Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Onde está a cabeça de Jorge Jesus ?

Rui Gomes, em 25.02.16

 

naom_5633bf64c28c6.jpg

 

Independentemente das suas considerações mais "simpáticas" na conferência de imprensa de antevisão ao jogo desta quinta-feira com o Bayer Leverkusen, é justo questionar onde está verdadeiramente a cabeça de Jorge Jesus.

 

Que vai utilizar uma equipa alternativa na Bay Arena, disso não há dúvidas algumas, mas será que pretende mesmo disputar esta eliminatória ?... Muito dá para pensar que, contrário ao que um treinador/equipa deve fazer, já está a pensar no próximo embate da I Liga diante o V. Guimarães. Eis algumas das suas considerações:

 

«O facto de termos jogado a primeira eliminatória não nos vai dar mais nem menos conhecimento do adversário. As dificuldades vão ser maiores do que as que tivemos em Lisboa. Vamos acreditar que ainda temos possibilidades de continuar em prova. Resume-se a isto, à qualidade das duas equipas. Amanhã (hoje) vamos ver como será o jogo.

 

Guimarães ou Leverkusen? Estão os dois jogos na minha cabeça. Mas uma coisa de cada vez. Vamos tentar perceber como a equipa está. Jogámos segunda-feira, ontem fizemos trabalho de recuperação e amanhã vamos jogar. Vamos ver a resposta que os jogadores nos dão. Independentemente de jogar A ou B vamos ter uma tarefa difícil como em Alvalade, mas temos as nossas possibilidades. Aquilo que o Leverkusen fez em Lisboa também podemos fazer aqui.

 

Bolas paradas? São momentos de jogo. Todas as equipas têm de ter qualidade em função dos jogadores que têm, mas também relativamente a todo o trabalho colectivo. Estes últimos dois jogos do campeonato abrimos o marcador com duas situações de canto. Mas o Leverkusen é muito forte de bola parada. Isso faz parte do poder das equipas.»

 

publicado às 12:32

Convocatória para o Bayer Leverkusen

Rui Gomes, em 25.02.16

 

19296157_TZZF1.jpg

 

Foi divulgada a lista de 21 jogadores convocados por Jorge Jesus para o embate de quinta-feira, diante o Bayer Leverkusen.

 

Destaque para os regressos de Naldo, Bruno César, Hernán Barcos e William Carvalho. Sebastián Coates não terá recuperado da lesão e André Martins terá sido excluído por opção técnica. Segundo as informações, Rúben Semedo também integra a comitiva, embora esteja suspenso para o jogo da segunda mão.

 

Eis a lista completa:

 

Guarda-redes: Rui Patrício, Azbe Jug e Stojkovic

 

Defesas: João Pereira, Naldo, Jefferson, Ewerton, Ricardo Esgaio e Tobias Figueiredo

 

Médios: Aquilani, Adrien, William Carvalho, Bruno César, Gelson Martins e João Mário

 

Avançados: Bryan Ruiz, Carlos Mané, Barcos, Matheus Pereira, Slimani e Gutiérrez

 

treino_sporting_leverkusen_foto_marius_becker_epa1

Treino na Bay Arena - Leverkusen 

 

Jorge Jesus deverá operar algumas alterações no último onze que se viu em campo, com as suas conhecidas "poupanças" em mente, daí que a equipa titular para este encontro na Alemanha seja imprevisível.

 

Atrevo-me a sugerir que pela ausência de Paulo Oliveira e Sebastián Coates por lesão, é muito possível que Naldo regressa ao relvado. De qualquer modo, com 21 nomes na lista de convocados, três terão de ser escolhidos para lugar na bancada.

 

publicado às 04:26

Foto do Dia

Rui Gomes, em 25.02.16

 

4137_0d9ca249dc27810cc38359fb6dd145d9 (2).jpg

 

publicado às 04:25

Frase do Dia

Rui Gomes, em 25.02.16

 

Paulo+Sousa+Yuki+Abe+Presentation+Leicester+f7wxmQ

 

«Não compreendo porque um treinador desistiria

de uma competição para se focar noutra.»

 

- Paulo Sousa -

 

 

O antigo jogador do Sporting - entre outros - está-se a referir a Maurício Pochettino, técnico do Tottenham, mas a frase é aplicável a outros, como bem sabemos.

 

Por mera coincidência, as duas equipas que se defrontam nos 16 avos de final da Liga Europa, disputam o título nos seus respectivos campeonatos: o emblema inglês está em 2.º lugar, a dois pontos do líder Leicester, e a Fiorentina está em 3.º, a seis pontos da Juventus.

 

publicado às 04:25

Digno de reconhecimento

Rui Gomes, em 25.02.16

 

600_gif.png

 

O Leicester mostrou ser muito mais do que o líder da Premier League ao ter um gesto inigualável com um pequeno adepto de nove anos, que tinha perdido a mãe há apenas dois dias.

 

Por isso, pode até nem ser o campeão oficial de Inglaterra em 2015/2016, mas por mais esta já merece o título.

 

Charlie Keyworth é sobrinho-neto do ex-jogador do Leicester, Ken Keyworth, ídolo do clube nos anos 60, maior goleador da última grande época do Leicester - 4.º lugar em 1962/63 - e campeão da Taça da Liga, e por isso é adepto do clube.

 

Na semana passada perdeu a mãe vítima de um cancro e confrontado pelo pai sobre o que queria fazer no sábado, de forma a animá-lo, a resposta foi simples: ir à loja do Leicester no King Power Stadium.

 

Por isso, um tio entrou em contacto com o clube para ver se poderia ser feito algo extra e a resposta foi positiva. O tempo era pouco e não havia jogo nesse dia, mas o Leicester não hesitou em oferecer uma visita guiada ao museu do clube e ao estádio.

 

O sorriso de Charlie diz tudo. E foi tão fácil.

 

publicado às 04:19

Cartoon do Dia

Rui Gomes, em 24.02.16

 

FXQ0ACL3.jpg

 

Tags:

publicado às 20:03

 

pinto_da_costa_2_6054494f_base.jpg

 

À margem da cerimónia inaugural da Peace Run europeia, que arranca esta quinta-feira no estádio do Dragão, Pinto da Costa abordou a arbitragem nacional, denunciando o modo de funcionamento da Comissão de Nomeações do Conselho de Arbitragem.

 

O líder portista criticou a forma como a arbitragem está a ser dirigida em Portugal, acusando Vítor Pereira de fazer sozinho as nomeações. No final de cada reunião da comissão de nomeações, Lucílio Baptista e Luís Guilherme, que também integram o órgão, assinam um documento em que se abstêm das escolhas efectuadas.

 

Até é de admitir que haja uma boa dose de verdade em algumas das disposições citadas por Pinto da Costa, mas vindo de quem vem, é sempre prudente ficar com um pé atrás, não só pelos antecedentes históricos, como também pelos óbvios interesses vigentes. Eis o que ele teve para dizer:

 

«Há uma comissão de nomeações. Ela é formada por três membros. Pelo senhores Vítor Pereira, Luís Guilherme e Lucílio Baptista. Em todas reuniões, o senhor Luís Guilherme e Lucílio Baptista abstêm-se por não estarem de acordo com a forma que está a ser gerida a arbitragem,nomeadamente, pelo senhor Ferreira Nunes de Coimbra, que controla as classificações e também os observadores. Estamos num impasse. Temos um concelho de arbitragem com três elementos que tem de nomear e dois abstêm-se. Se acham que isto dá garantias à arbitragem e aos seus bons árbitros, eu fico surpreendido.

 

Eu acho graça. Quando o Antero me perguntou quem ia ser o árbitro do nosso próximo jogo, eu disse-lhe que era um dos dois. Ou é o João Capela ou o Nuno Almeida. Afinal, acertei.

 

Não sei do que me está a falar (visita da claque portista ao restaurante do pai de Jorge Ferreira). Se é do senhor Jorge Ferreira, eu demarco-me completamente, dele e das suas arbitragens. A claque não tomou posição nenhuma, senão eu teria conhecimento. Até porque as claques não têm nada a ver com a arbitragem, reclamam como qualquer outro adepto. Vejam os programas televisivos de pseudo-comentadores de futebol, o que dizem dos árbitros. Esses é que se deviam demarcar desse tipo de comentários, pois não ajudam o futebol.»

 

publicado às 17:12

E tudo o apito levou

Leão Zargo, em 24.02.16

 

19295612_9i83Z.jpg

 

___ Inácio de Almeida no Estádio da Luz ___

 

 

Temos por hábito dizer que um bom árbitro de futebol é aquele que consegue passar despercebido durante um jogo. Talvez por isso, os adeptos raramente se refiram às boas arbitragens, sendo que as más ainda são citadas muitos anos depois. Os árbitros são recordados pelas piores razões, nomeadamente por penaltis duvidosos, foras de jogo polémicos, expulsões injustas de jogadores, sabe-se lá que mais. Devemos a estes assopradores do apito o enriquecimento da língua portuguesa aplicada ao futebol: ‘campo inclinado’, ‘não deixou jogar’, ‘empurrou a equipa’ ou expressões como ‘limpinho’ e ‘colinho’ que mais parecem passwords de uma qualquer entrada manhosa.

 

Só alguns árbitros alcançaram a imortalidade, precisamente aqueles que quando se pronuncia o seu nome quase todos sabem do que é que se está falar. Por isso, Inácio de Almeida integra um núcleo relativamente restrito. Imortal, portanto.

 

Inácio de Almeida ascendeu a esta condição de imortalidade em grande parte devido à sua actuação num Benfica-Sporting disputado em 2 de Maio de 1981, no Estádio da Luz. Nesse jogo conseguiu tomar várias decisões erradas sempre a favor do mesmo lado. Assinalou um penálti duvidoso contra o Sporting, que mandou repetir depois de Nené ter falhado, e, pior ainda, virou as costas quando Pietra rasteirou Manuel Fernandes dentro da grande área. O árbitro mandou seguir mas, com a pressa de afastar conversas e protestos, Bento atrapalhou-se, largou a bola e permitiu que Jordão marcasse golo. ‘Pé em riste’, decretou o apitador. Foi a cereja em cima do bolo.

 

O erro grosseiro do árbitro foi reconhecido pelos intervenientes. Manuel Fernandes descreveu da seguinte maneira: “Eu ia com a bola desde o meio-campo, entrei na área e o Pietra deu-me um toque por trás. O árbitro não assinalou penálti. Entretanto, naquela 'fossanguice' de recolocar a bola em jogo, o Bento atrapalhou-se e deixou a bola fugir para o Jordão, que a tocou suavemente para dentro da baliza”. João Alves, jogador do Benfica, foi claro: “Quando se gerou a confusão, eu e o Humberto apertámos com o árbitro e com o fiscal de linha. Alegámos que o Jordão tinha pontapeado as mãos do Bento, que devia estar com azeite nas luvas”. Galrinho Bento, o tal do azeite nas luvas, foi peremptório ao garantir que “sobre mim não houve falta. Terá visto uma infracção anterior”.

 

O jornalista Carlos Pinhão escolheu “Favorito sem chama nem assim ganhou” para título da sua crónica do jogo em A Bola, acrescentando que o Benfica “recebeu boas ajudas da arbitragem”. O presidente João Rocha exigiu a irradiação do árbitro, defendendo que “além de incompetente, mostrou ser desonesto, cópia fiel de um tal Inocêncio Calabote”. E, como João Rocha não era pessoa de mandar recados por outros, concluiu dizendo que o árbitro “tem antecedentes e tem uma alergia especial ao Sporting”.

 

Inácio de Almeida, com 49 anos e perto do final da carreira na arbitragem, foi punido com 60 dias de suspensão e não voltou a actuar. Muito mais tarde, em 2003, deu uma entrevista ao jornal Record reconhecendo finalmente o fatídico erro. O antigo árbitro lamentou o que se passou, garantindo que “sempre que se desenterra a polémica, fico duas noites sem dormir”. Mas, aquele jogo no Estádio da Luz teve, ainda, uma simbologia triste: foi o último dérbi em que Benfica e Sporting entraram em campo apenas com jogadores portugueses como titulares.

 

 

Ficha do jogo

 

Campeonato Nacional (27ª jornada)

Estádio da Luz, 2 de Maio de 1981 

Benfica 1 - Sporting 1

Árbitro - Inácio de Almeida (Setúbal)

 

Benfica - Bento (capitão), Veloso, Bastos Lopes, Humberto Coelho, Pietra, Shéu, João Alves, Carlos Manuel (José Luís), Nené, Chalana e Reinaldo (César)

 

Treinador - Lajos Baroti

 

Marcador - Nené (43m)

 

Sporting - Vaz, José Eduardo, Bastos, Eurico, Augusto Inácio, Fraguito, Ademar, Manuel Fernandes (capitão), Marinho, Freire (Lito) e Jordão

 

Treinador - Srecko Radisic 

 

Marcador - Jordão (65m)

 

 

Nota: A fotografia da equipa do Sporting (época de 1980-81) não é do dérbi no Estádio da Luz.

 

publicado às 13:32

Foto do Dia

Rui Gomes, em 24.02.16

 

12742028_10153292511426555_881980435246498238_n.jp

Atletas Olímpicos do Sporting apresentados em Alvalade

 

A lista completa está disponível aqui.

 

publicado às 12:17

Frase do Dia

Rui Gomes, em 24.02.16

 

zidane_recadre.jpg

 

«Às vezes comunicar é saber estar calado e isso eu sei fazer»

 

-  Zinedine Zidane -

 

 

Há aqui uma lição a aprender !

 

publicado às 04:33

 

slimani1.jpg

 

Lúcio Miguel Correia, advogado e professor de Direito do Desporto, em entrevista à Rádio Renascença, teve isto para dizer sobre o caso de Slimani:

 

«Caso Slimani seja punido pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, o castigo terá efeito imediato. O Sporting pode recorrer para o Conselho de Justiça da FPF, mas não existe efeito suspensivo da decisão e o jogador irá logo começar a cumprir o castigo.

 

Quando o prazo dos 45 ou dos 75 dias é ultrapassado, as partes podem recorrer para o Tribunal Arbitral do Desporto, mas também não há motivo para a suspensão da pena.

 

Pode existir um pedido por parte do Sporting solicitando a suspensão da eficácia da pena aplicada pelo Conselho de Disciplina, mas mesmo nessa situação duvido que o jogador possa continuar ao serviço da equipa.

 

É de lamentar o arrastar da decisão, mas considero precipitado concluir que o Conselho de Disciplina da FPF está a esperar pelo «derby» para tomar uma decisão.»

 

Bem... todos nós lamentamos o "arrastar" da decisão, mas duvido muito que haja alguém na praça pública que compreenda as reais razões deste "arrasto". Um cínico diria que é tudo uma questão de timing. O timing do anúncio da decisão que já foi ou será tomada, assim como o timing das consequências dessa decisão. Tudo o resto é apenas um "side-show" para desviar as atenções de tudo aquilo que é realmente importante.

 

publicado às 04:32

Caso haja dúvidas

Rui Gomes, em 24.02.16

 

 Gelson Martins  -  Boavista  -  22/02/2016

 

publicado às 04:31

 

soccer_fans.jpg

 

O Benfica foi, uma vez mais, o clube mais afectado pelas multas por comportamento dos adeptos. As águias, que jogaram em Paços de Ferreira, foram condenadas pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol a pagar um total de 14.060 euros, devido ao "comportamento incorrecto do público" e "arremesso perigoso de objectos".

O Sporting-Boavista também deu origem a penalizações pelo mesmo motivo, com o clube leonino a pagar 3.444 euros e o clube do Bessa 4.018.

Destaque ainda para o «derby» minhoto, com o Sp. Braga a ser multado em 7.269 euros e o V. Guimarães em 2.870.

 

publicado às 04:31

 

img_770x433$2016_02_22_01_38_38_1067504.jpg

Sara Moreira venceu os 3000 metros do campeonato nacional absoluto de pista coberta em Pombal, com o tempo de 8.59.04, marca que confirma os mínimos para os Mundiais de Portland, nos E.U.A.. Eis o seu comentário após cortar a meta:

«Corri a pensar numa marca abaixo dos 9 m - passou em 2.59 aos 1.000 m e 5.59 aos 2.000 m - e tive boas sensações, apesar de não ter abrandado a preparação esta semana. As provas do Sporting são prioritárias nesta altura do ano, mas gosto de correr em pista coberta e por isso vim.»

 

Sara começará a preparar a maratona dos Jogos no final de Abril, início de Maio, mas antes correrá ainda os 10.000 metros no Europeu de Amesterdão.

 

publicado às 19:53

O que dizem eles

Rui Gomes, em 23.02.16

 

Morato I.jpgimg_770x433$2013_04_19_09_05_00_780451.jpg19294003_tG1Uh.jpg

  

António Morato, antigo defesa-central e «capitão» do Sporting, em entrevista à Rádio Renanceça, comenta o impacte de um eventual castigo a Slimani, assim como a performance de dois dos actuais centrais leoninos, Paulo Oliveira e Rúben Semedo:

 

«Eu acho que o Sporting sem o Slimani, garantidamente, vai ter problemas. Ele trabalha os 90 minutos e, além de fazer golos, faz jogar. Se o castigo do Slimani vier agora, o Sporting vai ter alguma dificuldade em arranjar alguém no plantel que faça o mesmo que ele.

 

Como o Slimani haverá muito poucos. Ele trabalha muito, consegue roubar a bola aos centrais, se for preciso está na esquerda a ajudar o defesa, vai buscar a bola ao meio campo. Trabalha muito e ainda marca golos.

 

Em relação ao sector defensivo, o Paulo Oliveira quando entrou para a equipa do Sporting diferenciou-se dos outros, isso é uma verdade. Consegue ser o mais rápido, intercepta bem a bola, chega primeiro aos lances.

 

O Rúben Semedo está em fase de adaptação e com os tempos poderá vir a adquirir a 'estaleca' e tudo aquilo que é preciso. Dou como exemplo o João Mário, que entrou e 'pegou de estaca'. São coisas da parte psicológica, da parte do jogador. Quando o jogador tem personalidade forte e sabe o que quer, as coisas andam para a frente.»

 

António Morato foi formado no Sporting (1978-83) e chegou à equipa principal na época de 1983-84, onde permaneceria até 1989. Herdou a braçadeira de«capitão» em 1988-89, precisamente na sua última época em Alvalade. Sousa Cintra, então presidente, recusou pagar-lhe oito meses de ordenado em atraso, propondo-lhe respeitar os dois anos que ainda tinha de contrato mais um de renovação. Morato não aceitou a proposta e, como jogador livre, foi para o desemprego. Cerca de mês e meio mais tarde, surgiu a contratação pelo FC Porto, onde, por mera ironia, acabou por ser campeão nessa sua única temporada no clube da Invicta. Assinou subsequentemente pelo Belenenses e após passagens por outros clubes de menor dimensão, acabou a sua carreira de futebolista no Desportivo de Beja, em 1996. Foi internacional "A" seis vezes.

 

 

Nota: A foto do cromo à direira é de António Morato (pai), nascido em 1937 e também jogador do Sporting. Integrou a formação leonina em 1954 e permaneceu até ao termo da temporada de 1964-65.

 

publicado às 18:26

Porque estamos tão enervados ?

City Lion, em 23.02.16

 

19292750_YsK8I.jpg

Cheguei ontem a casa vindo de Alvalade contente e aliviado com a vitória mas preocupado com qualquer coisa que não percebi logo o que era e, não sabia porquê, menos confiante em relação ao desejado título nacional. Hoje mais a frio percebi que se tratou do conjunto destas quatro coisas:

 

  • Estamos a assistir a um débacle físico / estoiranço / acusar da responsabilidade de alguns jogadores-chave, particularmente evidente na segunda parte e em todas as jogadas que exigiam uma reacção mais rápida. Jogadores fundamentais como Adrien, Bryan Ruiz, João Mário e Slimani mostram cada vez menor frescura e rapidez de reacção e decisão e isto pode-nos ser fatal nesta fase decisiva da época. Não percebo a razão até porque são jogadores ainda relativamente novos (com excepção do Ruiz). Dizem-me que no Benfica isso acontecia sempre com Jesus que apostava tudo em grandes arranques de época e isso explicará a "desistência" em relação à Liga Europa.

 

  • O público está muito ansioso e isso naturalmente passa lá para dentro. Em reacção a algumas decisões do árbitro parecíamos os histéricos e facciosos adeptos da equipa que vamos defrontar na próxima 2a feira, cujas cadeiras parecem ter molas. Nota-se um medo / pessimismo nos adeptos que não sentia por exemplo quando fomos campeões em 2000 e 2002. As reacções anormais aconteceram desde o primeiro minuto e o próprio Rui Patrício, tal como em particular o Ruben Semedo (obrigado Jesus!) sentiu-as na pele, enquanto não passámos para a frente do marcador. Depois esquizofrenicamente até o Teo foi muito aplaudido depois de mais uma sua triste exibição, coroada com um falhanço inaceitável em alta competição.

 

  • O Adrien e o Slimani dificilmente jogarão contra o Benfica. A surpreendente e irresponsável gestão dos cartões amarelos deixou-nos à mercê dum árbitro menos amigo ou até simplesmente isento, dada a garra com que ambos disputam as bolas divididas, em particular num jogo que à partida será muito renhido. Qualquer um deles fará / faria muita falta no jogo do título e não Jesus Aquilani não é Adrien e Teo não é Slimani (obviamente Barcos nunca será titular nesse jogo).

 

  • O Jesus insiste nas provocações gratuitas aos adversários dando-lhes cada vez mais moral. Agora disse que "os nossos adversários estão a bufar por todo o lado". Alguém lhe consegue explicar que esse tipo de provocação não tem cabimento no nosso clube e só dá força aos adversários?

 

Apesar de tudo estou cada vez mais convencido que ganharemos mesmo o campeonato se ganharmos ao Benfica (e para este jogo partiremos com ascendente psicológico dadas as três ultimas vitórias em derbys) mas, por outro lado, também convencido que se não ganharmos (um empate por exemplo será um resultado muito normal - não acredito que percamos) muito dificilmente chegaremos lá dado tudo o que disse atrás.

 

publicado às 14:22

Já temos árbitro !

Rui Gomes, em 23.02.16

 

img_770x433$2016_02_23_11_55_12_1067984.jpg

 

A UEFA nomeou o árbitro francês Ruddy Buquet para o jogo entre o Bayer Leverkusen e Sporting, marcado para quinta-feira às 18 horas (Portugal).

Ruddy Buquet reencontra o Sporting depois de ter arbitrado um jogo seu na última época, também nos 16 avos de final da Liga Europa, no empate 0-0 com o Wolfsburgo no Estádio José Alvalade, que ditou a eliminação da equipa leonina, após perder na Alemanha (2-0).

 

publicado às 13:19

O adeus à Europa aproxima-se

Rui Gomes, em 23.02.16

 

UPE.jpg

 

A partir das 19:00 locais (18:00 em Lisboa), o Sporting joga em Leverkusen e a sua missão é, no mínimo, muito complicada, bastando recordar que, na sua história europeia de 60 anos, jamais venceu em solo alemão.

 

Em 11 deslocações à Alemanha, o conjunto 'leonino' somou apenas um empate, com o Bayern Munique (0-0 em 2006/07) e 10 derrotas, duas em Leverkusen, na fase de grupos da Liga dos Campeões (1-4 em 1997/98 e 2-3 em 2000/2001).

 

Jorge Jesus lembrou que já conseguiu vencer em Leverkusen, pelo Benfica, em 2012/13 (1-0, com um tento de Óscar Cardozo), mas, depois disso, na época passada, perdeu por 3-1, num jogo da 'Champions' em que fez as suas habituais poupanças.

 

Na primeira mão, em Alvalade, o Sporting jogou de início sem Slimani e Adrien e perdeu por 1-0, por culpa de um golo de Karim Bellarabi, e só com uma boa dose de sorte não sofreu derrota mais pesada.

 

Tendo em conta que, na Alemanha, Jesus não deverá fugir ao 'guião' e irá preservar alguns jogadores, tudo aponta para o adeus à Europa, o que deixará o Sporting apenas com o campeonato, a sua prioridade, para disputar.

 

Em termos históricos, o Sporting só se pode 'agarrar' ao facto de ter conseguido, uma vez, virar fora um resultado ainda mais adverso: em 2010/11, com o Brondby, perder por 2-0 em casa e venceu fora por 3-0.

 

 

Agência Lusa

 

publicado às 12:45

Não sabe mas devia saber

Ricardo Leão, em 23.02.16

 

19291918_hzlpo.jpg

 

publicado às 07:35

 

jorge-jesus-benfica-640x480-gettyimages.jpg

 

Não sinto dificuldade alguma em reconhecer que Jorge Jesus, como treinador, tem muito de positivo para oferecer, especialmente no que à vertente técnica do jogo diz respeito, no entanto, como já é seu hábito de longa data, não deixa de dizer e fazer coisas que não fazem grande sentido, alguns até diriam que são autênticos disparates.

 

Não... não vou voltar a falar de Gutiérrez neste texto, por absurdo que a situação seja, mas sim de uma das suas considerações na conferência de imprensa de ontem à noite, pós-jogo.

 

Jorge Jesus foi instado a comentar precisamente o que eu referi no post sobre o jogo, relativamente aos cartões de Adrien Silva e também Slimani. Eis o que ele teve para dizer:

 

«É indiferente. Tanto assim é que não fizemos nada para que nenhum deles ficasse carregado. Acreditamos nos jogadores que temos. Se não jogar A, joga B. Foi isso que aconteceu hoje: fizemos várias alterações em relação ao jogo com o Leverkusen. Importante é que os jogadores saibam que têm qualidade para ser opção quando o treinador entender.»

 

Bem... em outras partes da sua oratória de ontem, deixa perfeitamente claro que na sua mente o Sporting não tem plantel para competir além do campeonato nacional, no entanto, perante o cenário de ter de abdicar de dois dos mais importantes jogadores da actualidade, diz que "é indiferente" !

 

Acontece que Adrien Silva anda no extremo (8) do segundo ciclo de cartões amarelos desde o jogo com a Académica, no dia 30 de Janeiro. Slimani, anda na exacta mesma situação desde o jogo com o Tondela, no dia 15 de Janeiro.

 

Tomar medidas voluntárias para "limpar" este registo, é uma velha e inteligente estratégia do futebol, hoje e sempre, para evitar males maiores. Nada de novo nisto...

 

O Sporting ainda tem pela frente 11 encontros que podem ser considerados decisivos para a conquista do título. Todos são importantes, mas talvez nenhum mais do que o "derby" do dia 5 de Março. Quer-me parecer que para esse jogo é vital ter o plantel todo disponível, especialmente os jogadores em que o sucesso da equipa mais depende, como é o caso de Adrien Silva e Islam Slimani. Jorge Jesus minimizar esta incontornável disposição, ultrapassa-me completamente, mas, a verdade seja dita, talvez seja por isso que lhe pagam os milhões.

 

publicado às 04:50

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D




Cristiano Ronaldo


subscrever feeds