Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Um dia especial

City Lion, em 14.12.16

 

REMEMBER_7-1bx.jpg

 

Hoje celebramos os 30 anos dos 7-1, que foi dos dias mais felizes da minha vida de sportinguista.

 

Lembro-me quase como se fosse hoje de ir para o nosso Estádio, como sempre, com o meu pai e os meus irmãos, mas desta vez para a central, em vez da superior norte que abarrotava de benfiquistas. Confesso que não gostava muito de ir para a central, porque tinha alguns adeptos mais velhos que passavam o tempo a ofender os jogadores do Sporting que eram os meus autênticos ídolos e era uma coisa que eu não entendia.

 

O Benfica parecia uma equipa pujante com grandes jogadores, lembro-me por exemplo do Carlos Manuel que tinha sido a nossa grande estrela no Mundial do Mexico. Nós tínhamos uma equipa raçuda, exemplificada pelo grande Oceano e foi assim que marcámos um primeiro golo muito estranho pelo Mário Jorge com culpas para o Silvino que era o guarda-redes do Benfica. E foi com 1-0 e numa jogo normal e equilibrado que chegámos ao intervalo.

 

Delirei quando Manuel Fernandes a começar a segunda parte fez o 2-0, mas logo depois foi o balde de água gelada com o 2-1 na baliza do eterno Damas, a que se seguiu das coisas que eu ainda hoje mais detesto e nem consigo olhar: os festejos dos benfiquistas em Alvalade. Felizmente não faltou muito para o trapalhão Ralph Meade repôr a vantagem que tínhamos e depois sucedeu-se o inexplicável: mais 3 golos do Manuel Fernandes e mais um do Mário Jorge. Aquele golo de que eu mais me lembro foi um salto em peixe do nosso «capitão», a centro do Litos.

 

Cada golo era festejado como se tratasse de um campeonato e não queríamos que aquela tarde acabasse. Sentia-me literalmente a flutuar de felicidade abraçado ao meu pai, irmãos e outros sportinguistas que não conhecia. Olhava para a superior norte e viam-se bandeiras e cachecóis a arder (a fama de maus perdedores vem de sempre) e a maioria dos adeptos deles a sairem depois do 4-1. Que gozo !

 

Chegados a casa ainda me lembro de termos tido a felicidade de ver na televisão o jogo em diferido (cortesia do Sporting) com comentários do Rui Tovar e voltar a rejubilar com o que tinha acontecido e a perceber que era mesmo real e não um sonho. Confesso que depois já vi o jogo todo mais umas 20/30 vezes.

 

Segunda-feira lá na escola lembro-me de não conseguir deixar de sorrir completamente desconcentado nas aulas a reviver cada golo e a minha mochila (que ainda usei na faculdade) já tinha em letras bem gordas que duraram anos e anos: 14/12/86.

 

Dez anos depois nasceu a minha primeira filha. Mal sabe ela que embora tenham sido alegrias diferentes, lembro-me melhor de cada pormenor do que aconteceu em 1986 do que em 1996 :). 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:00

A relação de Jesus com Carvalho

City Lion, em 09.12.16

 

jj.PNG

 

Aproveitei o feriado para dar uma vista de olhos por alguns blogues assumidamente pró-Bruno Carvalho (ainda esta semana uma pessoa que trabalhou directamente para um tal de João Duarte confirmou-me aquilo que eu já sabia: que existem nesses e noutros blogues, como o nosso, vários assalariados indirectos do Carvalho a comentar) e 90% estão a fazer aquilo que já se previa depois do escândalo de Varsóvia: culpar Jesus e desculpar Bruno Carvalho. Não tenho qualquer dúvida que esta falta de solidariedade virá ao de cima caso a situação desportiva piore.

 

Bruno Carvalho, por incapacidade própria, falta de projecto/ideias e de equipa, entregou-se em Junho de 2015 a Jorge Jesus, que o salvou de ser logo corrido do Sporting, depois da forma vergonhosa como Marco Silva saiu. Jesus, como referiu publicamente, depressa percebeu o que Carvalho e a sua equipa (não) valiam e tomou 90% controlo do futebol do Sporting, desde a indicação do novo director desportivo a contratações e dispensas, passando até pela política de comunicação, numa clara deturpação do que deverá ser a hierarquia num clube. E Carvalho ainda se queixava de Marco Silva! Jorge Jesus só terá sido ultrapassado por Carvalho na surpreendente venda de Montero em Janeiro, que resultou da existência da tal “dupla almofada” ou “Champions de gestão” e que tanto nos prejudicou a época passada.

 

No segundo ano, Jesus apoiado por um bom fim de época, apesar de termos ganho "bola", perdeu qualquer respeito que ainda tivesse pelo Carvalho e dispensou e contratou quem quis (a única excepção foi Castaignos) com comissões milionárias à mistura (o caso Alan Ruiz é especialmente escandaloso) e ainda exigiu que Bruno lhe fizesse o mesmo que tinha feito em benefício próprio: a duplicação do seu vencimento base.

 

Hoje Bruno Carvalho sente-se completamente impotente. Por um lado, Jorge Jesus faz o que quer no futebol e não lhe passa cartão (ok não o proíbe de estar no banco), por outro, na relação com os adeptos, está cada vez mais refém de alguns membros das claques, aos quais vai pagando favores, nomeadamente pela oferta de centenas de bilhetes, muitos para revenda para benefício próprio, como aconteceu no jogo com o Real Madrid em casa e provavelmente neste jogo com o Benfica (pelas minhas contas ontem não foram disponibilizados nas nossas bilheteiras mais de 800 dos 3200 bilhetes que o Sporting tinha, o que é vergonhoso).

 

Para além disto ainda temos que aturar as constantes birras, ordinarices, faltas de desportivismo e respeito pelos adeptos que levaram Bruno Carvalho a, mais uma vez, virar as costas no fim do jogo a quem tanto se sacrificou para apoiar a nossa equipa. O que ele gosta mesmo é de voltas olímpicas e de se pôr à frente dos jogadores para receber os aplausos quando se ganha. Uma autêntica tristeza, agravada pelo facto de muitos darem como garantida a continuidade disto nos próximos anos!

 

P.S.: Ontem vi os últimos dez minutos do jogo do Gent na Turquia para ver se o Braga continuava na Liga Europa, o que seria importante na luta com os russos pelo tão importante 6º lugar no ranking da Uefa. A 5 minutos do fim, um jogador turco lesiona-se durante uma jogada perigosa dos belgas que estavam a tentar tudo para marcar o golo que lhe daria a qualificação. O belga que ia fazer um centro para a área optou para atirar a bola para fora para que o turco fosse rapidamente assistido, perante o desespero dos seus colegas e até do treinador. Nesse momento fiquei com a quase certeza que os belgas acabariam por vencer (ok contei também com o efeito Peseiro). O fair-play não só ainda existe, como até pode compensar. Infelizmente esta situação seria hoje quase impossível no futebol português, começando no nosso Clube que sempre esteve à frente neste capítulo.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:10

15 Dias Decisivos

City Lion, em 05.12.16

 

d3c47659f768bf452b82312542ef2814.jpg

 

Nas próximas duas semanas vamos jogar o futuro da nossa época.

 

Começa já 4a feira com a defesa da possibilidade de continuarmos nas competições europeias (um cenário alternativo seria quase impensável), passando pelo jogo na Luz onde todos acreditamos que podemos já passar para a frente, sem esquecer depois os muito importante jogos em Setúbal para a Taça e depois com o Braga e Belenenses para o Campeonato.

 

Sei que a equipa preparou-se para estar num pico de forma nesta altura e a derrota do Benfica na Madeira (onde estão agora aqueles que diziam que o Marítimo era uma equipa comprada pelo Benfica?) serviu para animar-nos, mas quando vejo o Presidente da AG a dizer disparates sobre os rivais e hoje o Bruno Carvalho na capa do Record a tentar já tirar proveito pessoal deste fim de semana mais positivo, fico logo de pé atrás. Ninguém os consegue calar nos próximos tempos?

 

O que mais precisamos agora é de foco total nos jogos e menos distracções que tanto nos custou a época passada e só espero que tenhamos aprendido a lição.

 

A última exibição na 1.ª parte deixou-nos optimistas mas é quase assustador perceber que para este ciclo decisivo apenas dependemos dos que já cá estavam a época passada, com excepção de Bas Dost (e a espaços Campbell) e já nem há a desculpa do tempo de integração dos reforços. 

 

Vamos então a eles com o que temos e com o apoio de todos !

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:59

Mais um erro central

City Lion, em 25.11.16

 

513913252.jpg

 

Depois de termos visto chegar nos últimos anos a Alvalade vários defesas centrais que manifestamente não têm qualidade para a  titularidade numa equipa como o Sporting, nomeadamente Maurício, Sambinha, Hugo Sousa, Matias Pérez, Paulo Oliveira, Naby Sarr, Rabia, Everton, Ciani e Naldo (e posso estar a esquecer-me de algum) e termos deixado sair Rojo (era quase inevitável) e precipitadamente as grandes esperanças Dier e Illori (dois erros do Sporting que vinham de trás, mas que o amadorismo desta Direcção tornou definitivos), finalmente chegou um com grande categoria: Sebástian Coates. 

 

O uruguaio pegou de estaca e, apesar de momentos de distracção como se viu no golo de Benzema, tem sido um dos esteios da nossa equipa e ajudado a disfarçar muitas das nossas limitações.

 

Infelizmente ainda está cá como emprestado e soube ontem que, depois da grande exibição contra o Real Madrid, a sua permanência em Alvalade na próxima época está praticamente colocada de parte, excepto se o Sporting quiser perder a cabeça com ele pagando-lhe ao nível da exorbitância que hoje recebe Bas Dost: acima de 4M € / ano, o que é completamente incomportável para a nossa realidade, mas, pensando bem, até nem me admirava que acontecesse dado o período pré-eleitoral que vivemos.

 

Mais uma vez se revela aqui o amadorismo e incompetência de quem hoje dirige o Sporting. Finalmente, depois de tantos "fiascos", acertámos num defesa central, mas não se soube acautelar a tempo os interesses do Sporting e, tal como aconteceu com Carrillo, vamos ver sair um jogador fundamental sem qualquer compensação financeira para o Sporting.

 

P.S.: Não refiro Douglas, porque ainda não percebi se vale alguma coisa, mas é dos tais que ganha brutos mais de 2M € / ano, o que me parece quase escandaloso em função da sua utilização até agora.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:20

Reforços cada vez mais laterais

City Lion, em 23.11.16

 

rtytryt.jpg

 

Muitos explicam mais uma derrota frustrante (e como disse há dias a oportunidade era única com um Real Madrid cansado e com várias baixas importantes, a que se somou a de Bale durante o jogo) com a fraqueza dos nossos defesas laterais. É capaz de ter um fundo de verdade e ontem das imagens que me ficaram do jogo foi uma jogada na qual o Marvin faz um 'sprint' tremendo para evitar que uma bola saísse pela linha lateral ... e proporciona um perigoso contra-ataque do Real Madrid e outra em que o Schelotto numa daquelas suas corridas desenfreadas se "enfia num buraco" e em vez de tentar ganhar um lançamento ou tentar voltar para trás ... continua a correr em frente para fora do campo (tipo Forrest Gump).

 

O pior foi ainda o João Pereira que a jogar nos limites dos índices físicos e de agressividade resolveu voltar a castigar o Sporting, tal como aconteceu num jogo contra nós com o Benfica para a Taça de Portugal, mas aí foi ao contrário quando fez uma fita depois de um "encosto" do Hugo Viana que levou à expulsão deste e a consequente eliminação do Sporting. Indesculpável esta traição aos sportinguistas. E o pior é que ainda temos um treinador a desculpar este jogador por uma atitude que nos custou tão caro - como é que é possível? E ainda nos queixamos do árbitro que não viu uma mão do Campbell antes do penálti e mesmo nessa jogada considerou faltoso um salto para a piscina do mesmo Campbell ?

 

Mas esta é uma questão que eu diria quase lateral. O mais grave ontem foi que no jogo mais importante da época em termos de prestígio e até financeiramente, com uma grande enchente, procurámos pelos reforços desta época e encontrámos muito pouco. Apenas um Bas Dost que está muito longe de fazer esquecer Slimani (ontem a decisão depois da oferta do Sergio Ramos foi paradigmática) e uns minutos de Campbell (esforçado e pouco mais) e poucos de André (compará-lo com o grande Liedson é quase uma heresia). Que é feito de Alan Ruiz, Bruno Paulista, Markovic, Petrovic, Elias, Castaignos, Meli e Douglas? Estamos a falar só nestes num investimento de cerca de 20M €, sem contar com os salários que em alguns casos são escandalosos para a realidade portuguesa.

 

O que ainda vai valendo ao Sporting, depois de cerca de uma centena de contratações cirúrgicas da era Carvalho é a "prata da casa" e ok ontem também gostei muito do emprestado Coates até ao erro final fatal (mais um que fez esta época). 

 

Enfim nunca tínhamos perdido em casa com o Real e tentam agora dizer-nos que a equipa está de parabéns e sei lá mais o quê e que fez um grande jogo (Navas nem uma defesa fez). Até o fraco Legia de Varsóvia fez muito mais do que nós (não irmos lá pelo menos empatar seria um cenário dramático e impensável na véspera de irmos à Luz).

 

Faz-nos muita falta outro grande reforço que é termos cultura de exigência e pararmos com a conversa do "para o ano é que é" ou "estamos em crescimento" que já não se aguenta.

 

P.S. Ontem o mesmo de sempre lá esteve ontem em campanha e achei uma especial graça ao desprezo paternalista que o Ronaldo lhe dispensou. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:47

Difícil mas possível

City Lion, em 22.11.16

 

sporting-cp-real-madrid-7191454_png.jpg

 

Depois de termos dado muita luta em Madrid, temos hoje razões para acreditar que desta vez podemos mesmo fazer um bom resultado. Já não podemos contar com um Real Madrid meio apático como naquele jogo, mas por outro lado eles não contam com alguns dos jogadores que lá estiveram como Pepe, Sergio Ramos, Kroos e Morata (o problema é que os outros também são muito bons como se viu no derby de Madrid) e pode ser que venham mais cansados do jogo com o Atlético.

 

Podemos fazer história e, neste caso, a história até nos mostra que não é de todo impossível. Hoje é a 3a vez que irei ver o Sporting em casa com o Real e até agora o saldo nem é mau: 1 empate e 1 vitória.

 

Em 1994, na Taça Uefa, vínhamos de uma derrota por 1-0 em Madrid e só com muito azar não conseguimos dar a volta à eliminatória. Ainda hoje não percebo como não entrou uma bola perto do fim pelo Juskowiak que nos daria o 3-1. Laudrup e Raul foram os jogadores que mais me impressionaram neles. 

 

 

Depois em 2000, na Champions, não conseguimos aguentar uma vantagem de 2-0 como que levámos o jogo para o intervalo e acabámos por empatar 2-2. Sá Pinto e André Cruz puseram-nos na frente mas depois na 2a parte começou um autêntico vendaval ofensivo do Real Madrid e o empate até acabou por não ser mau de todo contra aqueles “galácticos”. Lembro-me que Figo encheu o campo nessa 2a parte e que o Roberto Carlos, tal como o André Cruz, marcou um golaço de livre (na minha baliza).

 

 

Hoje tudo é possível. Vamos a eles leões !

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:23

O nivelamento por baixo da I Liga

City Lion, em 21.11.16

 

liga_portugal_34695.jpg

 

Só os mais distraídos é que podem ter ficado surpreendidos com os resultados de ontem dos jogos da Taça de Portugal entre equipas do Campeonato de Portugal (antiga 3.ª divisão) e as equipas da I Liga. Para além das derrotas de Nacional e Paços de Ferreira, de destacar ainda as dificuldades que o Tondela teve para ganhar o seu jogo. Só o V. Setúbal e o Sporting venceram os seus jogos mais tranquilamente.

 

O que se passa é que a I Liga está cada vez menos competitiva. Equipas que eram fortes, como o Paços ou o Nacional, estão bem mais fracas, como aliás vimos nos jogos miseráveis que fizeram esta época contra o Sporting. Basta isto para explicar o passeio que o Benfica tem feito nas cerca das ultimas 30 jornadas do Campeonato (já cansa a conversa da mala, como se isso justificasse por exemplo a goleada que o Benfica deu sábado ao Marítimo, mais uma equipa mesmo muito banal hoje em dia) e até em certa medida do próprio Sporting, embora algumas distracções e falhas de humildade nos tenham causado a perda de pontos cruciais.

 

Existem explicações de diversa ordem para esta quebra na competitividade das equipas da I Liga, nomeadamente a crise financeira que afastou apoios públicos, investidores e patrocinadores e provocou a necessidade de contenção de custos.

 

Outra explicação, que estranhamente poucos referem tem a ver com o amadorismo dos dirigentes, que não conseguiram dar o salto qualitativo que, a exemplo, verifica-se ao nível da preparação física das equipas, das condições para o treino e até nos departamentos médicos (aqui com destaque para o nosso e digo isto com algum conhecimento de causa). Se é possível ser presidente do Sporting quem pouco ou nada provou sobre gestão e muito menos sobre gestão desportiva, imagine-se o que se passa nos outros clubes. Depois ainda ficamos surpreendidos com casos como o do "túnel da vergonha" que ajudam a que os patrocinadores pensem duas vezes antes de investir neste desporto.

 

Aqui o contra-ponto e o exemplo a seguir é a Federação Portuguesa de Futebol onde se nota um muito maior profissionalismo e competência que tanto contribuiu para a vitória do Euro. E parem lá com a conversa da selecção do Jorge Mendes pois isso é de uma injustiça enorme para o Fernando Santos que não tem que provar a ninguém que é um homem bom e independente.

 

Até a própria arbitragem já não tem nada a ver com o que era, embora haja aqui ainda grande margem para melhoria, mas são por exemplo cada vez mais os árbitros que apitam "à inglesa", que querem deixar jogar e contribuir para o espectáculo.

 

Os treinadores também mostram maior formação e preparação, mas infelizmente a “obsessão pelo pontinho” continua a trazer espectáculos muito pobres aos nossos Estádios, contribuindo para assistências ridículas em quase todos os jogos que não envolvam os grandes (aqui um elogio aos adeptos do V. Guimarães que continuam a dar espectáculo nos jogos que a sua equipa tem feito fora). A culpa é aqui também dos dirigentes que não têm cultura desportiva e que só querem "safar a sua pele" no curto prazo.

 

Acredito que uma eventual centralização dos direitos televisivos terá aqui um papel importante para aumentar esta competitividade da I Liga e só tenho pena que não seja o Sporting a liderar esta batalha e, pelo contrário, a darmos nas vistas no que o desporto tem de pior como vimos a semana passada.

 

Sem dúvida que uma das grandes vantagens do Real Madrid em relação ao Sporting é ter todos os fins-de-semana jogos bem exigentes, ao contrário de nós e isso faz muita diferença que espero amanhã consigamos disfarçar. Não digo que possamos rivalizar aqui com Espanha mas que existe uma grande margem de melhoria não tenho dúvidas e que deve começar pela renovação a nível dos dirigentes, se possível com a entrada de cada vez mais pessoas com passado no desporto.

 

P.S.: Depois de vaticinar que o Slimani iria esta época marcar 50 golos na Premier League e comparar André com Liedson, agora Jesus comparou Gelson a Figo. Eu aconselhava-o alguma prudência (obrigado Jesus pela ajuda que nos dás numa altura em que negociamos a renovação de contrato do Gelson) e só tenho pena que não haja ninguém que o cale. É o que dá termos um presidente completamente refém dum treinador.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

A patética volta presidencial

City Lion, em 18.11.16

 

UR3P2GBB.jpg

 

Ontem ganhámos com toda a naturalidade sem forçar muito. De positivo destacaria a exibição de Bruno César, alguns pormenores do Adrien e a boa entrada do André (daí a compará-lo com o Liedson parece-me para já um manifesto exagero).

 

De negativo, para além da fraca assistência (faz pena as claques que deviam apenas apoiar o Sporting serem tão obviamente instrumentalizadas), mais uma exibição miserável do Alan Ruiz (um dia esta contratação e respectivas comissões terão mesmo que ser muito bem explicadas porque, em comparação, até não ficam tão mal vistas as outras contratações cirúrgicas de jogadores como André Geraldes, Aquilani, Azbe Jug, Castaignos (ontem esforçado e só isso), Ciani, Cissé, Dramé, Elias (esqueci-me que estava em campo), Enoh, Everton Tiziu, Gauld, Heldon, Petrovic, Rabia, Rossel, Saar, Sacko, Sambinha, Shikabala, Slavchev, Tanaka, etc etc, sem contar os vários empréstimos falhados (dá-me ideia que aqui o Markovic vai ser o mais significativo) e estou a dar uma tolerância muito grande a jogadores que ainda não renderam mas que eventualmente um dia poderão vir a render.

 

Não posso deixar de destacar a volta presidencial no fim do jogo que surpreendeu muitos dos adeptos presentes mas que eu antes do jogo já previa. Só mostra que o Carvalho está mesmo em pânico e precisa cada vez mais de sentir e ir buscar apoio porque vê o chão a fugir-lhe debaixo dos pés. A coisa meteu vénias e tudo. 

 

Eufórico por golearmos o enorme Praiense, depois do susto inicial, não resistiu a mais uma demonstração do seu ego exacerbado e de mais uma iniciativa de campanha eleitoral. Só tenho pena que não tenha tido o mesmo comportamento junto dos nossos adeptos que foram à Madeira ver o jogo com o Nacional ou antes no empate em casa com o Tondela ou nos maus resultados em Guimarães e Vila do Conde ou até com o Benfica em casa a época passada. Aliás sempre que as coisas correm mal ele foge dos adeptos e deixa a equipa técnica e jogadores entregues a si e aos assobios. Cada vez mais me lembro da frase certeira que o Nani lhe dirigiu há uns anos: “quem não sabe perder também não sabe ganhar”.

 

P.S.: Terça-feira temos uma oportunidade única de ganhar ao Real Madrid que, ao contrário de nós virá de um jogo muito exigente três dias antes, não está em grande forma como vimos recentemente no empate que arrancaram mesmo no fim contra um fraco Légia de Varsóvia e ainda começa a estar com uma onda de lesões (embora a riqueza do plantel dê para compensar muita coisa aqui, mas sem querer ser maldoso, ainda bem que não teremos em Alvalade Kroos, Casemiro e Morata enquanto Benzema, Pepe e Modric em princípio não estarão a 100%).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:30

 

Eduardo-Barroso.jpg

  

Li agora a correr o artigo do Eduardo Barroso de hoje no A Bola e finalmente pareceu-me que fartou-se do Bruno Carvalho e cito de cor estas frases: "Quando acaba esta vergonha .. haja decoro, haja decência". Finalmente! Mas também depois do que se passou era o que faltava não ter aberto os olhos.

 

Mas afinal não, ele continua mesmo a defender o seu "afilhado", ajudando a encher-lhe o ego inflamado (que o padrinho também tem) e a lançar o nosso nome para a lama. Está a fazer um papel muito parecido com o que o simpático António Sala fez no Benfica há uns anos. Que pena o Bruno Carvalho só se rodear de "yes-men", é que ele até tem algumas qualidades que bem guiadas poderiam atenuar os seus enormes defeitos.

 

Barroso que ajudou a lançar um assassinato de carácter ao Marco Silva quando ele era treinador do Sporting, queixa-se agora de quem critica o carácter do Carvalho. É preciso ter muita lata!

 

No final desta história vamos ter muitas pessoas que vão ficar muito mal na fotografia e o apoiante de fundos russos e de lavagens de dinheiro é um dos principais.  

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:00

Que nojo !

City Lion, em 15.11.16

 

mw-640.jpg

  

Cheguei ontem tarde a casa depois de já ter visto no telemóvel algumas das imagens do "túnel da vergonha". Acompanhado de alguns dos meus filhos vi as imagens que estavam a passar na SIC e fiquei chocado, mas não surpreendido. Eles estavam boquiabertos. 

 

Quando se pensava já termos visto tudo do Bruno Carvalho em termos de ordinarice, desde ofender e ameaçar sócios e adeptos do Sporting, orgulhar-se de ter pensado em agredir um árbitro e não o ter feito "porque ele era capaz de gostar" e dizê-lo numa Assembleia Geral, comparar clubes rivais com nádegas, brincar com o nome sugestivo de um jogador estrangeiro, provocar a confusão num jogo de hóquei em casa pondo em causa a integridade física de mulheres e crianças, etc., o que vimos ontem na televisão ainda tenha sido talvez o mais grave. E ele ainda tem a lata de ser fazer de "virgem ofendida" e defensor da ética e da regeneração do nosso futebol!? O pior é que ainda há gente (mesmo sabendo que vários são assalariados do Carvalho) que o tenta defender, mesmo nesta situação indigna para qualquer pessoa quanto mais para um Presidente do Sporting Clube de Portugal. E o pior é que já ninguém se surpreendeu com o que viu.

 

Eu que joguei futebol, lembro-me de ter sido agredido duas/três vezes por adversários, mas de longe o pior de tudo foi ter levado com uma cuspidela, que considero a mais repugnante ofensa que se pode fazer a uma pessoa e dos maiores sinais de desprezo e ódio.

 

Lembro-me ainda de uma vez num jogo na velha nave de Alvalade ter passado junto de mim um dos árbitros que tinha a cara a escorrer cuspo lançado pelos adeptos e fiquei enojado e envergonhado e já não consegui ver mais o jogo e o mesmo se passou no final da Taça que perdemos com a Académica há uns anos. 

 

Eu quero lá saber se houve provocação de gente ordinária, que acredito terá sido mútua e a história já vem de trás como todos sabemos e é evidente que o Bruno Carvalho está lá a fazer uma espera depois de provavelmente nos bancos terem combinado encontrarem-se no fim do jogo, o que fez com que pela primeira vez depois duma vitória e como quase sempre faz depois de um mau resultado Carvalho ter saído directo para os balneários sem agradecer ao público. E depois em vez de se afastar da confusão não resiste a ir espreitando e continuar a mandar bocas.

 

Miserável ainda a conversa de que no meio do cuspo possa haver também o tal fumo de vapor líquido como se isso desculpasse a atitude nojenta. O que se passou é demasiado grave e envergonho-me cada vez mais de termos o Bruno Carvalho como presidente do meu clube.

 

Tudo se passou perante o "testemunho" de fotografias de ídolos nossos que concerteza nunca pensaram que se pudesse baixar tanto de nível num clube que (quase) sempre se distinguiu pela elevação e categoria.

 

Acredito que o Bruno Carvalho ficou total e definitivamente desmascarado e tudo o que aqui fomos dizendo sobre a personalidade dele está já mais que provado. 

 

O carácter, a categoria e o civismo do presidente do Sporting é muito importante e deve ser um tema central na discussão das próximas eleições. Quase todos os comentadores dizem que o Bruno Carvalho tem as eleições "no papo", mas eu acredito que esta tese se fica a dever ao não conhecimento da honradez e desportivismo da esmagadora maioria dos sócios sportinguistas que não são... "carneiros".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:00

O pequeno ditador

City Lion, em 14.11.16

 

Kim Jong-Brun 2.png

 

Desculpem voltar ao mesmo tema que já deve cansar os leitores, mas é cada vez mais urgente desmascarar o pequeno ditador que se hoje já se julga dono do Sporting e que devemos confundir o clube com ele, imagine-se o que será se for reeleito nas próximas eleições.

 

Este discurso da última sexta feira é paradigmático do insuportável que ele é, usando aqui o adjectivo que ele usou no início do discurso. Basta ver só os primeiros cinco minutos do discurso para lhe tirar a pinta.

 

Começa logo a tratar as centenas de convidados como crianças. Aquela coisa inicial de repetir o "Boa noite" para ver se há uma maior reacção é igual ao que os palhaços fazem no circo em relação às crianças. 

 

Depois a forma arrogante e desrespeitosa como trata o organizador dos Rugidos do Leão com a questão da luz é vergonhosa. Quem é que ele se julga para tratar assim publicamente quem o convidou e a quem o Sporting tanto deve?

 

Agora até já muda a visão dos fundadores trocando a Europa pelo Mundo e assim já se podem incluir na comparação clubes como o Penarol, o Palmeiras, o Boca Juniors e até os NY Red Bull :). Que falta de noção. 

 

Seguiu-se a habitual 'lenga-lenga' escrita do Sporting ser um clube desgraçado até ele chegar e depois estar hoje fantástico. Quando o Bruno Carvalho diz que é "gente de palavra que honra os seus compromissos" a sério que me parti a rir.  

 

Outro momento inacreditável é quando ele diz logo depois que "se eu tiver a incomodar os talheres é dizerem-me", seguido de um "ou leio as duas páginas ou daqui a três minutos tenho que sair". A chantagear sportinguistas que ao contrário dele pagaram para ir à festa e que foram lá ter por transporte próprio? Quem é que ele se julga?

 

Isto só se explica com duas coisas: ele acha mesmo que é o Sporting (tipo Rei-Sol) e trata-nos como pobres súbditos que só temos é que agradecer o enorme privilégio dele estar a liderar o nosso clube e ai de quem discordar da agenda pessoal dele ou, ainda pior, candidatar-se contra ele nas próximas eleições.

 

Acaba a dizer que sabe que vai ganhar as eleições mas pode ser que tenha uma surpresa em Março (é melhor começarmos a ganhar qualquer coisa) e que os sportinguistas lhe mostrem que ninguém está acima do Sporting, muito menos alguém sem qualquer nível, mentiroso compulsivo, cuja prioridade é a auto-promoção pessoal e que obviamente está a servir-se de forma retroactiva do Sporting.

 

Atenção que, ao contrário de outros, não quero com isto dizer que nos esteja já a roubar nomeadamente em comissões (que dispararam no seu mandato), como provavelmente outros responsáveis fizeram no passado, mas quando acaba o discurso a dizer que uma das coisas de que sente mais orgulho é nunca ter utilizado o Sporting para resolver um problema pessoal dele, referindo-se às dívidas que tem ao fisco por incompetências anteriores, ficou-me uma "pulga atrás da orelha", porque era o que mais faltava que ele fizesse o contrário e não é preciso orgulhar-se disso. 

 

P.S.: O investimento enorme feito este ano nas modalidades em ano de eleições até agora não está a resultar (ontem fomos goleados no hóquei por um dos últimos classificados numa exibição muito fraca), com excepção do futsal onde sempre fomos fortes, mesmo sem investimentos deste nível e com jogadores com os quais a empatia com os adeptos era muito maior.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:48

 

image.png

 

Não queria falar muito de mais um jogo mediano que felizmente acabámos por ganhar facilmente ou já de mais uma vergonha protagonizada pelo Bruno Carvalho no fim do jogo (até porque não se sabe ainda bem o que se terá passado, mas o que está a vir a lume é demasiado preocupante e expectável). 

 

Queria antes registar o meu repúdio pelo triste espectáculo dado ontem pelo "speaker" do Sporting, o já  célebre "Botas", que apresentou em campo o Bruno Carvalho com todo o género de elogios / graxas muito exagerados e que até o próprio, se tivesse alguma noção, não teria gostado.

 

Mais tarde, a despropósito na conferência de imprensa, tivemos grandes elogios do Jesus ao mesmo Carvalho que afinal até está a montar a tal estrutura que ao fim de mais de dois anos de Carvalho estava no nível zero, como o próprio Jesus fez questão de dizer publicamente.

 

São fortes sinais de campanha eleitoral e até já de algum desnorte. Haja o mínimo de decoro aos assalariados do Sporting e peço que não façam campanha por ninguém e que deixem os sportinguistas escolher (e não Bruno Carvalho não será o Benfica que irá apoiar alguém porque os benfiquistas já há uns anos têm em Alvalade o maior aliado deles e que os ajudou a chegar ao tri-campeonato e quem sabe a um inédito tetra-campeonato.)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

Sinais de desespero

City Lion, em 03.11.16

 

img_770x433$2015_10_17_10_50_00_1021316.jpg

 

Nem queria acreditar mas o Eduardo Barroso veio dizer que afinal as eleições no Sporting, com o Carvalho a Presidente, só devem ocorrer de 8 em 8 ou até de 12 em 12 anos e que só nessa altura é que “devemos fazer as contas” do seu "consulado". Esta obsessão com as eleições vem do Carvalho que, mesmo em dias de jogos importantes como o de Dortmund, só pensa em contar espingardas e fazer campanha eleitoral. Se quaisquer dúvidas houvesse quanto ao que verdadeiramente o move (a mim ele nunca me enganou), ficaram assim completamente esclarecidas.

 

Bruno Carvalho avisou ao que vem: quem ousar intrometer-se entre ele e os seus novos rendimentos é logo rotulado de benfiquista, rato, híbrido, etc. Vai vender muito cara a derrota, por mais que isso custe ao Sporting e não hesitará em deixar ao seu sucessor um clube completamente dividido e fragilizado. Um discurso vergonhoso que muitos dos seus apoiantes não gostaram, até pelo que revela de medo de perder as eleições e egoísmo.

 

Outro discurso lamentável foi o de Jorge Jesus que, depois de mais uma oportunidade perdida de fazermos um bom resultado, veio lembrar a falta que faz um dos piores profissionais que já passaram pelo Sporting. É evidente a “troca de galhardetes” que se podem ler entrelinhas entre Presidente e treinador (não acredito que o problema seja só uma questão financeira como me disseram) e que já assistimos incrédulos no tempo de Marco Silva. Nessa altura esta guerra acabou com o Presidente a correr com o treinador, desta vez acredito que se pode dar o inverso e não Eduardo Barroso, talvez não seja preciso esperar tantos mandatos.

 

Mais do que nunca o Sporting precisa de um grande líder que sirva o clube e não se sirva dele e que pela sua integridade, competência e sportinguismo consiga unir o clube e que apoiado por uma boa equipa, de uma vez por todas, consiga colocar na rota do crescimento sustentado e das vitórias. Será que essa pessoa está preparada para o que a espera da parte de Carvalho que já mostrou que vai valer tudo, mas mesmo tudo, para "não cair"?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:30

 

20015480_sacoN.jpg

Não vou falar de mais uma exibição e resultado deprimente, nem das reacções públicas de Jesus e de William Carvalho, um a arranjar desculpas esfarrapadas (é preciso lata para falar em anti-jogo quando nós passamos o tempo a fazer "jogo passivo") e até a bajular-se de não termos perdido nenhum dos últimos 3 jogos do campeonato e o outro orgulhoso por os jogadores terem "honrado a camisola" e a dizer banalidades como as contas fazem-se no fim (o mesmo jogador que insistia a época passada que ainda estávamos em 1º depois do empate em Guimarães): este é o resultado de vários anos de criação da tal cultura de exigência à Bruno Carvalho.

 

Prefiro antes destacar mais uma reacção vergonhosa do presidente do Sporting que, tal como faz quase sempre que o resultado é mau, mal acabou o jogo e depois de uma rápida passagem perdido e só no meio do campo, refugiou-se nos balneários enquanto a equipa técnica e os jogadores eram “enviados aos lobos”, neste caso para aguentar a natural reacção de insatisfação dos adeptos. Aquela cara a olhar para o vazio e parado quando as coisas estão difíceis dentro do campo é o que um líder nunca deve mostrar.

 

Depois de ouvir Jorge Jesus dizer na conferência de imprensa, numa clara indirecta do mesmo género que o Nani fez no mesmo sítio há duas épocas: “os jogadores no fim do jogo não fugiram e quisemos todos mostrar uma atitude de compromisso e responsabilidade e não virámos as costas“, Carvalho ainda tentou emendar a mão e à saída do estádio lá conversou com alguns adeptos e no dia seguinte num núcleo (em plena campanha eleitoral) e em reacção a protestos na sala até ofereceu-se para “ir conversar à mesa” com quem protestava. Jeito para "paleio" ele tem.

 

Mas o mal estava feito e  já não dá para esconder que todos, especialmente os jogadores, sabem com o que contar: em caso de mau resultado o Bruno Carvalho esconde-se (deve ser para entrar em introspecção como ele diz) e abandona-os à sua sorte e, em caso de vitória, faz aquelas figuras como na final da Taça de Portugal ou nas tantas vezes que se pôs à frente dos jogadores para receber no fim de jogos os aplausos dos adeptos.

 

Por falar na ida aos núcleos parece que agora pagamos (com retroactivos) para ter um presidente tipo Zandinga. O ano passado disse a certa altura que os rivais “podem continuar a olhar para cima que nós não saímos do 1º lugar”. Agora este ano até já diz que vamos ser campeões em todas as modalidades. Gostava muito que fosse verdade mas acho muito difícil, a começar no futebol e olhando para o historial de previsões do nosso presidente Zandinga ainda tenho mais razões para desconfiar. A não concretizar-se aquela previsão uma coisa é certa: serão de longe os segundos e terceiros lugares mais caros de sempre da nossa história seja em que modalidade for.

 

PS Peço a todos os que querem vir aqui fazer campanha a favor da reeleição do Bruno Carvalho que se limitem sff ao tema do post para não cansar os leitores com propaganda barata e já gasta.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:00

 

1507-1.jpg

 

Confesso que me tem sido penoso ler notícias desportivas esta semana com a patética glorificação do presidente do Benfica (o que o Bruno Carvalho não daria para lhe fazerem isto) e a sequência do nosso desaire de sábado. 

 

Reparei que o Bruno Carvalho foi um destes dias "apadrinhar" um livro de estatísticas do Sporting que contraria a tese que anda recentemente a defender acérrimamente que afinal já ganhámos 22 e não 18 campeonatos. Isto é já um sinal de desespero que o leva a fazer o que fôr preciso para agradar àqueles que tanto fizeram para ele chegar a Presidente do Sporting e de quem tanto vai precisar para lá se manter: os jornalistas (neste caso o sportinguista Rui Miguel Tovar).

 

O Carvalho, na ocasião, ainda disse qualquer coisa sobre ter a certeza de sermos campeões esta época. Quantas vezes tivemos que ouvir isso a época passada com os resultados que se conhecem? Não aprendeu nada? Felizmente e ao contrário do rescaldo do empate o ano passado com o Tondela desta vez já não o ouvimos publicamente a ameaçar dar "pontapés no c..." a árbitros.

 

Entretanto vi ainda aqui no Camarote Leonino que continuamos noutra polémica com o Benfica relacionada com um castigo a um jogador de futsal deles. Podemos até ter toda a razão do nosso lado (embora deteste vitórias na secretaria), mas nesta questão só me lembro da vergonha de termos tido um dirigente nosso que perdeu a cabeça e que comprovadamente agrediu um jogador adversário. Num clube normal e sério esse dirigente teria imediatamente pedido a demissão que seria logo aceite e, caso não tivesse esta atitude óbvia, teria que ter sido demitido pela Direcção, por mais competente que ele fosse. Nada disto se passou infelizmente neste "novo Sporting" que tanto fala de ética e valores mas que todos os dias dá exemplos do contrário.

 

Vamos lá mas é jogar bem amanhã e ganhar sem espinhas a uma equipa que é das que eu menos gosto e que mais mal tem feito no passado fora de campo ao Sporting e que, talvez como prémio desse seu passado, até já teve esta época direito ao empréstimo de um jogador nosso.

 

O treinador do Nacional lembra-me ainda um episódio de um jogo há uns anos contra o Benfica durante o qual, quando a sua equipa sofria uma pesada derrota, foi humilhado / insultado vergonhosamente pelo treinador adversário que nesse dia, se dúvidas, houvesse mostrou nesse dia a personalidade que tem. Esse treinador é hoje nosso e ou ele começa a ter resultados depressa ou é mesmo capaz de deixar de o ser.

 

Respeitar o Sporting e a nossa história não se aprende no "Almanaque do Leão"!

 

 

P.S.: Já agora calem-se por favor com a conversa da brilhante época do ano passado na qual apesar da duplicação da massa salarial, não conseguimos entrar na Liga dos Campeões (ok já sabemos que aqui a culpa foi só do árbitro), fomos humilhados por uma equipa da Albânia e saimos cedo da Liga Europa, deixámos escapar uma vantagem de 7 pontos no campeonato, fomos precocemente eliminados da Taça de Portugal e, com excepção dos ultimos nove jogos, oscilámos sempre muito em termos exibicionais (a diferença para o início deste ano é que mesmo jogando mal no ínicio da época em jogos como fora com o Tondela, Rio Ave e Arouca ou em casa com Estoril, Belenenses e Nacional acabámos por ganhar, na maioria das vezes mesmo no fim dos jogos. Ah é verdade ia-me esquecendo que ganhámos a fantástica Supertaça e que só isso justificou a renovação e quase duplicação do ordenado do Jesus (será que também teve direito a retroactivos?) e do Carvalho.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:00

Calma ainda nada está perdido !

City Lion, em 24.10.16

 

o-que-significa-keep-calm-em-portugues.jpg

 

Estamos todos hoje a sentir na pele as consequências daquilo que temos vindo aqui a alertar há muito tempo. Isso não me traz prazer nenhum, antes pelo contrário. Nem a derrota vergonhosa com os albaneses ou o empate histórico com o Guimarães me fizeram sentir tão triste como Sábado com uma exibição a roçar o ridículo.

 

Mas, passado um dia e meio e mais a frio, a verdade é que apesar de tudo, ainda podemos ter a ambição de ganhar o principal título este ano. Não existem motivos para entrar (já) em depressão e a sermos assim estaremos a ser iguais aos benfiquistas que num dia vão do 80 ao 8, o que não me admira neste processo de lampionização em curso em que o Bruno Carvalho nos meteu.

 

A equipa não é tão má como agora se diz e não é por acaso que é de longe o plantel mais caro de sempre do Sporting com um orçamento semelhante aos rivais. Temos gente nova com muito talento especialmente aqueles que vieram da formação pré-Carvalho como Ruben Semedo, Gelson (está-me a surpreender muito), Matheus Pereira (tem que começar rapidamente a jogar) e até Esgaio (embora eu ache que ele tem pouca cabeça). Temos ainda jogadores também dessa formação já mais batidos que até estão mais confiantes e maduros do que nunca depois de terem sido campeões europeus como Patricio, William e Adrien (volta depressa!). Este núcleo duro vive e sente o Sporting e é o ideal para integrar reforços prometedores que chegaram este ano como Bas Dost e.  .. ok como Bas Dost. Infelizmente este processo de integração não estará a correr bem e a forma como Campbell (que acredito até pode vir a ser o nosso 2º avançado) festejou o nosso golo, no que foi pateticamente seguido pelo inenarrável Otávio Machado, mostra que, seguindo o exemplo da dupla Carvalho/Jesus, temos jogadores que pensam primeiro neles e só depois no Sporting.

 

Markovic e Elias são agora os nossos novos patinhos feios mas assobiá-los durante o jogo é dar autênticos tiros nos pés. Eles têm alguma culpa de terem sido contratados e ganhar balúrdios? Um a tentar valorizar-se e o outro que já cá tinha mostrado o que valia como jogador e como pessoa. Muito pior é o caso do Alan Ruiz que depois de termos gasto 8 milhões com ele tem a lata de aparecer em Alvalade com 9 quilos a mais, já para não falar das outras dezenas e dezenas de contratações falhadas nos últimos tempos (ontem reapareceu o Rossell ... tão fraquinho). Dos outros reforços Castaignos até não me pareceu mau jogador e ainda pode ser que Meli venha a ser aposta porque na pre-época deu algumas boas indicações.

 

A espinha dorsal da nossa equipa chega e sobra para ganhar "sem espinhas" a esmagadora maioria dos jogos duma cada vez mais nivelada por baixo Liga portuguesa. Ontem vi 10 minutos do Moreirense Rio Ave e outros 10 do Estoril Guimarães e sinceramente nem há palavras para descrever a pobreza dos jogos e dos jogadores. O próprio Tondela mal conseguia fazer Sábado uma jogada com princípio meio e fim, mesmo sem grande pressão do Sporting.

 

Assim e apesar dos actuais 5 pontos de atraso (e já com 5 jogos em casa ao contrário do Benfica que só fez 3), ainda acredito que chegaremos a Dezembro ao jogo na Luz ainda bem dentro da luta pelo título e, pela forma como o Benfica defende mal (apesar das lesões o ataque é dificil de parar com craques como Mitroglou e Cervi que nos fazem muita falta), não vejo porque não possamos voltar a ganhar na Luz e ainda arrancar para o tão desejado título.

 

A verdade é que ainda nada está perdido ... se conseguirmos evitar que esta onda de depressão tome conta de nós. Temos que começar já por jogar bem e ganhar 6a feira a um Nacional que vi ser facilmente esmagado pelo Porto e que me parece perfeitamente ao nosso alcance.

 

Sabemos que quem lidera o clube e a equipa não serão os que conseguirão passar agora confiança e tranquilidade aos jogadores. Ambos já fizeram questão de chamar a si os louros quando as coisas correm bem e passar para os jogadores as culpas de quando as coisas correm mal. Ambos são maus ganhadores e maus perdedores e começam a revelar algum desnorte. Assim apelo aos jogadores que não lhes liguem e joguem apenas por nós simples adeptos que vos temos dado um apoio inexcedível e que merecemos muito, mas muito mais do que nos deram no Sábado.

 

O problema é que se as coisas continuarem neste caminho, Jesus nunca poderá sair (não temos 25 milhões para lhe pagar!) e a ter que sair o próprio Bruno Carvalho isso só acontecerá depois de umas eleições muito duras nas quais tudo vai valer para denegrir o adversário e dividir o clube. O Carvalho e e os seus apaniguados (que agora já em desespero até tentam distanciá-lo de Jesus) farão a vida negra a quem o suceder e para além de um clube num estado de falência moral, financeira e desportiva ele herdará um clube dividido. Quem é que terá coragem? 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

A troca de identidade

City Lion, em 10.10.16

 

ng1987743.jpg

 

Neste interregno do campeonato de futebol e no meio de tantas acusações e ordinarices entre Benfica e Sporting, acabei por ligar mais à final da Supertaça de futsal do passado Sábado. No fim o que mais me entristeceu até nem foi a derrota numa competição menos importante, foi a constatação que, aparentemente, trocámos de identidade com os outros.

 

Habituado a termos a equipa menos apetrechada financeiramente mas sempre a mais raçuda, combativa e exemplar em fair-play, comandada na baliza por alguém que respirava o clube, verifiquei que essa equipa estava agora do outro lado e que a nossa se destacou pelo contrário. 

 

Para além disso, confesso que ainda me custa muito ver na nossa baliza um dos jogadores dos rivais com quem mais embirrava e que ainda me faz ter mais saudades do nosso grande João Benedito que ainda ninguém percebeu porque saiu antes de ver concretizado o seu sonho de jogar no novo pavilhão.

 

E assim prossegue o nosso caminho de lampionização.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:00

A promoção dos "lampiões"

City Lion, em 07.10.16

 

graffitiF.jpg

  

Confesso a minha embirração desde quase sempre com o Benfica, até porque os conheci melhor como seu adversário em campo. Os seus adeptos são, em geral, arrogantes e convencidos, talvez porque pertencem a uma maioria demográfica no nosso país, pelas suas conquistas passadas (que exageram) e para os quais a única coisa que interessa é somente a vitória e não a forma de lá chegar, até porque muitos escolheram ser desse clube exactamente por ter sido mais ganhador no passado (e infelizmente agora também quase hegemonicamente por acaso desde a chegada a Alvalade do Bruno Carvalho).

 

É claro que, como em tudo, não se deve generalizar, mas o Sporting sempre foi diferente, talvez por termos menos adeptos e ganharmos menos títulos, nomeadamente no futebol, mas também pelo perfil sociológico dos nossos adeptos que estará relacionado com o pertencermos "orgulhosamente" a uma minoria e que não precisa de procurar aqui compensações para frustrações nas vidas pessoais. Aqui nunca valeu tudo para ganhar e sempre nos distinguimos por uma forma diferente de estarmos no desporto ... até agora.

 

Com a chegada de um presidente com claro perfil lampião: arrogante, xico-esperto, anti-desportista, mentiroso e malcriado, vendemos a "alma ao diabo" na expectativa de, com isso, voltarmos às grandes vitórias. Para já, o diabo não cumpriu a parte dele, com a excepção de uma tacinha ou outra e o que está a acontecer é estarmos cada vez mais parecidos com aqueles de quem nós não gostamos. Se esta situação perdurar muito mais tempo, ficaremos mesmo transformados numa espécie de Benfica B mas quem sabe ainda sem os títulos.

 

Eu percebo que haja muitos sportinguistas que já estão por tudo e que desesperados com a ausência de conquistas aceitam isto e ainda esperam que resulte, mas o que está a acontecer é que baixámos o nosso nível para o deles (às vezes até conseguimos ser piores e eles até vão "lavando" publicamente a sua imagem arruaceira), mas em termos de competitividade estamos apenas como no tempo do Paulo Bento (ok com melhores exibições, mas com o investimento feito era o que mais faltava que as exibições não fossem melhores).

 

Em desespero de causa, com a continuação da ausência de vitórias significativas e com a aproximação do período eleitoral, a nossa comunicação, que se tem cada vez mais dedicado a promover Bruno Carvalho como o Salvador do Sporting, se preciso reduzindo o nosso passado a "7.º lugares" e menorizando o papel dos sócios e adeptos; em particular desde a chegada de Jesus tem vindo a demonizar cada vez mais o Benfica, com os resultados que se viram a época passada.

 

Assim a nossa comunicação o que hoje se limita a fazer é promover "lampiões", pessoas vulgares que viviam no anonimato, que nunca se destacaram por nada em particular nas suas vidas, muito menos no desporto e que agora, com este apoio, se tornaram conhecidas não por qualquer mérito na forma de estar, mas pelo contrário, por quotidianamente mostrarem que não deviam fazer parte de um meio que deve ser um exemplo para as novas gerações e onde se devem aprender e passar valores como o desportivismo, a lealdade, a vontade de ganhar, a honestidade e a humildade. Foram estes valores que eu aprendi com grandes sportinguistas e com o Sporting e ainda tenho esperanças que possamos voltar a ser aqui uma referência, mas o tempo urge.

 

Sporting meu grande amor,

Graças a Deus não nasci lampião,

Ver-te igual a eles causa-me horror,

Ainda acredito que voltaremos a ser leão !

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:45

A última humilhação

City Lion, em 03.10.16

 

TXHG4RL4.jpg

 

Nestes últimos anos já foram muitas as desilusões que tivemos e, em especial, momentos de jogos que não nos deixam dormir bem na noite seguinte. Assim de repente, lembro-me do inacreditável empate no fim com o Maribor graças à dupla Maurício/Saar; o empate em casa com o Benfica com o golo do Jardel nos descontos; a derrota decisiva em casa o ano passado com os falhanços do Bryan Ruiz; a derrota nos últimos minutos com o Real Madrid (que está tão poderoso que desde esse jogo já vai em 4 empates seguidos) e agora este impensável e único na nossa história desperdício de 3 golos de vantagem. Para compensar, lembro-me apenas da vitória o ano passado em casa com o Braga e da vitória na Taça contra esta mesma equipa.

 

A verdade é que falta estofo de campeão a um clube e a uma equipa, que infelizmente está habituado a satisfazer-se com pouco (a época passada os patéticos festejos do 2º lugar são bem elucidativos disto) e que procura desculpar-se com o que se passa fora, o que na verdade são, em geral, muitos erros próprios.

 

Este “calimerismo” tem sido aprimorado pela actual Direcção mas ontem, de repente, qual não foi o meu espanto quando o “calimero-mor” percebeu finalmente onde está a culpa. O “olhem para cima que não saímos daqui; os rivais têm que começar a dar luta ou o Champions de gestão” resolveu dar uma de humilde e, depois de tão criticado com os seus ataques públicos à equipa depois de outra humilhação em Guimarães ou com a sua fuga de Alvalade depois da última derrota com o Benfica, até já exagera em sentido contrário, obviamente preocupado com a única coisa que o move há já algum tempo como confessou noutra Assembleia Geral: a sua reeleição para poder sustentar a família com retroactivos e tudo.

 

Aquela expressão da "culpa é minha" cai bem e dá bons títulos de jornais mas levar isso até às consequências é que já é mais difícil. Faltou ainda explicar se está a falar da roda-livre com que deixa actuar Jesus (agravada com a graxa ridícula como aquela do "artista" pós-Madrid); dos erros nas dezenas de contratações cirúrgicas; das várias contratações não concretizadas; nas saídas mal preparadas de jogadores-chave; na motivação que dá aos adversários com os constantes ataques, arrogâncias e ordinarices que nos envergonham ou na obsessão com as eleições e com o que parece / a imagem que tira o foco do que deve ser feito com discrição e trabalho.

 

Quem não merece o que aconteceu Sábado são os milhares de sportinguistas que tudo têm dado ao clube e que já não aguentam mais faltas de respeito como esta. Esta época está longe de estar perdida, mas Sábado fomos todos mais uma vez traídos com requintes de malvadez por quem recebe fortunas (que nós não temos como ficou ontem claro no Relatório&Contas com um prejuízo recorde) e que tem que saber respeitar a nossa camisola.

 

Tenho a sensação que esta semana quebrou-se um vínculo entre nós e os jogadores, nomeadamente àqueles que mostraram não ter categoria nem estofo mental para jogar no nosso clube e ainda em relação a um treinador que mostrou uma falta de capacidade de reacção de autêntico perdedor (sem o “colinho” é muito mais difícil ganhar campeonatos e já teve que mais uma vez engolir palavras, nesta caso o da importância da sua ausência no banco no fim do jogo em Madrid). Eles vão ter que trabalhar muito para recuperar esse vínculo.

 

A verdade é que está a concretizar-se aquilo que se começou a vislumbrar nesta pré-época. Uma equipa mal montada, com enormes desequilíbrios, que dependia de um Benfica mais fraco e de um Porto à deriva para ganhar um Campeonato cada vez mais nivelado por baixo.

 

Num ano de “all-in” com um orçamento já ao nível do do Benfica, no qual contratámos mais uma enxurrada de reforços mas agora bem mais caros que o habitual que, com a excepção de um ou outro, ainda pouco ou nada renderam, os jogadores não nunca poderiam fazer estas tristes figuras num jogo que era fundamental.

 

Sabemos que temos um treinador que até sabe montar bem a equipa e que tem boa experiência de jogos em Portugal, mas cada vez mais vemos que tem enormes dificuldades ao nível da leitura dos jogos e que faz uma gestão do plantel que deve deixar constantes sequelas psicológicas em vários jogadores, nomeadamente naqueles que não fazem parte do leque que por sua indicação pessoal chegaram ao clube. Ontem fiquei por exemplo a saber porque é que o Castaignos não conta para Jesus. A ganhar 8 milhões / ano tem que fazer muito mais.

 

Está ainda a chegar ao fim a tolerância para com um Presidente mais empenhado em atacar os rivais e em fazer propaganda com os cada vez mais enjoativos auto-elogios (como ontem mesmo no meio de falsas “mea-culpas”) para conseguir ser reeleito. Os sócios até toleram arrogância, ordinarice, egoísmo e incompetência desde que apareçam vitórias no futebol. Sem estas Bruno Carvalho sabe que tem os dias contados em Alvalade e de pouco lhe vai valer inaugurar pavilhões ou falar das vitórias nas modalidades.

 

Felizmente já se começa a perceber que poderão existir alternativas válidas e que podemos mesmo vir a ter uma nova Direcção de sportinguistas que queira servir o clube e não servir-se dele. Eles no entanto que se preparem para uma campanha de intoxicação, desinformação, demagogia e mentira em que esta Direcção se tem vindo a especializar e, se até agora tem havido uma caça às bruxas (ainda ontem houve ameaças veladas do Bruno Carvalho aos seus críticos) a coisa vai-se transformar numa verdadeira perseguição.

 

Infelizmente um dos meus irmãos até deve ter razão quando diz que Bruno Carvalho só acabará por sair empurrado pelos seus. Para já, as audiências aos antigos Presidentes originaram uma tremenda perda da credibilidade do Carvalho perante o seu "inner circle" com comparações assustadoras. São ainda vários os que já não aguentam mais aquele estilo de liderança egoísta à Coreia do Norte. Mas são muitos mais os que vivem à conta e que tudo farão para tentar perpetuar esta situação custe o que custar.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:00

Um jogo fundamental !

City Lion, em 29.09.16

 

V_-Guimarães.png

 

Estamos quase a completar dois anos da derrota estrondosa em Guimarães (3-0) que resultou numa quase inédita declaração pública dum Presidente do Sporting (ou de qualquer clube) a arrasar com a própria equipa. Apesar de toda a instabilidade que esta situação (e o que a tinha antecedido) provocou e da ausência de reforços no mercado de Inverno (Ewerton lesionado a excepção que confirma a regra), ainda foi possível ganhar uma Taça de Portugal, mas no campeonato não fomos além do 3º lugar.

 

Na época passada a visita a Guimarães, ainda em 1º lugar, antecedeu o jogo decisivo em casa com o Benfica. Uma gestão do plantel errónea por parte de Jesus (até Slimani foi poupado nos últimos minutos com receio de ver um 5º carão amarelo que o afastasse do derby), falhanços incríveis (Ruiz começou a mostrar o que iria fazer na semana seguinte com ainda maior malvadez) e uma grande exibição do guarda-redes adversário, ditaram um empate e a aproximação do Benfica que ficou em "striking distance" para nos ultrapassar no jogo seguinte, com o que isso implicou animicamente para eles. William Carvalho insistia no fim do jogo que ainda estávamos em primeiro, mas esse jogo em Guimarães foi mesmo chamado "canto do cisne".

 

Este ano já perdemos um jogo nas duas deslocações que fizemos no campeonato e assim estamos atrás do eterno rival, pelo que a margem de manobra é reduzida, mesmo que se esteja ainda no início da época, porque a cada vez mais fraca qualidade do campeonato volta a não prometer a perda de muitos pontos da parte dos chamados "grandes".

 

Mais uma vez acredito que este jogo pode ser fundamental, mas desta vez pela positiva. Depois do desaire em Vila do Conde é quase impensável que se volte a repetir um resultado negativo sob risco de causar danos a nível classificativo e psicológicos, até para os rivais Benfica (numa crise exibicional e ontem esteve quase a haver um Vigo II e de lesões que estão agora a recuperar) e Porto (ainda à procura de se encontrar e que a qualquer momento pode descolar dos líderes com a repercussão motivacional que isso teria).

 

Este ano, com excepção do jogo em Madrid e a espaços contra o Porto, a equipa não me tem convencido. Os resultados que obtivemos contra equipas muito limitadas (este polacos eram de fazer pena), nomeadamente em casa, não disfarçam ainda evidentes lacunas que já se tinham começado a mostrar na pré-época. Ainda não conseguimos substituir a dupla João Mário / Slimani, apesar da subida de produção de Gelson Martins e da veia goleadora de Bas Dost (acho graça a surpresa de alguns perante a maior contratação de sempre do Sporting e conhecendo aquilo que ele já tinha feito contra nós). Todos os outros reforços, nomeadamente aquele que eu já aqui disse e cada vez mais se confirma receio ser um novo Pongolle, estão ainda longe de convencer.

 

Que à terceira seja de vez e que consigamos Sábado (re) começar a caminhada triunfal para o título é o que espero e desejo, nem que seja como há três anos no tempo de Leonardo Jardim com um golo de sorte bem perto do fim ou até como em 1980 com um golo na própria baliza (que o meu pai assistiu ao vivo) ou ainda como naquele jogo que também vi em Guimarães com um golo do Liedson perto do fim (e... não Dias Ferreira, nem nessa altura o Sporting ganhar era notícia).

 

Vamos a eles leões !

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:30




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D




Cristiano Ronaldo


subscrever feeds