Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Cartoon do dia

Rui Gomes, em 04.10.17

 

image.jpg

 

Tags:

publicado às 04:31

Gosta de carros ?

Rui Gomes, em 03.10.17

 

236_Duesenberg_-_-Model-A_Sport-Phaeton-900x600.jp

Um dos carros mais caros do Mundo

1923 Duesenberg Model A Sport Phaeton - Leilão 2017 - 407 mil dólares

 

publicado às 22:30

 

insulto.gif

 

Nuno Saraiva recorreu às redes sociais para responder a Paulo Pereira Cristóvão, que esta terça-feira em comunicado criticou veemente o discurso de Bruno de Carvalho na Assembleia Geral do Sporting:

 

"Caro Paulo Pereira Cristóvão,

 

Porque não veio à Assembleia Geral do Sporting Clube de Portugal fazer todas essas perguntas, mentiras e difamações que plasmou no seu comunicado de hoje contra o Presidente do Sporting CP?

 

É mais fácil ser um cobarde e jogar ao "toca e foge", com comunicados reles cheios de falsidades e calúnias, do que colocar as perguntas e ouvir as respostas, em plena AG, e sentir a humilhação de ser desmascarado em público?

 

Ainda por cima, usa a linguagem dos nossos rivais e utiliza a cartilha de mentiras, calúnias e difamações produzidas por eles. Não tenho dúvidas de que irá ser novamente punido pela justiça, quer criminal quer disciplinar do Clube".

 

Paulo Pereira Cristóvão reagiu ao post de Nuno Saraiva:

 

"1.º Fala o pequeno meu empregado Saraiva que eu deveria ir à AG porque ali deveria ser "humilhado" com o desmentido às "mentiras". Pois bem. Aguardo serenamente os tais procedimentos porque no exercício da defesa que me assiste iremos apurar que "mentiras" foram ditas. Mas mais, não sei se pelo tamanho diminuto da pessoa o que é facto é que nunca, das muitas AGs em que estive presente, nunca vislumbrei tal pessoa em uma que fosse. Assim sendo e porque é certo que depois de ser despedido, jamais o tornaremos a ver em qualquer AG ou nas instalações do Clube aqui exorto o pequeno empregado Saraiva a não se pronunciar sobre assuntos de gente grande e com os quais lhe fica mal meter a colher, mesmo que pequenina.

2.º Poderá o empregado Saraiva, mostrar aos sportinguistas o seu último recibo de vencimento no seu anterior emprego e o último ordenado que recebeu do SCP? É que assim, a exemplo do seu mandante, todos ficaríamos a saber o "grande sacrifício" que como "grandes sportinguistas" estão a fazer actualmente pelo clube.

3.º Não seria altura do pequeno empregado Saraiva prestar contas sobre para que afinal recebe vencimento chorudo do Sporting? É que se recebe os milhares de euros que recebe mensalmente para unicamente vir ao Facebook defender quem lhe deu um emprego e nada de estratégia comunicacional do Clube, então estamos mal. É que na função que ocupa o pequeno empregado Saraiva penso que abanar o rabo e dar a mão quando recebe a ordem, é manifestamente pouco para quem tanto ganha.

4.º Talvez o pequeno empregado Saraiva esqueça, mas nós não esquecemos, aquilo que pensava e dizia em 2011 de quem hoje lhe dá emprego. Talvez precise de ser relembrado sobre os epítetos que lhe dirigia.

5.º Concluindo e esperando não ter que colocar qualquer coisa em frente a uma ventoinha, recordo aqui que exceptuando os castigos disciplinares que vai recebendo, com as consequentes multas que espero pagas do seu bolso e os posts no Facebook, a imagem que retenho desse empregado é, em pleno exercício de funções, à porta de uma discoteca de copo na mão em amena confraternização com as locais.  É manifestamente pouco para quem muito mia querendo parecer que ruge."

 

publicado às 17:49

 

image.jpg

 

Antes do mais, para evitar comentários fora de contexto e até diaparatados, deixamos claro que a publicação deste post não infere qualquer posição de apoio ou oposição ao autor do comunicado que aqui transcrevemos, sendo este a resposta de Paulo Pereira Cristóvão às declarações de Bruno de Carvalho, na recém-realizada Assembleia Geral do Sporting. Recorde-se do que o presidente do Conselho Directivo afirmou na reunião magna:

 

"Ainda hoje chegou ao Conselho Fiscal e Disciplinar um pedido por parte de Paulo Pereira Cristóvão e João Pedro Paiva dos Santos para que o Conselho Fiscal e Disciplinar me suspenda (Relativamente à conduta na entrevista à Sporting TV). Para verem a índole dessas pessoas vou ler. No texto está Bruno Miguel Azevedo; segunda referência Bruno Miguel Azevedo; terceira referência senhor Bruno Miguel. É a forma que dois associados têm de se dirigir ao presidente. É o meu nome é? Mas não é uma tentativa de associar o presidente do Sporting a uma figura de um rival? Claro que é. É de repudiar. Senhor Paulo Pereira Cristóvão e João Pedro Paiva dos Santos não tenham dúvidas que o Conselho Fiscal e Disciplinar não violará os estatutos do nosso amado clube. Mas não se esqueçam que há um processo a decorrer, pelo facto de ter sido arguido e condenado num processo. Sobre Paiva dos Santos mostrei emails que trocou com Pedro Guerra. É lógico que não é uma pessoa qualquer, é um dos pontas-de-lança do nosso rival para o ataque baixo e reles. Enquanto mandava cartas para o Sporting pedindo auditorias mandava as mesmas cartas a Pedro Guerra."

 

Eis o comunicado de Paulo Pereira Cristóvão:

 

"Nunca se pediu a suspensão do presidente. O que se pede ao Conselho Fiscal é que este actue disciplinarmente sobre o sócio Bruno Miguel Azevedo porquanto contra ele correrem, pelo menos, dois processos-crime (que foram devidamente identificados) pela prática em abstracto de dois crimes de difamação agravada, um crime de devassa da vida privada por meio informático e um crime de incitamento à prática de crime, ilícitos estes praticados contra sócios do Sporting Clube de Portugal e em exercício de funções de presidente por parte de Bruno Miguel Azevedo.

 

Ainda outras questões: Existe ou não benefício pessoal quando a sua actual mulher, após casamento, vê o seu ordenado aumentado várias vezes para ir para uma função que não existia? É ou não verdade que num jogo de "casa cheia" como o Sporting-Barcelona, deu instruções para serem entregues 90 (noventa) bilhetes à sua mulher? É ou não verdade que usa meios de transporte e motoristas do Clube para transporte de familiares seus como se os carros e os funcionários fossem sua propriedade? Quem paga os milhares e milhares de euros em multas que Bruno Miguel Azevedo tem sido condenado por actos que ocorreram por sua decisão pessoal e unicamente pessoal? O Sporting ou ele mesmo?"

 

publicado às 14:18

Cartoon do dia

Rui Gomes, em 03.10.17

 

image.jpg

 

Tags:

publicado às 14:05

O "clássico" continua sob análise

Rui Gomes, em 03.10.17

 

5FDPVFDT.jpg

 

O "clássico" de domingo continua a dar que falar entre adeptos e comentadores de futebol. Daúto Faquirá, treinador que não se encontra no activo neste momento, adiantou algumas considerações ao SAPO desporto, que, mais uma vez, sublinham as duas partes distintas do embate que ocorreu em Alvalade: 

"Ao Sporting faltou intensidade na circulação, pareceu uma equipa muito previsível e cansada. A pressão forte do FC Porto no miolo acabou por condicionar a capacidade de circulação. O Bruno Fernandes teve muitas dificuldades. A pressão a que foi sujeito por parte do Danilo condicionou. (....) O Brahimi procurou as partes interiores, acabou por dar superioridade numérica ao FC Porto no corredor central e dificultou ao vida ao Sporting para tapar essa zona. O FC Porto teve um maior ascendente e em posse fez uma circulação rápida e foi uma equipa muito vertical. O Brahimi em combinações ia ligando o jogo em diagonais com bola em progressão e procurava o jogo directo, procurando o jogo frontal do Marcano e Sérgio Oliveira. Foi assim que o FC Porto conseguiu o espaço nas costas dos centrais e através do Brahimi que foi o jogador mais criativo.

 

O Sporting esteve sempre aos 'repelões' e foi desgarrado. Nos duelos individuais, perdeu-os quase sempre. Nem conseguiu ganhá-los em termos individuais nem colectivos e mostrou a tal falta de frescura. Mostrou falta de fulgor, a que não é alheio ter tido menos um dia de descanso. Teve um adversário na Champions que o obrigou a correu muito, teve a preocupação de seguir à risca as instruções frente ao Barcelona e desgastou-se muito. E na primeira parte o FC Porto esteve sempre superior: Imprimiu um ritmo muito forte.

 

Na segunda parte, as coisas diluíram-se. O FC Porto sentiu o cansaço e o Sporting equilibrou as coisas. Outro dos factores foi o recuo do Battaglia para a posição 6. Não é um jogador como o Adrien. Não é um jogador muito esclarecido na organização de jogo. Preferiu meter o William Carvalho na posição 8 e o Rodrigo Battaglia mais recuado a ser 'tampão'. Conseguiu ter mais cobertura para as movimentações do Brahimi. Jogando de fora para dentro tentaram tapar as movimentação do Brahimi. A troca também do Acuña sobre o Gelson.

 

O Bas Dost tem que ser alimentado pelos corredores laterais e quando o Sporting tem dificuldade nos corredores laterais ele é um jogador que perde importância. Não é um jogador com muita mobilidade. Na segunda parte melhorou. O Sporting não teve bola e não teve capacidade para chegar ao ataque com bola controlada. Obviamente que o Bas Dost passou ao lado do jogo. O Doumbia oferecia outro tipo de opções tácticas e procura outro tipo de jogo em profundidade. Melhores do Sporting?... Rui Patrício e Mathieu".

 

publicado às 09:35

Foto do Dia

Rui Gomes, em 03.10.17

 

balneariospo.jpg

Balneário do Sporting em Alvalade antes de um jogo

 

publicado às 09:30

 

img_770x433$2014_07_30_13_01_00_890307.jpg

 

Carlos Dinis, ex-seleccionador nacional das camadas jovens, e do Sporting, comentou o clássico e deixou a observação sobre a entrada tardia de Daniel Podence, jogador que, na sua opinião, podia ter favorecido o Sporting:

 

"O FC Porto foi indiscutivelmente mais forte na primeira parte. Foi uma equipa mais compacta, teve muita atenção à primeira fase de construção, anulou o Bruno Fernandes e o Battaglia, obrigando o Sporting a construir pelas alas, conseguindo muita pressão sobre o portador da bola. Depois conseguiu circulação rápida e eficaz e chegou várias vezes à frente. O Sporting tinha mais dificuldade em ter a construção apoiada a que está habituado e ressentiu-se disso.

 

Essenciais, algumas mudanças estratégicas: William subiu e trocou com Battaglia, e procedeu-se à troca de extremos. Conseguiu ganhar mais bolas no meio-campo contrário e Gelson e Acuña deram mais profundidade com o jogo interior, apoiados com a subida dos laterais. Houve mais espaço, quer da parte do FC Porto, quer da parte do Sporting, que soube pressionar mais e melhor - foi assim, de resto, que criou a sua melhor oportunidade, pelo Bruno Fernandes.

 

O empate ajusta-se, apesar de o FC Porto ter tido mais oportunidades. Daniel Podence poderia ter agitado o jogo, nos minutos finais, se tivesse entrado mais cedo. Isso não aconteceu, entrou aos 90"... são decisões que se tomam".

 

Pouco ou nada que não se tenha já debatido aqui no Camarote Leonino. Se considerarmos que o banco do Sporting é supeito, ainda mais discutível se torna pelas opções de Jorge Jesus. No caso do clássico, tinha dois avançados no banco; o muito "triturado" Alan Ruiz e Daniel Podence, que fez entrar mesmo ao cair do pano.

 

Até admitirei que nós, treinadores de bancada, exageramos com as nossas críticas e conjecturas, mas há casos que estão bem à vista de quem quiser ver. Jorge Jesus, mais vezes não do que sim, não concorda com as nossas análises. Ou será que somos nós que não concordamos com as dele ?

 

publicado às 06:26

O que dizem eles

Rui Gomes, em 03.10.17

 

manchetes.jpg

 

- SAD quer vender Alan Ruiz e procura plano B para Bruno Fernandes.

 

- Jesus e SAD encantados com William.

 

- Em jogos da Liga, Rui Patrício não defendia tanto há quatro anos.

 

- Jorge Jesus tem plano para Fábio Coentrão. Quer o lateral em pleno em duas semanas.

 

- Gelson Dala procura oportunidade na Taça.

 

- Alarme por Ronaldo: mais um amarelo e CR7 falha Suíça.

 

- Benfica: defesa com mais golos sofridos só há 56 anos.

 

- Vieira criticado por falhanço dos reforços. Apontados erros no plantel para esta época.

 

- Em relação a 2016/17, dragões recuperam 5 pontos fora de casa.

 

- Atitude de Sérgio Conceição no clássico fez lembrar José Mourinho.

 

publicado às 06:25

 

A selecção portuguesa de futebol concentrou-se esta segunda-feira em Cascais, sem baixas de última hora, tendo em vista os decisivos confrontos com Andorra e Suíça, das duas últimas jornadas da fase de qualificação para o Mundial 2018.

 

image.jpg

 

Todos os 25 jogadores convocados por Fernando Santos apresentaram-se até às 22:00 numa unidade hoteleira de Cascais, cumprindo a hora limite imposta pelo seleccionador nacional. O avançado Éder, autor do golo que valeu a vitória no Euro2016, está de regresso, assim como Renato Sanches, o guarda-redes Anthony Lopes, os defesas Nelson Semedo, Luís Neto e Antunes e o avançado Gonçalo Guedes.

 

Nas duas últimas rondas do Grupo B de apuramento, Portugal desloca-se a Andorra, dia 7 de Outubro, e recebe a Suíça, dia 10, no Estádio da Luz, em Lisboa, num encontro que poderá ser decisivo para garantir o acesso direto à fase final do próximo Mundial.

 

A selecção portuguesa ocupa o segundo posto do Grupo, com 21 pontos, menos três do que a Suíça, que lidera só com vitórias. As duas equipas já têm pelo menos assegurado um lugar no 'play-off', caso falhem o primeiro lugar.

 

publicado às 06:24

O "menino" Gelson

Rui Gomes, em 03.10.17

 

1024.jpg

 

Gelson Martins cumpriu neste domingo, no «clássico» Sporting-FC Porto, o jogo 100 com a camisola principal dos leões.

 

O extremo de 22 anos estreou-se a 21 de Janeiro de 2015, na deslocação do Sporting a casa do Belenenses para a Taça da Liga. Ainda sob o comando de Marco Silva foi lançado aos 79 minutos num jogo que os verde e brancos acabariam por perder.

 

Gelson tinha 19 anos, era opção na equipa B leonina, mas na época seguinte passou a trabalhar às ordens de Jorge Jesus. Ainda que sem a influência de hoje, participou em 42 jogos, foi titular em 13 ocasiões e apontou sete golos, quatro deles na Liga.

 

Na época passada, a saída de João Mário para o Inter Milão abriu-lhe as portas da titularidade. No final da temporada, Gelson tinha sido titular em 41 das 44 aparições, tendo anotado sete golos, registo que lhe foi valendo as primeiras chamadas à Selecção Nacional e a convocatória para a Taça das Confederações.

 

Nesta época, em 12 jogos, Gelson já regista cinco remates certeiros.

 

publicado às 06:23

Gosta de carros ?

Rui Gomes, em 02.10.17

 

qpwaddc.jpg

Um dos carros mais caros do Mundo

1973 Porsche 917/30 - Leilão 2012 - 4,6 milhões de dólares

 

publicado às 22:00

 

9789896579302-a-orgia-do-poder-capa-em-alta.jpg

 

Continuamos com a transcrição de excertos que consideramos de maior interesse da obra intitulada A Orgia do Poder, da autoria do jornalista italiano Pippo Russo, em que aborda a chamada indústria paralela do mundo do futebol, com foco especial na actvidade do denominado superagente Jorge Mendes.

 

"Mantendo o foco sobre o grupo de jogadores que, em Dezembro de 2013, é autorizado pelo Benfica a procurar outro clube, encontra-se mais um que é oferecido ao Rio Ave: o promissor defesa central português Roderick Miranda, vice-campeão do mundo com a selecção nacional de sub-20. Esta demonstração de valor não é suficiente para convencer o Benfica a mantê-lo. E este nem é o pormenor mais estranho. O facto mais bizarro ocorre a 25 de Janeiro de 2013, ou seja, menos de um ano antes de o deixar partir para o Rio Ave, quando o clube "encarnado" assina com Roderick Miranda uma renovação do contrato até 2019. O prolongamento do vínculo entre o jogador e o clube ocorre ao mesmo tempo que o de um outro jogador, cujo percurso é bem mais significativo: André Gomes.

 

No Relatório e Contas de 2012-13, apresentada pela SAD, ficamos a saber, na página 11, que Roderick Miranda rescindiu o contrato. Quanto terá custado ao clube "encarnado" o joguinho de renovação-e-rescisão não se sabe. Posteriormente, é assinalado que, na temporada anterior à de 2012-13, Roderick Miranda esteve emprestado ao Deportivo da Corunha, clube mendesiano desde a primeira hora. Miranda não cumpre as promessas de sucesso e agora, no Transfermarkt, é apresentado como não tendo agente. Contudo, no Verão de 2013, a sua agência é a Gestifute. E também é a Gestifute que se ocupa dos interesses do segundo jogador transferido, em Maio de 2015, do Rio Ave para o Benfica: o guarda-redes brasileiro Ederson Santana De Moraes, conhecido como Ederson. Para dizer a verdade, a agência de Jorge Mendes tem com o jovem guarda-redes brasileiro algo mais do que uma simples relação de representação. Como se irá perceber um ano depois, o Benfica adquire, em 2015, apenas 50% do passe do guarda-redes brasileiro que, apesar de se juntar em Lisboa ao experiente guarda-redes Júlio César para ser seu suplente, assume a titularidade. O Rio Ave mantém na sua posse a outra metade do passe, mas terá de dividir com a Gestifute os proveitos de uma futura transferência do Benfica para outro clube.

 

De que forma será feita a subdivisão dos ganhos entre Jorge Mendesv e o clube de Vila do Conde? Informação indisponível. Contudo, deve ser salientado que Ederson já tinha estado no Benfica antes de sair (também gratuitamente, como Diego Lopes e Roderick Miranda) para o Rio Ave.»

 

publicado às 19:00

O «capitão» disse adeus

Rui Gomes, em 02.10.17

 

 

publicado às 17:03

Camarote Leonino em destaque

Rui Gomes, em 02.10.17

 

5-Best-Ways-To-Speed-Up-Mac-Lion-OS-X.png

 

No mês de Setembro  o SAPO fez 21  destaques diários, entre segunda a sexta-feira, e mais 5  durante os fins de semana, para assinalar o "top-ten" dos blogues mais comentados nesta plataforma em cada dia. O Camarote Leonino mereceu 21  menções durante este período, com o respectivo registo de 904 comentários, uma média de cerca de  43 comentários por post.

 

Por ordem cronológica, os posts foram os seguintes:

 

- Adeus e boa sorte Adrien ! (83)

- Onde mora a verdade sobre William Carvalho ? (47)

- 50% do proveito operacional do mercado vai para a Banca (33)

- Octávio Machado lamenta a saída de Adrien Silva (47)

- O homem recusa aprender (34)

- Sky Sports revela alegados emails com oferta por William (53)

- Bruno de Carvalho e o monólogo à Sporting TV (82)

- A venda de Adrien Silva e afins (62)

- Mais um eclipso do vídeo-árbitro num lance "encarnado" (65)

- Um pirómano que gosta de deitar fumo para os olhos dos outros (34)

- O "modesto" Miguel Guedes (44)

- Um Sporting em 45 minutos como há muito não se via (37)

- Ponte de ligação aos leitores (31)

- Benfica TV divulga lista de clubes supostamente corruptos (30)

- Não há diferença entre o egomaníaco e o ridículo, ambos são intragáveis (75)

- Com o mal alheio estou "eu" bem... (58)

- Faltou qualidade e intensidade de jogo ao Sporting... (41)

- Com ou sem VAR, continuamos a ter decisões desordenadas (31)

- Duarte Gomes e o vídeo-árbitro no Moreirense-Sporting (23)

- O Sporting fez para merecer muito mais (47)

- Novelas (tv, facebook e vídeos) (29)

 

Destaque para o trabalho e dedicação dos redactores do Camarote Leonino, assim como para a valorosa participação dos estimados leitores do blogue, directamente, e da página de Facebook. Curiosamente, o post mais lido durante o mês de Setembro,  mas não o mais comentado, foi Não há diferença entre o egomaníaco e o ridículo, ambos são intragáveis.

 

A título de interesse geral, o Camarote Leonino, desde a sua inauguração em Novembro de 2012, regista uma média superior a 1 milhão de visitas e 2,5 milhões de visualizações por ano. Confesso que na altura nunca me passou pela ideia a dimensão e respectivo impacte que este nosso modesto espaço viria a ter com leitores um pouco por todo o Mundo, literalmente.

 

publicado às 14:20

E assim se jogou mais um clássico

Rui Gomes, em 02.10.17

 

VS84Y9PU.jpg

 

O primeiro clássico da época acabou empatado e há duas formas de o encarar: o FC Porto pode lamentar os dois pontos que deixou em Alvalade pelos 45 minutos atacantes, dominadores e rematadores que fez; o Sporting pode contentar-se por ser a primeira equipa a travar os dragões no campeonato pelo cansaço e falta de ritmo que foi acusando.

 

DECLARAÇÕES DE JORGE JESUS, em sinopse:

 

Resumo do jogo: "Na primeira parte, o FC Porto melhor. Na segunda parte, o Sporting melhor. Na primeira parte alguma dificuldade do Sporting em entrar na velocidade do FC Porto, acho que se notou que o jogo com o Barcelona deixou alguma fadiga. Mais tarde, as equipas ficaram niveladas em termos físico e o jogo passou a ser outro. Foi um excelente jogo, sem golos é verdade, mas ficou mostrado que até hoje o Sporting e o FC Porto são as melhores equipas".

 

O resultado: "Não é o resultado que queríamos, porque pretendíamos acabar esta jornada no primeiro lugar, mas hoje compreendo que alguns dos jogadores do Sporting não tivessem estado ao nível deles. E quando defrontas o FC Porto, que é uma equipa forte, e consegues equilibrar o jogo é sinónimo que estiveste bem. O Sporting esteve bem defensivamente, o FC Porto também. Até hoje são equipas a quem é difícil marcar golos".

 

Os adeptos: "O Sporting devia ser um caso de estudo, falando de adeptos. Tantos anos sem ganhar títulos de forma consecutiva e cada vez parece que há mais sportinguistas. Parabéns a eles".

 

Ser campeão, disse Sérgio Conceição: "Quando dizemos certeza, não é certeza absoluta. O que temos é convicção. O treinador do FC Porto tem convicção que será campeão, a mesma convicção do treinador do Sporting e, julgo, a mesma do treinador do Benfica".

 

publicado às 06:03

Cartoon do dia

Rui Gomes, em 02.10.17

 

TQXDQCED.jpg

 

Tags:

publicado às 06:02

Foto do Dia

Rui Gomes, em 02.10.17

 

img_FanaticaBig$2017_10_01_20_29_54_1318666.jpg

Adrien Silva despediu-se pessoalmente dos adeptos do Sporting

ao intervalo do encontro com o FC Porto. O antigo capitão foi ao

centro do relvado e falou aos sócios, não aguentando

as lágrimas pela emoção. Com ele, Paulinho.

 

publicado às 06:01

Futebol com humor à mistura (8)

Rui Gomes, em 02.10.17

 

0de1a52a5cf29fe3520fef6d2016c84d.jpg

 

Rogério Casanova, jornal Expresso, brinda-nos com a sua usual humorística análise à performance dos jogadores do Sporting no jogo deste domingo frente ao FC Porto. E, com este humor, diz-se muitas verdades:

 

Rui Patrício

Passam-se meses sem termos oportunidade para recordar que Patrício é um bom guarda-redes, e de repente, como os autocarros, chegam várias ao mesmo tempo. Boa defesa a remate traiçoeiro de Brahimi ao minuto 2, grande saída aos pés de Aboubakar ao minuto 40 e mais uma ou outra demonstração de segurança e estabilidade. A coroa de glória, no entanto, surgiu aos setenta e nove minutos, quando evitou um golo certo de Marega, no momento mais importante da sua carreira desde que se estreou no futebol profissional em Novembro de 2006.

 

Trave da Baliza Vítor Damas, no Topo Sul

Passam-se meses sem termos oportunidade para recordar o que é que a trave está exactamente ali a fazer, e hoje parecia outra noite igual, sem trabalho, em que se limita a ser uma espectadora atenta dos acontecimentos. A coroa de glória, no entanto, surgiu aos quarenta e quatro minutos, quando evitou um golo certo de Marega, no momento mais importante da sua carreira desde que se estreou no futebol profissional em Agosto de 2003.

 

Piccini

Ganhou um primeiro canto da equipa aos sete minutos, depois de um lance que ele próprio iniciou exibindo um dos seus melhores atributos: o imaculado controlo de bola ao receber passes longos. Pouco tempo depois, foi inteligente a temporizar e a conter Brahimi, esperando que ele perdesse a bola sozinho. Nem sempre conseguiu fazê-lo, mas mesmo nos lances em que foi ultrapassado (e não há muita gente no planeta que consiga passar um jogo inteiro sem ser ultrapassado por Brahimi) encarnou sempre um semáforo amarelo: Brahimi conseguiu avançar, mas com cautela e sem maluquices. Ao minuto 33 conseguiu ainda mostrar aos adeptos mais impacientes (que teimam em querer vê-lo cruzar) porque é que isso quase nunca acontece: porque Piccini, além de perceber muito de futebol, também percebe muito de Piccini.

 

Coates

Não adoptou a sua habitual postura de hostilidade reprimida em relação a espécies invasoras, comportando-se mais com a distante competência que costumamos associar aos assistentes pessoais de celebridades – um daqueles intermediários na relação entre entidades VIP (neste caso a baliza) e os impulsos voyeurísticos ou predatórios do mundo exterior. Sem espalhafato, mas com intransigente competência, encarnou o papel de relações-públicas taciturno, ou guarda-costas aborrecido, e desfiou 90 minutos de intercepções à porta de entrada e cancelamento abrupto de credenciais. Houve gente que passou, mas poucos passaram por ele.

 

Mathieu

O corte crucial sobre Marega na área ao minuto 36 já seria mais do que suficiente para lhe garantir uma futura estátua no museu, mas é de assinalar também a demonstração de inteligência emocional que deu na segunda parte. Ao perceber, com a perspicácia dos predestinados, que Jonathan é incapaz de receber um bom passe, começou a fazer-lhe maus passes, em série, dando o mote para o resto da equipa começar a fazer o mesmo. Foi uma brilhante jogada psicológica, que alcançou o objectivo essencial: Jonathan não voltou a estragar jogadas com a sua incompetência, porque as jogadas já lhe chegavam competentemente estragadas.

 

Jonathan Silva

Algures num arquipélago remoto no Pacífico, numa daquelas grutas que só costumam aparecer em filmes de terror de série B, um soldado japonês com 90 anos de idade, que passou as últimas sete décadas sozinho, convencido que a II Guerra Mundial nunca terminou, a comer ratos assados e a conversar lunaticamente com pássaros, a cumprir obedientemente as suas obsoletas instruções para não abandonar o posto e proteger o Império Nipónico contra o inimigo, dedicou o último segundo da sua existência terrena a pensar: “Sabem que mais, pássaros? Tenho mais controlo de bola, sentido posicional, e juízo nos cornos que o Jonathan Silva”.

 

William Carvalho

O seu estilo ilusoriamente elaborado e deliberado tem o condão de transformar quase todos os espectadores, olheiros e adversários em puristas estéticos, convencendo-se que as superfícies visíveis que admiram contêm profundezas ocultas. Aquele movimento vagaroso não parece minimalista, portanto deve ser barroco. Aquela mudança de direcção não parece realista, portanto a jogada que inicia deve ser surreal. E enquanto eles ficam entretidos a fazer crítica de Arte, William dedica-se ao único propósito que o motiva: o respeito por princípios elementares, a procura da linha recta mais próxima e da distância mais segura entre dois pontos. Conseguiu jogar bem, num meio-campo que não existiu além dele.

 

mw-640.jpg

 

Battaglia

Como o funcionário mais diligente de uma ONG humanitária, passou grande parte do jogo a corrigir desigualdades e a tentar construir um campeonato mais justo através da redistribuição de posse de bola. Fez um passe extremamente bem sucedido para um jogador do Porto logo ao sexto minuto, outro ao minuto 12, e depois foi vê-lo entusiasmar-se, tentando, com alguma megalomania, fazer passes para jogadores do Porto com grau de dificuldade cada vez mais elevado, o que o levou, naturalmente, a falhar alguns, que foram parar aos pés de colegas de equipa. Na segunda parte retraiu mais os seus impulsos filantrópicos e pareceu mais sintonizado com a ética da equipa, como se viu no facto de, também ele, ter feito um passe demasiado forte para Jonathan.

 

Gelson Martins

Sem conseguir desequilibrar, rodeado de carraças sem bola, comportou-se como uma carraça com bola, tentando mantê-la junto a si o máximo tempo possível, expediente que, pelo menos durante a primeira parte, era a única forma de a equipa não a perder de imediato. Após o intervalo derivou para o flanco esquerdo, onde artilhou o toque mais artístico do jogo inteiro: um toque de calcanhar que desposicionou momentaneamente a defesa do Porto, e isolou... Jonathan Silva. Foi o equivalente a construir um Stradivarius para tocar o “Jardim da Celeste”, mas fica a intenção.

 

Bruno Fernandes

Foi o último jogador em campo a tocar na bola, o que pode parecer um dado estatístico puramente acidental, mas que reflecte as dificuldades que sentiu para encontrar espaço. Mesmo quando o encontrou, e talvez mais por mérito do Porto do que por demérito próprio, ficou a ideia que lhe faltou sempre uma fracção de segundos adicional para desenvolver a ideia que tinha na cabeça. Caiu-lhe aos pés a melhor oportunidade da equipa ao minuto 59: Bruno Fernandes optou por fazer um remate de longe, opção que se compreende, mas que funciona muito melhor quando está realmente longe, e não, como era o caso, perto.

 

Marcos Acuña

Logo aos quatro minutos, a bola fez uma daquelas coisas que as bolas de futebol fazem de tempos a tempos: colidiu com a bandeirola de campo quando toda a gente pensava que ia sair e virara costas ao lance. Toda a gente, salvo seja, pois Acuña foi quem lá chegou primeiro para resolver o assunto. O lance é uma boa ilustração do jogo que fez: precioso na ajuda defensiva (muitas vezes foi obrigado a ser, por motivos óbvios, lateral-esquerdo), sempre útil na contenção a meio-campo (tem uma esperteza característica a bloquear linhas de passe quando a jogada decorre no centro ou no flanco oposto), e um verdadeiro líbero avançado em situações potenciais de contra-ataque adversário. Travou dois assim, um dos quais perto do fim, quando já não devia ter energia para tal. Tivessem as bolas paradas estado ao mesmo nível – inúmeros cantos demasiado curtos – e seria o melhor do Sporting hoje.

 

Bas Dost

Entre 2007 e 2010, o velejador americano Reid Stowe completou uma viagem marítima de mil cento e cinquenta e dois dias, sem meter o pé em terra, e sem contactar directamente com qualquer outro ser humano, uma experiência talvez um pouco mais isolada e solitária do que a noite de Bas Dost.

 

Bruno César

Duas boas intervenções em que conseguiu jogar bem ao primeiro toque, dois toques que conseguiram ao mesmo tempo descomplicar e acelerar a jogada. Não deram em nada, mas não por sua culpa. Tal como não foi (exclusivamente) culpa sua o anonimato que lhe pautou o resto da exibição.

 

Podence

Ganhou uma falta assim que entrou, através do expediente revolucionário de se mexer mais depressa com a bola do que dois jogadores do Porto sem ela, uma manobra que não testemunhava há tanto tempo que nem me lembrava que era legal: quando o árbitro apitou, julguei que ia marcar falta a Podence.

 

publicado às 06:00

Gosta de carros ?

Rui Gomes, em 01.10.17

 

untitled.png

Um dos carros mais caros do Mundo

1936 BMW 328 Roadster - Leilão 2013 - 350 mil dólares

 

publicado às 23:59

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D




Cristiano Ronaldo


subscrever feeds