Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



"Jesualdo é o homem certo"

Rui Gomes, em 02.05.13

 

Carlos Barbosa da Cruz, advogado e antigo membro do Conselho Leonino, é apologista da permanência de Jesualdo Ferreira em Alvalade: «Vejo o trabalho de Jesualdo Ferreira com muita admiração e não me surpreende. A renovação devia ser assinada independentemente de o Sporting ir à Liga Europa. Já exprimi essa opinião. A Liga Europa é um pormenor, uma questão de orgulho e um desejo, mas não traz a visibilidade e o proveito que traz uma participação na Champions. Jesualdo Ferreira soube incutir coisas que faltavam notoruamente à equipa.» 

 

«O clube também está agora mais estável, mais organizado e mais competente, mas tenho dificuldade em atribuir créditos a uma direcção que entrou há tão pouco tempo e com um caderno de encargos tão pesado. Aquilo que a actual direcção se defronta não é culpa dela, sejamos justos nessa parte.»

 

A entrevista completa de Carlos Barbosa da Cruz pode ser lida aqui.

 

publicado às 13:28

Estará a renovação em curso ?

Rui Gomes, em 02.05.13

A acreditar no que consta nas páginas dos periódicos desportivos - e é a única fonte de informação disponível neste momento - a renovação de Jesualdo Ferreira estará a ser negociada, finalmente. Bruno de Cavalho não poderia fazer outra coisa considerando a qualidade do trabalho do treinador desde que chegou ao banco do Sporting. Não se trata de ser um treinador insubstituível, nenhum é, mas é a pessoa certa para o momento que o Sporting atravessa, considerando a sua vasta experiência e o jovem plantel que tem ao seu dispor.

É lógico deduzir que muito além das condições contratuais e saber se a função se limita apenas a treinador ou se terá poderes alargados, Jesualdo Ferreira quererá ser informado do que a nova liderança tem em mente para o futuro, nomeadamente os jogadores que pretende vender para baixar a folha salarial e assegurar alguma receita, face à continuada ausência dos muito badalados investidores. Neste momento a participação na Liga Europa ainda está em dúvida e é desconhecido até que ponto esta disposição poderá afectar as questões orçamentais.

Além do mais, Jesualdo Ferreira está em posição para poder apreciar a actual estrutura da SAD - visto de fora para dentro, o cenário é muito nebuloso - e o próprio terá de decidir se esta lhe oferece as condições que lhe permitam levar a cabo a qualidade de trabalho que ele de certo deseja para a próxima época. Esperamos que este capítulo tenho um fim feliz e que as desinteligências iniciais entre Bruno de Carvalho, Augusto Inácio e o professor já tenham sido ultrapassadas, para bem do Sporting. Visto à distância, um dos maiores receios centra-se na sua possível relutância em trabalhar subjugado à autoridade de pessoas cujos conhecimentos são, de longe, inferiores aos seus.

 

publicado às 01:03

O valor de Jesualdo Ferreira

Rui Gomes, em 29.04.13

 

«O Bruma assistiu o primeiro golo, o segundo e o terceiro. Esteve em todos os golos. Não vos meti: o Bruma sentiu dificuldades durante a semana, falei com ele e decidi metê-lo de início. Teve um ínicio muito forte, mas depois atropelou-se a ele próprio, o que é normal porque tem 18 anos.

 

A primeira parte correu bem, os miúdos quiseram dar nota artística, entusisasmaram-se e cometeram erros (Jesualdo referia-se ao toque de calcanhar de Bruma que o levou a perder a bola que permitiu Candeias empatar o jogo). Mas ele já conseguiu jogar a lateral direito, o que é fantástico.

 

Já disse uma vez que o Bruma estava a aprender a defender, está a fazê-lo, é um jogador que joga de linha a linha: não é box-to-box, é mais do que isso, joga de linha a linha.É deixá-lo crescer, não o enganar e ajudá-lo. é Um jogador que aparece a cada três anos ou mais.»

 

É precisamente este tipo de condução e treinamento que Bruma necessita nesta jovem fase da susa carreira para que o seu potencial seja realizado. Esperamos que tanto ele como o seu empresário reconheçam isto, pese as dúvidas que existem sobre a continuidade de Jesualdo Ferreira.

 

publicado às 14:18

Onde está a estrutura do futebol ?

Rui Gomes, em 18.04.13
 

Toda a estrutura do futebol do Sporting, presente e futuro, é um autêntico mistério. Muito embora se admita que é necessário algum tempo para o planejamento da próxima época, era de esperar que pessoas e funções já estivessem definidas. Virgílio Lopes é, aparentemente, um director do futebol «sem pasta», Augusto Inácio, ausente fisicamente mas presente em espírito, será a pessoa que mais influenciará um presidente sem o mínimo de experiência na matéria e depois temos, então, Abel Ferreira, que por ser já um funcionário do Clube estará de algum modo a contribuir, além de liderar a equipa de sub-19.

É difícil não ficar com a distinta ideia que é muito pouco para tanto, especialmente considerando o vasto leque de decisões e operações que terão de ser assumidas para edificar o tipo de reestruturação que permita com que o futebol do Sporting opere sob um orçamento minimalista investido pela muito precária situação financeira. 

Pelo actual andamento das coisas, é difícil determinar até que ponto as manchetes noticiosas correspondem à realidade, no que a Jesualdo Ferreira concerne. A lógica e o bom senso aparentam indicar que este deveria fazer parte integral da nova campanha mas, para isso, a sua disponibilidade teria de ser assegurada antes do final da época, de forma a permitir-lhe participação imediata. A real questão recai sobre a dúvida se a nova liderança pretende contar com os seus serviços. Jesualdo Ferreira foi escolha de Godinho Lopes e pela sua experiência e longa carreira, não é expectável que aceite um envolvimento subserviente, porventura o que Bruno de Carvalho e Augusto Inácio preferem, de forma a garantir que a sua autoridade nunca será questionada. A não continuidade do professor será encarada criticamente pelos adeptos e a aposta risco em um novo técnico, até provas em contrário, não passará de mais do mesmo que o Sporting tem vindo a fazer de há muitos anos a esta parte, sem sucesso.

 

publicado às 03:14

 

É facto curioso a diferença de opiniões que se verifica entre aqueles que apoiaram Bruno de Carvalho nas eleições e outros, sobre o actual desempenho de Jesualdo Ferreira e o seu futuro na liderança técnica da equipa, tudo, claro, com os interesses do Sporting em mente. Poderia transcrever inúmeros comentários dos espaços da net em que os primeiros manifestam, fundamentalmente, indignação por o treinador não ter feito uma vénia à presença presidencial no banco dos suplentes em Braga e, assente nessa premissa, clamam apreciar o trabalho desenvolvido até à data mas, e vem sempre o «mas», isto ou aquilo sobre este ou aquele jogador, o sistema de jogo, etc.. Alguns ainda vão mais longe e já sublinham a inevitabilidade do professor fazer as malas no final da época, pelo suposto desrespeito com o novo «Messias».

 

NInguém é insubstituível, inclusive Jesualdo Ferreira, mas seria importante reconhecer que 99.9 por cento de treinadores não gostam de ver «intrusos» no seu espaço, quer seja o banco ou o balneário e na vasta maioria desses casos a presença é inútil, por vezes, até contraproducente. O populismo é muito bonito mas não ganha jogos de futebol e quanto mais rápido isso for compreendido, melhor. 

 

Se Jesualdo Ferreira agradasse a todos os adeptos relativamente às suas opções, seria o primeiro técnico na história do futebol a conseguir essa proeza. A contestação mais em voga esta semana centra-se em André Martins e o porquê de ter levado tanto tempo a reconhecer a sua mais-valia, pela bela exibição em Braga. A realidade é que este jovem e talentoso jogador não convenceu nenhum treinador até à data e ainda deixa algumas dúvidas no ar sobre alguns aspectos do seu jogo. Por outro lado, por algum motivo Jesualdo Ferreira decidiu apostar nele logo num jogo tão importante e de dificuldade acrescida. Porque terá sentido, de certo, pela qualidade do trabalho realizado diariamente nos treinos, sob a sua tutela, que ele estava estava em condições de assumir o desafio exigido que, porventura, não oferecia duas, três ou mais semanas atrás.

 

Jesualdo Ferreira não será insubstituível, mas continuidade de trabalho é muito importante, especialmente neste Sporting que já não conhece essa disposição há muitos anos e ainda tendo em conta o número de jovens no plantel.  Ou será que queremos que venha outro milagreiro para a próxima época, tipo Marco van Basten, que vai andar meia época só para conhecer os jogadores ? 

 

Os ingleses/norte-americanos têm uma frase popular muito aplicável a este tipo de situação: «Wake up and smell the roses!».

 

 

publicado às 12:18

Conversa com Jesualdo Ferreira

Rui Gomes, em 05.04.13

 

Em conferência de emprensa de antevisão ao embate com o Moreirense, Jesualdo Ferreira teceu algumas considerações sobre as circunstâncias da equipa, em geral, e do jogo, em particular. Interessante foi a sua apreciação sobre o avançado holandês que vai deixar o Sporting no final da época, considerando que «não é normal» a dependência da equipa nele e que quando não está presente «os problemas aumentam». Atribui este estado das coisas à forma como o plantel foi construído e que agora já não há nada a fazer.

 

Questionado sobre a invulgar situação de Augusto Inácio, o professor optou por não se alargar em comentários, declarando somente que «neste jogo, é meu inimigo.»

 

A terceira questão que ele foi convidado a comentar, terá sido, porventura, a mais curiosa de todas, pelo seu desconhecimento do caso. Jesualdo Ferreira declarou que nada sabia sobre o noticiado interesse do Sporting por Roberge, o defesa central do Marítimo, rematando que não foi consultado e que a suposta contratação em vista não contou com a sua recomendação. Sendo verdade que há conversações em curso, segundo as afirmações do empresário do jogador, alguém (quem?) da SAD estará a conduzir o processo à revelia do treinador. Isto levanta dúvidas sobre o funcionamento da nova e ainda por definir estrutura do futebol leonino e ainda, inevitavelmente, sobre o futuro do técnico em Alvalade.

 

Com tudo isto, também não podemos ser ingénuos ao ponto de acreditar tudo o que os empresários dizem. Só achei algo curioso as palavras escolhidas por Jesualdo Ferreira.

 

publicado às 19:07

Conversa com Jesualdo Ferreira

Rui Gomes, em 30.03.13

 

Em conferência de imprensa de antevisão ao jogo com o SC Braga, Jesuado Ferreira confirmou tudo aquilo que já constava: reuniu com Bruno de Carvalho e colocou o seu lugar à dsposição, ficando tudo, no entanto, como está, até ao final da época. Não comentou o futuro mais distante, salvo afirmar que o novo organigrama do clube ainda não é conhecido. Aproveitou o ensejo para também abordar o caso de Ricky van Wolfswinkel - situação que ele considera invulgar e que precipita extra pressão no jogador - explicando que se limitou a respeitar a decisão do Clube.

 

Carrillo está fora do jogo com o SC Braga, por estar com problemas com uma infecção respiratória.

 

O Schalke 04 vai estar no Minho a observar Cédric Soares, confirmando, de certo modo, os rumores que já constavam sobre o seu interesse pelo jogador, para a próxima época.

 

Não se conhece o «novo organigrama» do clube - especificamente da SAD e do futebol - porque este ainda nem sequer foi elaborado e posições mantêm-se por definir. Sinto que Jesualdo Ferreira gostaria de continuar no Sporting, mas suspeito que ele quererá manter poderes alargados como tem agora, cenário muito em dúvida pela existência de Virgílio Lopes, Augusto Inácio e Abel Ferreira na estrutura. Onde existe o espaço para poderes alargados ?... Começa a ser óbvio que contrário à nova ordem de «emagrecimento», a SAD, se alguma coisa, vai engordar: Bruno de Carvalho na liderança, dois vices na administração, os três supracitados e os restantes elementos da Academia e do futebol de formação. Não é claro quem será o administrador geral da SAD ou, até, se a posição vai ser preenchida.

 

 

publicado às 14:25

E Jesualdo Ferreira ?

Rui Gomes, em 28.03.13

 

Pelas palavras de Bruno de Carvalho - após a visita à Academia e o encontro com o prof. Jesualdo Ferreia - dá para perceber que o técnico permanecerá até ao final de época, mas que ainda há muito por esclarecer quanto ao futuro. Além do vínculo contratual, em si, Jesualdo Ferreira pretenderá poderes alargados, do género que acordou com Godinho Lopes, e resta saber se essa disposição será viável com Virgílio Lopes, Augusto Inácio e o tal ainda anónimo terceiro elemento na estrutura. Acima de tudo, ele quererá ser informado, tanto como nós, relativamente à visão da nova liderança para o futebol, uma total incógnita até agora.

Mera opinião minha: duvido imenso, nesta adiantada fase da sua carreira e da sua vida, que esteja disposto a limitar-se à função de treinador. Pretenderá uma palavra e um envolvimento directo - com poderes - no planeamento de todo o futebol do Sporting. Para já é claro que nenhuma das partes assumiu qualquer comprometimento e o capítulo final só será escrito no verão, ficando na dúvida, igualmente, até que ponto os resultados dos últimos sete jogos da época irão influenciar decisões.

 

publicado às 02:39

A situação de Jesualdo Ferreira

Rui Gomes, em 26.03.13

 

Confirmando-se, penso que a vasta maioria de sportinguistas concordará que é uma boa notícia. Consta que o recém-eleito presidente já contactou Jesualdo Ferreira por telefone e fez sentir a sua confiança no técnico. Claro, está ainda por esclarecer se o sentimento é mútuo, mediante a visão da nova liderança para o futebol, se é que esta existe, e a receptividade à mesma por Jesualdo Ferreira. Como bem sabemos, no futebol há poucos constantes, especialmente ao que concerne treinadores, mas pela evidência à vista penso que o professor é o técnico ideal para o momento do Sporting, muito pela sua capacidade de lidar e liderar os nossos jovem talentos. Será que os resultados nestes últimos 7 jogos da época irão influenciar pareceres ?

 

publicado às 06:25

Mais «banha da cobra»

Rui Gomes, em 20.03.13

 

Este Bruno de Carvalho é um verdadeiro vendedor da banha da cobra e, lamentavelmente, as ilusões que anda a vender são compradas por uns quantos sportinguistas do mesmo modo como o remédio milagroso era antigamente o consumo fulcral de quem ía no paleio do vendedor ambulante.

 

Depois de ter «metido o pé na poça» relativamente a Jesualdo Ferreira e de ter reconhecido o erro estratégico, tem vindo a tentar recuperar terreno na perseguição dos preciosos votos. No debate já deu a entender que o técnico terá lugar numa sua estrutura do futebol, e hoje, em entrevista à Rádio Renascença, apareceu a dizer que «Jesualdo faz todo o sentido no nosso projecto.». Primeiro, com Augusto Inácio na linha lateral à espera, resta saber se são essas as suas genuínas intenções e, segundo, não é facto consumado que o professor aceitará trabalhar com a estrutura que está à vista e com ele no comando da SAD:

 

Mas para garantir a venda da «curandice», Bruno de Carvalho ainda se deu ao humor de se declarar como jogador de futebol na sua juventude em termos comparativos a José Couceiro. Primeiro foi tirar um qualquer curso inconsequente de treinador para poder escrever mais uma linha no seu «currículo», agora, ficamos também a saber que foi jogador de futebol, certamente escolar. Alega, ainda, que´o «segredo» da sua estrutura para o futebol reside com «campeões»: Augusto Inácio pelo mais óbvios motivos e Virgílio Lopes, cuja ligação ao futebol, em qualquer capacidade, cessou há 23 anos, quando deu termo à sua carreira.

 

Até é aceitável que Bruno de Carvalho argumente alguns méritos em áreas diversas, mas a sua tentativa em querer convencer o universo sportinguista que tem nem que seja o mínimo de associação e identificação com o futebol, é apenas e tão só irrisória. Mas de certo que a sua militante falange de apoio já andará pelas redes sociais e outros espaços públicos a avançar o mito da extraordinária experiência do seu «mestre» no desporto rei. E, a exemplo do antigo vendedor da banha da cobra, irá encontrar alguns clientes mais vulneráveis à ilusão. 

 

publicado às 14:43

O bom senso prevaleceu

Rui Gomes, em 05.03.13

Finalmente que surgiu uma decisão justa e sensata do órgão disciplinar federativo a dar o benefício da dúvida ao Sporting. Tanto Jesualdo Ferreira como Oceano, expulsos no sábado via os critérios excessivamente rigorosos da equipa de arbitragem de Paulo Baptista, não receberam qualquer punição adicional - salvo 102 euros de multa e uma repreensão por escrito - e vão poder estar no banco no próximo jogo frente à Académica de Coimbra. Surpreendemente, no entanto, por motivos que não foram devidamente explanados, o Sporting foi multado em 5898 euros.

Um cínico diria que este é um daqueles casos em que os homens do apito deviam ter-se sancionado a si próprios e deixar os outros intervenientes em paz. E, já agora, seria interessante saber como é que os supracitados montantes foram determinados: não 100 mas 102 euros, não 5900 mas 5898 euros. Muito, quase tudo, é estranho no futebol português.

 

publicado às 16:00

 

 

Por vezes, é bem verdade que uma imagem vale por mil palavras.

 

Só faltou expulsar o Paulinho !!!

 

publicado às 23:31

 

Na conferência de imprensa de antevisão ao clássico com o FC Porto, Jesualdo Ferreira respondeu às críticas do candidato Carlos Severino: «Acho que o recado tem o endereço errado, pois não me revejo nessa personalidade que me quiseram colocar. Dirigi uma carta ao senhor candidato convidando-o a esclarecer publicamente e convenientemente essa matéria. Não é a questão de criticar os jogadores, mas o que foi dirigido directamente à minha pessoa. Deve ser engano. Não me revejo naquela personalidade. Não vi lá o meu nome. A carta seguiu do meu advogado para ele no sentido de ele esclarecer publicamente o que disse.»

 

Como já aqui escrevi, é de lamentar que o candidato em questão não tenha o bom senso de manter a equipa - jogadores e técnicos - bem distanciada da campanha eleitoral. O Sporting - e especialmente a equipa de futebol - já enfrenta adversidades suficientes e não precisa de mais confusão que só servirá para fomentar um clima de instabilidade. Carlos Severino, como tantos antes dele, está somente a demonstrar a sua sedução pelo irresistível palco disponibilizado pelo futebol e não teve a serenidade de resistir ao inerente protagonismo. Haja bom senso !

 

publicado às 17:34

Teatro de Operações Eleitorais (39)

Rui Gomes, em 28.02.13

 

Qualquer um de nós, como adeptos, teremos a nossa opinião sobre as recém-declarações do prof. Jesualdo Ferreira ou as de qualquer outro treinador, em qualquer momento. Do nosso posicionamento da bancada até poderemos expressar publicamente essas opiniões, o que é muito diferente de um candidato à presidência do Clube optar por esse curso, em plena campanha eleitoral e mesmo em cima de um jogo muito importante. Carlos Severino, lamentavelmente, voltou a verbalizar o seu parecer sobre a forma como o treinador do Sporting lida com os seus comandos. Não lhe diz respeito e deveria reconhecer o bom senso de manter a equipa - atletas e técnicos - distanciada dos movimentos eleitorais. Não o reconhece, evidentemente. Não beneficia o Sporting nem a sua própria causa.

 

publicado às 20:06

A serenidade de Jesualdo Ferreira

Rui Gomes, em 21.02.13

 

Para ser sincero, neste exacto momento preocupa-me muitíssimo mais a estabilidade e serenidade da equipa principal - e do próprio Jesualdo Ferreira - do que o acto eleitoral que vai agora ter um mês para se desfolhar em uma novela com episódios diários. Digo isto, pelo mais óbvio: a realização da equipa até ao final da época terá um enorme impacto na necessária recuperação do Sporting, a curto prazo. Talvez por reconhecerem esta disposição, os candidatos estejam a evitar a contenda, mas não é assunto que vai continuar ignorado por muitos dias. Não faço a mais pequena ideia sobre a visão de Bruno de Carvalho quanto ao futebol do Sporting - se é que ele tem uma, considerando que é matéria alheia aos seus conhecimentos. Já José Couceiro é uma discussão à parte: irá, indiscutivelmente, assumir a responsabilidade directa sobre o toda da modalidade leonina, estando apenas por esclarecer - neste momento - quais os seus planos quanto a Jesusaldo Ferreira. Se este não se demitir, entretanto, por sua própria iniciativa, qualquer futuro presidente terá imensa dificuldade am afastá-lo se conseguir manter a equipa num curso progressivo e, porventura, vitorioso.

 

Afirmou hoje o treinador do Sporting: «...Decidimos tentar equilibrar a equipa segurando os melhores recursos, permitindo com as saídas um equilíbrio financeiro e técnico, com distribuição da qualidade para uma resposta imediata, porque o Sporting tem de jogar e ganhar.... Agora o clima é mais feliz para todos (os que estavam e os mais jovens) e as diferenças de idade são muito curtas. Há uma competitividade muito grande para jogar cada jogo que falta... Seria bom se os jovens fossem apoiados e suportados por jogadores de referência. O que está a acontecer é que são os mais novos que estão a suportar a equipa. A minha esperança é que, a cada jogo, os miúdos sejam mais competitivos e seguros...Tinha uma série de partilhas com a Direcção da altura. O que vem a seguir não é matéria para falar. Está aberto o quadro para quem manda decidir o que fazer. Até à nova Direcção, vamos manter esta linha. Depois, dependemos das decisões que forem tomadas.»

 

Nada a apontar a Jesualdo Ferreira. Está a encarar esta menos do que ideal situação com serenidade, confiança e competência, algo que inevitavelmente será sentido pelos próprios jogadores e que terá um impacto significativo na sua «performance». Continuo a insistir que estas eleições nunca deveriam ser realizadas antes do término da época, mas a conduta dos elementos da Mesa da Assembleia Geral impossibilitou qualquer outra alternativa e, agora, já não se pode recuar. Um aspecto que me intriga e que eu reconheço que é matéria confidencial, são os condicionantes do vínculo contratual do técnico - já admitidos pelo próprio, embora não explanados. Intriga-me, porque me preocupam futuros movimentos mediante quem for eleito presidente no dia 23 de março, ainda com dois meses de competição pela frente, período que muito provavelmente será crucial para a classificação final do Sporting esta época, com as inerentes consequências para a época seguinte. Uma delas, já será difícil de ajustar: se o Sporting não chegar ao 3.º lugar, além do óbvio relativamente à equipa principal, a de sub-19 (juniores) não poderá participar na competição equivalente à Liga dos Campeões a esse nível - a que agora está a decorrer como a NextGen Series - porque o acesso só será permitido aos clubes cujas equipas principais atingirem a fase de grupos da Liga europeia superior. 

 

 

publicado às 17:38

Jesualdo Ferreira comenta o jogo

Rui Gomes, em 16.02.13

 

«A aposta no mais jovens foi ganha. Quero começar por dar os parabéns a todos os jogadores, mas não posso deixar de salientar os mais novos, aqueles que apesar da idade e da experiência fizeram um bom jogo. Com erros, claro, mas eles precisam de espaço, de tempo e de mais experiência.»

 

«Se o que os mais novos fizeram esta noite em Barcelos serve também como um aviso para os jogadores mais velhos do plantel ?... Não direi o que os jovens fizeram aqui é um aviso para os mais velhos, mas é um sinal para eles. E é preciso notar que às vezes um sinal vale muito.»

 

Com comentário à parte, disse Bruma, o marcador do primeiro golo: «Foi um bom jogo. Entrámos fortes e conseguimos marcar dois golos. Temos agora dois jogos difíceis pela frente que vamos tentar vencer para tentarmos atingir os nossos objectivos. Este grupo merece. Jogaram os mais novos mas não interessa. Somos todos adultos, queremos ganhar porque é o nosso caminho.»

 

publicado às 23:41

Mais outro treinador ?

Rui Gomes, em 06.02.13

Existe uma cláusula no contrato do prof. Jesualdo Ferreira que lhe permite sair com a saída do presidente. Como este só permanecerá até ao acto eleitoral agendado para o dia 23 de março, fica agora a dúvida se o Sporting ainda vai ver o seu 5.º treinador da época.  

Uma coisa me parece possível: considerando que o candidato derrotado já teve a ousadia e o desrespeito de mandar calar Jesualdo Ferreira, duvido imenso que o técnico e manager do Sporting esteja na disposição de trabalhar sob este líder. Além do mais, na eventualidade desta personagem ser eleita para o cargo, é também de prever que vai aparecer na cena como um ditadorzeco de pança inflamada e vai querer fazer sentir a sua presença logo à partida. Erraremos se pensarmos que já vimos tudo, ainda está muito para vir, e nem tudo, se alguma coisa, agradável.

 

publicado às 05:00

 

«Nesta altura da minha vida e da minha carreira, não preciso que nenhum associado me diga o que tenho de fazer, que é treinar. Tenho de falar verdade, na defesa do que é o meu trabalho de treinador. Não há ninguém que me diga que tenho de deixar pensar. Sei muito bem o meu papel.»

 

De uma forma muito simples e frontal - porventura excessivamente profunda para quem é dirigida - respondeu a quem se deu ao desplante de assumir a autoridade - e o desrespeito - de, por outras palavras, mandar calar Jesualdo Ferreira. Apenas uma pequena indicação do que está para vir, caso se deia essa eventualidade.

 

 

publicado às 16:35

Jesualdo Ferreira sobre o futuro

Rui Gomes, em 26.01.13

 

«Agora há um conjunto de factores a favorecer a equipa. Houve muito trabalho para trás, positivo. Há, a partir de agora, um novo rumo. Mas os jogadores são os mesmos, se bem que alguns já cá não estão. Há um entendimento todo, do grupo, sobre o que é preciso fazer, todos os dias, para que se possam ganhar jogos. Dizem que ainda é difícil quando a equipa tem de jogar em espaços reduzidos, que a equipa não tem intensidade. Mas esta não se mede pelas correrias, antes pela eficácia.»

 

«Não estou preocupado com as funções que vou desempenhar na próxima época. No fim desta espero estar vivo e bem vivo, é um assunto que neste momento não equaciono. Há um contrato entre mim e o Sporting que tem uma série de condicionantes. A única coisa que eu quero - foi essa a missão que assumi - é colocar a equipa onde ela merece.»

 

Mais do que um discurso à conveniência do momento, são palavras sinceras e honestas que sublinham o presente do Sporting e a sua forma de estar e lidar com essa realidade. Quem não compreender, terá de olhar para o espelho para verificar a raiz do problema.

 

publicado às 16:25

Jesualdo Ferreira sobre Insúa

Rui Gomes, em 26.01.13

 

«O Insúa é um jogador com mercado. Houve uma proposta que o Sporting considerou boa para os seus objectivos financeiros. Tem de se reduzir custos mas isso não quer dizer resultados. Saíram jogadores que têm qualidade, mas não ficaram marcados pelo rendimento. O Insúa é uma perda relativa.

 

 

publicado às 16:15

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo