Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Gil Vicente 2 - Sporting B 2

Leão Zargo, em 19.02.17

 

 

O Sporting B empatou em Barcelos, com o Gil Vicente, no primeiro jogo sob a orientação técnica de Luís Martins. De realçar que os jogadores leoninos recuperaram duas vezes da desvantagem no marcador e que os gilistas não perdem há seis jogos consecutivos. André Geraldes voltou a ser titular.

 

O Gil Vicente entrou melhor na partida. Equipa mais serena e mais experiente, conseguiu algum domínio logo a partir do apito inicial e marcou aos 11 minutos, por Paulinho. Um golo relativamente cedo foi derrota quase certa em jogos anteriores do Sporting. Mas, os leões reagiram e serviram-se da sua maior qualidade técnica para criar algum perigo, embora mais através de rasgos individuais do que pelo jogo colectivo. Foi assim que Gelson Dala empatou aos 39 minutos.

 

Em cima do intervalo, a equipa de Barcelos passou outra vez para a frente do marcador. O árbitro assinalou grande penalidade a castigar uma mão na bola de Ivanildo Fernandes e Hugo Firmino não perdoou.

 

A segunda parte pertenceu, essencialmente, ao Sporting. Os jogadores leoninos entraram melhor, melhor organizados, mais concentrados, dominaram a equipa adversária e restabeleceram a igualdade através de um excelente remate de Rafael Barbosa, aos 70 minutos. E podiam ter alcançado a vitória, pelo menos, em duas ocasiões. Talvez fosse merecida pela superioridade que revelaram nos segundos quarenta e cinco minutos. 

 

Com este empate em Barcelos, o Sporting continua classificado na penúltima posição, com 28 pontos. Na próxima jornada, prevista para 5 de Março, o Desportivo das Aves, 2º classificado, desloca-se à Academia de Alcochete.   

 

Ficha de jogo:

 

Campeonato de 2ª Liga (28ª jornada)

Gil Vicente 2 - Sporting B 2

Estádio Cidade de Barcelos, 19 de Fevereiro de 2017

 

Gil Vicente: Vozinha, Ricardinho, L. Eduardo, Sandro, Reko, Aplhonse, Aguinaldo, Floro, Firmino, Paulinho e Pedro Marques

 

Treinador: Álvaro Magalhães

 

Golos: Paulinho (11m) e Pedro Firmino (45m)

 

Sporting B: Pedro Silva, André Geraldes, Kiki, Pedro Delgado, Empis, Gelson Dala, Fernandes, Bubacar, Guima, Leonardo e Rafael Barbosa

 

Treinador: Luís Martins

 

Golo: Gelson Dala (39m) e Rafael Barbosa (70m)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:21

Fotografia com história dentro (34)

Leão Zargo, em 19.02.17

 

Osvaldo Silva, Fraguito e Rui Paulino.jpg

 

Fraguito em Alvalade

 

Samuel Fraguito é um dos grandes atletas da história do Sporting, um centro campista invulgar que jogou de leão ao peito entre 1972 e 1981. Um jogador completo, muito tecnicista, bastante combativo e com uma visão de jogo notável. Pressionava muito os adversários e imprimia grande velocidade ao futebol leonino. Um extraordinário jogador de equipa, cuja carreira foi muito condicionada por graves lesões, sendo sete vezes operado aos joelhos.

 

A fotografia refere-se ao Verão de 1972, numa das primeiras vezes em que foi a Alvalade, e conversa com o técnico Osvaldo Silva e Rui Paulino, antigo companheiro no Boavista. Aos 19 anos, Fraguito tinha sido apanhado no meio de uma tempestade. É ele que conta:

 

“Foi uma enorme confusão em que me meti. Primeiro, assinei pelo Belenenses, quando fui para a tropa em Lisboa. Eles disseram-me que me livravam de ir para o Ultramar e convenceram-me a assinar. Mas o meu passe ainda era do Boavista, que me vendeu ao Sporting. Tinha contrato por dois clubes e na altura até tive medo de ser irradiado. Acabei por ter sorte a apanhar apenas um mês de castigo e jogar no meu clube do coração.”

 

Fraguito participou em 201 jogos oficiais, marcou 21 golos, foi duas vezes Campeão Nacional e conquistou por três vezes a Taça de Portugal. Estreou-se no Sporting com uma vitória nas Antas (1-0), em 11 de Setembro de 1972.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:43

Sporting B 1 – Varzim 2

Leão Zargo, em 15.02.17

 

WDW8o0O6.jpg

 

O Sporting B foi derrotado pelo Varzim na Academia de Alcochete (1-2). Prossegue a série de maus resultados, agora são doze jogos sem vencer. Depois da partida com o União da Madeira, em 23 de Novembro de 2016, a equipa leonina B não conseguiu uma vitória.

 

Este jogo, frente aos poveiros, repetiu cenários anteriores: erros defensivos, inconsistência ofensiva e falhanços em momentos cruciais do jogo. Em Fevereiro a equipa ainda não possui um modelo de jogo e, por isso, as dinâmicas individuais não se inserem num padrão organizativo colectivo. Não existindo um modelo de jogo o comportamento dos jogadores torna-se incoerente e ineficaz. Entre outras razões, o facto de terem sido utilizados 38 jogadores em 27 jogos explica muito do que se passa.

 

Como já se verificou com frequência anteriormente, a equipa adversária adiantou-se no marcador, com muito esforço o Sporting conseguiu igualar o marcador e, depois, não aguentou a pressão e acabou por perder o jogo. O futebol é um jogo imprevisível, mas quando o padrão organizativo é inconsistente torna-se difícil conseguir o sucesso. Por muito que se deseje.  

 

16729322_1325410897502724_4991711563895210615_n.jp

 

Pensa-se nisso quando se observa o segundo golo poveiro depois de uma falha defensiva leonina. Ou quando Ronaldo Tavares perde uma oportunidade soberana para empatar aos 71 minutos. Não conseguiu o golo precioso e perdeu-se a possibilidade de recuperação no marcador.

 

O Sporting B encontra-se numa posição absolutamente precária na tabela classificativa. Em penúltimo lugar, abaixo da linha de água, com 27 pontos. As equipas posicionadas nos quatro últimos lugares descem de divisão. Os dois lugares acima disputam um play-off.

 

Na próxima jornada, a 19 de Fevereiro, os leões deslocam-se a Barcelos para defrontar o Gil Vicente.

 

 

Ficha de jogo:

 

Campeonato da 2ª Liga (27ª Jornada)

Sporting B 1 – Varzim 2

Stadium Aurélio Pereira, 15 de Fevereiro de 2017

 

Sporting B: Pedro Silva; André Geraldes, Demiral, Kiki (Pedro Delgado, 70m), Abdu Conté; Jovane, Francisco Geraldes, Guima; Gelson Dala, Leonardo Ruiz (Ronaldo, 60m) e Bilel Aouacheria (Rafael Barbosa, 46m)

 

Treinador: João de Deus

 

Golo: Leonardo Ruiz (55m)

 

Varzim: Paulo Vítor; Jean Filipe, Sandro, Jeferson e Delmiro; Estrela, Leonel Olímpio e Nelsinho; Rui Costa (Agra, 83m), Cephas Malele (Eder, 99m) e Coentrão (Chikhaoui, 77m)

 

Treinador: João Eusébio

 

Golos: Cephas Malele (24m) e Rui Costa (65m)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:37

Fotografia com história dentro (33)

Leão Zargo, em 12.02.17

 

Sporting 5 Manchester 0 1964.jpg

 

Labirintos da memória

 

As fotografias sobre futebol, e elas são tantas e tão diversas, fazem parte do imaginário dos adeptos. Principalmente, quando se referem a um determinado jogo, a uma equipa ou a um atleta que preenchem esse imaginário. É o caso do Sporting 5 – Manchester United 0, disputado em 1964, que se tornou num ponto de encontro entre diferentes gerações de sportinguistas.

 

Nesta fotografia desse jogo, o que é determinante não é propriamente a "coisa" que lá está, mas o "olhar" que cada um lança sobre ela, a "coisa". E esse "olhar" subjectivo, pessoal, resulta da relação entre os sinais do que está fotografado e os labirintos da memória do observador. Mesmo se a bola corre inevitavelmente para a baliza adversária.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:56

 

Fotografia Rodney Smith.jpg

 

Por estes dias o jornal Record, o órgão oficioso da candidatura de Bruno de Carvalho à presidência do Sporting, encarrega-se de apresentar aos sportinguistas o que será a filosofia da estrutura do futebol do Clube em 2017-18. Uma mudança de alto a baixo. Promete-se um novo paradigma para o Departamento e para a constituição do plantel. O que ontem era verdade, hoje é mentira. Pelos vistos, chegou a altura de recolher o jogo, baralhar as cartas e voltar a distribuir.

 

A proximidade do acto eleitoral obrigou Bruno de Carvalho a mudar a linha de rumo. A fanfarrice de que “os rivais tremem todos os dias” e a promessa do título de Campeão Nacional pertencem ao passado. Ainda estamos em Fevereiro e já se sabe que o balanço desta época será calamitoso. No século XXI, só a época desportiva de 2012-13 é que pode ser considerada pior do que aquela que ainda decorre. Em breve saber-se-á se 2016-17 constitui um fracasso maior do que 2003-04.

 

A avaliação de Pedro Madeira Rodrigues à gestão do futebol do Sporting coloca o dedo na ferida. Foi assertivo quando denunciou a “deriva despesista” do actual presidente que duplicou o orçamento para não se ganhar nada. Foi verdadeiro quando recordou que em mais de cem contratações em quatro anos talvez se tenha acertado em apenas dez e que a conversa sobre “contratações cirúrgicas” foi uma espécie de poeira para iludir. Foi contundente quando afirmou que não se pode dizer que se vai ganhar quando não se está preparado para isso. Fez bem em recordar que a gestão da pasta do futebol implica saber vetar ou aprovar conforme a realidade e as circunstâncias.

 

O estado de alerta permanente e o prolongamento da conflitualidade por um período de tempo que não se supunha possível, associados a um modelo de gestão casuístico e incompetente, tiveram consequências nefastas. Quando se vai à guerra com pouca sapiência é certo que muita coisa pode correr mal. Nem a cassete que Bruno de Carvalho traz sempre consigo e o delírio verbal permanente disfarçam as consequências da sua incompetência.

 

 

(Fotografia de Rodney Smith)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:05

Vizela 2 – Sporting B 1

Leão Zargo, em 10.02.17

 

20244284_YRIvY.jpg

 

A equipa leonina B arrasta-se penosamente nos campos da II Liga de Futebol. Ontem, em jogo antecipado da 26.ª jornada, foi derrotada em Vizela por 2-1. É urgente alterar o rumo dos acontecimentos.

 

O jogo começou da pior maneira para os leões. Aos 35 segundos já perdiam por 1-0. A equipa acusou o golo, o Vizela podia ter aumentado a vantagem e foi o guarda-redes Pedro Silva em duas ocasiões (10 minutos e 23 minutos), que o impediu. O Sporting criou perigo na baliza minhota só aos 42 minutos, numa boa jogada de envolvimento atacante, mas Gelson Dala não conseguiu concretizar.  

 

O Sporting B assumiu o controlo do jogo na segunda parte, obrigou o Vizela a jogar mais longe da sua grande área e aos 56 minutos quase empatou. O guarda-redes vizelense opôs-se com uma oportuna palmada a um cruzamento tenso de Bubacar que por pouco dava em golo. No entanto, aos 73 minutos, Felipe Augusto foi derrubado na área por Ivanildo e o árbitro assinalou grande penalidade. Luís Ferraz fez o 2-0.

 

Até ao final do jogo os leões apenas ameaçaram por Gelson Dala aos 80 minutos e quando Bilel reduziu a um minuto do fim faltou tempo e discernimento para evitar a derrota. O relvado muito pesado prejudicou a equipa sportinguista, mas os jogadores do Vizela poderão queixar-se do mesmo.

 

Com esta derrota, o Sporting permanece na zona de despromoção. Está no 20.º e antepenúltimo lugar, com 27 pontos. Na próxima jornada, o Varzim, 5º classificado, desloca-se a Alcochete.   

 

No final do jogo, o técnico João de Deus fez a seguinte declaração: “Voltámos a sofrer um golo muito cedo, como tem acontecido nos jogos fora de casa. Isso complica tudo aquilo que é o trabalho e a estratégia semanal. Ainda assim, conseguimos ter um rendimento meritório. É com estes jogadores que temos de inverter esta tendência. Resta-nos continuar a trabalhar arduamente, acreditar que este período irá virar. Este ano, temos uma equipa muito jovem que, ao mínimo deslize, é penalizada. Há que fazer com que estes miúdos cresçam na competição.”

 

Ficha de jogo:

 

Campeonato de 2ª Liga (26ª jornada)

Vizela 2 - Sporting B 1

Estádio do FC Vizela, Vizela, 9 de Fevereiro de 2017

Árbitro: Hélder Malheiro (AF Lisboa)

 

Vizela: Pedro Albergaria, João Pedro, Miguel Oliveira, João Cunha, Kouao, Alex Porto, Lamelas, Luís Ferraz, Helinho (Dani, 67), Tiago Martins (Felipe Augusto, 72) e Prince (Fortes, 59)

 

Treinador: Rui Quinta

 

Golos: Helinho (1m) e Luís Ferraz (74m)

 

Sporting B: Pedro Silva, Bruno Paz, Ivanildo (Almeida, 87), Demiral, Bubacar (Leonardo, 56), Guima, Rafael Barbosa, Abdu, Jovane, Bilel e Gelson Dala

 

Treinador: João de Deus

 

Golo: Bilel (89m)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:28

Sporting B 1 – Famalicão 1

Leão Zargo, em 05.02.17

 

16472818_1412545395453587_7985581277304241820_n.jp

 

O Sporting B recebeu hoje à tarde o Famalicão em Alcochete e não foi além de um empate (1-1). Na equipa leonina destacou-se a estreia do defesa turco Merih Demiral e a inclusão de quatro juniores (Abdu Conté, Bruno Paz, Jovane Cabral e Bubacar Djaló) logo de início.

 

O Sporting entrou bem no jogo, de tal forma que aos 5 minutos já vencia com um golo de Gelson Dala. Bilel colocou a bola no angolano que, isolado, rematou cruzado para o fundo da baliza de Victor Braga. Algum tempo depois, o famalicense João Mendes não conseguiu marcar apesar de uma má saída do guarda-redes sportinguista.

 

Aos 36 minutos verificou-se a expulsão de Nera, com cartão vermelho, em virtude de entrada violenta sobre Jovane. Logo a seguir a equipa da casa podia ter marcado de novo, mas Pedro Delgado, em boa posição, permitiu a defesa do guarda-redes.

 

16426018_1412545495453577_2433753743843532013_n.jp

Apesar da sua desvantagem numérica, a equipa famalicense chegou ao empate aos 55 minutos. Diogo Cunha marcou um livre na esquerda, a bola cruzou a área leonina e entrou na baliza de Azbe Jug depois de bater no poste. Até final do jogo, os leões não conseguiram marcar o golo que permitiria a vitória.

 

Com este resultado, o Sporting B ficou com 27 pontos e em 20º lugar da classificação. A equipa continua em lugar de despromoção e não consegue vencer um jogo desde 23 de Novembro de 2016. O estreante Merih Demiral mostrou bastantes qualidades. Na próxima jornada, em 11 de Fevereiro, a equipa de João de Deus desloca-se ao terreno do Vizela.

  

Ficha de jogo:

 

Campeonato da 2ª Liga (25ª Jornada)

Sporting B - Famalicão

Stadium Aurélio Pereira, 5 de Janeiro de 2017

Árbitro: Tiago Antunes (AF Coimbra)

 

Sporting B: Azbe Jug, Abu, Bruno Paz, Ivanildo Fernandes, Merih Demiral, Guima, Pedro Delgado (Ronaldo Tavares, 57), Bubacar Djaló (Rafael Barbosa, 68), Bilel, Jovane e Gelson Dala (Leonardo Ruiz, 72) 

 

Treinador: João de Deus

 

Golo: Gelson Dala (5m)

 

Famalicão: Victor Braga, Joel, Nera, Vilaça, Nuno Diogo, Mércio (Feliz 80), Perre, Diogo Cunha (Fred 73), Daniel, Mendes e Tozé Marreco (Gevaro, 90+2)

 

Treinador: Fernando Santos

 

Golo: Diogo Cunha (55m)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:25

Fotografia com história dentro (32)

Leão Zargo, em 05.02.17

 

SCP 3 SLB 0 TP 1976-77 Manoel e Bento.jpg

 Manoel e Bento no Sporting-Benfica para a Taça de Portugal, em 1977

 

 

ManOOOel

 

 

Manoel da Silva Costa chegou a Alvalade na segunda metade da década de 1970 para substituir o inesquecível Yazalde. Não era um goleador como o Chirola. Também não era um jogador que vivesse da surpresa, como Manuel Fernandes, da imprevisibilidade, como Keita, ou da magia, como Jordão. Mas, foi um jogador vibrante e explosivo, possante e bravo, intenso como hoje se diz, que colocava uma energia invulgar em cada lance que disputava. Punha a cabeça onde muitos não colocavam o pé e auxiliava sempre o meio campo defensivo. Era o tipo de jogador que nunca se escondia do jogo.

 

Recordo-me, sempre com um sorriso, de um remate violentíssimo de Manoel que estourou no cimento da Bancada Norte. Chutou para onde estava virado, mas fiquei a pensar o que seria o resultado daquilo nas luvas do guarda-redes. Os sportinguistas jamais esquecerão ‘Manoel do Ó’ naquela tarde de sonho de Março de 1977 quando marcou três golos ao rival Benfica num jogo para a Taça de Portugal, no Estádio de Alvalade. No dia seguinte, “ManOOOel” foi o título do jornal A Bola.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 15:02

 

SCP 1906.jpg

 

A Sporting SAD é uma sociedade anónima desportiva constituída com o objectivo de desenvolver as actividades relacionadas com o futebol profissional, anteriormente realizadas pelo Sporting Clube de Portugal. Os sócios do Sporting tendo poder sobre o Clube, não têm directamente sobre a SAD. Ou melhor, os sócios podem influenciar as decisões da Sociedade desde que o Clube tenha a maioria do capital e dos direitos de voto na Sporting SAD.

 

A perda pelo Sporting do controlo da Assembleia Geral da Sociedade gestora do futebol profissional constituiria para muitos sportinguistas uma alteração dramática da natureza do Clube como sempre o conheceram e o imaginaram. E, para além da identidade leonina, poria também em causa a capacidade dos sócios intervirem em aspectos cruciais da política decisória do Sporting.

 

Bruno de Carvalho, nas eleições de 2013, assumiu o compromisso de manter a maioria do Clube na SAD, fez constar esse propósito no seu programa eleitoral e reivindicou para si a condição de ser o único candidato à presidência com essa posição inequívoca. Muitos sportinguistas sublinharam que, enquanto ele parecia firme nesse propósito, José Couceiro assumiu uma atitude ambígua.

 

Entretanto, Bruno de Carvalho substituiu a firmeza na abordagem da questão da maioria na Assembleia Geral da SAD por um discurso vago e de circunstância. No seu mandato não criou condições objectivas para garantir essa maioria. Há quem olhe para a presença de José Maria Ricciardi na lista de Bruno de Carvalho e fique preocupado com o que se vai passar em 2026 quando se verificar a conversão dos títulos de dívida (VMOC’S) em acções da SAD.

 

Pedro Madeira Rodrigues assumiu um compromisso público com os sportinguistas ao anunciar que cativará quatro milhões de euros por ano para fazer face ao pagamento das VMOC’s. Isto é, considera essencial que o Sporting-Clube mantenha a maioria e o controlo na Sporting-SAD. E que neste aspecto importantíssimo o Sporting Clube de Portugal deve permanecer como sempre o conhecemos. Senhor do seu destino.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:06

Fotografia com história dentro (32)

Leão Zargo, em 29.01.17

 

 Oceano FCP-SCP 1995.jpg

 

Quando Oceano foi à baliza

 

FC Porto e Sporting encontraram-se nas Antas, em 23 de Agosto de 1995, para o jogo da 2ª mão da final da Supertaça. Aos 82 minutos de jogo, o defesa Naybet fez falta sobre Domingos… mas, o árbitro António Rola expulsou o guarda-redes Costinha. O treinador Carlos Queirós mandou Oceano para a baliza.

 

A verdade é que Oceano não sofreu nem sequer um golo e perto do final do jogo fez uma defesa a um remate de fora da grande área. Com ironia, alguns sportinguistas disseram que deu maior confiança do que Costinha. E redimiu-se da grande penalidade que cometeu aos 53 minutos por rasteirar o portista José Carlos.

 

Houve empate nos dois jogos, 0-0 em Lisboa e 2-2 no Porto, e a Supertaça decidiu-se numa finalíssima no Parque dos Príncipes, em Paris, que os leões venceram (3-0). Nesta finalíssima, Oceano voltou a jogar na sua posição habitual de médio defensivo, mas ficou para a história o dia em que nas Antas calçou as luvas de guarda-redes.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:09

Fafe 2 – Sporting B 0

Leão Zargo, em 28.01.17

 

16298743_1235606363161510_1729036168455587105_n.jp

 

O Sporting B foi derrotado por 2-0 na deslocação a Amarante para defrontar o Fafe. Com este resultado, a equipa B desceu para o 20.º lugar, o antepenúltimo da classificação, em zona de descida de divisão.

 

O Fafe assumiu desde logo o controlo da partida e praticamente começou o jogo ganhar. Amorim Samu marcou aos 3 minutos e Dmytro Lytvyn aos 16 minutos, o que permitiu à equipa fafense fazer uma gestão atenta do marcador. Os leões procuraram remar contra a maré, mas quase sem criar perigo para a baliza de Ricardo Fernandes.

 

O Sporting B entrou melhor na segunda parte, foi sempre mais perigoso, podia ter reduzido a desvantagem, mas as jogadas terminavam sempre nas mãos do guarda-redes ou a bola perdia-se pela linha de fundo. O Fafe, estrategicamente defensivo durante os segundos 45 minutos, limitou-se quase a jogar no seu meio campo e isso acabou por ser o suficiente para garantir a conquista dos três pontos.

 

A situação classificativa do Sporting B tornou-se deveras preocupante, exigindo um grande esforço de superação, pois o perigo de descida de divisão é real. Na próxima jornada, em 5 de Fevereiro, os leões recebem o Famalicão em Alcochete.

 

Ficha de jogo:

 

Campeonato de 2ª Liga (24ª jornada)

Fafe 2 - Sporting B 0

Estádio Municipal de Amarante, 20 de Janeiro de 2017

Árbitro: Carlos Macedo (AF Braga)

 

Fafe: Ricardo Fernandes, Vasco Cruz, Materazzi, Dmytro Lytvyn, Reinildo, Ricardo André, Landinho, Amorim Samu (Edmund Hottor, 88), Digas, Evandro (Pedro Pereira, 57) e Alan Júnior (Oliver Sarkic, 78)

 

Treinador: António Dias da Silva ‘Tonau’

 

Golos: Amorim Samu (3m) e Dmytro Lytvyn (16m)

 

Sporting B: Pedro Silva, Kiki Kouyaté, Ivanildo Fernandes, Pedro Empis, Abdu Conté, Pedro Delgado, Budag Nasyrov, Ary Papel, Gelson Dala (Leonardo Ruiz, 56), Bilel Aouacheria (David Sualehe, 71) e Ronaldo Tavares (Fábio Martins, 46)

 

Treinador: João de Deus

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:54

 

Sporting (3).jpg

 

Apesar do descalabro da época desportiva da equipa principal de futebol e das sérias reservas quanto à saúde financeira do Sporting, a verdade é que Bruno de Carvalho ainda parece navegar em águas relativamente seguras. Por estes dias, ele contradiz quase tudo o que afirmou no Verão passado e é evidente a todos que o seu plano para esta época fracassou completamente. No entanto, consegue transmitir a convicção de que a responsabilidade decorre sempre dos outros, raramente ficando chamuscado.

 

Um dos equívocos que os sportinguistas críticos da actual gestão frequentemente cometem é o de procurar raízes ou razões na acção de Bruno de Carvalho. Na verdade, ele já denunciou Ricciardi, acusou antigos dirigentes, cumprimentou Filipe Vieira, invectivou Pinto da Costa, processou sócios, ridicularizou Jorge Jesus, caluniou Manuel Fernandes, elogiou Pedro Proença… Isto é, ele diz e desdiz-se, faz e desfaz, no entanto passa sempre por entre os pingos da chuva. Nele, a incoerência e a inconsistência são como que uma segunda pele.

 

Como o seu discurso efectivo se baseia num misto de meias verdades com verdades e mentiras em doses adequadas, tudo permitido pela poeira do tempo e pela fraca memória, dizendo apenas o que lhe interessa, espalhando suspeições, recorrendo à emoção e à revolta, consegue sempre elevada audição e eficácia discursiva. Inúmeros sportinguistas desiludidos com a realidade competitiva do Clube revêem-se no seu estilo truculento e na sua promessa de os resgatar de mil humilhações passadas.

 

Uma estratégia essencial em Bruno de Carvalho é o imediatismo mediático e palavras cheias de nada. Por exemplo, as palavras "exigência" e "transparência" têm nele um significado vazio e deprimente. Mas, continua a usá-las sem corar de vergonha. A actual presidência chega a parecer um 'reality show'. No entanto, ao apresentar-se como o paladino da rebelião contra a chamada elite leonina, ao mesmo tempo que integrava parte dela na sua "Comissão de Honra", conseguiu fazer a quadratura do círculo.

 

Pedro Madeira Rodrigues já sentiu na alma o estado de espírito sportinguista. É evidente que possui coragem física e emocional, convicção e pergaminhos leoninos, conhecimento e seriedade. E possui um programa para o Sporting e uma equipa para o levar a cabo. Mas, já percebeu que as regras habituais não se aplicam a Bruno de Carvalho e a única previsão que se lhe aplica é que ele é imprevisível.

 

Chegado aqui, Pedro Madeira Rodrigues precisa de lutar ainda mais no próprio terreno do seu antagonista, de mostrar que é capaz de agir e de decidir conforme as circunstâncias. Rápido e incisivo, preciso e objectivo. Focado no que é essencial, dinâmico na intervenção. Que suscite esperança, que provoque emoção. Quando conseguir isto estará mais perto de se tornar no factor positivo e inevitável para a mudança necessária no Sporting.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:05

Sporting B 1 – Sporting da Covilhã 1

Leão Zargo, em 23.01.17

 

16142600_1176264729156257_5027402019790847129_n.jp

 

Sporting B e Sporting da Covilhã defrontaram-se esta tarde na Academia de Alcochete, em partida da 23ª jornada da II Liga. O jogo terminou empatado (1-1).

 

Os jogadores leoninos entraram decididos a alterar a série negativa de jogos. Aos 16 minutos Bubacar quase que marcou um grande golo com um remate de primeira, mas a bola passou ligeiramente por cima da baliza de Igor Rodrigues. Seria estupendo. Minutos depois, o reforço Gelson Dala estreou-se a marcar. Pedro Delgado cruzou rasteiro para o remate certeiro do angolano, de primeira e com o pé esquerdo. O mesmo jogador esteve perto de bisar pouco antes do apito para o intervalo.

 

A equipa da Covilhã voltou do intervalo à procura do empate, mas os da casa nunca descuraram a baliza adversária. Aos 62 minutos aconteceu o empate, através de uma grande penalidade convertida por Erivelto. Até ao final da partida ambas as equipas podiam ter marcado, sendo os leões da serra os mais perigosos. Pedro Silva esteve sempre muito atento nesta fase do jogo.  

 

Com este empate, o Sporting B fica em 18º lugar com 26 pontos, nos lugares que dão acesso ao ‘playoff’ de manutenção. Na próxima jornada os leões deslocam-se a Fafe para defrontar a equipa local.

 

 Drible extraordinário de Gelson Dala

 

Ficha de jogo:

 

Campeonato da 2ª Liga (23ª Jornada)

Sporting B 1 – Sporting da Covilhã 1

Stadium Aurélio Pereira, 23 de Janeiro de 2017

Árbitro:  Anzhony Rodrigues (AF Madeira)

 

Sporting B: Pedro Silva, Pedro Empis, Kiki, Ivanildo Fernandes, Abdu Conté, Guima, Pedro Delgado (Jovane, 74), Gelson Dala, Budag, Ary Papel e Ronaldo Tavares

 

Treinador: João de Deus

 

Sp. Covilhã: Igor Rodrigues, Gilberto, Zarabi (Zé Pedro, 81), Joel, Mike, Djikiné, Diarra, Pintassilgo (Onyeka, 45), Harramiz, Medarious e Erivelto (Luís Pinto, 78)

 

Treinador: António Gouveia

 

Golos: Gelson Dala (24m) e Erivelto (62m)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:47

Fotografia com história dentro (31)

Leão Zargo, em 22.01.17

 

 Lar do Jogador Sporting 1962.jpg

 

O Lar do Jogador

 

 

O Sporting profissionalizou a sua estrutura do futebol no decurso da década de 1950. Foi uma decisão inevitável que decorreu da evolução do desporto-rei e das exigências competitivas que este implicava. Os contratos de trabalho com os jogadores e os técnicos, o regulamento interno do Clube e os estágios antes dos grandes jogos constituíram a parte da face visível da nova realidade.

 

O processo de profissionalização realizou-se sem pôr em causa a filosofia olímpica e eclética que Salazar Carreira identificou como sendo uma das matrizes do Sporting. Construíram-se infraestruturas indispensáveis, de que o Estádio de Alvalade inaugurado em 1956 era o ‘ex-libris’. O Lar do Jogador também desempenhou um papel importante na concretização do projecto.

 

A fotografia refere-se ao Lar do Jogador, em 1962. Osvaldo Silva tinha sido contratado e tomava a primeira refeição com alguns dos novos companheiros de equipa. Reconhecem-se José Monteiro, à esquerda, e Osvaldo Silva, Mascarenhas e Figueiredo, à direita.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:50

A realidade do Sporting B

Leão Zargo, em 17.01.17

 

20191463_OzeCj.jpg

 

O programa eleitoral de Bruno de Carvalho, “Sporting no coração, confiança no futuro” (2013), realçava que “a existência de uma equipa B é de enorme importância para o desenvolvimento sustentado e servirá de ponte entre o futebol júnior e o futebol sénior. Utilizando as mesmas metodologias, práticas, organização e sistemas de jogo que a equipa sénior profissional, os jovens que integram a equipa B estarão aptos a integrar a equipa principal, seja em caso de necessidade, seja por mérito próprio, fruto do desempenho pessoal.”

 

Nada disto se verifica actualmente. Na realidade, não existe um projecto para a equipa B, não há um planeamento a médio prazo, tudo decorre de uma visão economicista e casuística. Tomam-se decisões de acordo com o contexto, com as oportunidades que surgem, com o que parece adequado em determinado momento. Não é visível qualquer articulação com a equipa principal.

 

A classificação do Sporting B na II Liga é péssima, a equipa leonina não consegue vencer um jogo desde 23 de Novembro, quando derrotou o União da Madeira. Depois dessa partida, sofreu cinco derrotas e um empate, ou seja, conseguiu um ponto em dezoito pontos possíveis. Mas, ainda pior será o cepticismo quanto há possibilidade de alguns jogadores da B integrarem o plantel principal nos próximos meses.

 

No Portimonense-Sporting do passado domingo, vestiram a camisola leonina os atletas Pedro Silva, Pedro Empis, Guilherme, Kiki, Abdu, Aouacheria, Gelson Dala, Bubacar, Delgado, Ary Papel e Ronaldo. Budag substituiu Bubacar aos 30 minutos e Pedro Marques entrou aos 73 minutos para o lugar de Aouacheria.

 

Verificando o ano do vínculo desportivo ao Sporting de cada um destes treze jogadores, constata-se o seguinte:

 

Pedro Silva desde 2010-11 (iniciados)

Pedro Empis desde 2010-11 (iniciados)

Guilherme Ramos desde 2012-13 (juvenis)

Kiki Kouyaté desde 2016-17

Abdu Conté desde 2011-12 (iniciados)

Bilel Aouacheria desde 2016-17

Gelson Dala desde 2016-17

Bubacar Djaló desde 2011-12 (iniciados)

Pedro Delgado desde 2010 a 2012 e 2016-17

Ary Papel desde 2016-17

Ronaldo Tavares desde 2013-14 (juvenis)

Budag Nasyrov desde 2016-17

Pedro Marques desde 2016-17

 

Isto é, dos treze jogadores sportinguistas que defrontaram o Portimonense, apenas seis fizeram o seu percurso formativo na Academia de Alcochete, seis foram contratados em 2016-17 e um começou a formação na Academia, esteve noutros clubes durante quatro anos e regressou no início desta época.

 

Estamos perante uma situação de grave descaracterização da equipa B. Não se percebe qual foi o modelo que presidiu à concepção da equipa, nem os princípios de complementaridade que determinaram a sua constituição. Nem os responsáveis dão a cara, mesmo sabendo que o programa eleitoral de Bruno de Carvalho em 2013 garantia que “o Presidente do Sporting terá a liderança directa do Futebol e da Academia. A equipa pluridisciplinar (da estrutura do futebol) reportará ao Presidente”.

 

Há sérios motivos para se recear que estamos perante um tempo dolosamente perdido.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:36

Portimonense 4 – Sporting B 0

Leão Zargo, em 15.01.17

 

3328r.jpg

 

O Sporting B foi este domingo derrotado pelo Portimonense (4-0), em Portimão, em jogo a contar para a 22.ª jornada da II Liga. Os jogadores alvinegros demonstraram a sua experiência e a razão de liderarem folgadamente a classificação. A presença da equipa B leonina suscitou um grande interesse na cidade algarvia.

 

A vitória do Portimonense começou a ser construída logo aos 17 minutos, através de Paulinho que colocou a bola ao segundo poste, fora do alcance de Pedro Silva. Com o golo, os alvinegros impuseram ainda maior velocidade ao jogo e aumentaram a vantagem por intermédio de Pires, que concluiu de 'bicicleta' um lance de insistência junto da baliza sportinguista.

 

A vencer, o Portimonense entrou para a segunda parte mais expetante e permitiu que o Sporting pegasse no jogo. Os leões atacaram mais, mas não conseguiram criar verdadeiras oportunidades de golo. Aliás, o adiantamento leonino no terreno permitiu aos de Portimão dilatarem o resultado, por Amilton e Ewerton.

 

15940761_1196104123770853_8014436844461733078_n.jp

 

Os angolanos Ary Papel e Gelson Dala estrearam-se oficialmente. Esforçaram-se bastante, como a generalidade dos companheiros de equipa, mas nunca conseguiram inverter o rumo dos acontecimentos.

 

Com este resultado, o Sporting B soma 25 pontos, ocupando o 15.º lugar na classificação. O próximo jogo realiza-se na Academia de Alcochete, no dia 22 de Janeiro, frente ao Sporting da Covilhã.

 

No final do jogo, o treinador João de Deus manifestou confiança nos seus jogadores: “É necessário ganhar para inverter a tendência negativa de resultados. Estou na minha terceira época no Sporting B e todos os anos, nesta fase, a equipa costuma ter esta oscilação. (…) A equipa vai entrar nos eixos. É uma questão de tempo.”

 

 

Ficha do jogo:

 

Campeonato da 2ª Liga (22ª Jornada)

Portimonense 4 – Sporting B 0

Estádio Municipal de Portimão, 15 de Janeiro de 2017
Árbitro: André Neto (Vila Real)


Portimonense: Ricardo Ferreira, Ricardo Pessoa, Jadson, Ivo, Lumor, Pedro Sá, Manafá (Fidelis, 68), Ewerton, Paulinho (Chidera, 75), Amilton e Pires (Stanley, 77)


Treinador: Vítor Oliveira


Golos: 1-0, Paulinho (17m), 2-0, Pires (26m), 3-0, Amilton (75m) e 4-0, Ewerton (86m)


Sporting B: Pedro Silva, Pedro Empis, Guilherme, Kiki, Abdu, Aouacheria (Marques, 73), Gelson Dala, Bubacar (Budag, 30), Delgado, Ary Papel e Ronaldo


Treinador: João de Deus

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:13

Fotografia com história dentro (30)

Leão Zargo, em 15.01.17

 

Puglia e Pelé 1959.jpg

 

Reencontro em Alvalade

  

O Santos realizou uma digressão europeia em 1959, de 23 de Maio até 5 de Julho. Em 22 jogos obteve 13 vitórias, 5 empates e 4 derrotas. Venceu os dois torneios em que participou (Teresa Herrera e Valência) e jogos com grandes equipas, como o Feyenoord (3-0), Inter de Milão (7-1) ou Barcelona (5-1). Disputou uma partida com o Sporting no Estádio José Alvalade (2-2), no dia 19 de Junho, presenciada por 35 000 espectadores.

 

O Santos possuía uma equipa fortíssima e tinha brilhado no Campeonato Brasileiro desse ano, apesar de ter perdido na final com o Bahia. Preparava-se para o seu ciclo hegemónico na década de 1960. Apresentou-se no jogo de Alvalade com quase todos os seus craques, nomeadamente Coutinho, Dorval, Jair, Ramiro e Getúlio, entre outros. Pelé era a estrela em ascensão.

 

O Sporting tinha acabado de contratar Fernando Puglia ao São Paulo e depositava grandes esperanças no novo craque. E com razão, pois nas duas épocas em que ele esteve de leão ao peito (1959-60 e 1960-61) foi o melhor marcador da equipa no Campeonato Nacional. Brilhou de tal maneira que saiu para Itália em 1961, tendo jogado depois no Palermo, Juventus e Bari.

 

O embate de Alvalade naquela noite quente de Junho permitiu que se encontrassem de novo jogadores que pouco tempo antes disputavam os campeonatos Paulista e Brasileiro. Na fotografia, Puglia, Pelé e Formiga festejam o reencontro lisboeta.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:56

 

 

Cresce o número dos sportinguistas que consideram que a candidatura de Pedro Madeira Rodrigues à presidência do Sporting constitui uma alternativa sólida e credível. Ao atrever-se a afrontar o situacionismo instalado, o candidato disse bem alto que o tacticismo eleitoral não serve o Clube no momento actual. Mesmo sabendo que o tempo é curto e que corre contra ele, não caiu na armadilha de queimar etapas através de uma apresentação apressada do seu programa e da sua equipa. Por agora, dá-se a conhecer a todos os adeptos, revelando sempre genuinidade pessoal e espírito leonino, confiança nas suas capacidades e nos que o rodeiam e conhecimento da realidade sportinguista e do futebol português.

 

Pedro Madeira Rodrigues assumiu um compromisso público com os sportinguistas ao anunciar que como presidente cativará quatro milhões de euros por ano para fazer face ao pagamento das VMOC’s. Com este anúncio, denuncia o “laissez faire, laissez passer” de Bruno de Carvalho nesta matéria. Na verdade, agora há quem assuma sem ambiguidades algo que considera ser central na vida do Sporting no curto prazo temporal. Isto é, quem considera essencial que o Sporting-Clube mantenha a maioria na Sporting-SAD. Que neste aspecto crucial o Sporting Clube de Portugal tem de permanecer aquilo que sempre conhecemos. E continuar a ser o senhor do seu destino.

 

Pedro Madeira Rodrigues é uma alternativa porque não aceita o “laissez faire, laissez passer” que o actual presidente propõe aos sportinguistas no que refere às VMOC’s.

 

O Sporting é uma instituição centenária e co-fundadora do futebol português. Por essa razão, deve cuidar daquilo que também é seu e não omitir-se, devendo assumir de forma permanente uma função participativa e construtiva, para além da inequívoca capacidade negocial institucional. Compete aos órgãos sociais do Clube levarem a cabo as acções conducentes à reforma do futebol português, estabelecendo negociações e promovendo decisões que, paulatinamente, tornem o futebol português mais higiénico e mais saudável. Um “meridiano de Tordesilhas” instalou-se há longos anos no nosso futebol e no seu combate exige-se aos dirigentes sportinguistas inteligência e audácia, firmeza e coragem, pragmatismo e calculismo.

 

Pedro Madeira Rodrigues é uma alternativa porque contesta o actual “meridiano de Tordesilhas” que o presidente em exercício não consegue ou não sabe combater.

 

Na realidade, quem se apresenta aos sportinguistas revelando ‘coragem para construir’ com conhecimento, coerência e competência constitui uma alternativa séria nas próximas eleições para os órgãos sociais do Sporting Clube de Portugal!

 

 

Nota: Pedro Madeira Rodrigues caracteriza-se pela frontalidade e franqueza na forma como se dirige aos sportinguistas. Na entrevista à TSF (consultar aqui, no Camarote Leonino) o candidato prometeu uma “liderança altruísta e motivadora” e denunciou um clima de “medo e coação” no Sporting:

 

“Não vou promover guerras entre sportinguistas, o presidente é que faz isso. Garanto que vou reerguer o clube e fazer com que este clima de guerrilha acabe. Pretendo ter uma cultura de vitória, que orgulhe os sportinguistas. Já disse que Jorge Jesus é o treinador do Sporting, mas as apostas na formação são impostas por quem administra o Clube e é isso que vai acontecer.

 

Existe um clima de medo e coação em Alvalade, sente-se um grande desespero da actual liderança, esta vontade de manter o poder pelo poder mesmo sem ideias e projectos. O que estão a fazer é tentar mostrar que têm muito apoio.

 

Se houve pessoas pressionadas? Sim, sim várias pessoas, com situações caricatas, pessoas que vão votar em mim. O que podem os colaboradores do clube dizer? 'Assina, tens de pôr aqui na lista'. É inaceitável que se faça isto”.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:01

Fotografia com história dentro (29)

Leão Zargo, em 08.01.17

 

Magdeburgo Sporting Taça das Taças 1974.jpg

 

Magdeburgo, 1974

 

A época de 1973-74 seria de sonho para os leões se esta fotografia tivesse sido impossível. Aconteceu no jogo Magdeburgo - Sporting disputado em 24 de Abril de 1974. A três minutos do fim Fernando Tomé falhou o que parecia ser um golo certo e a presença na final da Taça dos Vencedores das Taças, em Roterdão. Perdeu-se uma oportunidade soberana para repetir o esplêndido triunfo de Antuérpia.

 

Foi uma derrota injusta para a equipa leonina e um dia muito triste para todos os leões. E também para Tomé que, mais tarde, afirmou que aquele foi o golo que mais desejou ter marcado. Agora, em cada dia 24 de Abril que passa o antigo jogador ainda ouve dos seus amigos sportinguistas que “faz hoje anos que o Tomé falhou, a três minutos do fim, o golo em Magdeburgo que nos levava à final da Taça das Taças” (1). Um mal nunca vem só!

 

(1) in Fernando Tomé, “Relato – Histórias de Futebol”.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:10

Sporting B 1 - Braga B 2

Leão Zargo, em 07.01.17

 

 

O Sporting B defrontou hoje o Braga B na Academia de Alcochete e foi derrotado por 2-1. O jogo referiu-se à 21ª jornada da II Liga. Os leões queixaram-se da arbitragem de Miguel Libório.

 

Na realidade, a partida ficou marcada por uma situação caricata e raramente vista num campo de futebol. Aos 13 minutos o árbitro anulou um golo a Pedro Delgado por este alegadamente se encontrar em posição irregular no momento em que cabeceou para a baliza. Os jogadores do Sporting ainda festejavam o que julgavam ser a vantagem no marcador, quando o guarda-redes bracarense fez uma reposição rápida da bola para o contra-ataque e Bruno Xadas marcou com um remate à entrada da grande área.

 

 

O Braga até entrou melhor no jogo e podia ter marcado logo aos 3 minutos por Panyukov, mas Pedro Silva fez uma grande defesa. Aos 21 minutos, foi a vez do Sporting estar perto do golo, com Leonardo Ruiz a servir Pedro Delgado, mas Tiago Sá defendeu o remate. Os primeiros 45 minutos terminaram com alguma supremacia sportinguista.

 

No início da segunda parte, a equipa leonina ficou reduzida a dez jogadores, depois da expulsão de Ivanildo Fernandes por acumulação de amarelos. O Sporting reorganizou-se com o posicionamento de Sualehe como defesa esquerdo, de Pedro Empis a lateral direito e de Abdu Conté ao lado de Kiki no centro da defesa.

 

Os leões conseguiram chegar ao empate através de um golo de Ronaldo Tavares, na sequência de uma defesa incompleta do guardião bracarense a um remate de Bilel. Estavam decorridos 65 minutos. Contudo, o Braga B conseguiu a vitória por intermédio de Ogana Louis quando faltavam nove minutos para o fim da partida.

 

No final do jogo, o técnico João de Deus fez a seguinte declaração: “Bem sei que a II Liga não tem a mesma visibilidade da I, mas aquilo que eu gostava é que este lance passasse, fosse visto e que não se repetisse nos estádios portugueses. Não se repete este, de certeza, mas repetem-se outros. Isto foi terrível, isto é terrível, isto acaba com tudo. Não quero alongar-me muito mais”.

 

Depois deste resultado, o Sporting está provisoriamente em 13º lugar, com 25 pontos. Na próxima jornada (14 de Janeiro) a equipa leonina desloca-se a Portimão para defrontar o clube local.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:31

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo


subscrever feeds