Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

Soube-se através do portal Citius que no passado dia 18 de Março a Sporting SAD avançou com um processo na 1ª Secção de Comércio do Tribunal de Instrução Central da Comarca de Lisboa contra antigos dirigentes do Clube. No referido processo são visados os ex-presidentes Luís Godinho Lopes e José Eduardo Bettencourt, para além de Luís Duque, José Castro Guedes, José Manuel Silva e Costa, Francisco Sousa Louro, Lino de Castro, Carlos Barbosa e Carlos Freitas. É pedida uma indemnização global de 73,6 milhões de euros, alegando gestão danosa. Esta acção judicial contra dirigentes do Sporting foi aprovada em assembleias gerais da SAD e do Clube.

 

19372920_ZzI2z.jpg

 

Em Junho de 2015 o Tribunal da Comarca de Lisboa declarou-se "incompetente" para analisar uma acção movida pelo Sporting contra Godinho Lopes, Luís Duque, Nobre Guedes e Carlos Freitas, acusados de violarem "culposamente os deveres de diligência e cuidado a que estavam obrigados, causando prejuízos à sociedade". Os ex-dirigentes foram absolvidos e o Clube condenado a pagar as custas do processo. Estavam em causa a renovação de Izmailov e as contratações de Jéffren e Alberto Rodríguez, tendo considerado a actual administração da Sporting SAD que houve "violação dos deveres de diligência e falta de racionalidade económica".

 

Ao que parece, agora neste novo processo foi superada a questão do tribunal competente, havendo na Sporting SAD a convicção que, desta vez, existirá decisão judicial. A administração da SAD apresentou a sua própria gestão “baseada na racionalidade empresarial” como o exemplo do modelo que deveria ter sido adoptado pelos administradores anteriores.

 

No entanto, é complexa a aferição do grau de responsabilidade individual que será atribuída a cada um dos indiciados nos diferentes actos decisórios. Refiro-me, por exemplo, à exacta dimensão da falha do “dever de cuidado” que cada um terá praticado ou da participação nas medidas de gestão que foram “gravemente culposas”. Por certo, a decisão do tribunal fará luz sobre esta matéria, até porque é pedida uma indemnização global superior a setenta milhões de euros. Supõe-se que, por consequência, fará jurisprudência para outros casos em Portugal.

 

Já existe, em Espanha, uma decisão judicial relativa a Joan Laporta, antigo presidente do Barcelona, que foi condenado a pagar 63 milhões de euros ao clube catalão, em consequência de perdas acumuladas durante o exercício da época de 2002-03 no valor de cerca de 164 milhões de euros. De nada valeu o recurso do ex-presidente para o Supremo Tribunal (2013).

 

Independentemente de se considerar que a complexidade do processo implicará uma morosidade para além deste mandato presidencial ou até a impossibilidade de responsabilização individual efectiva, é evidente que no Sporting se entrou numa nova fase de inculpação judicial pelos que integraram administrações do Clube e da SAD. É, também, provável que no futuro a actual administração seja incriminada e sobre isso há quem garanta que não faltará assunto relativo a gestão danosa.

 

Apesar de se viver a fase de todas as decisões no campeonato da Liga, existe no Sporting um ambiente de campanha eleitoral para as próximas eleições presidenciais e fala-se com frequência da sua antecipação. Sendo assim, as decisões mais importantes do Conselho Directivo ou da administração da SAD devem ser analisadas sob esse prisma. Por exemplo, utilizando um jargão futebolístico, perceber quem é que põe ‘toda a carne no assador’ e com que finalidade estratégica. Também seria interessante conhecer a opinião de alguém que em tempos chegou a parecer o eterno vice-presidente do Conselho Fiscal do Sporting: José Maria Ricciardi.

 

publicado às 12:46

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


31 comentários

Imagem de perfil

De Leão Zargo a 21.03.2016 às 16:14

J.Pinto
A situação financeira do Sporting é demasiado preocupante. No fundo, não se alterou significativamente em relação ao tempo de Godinho Lopes: continuamos a contrair empréstimos para pagar empréstimos e a vender jogadores para fazer face às despesas correntes.
Isso é consequência, para além da difícil herança proveniente da últimas diurecções, da gestão financeira que foi empreendida desde Maio/Junho do ano passado. Por exemplo, no 2º semestre de 2014 (final da época) os custos com pessoal eram de €25M e no 1º semestre de 2015 já vão em €23.4M. Para um melhor termo de comparação, acrescento que no 1º semestre de 2014 gastou-se €12.1M, quase metade do semestre deste ano.

Tenho a noção de que Bojinov ou Pongolle pertencem a um campeonato diferente de Shikabala ou Cissé. Dito isto, tenho de acrescentar que má gestão é sempre má gestão.
Sem imagem de perfil

De j. a 21.03.2016 às 17:46

Mas no fundo, o Leão Zargo sabe que muito dificilmente se pode dizer que o Sporting está a ser mal gerido.
E não colhe dizer que com um aumento de custos com o pessoal, pusemos a carne toda no assador.
O Sporting ainda está muito longe da real capacidade de investimento de Porto e Benfica.
E por outro lado, sabemos que a um aumento na rubrica dos custos, tivemos um aumento proporcional de competitividade no campeonato nacional.
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 21.03.2016 às 18:31

j.
A avaliação do desempenho da direcção presidida por BdC está fora da temática deste post. No entanto farei algumas considerações, guardando o debate para outra ocasião.

Na realidade, considero que o Sporting está a ser muito mal gerido.
Vejo como factores mais preocupantes:
- a reestruturação financeira permitiu apenas suster o garrote, pois caminhamos a passos largos para um contexto muito crítico,
- o passivo continua a aumentar,
- a gestão financeira com recurso a novos empréstimos,
- o plantel revela graves lacunas na sua composição,
- a saída de determinados jogadores podia ter sido evitada,
- a divisão e a desconfiança entre sportinguistas levará muito tempo a serem superadas,
- a crise no sector de formação e na equipa B começa a ser insustentável,
- o ecletismo está ameaçado,
- a manipulação da informação aos adeptos tornou-se um lugar comum,
- a demagogia e a falta de transparência como instrumentos de governo do Clube.

Como factores mais positivos:
- a equipa de futebol altamente competitiva,
- a dinâmica dos adeptos em Alvalade,
- a boa campanha de captação de sócios,
- a blindagem do balneário ao exterior,
- a escolha acertada de treinadores.

Há mais factores, sejam negativos ou positivos. Mas, creio que estes constituem uma boa amostra do que eu considero sobre o assunto!
Sem imagem de perfil

De J. a 21.03.2016 às 20:24

Obrigado pela resposta, bem justificada e que sempre favorece uma (contra) argumentação.
Apenas alguns comentários da minha parte.
Negativos:
1) A reestruturação, emprestimos e o Passivo, revelam os fortes problemas estruturais do Sporting dos anos 2000´s e que nunca seriam resolvidos em 3 anos. No entanto hoje estamos muito melhor do lado activo. Em 2/3 jogadores poderiamos bem chegar aos 75/80 milhões de euros, para alem de que ainda estar por ver a influencia do contrato Nos nas receitas televisas...
2) Não acho que a formação nem o Ecletismo estejam assim tão ameaçados. Talvez reconhecer que o Benfica neste campo está mais forte.
3) Por outro lado, é verdade que a imagem institucional do Sporting tem sofrido um forte desgaste. Nem tanto pela "luta" que se tem dado ao Benfica, mas mais pelas formas. Ás vezes damos a sensação de ser um clube "rasca". E isso só nos prejudica
Positivos
1) Esqueceu-se do Pavilhão João Rocha. Cada vez mais uma realidade.
2) Apesar de afirmar que a formação esteja em crise, este ano tivemos mais 2 produtos Alcochete a entrar na equipa principal com uma certa regularidade - R.Semedo e Gelson. A juntar a Patricio, W.Carvalho, Adrien e João Mário, acho que o significado de Ser Sporting esteja cada vez mais presente nesta equipa
Imagem de perfil

De Leão Zargo a 21.03.2016 às 22:02

J.
Como referi no comentário anterior, prefiro reservar para um outro post no Camarote Leonino (meu ou de outro redactor) o debate sobre o deve e o haver da gestão de BdC. Aliás, em breve será um dos temas mais abordados na blogosfera leonina.

A reestruturação financeira é de elevada complexidade e projecta-se a muito longo prazo. Pretende acudir a duas situações de carência financeira, em simultâneo:
- Um quadro estrutural de crise financeira que dura há dezenas de anos (talvez desde meados da década de 1950, pelo menos desde 1960);
- Um contexto conjuntural de excepcional gravidade, com origem nas presidências de Bettencourt e Godinho Lopes.
Não percebo por que razão BdC não tornou esta questão absolutamente límpida para os sportinguistas, dando a sensação que ele resolveria isto em poucos anos.

A referência ao ecletismo decorre da minha observação empírica e de conversar com algumas pessoas em quem tenho absoluta confiança. Mas, infelizmente não está bem.

Tem razão, devia ter referido o Pavilhão João Rocha. Ressalvo no comentário que há mais aspectos positivos, mas é verdade que esse tinha de ser citado.

A formação está em crise e conclui-se isso através da verificação dos que estão a consolidar o estatuto como imprescindíveis na equipa principal. João Mário já era uma certeza, como era o Gelson, mas este estagnou. Rúben Semedo parecia um “caso perdido”, mas aproveitou bem a oportunidade que teve. Mané, Esgaio, Matheus e Tobias arrastam-se. André Martins está de partida. Wallinson está por França. Chaby, Ponde, Podence e mais alguns da B vegetam. Iuri faz por ele porque o treinador preferiu outros jogadores. Palhinha anda à procura de um lugar ao sol. Não existe um projecto, um plano, tudo decorre ao acaso na crença que aparecerá alguém que salvará a honra do convento.

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D




Cristiano Ronaldo