Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

19705552_lZy5s.jpg

Equipa do Sporting (1922-23)

 

 

A polémica sobre o número de títulos de Campeão Nacional que o Sporting conquistou ao longo do seu percurso desportivo é debatida periodicamente pelos adeptos leoninos. Agora, renasceu com um novo impulso através da Sporting TV, do jornal do Clube e de alguma blogosfera sportinguista, considerando-se que as quatro vitórias no Campeonato de Portugal nas décadas de 1920 e 1930 possuem a categoria de Campeão Nacional. Serão, portanto, 22 títulos e não 18 como é contabilizado actualmente.

 

A reivindicação foi apresentada da pior maneira ao associá-la à contabilidade dos títulos de Campeão que, segundo a Federação Portuguesa de Futebol, o Benfica terá alcançado. O passado e o presente são igualmente essenciais para moldar o nosso futuro, mas a obsessão prejudica o discernimento. Somos Sporting, somos a maior potência desportiva nacional, e não precisamos de cavalgar falsas querelas com a finalidade de desviar a atenção daquilo que verdadeiramente interessa.

 

A pretensão do Sporting carece do reconhecimento institucional. Por isso, seria preferível que, num primeiro momento, tivesse sensibilizado determinadas associações regionais para a possibilidade do enriquecimento do palmarés competitivo de alguns dos seus clubes filiados. Depois, teria de apresentar sólidos argumentos jurídico-desportivos que permitissem rever a decisão federativa de 1938 e o imaginário dos adeptos do futebol, demonstrando que a essência do Campeonato de Portugal teve continuidade no Campeonato Nacional da 1ª Divisão.

 

O Campeonato de Portugal, inspirado na Copa del Rey espanhola, foi criado em 1921 pela União Portuguesa de Futebol (1) e constituiu a primeira competição nacional realizada no nosso país. Até aí disputou-se a Taça Império, extinta em 1918, e os campeonatos distritais, que continuariam até 1947. O apuramento para a nova competição decorria dos referidos campeonatos distritais e estava organizada em eliminatórias. Com excepção da primeira edição, o vencedor era decidido numa final em campo neutro. O primeiro triunfo do Sporting na prova aconteceu numa final com a Académica disputada em Faro, em 1923, e a imprensa da época considerou-o “Campeão de Portugal”. O Campeonato de Portugal foi substituído em 1938 pela Taça de Portugal (2).

 

Olhanense, Marítimo e Carcavelinhos venceram o Campeonato de Portugal na década de 1920, mas não há memória de, federativamente, terem sido designados de campeões nacionais. Aliás, durante muito tempo falou-se em Portugal dos “Quatro Grandes”, precisamente os clubes que conquistaram o título principal em futebol. A eles juntou-se o Boavista muito recentemente. A revisão do conceito de Campeão Nacional permitiria uma nova visão sobre aqueles clubes populares e encarados como “pequenos” (a fusão do Carcavelinhos com o União de Lisboa deu origem ao Atlético Clube de Portugal).

 

A direcção do Sporting terá de provar que a essência desportiva do antigo Campeonato de Portugal foi assumida pela prova que passou a conceder o título de Campeão Nacional. Talvez resida aí a maior dificuldade, pois o Campeonato Experimental da Liga estabeleceu desde logo a diferença com o Campeonato de Portugal ao assumir-se como uma competição destinada apenas às melhores equipas, restrigindo a participação a quatro distritos (Lisboa, Porto, Setúbal e Coimbra). Cândido de Oliveira, Plácido de Sousa, Ribeiro dos Reis e outros, que propuseram o modelo da nova prova, consideravam que esta estabeleceria o “Campeão Nacional”. Ricardo Ornelas escreveu sobre isso no jornal Os Sports. No entanto, durante alguns anos a Federação Portuguesa Futebol utilizou apenas a expressão “Campeão da Liga”.

 

Seria interessante perceber a razão dessa designação pela Federação. Como seria interessante conhecer o que se escreveu na altura no jornal Sporting e o pensamento de personalidades leoninas como Joaquim Oliveira Duarte, Salazar Carreira e outros sobre esta reorganização desportiva. Curiosamente, nessa altura os leões preparavam-se para um período de hegemonia no futebol português, de 1940 a 1954.

 

Quando se verificou a reforma do futebol português em 1938 (3), o Campeonato Nacional da 1ª Divisão assumiu a filosofia desportiva e a estrutura competitiva do Campeonato da Liga (4) e a Taça de Portugal assumiu o essencial da filosofia do Campeonato de Portugal. O Campeonato destinava-se apenas às melhores equipas que se defrontavam numa prova com duas voltas e a Taça mantinha o carácter tendencialmente universal e as eliminatórias com uma final em campo neutro. Seria interessante conhecer as actas das reuniões da Federação Portuguesa de Futebol em que se tratou desta reforma do futebol (5).

 

O palmarés desportivo nacional do Sporting é notável. Conquistou, até à data, quatro campeonatos de Portugal, dezoito campeonatos nacionais, dezasseis taças de Portugal e oito supertaças. O palmarés revela que o passado é motivo de orgulho e que permite encarar o futuro com confiança. Agora, torna-se fundamental criar condições para que o Clube leonino reencontre o caminho do sucesso e da hegemonia no futebol português.

 

 

Notas:

 

1 - A União Portuguesa de Futebol, criada em 1914, foi a antecessora da Federação Portuguesa de Futebol, que adoptou a designação em 1926.

 

2 - O troféu original do Campeonato de Portugal, com 1,65m de altura e 15 quilos de peso, está sempre presente na final da Taça de Portugal, cuja taça é uma réplica. Numa placa metálica, no corpo principal, estão assinalados os cinco primeiros vencedores do Campeonato. Na base, em placas individuais, constam os restantes vencedores desde 1927 até à actualidade.

 

3 - Consta no Relatório e Contas de 1938-39 da Federação Portuguesa de Futebol: “Por virtude da reforma a que se procedeu no Estatuto e Regulamentos da Federação, os Campeonatos das Ligas e de Portugal passaram a designar-se, respectivamente, Campeonatos Nacionais e Taça de Portugal. O campeonato da 1ª Liga passou a ser Campeonato Nacional da 1ª Divisão e o Campeonato da 2ª Liga obteve a designação de Campeonato Nacional da 2ª Divisão.” 

 

4 - A taça que foi entregue ao vencedor da Liga Experimental, entre 1934 e 1938, é rigorosamente igual à que seria adoptada para o Campeonato Nacional da 1ª Divisão. O FC Porto considera que obteve 27 títulos de Campeão Nacional (1+26), não reivindicando os triunfos no Campeonato de Portugal.

 

5 - É praticamente inexistente a fundamentação jurídico-desportiva da decisão da Federação Portuguesa de Futebol de equiparar o Campeonato da Liga ao Campeonato da 1ª Divisão. De certa forma, prevaleceu a opinião de personalidades influentes como Ricardo Ornelas e Ribeiro dos Reis quanto ao que entendiam ser conveniente para a organização e a competitividade do futebol português. A obra de Ricardo Ornelas, “Números e Nomes do Futebol Português” (1949), é bem elucidativa dessa convicção.

 

publicado às 12:01

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


65 comentários

Sem imagem de perfil

De Gonçalo a 17.06.2016 às 12:11

Excelente post.
O assunto parece-me interessante e sobretudo emana a necessidade da FPF de uma vez por todas, de forma clara e sustentada, colocar um ponto final nesta dúvida. Eu, sinceramente, concordo com a contagem que é hoje tida por oficial e espero que a questão não tenha sido levantada agora de forma oficial apenas pela razão que os blogues encarnados já andam a gritar em coro e que todos sabemos qual é. Deixo uma dúvida, para quem me souber elucidar: mas esses títulos do Campeonato de Portugal estão contabilizados hoje como Taças de Portugal, ou nem isso? Julgo que era o que faria mais sentido.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 17.06.2016 às 12:20

As decisões federativas da década de 1930 a propósito da Liga Experimental e do Campeonato Nacional foram precedidas de grande debate, considerando a sociedade da época. Houve artigos em jornais e reuniões federativas de que foram exaradas actas.
Tem razão, a FPF deve um esclarecimento aos adeptos do futebol.

Nos documentos federativos a Taça de Portugal foi considerada a continuadora do Campeonato de Portugal, mas os vencedores do Campeonato nunca foram associados à Taça. Considera-se que a Académica é que foi a 1ª vencedora em 1939.
Sem imagem de perfil

De Gonçalo a 17.06.2016 às 12:31

Obrigado. Pois isso é que já não me parece que faça sentido, de uma maneira ou de outra, os títulos deviam ser contabilizados como oficiais. Estranho que os clubes mais pequenos, como o Olhanense, não se batam pela oficialização destes troféus na contabilidade da FPF, mesmo que inseridos na "gaveta" das Taças de Portugal e não da dos Campeonatos Nacionais. Mas acima de tudo fica o amadorismo da nossa FPF (como instituição, não propriamente e exclusivamente esta direcção) bem patente na forma ligeira como destrata a história do futebol português.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 17.06.2016 às 12:36

E verdade, Gonçalo. Os clubes (Olhanense, Marítimo e Atlético) e as respectivas associações regionais. A condição de Campeão Nacional é a mais prestigiante.
Curiosamente, o FC Porto exibe os títulos em separado por cada competição.
Sem imagem de perfil

De Joao a 17.06.2016 às 12:31

Caro Leao Zargo,

devo dizer que estava a espera que escrevesse acerca deste tema. E acho que, num mundo normal, o que escreveu encerraria de vez com o assunto. Mas infelizmente, quem levantou esta polemica nao quer saber do que certo ou errado e quer acicar os animos contando com a ignorancia e fanatismo de outros. Como seria de esperar, na Tasca do Cherba, eles concordam com os "argumentos" do Bruno, que se baseia apenas e so no nome da competicao.

Para alem de questoes menores como logica e o facto das competicoes que antecederam do Campeonato Nacional e a Taca coexistiram durante 4 anos, apenas o facto que os trofeus de cada uma dessas competicoes transitou para a seguinte, isso devia ser suficiente. Mas parece que nao.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 17.06.2016 às 12:40

Caro João
BdC fala do assunto como se nada tivesse acontecido na década de 1930. Mas, aconteceu. Nomeadamente, houve reuniões federativas com os representantes dos clubes principais, tomaram-se decisões que foram levadas à prática. Ao contrário do que parece das palavras dele, as decisões foram formais e exaradas em actas. O Sporting esteve presente e nunca contestou.Por essa razão é que refiro que seria interessante consultar o jornal Sporting da época.

Creio que a questão de associar os títulos da Liga aos do Campeonato Nacional esteve adormecida até por volta de 1980, quando A Bola lançou um debate sobre a unificação. O Record manteve-se à margem e preferia falar em vencedores de provas diferentes.
A FPF, talvez por solicitação do Benfica, reconheceu a identidade entre as duas provas, permitindo que o Benfica somasse os 3 títulos da Liga. Não sei bem quando é que esta autorização foi dada, provavelmente no final de 1990 ou início de 2000.

Imagem de perfil

De Leão Zargo a 17.06.2016 às 12:42

Rectifico "o Sporting nunca contestou" por "não tenho conhecimento que o Sporting tivesse contestado". Assim é que é.
Um abraço
Sem imagem de perfil

De Joao a 17.06.2016 às 13:05

Agora, off-topic ou talvez nao, o Bruno devia fazer um novo comunicado informando os Sportinguistas que, de acordo com as contas dele, o Fernando Peyroteo ja nao tem 329 golos marcados em Campeonatos Nacionais, mas apenas 295.

Imagem de perfil

De Leão Zargo a 17.06.2016 às 13:12

Não me tinha ocorrido isso, João. Nesse caso, haveria muita a coisa a rever.
Sem imagem de perfil

De Joao a 17.06.2016 às 13:41

Erro meu Leao Zargo,

afinal sao 306 golos. So contei os 34 golos do Campeonato que agora nao e' e esqueci-me de contar os 11 golos da Taca que agora e' Campeonato...

Confuso? So' para nos, que para o Bruno tudo e' simples
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 17.06.2016 às 13:47

O "Bruno" tem uma capacidade única de tudo perceber e explicar. Gosto principalmente quando ele afirma que "as pessoas têm de perceber" ou que "é facil os sportinguistas perceberem". Felizmente ele vela por nós!
Sem imagem de perfil

De HY a 17.06.2016 às 18:27

Peço desculpa mas só por ignorância ou má-fé se pode pretender que isto é uma invenção do Bruno. Desde que me conheço leitor do jornal do Sporting que o nosso clube defendeu esta tese. Dai a consideração da bola como o jornal dos campeonatos em poule. Não há outro pais onde se pretenda anular uma fase da história do futebol. Basta pensar numa coisa: o SLB reclama a sua condição de bi-campeão europeu, não é verdade? Mas a liga dos campeões só começou muitos anos depois. Coerência, precisa-se.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 17.06.2016 às 19:58

HY
Refiro no texto que é uma questão que é "debatida periodicamente pelos adeptos leoninos".
Não me parece que Bruno de Carvalho pretenda alterar uma situação que existe de facto. Digo isto pela forma ostensiva e agressiva como pegou na questão.

Há uma decisão federativa tomada em 1938. Penso que a fundamentação da conveniência competitiva sobrepôs-se à jurídica-desportiva. Formalmente está tudo correcto, foi tomada em reunião federativa com os representantes dos clubes interessados e sancionada pelo Ministério da Educação Nacional que tinha a tutela do desporto.

Para se alterar uma decisão destas tem de se negociar e apresentar argumentos e propostas aceitáveis para os outros. Ora, nada disto se passou. Nem interessava pegar no assunto pelo Benfica, o número de títulos e a data da fundação. Para se alterar tem de se conversar. A não ser que se pretenda a confusão do costume.
Sem imagem de perfil

De Sérgio Palhas a 17.06.2016 às 12:55

Sinceramente não me importa quantos títulos o SCP terá ganho ou não, o meu sportinguismo não depende de títulos assim fosse o SCP não teria a massa adepta que tem.

Dito isto acho que importa isso sim quantos irá ganhar.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 17.06.2016 às 13:05

Sérgio Palhas
Estamos de acordo e foi essa a opinião que pretendi transmitir no último parágrafo.
Mas, considerando as palavras de ontem de BdC e o artigo no jornal do Clube, receio que esteja lançada mais uma campanha do género "estamos sós contra o Mundo inteiro"!
Na realidade, o essencial é dotar a equipa das melhores condições competitivas.
Sem imagem de perfil

De benedit a 17.06.2016 às 13:38

Em causa estão os quatro títulos do Campeonato de Portugal conquistados pelos leões, nas épocas 1922/23, 1933/34, 1935/36 e 1937/38...
Quando o Campeonato de Portugal terminou, surgiu a Taça de Portugal,ou seja quando muito o Sporting pode reivindicar mais 4 taças,mas os outros clubes também o podem fazer.
Curioso é que passariam haver 2 vencedores nas épocas de 1935/36 e 1937/38,pois o Benfica conquistou nessas épocas o Campeonato da Liga da Primeira Divisão nesses anos, essa competição que depois deu origem ao Campeonato Nacional da Primeira Divisão....
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 17.06.2016 às 13:53

Benedit
O Sporting referiu as edições do Campeonato de Portugal que refere. De facto, esses triunfos nunca foram anexados à lista dos vencedores da Taça de Portugal, mas a Taça com 1,65 que é apresentada no Jamor tem a lista de todos os clubes que conquistaram o troféu (Campeonato e Taça).
O Benfica conquistou 3 vezes o Campeonato de Portugal e 3 vezes a Liga.
Imagem de perfil

De Pinheirinho a 17.06.2016 às 17:12

essa é a questão, sempre achei que os campeonatos de Portugal deveriam de ser somados às taças de Portugal, os nomes dos vencedores estão lá, logo faria todo o sentido, não percebo é as lógicas das contas
Sporting 4 Porto 4 Benfica 3 Belenenses 3 Carcavelinhos 1 Olhanense 1 Maritimo 1
Sporting 18 + 4 = 22
Porto 27 + 4 = 31
Belenenses 1 + 3 = 4
Benfica 35 + 3 = 35??
esta não percebo!!!
Imagem de perfil

De Profeta a 17.06.2016 às 18:12

O Benfica ganhou 3 campeonatos "experimentais", enquanto que a prova oficial que já vinha de 1922, ainda decorreu durante esse período "experimental".

Tiras as 3 provas "experimentais" que vocês ganharam, e ficam com 32.

Será justo contabilizar uma prova "experimental", quando havia as provas oficiais como o Campeonato de Portugal e os Campeonatos distritais?
Imagem de perfil

De Pinheirinho a 17.06.2016 às 23:57

Sim, então e porque é queo experimental do porto fica? Ps:esses experimentais contam como campeonatos da liga, são realmente campeonatos a duas voltas todos cobtra todos e não a eliminar como a taça de portugal!
Sem imagem de perfil

De J.Pinto a 17.06.2016 às 13:40

Só para dizer que desta vez estou completamente de acordo com o Leão Zargo

apesar de uma coisa não estar directamente relacionada com a outra, quero também que a direcção crie as condições necessarias para os proximos 4 titulos de campeão nacional e não se preocupe tanto com estes
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 17.06.2016 às 13:57

J.Pinto
Verdade, isso é o mais importante. Mas, também se sabe que o palmarés de um clube também se reflecte na sua imagem externa.
Mas, confesso que me sinto bem com um clube que venceu aquele número de vezes o CP, o CN, a TP e a Supertaça.
Sem imagem de perfil

De CR_7 a 17.06.2016 às 14:12

Para mim este assunto é apenas uma perda de tempo.

O Ponto 3 é esclarecedor em toda a linha.

"3 - Consta no Relatório e Contas de 1938-39 da Federação Portuguesa de Futebol: “Por virtude da reforma a que se procedeu no Estatuto e Regulamentos da Federação, os Campeonatos das Ligas e de Portugal passaram a designar-se, respectivamente, Campeonatos Nacionais e Taça de Portugal. O campeonato da 1ª Liga passou a ser Campeonato Nacional da 1ª Divisão e o Campeonato da 2ª Liga obteve a designação de Campeonato Nacional da 2ª Divisão.” "

Em 1938, em documento oficial da FPF o campeonato da Liga passou a ser o Campeonato Nacional e o campeonato de Portugal passou a designar-se Taça de Portugal. Na altura acredito que o Sporting tenha concordado com esta decisão.


Sem imagem de perfil

De Anónimo a 17.06.2016 às 15:42


Pode-se também acrescentar que foi o pulha Madaíl que tudo mudou em 2006 na secretaria, satisfazendo assim a vontade do seu clube. Recordo-me que de todos os pasquins da nossa praça, o único que escreveu nessa altura sobre o assunto foi o Record por intermédio do falecido João Cartaxana, que lamentou a decisão, ele que era benfiquista! Se se consultar a lista dos títulos no site da FPF, vê-se que foram anulados os 4 últimos campeonatos de Portugal (de 1934 a 1938) e aparecem nos seus lugares os 4 da tal Liga que era experimental e que nunca foi oficial!!! O Madaíl "armou-se" em revisionista e reescreveu a história do futebol português, como outros têm tentado reescrever a história da 2ª. guerra mundial ao berrarem alto e bom som, que não houve milhões de pessoas gaseadas.

Chamar-se a isto uma jogada MADAíLESCA é pouco, mas fico por aqui para não ferir susceptibilidades.

Quanto à tal dita Liga, que foi implantada de forma experimental, para se saber se seria possível organizar no plano financeiro um campeonato disputado em 2 voltas, como já se fazia na altura em Espanha, Itália e França, a prova foi disputada por 8 clubes durante 4 anos e logo a seguir ao então em vigor Campeonato de Portugal que dava o título.

Mas alguma vez se viu haver duas provas disputada no mesmo ano (campeonato e Liga que nem existia oficialmente) e servirem as duas para designar o campeão?! Disto só saído da tola de gente sem escrúpulos, pronta a ganhar a qualquer preço.

Os que agora alegam que o dito campeonato era disputado por séries e que por isso mesmo os seus vencedores não podem ser alinhados com os vencedores do campeonato da 1ª.divisão e da Liga actual, entram em contradição dando uma no "cravo e outra na ferradura", porque são os mesmos que chamam aos vencedores da Taça dos Campeões Europeus... campeões europeus (!) disputada também por eliminatórias e não em 2 voltas, equiparando-os aos actuais vencedores da Liga dos Campeões.Mas isso não é de admirar, sabendo-se de quem vêm essas exigências, como se sabe dos tais que dizem serem 35!

Esta exigência lampiónica satisfeita pelo Madaíl, vem desde os inícios da década 60. E para se ver a tendência viciosa daquela gente, basta lembrar que tentaram o mesmo junto da UEFA, quando lhe pediram para reconhecer a Taça Latina disputada por volta dos anos 50 entre os campeões de Portugal, Espanha, França e Itália. Mas nada conseguiram, pois essa taça nunca foi jogada com o seu patrocinio. tendo sido sempre considerada privada.

Quanto ao BdC é uma tristeza! Cai mais uma vez nas asneiras que aponta aos outros. Caladinho passaria por um poeta.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 17.06.2016 às 16:26

Caro Anónimo
Deve adoptar um pseudónimo, condição obrigatória para participar no diálogo.

De facto, Gilberto Madaíl, como benfiquista que é, está sempre atento aos interesses do seu clube. Mas, o problema não estará aí, pois a decisão que tomou de considerar como títulos de campeão nacional as vitórias no Campeonato da Liga Experimental decorreu das decisões federativas da década de 1930.

É evidente que há uma grande ambiguidade que decorre da designação de Campeonato de Portugal, mas a verdade é que a decisão terá sido a de equiparar Liga à 1ª Divisão.

A primeira edição do Camp Nacional da 1ª Divisão teve 8 clubes tal como se verificou no último Camp da Liga. Não houve alteração nesse aspecto.

Sem imagem de perfil

De também tenho memória... a 17.06.2016 às 16:53



Não! Nunca se leu em lado nenhum, pelo menos na imprensa ( a Bolha discutiu muito o assunto na década 60, com escritos das figuras da época ligadas ao Sporting e ao Benfica) que a FPF tenha alguma vez tomado nos anos 30 a decisão de considerar a Liga experimental como dando títulos nacionais. Senão, como é que seria possível se até ao final da época de 1937/38 foi o Campeonato de Portugal que deu o título? Também nunca se viu haver 2 provas disputadas na mesma época a darem o título de Campeão!

"O Campeonato das Ligas...

Em 1935 surgem os Campeonatos das Ligas (I e II), sugeridos pelos jornais da época, depois de clamorosa derrota com a Espanha.
Estes torneios foram organizados a título experimental para estudar a sua viabilidade económica, sem prejuízo do Campeonato de Portugal."

Diz bem: SEM PREJUIZO DO CAMPEONATO DE PORTUGAL...

http://recordesdabola.blogspot.pt/2006/12/sintese-histrica-do-futebol-portugus-o.html

http://www.campeoesdofutebol.com.br/portugal.html

Imagem de perfil

De Leão Zargo a 17.06.2016 às 17:09

Estou de acordo consigo mais do que imagina. A decisão correcta seria a substituição do Campeonato de Portugal por uma prova com a mesma dignidade, ainda que com uma estrura e participantes diferentes, que seria o Campeonato Nacional.
Mas, aparentemente o que se fez foi substituir o Campeonato da Liga pelo Campeonato Nacional e o Campeonato de Portugal pela Taça de Portugal. É isso que consta, por exemplo, no R&C da FPF de 1938-39 (nota 3 do post). A derrota com a Espanha por 9-0, em 1934, acelerou a necessidade de reforma desportiva.
Sem imagem de perfil

De também sou velhote... a 17.06.2016 às 17:15


E para acentuar o que escrevi antes...


"Portanto avançaram para este projecto com muitos receios. Sendo assim, nada melhor que fazer a experiência por isso deixaram escrito em acta "FICOU RESOLVIDO PROMOVER A TITULO EXPERIMENTAL OS CAMPEONATOS DAS LIGAS, 1ª E 2ª DIVISÕES, SEM PREJUÍZO DOS CAMPEONATOS DISTRITAIS, NEM DO CAMPEONATO DE PORTUGAL".
Isto indica claramente a subjugação das Ligas em relação ao CP e até aos Campeonatos Distritais"

Mais...

"Mas a verdade é que de acordo com os regulamentos, o Campeonato de Portugal é que apurava o campeão nacional, enquanto o campeonato das ligas continuava a ser uma prova secundária"


http://recordesdabola.blogspot.pt/2007/05/campeonato-das-ligas-e-de-portugal.html"
Sem imagem de perfil

De Joao a 17.06.2016 às 17:42

Caro tambem sou velhote, a questao da subalternizacao de uma prova em relacao `a outra nao e' argumento. Tambem em Inglaterra tambem a Taca durante muito tempo era vista como a competicao principal, mas nao e' por isso que os clubes que ganharam a taca no seculo XIX e inicio do seculo XX sao chamados de campeoes nacionais. Sao vencedores da Taca.

O que e' crucial e' que e' a propria federacao de futebol que, de forma official, afirma que o Campeonato de Portugal passa a chamar-se de Taca de Portugal (decerto para imitar o nome da competicao em Inglaterra) e a Liga passa a chamar-se de Campeonato Nacional.

Que diabo! Nao chega os vencedores do Campeonato de Portugal estarem inscritos no trofeu da Taca de Portugal? E' preciso algo mais evidente do que isto?
Imagem de perfil

De Profeta a 17.06.2016 às 18:21

A diferença, é que o Campeonato de Portugal designava o "Campeão de Portugal", enquanto que a Taça de Inglaterra não designava um "campeão", mas sim, um "vencedor".
Sem imagem de perfil

De também sou velhote... a 17.06.2016 às 18:44

Mas será necessário que mencione outra vez o que foi escrito pela FPF na década de 30? Mas eu faço-o e só não vê quem não quer. Basta ler com atenção o que é descrito no texto abaixo.

"Portanto avançaram para este projecto com muitos receios. Sendo assim, nada melhor que fazer a experiência por isso deixaram escrito em acta "FICOU RESOLVIDO PROMOVER A TITULO EXPERIMENTAL OS CAMPEONATOS DAS LIGAS, 1ª E 2ª DIVISÕES, SEM PREJUÍZO DOS CAMPEONATOS DISTRITAIS, NEM DO CAMPEONATO DE PORTUGAL".
Isto indica claramente a subjugação das Ligas em relação ao CP e até aos Campeonatos Distritais"

Mais...

"Mas a verdade é que de acordo com os regulamentos, o Campeonato de Portugal é que apurava o campeão nacional, enquanto o campeonato das ligas continuava a ser uma prova secundária"


http://recordesdabola.blogspot.pt/2007/05/campeonato-das-ligas-e-de-portugal.html"

Como se vê, o Madaíl alterou em 2006 o que foi decidido cerca de 70 anos antes, porque é vigar....
Sem imagem de perfil

De Ataíde a 17.06.2016 às 17:35

caro Anónimo

o maior 'qui pro quo" dessa Liga Experimental, está no facto de o Benfica ter vencido 3 (três) em 4 (quatro) e o Sporting não ter vencido nenhuma!...o resto são 'estórias' do lagartismo arrivista.

quando a clubite aguda, dá origem ao aleijão mental, pouco ou nada há a fazer!...se soubesses alguma coisa da História do teu clube, saberias que o objectivo de vencer a TAÇA LATINA se tornou uma DOENTIA OBSESSÃO - (foram a primeira equipa a apostar num estágio antes da fase final) e de tal modo foi que acabaram por perder, para o suspeito do costume, o Campeonato Nacional.

não é a primeira vez que ganhais ... BOLA!

não sei se o Sport Lisboa e Benfica alguma vez solicitou 'autorização' da UEFA o que sei é que TODOS os vencedores (entre os quais um tais Barça e Real) da Taça Latina a referem.
Imagem de perfil

De Profeta a 17.06.2016 às 18:23

Numa prova "experimental", uma equipa pode-se dar ao luxo de poupar nessa competição para apostar nas principais provas, que eram o Campeonato de Portugal e o Campeonato de Lisboa.
Sem imagem de perfil

De também tenho memória... a 17.06.2016 às 18:50

Você usa a linguagem própria de quem vê a verdade e cheio de azia e sem argumentos para negar a verdade, utiliza conversa fiada.

Quando não se tem argumentos, deve-se ficar caladinho para não se acusar os outros daquilo que se é.

Passe bem
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 17.06.2016 às 15:47

CR_7
De facto, esse R&C parece esclarecer muita coisa, mas continua a faltar o conhecimento de documentos essenciais, nomeadamente as actas das reuniões. Em 1938 a Federação Portuguesa de Futebol decidiu reorganizar o sistema de competições nacionais e criar uma nova nomenclatura para duas competições que já existiam. Foi isso?

Todos nós temos a obrigação de recordar quem era o presidente do Sporting nesse tempo. Era o almirante Joaquim Oliveira Duarte que esteve na base do período áureo do Clube e um dos maiores presidentes do Sporting. É ingratidão e ignorância desmerecer um presidente como ele.
Não é conhecida qualquer divergência do presidente relativamente à reforma do futebol português dessa altura.


Sem imagem de perfil

De CR_7 a 17.06.2016 às 17:38

Concordo consigo. Excelente análise.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 17.06.2016 às 14:30

Caro Leão Zargo,

Devido a compromissos pessoais, hoje chego tarde ao seu post. Não posso, no entanto, deixar de o congratular pelo excelente trabalho e pela lúcida e factual análise da questão.

Com outro cavalheiro no "trono", até faria com que o artigo chegasse ao elenco Directivo com o intuito de os induzir a investigar e raciocinar antes de abrirem a boca para dizerem disparates.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 17.06.2016 às 15:56

Obrigado, estimado Rui Gomes. De facto, há algumas perplexidades em tudo isto, embora esteja convencido que de um ponto de vista formal as coisas tenham sido feitas correctamente.
Como referi na nossa conversa, continuo a pensar que em 1938 foi tomada uma decisão em sede federativa e que foi devidamente formalizada, mas com pouca fundamentação jurídica-desportiva: o Campeonato Nacional substitui a Liga e fica com a mesma estrutura e equipas, a Taça de Portugal substitui o Campeonato de Portugal e assume a mesma filosofia competitiva.

O problema é que na direcção do Sporting falta tempo e capacidade para analisar e estudar a documentação oficial e julgam que tudo se resolve com gritaria na rua. Não se resolve, obviamente.

Um abraço leonino
Sem imagem de perfil

De Lion73 a 17.06.2016 às 15:32

Food for thought, que esta questão é antiga:

http://recordesdabola.blogspot.pt/2007/05/campeonato-das-ligas-e-de-portugal.html
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 17.06.2016 às 16:13

Lion73
Agradeço a sua informação. Percebe-se que tudo aconteceu num ápice. O Campeonato de Portugal tinha entrado em algum declínio na década de 1930 e o Campeonato da Liga depois do cepticismo inicial tornou-se um sucesso competitivo.
Como havia uma necessidade premente de reorganizar o futebol português e o governo do Estado Novo pretendia uma maior centralização e organização, a decisão reorganizativa de 1938 terá surgido como a melhor.

Na resposta ao CR_7 referi que Joaquim Oliveira Duarte era o presidente do Sporting. Convém não esquecer quem era ele. Calculo que Salazar Carreira, brilhante como poucos no pensamento desportivo, esteve sempre muito próximo dos acontecimentos. Tal como o futuro presidente Barreiras de Campos.
Isto é, estou convencido que o Sporting esteve por dentro, ou muito próximo, do processo decisório.
Sem imagem de perfil

De Lion73 a 17.06.2016 às 16:19

Que se abra um debate a sério para que esta questão não seja equívoca. Percebo o que Leão Zargo escreveu no post inicial e parece-me uma posição forte, mas também este texto, que o conheço ( e o debate que gerou, bem como outras opiniões similares ) desde 2010 e para quem não tem conhecimento de causa ( como é o meu caso ), não me parece uma fabricação sem sustentação. Alguns pontos parecem se calhar merecem maior investigação e maior prova ( validando ou não algumas afirmações ).
Sem imagem de perfil

De Lion73 a 17.06.2016 às 16:21

*merecerem e não merecem.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 17.06.2016 às 16:32

Amigo Lion73
Estamos de acordo sobre a necessidade de um maior e mais rigoroso conhecimento. Embora antes já tivesse conversado sobre esta problemática, tinha algumas ideias que se alteraram na 4ª e na 5ª feira depois de um melhor conhecimento do que se terá passado.
Mas, falta-me o acesso a documentação que considero fundamental: as actas das reuniões federativas e ao Sporting. Creio que está lá tudo. A direcção do nosso Clube tem acesso fácil e rápido a tudo isso.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 17.06.2016 às 16:34

... "ao jornal Sporting".
Sem imagem de perfil

De Zé d'Alfama a 17.06.2016 às 17:28

parabéns pelo excelente texto! de louvar a hombridade da análise.

isto sim, é História
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 17.06.2016 às 17:50

Caro Leão Zargo,

Acho muito pertinente este tema do post!! já que é comum ouvirmos como estratégia comunicacional do benfica, a referência ao nº de titulos, e para não variar no futebol português nós somos sempre o clube mais prejudicado em todos os critérios que normalmente são seguidos.
Dou o exemplo do futebol inglês cujo 1º campeão remonta ao ano de 1888, e ninguém o anulou...
Outro argumento que acho ridículo é o de dizer que não era um formato tipo campeonato, mas sim de Taça.... então e o campeonato americano não é um campeonato só porque tem playoff?

SL
Sem imagem de perfil

De Joao a 17.06.2016 às 18:12

A serio Schemeichel,

ou voce nao le, ou finge que nao e' menos inteligente que aquilo que e'. Se tivesse lido o artigo teria lido que:

Consta no Relatório e Contas de 1938-39 da Federação Portuguesa de Futebol: “Por virtude da reforma a que se procedeu no Estatuto e Regulamentos da Federação, os Campeonatos das Ligas e de Portugal passaram a designar-se, respectivamente, Campeonatos Nacionais e Taça de Portugal. O campeonato da 1ª Liga passou a ser Campeonato Nacional da 1ª Divisão e o Campeonato da 2ª Liga obteve a designação de Campeonato Nacional da 2ª Divisão.”

Pouco interessa qual competicao era mais importante, ou que se dava mais relevancia. Como disse numa resposta mais acima, no seculo XIX e no inicio do seculo XX, em Inglaterra a Taca era mais importante e prestigiosa, mas nem por isso os vencedores da Taca eram chamados de campeao nacional.

Quer dizer que os campeonatos de Portugal eram a competicao mais importante a nivel nacional? Optimo e toda a gente concorda. Agora dizer que devem ser considerados juntamente com os Campeoes nacionais apartir de 38. Nao. Repetindo para ter a certeza que desta vez consegue ler

Consta no Relatório e Contas de 1938-39 da Federação Portuguesa de Futebol: “Por virtude da reforma a que se procedeu no Estatuto e Regulamentos da Federação, os Campeonatos das Ligas e de Portugal passaram a designar-se, respectivamente, Campeonatos Nacionais e Taça de Portugal. O campeonato da 1ª Liga passou a ser Campeonato Nacional da 1ª Divisão e o Campeonato da 2ª Liga obteve a designação de Campeonato Nacional da 2ª Divisão.”

E comparer com campeonatos de outros paises com sistemas de playoff... Aonde chega a falta de argumentacao. Muito fraco, mesmo vindo de si, devo confessar.
Sem imagem de perfil

De Schmeichel a 17.06.2016 às 20:00

Quando o Real Madrid diz que ganhou 11 Ligas dos Campeões então não está certo.... porque o nome antigamente era Taça dos Campeões Europeus.

Portanto, só para o Sporting é que não é correcto dizer que ganhámos 22 campeonatos porque mudou de nome....
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 17.06.2016 às 18:26

Caro Schmeichel
Nestas coisas é importante a designação (Campeonato de Portugal ou Campeonato Nacional), como é decisiva a essência (competição universal ou apenas para os melhores) e igualmente a organização competitiva (eliminatória ou prova a duas voltas). E, ao contrário do que alguns querem fazer crer, também interessa o processo decisório.

Do que consegui perceber que aconteceu entre 1934 e 1938, estou convicto que o péssimo desempenho da selecção nacional na fase de apuramento para o Mundial de 1934 acelerou a tomada de decisões, determinando que as melhores equipas tinham de competir entre si. Daí, a transformação da Liga Experimental que depois de algum cepticismo, tinha provocado um grande interesse e entusiasmo foi transformada em Campeonato Nacional (da 1ª e da 2ª Divisão).
Simbolicamente, a taça da Liga passou para o Camp Nacional e a taça do Camp de Portugal passou para a Taça de Portugal.

Esta decisão também interessou ao governo de então, por razões que não eram propriamente da ideologia política no sentido restrito da palavra. O Estado Novo desejava centralização, organização e formalismo e o novo modelo desportivo e ia ao encontro disso.

Não posso concordar com o tipo de abordagem que o actual Conselho Directivo faz ao assunto. Coloca a tónica no Benfica, quando se trata de uma decisão federativa e escamoteia que a decisão essencial verificou-se em 1938 e que o Sporting e os outros clubes principais participaram na decisão. Nessa altura o SCP tinha presidente e direcção que velavam pelos interesses do Clube!

BdC anda sempre a lançar gasolina para a fogueira e parece estar convencido que antes dele o Sporting era um deserto. Ora, ele ainda tem de comer muito pão para chegar aos calcanhares de alguém como o presidente Joaquim Oliveira Duarte.
É bom que os sportinguistas lhe digam isso!
Sem imagem de perfil

De também tenho memória... a 17.06.2016 às 18:57


O presidente Joaquim Oliveira Duarte, suponho eu Pai de um grande jogador de futebol do Sporting de nome Oliveira Duarte, que formou uma grande asa esquerda com Fernando Peres no ataque do Sporting, até ir para a guerra em África no inicio da década de 60. E assim encurtou a sua carreira...
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 17.06.2016 às 20:07

O almirante Joaquim Oliveira Duarte não era o pai do extremo-esquerdo Joaquim Oliveira Duarte que foi júnior e campeão nacional em 1965-66. Creio, até, que não tinham ligação familiar, mas disto não tenho a certeza.

Comentar post


Pág. 1/2





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo