Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A realidade do Sporting B

Leão Zargo, em 17.01.17

 

20191463_OzeCj.jpg

 

O programa eleitoral de Bruno de Carvalho, “Sporting no coração, confiança no futuro” (2013), realçava que “a existência de uma equipa B é de enorme importância para o desenvolvimento sustentado e servirá de ponte entre o futebol júnior e o futebol sénior. Utilizando as mesmas metodologias, práticas, organização e sistemas de jogo que a equipa sénior profissional, os jovens que integram a equipa B estarão aptos a integrar a equipa principal, seja em caso de necessidade, seja por mérito próprio, fruto do desempenho pessoal.”

 

Nada disto se verifica actualmente. Na realidade, não existe um projecto para a equipa B, não há um planeamento a médio prazo, tudo decorre de uma visão economicista e casuística. Tomam-se decisões de acordo com o contexto, com as oportunidades que surgem, com o que parece adequado em determinado momento. Não é visível qualquer articulação com a equipa principal.

 

A classificação do Sporting B na II Liga é péssima, a equipa leonina não consegue vencer um jogo desde 23 de Novembro, quando derrotou o União da Madeira. Depois dessa partida, sofreu cinco derrotas e um empate, ou seja, conseguiu um ponto em dezoito pontos possíveis. Mas, ainda pior será o cepticismo quanto há possibilidade de alguns jogadores da B integrarem o plantel principal nos próximos meses.

 

No Portimonense-Sporting do passado domingo, vestiram a camisola leonina os atletas Pedro Silva, Pedro Empis, Guilherme, Kiki, Abdu, Aouacheria, Gelson Dala, Bubacar, Delgado, Ary Papel e Ronaldo. Budag substituiu Bubacar aos 30 minutos e Pedro Marques entrou aos 73 minutos para o lugar de Aouacheria.

 

Verificando o ano do vínculo desportivo ao Sporting de cada um destes treze jogadores, constata-se o seguinte:

 

Pedro Silva desde 2010-11 (iniciados)

Pedro Empis desde 2010-11 (iniciados)

Guilherme Ramos desde 2012-13 (juvenis)

Kiki Kouyaté desde 2016-17

Abdu Conté desde 2011-12 (iniciados)

Bilel Aouacheria desde 2016-17

Gelson Dala desde 2016-17

Bubacar Djaló desde 2011-12 (iniciados)

Pedro Delgado desde 2010 a 2012 e 2016-17

Ary Papel desde 2016-17

Ronaldo Tavares desde 2013-14 (juvenis)

Budag Nasyrov desde 2016-17

Pedro Marques desde 2016-17

 

Isto é, dos treze jogadores sportinguistas que defrontaram o Portimonense, apenas seis fizeram o seu percurso formativo na Academia de Alcochete, seis foram contratados em 2016-17 e um começou a formação na Academia, esteve noutros clubes durante quatro anos e regressou no início desta época.

 

Estamos perante uma situação de grave descaracterização da equipa B. Não se percebe qual foi o modelo que presidiu à concepção da equipa, nem os princípios de complementaridade que determinaram a sua constituição. Nem os responsáveis dão a cara, mesmo sabendo que o programa eleitoral de Bruno de Carvalho em 2013 garantia que “o Presidente do Sporting terá a liderança directa do Futebol e da Academia. A equipa pluridisciplinar (da estrutura do futebol) reportará ao Presidente”.

 

Há sérios motivos para se recear que estamos perante um tempo dolosamente perdido.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:36

Portimonense 4 – Sporting B 0

Leão Zargo, em 15.01.17

 

3328r.jpg

 

O Sporting B foi este domingo derrotado pelo Portimonense (4-0), em Portimão, em jogo a contar para a 22.ª jornada da II Liga. Os jogadores alvinegros demonstraram a sua experiência e a razão de liderarem folgadamente a classificação. A presença da equipa B leonina suscitou um grande interesse na cidade algarvia.

 

A vitória do Portimonense começou a ser construída logo aos 17 minutos, através de Paulinho que colocou a bola ao segundo poste, fora do alcance de Pedro Silva. Com o golo, os alvinegros impuseram ainda maior velocidade ao jogo e aumentaram a vantagem por intermédio de Pires, que concluiu de 'bicicleta' um lance de insistência junto da baliza sportinguista.

 

A vencer, o Portimonense entrou para a segunda parte mais expetante e permitiu que o Sporting pegasse no jogo. Os leões atacaram mais, mas não conseguiram criar verdadeiras oportunidades de golo. Aliás, o adiantamento leonino no terreno permitiu aos de Portimão dilatarem o resultado, por Amilton e Ewerton.

 

15940761_1196104123770853_8014436844461733078_n.jp

 

Os angolanos Ary Papel e Gelson Dala estrearam-se oficialmente. Esforçaram-se bastante, como a generalidade dos companheiros de equipa, mas nunca conseguiram inverter o rumo dos acontecimentos.

 

Com este resultado, o Sporting B soma 25 pontos, ocupando o 15.º lugar na classificação. O próximo jogo realiza-se na Academia de Alcochete, no dia 22 de Janeiro, frente ao Sporting da Covilhã.

 

No final do jogo, o treinador João de Deus manifestou confiança nos seus jogadores: “É necessário ganhar para inverter a tendência negativa de resultados. Estou na minha terceira época no Sporting B e todos os anos, nesta fase, a equipa costuma ter esta oscilação. (…) A equipa vai entrar nos eixos. É uma questão de tempo.”

 

 

Ficha do jogo:

 

Campeonato da 2ª Liga (22ª Jornada)

Portimonense 4 – Sporting B 0

Estádio Municipal de Portimão, 15 de Janeiro de 2017
Árbitro: André Neto (Vila Real)


Portimonense: Ricardo Ferreira, Ricardo Pessoa, Jadson, Ivo, Lumor, Pedro Sá, Manafá (Fidelis, 68), Ewerton, Paulinho (Chidera, 75), Amilton e Pires (Stanley, 77)


Treinador: Vítor Oliveira


Golos: 1-0, Paulinho (17m), 2-0, Pires (26m), 3-0, Amilton (75m) e 4-0, Ewerton (86m)


Sporting B: Pedro Silva, Pedro Empis, Guilherme, Kiki, Abdu, Aouacheria (Marques, 73), Gelson Dala, Bubacar (Budag, 30), Delgado, Ary Papel e Ronaldo


Treinador: João de Deus

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:13

Fotografia com história dentro (30)

Leão Zargo, em 15.01.17

 

Puglia e Pelé 1959.jpg

 

Reencontro em Alvalade

  

O Santos realizou uma digressão europeia em 1959, de 23 de Maio até 5 de Julho. Em 22 jogos obteve 13 vitórias, 5 empates e 4 derrotas. Venceu os dois torneios em que participou (Teresa Herrera e Valência) e jogos com grandes equipas, como o Feyenoord (3-0), Inter de Milão (7-1) ou Barcelona (5-1). Disputou uma partida com o Sporting no Estádio José Alvalade (2-2), no dia 19 de Junho, presenciada por 35 000 espectadores.

 

O Santos possuía uma equipa fortíssima e tinha brilhado no Campeonato Brasileiro desse ano, apesar de ter perdido na final com o Bahia. Preparava-se para o seu ciclo hegemónico na década de 1960. Apresentou-se no jogo de Alvalade com quase todos os seus craques, nomeadamente Coutinho, Dorval, Jair, Ramiro e Getúlio, entre outros. Pelé era a estrela em ascensão.

 

O Sporting tinha acabado de contratar Fernando Puglia ao São Paulo e depositava grandes esperanças no novo craque. E com razão, pois nas duas épocas em que ele esteve de leão ao peito (1959-60 e 1960-61) foi o melhor marcador da equipa no Campeonato Nacional. Brilhou de tal maneira que saiu para Itália em 1961, tendo jogado depois no Palermo, Juventus e Bari.

 

O embate de Alvalade naquela noite quente de Junho permitiu que se encontrassem de novo jogadores que pouco tempo antes disputavam os campeonatos Paulista e Brasileiro. Na fotografia, Puglia, Pelé e Formiga festejam o reencontro lisboeta.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:56

 

 

Cresce o número dos sportinguistas que consideram que a candidatura de Pedro Madeira Rodrigues à presidência do Sporting constitui uma alternativa sólida e credível. Ao atrever-se a afrontar o situacionismo instalado, o candidato disse bem alto que o tacticismo eleitoral não serve o Clube no momento actual. Mesmo sabendo que o tempo é curto e que corre contra ele, não caiu na armadilha de queimar etapas através de uma apresentação apressada do seu programa e da sua equipa. Por agora, dá-se a conhecer a todos os adeptos, revelando sempre genuinidade pessoal e espírito leonino, confiança nas suas capacidades e nos que o rodeiam e conhecimento da realidade sportinguista e do futebol português.

 

Pedro Madeira Rodrigues assumiu um compromisso público com os sportinguistas ao anunciar que como presidente cativará quatro milhões de euros por ano para fazer face ao pagamento das VMOC’s. Com este anúncio, denuncia o “laissez faire, laissez passer” de Bruno de Carvalho nesta matéria. Na verdade, agora há quem assuma sem ambiguidades algo que considera ser central na vida do Sporting no curto prazo temporal. Isto é, quem considera essencial que o Sporting-Clube mantenha a maioria na Sporting-SAD. Que neste aspecto crucial o Sporting Clube de Portugal tem de permanecer aquilo que sempre conhecemos. E continuar a ser o senhor do seu destino.

 

Pedro Madeira Rodrigues é uma alternativa porque não aceita o “laissez faire, laissez passer” que o actual presidente propõe aos sportinguistas no que refere às VMOC’s.

 

O Sporting é uma instituição centenária e co-fundadora do futebol português. Por essa razão, deve cuidar daquilo que também é seu e não omitir-se, devendo assumir de forma permanente uma função participativa e construtiva, para além da inequívoca capacidade negocial institucional. Compete aos órgãos sociais do Clube levarem a cabo as acções conducentes à reforma do futebol português, estabelecendo negociações e promovendo decisões que, paulatinamente, tornem o futebol português mais higiénico e mais saudável. Um “meridiano de Tordesilhas” instalou-se há longos anos no nosso futebol e no seu combate exige-se aos dirigentes sportinguistas inteligência e audácia, firmeza e coragem, pragmatismo e calculismo.

 

Pedro Madeira Rodrigues é uma alternativa porque contesta o actual “meridiano de Tordesilhas” que o presidente em exercício não consegue ou não sabe combater.

 

Na realidade, quem se apresenta aos sportinguistas revelando ‘coragem para construir’ com conhecimento, coerência e competência constitui uma alternativa séria nas próximas eleições para os órgãos sociais do Sporting Clube de Portugal!

 

 

Nota: Pedro Madeira Rodrigues caracteriza-se pela frontalidade e franqueza na forma como se dirige aos sportinguistas. Na entrevista à TSF (consultar aqui, no Camarote Leonino) o candidato prometeu uma “liderança altruísta e motivadora” e denunciou um clima de “medo e coação” no Sporting:

 

“Não vou promover guerras entre sportinguistas, o presidente é que faz isso. Garanto que vou reerguer o clube e fazer com que este clima de guerrilha acabe. Pretendo ter uma cultura de vitória, que orgulhe os sportinguistas. Já disse que Jorge Jesus é o treinador do Sporting, mas as apostas na formação são impostas por quem administra o Clube e é isso que vai acontecer.

 

Existe um clima de medo e coação em Alvalade, sente-se um grande desespero da actual liderança, esta vontade de manter o poder pelo poder mesmo sem ideias e projectos. O que estão a fazer é tentar mostrar que têm muito apoio.

 

Se houve pessoas pressionadas? Sim, sim várias pessoas, com situações caricatas, pessoas que vão votar em mim. O que podem os colaboradores do clube dizer? 'Assina, tens de pôr aqui na lista'. É inaceitável que se faça isto”.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:01

Fotografia com história dentro (29)

Leão Zargo, em 08.01.17

 

Magdeburgo Sporting Taça das Taças 1974.jpg

 

Magdeburgo, 1974

 

A época de 1973-74 seria de sonho para os leões se esta fotografia tivesse sido impossível. Aconteceu no jogo Magdeburgo - Sporting disputado em 24 de Abril de 1974. A três minutos do fim Fernando Tomé falhou o que parecia ser um golo certo e a presença na final da Taça dos Vencedores das Taças, em Roterdão. Perdeu-se uma oportunidade soberana para repetir o esplêndido triunfo de Antuérpia.

 

Foi uma derrota injusta para a equipa leonina e um dia muito triste para todos os leões. E também para Tomé que, mais tarde, afirmou que aquele foi o golo que mais desejou ter marcado. Agora, em cada dia 24 de Abril que passa o antigo jogador ainda ouve dos seus amigos sportinguistas que “faz hoje anos que o Tomé falhou, a três minutos do fim, o golo em Magdeburgo que nos levava à final da Taça das Taças” (1). Um mal nunca vem só!

 

(1) in Fernando Tomé, “Relato – Histórias de Futebol”.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:10

Sporting B 1 - Braga B 2

Leão Zargo, em 07.01.17

 

 

O Sporting B defrontou hoje o Braga B na Academia de Alcochete e foi derrotado por 2-1. O jogo referiu-se à 21ª jornada da II Liga. Os leões queixaram-se da arbitragem de Miguel Libório.

 

Na realidade, a partida ficou marcada por uma situação caricata e raramente vista num campo de futebol. Aos 13 minutos o árbitro anulou um golo a Pedro Delgado por este alegadamente se encontrar em posição irregular no momento em que cabeceou para a baliza. Os jogadores do Sporting ainda festejavam o que julgavam ser a vantagem no marcador, quando o guarda-redes bracarense fez uma reposição rápida da bola para o contra-ataque e Bruno Xadas marcou com um remate à entrada da grande área.

 

 

O Braga até entrou melhor no jogo e podia ter marcado logo aos 3 minutos por Panyukov, mas Pedro Silva fez uma grande defesa. Aos 21 minutos, foi a vez do Sporting estar perto do golo, com Leonardo Ruiz a servir Pedro Delgado, mas Tiago Sá defendeu o remate. Os primeiros 45 minutos terminaram com alguma supremacia sportinguista.

 

No início da segunda parte, a equipa leonina ficou reduzida a dez jogadores, depois da expulsão de Ivanildo Fernandes por acumulação de amarelos. O Sporting reorganizou-se com o posicionamento de Sualehe como defesa esquerdo, de Pedro Empis a lateral direito e de Abdu Conté ao lado de Kiki no centro da defesa.

 

Os leões conseguiram chegar ao empate através de um golo de Ronaldo Tavares, na sequência de uma defesa incompleta do guardião bracarense a um remate de Bilel. Estavam decorridos 65 minutos. Contudo, o Braga B conseguiu a vitória por intermédio de Ogana Louis quando faltavam nove minutos para o fim da partida.

 

No final do jogo, o técnico João de Deus fez a seguinte declaração: “Bem sei que a II Liga não tem a mesma visibilidade da I, mas aquilo que eu gostava é que este lance passasse, fosse visto e que não se repetisse nos estádios portugueses. Não se repete este, de certeza, mas repetem-se outros. Isto foi terrível, isto é terrível, isto acaba com tudo. Não quero alongar-me muito mais”.

 

Depois deste resultado, o Sporting está provisoriamente em 13º lugar, com 25 pontos. Na próxima jornada (14 de Janeiro) a equipa leonina desloca-se a Portimão para defrontar o clube local.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:31

 

ng8069229.jpg

 

A chamada Comissão de Honra de apoio à candidatura de Bruno de Carvalho inclui sportinguistas com percursos bastante diferentes no Clube, em muitos casos conflituantes. Alguns até chegaram a ser associados à crise financeira e desportiva que o Sporting viveu recentemente. Revela que, para muitos, as eleições não servem para votar a favor daqueles que devem exercer o poder, mas apenas para evitar que seja arredado quem já lá está.

 

A referida comissão, tal como está constituída, é mais um factor de fraqueza do que de força. Bruno de Carvalho está agora ainda mais numa posição defensiva, personifica o situacionismo e está refém de compromissos e prisioneiro no seu labirinto. Escasseiam-lhe as ideias e o seu projecto de mudança esgotou-se. O seu único objectivo é perpetuar-se no poder e redistribuir prebendas por apoiantes.

 

Ao apresentar a sua candidatura à presidência do Sporting em 27 de Dezembro, Pedro Madeira Rodrigues perturbou o núcleo que rodeia Bruno de Carvalho. Logo no dia a seguir, o PMAG, Jaime da Marta Soares, marcou a data das eleições para 4 de Março, o prazo mais curto estatutariamente. Um prazo curto beneficia quem governa. Dois dias depois foi a vez de Bruno de Carvalho ser obrigado a findar com a encenação do tabu e a reconhecer-se candidato.

 

Ao assumir a iniciativa e pensar estrategicamente, Pedro Madeira Rodrigues acelerou os acontecimentos. Sabe que tem pouco tempo para se mostrar e para se tornar numa alternativa ameaçadora ao actual presidente do Clube. Mas, focando-se nos superiores interesses do Sporting, se falar directamente e sem subterfúgios e se for ao encontro dos anseios mais profundos dos sportinguistas, se provocar crença e emoção, construirá o seu próprio caminho. Nesse caso, reforçará ainda mais o seu perfil como candidato, minimizar as suas fraquezas e potenciar as suas forças. Sinal de confiança!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:17

Fotografia com história dentro (29)

Leão Zargo, em 01.01.17

 

Estágio do Sporting anos 1950.jpg

 

O Sporting na década de 1950

 

No início da década de 1950, o futebol português preparava-se para a profissionalização. O Sporting acompanhou esse processo de transformação, organizando-se e construindo as infraestruturas necessárias. O Estádio de Alvalade e o Lar do Jogador integraram-se nessa finalidade. O Estatuto do Jogador, redigido por Salazar Carreira, definia e estabelecia a ética do cidadão e do desportista inerente à instituição leonina.

 

Antes dos grandes jogos, os atletas do Sporting realizavam os estágios no Pêro Pinheiro. Na fotografia, vêem-se os quatro “violinos” que ainda vestiam a camisola verde e branca, Travassos, Jesus Correia e Manuel Vasques que jogam ao dominó, e Albano que assiste. Reconhecem-se, também, os defesas Passos e Canário.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:07

Académica 1 - Sporting B 0

Leão Zargo, em 30.12.16

 

15822608_1696253477066822_3991681157789487682_n.jp

 

O Sporting foi derrotado, hoje à tarde, pela Académica por 1-0 na deslocação a Coimbra. O único golo da partida foi marcado aos 43 minutos, de grande penalidade. A equipa leonina continua a revelar sérias dificuldades quando joga na condição de visitante.

 

A formação de Coimbra foi sempre mais perigosa durante a primeira parte e criou diversas oportunidades de golo. No entanto, o guarda-redes leonino Pedro Silva foi uma barreira quase intransponível, só de penálti é que foi batido. O avançado Rui Miguel foi o autor do golo que estabeleceria a vitória da Académica.

 

O Sporting reagiu no segundo tempo, foi mais pressionante, mais ofensivo, mas pouco perigoso nas proximidades da baliza adversária. A excepção aconteceu quando um cabeceamento de Ivanildo Fernandes, já nos descontos, obrigou Ricardo Ribeiro a uma grande defesa. Poderia ter sido o golo do empate, mas a felicidade não quis brindar os leões.


Com este resultado, o Sporting B mantém o 13.º lugar na classificação, com 25 pontos. A equipa leonina não consegue vencer um jogo desde 23 de Novembro, quando derrotou o União da Madeira. Depois dessa partida, sofreu três derrotas e um empate, ou seja, um ponto em doze pontos possíveis. O Sporting B defronta o Braga B em Alcochete, no dia 8 de Janeiro de 2017.

 

Ficha de jogo:

 

Campeonato de 2ª Liga (20ª jornada)

Académica 1 - Sporting B 0

Estádio Cidade de Coimbra, 30 de Dezembro de 2016

Árbitro: Carlos Cabral (A. F. Algarve)

 

Académica: Ricardo Ribeiro, Nuno Piloto, Diogo Coelho, Alfaiate, Nuno Santos, Tom Tavares, Jimmy, Traquina, Marinho (Ki, 90'+2), Ernest (Kaká, 64') e Rui Miguel (Tozé Marreco, 80')


Treinador: Costinha

 

Golo: Rui Miguel (43m)

 

Sporting B: Pedro Silva, Mauro Riquicho, Kiki, Ivanildo Fernandes, David Sualehe, Bubacar (Budag, 46'), Guima, Pedro Delgado, Pedro Empis, Aouacheria (Elói, 61') e Ronaldo Tavares (Leonardo, 63')

 

Treinador: João de Deus

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:12

Hoje é dia de Pedro Madeira Rodrigues

Leão Zargo, em 27.12.16

 

15578742_1841811996030481_2576394793859196219_n.jp

 

Pedro Madeira Rodrigues apresenta hoje a sua candidatura à presidência do Sporting. Aguardo com muito interesse o que ele tem para dizer aos sportinguistas.

 

No Sporting a realidade das coisas é, normalmente, mais complexa do que parece a quem observa de fora, como é o meu caso. Sei que essa realidade não é bipolar, do género ou sim ou sopas, quem não está connosco é contra nós, como se tornou usual ler na comunicação oficial do Clube. Mas, acredito que Pedro Madeira Rodrigues possui as qualidades, os conhecimentos e as competências que lhe permitirão governar o Clube

 

Espero que o candidato tenha posições firmes e transparentes relativamente a questões que os sportinguistas consideram essenciais. A política financeira, o ecletismo leonino, a Academia de Alcochete, a estrutura para o futebol, a filosofia para o plantel principal e a equipa B, estratégias para os núcleos e clubes filiais e a democraticidade e unidade do Clube. Sabe-se que há outros aspectos igualmente importantes, mas destaco estes.

 

Desde há muito tempo que considero que a perfeição humana não existe, embora cada um de nós se motive com essa finalidade. E não procuro um presidente que me agrade integralmente. Mas, desejo nos órgãos sociais quem se reveja no percurso centenário leonino e se disponha a trabalhar para a honra e a glória do Sporting.

 

O Clube está numa encruzilhada e precisa com urgência de uma definição clara e rigorosa das suas prioridades estratégicas. A propósito disso, recordo-me do fabuloso “Apocalipse Now”, de Francis Ford Coppola, e de um diálogo entre  Benjamin L. Willard (Martin Sheen) e o Coronel Kurtz (Marlon Brando), em que o primeiro afirma: “Não vejo aqui qualquer estratégia, ela não existe.” (cito de memória)

 

É o que se está passar no Sporting. Há uma intervenção casuística sem planeamento, isto é, muita táctica e nenhuma estratégia. Muita parra e pouca uva.

 

Fico a aguardar pelas palavras do candidato Pedro Madeira Rodrigues. E aconselho-o que se apresente com nervos de aço e uma carapaça à prova de balas. Vai ser bem necessário muito em breve. Isso é certo.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:01

Fotografia com história dentro (28)

Leão Zargo, em 25.12.16

 

SCP Taça das Taças.png

 

Uma imagem, um século de História

 

 

Naquela tarde de 15 de Maio de 1964, em Antuérpia, João Morais desenhou numa folha de papel A4 um pontapé de canto quase impossível. Foi o “cantinho do Morais” que abriu caminho à conquista da gloriosa Taça das Taças. Um fio invisível que liga a memória de diferentes gerações de sportinguistas.

 

Sobre esse momento histórico, Pedro Gomes escreveu o seguinte: “Demos tudo o que tínhamos ao deixarmos em campo a pele, a alma e o suor. Mas fomos e somos compensados ao entrarmos na história do Nosso Clube e ao sermos considerados pelos Sportinguistas de Boa Memória.”

 

Na fotografia, apresentação da Taça das Taças aos portugueses no intervalo de um Portugal – Inglaterra, no Estádio Nacional, em 16 de Maio de 1964.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:10

As eleições presidenciais

Leão Zargo, em 23.12.16

 

20139228_4qqUj.jpg

 Alberto Giacometti, “Praça”, 1948

 

 

O Sporting está em campanha eleitoral para os seus órgãos sociais. Para muitos sportinguistas Bruno de Carvalho iniciou a campanha logo no dia seguinte à sua eleição em Março de 2013. Para outros, começou quando o presidente do Sporting anunciou que se recandidatava ao cargo numa entrevista ao jornal Record em 27 de Março de 2015. Em qualquer dos dois casos, a recandidatura já se verifica há muito tempo e nunca chegou a ser um grande segredo.

 

Bruno de Carvalho chega a parecer o maior inimigo de si próprio. Quando venceu as eleições teve condições excepcionais para unir os sportinguistas. Fez o contrário. Catalogou os adeptos, processou judicialmente sócios, ameaçou antigos dirigentes com auditorias. Dividiu em vez de unir, caminhou sempre no fio da navalha. Em várias ocasiões o presidente do Clube fez lembrar Calisto Elói de “A Queda dum Anjo”, de Camilo Castelo Branco. A farsa e a comédia de braço dado.

 

Por estes dias, os jornais anunciaram os nomes de candidatos à presidência do Sporting. Há muita expectativa em Alvalade. Por um lado, parece ser cedo. O final do mês de Janeiro seria o momento adequado para isso. Mas, Bruno de Carvalho desgastou-se e esgotou-se no seu próprio labirinto de incoerências incapaz de perceber as prioridades estratégicas do Clube. E muitos sportinguistas defendem uma candidatura de apaziguamento que os una da cisão provocada pelo actual presidente.

 

Se alguém aparecer antes de Janeiro consegue grande visibilidade e o apoio de muitos adeptos que desejam a mudança. Mas, ficará sujeito a um elevadíssimo desgaste físico e emocional, terá a vida escrutinada e será ameaçado nas redes sociais. Não é para qualquer um. No final de Janeiro ainda há tempo para construir uma alternativa. Mas, esta será a altura para um peso pesado, isto é, alguém que os sportinguistas já imaginam como presidente.

 

Uma coisa é certa: quem tiver a coragem de avançar agora poderá ser o denominador comum que tantos e tantos desejam!

 

A “coragem de construir” decorre de uma coerência atitudinal, de uma acção dinâmica, de uma persistência interactiva e de uma utopia inspiradora. Os sportinguistas estão atentos e exigem aos candidatos propostas realistas e audazes, ambiciosas e transparentes. Estão cansados de uma lógica primária dos “bons" e dos "maus" de um e do outro lado, com pouco ou nada pelo meio e de cartilhas de ocasião sobre verdades absolutas. Quem for coerente com a história, a identidade e a matriz leonina e explicar ao que vem de modo cristalino, directo, convicto e fiável terá o voto da maioria dos sócios.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:38

Fotografia com história dentro (27)

Leão Zargo, em 18.12.16

 

FC Zurique - Sporting CP 20.3.1974.jpg 

 

Zurique, 20 de Março de 1974

 

 

A época de 1973-74 foi muito boa para o Sporting, pois venceu o Campeonato Nacional e conquistou a Taça de Portugal. A 4ª dobradinha leonina. E faltou pouco para ser perfeita. É que esteve quase a disputar a final da Taça das Taças, sendo eliminado à tangente pelo FC Magdeburgo nas meias-finais.

 

O Sporting eliminou o FC Zurich nos quartos-de-final, 3-0 em Alvalade e 1-1 na Suíça. Na fotografia, os leões saúdam o público no final do jogo da 2ª mão, reconhecendo-se Dinis, José Carlos, Marinho, Yazalde, Alhinho, Carlos Pereira, Fraguito, Chico, Bastos e Damas. A equipa foi orientada por Mário Lino (treinador) e Osvaldo Silva (adjunto).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:03

Benfica B 0 - Sporting B 0

Leão Zargo, em 16.12.16

 

20127822_1DJM1.jpg

 

Uma semana depois voltou a haver dérbi, mas desta vez para o Campeonato da 2ª Liga. Ambas as equipas precisavam de vencer a partida para quebrar séries menos positivas: as águias não conseguem vencer há seis jogos, enquanto que os leões não saboreiam a vitória há três jogos. Observadores do Arsenal, Manchester United e PSV compareceram no Seixal para “espiar” os novos craques.

 

O Sporting começou muito melhor, mais sereno e esclarecido, e podia ter marcado antes dos dez minutos quando, sucessivamente, Ronaldo Tavares, Pedro Delgado e Bubacar Djaló ameaçaram a baliza benfiquista. Mas, o guarda-redes André Ferreira iniciou ali o conjunto de defesas que impediriam o triunfo leonino. Aos 20 minutos Pedro Delgado teve nos pés outra excelente oportunidade para inaugurar o marcador.

 

A equipa da casa criou perigo pela primeira vez aos 25 minutos. Remate de Gilson do meio da rua e defesa atenta do guardião sportinguista. O Benfica não voltou a importunar seriamente Pedro Silva durante o primeiro tempo, mas conseguiu equilibrar o jogo e ter mesmo algum controlo e posse de bola.

 

A segunda parte foi emotiva, no entanto os jogadores revelaram pouca eficácia no momento da decisão. Principalmente os do Sporting que foram os mais perigosos, explorando com frequência as costas da defesa encarnada. Pedro Delgado, Ronaldo Tavares e Riquicho com remates fortíssimos puseram à prova a competência de André Ferreira. Outro leão, Kiki, por duas vezes de cabeça ameaçou as redes benfiquistas, mas a bola nunca entrou. Em cima do minuto 90 foi a vez do keeper leonino mostrar toda a sua capacidade.

 

André Ferreira foi o melhor jogador em campo. O Benfica ficou a dever-lhe o ponto conquistado. Pedro Silva teve muito menos trabalho, mas foi também bastante seguro.

 

O Sporting tem 25 pontos, mantendo-se, provisoriamente, em 9.º lugar.

 

Ficha de jogo:

 

Campeonato da 2ª Liga (19ª jornada)

Benfica B 0 – Sporting B 0

Caixa Futebol Campus (Seixal), 16 de Dezembro de 2016

Árbitro: Hélder Malheiro, da AF Lisboa

 

Benfica B: André Ferreira; Benitez (Buta, 80), Rúben Dias, Kalaica e Pedro Amaral; Pêpê; Dálcio, Gilson (Heriberto Tavares, 58) e Diogo Gonçalves; Zé Gomes (L. Jovic, 75)

 

Treinador: Hélder Cristóvão

 

Sporting B: Pedro Silva; Riquicho, Kiki, Ivanildo Fernandes e Empis; Pedro Delgado, Bubacar Djaló (B. Näsirov, 64) e Guima; Aoucheria, Ronaldo e Sualehe (Jovane Cabral, 69)

 

Treinador: João de Deus

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:51

Manuel Marques, "Mãos de Ouro"

Leão Zargo, em 14.12.16

 

Manuel Marques.jpg

 

Manuel Marques é uma figura singular do Sporting Clube de Portugal. Exerceu funções no Clube durante 54 anos, entre 1936 e 1990. Mereceu o respeito e a admiração de milhares de jogadores que vestiram a camisola leonina, da Selecção Nacional e de outros emblemas. Será sempre recordado pela sua competência profissional e pelo seu excepcional humanismo. O antigo capitão Manuel Fernandes sintetizou-o de forma magnífica: “Era um catedrático”!

 

O dia 14 de Dezembro de 1986 foi particularmente relevante para o massagista a quem chamaram de “Mãos de Ouro”. O seu Clube de sempre homenageou-o antes do célebre derby dos 7-1, atribuindo o seu nome à sala do Estádio de Alvalade onde funcionava o Posto Médico do futebol profissional e ofereceu-lhe um leão e uma salva de prata. No novo Estádio de Alvalade o Posto Médico continua a ter o seu nome. Justíssima homenagem a quem uma vez afirmou que só lhe faltava morrer no banco de suplentes.

 

São pessoas como Manuel Marques que têm construído e mantido um Clube centenário e histórico do futebol português.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:19

Fotografia com história dentro (26)

Leão Zargo, em 11.12.16

 

20114386_dW8ih.png

 

Manuel Marques

 

Trata-se de uma fotografia duplamente histórica. Aconteceu em 14 de Dezembro de 1986 perante 60 000 espectadores que encheram o Estádio José Alvalade.

 

Histórica porque esta equipa do Sporting derrotou o rival da Luz por um concludente 7-1. Por isso, o jornalista Daniel Reis deu o título de “Seteporting” à sua crónica no jornal A Gazeta dos Desportos.

 

Histórica, principalmente, porque o inesquecível Manuel Marques cumpria cinquenta anos ao serviço do Sporting. Nesse dia, o “Homem das Mãos Milagrosas” juntou-se aos jogadores leoninos para a fotografia da praxe antes do jogo.

 

Manuel Marques, Prémio Stromp nas categorias “Dedicação” e “Especial”, e “Leão de Ouro”, tem o seu nome atribuído ao Posto Médico do Estádio de Alvalade. Um grande leão!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:30

Sporting B 1 - FC Porto 2

Leão Zargo, em 10.12.16

 

15306107_207810776292902_7310820355461873664_n.jpg

 

O Sporting B foi derrotado pelo FC Porto B este sábado por 2-1, na 18.ª jornada da 2ª Liga portuguesa de futebol. Os leões terminaram o jogo com dez jogadores em campo, por expulsão de Matheus Pereira com um cartão vermelho directo.

 

O clássico começou de forma dividida, com muita luta a meio-campo, mas sem lances de verdadeiro perigo junto das duas balizas. No entanto, a partir dos 30 minutos verificou-se alguma superioridade portista. O sinal mais foi dado por Kayembe quando cabeceou com algum perigo para Azbe Jug. O FC Porto marcou aos 42 minutos por Areias, enquanto que o Sporting apenas uma vez se acercou da baliza adversária.

 

A equipa leonina regressou do intervalo decidida a igualar a partida. Guima dava continuidade ao trabalho desenvolvido na primeira parte, revelando sempre bom sentido de colocação e grande disponibilidade física. Mas, Matheus Pereira envolveu-se numa disputa de bola com o portista Inácio, com o árbitro a considerar que o jogador leonino agrediu o adversário. Um balde de água fria.

 

Em superioridade numérica, o FC Porto passou a controlar o jogo e chegou ao 0-2. Na sequência de um cruzamento ao segundo poste, Ismael cabeceou com alguma facilidade e bateu Azbe Jug.

 

20113936_qHhRO.jpg

A perder e com menos um jogador, os leões reagiram empurrados por Guima e com Ronaldo Tavares a ser sempre o mais perigoso. O dinâmico Sualehe, com um excelente cruzamento para a grande área, permitiu que Ronaldo Tavares cabeceasse com sucesso para o golo. A reacção da equipa sportinguista quase que foi premiada, mas o guarda-redes Gudiño impediu que um remate de Budag, aos 87 minutos, entrasse na baliza.

 

O Sporting B soma agora 24 pontos e fica provisoriamente em 9º lugar da classificação. Na próxima jornada, visita o Benfica B.

 

Ficha de jogo:

 

Campeonato da 2ª Liga (18ª Jornada)

Sporting B 1 - FC Porto 2

Stadium Aurélio Pereira, 10 de Dezembro de 2016

Árbitro: João Matos (Viana do Castelo)

 

Sporting B:  Azbe Jug, Mauro Riquicho, Ivanildo Fernandes, Kiki, Pedro Empis (Ricardo Almeida, 79), Guima, Budag, Pedro Delgado, Bilel (David Sualehe, 72), Matheus Pereira e Leonardo Ruiz (Ronaldo Tavares, 54)

 

Treinador: João de Deus

 

Golos: Ronaldo Tavares (77m)

 

FC Porto B: Raul Gudiño, Fernando Fonseca, Chidozie, Palmer-Brown (Verdasca, 32), Inácio, Omar Gouveia, Fede Varela, Francisco Ramos, Ruben Macedo (Ismael, 69), Kayembe (Raul Almeida, 83) e Areias

 

Treinador: José Tavares

 

Golo: Areias (42m) e Ismael (72m)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:51

Legia 2 - Sporting 0 (UEFA Youth League)

Leão Zargo, em 07.12.16

 

20107596_1j2kU.jpg

 

Ainda as duas equipas se observavam, quando os polacos abriram o marcador logo aos 3 minutos através de Waniek. Um balde de água fria que quase gelou a temperatura que rondava os zero graus centígrados.

 

No entanto, os leões revelaram grande personalidade, reagiram e começaram a pressionar no meio campo do adversário. Jovane, foi o primeiro a ameaçar. Depois, sucessivamente, Baldé, Pedro Marques, Bragança, Miguel Luís, Bruno Paz e Jovane falharam no momento da finalização. Pedro Empis era o mais incisivo na acção ofensiva.

 

Com vantagem no marcador, o Legia resguardou-se na defesa e pouco atacou. Só aos 44 minutos no cruzamento de um livre é que Pedro Silva foi posto à prova.

 

Tiago Fernandes substituiu o defesa Miguel Lopes pelo avançado Rafael Leão, procurando maior eficácia ofensiva. O Sporting entrou melhor na segunda parte e teve uma boa oportunidade de golo por Rafael Leão, mas este rematou contra um defesa polaco.

 

Falharam os leões e o Legia marcou aos 55 minutos por Michalak. E quase que aumentou a vantagem aos 57 minutos. Durante o resto da partida os jogadores leoninos podiam ter diminuído a diferença, mas a incapacidade de finalizar com sucesso condicionou sempre a estratégia da equipa.

 

Com esta derrota em Varsóvia, o acesso do Sporting ao "playoff" de acesso aos oitavos-de-final fica dependente do resultado do jogo Real Madrid - Borussia Dortmund.

  

Ficha de jogo:

 

UEFA Youth League (6ª jornada Fase de Grupos F)

Legia 2 – Sporting 0

Stadin Znicza, 7 de Dezembro de 2016

Árbitro: Dennis Antamo (Finlândia)

 

Legia: Majecki; Holownia, Zyro, Malachowski e Nawotka; Ryczkowski, Czarnowski, Waniek e Michalak (Olejarka, 87); Praszelik (Leleno, 75) e Kulenovic (Goral, 72)

 

Treinador: Krzystof Debek

 

Marcadores: Waniek (3m) e Michalak (55m)

 

Sporting: Pedro Silva; Miguel Lopes (Rafael Leão, 46), João Ricciulli, Abdu Conté, Pedro Empis; Daniel Bragança, Miguel Luís; Elves Baldé (Douglas Aurélio, 75), Pedro Marques, Bruno Paz e Jovane Cabral (Gabriel Silva, 81)

 

Treinador: Tiago Fernandes

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:29

V. Guimarães B 2 – Sporting B 0

Leão Zargo, em 05.12.16

 

15380778_10154337254073167_1686998166459281131_n.j

 

O Sporting B não foi feliz na viagem a Guimarães para defrontar o Vitória B local, em jogo da 17ª jornada para o Campeonato da 2ª Liga. Os dois golos do encontro verificaram-se na primeira parte, o primeiro por Baldé, que num lance fortuito introduziu a bola na própria baliza, e o segundo pelo defesa central vitoriano Dénis Duarte.

 

No entanto, a equipa sportinguista entrou no jogo melhor organizada e mais perigosa. Leonardo Ruiz e Fábio Martins criaram perigo para a baliza vimaranense ainda antes de Baldé, aos 6 minutos, fazer um autogolo ao cortar a bola na direcção das redes leoninas. A partir daí, os jogadores do Vitória controlaram melhor a posse de bola e ampliaram a vantagem aos 22 minutos.

 

20102780_7Izgr.jpg

Os 'leões' reagiram, ainda criaram algum perigo através de um remate bem colocado de Bilel, mas não foi o suficiente para contrariar o domínio dos jogadores da casa na primeira parte. Depois do intervalo, João de Deus fez entrar Ronaldo Tavares, mas a equipa vitoriana esteve sempre mais perto do golo do que a sportinguista.

 

Realce-se o regresso de Mauro Riquicho que não jogava desde Setembro de 2015. O jogador leonino entrou aos 31 minutos a substituir Mama Baldé.

 

O Sporting B está classificado no 8º lugar, com 24 pontos. O próximo jogo realiza-se no dia 10 de Dezembro, em Alcochete, com o FC Porto B.

 

Ficha de jogo:

 

Campeonato de 2ª Liga (17ª jornada)

Vitória de Guimarães B 2 - Sporting B 0

Estádio D. Afonso Henriques (Guimarães), 5 de Dezembro de 2016

Árbitro: Iancu Vasilica (Vila Real)

 

V. Guimarães B: Miguel Oliveira, Sacko, Marcos Valente, Denis Duarte, Konan, Joseph (Phete, 70), Kiko (Castro, 84), Haashim Domingo, Hélder Ferreira, Tyler Boyd e Bruno Mendes (Haman, 80)

 

Treinador: Vítor Campelos

 

Golos: Mama Baldé (6 m p.b.) e Dénis Duarte (22m)

 

Sporting B: Stojkovic, Mama Baldé (Riquicho, 31), Kiki, Ivanildo Fernandes, David Sualehe, Guima (Elói, 75), Budag, Pedro Delgado, Bilel, Fábio Martins (Ronaldo Tavares, 46) e Leonardo Ruiz

 

Treinador: João de Deus

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:36

Fotografia com história dentro (25)

Leão Zargo, em 04.12.16

 

20098259_Ndrmh.jpg

  

Fernando Peyroteo e Francisco Vitória

 

Há inúmeras histórias sobre grandes disputas entre defesas e avançados em jogos de futebol. Muitos adeptos garantem que eles não são propriamente farinha do mesmo saco e é frequente ouvir-se falar das vezes em que o caldo ficou entornado. Por exemplo, ficaram célebres os duelos entre o sportinguista Fernando Peyroteo e o benfiquista Gaspar Pinto pela faísca que provocavam.

 

Mas, parece que não tem de ser sempre assim e até acontece que um defesa e um avançado se façam fotografar sorrindo para a posteridade. É o caso desta fotografia de Francisco Vitória e Peyroteo antes de um Portimonense-Sporting para a Taça de Portugal, em 20 de Junho de 1948. Curiosamente, o Vitória também era conhecido por Chico Caceteiro vá lá saber-se porquê.

 

O Sporting venceu por 6-1 e o jogador leonino não deixou os seus créditos por mãos alheias. O jornalista algarvio Constantino Romão escreveu que “coube ao Chico Caceteiro fazer a marcação ao Peyroteo, que era o melhor marcador de golos em Portugal. O Peyroteo marcou cinco golos, mas o Chico fez uma exibição memorável, que tenho a certeza nem ele próprio esqueceu”.

 

Falta dizer que o Francisco Vitória não foi um jogador qualquer. Na verdade, ainda jogou nas reservas do Benfica ao lado de Joaquim Macarrão, outro algarvio, e depois brilhou em equipas fortíssimas do Portimonense durante quase toda a década de 1940.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:00




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo


subscrever feeds