Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

19705480_tz6iB.jpg

 *Sim, diferente no bigode!

 

 

#1 - "Acabar com o sangue azul dos Camarotes"

 

O impacto do legado "João Rocha" na liderança do Sporting coabitava na memória dos adeptos. Condição financeira insustentável e dois anos de Amado de Freitas (ex-director financeiro e homem de confiança de Rocha) não resolveriam a contestação que imperava. Eis então que surge Jorge Gonçalves, o homem desconhecido da maioria, transportado por palavras de sonho e esperança, onde num extenso e memorável cardápio verbal recorda a sua solução imediata à crise no clube: "Vamos acabar com o sangue azul dos Camarotes" galvanizou perante as massas, numa alusão à responsabilidade de uma suposta facção ligada à alta-finança que existia no clube (curiosamente os tais que fundamentaram todo o projecto de João Rocha). É então que se cria no clube o mito da "Quinta Coluna", que na mente dos mais incipientes se considera a pés juntos que ainda existe, gerando-se assim uma espécie de revolução francesa ou mito de "Elvis está vivo" até hoje. Constata-se afinal que foram mesmo os "Camarotes" que salvaram o Sporting naquele período.

 

#2 - O Mártir do Povo

 

O "Bigodes" – como o próprio se definia – gozava de elevada empatia junto dos adeptos, principalmente naqueles mais crédulos, os quais se identificavam neste discurso heróico de missão. Quase sempre bonacheirão, algumas vezes até infantil, Gonçalves trazia a brisa da esperança em cada palavra debitada, onde os seus mais de 60% de votos vislumbravam a bonanza, onde imperava na realidade um verdadeiro caos. "Vamos dar-lhes um bigode", num disparo fulminante ao coração dos adeptos, para nunca o deixarem cair. 

 

#3 - "Está tudo tratado, só falta o dinheiro"

 

Existiram três episódios marcantes na diáspora desportiva nacional, no que concerne a fantásticas e mitológicas parcerias/protocolos com entidades desportivas ou empresas de outros sectores. No Top 3, misterioso "acordo de cooperação e prospecção" no Cazaquistão em 2015, por parte do Sporting, não pior que um "protocolo com a IBM" de João Vale e Azevedo (com direito a apresentação de facturas de computadores comprados). Nada tão profundo quanto o encontro de Jorge Gonçalves com "os herdeiros Rothschild" nos Países Baixos. Uma conexão "Illuminati" sem precedentes, à mais alta finança mundial.

 

#4 - Despedir treinadores pela voz de terceiros, ou o mito da "Agenda"

 

Despedir um treinador trata-se de um processo comum a todos os clubes. Os resultados desportivos imperam à empatia que este ou aquele elemento possam providenciar à massa adepta. Acorda-se os valores contratualmente definidos, e cada parte segue a sua vida. Mas por vezes não é assim. Pedro Rocha Franchetti viu-lhe ser apresentada a porta de saída, não pelo presidente Gonçalves, mas por elementos "não-ligados" à direcção, onde qual casa assombrada, vozes se erguiam aqui e além, chegando mesmo o treinador uruguaio a afirmar que "já sabia que iria ser despedido 6 meses antes" do facto consumado.

 

#5 - "As Unhas do Leão"

 

Uma táctica frequentemente utilizada para aproximação às massas de apoio num clube, é sem dúvida a apresentação de um projecto desportivo credível e aplicável. Todos nos recordamos das famosas "Unhas de Leão", onde constava Rijkaard (curiosamente jogador bastante próximo a van Basten, ostentado com orgulho em Alvalade pela mão de Bruno de Carvalho). Jorge Gonçalves, homem de ambições e certezas, rapidamente se rendeu às evidências: de futebol percebem os treinadores. Aos presidentes, numa linha que separa a ilusão da razão, pretende-se por uma posição mais discreta, e seguramente realista.

 

#6 - "Tudo era ficção científica"

 

Rijkaard acabaria por nunca realizar um único jogo oficial pelo nosso clube. Questões burocráticas relacionadas com prazos de inscrição, alguma falta de liquidez bancária e até mesmo o envolvimento muito lúcido de Amado Freitas, terão sido as razões. Questionado como tal pelo jornal "Expresso", assim como pela demora dos investidores a surgirem, o presidente Gonçalves viria a afirmar que afinal "era tudo uma palhaçada, ficção científica".

  

#7 - Conversas não pagam dívidas

 

Jorge Gonçalves nunca conseguiu induzir nem fomentar um tão necessário saneamento financeiro que muito utilizou como argumento de campanha. Considerou-se "traído" pelos investidores, "abandonado pela ala das finanças do clube" (que um ano antes radicalmente rebaixou), tendo havido lugar a histórias de viagens de última hora pela Europa fora, na busca de um Santo Graal que, em boa verdade, nunca encontrou.

 

publicado às 13:00

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


17 comentários

Imagem de perfil

De Leão Zargo a 16.06.2016 às 15:38

De facto, o bigode parece constituir a maior fronteira entre tempos passados e o tempo actual. Há também o trabalho desenvolvido por agências de Comunicação, que o Jorge Gonçalves nesse aspecto estava ainda no Paleolítico Médio.
Sun Tzu escreveu que “toda a guerra é baseada no engano". Ele sabia bem do que falava e nós ontem passámos a ter 80 milhões de razões para também saber que é assim mesmo!

Imagem de perfil

De Drake Wilson a 16.06.2016 às 19:42

Não veio a propósito referir no texto, mas recorda-se o quanto era frequente na ocasião o único programa desportivo televisivo ter no painel os presidentes dos clubes, nomeadamente os de Lisboa?

Outros tempos.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 16.06.2016 às 22:24

Estimado Drake Wilson
Já não me recordava desse facto. É verdade. É interessante verificar a quantidade de memórias que foram suscitadas por este post.
Muito bom!

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D




Cristiano Ronaldo