Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O que dizem eles

Rui Gomes, em 30.10.13

 

 

«O Sporting esteve muito bem no Dragão. Não esteve perfeito, pois houve erros dos quais resultaram em golos, mas houve uma atitude muito digna, muito competitiva. A equipa deu uma excelente imagem, equilibrou o jogo com o campeão nacional. O Sporting está a exceder as expectativas, tem excelentes jogadores, por isso vai continuar a fazer o seu caminho, com os pés na terra, embora com a cabeça no céu.

Não vou dizer que Leonardo Jardim é um achado, mas é um treinador que superou as expectativas. É um homem de grande lucidez, grande organizador táctico e aperfeiçoador técnico. Foi uma excelente contratação. Quanto a Bruno de Carvalho, o relacionamento que tem tido com a equipa, a empatia que criou com os adeptos, naturalmente que tem sido um factor muito importante nesta revitalização da alma do futebol.»

 

-    Rogério Alves    -

 

Observação: Louva-se a atitude gratificante e a postura de solidariedade do antigo presidente da Assembleia Geral do Sporting - pese alguns exageros - postura esta que muito se evidenciou no Clube, pela sua ausência, em um passado recente, curiosamente muito por parte de quem agora o lidera. É de concordar que apesar do resultado negativo no Dragão, a equipa leonina fez uma exibição muito digna, nomeadamente na segunda parte, e que de facto chegou a equilibrar a contenda. A história do clássico poderia ter sido muito diferente se - e é um grande "se" - o segundo golo portista não surge um escasso minuto após o empate. Além deste jogo, há de facto uma esperança real que a equipa continuará a crescer e não hajam dúvidas que é esse o maior desejo de todos os sportinguistas.

 

Não sei bem se este Sporting está a "exceder as expectativas", e digo isto sem o mínimo de ironia. Como adepto, e considerando a incógnita associada à mudança de liderança e ao estado do Clube, financeira e desportivamente, creio que não tinha quaisquer expectativas, mais uma postura de esperar para ver. Dito isto, Rogério Alves tem plena razão quando elogia a contratação de Leonardo Jardim, quiçá, a única consideração absolutamente consensual entre sportinguistas. No que ao presidente concerne, mesmo os seus maiores críticos lhe reconhecerão uma medida de mérito em certos aspectos da sua gestão nestes primeiros sete meses de mandato e é verdade que criou empatia com um determinado número de adeptos. No entanto, por um leque de factores, presente e passado, que se tem vindo a debater aqui e em outros espaços públicos desde que assumiu a liderança, creio que nunca será uma figura consensual no universo sportinguista. O passar do tempo melhor esclarecerá esta disposição, isto, se não acreditarmos nas palavras de Albert Einstein: "A distinção entre passado, presente e futuro é uma ilusão teimosamente persistente."

 

publicado às 02:19

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


23 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 30.10.2013 às 16:07

Com a agravante de que não houve prescrição nenhuma mas uma absolvição como acontece sempre que os indícios não se transformam em provas e numa área muito distinta do Sporting, o que também não faz de certeza do comentador um aldrabão.

Só não percebe que a continuar a caminho das últimas semanas esta época é mais uma a acabar sob o signo das cadelas apressadas quem não quer e não é por falta de avisos do treinador. A par com a personalidade do presidente há mais um "problemazinho" a contribuir para a pressa e que parece já não ser problema nenhum para quem se preocupa tanto com aldrabices ou então neste caso o caro comentador nunca ouviu o actual presidente falar em muitos milhões que fazem falta todos os dias.

Até admito que possa não parecer mas para quem nunca acalentou esperança nenhuma com a actual direcção começa a ser muito mais tempo de nos focarmos todos mais no futuro e nessa coisa estranha da equipa B também ter passado a servir para dar ritmo a quem nunca joga.
Sem imagem de perfil

De Lionheart a 30.10.2013 às 21:12

"... um "problemazinho" a contribuir para a pressa..."

A mudança de discurso tem tudo a ver com a pressa, e o que leva à pressa é o busílis da questão...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 31.10.2013 às 00:25

Vinha mesmo aqui ainda deixar umas passagens mesmo sabendo de antemão que muitos não compreendem como o aumentar da fasquia pode interferir na cabeça dos atletas, infelizmente e pelos vistos direcção do Sporting inclusive.

Depois de um senador do treino como Manuel José, um dos que mais tem elogiado o Sporting desde o início da época, ter deixado ontem bem claro que tem a certeza que muitos jogadores já não renderam metade do que podem durante toda a 1ª parte no Dragão e que isso só tem a ver com a pressão que puserem subitamente em cima da equipa e que Jardim deve ter feito o que pôde ao intervalo, já vem outro a falar de títulos e na capa do jornal Sporting nunca é por acaso, infelizmente:

http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=437478

"O futebolista Alan, do Sporting de Braga, disse hoje que a fasquia foi colocada muito alta, o que pode ter «abatido a equipa», que registou na última jornada a terceira derrota consecutiva na I Liga.
«Temos que estar com a cabeça fria, pensar no nosso futebol e no dia-a-dia de trabalho, mas claro que ficamos tristes por os resultados não estarem a sair. Começámos bem a pré-época, nos jogos [do campeonato], [mas] a fasquia foi muito elevada e isso não sei se abateu um pouco a equipa», afirmou o brasileiro... "

A grande arma do Sporting até aqui foi sempre a grande confiança com que os jogadores vinham a enfrentar todos os jogos e daqui para a frente basta outro resultado menos conseguido para voltarmos ao cenário da época anterior em que a palavra chave foi sempre a ansiedade, precisamente a forma oposta de entrar em campo, uma potencia planteis até mais fracos e a outra foi aquilo que se viu. E também não é preciso mais nada para de um momento para o outro tudo se alterar. Nem há palavras para tanta incompetência da direcção mais competente que íamos ter mas também íamos ter muitos milhões e também foi o que se viu.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D




Cristiano Ronaldo