Gerson Magrão, Dramé, o referido Slimani e os dois extremos não titulares. Quero crer que Welder irá para a bancada.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:44

Betinho a caminho do V. Setúbal ?

Rui Gomes, em 24.01.14

 

A exemplo de Salim Cissé (Arouca) e João Mário (Vitória de Setúbal), há forte possibilidade de Betinho vir a ser emprestado - como aliás já comentámos aqui - e, muito indica, também à equipa liderada por José Couceiro. Muito embora ainda não haja confirmação da cedência por parte do Sporting, aparenta ser uma opção viável e que proporcionará uma excelente oportunidade ao jovem avançado leonino para jogar com regularidade na I Liga e trabalhar com um treinador que o conhece muitíssimo bem.

 

Como já escrevi em diversas ocasiões, não sou a favor dos regulamentos que permitem empréstimos dentro da mesma competição - pelo potencial para conflitos de interesses em que o futebol português é fértil - que, no caso dos três jogadores aqui citados, acaba por ter a mesma disposição, embora a transição seja da II para a I Liga.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:18




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo