Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Wendelfestejo.jpg

Considerações de Wendel em recém-entrevista ao site Goal, em que refere a sua chegada ao Sporting, a influência de Bruno Fernandes na equipa e o desempenho de Marcel Keizer:

"[Quando perdemos ou jogo mal] vem logo a minha mãe dizer-me 'tu não és assim'. Diz logo que preciso de fazer um próximo jogo melhor e fica a semana inteira a falar-me ao ouvido [risos]. Se esta 'cobrança incomoda? Ah, incomoda. A gente vem de um jogo mau e não é bom chegar a casa e ouvir críticas. Fico mal com isso, ainda mais porque já chego a casa de cabeça quente. Mas depois paro para pensar e vejo que tudo isso é bom para mim. Procuro sempre analisar o que a minha mãe diz. No fundo, isso é bom.

Quando inicialmente era pouco utilizado no Sporting, pensei 'estava bem no Fluminense, o que vim fazer aqui? Não jogo aqui, jogava lá'. Isso é difícil, mas é passageiro. Tens que ser muito forte para encarar tudo isso de frente. Felizmente, tive a minha família do lado. Caso contrário, não sabia nem sequer o que estaria fazendo aqui ainda.

Os elogios ao Bruno Fernandes são bons para ele e para o resto do plantel. Somos nós que participamos em tudo com ele, somos nós que fazemos um passe, são os atacantes que sofrem os penáltis, etc. Todos ajudam. Quando o Bruno pede rapidamente a bola, temos a certeza que algo de bom vai acontecer. Ele tem uma leitura de jogo diferenciada, pensa sempre na jogada antes de todos. Tem sempre uma jogada guardada no bolso e prevê os lances. Deixa sempre um atacante na cara do guarda-redes, marca golos... Se o Bruno pedir a bola, então precisas de lha dar.

Não me sinto o melhor do Sporting a seguir ao Bruno. Há muita gente à minha frente ainda. Há o Acuña, o Coates, o Mathieu... outros jogadores que admiro muito aqui dentro. Depois venho eu [risos].

Marcel Keizer tem sido muito importante no meu crescimento no Sporting. As críticas são injustas. É um óptimo treinador que ajuda todos aqui. Perder faz parte, é futebol. É fácil criticar de fora, infelizmente existe muita injustiça. Mas vamos melhorar, por ele e pelo Sporting. Damos sempre o máximo no dia a dia, nos treinos, nos jogos... Todos aqui se conhecem, todos trabalham bem. Falta sorte, falta a bola entrar."

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:01

Comentar

Para comentar, o leitor necessita de se identificar através do seu nome ou de um pseudónimo.


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Rumo Certo - Ventos Favoráveis a 16.08.2019 às 16:34

Entrevista interessante de um jovem que tem evoluído no processo de aprendizagem e na adaptação em termos técnicos, táticos e sociais ao futebol europeu e também no sentido de perceber o nível de exigência e responsabilização do profissionalismo.
Este processo gradativo ainda se encontra em fase de otimização, parecendo-me que a componente muscular do choque com o adversário e a proteção corporal da bola, são lacunas a trabalhar e a melhorar - sem que prejudique qualquer outra característica.
Dispõe de enorme potencial e recursos, que com indomável vontade, trabalho árduo, humildade e alguma necessária sorte, poderá conduzi-lo aos mais elevados patamares de referência no meio e contexto do futebol europeu.
A natureza não o dotou de estatura física, que lhe permita o aperto recorrente da disputa e o combate em zonas de predominância no jogo aéreo.
Essa menor valência, pode e deve ser superada pela rapidez e pique explosivo na execução, "fugindo" ao choque e contornando os adversários.
É uma mera opinião pessoal com base apenas e tão só, na observação visual, advinda do entusiasmo e paixão presencial dos jogos.
Longe de mim sugerir ou recomendar o que seja, a toda a reconhecida competência e conhecimento da estrutura do futebol. Era só o que faltava, que a minha reconhecida ignorância e desconhecimento científico, nestas matérias, servisse de exemplo.
A estrutura e gabinetes de análise e estudo, certamente, têm há muito o diagnóstico preciso e a melhor terapia a prosseguir.
Apraz ainda registar, o apreço reconhecido a colegas de balneário e ao líder treinador, quer no âmbito da qualidade, competência e camaradagem, ou seja, dos imprescindíveis ingredientes que conduzem ao sucesso e aos objetivos.
Face aos mesmos, entendo e comungo, que também não estou preocupado.
Conseguindo-se obter uma melhor taxa de concretização e eficiência em frente dos postes, estaremos mais perto do pretendido e da confiança no presente e futuro.
Somos Sporting.
SL

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Taça das Taças 1963-64



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D




Cristiano Ronaldo