Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A revolução de veludo

Rui Gomes, em 02.01.18

 

Depois do G15, o mundo está melhor para quem? É a pergunta do milhão de dólares.

 

19668301_GZJst.jpg

A ordem natural das coisas ditaria que as assembleias gerais da Liga pusessem quase sempre em conflito os clubes grandes e os pequenos. Não sejamos preconceituosos com a palavra: é dos conflitos que saem os equilíbrios, ou seja, quando não há conflitos entre duas forças tão desproporcionadas, provavelmente alguém está a ajoelhar-se mais do que devia.

 

Seria bom que o despertar do denominado G15 significasse que os clubes evoluíram para a emancipação, mas a AG da semana passada tornou óbvio que FC Porto e Sporting vêem o movimento como uma marioneta que o Benfica usou para mais uma manobra de diversão ao caso dos emails. Em concreto, sabemos que o clima negativo entre os três grandes e a defesa da indústria foram os primeiros motivos assumidos para a criação do grupo. Depois, juntou-se-lhes a disparidade financeira.

 

Concluída a AG de emergência, é difícil perceber que contributo prático foi dado pelo G15 para a pacificação (a não ser, talvez, alargar a rebaldaria de dois contra um para dois contra 16), e também não será simples encontrar nas alterações aos regulamentos algum detalhe que mude substancialmente seja o que for, nem para calar os incendiários, nem para modificar os equilíbrios financeiros entre ricos e pobres e nem sequer para a arbitragem, porque as câmaras extra que os clubes "decidiram" obrigar a pôr em todos os estádios, para uso do vídeo-árbitro, teriam de ser pagas por alguém.

 

Até me surpreenderam as reacções de Bruno de Carvalho (pensando bem, nem por isso) e Pinto da Costa por tão pouco. Impõe-se a pergunta do milhão de dólares, que todos devemos fazer-nos depois de cada incidente no futebol nacional: feitas as contas, quem ganhou com o G15?

 

José Manuel Ribeiro, jornal O Jogo

 

publicado às 03:38

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo