Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Afinal não sou o único...

Rui Gomes, em 29.11.13

 

 
Preza-me verificar que não sou o único a pensar que o sistema táctico 4x4x2 - na realidade 4x2x3x1 ou 4x1x3x2 - possa ser o mais adequado para esta equipa do Sporting, não obstante o sucesso de registo findo o primeiro terço do campeonato.
 
Gostei de ler este artigo intitulado "O 4x4x2 volta a resolver", por Manuel Pedro Gomes, em referência ao jogo do passado domingo em Guimarães. Disponibilizo o texto completo aqui e limito-me a transcrever quatro parágrafos que considero relevantes:
 
«(...) A maior vítima deste futebol descontinuo tem sido Montero pois a bola não lhe chega em condições. Faz tempo que o colombiano não marca. Ontem (domingo), não fez praticamente um remate à baliza, o que não abona em favor de um goleador. Os alas, na maioria das vezes, por falta de apoio face ao afastamento dos médios, ficam entregues a si próprios, exceptuando as combinações com os laterais. Cédric esteve impecável e Jefferson não pode só fazer a desmarcação circular.»
 
«(...) Leonardo Jardim está conduzir e bem o Sporting, para o objectivo programado e vai consegui-lo. Mas neste momento em que está lado a lado com os dois candidatos, deve tentar extrair ao máximo o potencial que tem entre mãos, para não perde-los de vista ou quiçá ultrapassá-los. Por isso deve analisar se esta fraca exibição (Guimarães) é reflexo do seu modelo táctico e se este é o mais rentável face ás características dos seus jogadores.
 
Ontem (domingo) viu-se que não é. O meio campo do Sporting tem demonstrado que é pouco agressivo, não pressiona, defende mal e não é suficientemente criativo. Os dois titulares indiscutíveis são William e Adrien. Os restantes Vítor e Gerson Magrão, não demonstraram estar à altura de serem titulares e André Martins este ano ainda não se encontrou.
 
Se o Sporting tem vários e bons extremos, com capacidade para municiar dois pontas de lança e para se revezarem, dado que este modelo exige uma diferente dupla missão defesa-ataque, se Slimani domina o jogo aéreo, se Montero precisa de mais apoio para explanar o seu futebol rápido, imprevisível e letal, talvez o 4x4x2, seja o modelo mais indicado !»
   

publicado às 03:50

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


9 comentários

Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 29.11.2013 às 08:39

Rui,

O 4-4-2 para mim tem o problema de retirar um 3º elemento ao meio campo e poder permitir aos nossos adversários o controlo do meio campo e da partida (devido as tais debilidades "O meio campo do Sporting tem demonstrado que é pouco agressivo, não pressiona, defende mal" um pouco exageradas para mim nas palavras Manuel Pedro Gomes).

Exemplo :
SCP - SLB no jogo do campeonato o Benfica só consegue reagir ao 1-0 chegando mesmo ao 1-1 após a inclusão do JJ do Ruben Amorim no meio campo do Benfica passando a ser composto por Matic, Enzo e Amorim ... mais tarde Enzo julgo eu acabaria por sair e SCP voltaria a retomar as redeas da partida não conseguindo no entanto chegar à vitória.

O 4-3-3 dá uma grande vantagem e permite esconder em parte as "lacunas" defensivas do nosso meio campo, com a evolução tatica dos nossos jogadores talvez mais no fim 2ª terço do campeonato possamos ver o LJ apostar no 4-4-2 com maior segurança ... até lá só mesmo nos últimos minutos das partidas que estejam empatadas ou a perder (esperemos que sejam poucas) .

A questão não é qual o melhor esquema tático mas sim qual o mais "acessível" nesta fase.

SL,
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 29.11.2013 às 10:09

Não compreendo como é que grandes equipas com múltiplos argumentos ao seu dispor recorrem a um sistema que reforça o meio campo e nós fazemos exactamente o inverso.

Está mais do que provado que contra equipas de qualidade os nossos três médios não satisfazem as necessidades de jogo.

E concord com o Manuel Pedro Gomes - a exemplo do que aconteceu em Guimarães, os extremos andam sozinhos à mercê dos defesas adversaries. Pelo meio campo débil são forçados a defender excessivamente, precipitando incapacidade para atacar.

Como o 4x3x3 esconde as lacunas defensivas do meio campo ultrapassa-me completamente.
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 29.11.2013 às 10:21

"Está mais do que provado que contra equipas de qualidade os nossos três médios não satisfazem as necessidades de jogo. "

Esta época em 90% dos jogos defrontaremos equipas com menor qualidade, para esses casos os nossos 3 médios "safam-se".

"Como o 4x3x3 esconde as lacunas defensivas do meio campo ultrapassa-me completamente."

defender a meio campo num 2*3 é bem diferente de 3*3 ou 3*2.

SL,

Imagem de perfil

De Rui Gomes a 29.11.2013 às 10:31

Nesse caso, a nossa estratégia é baseada em defrontar equipas de menor qualidade.

A mim não faz o mínimo de sentido.

Bem sei as diferenças em defender, daí a base do meu argumento, mas o modelo de jogo sugerido no post não visa somente defender, mas também dar maior apoio ao ataque. Vamos continuar com Montero sozinho lá à frente e quase sem rematar à baliza. Temo as consequências a longo prazo. A estrelinha tem andado connosco, mas não podemos garantir que ela vai estar presente a época inteira.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.11.2013 às 09:43


Caro Rui,

A ideia é opinar sobre o sistema de jogo ideal ou sobre o Sporting? No quadro estão planteis completamente distintos.

O sistema 4x2x3x1 não é uma variante do 4x4x2 mas do 4x3x3, portanto muito mais fácil nesta fase e que tinha sido muito útil, por exemplo, do que se viu da 1ª parte do último derby. E também não são muito raras as vezes que Jardim recorre ao duplo pivot no meio.

O sistema 4x1x3x2 é que já é uma variável do 4x4x2, tal como o famoso losango do Paulo Bento no Sporting que tanto cansou muitos sportinguistas, de ver a equipa actuar na maior parte das vezes só numa pequena faixa de terreno e sem extremos, também com dois avançados, que julgo ser a ideia que está por trás da dinâmica de jogo que o caro Rui gostava de ver implementada.

Como o caro também já tem escrito não é fácil ver um treinador abdicar do que acredita, neste caso da sua ideia de jogo, que também julga ser a melhor com os jogadores que tem à disposição, de um dia para o outro. O treinador do Porto ainda agora acabou de verbalizar a mesma coisa, sobretudo porque não se alteram os processos de treino e as rotinas treinadas e assimiladas pelos jogadores também de um dia para o outro, antes requer outra vez muito mais tempo.

Outra coisa fundamental são as dinâmicas e os equilíbrios. Abdicar por completo do que tem sido parte fundamental do jogo do Sporting até aqui, a largura e a profundidade que ambos os extremos propiciam nos dois lados do campo, creio estar completamente posto de lado para todos. E falo como é óbvio do losango, que com uma dinâmica a fazer lembrar um harmónio ainda é a forma mais fácil de manter um plantel muito limitado equilibrado dentro do campo. Paulo Bento não usou e abusou dele por acaso. Em 4x1x3x2, cá lembramo-nos todos do Benfica campeão na 1ª época de Jesus e pouco mais. Com Saviola, entre linhas, como aqui também julgo que o caro gostaria de ver Montero, com um extremo que está hoje no Real Madrid mas sobretudo com um super box to box como Ramirez, que nunca mais teve. Também não alterou a forma de jogar por acaso.

O Sporting de cada vez que tem lançado Slimani no jogo fica muito mais frágil no meio-campo. Ainda agora em Guimarães assistimos ao treinador adversário mais que avisado a tentar logo tirar proveito de um Adrien muito curto. Se os extremos tivessem vindo também defender mais para dentro abriam autênticas auto-estradas nos corredores para os laterais do Vitória. Para além da ideia e dos processos do treinador e da equipa até aqui e ainda estamos a evoluir, não há nada no Sporting muito consolidado quanto mais gasto, não há médios para interpretar qualquer sistema de jogo. As falhas mais que evidentes no jogo interior também não acontecem por acaso. Eu julgo mesmo que Slimani chegou para o que está a fazer e na verdade de início dentro do campo depois também não há mais nenhuma solução no banco. A nossa capacidade para mexer com jogos amarrados também passa muito por alguns extremos, mais uma razão para não abdicar do jogo exterior.







Imagem de perfil

De Rui Gomes a 29.11.2013 às 10:17

A ideia é debater o modelo de jogo mais adequado para o Sporting.

A tese é muito simples: não temos meio campo (com três) para fazer frente a equipas com bons meio campos, daí, na minha opinião, a necessidade de o reforçar.

Não temos um 10, por isso Montero necessita de ser mais apoiado e não necessariamente por outra ponta de lança, Slimani. Se Labyad estivesse disponível, ele seria o ideal.

Muito do que se comenta agora é baseado nos resultados e não na qualidade do nosso jogo, e já fizemos alguns jogos muito pobres, mas a estrelinha tem estado presente.

Qualquer bom treinador sabe que se as alas do Sporting forem tapadas, ficamos sem jogo ofensivo. Aconteceu no domingo passado e vai acontecer mais vezes.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.11.2013 às 10:46



Concordo com tudo genericamente. A velha questão do jogo interior versus jogo exterior que também requer por exemplo os milhões que nunca chegaram a aparecer. Concordo sobretudo que só podemos ir a jogo com os jogadores que temos e não com os que outros clubes têm. Se em cima disse que com pouco dinheiro é muito mais viável adoptar uma dinâmica de losango que é possível com menos custos, a verdade é que também havia desde o início Capel e Carrilo e jogadores como Elias ou Labyad nunca contaram. Ainda é mais importante focar outro pilar fundamental no Sporting, mais um que ficou muito longe das promessas eleitorais, a formação. Também tínhamos por exemplo Zézinho e João Mário mas também somos uma grande escola de extremos, que implica que não se lhes feche a porta na equipa principal.

Até os problemas no centro da defesa deviam ter tido uma resposta completamente diferente e com jogadores que já estavam em Alvalade. A minha análise desde o principio respeitou o que foram as opções da direcção. As minha e a do treinador, também estou certo. Que se podia e devia ter feito muito melhor nunca tive dúvidas nenhumas mas como vamos em 2º lugar...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.11.2013 às 11:04


Como é óbvio no lugar de Elias emprestado queria ter escrito Schaars. As dinâmicas também dependem sempre dos intérpretes, não é por acaso que chamam a esta equipa do Sporting sensação, que o bom senso impede que se façam balanços muito cedo.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 29.11.2013 às 11:21

Já escrevi diversas vezes que o Schaars faz muita falta a este meio campo, nomeadamente pela sua polivalência.

Concordo que é prematuro fazer balanços nesta altura, dado que ainda temos dois terços da época para realizar.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D




Cristiano Ronaldo