Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Contratos por objectivos

Rui Gomes, em 08.09.13
 

  

Mediante o estatuto do atleta e o seu salário base, sou apologista de contratos com cláusulas que visam premiar a performance em campo. Há muitos tipos de objectivos e o seu reconhecimento fica ao critério interno de cada clube, a exemplo de e não limitado a premiar um avançado pelo número de golos que marca.

 

Reporta este domingo o diário desportivo A Bola que o defesa central brasileiro Maurício aufere um salário base de 400 mil euros e que o seu contrato contém cláusulas de prémios por objectivos, nomeadamente que o jogador poderá encaixar até ao máximo de 50 mil euros por temporada, por cada série de cinco jogos como titular ou em que entre no início da segunda parte. Sendo assim, Maurício poderá garantir os primeiros 10 mil euros de prémio se for titular nos próximos dois jogos frente ao Olhanense e Rio Ave.

 

Apesar de concordar com esta politica, à raiz, como já referi, discordo com premiar assente neste objectivo. Isto, pela experiência própria de há uns anos atrás em equipas minhas, pelo potencial para conflito. Não quero crer que condicione Leonardo Jardim nas suas escolhas, mas pode ser assim interpretado, pelo próprio jogador, caso uma das decisões do treinador coincida em quebrar o ciclo de cinco jogos, especialmente o quinto. No mínimo, poderá precipitar um clima de descontentamento e desconfiança. A bem dizer, não evoco nada de novo já que este género de incidências são do registo público em modalidades de alta competição.

 

Curiosamente, não há muito tempo e por motivos que me me iludem neste momento, surgiu um leitor a evocar o filme de Al Pacino "Any Given Sunday", onde uma das polémicas centrais no seio da equipa é precisamente o conflito entre alguns atletas e o colectivo, pelos prémios por objectivos. Claro, no filme estavam em discussão milhões e não meros milhares, mas é um cenário que corresponde à realidade.

 

Nota à parte: desconheço a origem e a veracidade da informação publicada por A Bola.

 

publicado às 21:12

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


19 comentários

Sem imagem de perfil

De Petinga a 08.09.2013 às 22:10

Sabe que neste caso pensei exactamente o mesmo que o Rui? Também desconheco a veracidade do reportado por A Bola, mas dei por mim logo a imaginar "e se o Leonardo Jardim o retira do 11 titular precisamente naquele que seria o 5o jogo consecutivo?".

Por outro lado, a ideia de um contrato por objectivos faz todo o sentido e nao me parece mal que seja experimentada. Mas no caso de um defesa-central é complicado premiar objectivos de performance para além de jogos consecutivos e (eventualmente) jogos consecutivos sem sofrer golos (sendo que mesmo estes nao estao necessariamente relacionados a 100% com a performance individual do jogador). Golos marcados parecem-me difícil e imprevisível tarefa; e métricas como tackles/jogo ou desarmes efectuados ou percentagens de passe prestam-se sempre a ser adulterados e/ou mal interpretados. Métricas de "top" seriam coisas como chamadas à Seleccao Nacional do seu país ou figurar no 11 ideal da jornada, mas essas já sao (por si só) um prémio para o atleta.

Que objectivos sugeriria o Rui, neste caso particular?
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 08.09.2013 às 22:30

Nas minhas equipas sempre preferi objectivos colectivos, para evitar conflitos. O único objectivo que não gera controvérsia é golos marcados. Mesmo golos sofridos é discutível porque o guarda-redes depende da defesa e esta do meio campo, etc.

O futebol não é um desporto muito adequado a objectivos individuais.

No caso de um avançado é viável: a partir de X golos, prémio de X, e ninguém leva a mal porque todos reconhecem a mais-valia de um ponta de lança.

Ao longo dos anos também recorri a prémios de jogo: X por vitória, X por empate. Nos jogos mais importantes esse X aumenta. Mas tudo colectivo e, por uma questão psicológica, eu nunca permitia que o cheque fosse entregue pela secretaria, era sempre eu a entregar individualmente. São estratégias internas para fazer sentir quem comanda. Muitas vezes, à parte do clube, oferecia prémios do meu bolso, nem sempre monetários. Viagens, etc. e sempre ao grupo.

Num dos clubes em que eu dirigi o futebol, havia um grupo de sócios que formaram uma lista e por cada vitória ofereciam X ao grupo, por cada jogo em que marcassem mais de três golos X. E os jogadores sentiam enorme prazer em colectar. Hoje em dia, com os valores acrescidos envolvidos, muitos destes prémios podem ser de ordem simbólica mas de prestígio.
Sem imagem de perfil

De Petinga a 08.09.2013 às 22:34

De acordo.

Mesmo o objectivo "golos marcados", com a complexidade que o desporto atingiu hoje, pode ser nocivo à equipa. Veja-se a bola a que Montero tentou chegar com a mao e que poderia ter dado o 2o golo (penso que a Carrillo? ou Wilson Eduardo? nao me recordo) no jogo contra o Benfica. Nao se pode censurar o jogador por ter "ganancia" de golo se houver prémios avultados em disputa.
Sem imagem de perfil

De jose a 09.09.2013 às 01:01

Sei que tem contacto e experiência com o mundo do futebol, mas creio que dentro de campo, se a equipa estiver bem organizada não estão a pensar constantemente nos objectivos.

No caso do Montero tem a ver com o perfil de avançado, querer marcar e algum egoísmo que os avançados costumam ter. Em tudo o caso, a estrutura do futebol deve chamar atenção para situações em que o jogador valorize os seus objectivos em detrimento a equipa. Se não dizem nada, então dentro de pouco tempo, o caos vai surgir.

Ainda em relação ao modelo que parece-me que o Sporting está a implementar, concordo e acho que é o melhor, aumentos automáticos é que não faz sentido nenhum. Mas também é verdade que um modelo em teoria pode ser bom mas se for mal implementado, pode-se tornar num péssimo acto de gestão.



Imagem de perfil

De Rui Gomes a 08.09.2013 às 22:36

P.S. Por vezes surpreendia-os. Por ocasião de um jogo excepcionalmente bem jogado e vencido, no próximo treino ou refeição de grupo aparecia com uma oferta um pouco invulgar: a exemplo de um relógio, etc. .

Claro, nada disto é inserido em contratos.
Sem imagem de perfil

De iorda a 08.09.2013 às 22:30

Bom Bom era oferecerem-lhe o dobro ou triplo do vencimento e passado um ano multiplicarem esse valor por dois, perfazendo assim uns parcos 2 milhões

Agora mediante objectivos um jogador poder vir a ganhar num anos uns pornograficos 50.000€ - é mesmo de lamentar.

Não percebo este Sporting !
Sem imagem de perfil

De jose a 09.09.2013 às 01:12

Caro jorda,
O valor do aumento seria 50 mil por ano, não é extraordinário.

Acho que o modelo mais justo e premeia os talentos.
Vamos imaginar que o Bruma ficava no Sporting.
Ao fim de dois anos podia ganhar próximo de 1 milhão e não era escandaloso, imagine o seguinte cenarios:

Ele ia subindo de salário porque ia cumprindo os vários objectivos. O objectivo de topo seria se jogasse 5 jogos seguidos como titular na selecção A em fases finais ou preliminares. Na minha opinião até era barato.
Sem imagem de perfil

De sergiom a 08.09.2013 às 22:45

Para mim não tem lógica, na perspectiva do sucesso individual do atleta, nos objetivos do jogador tem de estar o sucesso do clube. Premiando-o, exclusivamente, nos momentos em que o clube tivesse ganho algo ou atingido o pretendido.

O pagamento dos prémios seria variável consoante a classificação do clube e os desempenhos nas restantes provas em que participa.

O mesmo deveria ser aplicado às equipas técnicas.
Sem imagem de perfil

De Jose a 09.09.2013 às 01:42

Caro sergiom

Um jogador recebe dinheiro baseado em duas vertentes, salário e prémios da performance da equipa que depende de vitória e da classificação final, taça de portugal e liga.

Penso que este tópico é relacionado ao aumento dos salários baseado num contrato por objectivos.

Imagine que um dos nossos jovens promissores passou para a equipa A e passou a titular até ao final da época, acho justo que o seu salário seja aumentado em função de determinados objectivos. Por exemplo como foi referido, por cada serie de 5 jogos seguidos a titular, aumento de x e por aí adiante.

Existe alguns pontos negativos como o Rui referiu, mas penso que através do dialogo e do bom senso afina este modelo. Atenção, bom senso do clube mas também do atleta.
Sem imagem de perfil

De FCS a 09.09.2013 às 00:07

O número de jogos como titular, com os aspectos negativos que também pode ter, mas à partida é igual para todos, e dependerá exclusivamente do treinador, que é soberano e responsável pelas suas escolhas, já que se corre mal também paga as favas.

Mas é tudo muito relativo. Até a questão dos golos/nº de jogos ou época, pode fomentar o individualismo.
Sem imagem de perfil

De jose a 09.09.2013 às 00:38

Pelos comentários que vê-se por aqui, não há modelo que sirva.

Em tese sou a favor do contrato por objectivos, é preciso é que haja diálogo em determinadas situações para que não gere mal estar.
Vamos imaginar que o Mauricio, fazia uma série de 4 jogos e o quinto ficava de fora, logicamente que deve haver uma conversa sustentada dos motivos. Outro exemplo, o Mauricio faz uma 3 series de 4 jogos a titular e por azar, no quinto tem uma lesão, também com um dialogo e informando que não vai receber o aumento total porque não cumpriu, mas irá ser aumentado em x porque não jogo o quinto por lesão.

Em resumo sou a favor dos contratos por objectivos e nos casos que pode gerar conflito, frustrações, deve-se limar com uma abordagem clara de forma que ambas as partes fiquem satisfeitas.

Em relação ao salário do Mauricio, julgo que aufere estes valores porque veio a custo zero. Acho errado, é preferível estimar um determinado valor para o passe, pago por exemplo em duas ou mais tranches e ter um salário mais baixo.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 09.09.2013 às 02:29

Senhor José !

Rasurei o seu último comentário no outro post pela gravidade das acusações que fez de terceiros. Não admito que este espaço seja usado para esses fins. Aquela última linha sua é incrível ! Com que conhecimento de causa leventa um espectro daquela natureza ?

Quanto à outra parte da sua narrativa em referência a comentar relatórios e contas, economistas etc., o que o José, o Zé e uns quantos outros recusam compreender ou que não compreendem mesmo, é que vir para um espaço público comentar sob anonimato e escrever artigos identificados para todo o mundo ler e apreciar são duas disposições separadas por léguas de distinção.

Não preciso nem quero resposta sua a isto.
Sem imagem de perfil

De André Martinho a 09.09.2013 às 18:52

A partir do início que a informação é verdadeira, eu concordo com os prémios por objectivos. No caso do Maurício de ele ser premiado em cada serie de 5 jogos como titular, não creio que condicione Leonardo Jardim, pois acredito que para o treinador só será titular quem trabalhar nos treinos como é óbvio, mas ainda assim concordo que não seria o objectivo certo a ser premiado. Uma vez que normalmente um ponta de lança seria premiado por certo número do golos, acho que um defesa central deveria ser premiado por certo número de jogos sem sofrer golos. Acho que seria o melhor...
Sem imagem de perfil

De fernando silva a 09.09.2013 às 21:03

vindo a noticia na A Bola, terá o valor que lhe quisermos dar...
mas a ideia com que fiquei, era que o premio seria para uma serie de 5 jogos e nao de 5 jogos consecutivos... assim como os cartoes amarelos , leva um jogo de castigo ao fim de uma serie de 5 jogos e nao só se forem consecutivos...
terei interpretado mal???
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 09.09.2013 às 21:13

Bom ponto, li a notícia novamente e de facto não especifica 5 jogos consecutivos, apenas série de 5 jogos, permitindo então essa interpretação. De qualquer modo, na minha opinião, não faz grande sentido já que sou apologista de prémios por metas colectivas.
Sem imagem de perfil

De fernando silva a 09.09.2013 às 21:25

sendo o tecto salarial sido nivelado por baixo, (relativamente a anos anteriores, e pelo que tem saido na CS), penso que esses objectivos colectivos estejam incluidos, (vitoria, empate,golos marcados, golos nao sofridos).
por outro lado em relacao a Mauricio, (e já agora Rojo), este bonus de presencas (5 jogos), servirá tambem para lhes acalmar os animos, em relacao a eventuais castigos por acumulacao de cartoes...funcionando como que um travao a uma eventual agressividade (fama que os precede)...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.09.2013 às 21:15

Só uma pequena correcção: o nome do filme é "Any Given Sunday"...
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 09.09.2013 às 21:51

Tem razão, Never on Sunday é outro. Eu até tenho uma colecção de cerca de 3000 filmes e esse é um deles. Só agora é que deram por ela !
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 09.09.2013 às 22:00

P.S. Já corrigi, obrigado.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo