Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

Vítor Ferreira, vice-presidente do Conselho Directivo e Administrador da Sporting SAD - licenciado em Direito pela Faculdade de Coimbra e advogado desde 1974 - em entrevista a "Bola Branca" da Rádio Renascença, explica as razões que o levaram a recuar de uma candidatura à presidência da Liga de Clubes:

 

«O estado do futebol português, sobretudo na área de dirigismo, levaram-me a desistir de avançar com uma candidatura à presidência da Liga de Clubes, desgostoso pela incompetência e pelas manipulações a que assisti na antecâmara do acto acto eleitoral. O dirigismo português precisava de um despedimento colectivo, e um despedimento colectivo por incompetência e por inadaptação aos valores do desporto. O estado do futebol nacional, sobretudo na área de dirigismo, está muito mal. Está pior do que há 100 anos, talvez. Há 20 anos, afirmei que o futebol português precisava de um 25 de Abril e de um 5 de Outubro. Mas quando comecei a ver o que passava, os interesses sórdidos, as manipulações, pensei que este não era o meu mundo. Achei que o Sporting, na minha pessoa, não deveria avançar. Foi isso que decidimos. Apesar de estar já tudo programado, com uma lista formada, era só pessoas de bem.»

 

As razões de Vítor Ferreira são perfeitamente claras e o cenário que descreve corresponde à realidade do futebol português, agora e já de há muitos anos a esta parte. Mas precisamente por estas razões é que ele devia ter avançado para o acto eleitoral, mesmo reconhecendo que poderia ñão assegurar os apoios necessários para garantir a eleição, mas pelo menos tentava, porque sem tentar, então é que não há mesmo hipótese alguma.

 

A bem dizer, tem sido este o eterno problema do Sporting, em que os seus dirigentes, e outros associados ao Clube, na generalidade pessoas de bem, não têm o estado de espírito e a disposição para combater a "guerra" nas trincheiras onde ela tem de ser forçosamente lutada. Por outras palavras, não querem sujar as mãos, mas sem as sujar o "status quo" à conveniência dos "suspeitos usuais" é preservado e os sportinguistas ficam junto às linhas laterais a protestar com a já conhecida oratória eloquente mas, ao fim e o cabo, totalmente inconsequente.

 

Por estas e outras razões que são referidas de tempos a tempos, é que diz que o mundo do futebol não é para todos e quem pensare que poderá enfrentar e derrotar "tanques" com "fisgas" na mão, vai ter uma surpresa muito desagradável. Mas, como "somos diferentes", vamos continuar na diferença a ser prejudicados ano após ano.

   

publicado às 16:15

Era o que faltava !!!

Rui Gomes, em 15.04.14
 

 

Não sei bem se devo rir ou respirar de alívio, mas o "one and only" Rui Gomes da Silva declarou esta segunda-feira - no programa Dia Seguinte da SIC Notícias - que não está a pensar ser candidato à presidência da Liga de Clubes. Isto, imagine-se, apesar de ter sido contactado por alguns dirigentes que alegadamente o incentivaram a avançar com uma candidatura. Adorava saber os nomes desses "ilustres" dirigentes, mas dá para imaginar que o primeiro terá sido Jorge Nuno Pinto da Costa !!!

 

O assombroso desplante de certas pessoas é pura e simplesmente inimaginável !... "Não está a pensar", mas depreende-se que a ideia até lhe agrada.

 

Para quem tiver a disposição, o personagem pode visto e ouvido aqui.

 

publicado às 13:41

Ora aí está !!!

Rui Gomes, em 01.03.14

 

 

Na realidade, este tipo de post pertence na série aqui do blogue "O que dizem eles", mas atribuí-lhe este título apenas para sublinhar a minha satisfação pessoal pelas palavras de Luís Figo:

 

«O Sporting é sempre candidato, dependende depois do rendimento e dos resultados que possa ter durante o ano. Mas o Sporting, como uma das melhores equipas em Portugal, é sempre um dos firmes candidatos.»

 

Precisamente o que eu tenho vindo a dizer desde o primeiro dia e o que o presidente do Sporting e a SAD deveriam ter dito na altura, em vez do jogo de palavras que optaram por abraçar e em que até Leonardo Jardim foi cúmplice, voluntária ou involuntariamente. Nem mais nem menos, é exactamente esta a realidade histórica do Sporting e não é uma qualquer nova liderança que a altera, hoje e sempre.

 

Em referência à disputa em curso pelo título de 2013/14, o antigo internacional português teve isto para dizer:

 

«Há três equipas a lutar pelo título, o que é sempre bom para a competitividade e para as incertezas até ao final. O futebol é assim: cada aqno há um que está melhor do que o outro e este ano não é diferente. Neste caso, o Benfica tem uma certa vantagem e os seguidores têm de tentar diminuir essa vantagem para atingirem os seus objectivos.»

 

Estas declarações à margem de uma inciativa da Fundação para incentivar jovens a prosseguirem os estudos universitários.

 

publicado às 03:12

Teatro de Operações Eleitorais (15)

Rui Gomes, em 12.02.13

 

Cumprindo com a sua promessa da semana passada, João Pedro Paiva dos Santos formalizou esta segunda-feira a sua candidatura à presidência do Sporting, anunciando, também, que realizará uma conferência de imprensa na próxima quinta-feira, que servirá para a apresentação da mesma. Sob o lema «O novo Sporting», prometeu uma candidatura «agregadora de todos os sportinguistas responsáveis que pretendam quebrar com as hostes instaladas e partir para um rumo de recuperação da solidez fianceira e desportiva». Deu a entender, igualmente, que é parcial à abertura do capital da SAD ou, pelo menos, a discutir a hipótese do Sporting vender parte da sua posição maioritária.

 

Já aqui publicámos uma sinopse biográfica sobre este jovem empresário formado em Direito, que não é estranho ao universo sportinguista, como sócio há 29 anos, adepto e patrocinador de diversos eventos como o Dia da Criança, o Futsal, a Taça dos Campeões de Andebol  e a festa de homenagem a Iordanov.

 

Não o conheço pessoalmente e repito, cautelosamente, que tenho um bom pressentimento sobre ele. Digo cautelosamente, porque no último acto eleitoral comecei por sentir optimismo quanto a Pedro Baltazar e acabou por ser a maior das desilusões. De qualquer modo, teremos de aguardar para apreciar o grupo que o complementa na sua candidatura e os pormenores das suas ideias e projectos. Muito embora quantidade não signifique qualidade, fico satisfeito, pelo Sporting, por ver o leque de escolhas alargado. Mantenho ainda alguma esperança com o surgimento de Miguel Ribeiro Teles e, especialmente, Tomás Aires, já que a disponibilidade do primeiro é muito remota. Entre tudo isto, continua-se à espera por uma palavra de Luís Figo. A expectativa aumenta...

 

publicado às 00:18

Teatro de Operações Eleitorais (4)

Rui Gomes, em 07.02.13

 

Bruno de Carvalho revelou hoje o segredo mais conhecido do universo sportinguista: vai avançar com a sua candidatura!!!... Era tão expectável como o sol nascer no oriente... todos os dias.  Fez o tipo de discurso normalmente associado a qualquer campanha eleitoral, associativa ou politica, e não divulgou quaisquer pormenores sobre a especificidade dos seus planos, admitindo que os tem. Não deixei de reconhecer a ironia nas suas palavras: «Não haverão conflitos intergeracionais» e «sinto-me na obrigação de ajudar».

 

A sua referência a «conflitos intergeracionais» visa deixar a ideia que abraçará todos do mesmo modo. Por outras palavras, estende a mão ao voto que não seja somente o dos jovens que o têm vindo a apoiar, fanaticamente. Quanto ao sentir a obrigação de ajudar, é o mínimo que poderá fazer, considerando tudo o que tem contribuido para destruir, directa e indirectamente, nos últimos dois anos. Igualmente «distinta» foi a sua afirmação: «Não pedimos união mas pedimos confiança», numa clara alusão aos apelos para união por Jesualdo Ferreira e outros elementos ligados ao Sporting. É caso para ele explicar onde pensa que qualquer administração poderá chegar se não existir união, em contexto, no universo sportinguista. Estou com enorme curiosidade em saber quem vai ser o seu homem forte do futebol, considerando que Augusto Inácio assumiu há pouco a liderança técnica do Moreirense - salvo existir algum «coelho» no saco relativamente a este - e também, os tais fundos que ele tem vindo a mencionar ao longo dos meses. Consta que Paulo Futre vair surgir ao seu lado, mas desconheço o fundamento desta informação.

 

publicado às 19:53

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D




Cristiano Ronaldo