Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A sublime evolução de Pote

Rui Gomes, em 11.11.20

img_192x192$2015_10_12_12_41_57_1005680_im_6366777Faz todo o sentido o actual sentimento generalizado de admiração pelo Sporting de Rúben Amorim, porque à exuberância do que tem conseguido na Liga se junta a grande surpresa de ver como líder isolado da Liga NOS um conjunto no qual ninguém sequer apostava um cêntimo. Muito mais do que isso, os leões praticam futebol de elevada qualidade, revelando-se uma equipa que sabe defender (conceito colectivo que passa pela sincronização entre vários elementos) mas que nem sempre defende muito bem (sucessivos erros individuais que põem a nu fragilidades impensáveis) e cuja força advém, principalmente, do momento em que evolui da organização sem bola para a facilidade com que dispara para a frente.

As transições ofensivas contam muito com a vertigem vertical de Nuno Santos e a explosão serpenteada e insinuante de Pedro G. (Pote); têm agora a pausa de João Mário, que passa por terrenos algo minados com a serenidade de quem passeia no jardim com a família, e dois laterais (Porro e Nuno Mendes) sempre disponíveis para invadirem o outro lado do campo.

Com um guarda-redes que não comete erros (Adán), um médio-centro (João Palhinha) que é o mais avançado dos defensores e o líbero dos atacantes, mais um avançado (Andraz Sporar) menos participativo e enleante (do que Jovane ou mesmo Tiago Tomás) mas mais identificado com a função, o Sporting tornou-se temível, tendo já encontrado a estrela maior: Pote, craque da cabeça aos pés, pelo que joga e faz jogar.

No Famalicão, era um centro campista mais cerebral, com apurado sentido organizativo e impecável tempo de participação, que descobria linhas de passe milagrosas e constituía fonte inesgotável de acções de aproximação à baliza adversária. O ímpeto de galgar terreno em acções solitárias era deveras menor, porque pretendia ser o denominador comum da acção criativa. A facilidade de embalar com a bola dominada, assente em coordenação motora perfeita, já lá estava. Apenas não era a sua principal característica.

123865911_10157318129716555_930021293845345005_o.j

De leão ao peito, Pedro G. (Pote) potenciou a explosão com a qual tem rebocado o Sporting para sucessivas vitórias. Perdeu o efeito surpresa, mas a gestão que faz da velocidade de deslocamento (arranque, travagem e aceleração) permite-lhe galgar terreno e derrubar o que lhe aparece pela frente.

Não se impõe pelo engano mas antes pela convicção; não triunfa por assinar apenas um só lance excepcional por jogo (sonho de alguns consagrados) mas por passar hora e meia a fazê-los com impressionante frequência, razão por que triunfa pela qualidade mas também pela quantidade – quando, na recta final dos jogos, tem disponibilidade para mais uma aventura (que até podem ser duas ou três), os efeitos costumam ser devastadores em adversários para quem o tempo e o cansaço interferem no menor acerto das decisões.

Ao fim de sete jornadas, Pote tornou-se a figura em maior destaque da Liga. Acrescentou ao futebol de outra galáxia, revelado a época passada, factor que o aproxima do patamar dos deuses: a relação com o golo, consolidada pela precisão de cada gesto nas zonas de finalização e pela facilidade com que prepara a arma, puxa a culatra atrás e dispara de curta e média distância. Sete golos em seis jogos, para quem se movimenta mais em zonas periféricas do terreno, é um parcial fantástico, que o levou, em meia dúzia de jogos, a superar o recorde de toda a temporada passada.

Com Rúben Amorim, Pedr G. (Pote) está um passo à frente do enorme jogador que João Pedro Sousa moldou em 2019/20. Um craque muito mais completo, que alimenta o jogo com elevada visão e senso comum; que se tornou um explorador de espaços, também por acções individuais bem marcantes, cuja perfeição, intuição e poder de síntese o estão a transformar num especialista do último toque.

Excerto de uma crónica de Rui Dias, em Record

publicado às 04:48

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


8 comentários

Sem imagem de perfil

De RASR a 11.11.2020 às 09:46

Sabem o que é isto??? A tirarem a possibilidade do Sporting lutar pelo campeonato, mais este ano. Se Pote se for embora para os Leicesters e Watfors desta vida, o jogador fica contente porque está na Premier, os rivais porque perdem mais um Bruno Fernandes contra quem tenham de lutar e o Sporting fica novamente a ver navios, quanto ao campeonato... Preferia que deixassem toda esta bajulação aos mesmos de sempre e o Sporting mantivesse o seu caminho, como tem feito até aqui, com Rúben Amorim a fazer aquilo que faz bem.

É mais uma razão por que não deveria existir um mercado de Inverno. Os clubes pequenos (sendo que, na Europa, TODOS os clubes portugueses são pequenos!!!!!) ficam desguarnecidos dos valores que tanto labutam por encontrar nos mercados menos atrativos para depois virem os galáticos buscar por tuta e meia e com eles já descobertos (aqui falo, igualmente, relativamente a competições internas).
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 11.11.2020 às 10:39

Ja começou a bajulaçâo aos jogadores do Sporting é estratégico atacar pelo lado da vaidade explorando-a ao maximo.
É neste ponto que os jovens do Lider Sporting têm que mostrar capacidade de manterem os pes no châo e seguirem com a mesma humildade com que se têm apresentado, se nâo for dessa forma tudo se esfuma.
Eu no lugar deles ainda treinava mais e mais.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 11.11.2020 às 11:45

Publiquei o artigo precisamente por ser tão óbvio.
Imagem de perfil

De Rui Gomes a 11.11.2020 às 11:46

O Sporting terá de se agarrar às cláusulas de rescisão. É o único meio para se defender.
Imagem de perfil

De Julius Coelho a 11.11.2020 às 16:03

É hora de termos retorno desportivo , querem levar os jogadores que paguem as clausulas.
Imagem de perfil

De Leão do Norte a 11.11.2020 às 16:52

"O Sporting terá de se agarrar às cláusulas de rescisão".

Como diz o povo "tem de se agarrar com unhas e dentes"!
É a forma de cortar este "leilão" de venda de jogadores. Quem quiser já sabe o que tem de fazer e se realmente quiserem, que "batam" à cláusula, que aí nada podemos fazer.
Só assim daremos estabilidade à equipa, tão necessária ao sucesso.
Sem imagem de perfil

De RASR a 11.11.2020 às 18:28

Não apenas o Sporting mas também os jogadores terão de passar essa mensagem. Algo no âmbito de que estão abertos a jogar por qualquer clube mas que o que querem é levar este Sporting ao título nacional e que apenas com a cláusula saem. Sem isso, nenhum clube consegue agarrar jogador nenhum, por maior que seja a cláusula visto que os jogadores conseguem sempre arranjar forma de saírem... É a minha opinião.
Imagem de perfil

De Leão do Norte a 11.11.2020 às 20:04

Concordo que os jogadores podem "minar" um clube se não estiverem comprometidos com a sua realidade, mas também compete ao clube criar condições para esse compromisso.
O clube deverá ter um projecto desportivo aliciante, com objectivos de conquistas e com a necessária valorização dos jogadores, para estes sentirem que quando for oportuno (para clube e jogador) ser-lhes dada a oportunidade de partirem para outras conquistas e condições.
Mas como, apesar das condições dadas pelo clube, há sempre jogadores (ou empresários) que colocam a "ganância" acima de tudo, o clube deve proteger-se com contratos de longa duração e ser profilático nas medidas tomadas com os "irreverentes". Se um jogador tem contrato até 2025 e mesmo assim desafia o clube, nada melhor do que tomar uma atitude de força e mostrar-lhe o muito que tem a perder. Servirá também de exemplo a outros.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D




Cristiano Ronaldo