Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Preso por um fio

Rui Gomes, em 24.02.13

 

Li um artigo de opinião por Nuno Farinha, no Record, sobre a situação actual do Sporting, com o qual concordo na íntegra. Do mesmo escolhi dois parágrafos que me parecem mais pertinentes à discussão do momento:

 

«É muito fácil apontar o dedo e identificar as fragilidades mais gritantes deste Sporting que se arrasta penosamente no campeonato. Difícil, mesmo, é perceber onde começou o problema e quem mais contribuiu para o caos em que os leões de encontram mergulhados.»

 

O discernimento de Nuno Farinha é justíssimo mas de complexa explicação, já que a verdadeira origem do problema já tem anos de existência e não se deve apenas a um só factor ou a um só grupo de dirigentes. A crítica mais em voga, no que ao mais recente estado das coisas concerne, aponta o dedo a Godinho Lopes, tendo sido ele a figura da liderança do Clube neste período. Muito embora se compreenda o raciocínio, é um diagnóstico simplístico de mais, mesmo considerando a sua responsabilidade, como presidente, uma vez que os verdadeiros obreiros da obra desastrosa foram Luís Duque e Carlos Freitas. Um planeamento que pecou logo à partida e que até poderia ter tido recuperação, na minha opinião, salvo pela contratação de Ricardo Sá Pinto, pela demissão de Domingos Paciência. Nunca saberemos se este teria conseguido inverter o momento da época que precipitou a sua saída - admitindo, ainda, a existência de qualquer outro factor de força superior - mas a estrutura da equipa foi sendo destruída, aos poucos, até se chegar à final do Jamor. A preparação para a nova época foi nada menos do que desastrosa e o curso ficou, desde logo, irreversível. Neste entretanto, intervem o presidente, directamente, num acto de desespero, e sem conhecimentos suficientes, na tentativa de recuperar o terreno terdido e corrigir os erros cometidos. Muito pouco para tanto e chegou-se ao momento actual. A história vai julgar o mandato de dois anos de Godinho Lopes pelo todo da situação em que o Sporting se encontra, mas a causa, à raiz, é somente a competitividade da equipa principal de futebol. Tudo o resto são consequências que daí surgiram em cadeia.

 

«Bruno de Carvalho e José Couceiro, os mais fortes candidatos à sucessão de Godinho Lopes, corem o sério risco de assumir a liderança do Sporting e serem confrontados com uma ainda mais violenta realidade do que imaginavam: sem UEFA, não só há perda de receita como se torna mais difícil qualquer negociação com jogadores ou treinadores. O pesadelo não tem fim.»

 

Nuno Farinha também tem razão neste aspecto da sua análise, embora, a bem dizer, a não participação nas provas europeias só provoca uma perda significativa de receita no que à Champions concerne, a Liga Europa relaciona-se mais com questões de imagem e marketing. Dando-se essa eventualidade - e pelo andar das coisas, é muito provável - o único positivo entre o vincado negativo, é o novo líder poder elaborar um trabalho de reestruturação sem a pressão inerente aos resultados das provas da UEFA. O impacto que esta disposição terá na qualidade do plantel, dependerá, obviamente, dos recursos financeiros disponíveis e da visão do novo líder sobre o curso futebolístico a abraçar. O poder de negociação para a saída de activos será reduzido significativamente e a entrada de outros, com nível acima da média, é extremamente duvidoso. Muito, se não tudo, aparenta estar preso por um fio, e só resta esperar que os sócios saibam escolher bem o novo líder e que este, uma vez em comando, saiba e possa levar o barco a bom porto.

 

Muito por tudo isto e mais - sempre reconhecendo o estado das coisas - é que eu combati a oposição destrutiva que se fez sentir dentro e na periferia do Sporting nestes dois últimos anos. Unidos poderemos resolver muito, se não até tudo, divididos só contribuiremos para o agravamento da situação. Lamento que tantos nunca tenham reconhecido esta preponderante consideração, pela obcecação do deitar abaixo de pessoas e, inevitavelmente, por natural associação, do Sporting.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:57

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D




Cristiano Ronaldo