Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O futuro de Jorge Jesus confronta-nos

Rui Gomes, em 03.03.18

 

img_770x433$2018_03_02_22_30_00_1371218.jpg

 

"Fomos melhores, mas saímos daqui com a derrota. O Sporting esteve muito bem, fez um excelente jogo. Criámos oportunidades - três flagrantes nos últimos dez minutos, mas não conseguimos concretizar.

 

Está mais difícil. Não vamos estar aqui a inventar nada. Ainda estão 27 pontos em disputa, ainda tudo é possível, mas há outras provas em que o Sporting vai investir.

 

Ainda há o apuramento para a Champions. Há muito a fazer. A Taça de Portugal e a Liga Europa. No campeonato, de cinco para oito pontos, ficámos numa situação mais difícil. Não mando a toalha ao chão, aqui tinha de mandar um lençol.

 

                                                                                               Jorge Jesus

 

Na realidade, acho que não vale a pena estar a perder mais tempo a apreciar as babosices de Jorge Jesus. Atendendo às circunstâncias da época, confronta-nos uma pergunta muito simples, embora complexa:

 

É este o momento ideal para substituir Jorge Jesus na liderança técnica da equipa leonina ?

 

É de prever que Bruno de Carvalho não estará receptivo a tomar esta decisão, muito porque associa o seu futuro ao futuro do treinador. Eis o que o presidente teve para dizer, em Maio de 2016, pela renovação contratual do técnico até Junho de 2019:

 

"O futebol deu um passo em definitivo para a sua solidez. Não vale a pena especularmos e andar a ouvir fontes. Eu e o Jorge Jesus somos homens de paixões e projectos".

 

Paixões e projectos que, traduzidos amiúde, significam milhões e a longevidade do futebol do Sporting.

 

publicado às 04:50

Foto do Dia

Rui Gomes, em 03.03.18

 

img_FanaticaBig$2018_03_02_21_45_30_1371194.jpg

 Rafael Leão com o seu primeiro golo na Liga NOS

 

Um golo ao primeiro toque na bola, e uma corrida festiva para a bandeirola de canto, onde se viu de imediato cercado por colegas em pânico a gritar «Não te dispas! Não te dispas!». Certamente pouco habituado a ouvir tal exclamação, teve de esperar que chegasse a voz mais calma de Bruno Fernandes para lhe explicar que não se deve despir a camisola durante um festejo, não apenas pelo risco de ver um cartão amarelo, mas também para evitar que alguém vá a correr abrir o processador de texto para escrever uma coluna a repensar a toda civilização ocidental. Pouco solicitado na segunda parte, ainda conseguiu sacar um amarelo a Filipe na única vez que o deixaram embalar em velocidade. Ao minuto 88, teve a oportunidade para dar o primeiro do que se adivinham vários desgostos a adeptos benfiquistas ao longo da sua carreira; predestinado que é, não a desperdiçou. 

                                                                                                                     Rogério Casanova

 

publicado às 04:49

Futebol com humor à mistura (25)

Rui Gomes, em 03.03.18

 

0de1a52a5cf29fe3520fef6d2016c84d.jpg

 

Rogério Casanova, jornal Expresso, com a sua análise humorística à performance dos jogadores do Sporting, no jogo da 25.ª jornada do campeonato frente ao FC Porto:

 

Rui Patrício

 

Tocou na bola com os pés poucos segundos após o apito inicial, no que poderia ser um prenúncio de uma daquelas noites a fazer de líbero em part-time. E foi-o, na verdade, embora mais como auxiliar de construção do que propriamente como bombeiro atento às dobras, onde a sua intervenção praticamente não foi necessária. Ao minuto 26, por exemplo, viu Marega embalar isolado direito à sua baliza, e encarou o momento com a segurança e tranquilidade de quem sabe que o maliano foi condenado pela entidade reguladora do Karma cósmico a não marcar golos ao Sporting esta época, como se veio a verificar também noutro lance a dez minutos do fim.

 

Ristovski

 

Não pareceu sair muito bem do lance do primeiro golo, tal como toda a gente. Terá sido, na verdade, apenas o último, de entre todos os que não saíram muito bem no lance do primeiro golo, a não sair muito bem do lance do primeiro golo. Também não esteve nada feliz no lance do segundo golo, em que curiosamente voltou a ocupar o último lugar na fila dos que não estiveram muito felizes no lance do segundo golo. Eu próprio, para ser franco, não estive muito feliz no lance do primeiro golo, nem no segundo. Tem agora uma viagem inteira de autocarro para ouvir explicações sobre a ancestral doutrina filosófica que consiste em levantar a cabeça.

 

Coates

 

Cabeceou por cima, num pontapé de canto, ao terceiro minuto de jogo, não concretizando a oportunidade de golo que o enorme caudal ofensivo da equipa nos primeiros dois minutos e cinquenta e nove segundos já justificava. A situação repetiu-se mais um par de vezes, com o mesmo resultado. Cá atrás, Marega, Paciência e Aboubakar foram-lhe proporcionando um treino eficaz para o importantíssimo embate contra Michael Krmenčík, o possante avançado do Viktoria Plzen, cuja capacidade de choque, mobilidade (apesar do seu metro e oitenta e sete) e sentido de baliza já lhe permitiram marcar dezassete golos esta época. Uma ameaça à qual convém estar muito atento.

 

Mathieu

 

Mais confortável a partir do meio da segunda parte, onde pode finalmente regressar às funções de defesa central e deixar para trás a carreira temporária de guarda-costas da faixa esquerda. Disparou à baliza de livre direto, mas o remate, embora enquadrado, levou pouca força. Pode ser que tenha nova oportunidade na quinta-feira, e saiba aproveitar da melhor maneira a reduzida elasticidade do veterano guardião eslovaco Matus Kozacik.

 

Fábio Coentrão

 

Como tem sido habitual esta época, voltou a não entrar bem num jogo contra o Porto, em que teve de enfrentar o único tipo de ameaça ofensiva para o qual tantos anos a treinar no Real Madrid não o podiam preparar: um jogador como Marega. Acertou modestamente o passo na segunda parte, embalado pelo carinho de um público que o adora e que, como em tantos outros palcos neste país, insiste em presenteá-lo com isqueiros. Esteve também envolvido no episódio que culminou com a expulsão de dois elementos do INEM, um gesto que, se dúvidas houvesse, selou simbolicamente a sua emancipação definitiva da medicina convencional.

 

William Carvalho

 

Uma exibição quase (quase) à altura da que fez no mesmo estádio na época 2013/14, em que esse "quase" se deverá também ao facto de nessa altura não ter de segurar sozinho um meio-campo preso por arames. A reter a bola, pareceu hoje sempre dispor de um segundo a mais que os outros, um segundo dedicado não a praticar a modalidade finita que ocupa os que o rodeiam - com as suas regras, os seus limites temporais, as suas efémeras vitórias e derrotas - mas sim um jogo infinito, que consiste numa única jogada, cujo propósito se esgota em continuar a existir. Berrou fisicamente a um quarto de hora do fim, depois de um contra-ataque concluído com a única má decisão que tomou em noventa minutos.

 

Battaglia

 

Como teriam sido as coisas se o hiper-talentoso médio sérvio Radosav Petrovic tivesse sido despenalizado a tempo de integrar o onze titular (e não àquela hora convenientemente tardia) constituindo com a sua mera presença um meio-campo para todos os efeitos intransponível? Nunca saberemos. Sabemos apenas que Battaglia fez um jogo tão desinspiradamente anónimo que levou Luís Freitas Lobo, durante a 2ª parte, a afirmar que seria capaz de falar durante horas a fio sobre o "duelo tático" que travou com Herrera e Sérgio Oliveira, uma das frases mais ameaçadoras jamais ouvidas na televisão portuguesa. Ao minuto 79, alivou um chapéu de Marega em cima da linha de golo, num esforço inútil: mesmo que ninguém lhe tocasse, a bola arranjaria maneira de não entrar.

 

Bruno Fernandes

 

Houve alturas na primeira parte em que parecia um oásis portátil de talento, tanto no último terço ofensivo como até a defender (ao minuto 14 veio a correr desarmar Brahimi já na área, num lance que até Piccini deve ter testemunhado com um discreto aceno de apreciação). Alvejou a baliza várias vezes, criou desequilíbrios, e manteve até ao fim - mesmo depois de recuar no terreno - uma lucidez e um critério que deviam ser incompatíveis com o cansaço, mas com ele nunca são.

 

Bryan Ruiz

 

Também ele se esgatanhou todo para safar em cima da linha de golo um remate de Marega, logo ao minuto 11. Concedo que nessa circunstância não era fácil imaginar uma forma alternativa de a bola não entrar, mas isso compete ao Universo e não a nós, meros mortais. O gesto foi apenas o primeiro indício de que jogou num paroxismo de hubris: agressivo na luta pela posse de bola, sem medo de arriscar os duelos individuais, tentando várias vezes o 1x1, excelente a definir jogadas, e assistindo Leão para o golo do empate - Ruiz parecia hoje possuído pelo espírito do jogador que foi na época de estreia. Na segunda parte ainda cabeceou ao poste numa oportunidade de golo que nem sequer o era, uma intrigante e ousada alternativa ao que costumava acontecer-lhe em jogos decisivos.

 

Acuña

 

Travou com Maxi Pereira um duelo para o qual toda a evolução física, morfológica e cultural do Planeta Terra os preparou a ambos, desde que a Deriva Continental dividiu a Pangeia, separou os continentes, e lançou as bases futuras dos estereótipos sul-americanos. Estranhamente, foi poupando e poupando o seu inevitável amarelo, acabando por gastá-lo não em Maxi, mas em Corona. De qualquer maneira cumpriu o objectivo principal de poder descansar na próxima jornada, estando assim em condições de dar uma luta sem tréguas ao corredor direito do Viktoria Plzen.

 

Doumbia

 

Desenhou a primeira ação da equipa no meio-campo contrário, não com régua e esquadro, mas com o equivalente técnico-atlético de uma pedra lascada e uma moca de pregos. Usou a mesma combatividade rudimentar para ganhar as costas a Marcano ao minuto 20, numa lance em que só uma saída-relâmpago de Casillas o impediu de acrescentar mais um golo anulado à sua conta pessoal. Saiu lesionado ainda antes do intervalo, com certeza uma sequela do toque que sofreu de Dalot dentro da área, num dos contactos físicos mais fortes na história do futebol.

 

Rafael Leão

 

Um golo ao primeiro toque na bola, e uma corrida festiva para a bandeirola de canto, onde se viu de imediato cercado por colegas em pânico a gritar «Não te dispas! Não te dispas!». Certamente pouco habituado a ouvir tal exclamação, teve de esperar que chegasse a voz mais calma de Bruno Fernandes para lhe explicar que não se deve despir a camisola durante um festejo, não apenas pelo risco de ver um cartão amarelo, mas também para evitar que alguém vá a correr abrir o processador de texto para escrever uma coluna a repensar a toda civilização ocidental. Pouco solicitado na segunda parte, ainda conseguiu sacar um amarelo a Filipe na única vez que o deixaram embalar em velocidade. Ao minuto 88, teve a oportunidade para dar o primeiro do que se adivinham vários desgostos a adeptos benfiquistas ao longo da sua carreira; predestinado que é, não a desperdiçou.

 

Rúben Ribeiro

 

Um cruzamento letal para Rafael Leão, um passe incompreensivelmente falhado para Coentrão (que estava a um metro de si), duas ocasiões a segurar bem a bola para ganhar tempo (e faltas). Ainda assim, fez mais coisas boas e menos disparates totais do que naquela primeira parte em Astana.

 

Montero

 

Entrou a minutos do fim, para trazer uma lufada de metano fresco à manobra ofensiva da equipa.

 

publicado às 04:48

Gosta de carros ?

Rui Gomes, em 02.03.18

 

20907155_qzpZ2.jpg

 Um dos carros mais caros do Mundo

1937 SS Jaguar One 2 1/2-Litre Tourer - Leilão 2017 - 330 mil dólares

 

publicado às 23:59

O adeus ao campeonato !

Rui Gomes, em 02.03.18

 

image.jpg

 

Muito pouco para quem precisava de vencer o jogo e manter-se na corrida ao título. É verdade que nenhuma das equipas deslumbrou, mas o FC Porto esteve quase sempre um pouco melhor, pelo menos o suficiente para assegurar a vitória e ficar mais perto de garantir o primeiro lugar.

 

O Sporting exerceu maior pressão nos últimos 20/25 minutos, género do tudo ou nada, e tanto Montero como Rafael Leão tiveram soberbas oportunidades para empatar a partida, mas faltou a eficácia de finalização.

 

Sem as suas duas melhores armas ofensivas - Bas Dost e Gelson Martins - a equipa leonina ficou completamente dependente de um momento de inspiração de Bruno Fernandes, o único outro elemento com golo nos pés. A lesão de Doumbia, acentuou ainda mais a debilidade ofensiva do Sporting, não obstante o tento muito oportuno de Rafael Leão.

 

O Sporting alinhou de início com Rui Patrício: Stefan Ristovski, Coates, Mathieu e Fábio Coentrão; William Carvalho, Battaglia e Bruno Fernandes; Bryan Ruiz, Acuña e Doumbia.

 

Suplentes: Romain Salin, João Palhinha, Josip Misic, Bruno César, Rúben Ribeiro, Fredy Montero e Rafael Leão.

 

Não deixa de ser deveras "fascinante" que depois de tantas contratações, olha-se para o banco a uma determinada altura, à procura de alguma imponência ofensiva, e as escolhas são Rúben Ribeiro e Fredy Montero.

 

Tudo leva a crer que o Sporting fica agora apenas a lutar pelo segundo lugar, a única outra classificação que dá acesso à Liga dos Campeões. Neste momento, oito pontos atrás do FC Porto e em igualdade pontual com o Benfica, que tem um jogo a menos.

 

Bruno Fernandes e Acuña falham a visita ao Chaves, por acumulação de amarelos.

 

publicado às 22:32

As caras do fracasso !

Ricardo Leão, em 02.03.18

 

20912292_h9w4A.jpg

 

Ou a dupla milionária que prometeu títulos e apenas trouxe

desgostos a todos os Sportinguistas!

 

RUA COM ELES!

 

publicado às 22:25

Petrovic foi despenalizado

Rui Gomes, em 02.03.18

 

image.jpg

 

O Conselho de Disciplina despenalizou Radosav Petrovic, que foi expulso na recepção ao Moreirense. O Sporting tinha apresentado um recurso ao castigo de um jogo aplicado ao sérvio, podendo defrontar o FC Porto.

 

A decisão de despenalizar Petrovic foi tomada depois dos quatro árbitros analisarem o lance que levou ao segundo cartão amarelo, tendo concluído, após recurso às imagens da transmissão televisiva, que não houve falta do jogador do Sporting.

 

Com a despenalização, estabeleceu-se um precedente na I Liga e veremos se no futuro surgirão mais casos do género, mas não tão evidentes.

 

Apesar da decisão, Jorge Jesus não convocou o jogador para o embate desta noite. Pelo menos, o seu nome não consta da convocatória oficial, servindo esta, também, para informar que André Pinto é baixa de última hora, tendo sofrido uma lesão no treino de quinta-feira.

 

publicado às 15:34

Os melhores golos de Fevereiro

Rui Gomes, em 02.03.18

 

Qual é o seu preferido ?

 

publicado às 12:32

Cartoon do dia

Rui Gomes, em 02.03.18

 

PRIBORAP.jpg

 

Tags:

publicado às 12:08

Ponte de ligação aos leitores

Rui Gomes, em 02.03.18

 

20838056_NKiqv.jpg

 

"As receitas operacionais subiram 4,6M graças a Champions cujos prémios subiram 4,5M em relação ao ano anterior. Aumento de proveitos esse que foi totalmente ultrapassado pelo aumento dos custos de pessoal (mais 6M) e dos FSE (mais 1M).

O resultado? Apresentaram um resultado operacional parecido com o do ano passado.


Como acabou o ano passado? Com 17M negativos de resultados operacionais.


Só que este ano estão a apresentar custos correntes muito superiores, pelo que prevejo, assim como previ e acertei no ano passado, um resultado operacional ainda mais negativo. Um resultado operacional negativo é o que normalmente se chama, "buraco nas contas".

No 2º trimestre tiveram um prejuízo de quase 15M, o que dá um prejuízo mensal de 5M! Uma barbaridade!

Sabe porquê? Porque não periodizam os proveitos e colocam-nos todos no 1º trimestre. Como fizeram o ano passado!

No 2º trimestre tiveram 3M de prémios da Champions. Sem isso teriam 6M de prejuízo por mês de Outubro a Dezembro.

Como pensa que vão ser as contas até ao fim de Junho? Onde estão as receitas que irão permitir ter resultados operacionais positivos? Ganhando a Liga Europa?

Porque falo eu nisto?


Porque, primeiro, afirma que financeiramente estão muito melhores, quando eu afirmo o contrário. Segundo, no 2º semestre não terão as receitas da Champions, mas os custos gigantescos apresentados, mantêm-se! Daí eu afirmar mais uma vez que financeiramente estão piores do que no ano anterior.


Naturalmente que no fim do ano chega a factura e em Junho terão de vender os melhores "anéis" para pagar as dívidas aos bancos e, provavelmente, os proveitos que andam a antecipar da NOS".

 

Leitor: JOÃO FERREIRA

 

publicado às 03:25

Afinal... sempre haverá aqui gato ?

Rui Gomes, em 02.03.18

 

примета-черная-кошка.jpg

 

Francisco J. Marques, director de comunicação do FC Porto, voltou a negar a existência de quaisquer actos de corrupção levados a cabo pelos dragões relativamente ao jogo com o Estoril, nomeadamente pagamentos aos canarinhos no sentido de perderem o encontro referente à 18.ª jornada, que, segundo o que foi noticiado esta quinta-feira, terá sido alvo de denúncia anónima na Procuradoria-Geral da República.

 

Eis a parte inicial de uma longa explicação de Francisco J. Marques no programa Universo Porto da Bancada, no Porto Canal:

 

"É falsa porque, evidentemente, o FC Porto não comprou o resultado do jogo com o Estoril. É uma calúnia e uma ofensa aos jogadores e ao clube todo. Fundamentalmente, a notícia refere dois aspectos: um, alegadamente, na véspera do jogo, dia 20 fevereiro, terá havido uma reunião entre um dirigente do FC Porto e alguém da Traffic, proprietária do Estoril. Falso! Não houve reunião nenhuma.

 

Queria só recordar que nesta data, dia 20 Fevereiro, as relações entre o FC Porto e o Estoril estavam complicadas. Todos nos lembramos que o Estoril impediu a troca de bilhetes aos adeptos do FC Porto. Não temos más relações, mas houve atrito devido a uma situação incompreensível de não deixar trocar os ingressos no estádio.

publicado às 03:24

 

image.jpg

 

Entre os 21 jogadores que viajaram para o Norte do país de autocarro, esta quinta-feira, verificou-se prontamente as ausências de Bas Dost e Piccini. Gelson Martins acompanhou a equipa, muito embora também não vá poder alinhar.

 

Para o clássico da 25.ª jornada da I Liga, Jorge Jesus convocou os seguintes jogadores:

 

Guarda-redes: Rui Patrício, Romain Salin.

 

Defesas: Stefan Ristovski, Sebastián Coates, André Pinto, Jérémy Mathieu, Fábio Coentrão e Lumor.

 

Médios: William Carvalho, João Palhinha, Battaglia, Misic, Bruno Fernandes, Rúben Ribeiro, Bruno César, Marcus Acuña e Bryan Ruiz.

 

Avançados: Fredy Montero, Rafael Leão e Seydou Doumbia.

 

O onze que na minha opinião oferece melhores condições neste momento:

 

Rui Patrício; Ristovski, Coates, Mathieu e Fábio Coentrão; William e Battaglia; Acuña e Bruno César (ou Bryan Ruiz); Bruno Fernandes e Doumbia.

 

ADENDA: A convocatória oficial já foi divulgada e há mais surpresas. André Pinto é baixa de última hora, tendo sofrido um problema físico no treino de quinta-feira. No que toca a Gelson, o Conselho de Disciplina admitiu o relativamente à suspensão, mas sem efeito suspensivo. O jovem extremo é, por isso, baixa para o embate desta sexta-feira.

 

publicado às 03:23

Gelson é bom menino

Rui Gomes, em 02.03.18

 

img_240x200$2017_12_21_17_21_45_1346315.png

Gelson Martins não devia ter tirado a camisola depois do golo ao Moreirense. Foi expulso e vai falhar o importante (talvez decisivo) clássico com o FC Porto. Mas é um erro que, apesar de grave, não apaga o enorme gesto que está por trás do mesmo.

Gelson é bom menino e, na inocência que ainda tem, passou os 90 minutos do jogo com o Moreirense com a cabeça numa qualquer prisão em Espanha. Ele só queria homenagear um amigo. E isso, por mais insignificante que possa parecer para os obcecados com o profissionalismo, não deve ser condenado. Num futebol cada vez mais movido a polémicas, a casos obscuros e a personagens que nada o beneficiam, a bondade de Gelson, expressa num erro tão ingénuo como bonito, deve ser valorizada. Vai-se a ver e, no fim do dia, a amizade é tão maior que qualquer desporto. E foi isso que Gelson nos mostrou.

Se calhar o Sporting vai perder no Dragão e ver o tão ansiado título de campeão ficar cada vez mais distante. Se calhar com Gelson disponível ganhava. Ou se calhar não. De uma coisa tenho a certeza, sem a inocência e a irreverência de Gelson os leões não estavam por esta altura a lutar por coisa nenhuma.

 

José Miguel Machado, jornal Record

 

publicado às 03:22

Gosta de carros ?

Rui Gomes, em 01.03.18

 

pagani-huayra.jpg

Um dos carros mais caros do Mundo

2018 Pagani Huayra - 1,4 milhões de dólares

 

publicado às 22:30

"Educar Gelson"

Rui Gomes, em 01.03.18

 

Um artigo de Octávio Ribeiro - jornal Record - sobre Gelson Martins e o recém-episódio da camisola e respectiva mensagem destinada a Rúben Semedo - que não está a ser muito bem recebido entre sportinguistas, com muitas críticas e até acusações extremas de racismo. O leitor terá a sua opinião, decerto:

 

2013-01-01193738_CA967162-B341-4FEB-88DD-FECB0766B

"Li e não quero acreditar: o Sporting perdoou o gesto de Gelson, com o qual resolveu retirar-se dos planos de Jorge Jesus para o Dragão? Se é verdade, é inadmissível e continua a senda de má educação global de que o genial jogador ainda sofre, certamente desde as raízes da infância. O ato de Gelson foi gravíssimo. Penaliza os colegas, o treinador e o clube. Pode significar um dano desportivo e financeiro enorme. Se o Sporting sair vergado por uma derrota, em parte, a Gelson o deverá.

 

A decisão de tirar a camisola para jurar amizade eterna Rúben Semedo, e com isso levar um segundo amarelo, deve ser alvo de um castigo que sirva de lição para a vida. Lições que garotos como Gelson, Rúben Semedo, e todas as crianças pobres da cintura das grandes cidades, têm cada vez menos disponíveis, por demissão do Estado do seu dever de educar.

 

Ler aquelas palavras pueris de Gelson, escritas em crioulo, dedicadas ao seu amigo, preso por ter querido fazer justiça pelas próprias mãos, quando um bandidote qualquer o enganou em menos de metade do seu salário mensal, dá vontade de chorar e de gritar para onde raio vão os multimilhões dos nossos impostos.

 

As grandes cidades estão cercadas por bairros pobres, onde a polícia quase não entra e a escola não vai. Safam-se os miúdos com jeito para a bola, um ou outro abençoado por Deus. Os restantes caminham desde pequenos para um semi-esclavagismo, de onde escapam os que preferem a via-rápida do crime. A escola pública de que nos deveríamos orgulhar está cada vez mais ausente da vida destas crianças. Não as puxa para cima, não lhes exige esforço, não lhes dá exemplos nem valores éticos por que se possam reger.

 

Não é a raça que faz um jovem pensar e agir de forma desconexa, é a pobreza de valores. É a falta de educação integrada, que toda a escola deveria dar. Mas não dá.

 

As escolas públicas hoje – não escrevo nenhuma originalidade – servem principalmente os professores e restantes funcionários. Não servem os alunos, as famílias, o País, meros pretextos para um emprego, que antes era uma missão.

 

Com o elevador social partido, cabe aos jovens com particular jeito para o futebol aproveitarem essa bênção. Mas sem mecanismos integradores, sem civilização bastante, muitos derrapam na sua sorte. E alguns perdem-na para sempre.

 

Sim, o Sporting deve castigar Gelson de forma exemplar. E talvez arranjar-lhe um bom psicólogo. O talento deste miúdo merece todo o esforço necessário a uma educação, que manifestamente a escola não lhe deu e o clube ainda omite".

 

publicado às 17:00

Camarote Leonino em destaque

Rui Gomes, em 01.03.18

 

5-Best-Ways-To-Speed-Up-Mac-Lion-OS-X.png

 

No mês de Fevereiro 2018  o SAPO fez 20  destaques diários, entre segunda a sexta-feira, e mais 4  durante os fins de semana, para assinalar o "top-ten" dos blogues mais comentados nesta plataforma em cada dia. O Camarote Leonino mereceu 24  menções durante este período, com 1463 comentários, uma média de cerca de  61 comentários por post.

 

Por ordem cronológica, os posts foram os seguintes:

 

- Sábado há Assembleia Geral ! (47)

- A golpada: não a deixem passar ! (49)

- A lição e a birra (47)

- Encenação 2 (100)

- A insanidade (108)

- A face oculta que só engana quem quer ser enganado (80)

- Monólogo de um homem másculo (41)

- O homem que quebra barreiras (71)

- Nuno Saraiva novamente em defesa do seu "dono" (46)

- Mas que autêntica fantochada ! (46)

- Alguns, nem com as mãos conseguiriam marcar ! (79)

- As notórias "chafurdices" de Bruno (71)

- Bruno... a ser igual a si próprio (65)

- Foto do Dia (38)

- Excelente reviravolta !  (62)

- Os sportinguistas merecem o que têm (96)

- "Não ! Não vale tudo!" (70)

- Construir "castelos" no ar (67)

- "Fui alvo de ameaças por parte de fanáticos sportinguistas" (43)

- Contas de Bruno de Carvalho sob investigação (42)

- Sporting recusa convite do Benfica (54)

- Mas que Sporting é este ? (37)

- Emoção superou a razão (81)

- Mera coincidência... não mais do que isso (23)

 

Como sempre, o devido reconhecimento para o trabalho e devoção da equipa de redactores do Camarote Leonino e a muito estimada e valorosa participação dos nossos leitores.

 

publicado às 16:34

 

RYYJEXIX.jpg

 

A Procuradoria-Geral da República terá recebido, na terça-feira, uma denúncia anónima, de alegados actos de corrupção e fraude na segunda parte do Estoril-FC Porto, do passado dia 21 de Fevereiro.

 

Na base da queixa estará uma suposta reunião entre um executivo da Traffic, empresa que detém a maioria do capital da SAD do Estoril, um empresário e um dirigente do FC Porto. O encontro, refere a publicação, terá tido lugar num hotel de Lisboa, na véspera da segunda metade da partida na Amoreira, que terminou com a vitória dos 'dragões' por 3-1.

 

A mesma denúncia dá conta também de uma alegada transferência bancária no valor de 730 mil euros para a SAD do Estoril, efetuada dias depois do jogo.

 

O Ministério Público irá agora analisar a referida queixa e só dará início ao procedimento criminal se nela encontrar consistência.

 

Os 'canarinhos', recorde-se, chegaram ao intervalo a vencer por 1-0, mas o jogo teve de ser adiado por questões de segurança relacionadas com a bancada norte do estádio António Coimbra da Mota.

 

publicado às 11:16

 

RDWSQ05J.jpg

 

Sporting, Benfica e FC Porto apresentaram esta quarta-feira à CMVM os respectivos Relatório e Contas relativo ao 1.º semestre de 2017/18.

 

Por norma, não comento Relatórios e Contas, mas para permitir algum debate sobre o tema, apresento um breve resumo da rubrica "gastos com pessoal", em que se verifica um aumento da parte do Sporting e Benfica, e uma redução do FC Porto.


Relatório do Sporting

2017/2018: 37,68 milhões de euros (
2016/2017: 31,57)

"De todos os gastos operacionais salienta-se o valor dos gastos com pessoal que ascendem a 37.680 milhares de euros, onde cerca de 1.030 milhares de euros são relativos a prémios não regulares e cerca de 800 milhares de euros a salários de jogadores que rescindiram contrato no decorrer do primeiro trimestre".
 
Relatório do Benfica

2017/2018: 35,261 milhões de euros (2016/17: 30,363)

A rubrica subiu 16,1%, aumentando de 30,3 para 35,2 milhões de euros em um ano, que inclui a indemnização pela rescisão de contrato antecipada de Júlio César.
 

Relatório do FC Porto


2017/2018: 38,054 milhões (2016/2017: 38,908)


"Os custos salariais relativos aos plantéis de futebol, respectivas equipas técnicas e toda estrutura de pessoal das diversas empresas representadas neste consolidado, assim como os respectivos encargos fiscais e seguros de acidentes de trabalho, diminuíram 855m€ no período em análise. A diminuição verificada nas remunerações de atletas e técnicos foi bastante mais significativa, de 2.904m€, no entanto foi atenuada pelo reconhecimento dos valores a pagar a atletas relativos a indemnizações por rescisão de contrato de trabalho e com o aumento dos encargos suportados com os seguros".

 

publicado às 11:15

 

petrovic2.jpg

 

O Sporting apresentou esta quarta-feira recurso ao castigo de um jogo aplicado a Radosav Petrovic pelo Conselho Disciplina (CD) da FPF, para que este seja despenalizado e esteja disponível para defrontar o FC Porto na sexta-feira.

Confesso que este recurso vem como uma grande surpresa para mim, porque sempre entendi que decisões deste cariz não eram passíveis de recurso. Será, porventura, um novo regulamento da FPF e, pelos vistos, já com um precedente de registo.

 

Mas, começando pelo princípio, o recurso do Sporting é assente no entendimento de que Petrovic não cometeu qualquer infracção no lance em que viu o cartão vermelho no jogo com o Moreirense, e no precedente aberto com a despenalização do jogador do Vitória de Guimarães B, Dénis Duarte, que foi expulso na primeira jornada da 2.ª Liga, na partida com o Varzim, em 6 de Agosto de 2017, pelo árbitro Bruno Rebocho, que lhe exibiu dois cartões amarelos, aos 54 e 59 minutos, o primeiro dos quais por uma falta que não cometeu. Suspenso por um jogo pelo CD, o Vitória de Guimarães recorreu da decisão, apresentando um vídeo para demonstrar que o seu jogador não tinha cometido a falta que levou à amostragem do primeiro cartão amarelo por parte do árbitro.

O CD enviou o vídeo para o árbitro Bruno Rebocho, o qual, perante as imagens, admitiu ter-se equivocado, admissão essa que levou aquele órgão disciplinar a dar razão às pretensões do Vitória de Guimarães e a retirar a sanção, o que permitiu a Dénis Duarte defrontar na jornada seguinte a Oliveirense.

No caso de Petrovic, o Sporting entende que este não cometeu qualquer falta sobre o jogador Zizo, do Moreirense, razão pela qual o segundo cartão amarelo que lhe foi exibido, aos 61 minutos do jogo, pelo árbitro Tiago Martins, não se justificava e constituiu um erro grave.

O Sporting espera que o Conselho de Disciplina, na reunião prevista para quinta-feira, analise o recurso e tome a decisão de despenalizar o futebolista sérvio, para que este possa defrontar, caso Jorge Jesus assim o entenda, o FC Porto, na sexta-feira, em jogo da 25.ª jornada.

 

Apesar da FIFA evitar intervir em competições domésticas, face às circunstâncias, não posso senão reflectir sobre o parecer do organismo que superintende o futebol mundial.

 

publicado às 04:26

Recurso por Gelson ?

Rui Gomes, em 01.03.18

 

5CQY94J1.jpg

 

Partindo do princípio que a reportagem do Record tem fundamento, não dá para imaginar os argumentos que terão sido apresentados pelo Sporting para convencer o Conselho de Disciplina da FPF a recuar do castigo a Gelson.

 

A lei é muito clara neste sentido e vem da FIFA e do International Board. O jogador tirar a camisola durante um jogo é passível de cartão amarelo. Como foi o segundo do Gelson, resultou na sua expulsão.

 

Este recurso da Sporting SAD, não faz sentido algum. Considerações humanitárias, pela associação ao caso de Rúben Semedo, não são minimamente pertinentes.

 

publicado às 04:25

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D




Cristiano Ronaldo


subscrever feeds